Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador gitlab. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador gitlab. Mostrar todas as postagens

Xfce 4.16 entra em fase de desenvolvimento

Nenhum comentário

segunda-feira, 25 de novembro de 2019

Após o Xfce 4.14 passar por 4 anos de desenvolvimento, Simon Steinbeiß anunciou que a nova versão da interface entrou em fase de desenvolvimento, prometendo um lançamento bem mais rápido, programado para ser disponibilizado em torno de junho de 2020.

xfce-4.16-desenvolvimento

Em seu blog, Simon diz que a partir desta nova versão, eles querem voltar a seguir o modelo de disponibilização, que prevê novas versões a cada 6 meses. Outro desejo da equipe é realizar alterações na infraestrutura, migrando do Bugzilla para o Gitlab, porém estas são alterações que levam um bom tempo.

Enquanto a versão 4.14 teve foco na migração do GTK2 para o GTK3, a versão 4.16 do Xfce removerá o suporte para a versão 2 do GTK. Isso acarretará em plugins antigos e softwares que dependem de GTK2 parando de funcionar, necessitando de uma atualização por parte de seus desenvolvedores.

Uma das novidades programadas para esta versão é a adição de CSD (“client-side decoration” em inglês), que é permitir que o próprio software altere a decoração de janela, algo que os programas do Gnome já fazem atualmente. Softwares mais complexos como o Thunar ainda não receberão a adição de CSD nesta versão, porém esta funcionalidade será adicionada gradualmente, melhorando a experiência e a coesão da interface.

O Thunar, gerenciador de arquivos padrão do Xfce receberá algumas pequenas melhorias, e contará com a extensão da sua API para plugins, algumas ações serão ativadas por padrão e será possível salvar o modo de visualização por diretório.

Uma das adições para o painel é o tão amado modo noturno. Agora será possível utilizar o painel em modo noturno mesmo se estiver utilizando algum tema claro no sistema, como o próprio Adwaita. E com a adição do CSD, as bordas do painel ficarão mais consistentes com o resto da janela.

painel-preferencias-xfce-4.16

Outra adição a ser feita no painel, é uma animação quando ele estiver em modo de esconder automaticamente, assim deixando mais claro para o usuário que o painel se escondeu.

Os plugins de lançadores também receberão novidades, como novas ações ao clicar com o botão direito do mouse. A imagem abaixo mostra um exemplo, onde é possível abrir uma nova aba privada diretamente do lançador.

opcoes-lancador-xfce-4.16

Outros plugins também receberão melhorias, como a “Lista de Tarefas” e “Trocar Área de Trabalho”, porém ainda não foi anunciado quais serão as modificações.

O gerenciador de energia irá contar com a ferramenta de Luz Noturna, que aplica um filtro de cor durante a noite para reduzir a tensão nos olhos, da mesma maneira que o aplicativo Redshift faz. 

Comparado com o último lançamento, esta atualização do Xfce é bem mais simplista e focada em deixar o sistema mais coeso. Desta vez não teremos que esperar mais 4 anos por uma nova versão da interface, o que é uma ótima novidade. E você, o que achou das novidades? Conta pra gente aqui nos comentários.

Se você tiver alguma dúvida sobre tecnologia, ou quiser compartilhar conhecimento com a comunidade, o Diolinux Plus é o espaço ideal para isso. Vem fazer parte da nossa comunidade!

Até a próxima!

Fonte: Xfce Blog


Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Projeto KDE migra para o GitLab

Nenhum comentário

quarta-feira, 2 de outubro de 2019

O KDE é uma das maiores comunidades e projeto de código aberto da atualidade, contando com mais de 2600 colaboradores ativos. Com o intuito de oferecer um ambiente gráfico completo, seja com as inúmeras features do KDE Plasma ou as dezenas de aplicações e suas configurações disponíveis. O KDE parece seguir uma linha de pensamento em sempre ouvir seus desenvolvedores e usuários, talvez, daí tenha partido o intuito da migração para o GitLab.

kde-plasma-qt-gitlab-deveops-developer-desenvolvedor-linux-interface-apps-open-source-software-livre

Alguns aspectos foram analisados antes da decisão, aliás mudar uma gigantesca base de código para outro serviço não deve ser uma tarefa fácil. A mudança não seria ao acaso também, alguns objetivos estavam em mente, este seriam:

  • Infra-estrutura mais acessível para a contribuição ao projeto;
  • Integração com o Git, para revisão do código e demais afazeres;
  • Infraestrutura e ferramentas sólidas e descomplicadas;
  • Um bom canal de comunicação e relacionamento aberto com os responsáveis do GitLab.

Inclusive o próprio GitLab se prontificou à auxiliar o KDE com os principais objetivos e metas para a migração, contudo a decisão passaria antes pela comunidade e o conselho do projeto. Finalmente às duas partes chegaram a um acordo, e durante o mês de setembro o GitLab anunciou a decisão do KDE:

“Hoje, o GitLab, a plataforma DevOps entregue em um único aplicativo, anunciou que o KDE, uma comunidade internacional de tecnologia que cria software de código aberto e gratuito para desktops e laptops, está adotando o GitLab para que seus desenvolvedores aprimorem ainda mais a acessibilidade de infraestrutura e incentivem contribuições”.

“O KDE é uma comunidade de software livre e de código aberto, dedicada a criar uma experiência em informática de forma fácil de usar. Oferece um gráfico avançado em desktop , uma ampla variedade de aplicativos para comunicação, trabalho, educação e entretenimento, além de criar facilmente uma plataforma para novos aplicativos”.

Comentando um pouco mais sobre o ocorrido, David Planella, gerente de relações com a comunidade do GitLab, disse:

“Estamos muito satisfeitos que o GitLab tenha sido escolhido pela comunidade KDE, assim fornecendo aos seus desenvolvedores as ferramentas e recursos adicionais necessários, para a criação de aplicativos mais avançados”.

Acrescentando a sua fala, Planella continua:

“O KDE coloca uma forte ênfase em encontrar soluções inovadoras para problemas antigos e novos em uma atmosfera aberta para experimentos. Esse pensamento está alinhado ao objetivo do GitLab de ajudar as equipes a colaborar melhor no desenvolvimento do software, e esperamos apoiar o KDE enquanto eles continuam criando um ótimo software para milhões de usuários em todo o mundo”.

Lydia Pintscher, então presidente do KDE e.V., conclui:

“Para uma comunidade aberta como o KDE, é essencial ter uma infraestrutura amigável e fácil de usar. Passamos os últimos dois anos reduzindo significativamente as barreiras de entrada em todo o KDE. A mudança para o GitLab é um passo importante nesse processo”.

Por meio deste link você poderá ver com mais detalhes as ferramentas anteriormente utilizadas pelo KDE, e quais o projeto passa a adotar com essa mudança. Se antes o processo era dividido em diversos passos e inúmeras etapas, o GitLab trouxe uma simplicidade que poderá facilitar ainda mais o trabalho dos colaboradores. 

Faça parte de nosso fórum Diolinux Plus, e compartilhe nosso conteúdo, SISTEMATICAMENTE! 😎

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Microsoft vai usar o projeto do Chromium como base para fazer o Edge

Nenhum comentário

quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

Em 2015 a Microsoft lançava o seu mais novo navegador para a internet, o Edge, que viria substituir ou aposentar o já “velho de guerra e combalido” Internet Explorer. Mas desde a sua estreia o novo navegador da Microsoft não vingou e nem agradou a todos. O lançamento dele foi junto com o Windows 10.

Microsoft vai usar o projeto do Chromium como base para fazer o Edge





O novo navegador da MS veio com uma nova tecnologia como engine, o EdgeHTML, que prometia renderizar as páginas da internet de forma mais rápida, além de tornar o navegador mais seguro, rápido e leve. Mas não foi isso que aconteceu, em um curto espaço de tempo ele se mostrou com muitos bugs, falhas e problemas que fizeram os usuários largarem o Edge de lado. Hoje somente 4% das pessoas usam o Edge para acessar a internet, mesmo com todo o esforço de marketing da Microsoft.




No comunicado postado nesta quarta-feira (6), em seu blog a Microsoft comenta o seu aumento na participação na comunidade de software livre (OSS) e assim se tornando um dos maiores apoiadores de projetos (OSS). E teve algumas partes que são interessantes em destacar:

“Os desenvolvedores da Web terão uma plataforma web menos fragmentada para testar seus sites, garantindo que haja menos problemas e maior satisfação para os usuários de seus sites; e como continuaremos a oferecer o entendimento orientado a serviços do Microsoft Edge de sites herdados somente do IE, Corporate IT terão compatibilidade aprimorada para aplicativos da Web antigos e novos no navegador que acompanha o Windows.”

Outro ponto interessante foi:

“Vamos passar para uma plataforma Web compativel com o Chromium para o Microsoft Edge no desktop. Nossa intenção é alinhar o Microsoft Edge com outros navegadores baseados no Chromium e tecnologias suportadas por eles. Isso fornecerá compatibilidade aprimorada para todos e criará uma forma mais simples dos desenvolvedores testarem suas aplicações para a maior parte dos browsers.  O Microsoft Edge agora será entregue e atualizado para todas as versões suportadas do Windows e com maior frequência. Também esperamos que esse trabalho nos permita levar o Microsoft Edge para outras plataformas, como o macOS.”

Para ver o comunicado completo veja o blog oficial deles.

Com isso a Microsoft dá mais um passo em adotar o open source em seu portfólio de produtos, contando com o WLinux, GitHub, Azure, abertura das 60 mil licenças entre outros. 

E com isso podemos pensar quem sabe em um dia poder usar um navegador oficial da Microsoft de forma nativa nas distros Linux, por que não né?? (lol). Visto que eles querem levar o Edge para outras plataformas.

Curioso é o fato de que praticamente todos os navegadores atualmente dividem uma base semelhante, uns mais outros menos, Chrome, Chromium, Vivaldi e Opera, Yandex e muitos outros, incluindo agora o novo projeto da Microsoft, todos tem uma base semelhante em comum, deixando o Safari e o Firefox como os “diferentões” do mercado.

O que você achou da novidade da Microsoft?

Até uma próxima e um forte abraço.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo