Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador github. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador github. Mostrar todas as postagens

Microsoft torna Open Source seu kit de desenvolvimento de computação quântica

Nenhum comentário

segunda-feira, 6 de maio de 2019

Quem poderia imaginar uma Microsoft tão Open Source, se olharmos para o passado e compararmos "ambas Microsoft" veremos que Satya Nadella, atual CEO da MS, fez uma mudança e tanto de paradigmas na empresa.

open-source-quantum-development-kit-computador-quântico-ms-microsoft-q#

A computação quântica é algo que em muitos casos é relacionado ao futuro, porém já é o presente em super computadores (que fazem previsões meteorológicas etc.), mesmo engatinhando no aspecto "usuário comum/empresarial", é algo que vai mudar nossa forma de lidar com as máquinas.

Não sabe o que é e como funciona um computador quântico? Então veja o vídeo a seguir:


Gosto muito da Lei de Moore, e acredito que a próxima revolução nos computadores será a computação quântica em nossos lares. E empresas como a Microsoft, já se ligaram que esse é o futuro (presente, se você for mais atento). Dona de uma linguagem de programação específica para computadores quânticos, o Q#, a Microsoft acaba de anunciar que disponibilizará seu kit de desenvolvimento para computação quântica no Github. A build 2019 do Quantum Development Kit será de código aberto e proporcionará um amadurecimento na tecnologia e formação de vários profissionais interessados na área.

O compilador e os simuladores quânticos terão seu código aberto, e se você pensa que a MS é pioneira nisso, saiba que outras empresas, como a IBM, também estão investindo na área da computação quântica Open Source.

Acesse o pronunciamento oficial e veja os demais detalhes.


E você acredita que em pouquíssimos anos estaremos com computadores quânticos em nossas casas, quem sabe em nossos bolsos?

Continue esse bate-papo lá no nosso fórum Diolinux Plus. Até o próximo post SISTEMATICAMENTE! 😎
___________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Microsoft torna Open Source seu app calculadora

Nenhum comentário

quinta-feira, 7 de março de 2019

Há quem diga que a Microsoft apenas está preparando o terreno para num futuro próximo “se apropriar” do Linux e do mundo Open Source, ainda existe quem afirma que com o Satya Nadella a postura da empresa mudou e que a MS adaptou-se ao mercado, porém sempre existirá a dúvida pairando na mente, de quem viveu aquela época obscura da empresa.

calculadora-app-windows-10-opensource-codigo-aberto-ms-mit

Inegavelmente com o passar dos anos, a Microsoft veio disponibilizando cada vez mais o código de seus softwares, em 2014 o Microsoft .NET Framework teve parte do seu código disponibilizado, também teve o motor do JavaScript em seu “finado” browser Edge (em breve a atual versão do Edge, será baseado no Chromium), o Chakra, parece que a empresa está “cedendo” ao padrão de mercado, o “jeito Open de Ser”, e desta vez mais uma aplicação entra na lista, o app de calculadora do Windows 10.

calculadora-app-windows-10-opensource-codigo-aberto-ms-mit

Distribuído sobre a licença de código aberto MIT, o app de calculadora do Windows 10, que é desenvolvido com o XAML, Azure Pipeline e Universal Windows Platform (UWP). Disponível no Github, todo o cronograma de desenvolvimento da aplicação, assim como a possibilidade de sugerir funcionalidades ou implementações, estará ao alcance dos desenvolvedores, e por ser Open Source, seu código pode ser utilizado em outros projetos.

Algo interessante para os novos desenvolvedores que pretendem utilizar de tais tecnologias, é ver como a MS utiliza seus padrões de desenvolvimento, uma forma eficaz de ver todo o processo e familiarizar-se com tais ferramentas.

E você acha que a MS está a cada dia indo em rumo ao Open Source? Será que no futuro o Windows será de código aberto? Algo interessante e que também pode entrar em discussão, ao se pensar numa Microsoft mais aberta, é seu pacote universal de programas, pauta de um Diocast, intitulado “Esse Windows ainda vai virar Linux?”, caso não tenha acompanhado basta ouvir todo esse bate-papo. 

Te espero no próximo post, e lembre-se, seja educado e respeite a opinião alheia, não esqueça de compartilhar o blog Diolinux, SISTEMATICAMENTE! 😎

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Projeto MU é apresentado pela Microsoft, o UEFI de código aberto

Nenhum comentário

quinta-feira, 27 de dezembro de 2018

A Microsoft, através doblog do Windows, fez o anúncio do “Projeto MU’, uma adaptação do projeto EDK II TianoCore’s para o UEFI (Unified Extensible Firmware Interface) tornando ele open source, sendo aproveitado pela empresa nos dispositivos ‘Surface” e nas versões mais recentes do Hyper-V. A novidade foi anunciado aos 40 minutos do segundo tempo de 2018, no dia 19 de Dezembro mais precisamente.

 Projeto MU é apresentado pela Microsoft, o UEFI de código aberto






A MS começou a implementar o Project MU com as versões mais recentes do Windows, assim tendo uma escalabilidade melhor para o produto final. Segundo a empresa, a manobra vai beneficiar Servers, IoT, PC ou qualquer um que queria usar o Project MU.

No comunicado ainda é dito que ele não é um projeto paralelo, espelho, clone ou qualquer coisa do tipo, e que ele vai ser usado em produtos de “primeira linha” da Microsoft e será mantido para continuar e permitir o fluxo dos produtos dela.

Eles também colocaram metas primárias para uma primeira fase, que são:

- Compartilhar o código da ferramenta de forma ativa para solicitar feedbacks e atrair parceiro a colaborar, como em qualquer projeto open source;

- Promover, evangelizar e apoiar uma mudança na indústria para um ambiente mais colaborativo, para que todos possamos construir e manter produtos com custos menores e qualidade superior;

Que Microsoft é essa?


Dois pontos interessantes colocados no anúncio, eles querem facilitar e padronizar a implementação para os parceiros e assim derrubar algumas “barreiras”. O que traduziu-se na seguinte declaração:

“O Projeto Mu também tenta abordar as complexas relações comerciais e os desafios legais enfrentados pelos nossos parceiros hoje. Para construir a maioria dos produtos, geralmente são necessários ativos proprietários de código fechado, bem como códigos padrão de código aberto. O sistema de compilação distribuído e o design de vários repositórios permitem que as equipes de produto mantenham o código separado e conectado à sua fonte original, respeitando os limites legais e de negócios.”

E o outro ponto foi:

“Os projetos de código aberto de hoje, embora extremamente valiosos, são muito intensivos em recursos para interagir. Esse atrito pode afastar as grandes empresas do setor, evitando a interação pública, diminuindo assim o valor geral da comunidade. A era moderna de projetos de código aberto incorporou novas ferramentas e procedimentos para diminuir esse atrito e é nosso objetivo alavancar essas ferramentas. O GitHub fornece rastreamento de problemas, solicitações de pull, builds de gateways, revisões de código baseadas na web, rastreadas/requeridas, e CI/CD (builds e testes contínuos). Acreditamos que, ao alavancar e ampliar essa automação e fluxo de trabalho, podemos diminuir o atrito e promover um local seguro para todos os colaboradores trabalharem.”

Além disso, a Microsoft comenta sobre o desejo de trazer o FaaS (Firmware-as-a-Service) para o mundo Open Source e trazer alguns recursos, como os que eles listaram:

-  Uma estrutura de código e processo de desenvolvimento otimizado para Firmware como um serviço;
- Um teclado na tela;
- Gerenciamento seguro de configurações de UEFI;
- Segurança aprimorada removendo código herdado desnecessário, uma prática conhecida como redução de superfície de ataque;
- Inicialização de alto desempenho;
- Exemplos modernos de menu do BIOS;
- Numerosos testes e ferramentas para analisar e otimizar a qualidade da UEFI, etc.




Isso vai ser muito bom para quem tem notebooks ou desktops em que as fabricantes tem o seu boot todo personalizado e por alguns empecilhos de padrão ou compatibilidade com o Linux não o trazem para a plataforma, mas com o Project MU isso poderia ser ajustado e deixar de ser uma barreira para a utilização aberta do sistema que usuário desejar de uma forma mais simples e eficiente, já que estaria padronizado.

Se você quiser saber mais sobre o anúncio e o projeto, pode acessar o blog da Microsoft e o site do Project MU.

Espero você, até uma próxima e um forte abraço.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Estilo Long Shadow - Novo tema de ícones para Linux

Nenhum comentário

sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

Se você estiver procurando uma opção bacana de tema de ícones para a sua distro Linux e pretende colocar um tema bem estilizado e com um conceito um tanto diferente, especialmente se você curtir as famosas “long shadows”, você vai adorar o tema “Shadow”.

 Estilo Long Shadow - Novo tema de ícones para Linux










O Shadow é um tema flat para GNOME 3.10+ e interfaces “filhas” Na versão 4 contém mais de 980 ícones de apps e mais de 2200 ícones para o sistema e afins.




Instalando o tema Shadow


Baixe o tema à partir do GitHub ou do "GNOME Look", ele virá em um pacote compactado (zip), basta extrair o tema do arquivo compactado para a pasta .icons (ponto icons) dentro da sua pasta pessoal. Depois é só fazer a alteração do tema pelo software adequado a sua interface gráfica.



No Linux Mint você pode usar as próprias configurações do sistema e no Ubuntu, use o GNOME Tweaks.

Quem deseja fazer o processo de instalação pelo terminal pode seguir os seguintes passos:

git clone https://github.com/rudrab/Shadow.git

mv Shadow-master /home/$USER/.icons/

Se for pelo Gnome-Look, basta baixar e extrair o .tar.xz dentro da pasta “icons” que você criou

Feito isso, agora você pode desfrutar do novo tema para o seu sistema.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Conta do Gentoo no Github é hackeada

Nenhum comentário

sábado, 30 de junho de 2018

O Gentoo Linux é conhecido por ser considerado o Linux "faça você mesmo", onde você coloca a mão na massa e vai montando o seu sistema operacional do seu jeito e do zero. Sendo considerado por muitos umas das distros mais rápidas do mercado.


Conta do Gentoo no Github é hackeada





A Organização Linux Gentoo lançou uma nota oficial em seu site nessa sexta-feira (29), comentando a invasão da sua conta no Github, que teria ocorrido na quinta-feira (28) as 20:20 (horário local), a mesma teria comprometido os códigos-fontes ali hospedados e substituídos por malwares.

Ela informou que um grupo de hackers, ainda não identificados, invadiu a conta do Gentoo no Github e trocou os códigos originais que são arvores do portage e musl-dev por versões maliciosas do ebuilds, com o intuito de remover os arquivos.

O ebuild é um script com base bash,onde é possível fazer a instalação automatizada (e até a compilação) de softwares no Gentoo Linux.

Os desenvolvedores tranquilizaram os usuários, avisando que os códigos-fontes e ISO's do sistema hospedados no seu site (gentoo.org) não foram comprometidos, mas somente o Github foi.

O desenvolvedor Francisco Blas Izquierdo Rieda, pronunciou-se da seguinte forma:


"Ainda estamos trabalhando para determinar a extensão exata e recuperar o controle da organização e de seus repositórios. Todo o código do Gentoo hospedado no Github deve, por enquanto, ser considerado comprometido."

E complementou:

" Além disso, os repositórios do gentoo-mirror, incluindo metadados, são hospedados em uma organização separada do Github e provavelmente não estão afetados também. Todos os commits do Gentoo são assinados, e você deve verificar a integridade das assinaturas ao usar o git."  disse o desenvolvedor.

A Organização Gentoo Linux informou através do seu site, que já retomou o controle sobre a sua conta do Github com a ajuda do suporte da empresa, mas que não aconselha a utilização da mesma até que se apure todo o ocorrido.

O canal parceiro nosso, O Cara do TI, fez um vídeo sobre o tema, confiram:

       

Agora é esperar pra ver os próximos "capítulos".

Espero que tenha gostado, aguardo você até uma próxima oportunidade, forte abraço.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Nat Friedman, novo CEO no GitHub, responde dúvidas de desenvolvedores no Reddit

Nenhum comentário

sexta-feira, 8 de junho de 2018

A Microsoft anunciou a compra do GitHub nesta semana e isso acabou gerando vários debates, especialmente no mundo dos desenvolvedores. Para acalmar os ânimos, o novo CEO veio a público para tirar dúvidas.

Respostas de Nat Friedman no Reddit






Eu não sei se o pessoal da Microsoft se sentiu compelido em ir a público para falar com os desenvolvedores, mas de toda a forma, são raros os momentos em que eu vi um CEO de uma empresa desse porte ir a público de uma forma tão "crua" e simplesmente dizer:

"- Me perguntem o que quiserem."

Foi isso que Nat Friedman fez ontem no Reddit, ele criou um tópico se apresentando e dizendo que os desenvolvedores poderiam perguntar a ele o que quisessem e tirar todas as suas dúvidas, naturalmente várias perguntas começaram a aparecer.


Friedman falou sobre a postura da Microsoft em relação ao GitHub, falou sobre o desenvolvimento do editor Atom, do VS Code e revelou ser um usuário de longa data de EMACs, ele comentou também sobre a migração de alguns desenvolvedores para o GitLab. Você pode conferir todas as perguntas com suas respostas neste endereço.

Vale a pena conferir para ficar  mais informado.

Até a próxima!

Agradecimentos ao leitor Robert San pela informação.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Sobre a compra do GitHub pela Microsoft

Nenhum comentário

quarta-feira, 6 de junho de 2018

Microsoft e GitHub anunciaram que, em comum acordo, agora a empresa dona de um dos serviços de repositório de software mais populares que existe pertence à "Gigante de Redmond". Tornando a Microsoft uma empresa mais influente e próxima dos desenvolvedores.

Microsoft e GitHub






Tem gente que gosta de catastrofismo, e devo admitir, deve gerar muitos cliques colocar alguns "títulos apocalípticos" por aí, não posso os culpar, mas eu geralmente tenho uma forma mais conservadora de trabalhar quando notícias "bombásticas" como esta vem à tona.

Esse é o motivo, inclusive, de eu estar escrevendo este texto várias horas (dias na verdade) depois do acontecido.

O passado me mostrou que geralmente "os empolgados" podem acabar se equivocando caso não soem neutros. Por isso, depois da compra ter se confirmado, de pessoas terem se revoltado, de outras terem comemorado; a que conclusão eu cheguei a respeito do assunto?

A compra do GitHub pela Microsoft


Foram 7,5 Bilhões de dólares, definitivamente um dinheiro que não estamos acostumados a ver em nosso dia a dia, fora de grandes negócios, ou grandes casos de corrupção. Mas por que a Microsoft estaria disposta a pagar essa quantia pelo GitHub?

- Para mais informações sobre a Notícia da compra, recomendo a leitura do texto da minha amiga Mariana Barbosa.

Ouvindo pessoas (é sempre bom ouvir) com opiniões diversas, conversando com amigos, algo me parece claro: A Microsoft não parece ser a mesma empresa outrora, não no sentido de querer "apenas obter lucro", mas é uma empresa que teve de reaprender a se colocar no mercado.

Atualmente a informação vale mais do que qualquer produto tradicional, informação é o produto! A Google é uma das maiores do mundo não só por seus produtos de qualidade, mas pelo que eles geram: Conhecimento sobre você e eu.

A Microsoft está deixando de ser apenas uma produtora de software, como fora em outros tempos, para ser uma fornecedora de serviços, e nada como conhecer o seu cliente, certo?

"Hoje em dia o produto é o serviço e não o produto." É esquisito falar assim, mas é isso mesmo.

A Microsoft é dona de muito mais empresas e serviços do que você imagina, mas vamos observar dois apenas. O LinkedIn e o GitHub.

A combinação de ambos permite que a Microsoft tenha acesso a uma imensa base de dados de o que as empresas estão necessitando e quais as tecnologias que as pessoas mais estão usando, para colocar de forma simples.

Com esse tipo de conhecimento é muito mais fácil criar produtos para atender demandas crescentes, muitas vezes sem usar o Windows diretamente, como é o caso do Azure e do Azure Sphere OS. 

A Microsoft está empenhada em oferecer tecnologia para seus clientes, atender suas demandas. Se para fazer isso ela terá de deixar de usar Windows em todas as soluções que oferece ou abrir o código de suas aplicações (como já fez com várias), que seja. Parece que é um "preço" que eles estão dispostos a pagar.

O modelo Open Source venceu?


Eu lembro do tempo em que se falava que a Microsoft era "a inimiga número um de projetos de código aberto". Dizia-se isso por ela ser uma das pioneiras e maiores empresas a distribuir softwares de código fechado, além disso, em outros tempos, seus líderes fizeram ásperos discursos contra o movimento Open Source, Software Livre, Linux, etc. No coração dos magoados, isso talvez permaneça latente. Certamente é um sentimento inútil, mas que continua deixando as pessoas com um (ou até dois) pé atrás. O que, de toda forma, também não é de todo mal.

Sempre vi em algumas comunidades de software livre que a maior "diversão" era ter um inimigo em comum contra quem lutar. O "ódio" de alguma coisa muitas vezes une mais as pessoas do que ter coisas em comum, por mais idiota que isso possa parecer. As pessoas que entre si tem inúmeras divergências mas odeiam algo em comum acabam por se unir, mais uma vez, isso é uma lição histórica.

Em pleno 2018, eu vejo uma Microsoft que está se rendendo ao que a comunidade Open Source sempre tentou lutar em prol.

Observe: para continuar tendo sucesso em seus negócios, é a Microsoft que está tendo que se aproximar do Linux e do mundo dos softwares abertos, dos desenvolvedores e dos hackers, e não o contrário.

Se o objetivo era fazer com que a Microsoft não fosse mais "aquele monstro proprietário", parece que finalmente estamos no meio deste processo. Existem muitas empresas que trabalham com softwares Open Source, que trabalham com Linux, que são muito mais fechadas que a Microsoft, a grande questão é que com a MS, tudo tem uma escala maior por conta do seu nome e por conta do próprio tamanho da empresa.

A compra do GitHub pela "turma do Nadella" acabou gerando uma debandada de alguns desenvolvedores para um concorrente com popularidade crescente, o GitLab. Ambas ferramentas procuram oferecer o mesmo tipo de serviço, cada  um com suas particularidades.

O lado irônico dessa mudança, é que o GitLab (que ao que parece pretende migrar para serviços de outra gigante, a Google) no momento ainda roda no Azure, da Microsoft:

GitLAB

GitLAB

Mais irônico que isso é só o pessoal que está reclamando da compra do GitHub no LinkedIn.

Estes tipo de escolhas são pessoais, claro, se você não gosta de algo e existem alternativas, você pode se sentir livre para mudar. Mas hoje eu convido você que foi "treinado para odiar" a Microsoft a refletir sobre o assunto e tentar entender o porque disso.

Não era a mudança de postura da empresa que todos queriam? Não é isto que está acontecendo agora mesmo em algum nível?

Algo que eu acho extremamente importante de ressaltar é que grandes companhias assim costumam refletir a postura de seus líderes. 

Não era a Microsoft que odiava Linux ou Software Livre, era o Steve Ballmer. Os motivos dele pensar assim são obscuros, talvez ele tenha se desenvolvido como profissional entendendo somente uma forma de trabalho e o software livre estava atrapalhando a visão estreita que ele tinha das coisas. 

O Nadella por outro lado é criado em meio ao mundo Open Source e levou a sua visão para a Microsoft, depois de sua chegada podemos dizer que a empresa aprendeu a se recolocar no mercado lucrativo, com serviços em nuvem, internet das coisas e até mesmo serviços para dispositivos móveis. 

Por mais que o Windows, o Office e o XBox sejam produtos mais "visíveis" para as pessoas, e eles obviamente gerarem receita para a empresa, a "mina de ouro" está na infraestrutura.

Você já deve ter ouvido falar da IBM, certo? Olhe ao seu redor hoje e veja quantas coisas com a marca "IBM" você tem ao seu redor. Não muitas provavelmente, se é que tem alguma. No entanto até hoje a IBM é um das maiores empresas do mundo no mercado de tecnologia, justamente por atuar há tantos anos e ter focado neste mercado que a Microsoft está "loucamente" tentando conseguir uma fatia.

Ao invés de continuar gastando milhões para fazer o Windows Phone funcionar como uma nova plataforma, eles criaram um ecossistema para o Android com soluções da Microsoft no lugar das soluções Google, porque no fim das contas eles não querem que o Windows necessariamente seja a plataforma para as pessoas, eles querem que as pessoas usem seus produtos, seja como for.

Um exemplo de que a mentalidade "do chefe" pode influenciar em como vemos a empresa de fora, mas que não muda as pessoas que fazem parte dela é que: Imagine que você é o dono de uma empresa, e você comenta publicamente e com todos os seus funcionários que "azul é uma cor horrível, você odeia azul, azul estraga o mundo, azul é o câncer da comunidade."

É natural que as pessoas de fora pensem que a sua empresa toda pense que "Azul é uma droga", quando na verdade cada um dos funcionários tem a sua própria visão sobre isso e quem realmente odeia azul é você, seja lá qual for o motivo.

Para mim, uma empresa é feita de pessoas, ainda que o líder esteja lá para representá-las de alguma forma, as relações entre pensamentos e ações vão muito além disso. Basta você ter a sua própria empresa para saber ou observar se você concorda com as opiniões do seu chefe sobre tudo.

O que pode acontecer com o GitHub no futuro?


Você pode ouvir pessoas especulando o quanto quiser, mas a verdade é que nenhuma delas realmente sabe o que vai acontecer.

Tudo bem, podem haver especulações baseadas em ações passadas, são suposições com fundamentação, mas em momento algum no passado a Microsoft que comprava empresas tinha a postura que esta empresa atual tem.

Para mim o LinkedIn, por exemplo, só melhorou depois da chegada da Microsoft, finalmente temos uma versão do Skype para Linux que não deixa a desejar em relação a versão de Windows e macOS, mas nem mesmo as boas ações recentes da empresa são garantia de que ela não vai fazer algo que tornará o GitHub menos interessante no futuro.

Eu sei que é difícil para você (ser humano) admitir que não sabe de algo e conviver com isso sem preencher as lacunas com a sua imaginação, mas tente ser honesto.

Tirando o seu gosto pessoal (que deve ser respeitado), existe alguma mudança no GitHub que tenha inviabilizado, comprometido ou causado algum desconforto técnico para você remover o seu repositório de lá?

Você pode tomar a decisão baseada em emoção e fazer qualquer mudança, ou esperar, analisar a situação e se realmente ficar ruim, sair. Nada vai te impedir.

Temos que parar de usar as nossas emoções para pensar e começar a pensar sobre as nossas emoções. Quando você colocou o seu repositório lá no GitHub eu imagino que você tivesse ciência de que ele era uma empresa e que poderia ser vendida para qualquer um que tivesse dinheiro para tal.


Por mais que possa se configurar como "efeito manada", um indicativo de que "algo errado estaria acontecendo" com o serviço, seria quando grandes projetos começassem a debandar de lá, porque literalmente todas as grandes empresas de tecnologia que trabalham com Open Source mantém alguns códigos lá, incluindo o Kernel Linux.

Mudar porque existe algo melhor ou que lhe atenderá melhor é um bom motivo para desprendimento de energia, o resto é, como dizem hoje em dia, puro "mimimi". Se fosse a Google que tivesse feito a compra, será que a reação de quem reclamou seria a mesma? E se fosse a Red Hat?

Acredite, existem pessoas que odeiam cada uma dessas empresas tanto quanto outras odeiam o Windows ou a Microsoft.

Mas você ganha o que mesmo odiando algo? 🤔
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


elementary OS completa sua migração para o GitHub

Nenhum comentário

sexta-feira, 23 de junho de 2017

O Git vem se tornando a preferência de muitas distribuições Linux e até mesmo "não Linux", lembra do caso da Microsoft migrando 300 GB de código do Windows? E o GitHub, como era de se esperar, acaba fazendo parte de vários projetos de código aberto também, a própria Canonical revelou recentemente a integração do Snapcraft com o GitHub, e agora é a vez do elementary OS.

elementary OS GitHub




Os desenvolvedores do elementary OS anunciaram a integração completa do projeto ao GitHub, migrando do Launchpad da Canonical, agora, assim como o Deepin, o elementary também gerencia o seu desenvolvimento através da ferramenta criada por Linus Torvalds.

A mudança já era esperada, visto que o novo projeto de AppCenter basicamente se baseia na integração com o GitHub, mas agora temos o anúncio oficial. Os desenvolvedores afirmaram que agora com a integração com o GitHub, o processo de desenvolvimento do elementary OS ficará mais ágil e os feedbacks da comunidade poderão ser recebidos com maior rapidez.

Para mais informações sobre os motivos da migração e para ver o que os desenvolvedores tem a dizer sobre a questão, você pode verificar o anúncio oficial.

Você também pode acessar o repositório do elementary OS no GitHub clicando aqui.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Microsoft migra 300 GB de código fonte do Windows para o Git

Nenhum comentário

terça-feira, 30 de maio de 2017

A Microsoft aderiu mais uma vez ao Open Source, desta vez para controlar o código e as versões do Windows, migrando mais de 300 GB em informações e código fonte para o Git, a ferramenta criada por Linus Torvalds, criador do Kernel Linux.

Microsoft adota o Git




A Microsoft decidiu migrar de ferramenta de versionamento de código para o Git há cerca de três meses e nesta semana tivemos acesso ao anúncio do blog da empresa que informou que finalmente a migração foi concluída.

Brian Harry, vice-presidente corporativo da Microsoft, declarou que esta foi uma das maiores, se não a maior, migração de código da Microsoft. São mais de 300 GB de código fonte e cerca de 3,5 milhões de arquivos que são utilizados diariamente por 4 mil engenheiros diferentes e que geram cerca de 1700 builds todos os dias ao longo de 440 ramificações do projeto.

Não somente o Windows de PC em si agora é versionado pelo Git, mas praticamente todos os principais projetos da Microsoft, como a versão mobile do Windows, o Windows Server, o Microsoft HoloLens, o Xbox e os projetos de "internet das coisas" da empresa.

Antes do Git, a Microsoft  utilizava um sistema de gerenciamento chamado Source Depot, que é proprietário; a nova solução é hospedada com virtualização através do VSTS (Visual Studio Team Services), para alcançar a escalabilidade necessária para um projeto como este a Microsoft desenvolveu o Git Virtual File System, ou simplesmente GVFS, e disponibilizou o código fonte no GitHub.

Acredito que esta seja mais uma amostra de como o modo de desenvolvimento open source pode ser eficiente para resolver problemas dos mais variados. Se quiser ler mais sobre a migração, desafios e um pouco da história por trás da decisão, basta acessar os site da Microsoft.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




O homem na Lua: Baixe o código fonte do computador da Apollo 11

Nenhum comentário

quinta-feira, 14 de julho de 2016

Se você gosta de astronomia da mesma forma que eu, vai adorar saber que o código fonte utilizado no computador de controle da missão Apollo 11 está disponível para download no GitHub.

Apollo 11 GitHub





O projeto foi desenvolvido em meados dos anos 60 por programadores do Laboratório de Instrumentação do MIT, ele é um software de vôo que foi utilizado em várias missões Apollo, inclusive na que levou o homem à Lua, a Apollo 11.

Leia também: Meu vídeo explicando a teoria de Buracos Negros

Essa tecnologia simplesmente não existia na época, foi necessário fazê-la do nada, desenvolveu-se um novo tipo de memória específica chamada "rope memory" e foi criada uma versão especial da legendária linguagem de programação Assembly, que conseguia ser mais complicada que a original, e notavelmente complicada para seres humanos, mas que funcionavam muito bem com os computadores da época, sendo que os cientistas do MIT escreveram milhares de linhas de código através  dessa linguagem.

Margaret Hamilton

A senhorita da imagem acima é Margaret Hamilton, ela era diretora de engenharia de software do projeto Apollo, e ao lado dela, essa pilha de páginas é o código fonte que você pode baixar através do GitHub hoje em dia.

Em 2003, um pesquisador de tecnologia do MIT chamado Ron Burkey, usou os fontes originais e digitou linha por linha para que o código continuasse disponível para posteridade, porém, apesar de estar online, ele não estava acessível tão facilmente, então Gary Neff, um ex-estagiário da NASA, entrou em contato com Ron Burkey através de e-mail e solicitou o código para fosse disponibilizado no Git, algumas partes estavam faltando e por isso ele foi reescrito em alguns trechos, de forma que funcionasse 100%.



Muito legal, não é mesmo? :)

E agora você pode ter este pedaço da história da humanidade diretamente no seu computador, para baixar ou criar um fork no GitHub do código do computador da Apollo 11 clique aqui.

Será que você já consegue ir até a Lua também? :D

Até a próxima
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo