Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador google. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador google. Mostrar todas as postagens

Gere códigos aleatórios para autenticação de 2 fatores no Linux com o Authenticator

Nenhum comentário

terça-feira, 8 de janeiro de 2019

Se você está procurando um aplicativo para ter a autenticação em 2 fatores no Linux, o Authenticator veio para isso. Com ele você vai poder gerar códigos aleatoriamente para várias contas que disponibilizam esse recurso, como Google, Twitch, Amazon, Blizzard entre outros.


 Gere códigos aleatórios para autenticação de 2 fatores no Linux com o Authenticator






O projeto é mantido pelo desenvolver belga, Bilal Elmoussaoui, que mantém outros projetos como Nautilus Folder Icons, o Audio Cutter,entre outros projetos que você pode conferir no GitHub dele.

Mas afinal, o que é autenticação de dois fatores?


Autenticação em dois fatores (ou 2FA em inglês) é altamente recomendado para proteger as suas contas onlines. A Google popularizou muito o mecanismo em suas contas nos últimos anos, possuindo ela própria um aplicativo similar, o Google Authenticator, compatível com Android.

Imagine que você tem uma casa ou apartamento e quer proteger ela além da tradicional chave (senha) que você usa. E para dar uma proteção a mais na sua casa, você instala uma fechadura biométrica, fazendo com que  além de você usar a sua chave, tenha que usar a sua digital para confirmar que é você mesmo (autenticação de 2 fatores). Isso muito provavelmente aumentará a segurança da sua casa (conta online) enquanto você não estiver por perto para ficar de olho. 

A autenticação em dois fatores pode ser feita de diversas formas, mas o interessante de aplicativos assim, que 2FA com conjuntos de números aleatórios e que ficam se renovando constantemente, é que mesmo que alguém, em algum momento descubra esses números, poucos segundos depois eles já não existem mais.

Mas aí você me pergunta, é preciso ter um autenticador desses para desktop??


Tecnicamente não, mas isso é mais como uma conveniência do que uma “necessidade” mesmo. Ele pode ser útil caso você não queira depender do seu Smartphone.

Como instalar o Authenticator?


O aplicativo foi criado para o ambiente GNOME, Budgie e MATE mas como ele é distribuído via flatpak, provavelmente funcione em outros ambientes gráficos. O prints que você vai ver foram retirados usando o Cinnamon com o Mint.

Ele tem um interface muito simples e intuitiva que facilita a adição dos serviços e que em alguns casos pode exibir um QR CODE para a criação deste duplo fator de autenticação.

O Authenticator tem suporte para mais de 290 sites e aplicativos, dentre eles: Amazon,Apple,Dropbox, Facebook,OneDrive,Google,YouTube,Twitch, entre outros.

Para instalá-lo, você vai precisar do suporte ao flatpak instalado na sua distro, além do repositório flathub adicionado,, como é o caso do Linux Mint, Fedora por exemplo. Se você usa o Ubuntu ou alguma distro que não tem suporte ao Flatpak nativamente temos esse tutorial no blog ensinando a instalar.

Depois de instalado o suporte, você tem duas possibilidades de instalação. A primeira é ir na loja de aplicativos da sua distro que já tem o suporte nativo ao flatpak e procurar por “Authenticator” e mandar instalar, esperar a instalação terminar e executar o programa.

Se você preferir instalar via terminal ou se a distro não tem suporte a flatpak em sua loja, você pode instalar com esse seguinte comando:

flatpak install flathub com.github.bilelmoussaoui.Authenticator 


Aí é só esperar a instalação e procurar no menu da sua distro por “Authenticator”.

A primeira tela que você vai ser apresentado é essa abaixo.



Para adicionar um serviço você vai clicar no sinal de “+” no canto superior esquerdo



Por último você vai escolher qual serviço quer ter a autenticação em 2 fatores, colocar o seu “usuário” e o “token de segurança” que eles oferecem para esse tipo de aplicativo.





Depois disso é só aproveitar o aplicativo. =D

Aplicativos de segurança pode ser muito úteis e sem dúvidas são muito importantes, se quiser uma proteção extra, use também o gerenciador de senhas, como o KeePassX ou o Lastpass.

Espero você até o próximo post, forte abraço.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Google lança sua versão do “Paint”

Nenhum comentário

domingo, 6 de janeiro de 2019

Com diversos aplicativos, a Google vem cada vez mais adicionando novos programas a sua coleção, e dando maiores possibilidades aos usuários de ChromeOS. Como já noticiado aqui no Diolinux, recentemente o sistema da gigante das buscas passou a suportar aplicações em outros formatos, DEB e Flatpak. Agora traz uma novidade que poderá acarretar lembranças de quem “é das antigas”, e já usou o Paint.

canvas-google-chrome-apps-paint



Desenhar é algo simples, mas divertido


Muitos artistas antes de dominarem ferramentas consagradas de edição de imagens ou desenho digital, começaram por hobbie ou por simples inocência, ao rabiscar, quando mais jovens, em programas como o Paint. Aplicativos dessa natureza transparecem simplicidade para alguns usuários, mas podem ser a porta de entrada, e quem sabe o começo de um novo artista, é sabido que crianças ou o público mais jovem gosta de passar um tempinho desenhando na frente do computador.

Canvas, o “Paint” da Google


Chamado por muitos sites de “O Paint da Google”, o Canvas veio para facilitar usuários de ChromeOS, e usuários num geral, de outras plataformas, com uma ferramenta que possibilite desenhos simples, rabiscos rápidos e anotações. Então não espere recursos elaborados como os existentes no Krita ou programas do gênero.

(Observe que sou um artista nato, com traços inigualáveis... 😂😂😂 )

canvas-desenho-web-app-chrome

O Canvas traz a praticidade de uma web aplicação, não exigindo ser instalado no sistema e sendo multiplataforma, podendo ser executado em distribuições Linux, Windows, Mac, Android etc. Bastando ter um navegador com suporte a tecnologia “WebAssembly”, ou Google Chrome.

Se interessou pelo Canvas? Acesse o site da aplicação e desperte o artista que existe dentro de ti.


Deixe nos comentários se em sua infância utilizava Apps como o Paint, ou se atualmente utiliza programas profissionais como o Krita.
Espero você até o próximo post, SISTEMATICAMENTE! 😎
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Google Drive para Linux com Insync + Promoção com desconto!

Nenhum comentário

terça-feira, 9 de outubro de 2018

À "essa altura do campeonato" eu deixei de me perguntar o por quê do Google não liberar o cliente nativo para Linux do Google Drive, ainda que algumas fontes apontem que eles possuem uma versão para uso interno. Ainda assim eu sou um usuário muito assíduo desse produto da Google, possuindo até mesmo uma versão premium com 100 GB e algumas outras vantagens.


Insync Google Drive Client for Linux





Nos últimos anos se tornou muito fácil integrar o Google Drive a qualquer distribuição Linux com qualquer interface (generalizando), nós temos um vídeo no canal sobre algumas das  melhores opções:



Apesar de existirem várias alternativas, existe uma das que eu listei no primeiro vídeo que venho usando há mais de 5 anos, a qual acredito que seja a melhor e mais completa opção no momento, com integração com os principais gestores de arquivos do mundo Linux, e versões para Windows e macOS também, o Insync.

Recentemente o Insync recebeu uma grande atualização!


A equipe do Insync lançou recentemente uma nova versão do aplicativo, com novos recursos, uma repaginada no layout do app e correções de bugs corriqueiros.

Quanto ao design, eles afirmaram que o novo Insync seria “como se o Google Drive e o Spotify se juntassem e tivessem um filho”, a ideia é dar harmonia para os usuários, para que assim assim todos possam produzir de forma fluida no seu desktop.

Outra grande novidade, além da nova aparência, é que agora você pode mover a janela do programa de uma forma muito mais simples, não deixando ela presa na sua área de notificação, basta clicar no ícone e arrastar.

Novo Insync

Mais uma novidade apresentada são os atalhos (shortcuts), com menus suspensos nas pastas ou arquivos. Esses atalhos são "os mais usados" dentro do Google Drive e foram implementado no Insync.

Insync

Você também pode clicar com o botão direito em cima da pasta, por exemplo, e assim aparecendo o menu suspenso com as opções de manipulação para ela.

Insync

Mais um ponto legal dessa nova versão é a possibilidade de poder trabalhar com o Insync tanto em primeiro plano quanto em segundo. O aplicativo mantém um ícone dele na barra de tarefas. Esse recurso não chega a ser uma novidade, mas a sua integração foi melhorada.

Insync

Sidebar do lado esquerdo foi redesenhada, melhorando a navegação e as configurações que ela ali permite.

Como você pode conseguir um Insync por um preço acessível (ou grátis)


Como você deve ter percebido, o Insync é uma ferramenta muito completa, mas ela não é gratuita. A versão individual custa USD 30,00, enquanto que a versão para times custa em torno de USD 50,00. Valores razoáveis pela qualidade da ferramenta e por você ter de pagar apenas uma vez, porém, entrando em contato com o pessoal do Insync, nós conseguimos um cupom de desconto para quem de deseja adquirir a ferramenta:

Insync Prime

Ao fazer a compra, insira o o cupom: DIOLINUX20

Esse cupom vai lhe dar 20% de desconto em qualquer uma das opções. 

E as contas GRÁTIS

Fico feliz por você ter perguntado! Nesta Sexta-feira, teremos um novo episódio do "Diolinux Friday Show", a nossa live para falar sobre tecnologias novas e as notícias da semana, onde iremos sortear 3 cupons de desconto de 100% para o Insync Prime, então não perca, Sexta-feira às 19 horas.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Google vem trabalhando no suporte do Apple Magic Trackpad 2 no Linux

Nenhum comentário

segunda-feira, 8 de outubro de 2018

O Magic Trackpad 2 é um touchpad da Apple que funciona com e sem fio e tem uma área muito maior que o Magic Trackpad original.

Google vem trabalhando no suporte do Apple Magic Trackpad 2 no Linux





Quando foi lançado em 2015 ainda não se “sonhava” em trazer o suporte para o Linux (tem muita gente querendo ver esse suporte virar realidade). Houve na época um módulo no Kernel que fazia o Magic Trackpad 2 funcionar no modo com fio e um outro módulo HID que fazia o modo sem fio funcionar, mas nada de forma “oficial” e no mainline do Linux. 

Mas isso está pra mudar muito em breve, graças aos engenheiros da Google.

O engenheiro Sean O’Brien da equipe de desenvolvimento do Chrome OS vem trabalhando em uma solução no kernel Linux para suportar o Magic Trackpad 2 nas suas duas formas (com e sem fio, via bluetooth) e assim trazer o suporte nativo desse aparelho da Apple ao mundo Linux.

  

O patch já passou por duas revisões de outros devs do Google e do Chrome OS e agora chega na sua possível última revisão antes de “ganhar a vida”. O patch conta com 149 linhas para dentro do kernel.

Se você quiser acompanhar o projeto basta acessar aqui e aqui. dois links 

O Magic Trackpad 2 custa em média de US$120 a US$130

E quem trouxe essa boa nova, foi o pessoal do Phoronix

Espero você até a próxima e um forte abraço.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Google revela projeto de Stream de jogos para o Chrome

Nenhum comentário

terça-feira, 2 de outubro de 2018

Cada vez mais o mundo do conteúdo na internet  muda. Hoje você já pode ouvir as suas músicas preferidas, ver seus vídeos, filmes e séries na hora que você quiser, no aparelho que você quiser, com a qualidade que você quiser e tudo isso pagando um valor geralmente acessível, então, por que seria diferente com jogos?

Novo programa de Stream de games para Chrome






Jogos via Streaming não são necessariamente uma novidade, existem (e existiram) vários serviços neste sentido e por mais que ainda vejamos, especialmente no Brasil, vários problemas por conta da qualidade da nossa internet, certamente este é um futuro possível para a indústria dos games.

Algumas empresas, como a Valve, podem estar mirando este mercado através de serviços como o Steam Link, porém, geralmente quando a Google coloca as mãos em algo, as pessoas prestam mais atenção.


Nesta semana a empresa anunciou um novo produto, ainda em fase de testes e disponível apenas nos EUA no momento, chamado "Project Stream", a ideia é levar os jogos de computador para o Google Chrome (e por consequência para o Chrome OS, por consequência para o Linux) através de Streaming.

O primeiro jogo disponível para os "Beta Testers" é nada mais, nada menos, do que o lançamento "Assassin's Creed: Odissey". A Google exibiu um gameplay oficial em um de seus canais do YouTube mostrando o jogo rodando em 1080p a 60 FPS pelo serviço de Streaming:


Os desafios para a implementação de um serviço assim envolvendo jogos são grandes e perfeitamente conhecidos. É preciso que as pessoas tenham uma boa estrutura e qualidade de internet, de fato, entretanto, a outra ponta também é importante e sabemos que se tem alguém com imenso poder computacional por aí, esse "alguém" é a Google.

Considerando que tanto os clientes, quanto os servidores, tenham uma boa conexão com a internet, o desafio é fazer com que imagens com gráficos extremamente bem elaborados funcionem bem em um ambiente de streaming com mínima latência.

Caso esse tipo de serviço se torne viável no futuro, serviços onde você paga um valor mensal para jogar os games que quiser podem se tornar realidade, assim como implementações onde será possível jogar games com grande qualidade em Smartphones por exemplo, jogando todo o trabalho da execução de um jogo para um servidor.

Essa prática permitiria, em tese, que usuários com computadores modestos em especificações, como é o caso de vários Chromebooks por exemplo, pudessem experienciar um gameplay fluído e de alta qualidade gráfica.

Há algum tempo nós testamos e mostramos para vocês um serviço chamado "Parsec", que tem uma lógica semelhante, onde você aluga computadores de alto desempenho para acessá-os remotamente e jogar todos os games que quiser em qualquer plataforma, confira:


Quem sabe um dia teremos games na Play Store que são feitos para computador, mas rodem no seu Smartphone, Chromebook ou no Google Chrome, como se fossem instalados na sua máquina. Parece ler um longo caminho até lá, mas a cada projeto novo, estamos um passo mais perto disso.

Nas palavras de AC/DC:

"Is a long to the top if you wanna rock 'n roll!"

O que você achou da ideia? Acha que streaming de jogos será uma realidade no futuro?

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Chrome OS agora tem suporte para instalar pacotes no formato .deb

Nenhum comentário

quinta-feira, 16 de agosto de 2018

O site Chorme Unboxed, através do seu colaborador Gabriel Brangers, descobriu que agora é possível instalar programas no formato .deb (Debian Linux Packages) no Chrome OS da Google, o sistema baseado em Linux da empresa, que roda nos Chromebooks.

Chrome OS agora rodará Apps .deb de Linux






Ele descobriu essa compatibilidade enquanto “fuçava” no canal de desenvolvimento "Canary" do Chrome OS, com algumas pequenas modificações, foi possível instalar um pacote .deb no sistema.

Nos testes, ele usou o instalador da Steam para descobrir se teria suporte para a sua GPU e para sua surpresa, a instalação ocorreu sem nenhum problema.

Outro site que noticiou tal compatibilidade foi o XDA Developers, informando que em códigos acrescentados recentemente no Chrome OS foi adicionado suporte aos pacotes .deb, onde o programa “Arquivos” ficaria responsável pelo gerenciamento e facilitando a vida do usuário, que não precisaria ter interação direta com o terminal ou coisa do tipo, pois os programas no formato .deb seriam instalados em “containers”. O projeto de compatibilidade é chamado de Crostini, como mostramos neste outro artigo do blog.

Na minha opinião, creio que isso vem para facilitar o contato do usuário comum com o mundo Linux e sem traumas (como alguns insistem em fazer), e também podendo trazer empresas como Adobe e Autodesk, como exemplos, para portarem os seus aplicativos para Linux, já que ter uma empresa como a Google por traz do sistema pode ser um fator motivacional.

Comente o que você acha dessa compatibilidade do Chrome OS com os pacotes .deb, será que isso pode trazer alguma mudança no mercado?

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Google se torna membro Platinum da The Linux Foundation

Nenhum comentário

sábado, 7 de julho de 2018

A "The Linux Foundation" é uma organização sem fins lucrativos, que promove inovações tecnológicas em massa através do código aberto e conta com o apoio de empresas de software, telecom, industria da tecnologia e entre outros. Por isso o interesse dessas empresas em apoiar a organização.


Google se tornar membro Platinum da The Linux Foundation





Nisso a gigante  da tecnologia de Mountain View até a data do anuncio, era membro "Silver" (Prata), com doações anuais de US$100.000,00, mas agora se torna um membro "Platinum" as doações anuais saltam para US$500.000,00 e agora junta-se à um seleto grupo onde estão: AT&T, Cisco, Fujitsu, Hitachi, Huawei, IBM, Intel, Microsoft (sim meus amigos, ela mesmo rs), NEC, Oracle, Qualcomm, Samsung e a VMware.

Com isso a Google aumenta a sua participação no Conselho de Diretores da "The Linux Foundation", assim tendo "amplo conhecimento e experiencia da fundação em tópicos de governança de código aberto, legais e técnico."

Vale ressaltar também, que o Google lançou e contribuiu com mais de 10.000 projetos de código aberto, como: Cloud Foundry, Node.js, Cloud Native Computing Foundation e o Open API Initiative.

o Diretor executivo da "The Linux Foundation", Jim Zemlin, deu a seguinte declaração:

"O Google é um dos maiores colaboradores e defensores do código no mundo, e estamos entusiasmados por terem decidido aumentar seu envolvimento na "The Linux Foundation". Estamos honrados que Sarah Novotny, um das principais figuras da comunidade de código aberto, participe do nosso conselho - ela será um grande trunfo."
Sarah Novotny, Diretora da área de estratégica que cuida do open-source do Google Cloud Platform e que agora será a representante da empresa na organização, deu a seguinte declaração:

 "Open source é uma parte essencial da cultura do Google e há muito tempo reconhecemos o potencial dos ecossistemas abertos para crescer rapidamente, ser mais resilientes e adaptáveis diante das mudanças e criar softwares melhores. A Linux Foundation é um elemento fixo na comunidade de código aberto. Ao trabalhar de perto com a organização, podemos nos envolver melhor com a comunidade como um todo e continuar a construir um ecossistema mais inclusivo, onde todos possam se beneficiar.."

Com isso a "The Linux Foundation" conta hoje com mais de 800 membros em todos os níveis da sua organização colaborando, com códigos e financeiramente.

Espero que tenha gostado, aguardo você até uma próxima oportunidade, forte abraço.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Android GO pode salvar Smartphones mais fracos?

Nenhum comentário

sexta-feira, 29 de junho de 2018

Existe um grande problema com a evolução massiva da tecnologia, os dispositivos que usamos atualmente acabam ficando desatualizados com uma frequência muito maior do que gostaríamos, fazendo com que especialmente Smartphones não tão potentes fiquem pouco utilizáveis com o passar do tempo.

Android GO






O Android GO, que o Google anunciou no início deste mês, é uma versão mais leve e compacta do sistema operacional com a intenção de atender aparelhos mais baratos e com especificações técnicas mais baixas.

Essa versão do Android é feita para rodar em aparelhos com até 1 GB de RAM, ocupando também menos espaço de armazenamento e claro, com recursos mais limitados. A ideia da empresa é que qualquer pessoa possa ter uma "experiência Google" sem precisar comprar um Smartphone mais caro para isso, ao menos é o que comenda Arpit Midha, gerente de produto da Google e do Android GO.

Para evitar confusões entre os consumidores, a Google decidiu emitir um certificado para empresas que decidirem usar o Android GO, esse certificado, para ser incluso na caixa, precisa ser conseguido através de testes que os aparelhos devem passar, incluindo testes de desempenho, além disso, praticamente todos os aplicativos recebem o sufixo "GO", como, "YouTube GO", "Gmail GO", etc.

Atualmente o Android GO é baseado no Android 8 (Oreo), mas provavelmente com a chegada do Android P teremos novidades.

O interessante é que vários aparelhos de baixo custo vendidos no Brasil podem se beneficiar dessa variação "lite" do Android, como alguns modelos da Positivo, Alcatel e Multilaser, que já anunciaram a intenção de trabalhar com esta nova variação do Android. Isso para citar alguns exemplos mais próximos, mas a Google afirma que mais de 100 fabricantes ao redor do mundo demonstraram interesse no Android GO.

Resolvendo alguns problemas


O Android GO realmente tem o potencial de amenizar alguns problemas de atualização nos aparelhos de mais idade, mas nada parece ser 100%. 
Um dos impeditivos de atualizar aparelhos antigos é justamente que versões mais recentes do Android tendem a ser um pouco mais pesadas do que versões passadas para determinados hardwares, no entanto, mesmo com o Android GO, a famigerada fragmentação ocorrerá também conforme o tempo for passando, visto que desempenho não é o único empecilho.

Você pode saber mais sobre o Android GO neste site. O interessante é que mesmo que você compre um aparelho mais parrudo, com "Android normal", se desejar, você poderá instalar vários "Apps GO" diretamente da Google Play. Mas fica a dúvida, você compraria um Smartphone com Android GO?

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Google lança app para podcasts, o Google Podcast

Nenhum comentário

segunda-feira, 25 de junho de 2018

A Google resolveu expandir a gama de serviços oferecidos e agora vai "atacar" no ramo de programas para podcasts. Ela veio com tudo com o seu aplicativo chamado Google Podcast.

Google lança app para podcasts, o Google Podcast






 Ele foi lançado nesta terça-feira (19) e já trazendo a sua marca registrada, o "tom" minimalista e de fácil manuseio e entendimento.

O player de podcast do Google traz as principais características dos melhores players do gênero, como reproduzir o episódio, pausar, retroceder 10s e avançar 30s, a velocidade de reprodução também pode ser ajustada, variando de 0,5x até 2x, além de mostrar os episódios novos, as artes dos canais e permitir o download dos episódios do seu podcast favorito para o seu Smartphone.

Em nosso canal do YouTube fizemos uma review do no App, detalhando as funcionalidades do Google Podcast, que você conferi no vídeo abaixo.

               

O Google Podcast é um app bem levinho, "pesando os míseros" 1 MB (isso mesmo que você leu rs), além de lançar novas funções nas próximas semanas como integração com o Google Assistente, com o Google Home e a implementação de inteligencia artificial para transcrever os áudios dos episodios em texto e "complementar" o mesmo com conteudo extra se baseando nos assuntos da capa.

Você pode fazer o download do aplicativo através deste link na Google Play
, usuários de iOS deverão esperar um pouco mais pelo App, que deve ser lançado nas próximas semanas.

Agora nos conte aí nos comentários se você ouve muitos podcasts e quais.

Espero que tenha gostado, aguardo você até uma próxima oportunidade, forte abraço.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Veja aplicativos de Linux rodando no Chrome OS

Nenhum comentário

quarta-feira, 16 de maio de 2018

Nesta semana nós noticiamos aqui no blog que os Chromebooks estarão aptos a rodar aplicativos comuns do mundo Linux através de containers e não demorou para aparecerem os primeiros testes na internet, confira:

Chrome OS rodando Linux Apps






O canal "Chrome Unboxed" produziu um vídeo muito interessante sobre a nova feature disponível atualmente apenas no Pixelbook. A possibilidade de rodar aplicativos que são comuns do mundo Open Source, como GIMP, Inkscape e até mesmo jogos ainda está em fase de testes, mas promete muito.

Apesar de a maior parte dos serviços que as pessoas utilizam hoje em dia (falando de público doméstico) poder ser acessada através de um simples browser, ainda existem certas tarefas nas quais aplicativos que rodam instalados no sistema operacional tem preferência, como é o caso de edição de vídeos por exemplo.

No vídeo demonstrativo em questão você pode ver o YouTuber mostrando o Inkscape rodando através de um container, ele parece rodar muito bem, sem travamentos ou engasgos, pelo menos ao realizar atividades simples como as que foram feitas:


Na demonstração podemos ver até mesmo o game Open Source "Open Arena" sendo executado, porém, com baixíssimo desempenho, o que é um claro indicativo de que ainda se faz necessário muitas otimizações para gráficos 3D, ainda assim não torna a "demo" menos impressionante.

Cada usuário tem suas preferência e seu modo de trabalhar, mas eu me agrado muito com a forma com que o Chrome OS funciona, com compatibilidade com Apps Android e talvez com maior compatibilidade para Apps Linux "tradicionais" no futuro ele possa ser o meu sistema padrão. Quem sabe, né?

Até lá temos muito o que observar ainda, então fique ligado no Diolinux para saber mais e me conte o que você achou desta bela demonstração.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Chrome OS suportará Apps de Linux e o impacto dessa mudança no mercado

Nenhum comentário

domingo, 13 de maio de 2018

A Google anunciou uma atualização que pode ajudar ainda mais a popularizar o Chrome OS, os Chromebooks e por consequência o Linux. Agora os equipamentos serão capazes de rodar aplicações Web, Apps de Android e aplicativos offline comuns do universo Linux, como o GIMP.

Chrome OS rodando aplicativos Linux







A confusão é comum, muitas vezes não entendemos "Linux" como a plataforma para as tecnologias e chamamos de "Linux" um tipo de sistema operacional com um certo padrão de funcionamento e que usa este Kernel como base.

As chamadas "distros" mais comuns realmente tem muitas semelhanças., inclusiove podemos dizer que, respeitando suas particularidades, Ubuntu, Fedora, SUSE e Arch são sistemas "primos" neste exemplo, no entanto, existem muitos outros projetos e sistemas que usam o Linux como base, o Android é um ótimo exemplo e o Chrome OS também.


Apesar do Chrome OS ser um sistema baseado em Linux, a sua forma de funcionamento sempre impediu que os softwares que as pessoas geralmente usam nas distribuições voltadas ao uso doméstico e profissional, como Debian e Red Hat, Ubuntu e Fedora, Linux Mint e Manjaro, e tantas outras, fossem instalados diretamente no Chrome OS.

Os Chromebooks nasceram com a ideia de serem computadores 100% focados em serviços em nuvem, mas a ideia de ter de estar sempre conectado à internet para o Chrome OS "ser útil" nunca agradou a todo mundo, tanto que a Google, conforme o tempo passou, começou a implementar mais e mais recursos que funcionam sem a necessidade de conexão.
Podemos dizer com segurança que o Chrome OS é um sistema em constante adaptação e com crescente público.

Muitos ainda reclamavam que faltavam alguns aplicativos para o sistema e a resposta da Google foi compatibilizar e permitir a instalação de aplicativos Android diretamente nos Chromebooks, ampliando as possibilidades em games e produtividade, no entanto, ainda assim há reclamação de que não existem programas para trabalho pesado, como edição de fotografias, edição de vídeo,  tarefas envolvendo programação também deixavam a desejar em alguns aspectos... ao menos até agora.

Um Linux não compatível


O Chrome OS é uma distro Linux por usar o Kernel Linux e um monte de softwares Open Source relacionados, mas a verdade  é que talvez esta realmente seja a maior semelhança entre o sistema dos Chromebooks e uma distro como o Ubuntu, justamente o uso do Kernel Linux.

As aplicações rodam no Chrome OS de forma diferente do que rodam em uma distro "convencional" como o Ubuntu, impedindo que os softwares que a galera geralmente usa fossem utilizados no sistema da Google, porém, para contornar o problema a "Gigante de Montain View" liberou uma atualização, disponível atualmente apenas para o Pixelbook, que roda uma distro Linux dentro do Chrome OS em uma espécie de "máquina virtual" (um Debian para ser mais específico), o que acaba permitindo a instalação de softwares nativos das distros mais tradicionais no Chrome OS.

O recurso vem para suprir uma lacuna e uma demanda por softwares mais parrudos, agora as pessoas poderão editar imagens no GIMP, instalar a Steam (talvez), instalar o Kdenlive, entre outras ferramentas no Chrome OS, tornando-o mais versátil e mais completo.

Os aplicativos instalados dessa forma seriam adicionados ao launcher do Chrome OS e abririam como se fossem aplicativos nativos.

Não é para todo mundo


A atualização deve chegar em breve a outros dispositivos que rodem o sistema e apesar da notícia ser ótima, a Google comenta que a utilização de softwares mais pesados pode não ser uma boa ideia para todos os usuários de Chromebook, pois existem muitos modelos que possuem um hardware básico, que ainda que sejam perfeitos para a utilização do Chrome OS, não vão conseguir lidar com softwares que exijam muito da máquina.

Muitos Chromebooks tem apenas 2GB de RAM e um processador Celeron por exemplo, e estes seriam modelos que não lidariam bem com o novo recurso, no entanto, computadores com este hardware não lidariam com softwares equivalentes independente do sistema operacional, então basta usar a cabeça e não reclamar por coisas deste tipo, que são óbvias.

Um leque de possibilidades


Há algum tempo eu mostrei no canal uma forma de instalar um sistema operacional "Chrome OS Like" chamado "CloudReady":


A Neverware, empresa por trás do sistema, vem investindo pesado para torná-lo uma plataforma competitiva. Recentemente a empresa adquiriu outro projeto de sistema baseado no Chromium OS chamado "Flint OS", uma das novidades que surgiram logo após isso é o suporte experimental para aplicativos em Flatpak

Se você acompanha o blog ou o canal com frequência sabe o quanto eu já falei sobre eles e o quanto eles quebram um paradigma de distribuição de softwares entre as muitas distros Linux, se o Chrome OS também começar a aceitar este tipo de pacote teremos uma aceitação ainda maior do formato.


Claro que é cedo para dizer até onde a compatibilidade de Apps nativos das distros Linux tradicionais pode chegar no Chrome OS, mas se realmente funcionar bem, imagine coisas como:

- Steam no Chrome OS e mais um motivo para desenvolvedoras fazerem jogos para Linux;
- GIMP, Kdenlive, DaVinci Resolve, Lightworks, Blender, Krita e tantas outras aplicações profissionais podendo ser usadas na plataforma que tem como grande divulgadora a Google;
- Instalar o Firefox no Chrome OS (essa é só pra provar o quanto louco que o negócio é);
- Mais impacto ainda no Linux para desktop;

Melhor que isso só se houver a possibilidade de baixarmos e instalarmos o Chrome OS em qualquer computador. Isso atualmente ocorre com alguns "Chrome OS Like" apenas, como o já mencionado CloudReady, mas o Chrome OS em si, possui apenas o código fonte aberto, ainda que existam algumas comunidades que gerem imagens constantemente, eles foram criados inicialmente para funcionar como os Androids nos celulares e tablets, otimizados para os aparelhos, mas tanta coisa já mudou que talvez isso possa mudar também.

O que você achou da novidade?

Até a próxima!

Fonte
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Google promete "turbinar" a nova geração do Chromecast

Nenhum comentário

segunda-feira, 16 de abril de 2018

O Chromecast é, segundo a Google, o hardware provindo da empresa de maior sucesso em todo o mundo. Com um preço acessível e possibilidades interessantes para os utilizadores, ele acabou se tornando uma referência neste segmento, por isso a "Gigante de Montain View" pretende lançar uma bela atualização para o produto no próximo mês.

Google Chromecast novo






Através de um tópico no Reddit nós tivemos acesso ao que seria o novo manual do Chromecast, nele temos algumas descrições e imagens que nos ajudam a entender como o modelo novo deve funcionar.

Google assistent

O funcionamento do Chromecast deve continuar o mesmo, uma conexão HDMI e uma USB é tudo o que você precisará para utilizá-lo, no entanto, uma grande novidade é o controle remeto que deverá ser incluído, permitindo que você navegue pelo conteúdo como em um Android TV Box e use comandos de vocês para fazer pesquisas e realizar algumas atividades.

Novo Chromecast

Com essa nova proposta o Chromecast deve acabar se tornando ainda mais interessante para aqueles que não querem comprar um TV Box completo ou não querem comprar uma SmartTV.

Confira o Unboxing e teste que fizemos com um Chromecast 2.0 no canal:



Se o manual encontrado realmente estiver correto, o novo Chromecast será mais parrudo que a versão anterior, ele conterá um processador Amlogic S905X SoC, 2 GB de RAM e 8 GB de armazenamento interno.

Ainda não há indícios de preço, mas ele deve se manter equivalente ao modelo anterior Chromecast na sua época de lançamento, lançamento este que deve acontecer no próximo mês de Maio.

Até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


TOP 10 - Aplicativos que todo mundo deveria ter no seu Linux

Nenhum comentário

sábado, 31 de março de 2018

Sempre que um pessoal novo chega a alguma distro Linux, como Ubuntu ou o Mint (que estamos tomando como base), sempre se perguntam quais programas devem instalar para ter uma certa produtividade ou diversão na plataforma. E nesse post vou mostrar alguns aplicativos que na minha opinião, vão lhe ajudar nessa "jornada". Para facilitar vou dividir em categorias. Então chega mais! 👊😁

TOP 10 - Aplicativos que todo mundo deveria ter no seu Linux






Quando terminamos de instalar qualquer distro Linux sempre nos perguntamos quais programas devemos instalar para aproveitarmos ao máximo o sistema que terminamos de instalar, na lista abaixo vou mostrar alguns programas que eu acho bacana ter no computador.

1 - Navegador de Internet


Como não poderia faltar estou recomendando o browser (navegador) mais popular do momento, que é o Google Chrome, onde você vai poder utilizar para acessar praticamente tudo na internet, como Bancos, YouTube, Netflix, Facebook, etc.

TOP 10 - Aplicativos que todo mundo deveria ter no seu Linux

Para baixar o Chrome, você pode clicar AQUI.

2 - Multimídia 


Como ninguém é de ferro e precisa se divertir e relaxar, nada melhor do que ouvir uma música e ver um vídeo com a família ou amigos.

Por isso começo com o Spotify, que reúne uma gama enorme de musicas no seu acervo. Ele já aparece nas centrais de programas da maioria das distros Linux, e se não estiver, também é encontrado nos formatos Snap e Flatpak.


TOP 10 - Aplicativos que todo mundo deveria ter no seu Linux
Para baixar, basta clicar AQUI.

O próximo da minha lista acho que seja essencial em qualquer sistema operacional, servindo para abrir praticamente qualquer arquivo de vídeo e áudio. Estou falando do versátil e "guerreiro" VLC Player, recomendo ele porque o uso há praticamente 10 anos e nunca me deixou na mão para reproduzir qualquer arquivo multimídia. 


TOP 10 - Aplicativos que todo mundo deveria ter no seu Linux

Para baixar ele, você tem duas alternativas, clicando AQUI você a sua Central de Programas e instala ele, ou clicando AQUI e baixando direto do site dele.

Por último um programa que me conquistou pela versatilidade e praticidade em poder baixar vídeos da internet, como Facebook, Dailymotion e YouTube por exemplo, o 4K Vídeo download.

TOP 10 - Aplicativos que todo mundo deveria ter no seu Linux

Você pode baixar ele através do site da desenvolvedora, clicando AQUI.

3 - Games e apps complementares


Esta categoria pode gerar alguma discordância ou algo do tipo, mas não podemos negar que temos games e aplicativos complementares para quem gosta de dar uma jogadinha no pinguim.

Primeiro vamos começar pela Steam, que é atualmente a maior plataforma de distribuição e vendas de jogos online, metade do seu seu acervo já tem porte para o Linux, além disso, como já foi mostrado aqui no blog, existem outras 7 plataformas de distribuição que você pode acessar AQUI, além da plataforma da Valve, ou seja, Games no Linux estão se tornando algo muito sério para várias empresas.


Para baixar a Steam, você pode utilizar a Central de Programas da sua distro ou acessar o site da Steam e baixar clicando AQUI.

Também não poderia faltar o Discord, a plataforma de comunicação mais usada pela galera gamer e que também está disponível para Linux.

TOP 10 - Aplicativos que todo mundo deveria ter no seu Linux

Para baixar o Discord, você pode utilizar a Central de Programas da sua distro ou acessar o site oficial e baixar clicando AQUI.

4 - Messengers


Nessa sessão vou recomendar dois programas desenvolvidos pela comunidade para os dois messengers mais populares e usados no momento. O Messenger do Facebook e o WhatsApp.

O primeiro foi desenvolvido por Dario Ferrando, utilizando a plataforma Electron,  e conseguiu trazer o messenger do Facebook para qualquer sistema operacional, como você pode ver na imagem abaixo, ele é bem "simpático" e de fácil manuseio.

TOP 10 - Aplicativos que todo mundo deveria ter no seu Linux

Para baixar o Messenger, você pode acessar o site deles clicando AQUI. Lembrando que não se trata de um cliente oficial.

O segundo foi desenvolvido pelo Enrico204, também utilizando a plataforma Electron, e assim trazendo a vida uma versão de desktop, do popular WhatsApp. Ele funciona da mesma forma que a versão Web com a diferença de que possui integração com a barra de notificações do sistema.


TOP 10 - Aplicativos que todo mundo deveria ter no seu Linux

Para baixar o WhatsApp Desktop, você pode acessar o site deles clicando AQUI. No caso do Linux Mint você o encontra na própria Central de Aplicativos da distros.

5 - Produção Audiovisual 


Nesta categoria vou recomendar dois aplicativos que eu uso no meu dia a dia. Quero fazer uma menção "de honra" ao GIMP, que já teve inúmeros posts aqui no site e que você pode conferir AQUI.
Apesar do GIMP ser extremamente versátil e poderoso, para as pessoas que só querem editar as suas fotos de uma forma mais simples em uma interface mais "moderninha", o Pixeluvo se torna uma opção.


Pixeluvo é um editor de imagem extremamente prático e de muito fácil de aprendizado. Ele conta com duas versões, uma Free (que tem algumas limitações) e uma paga que custa até o presente momento US$ 34,00. Você pode inclusive ver o vídeo demonstrativo dele no canal Diolinux.


TOP 10 - Aplicativos que todo mundo deveria ter no seu Linux

Para baixar o Pixeluvo, você pode acessar o site deles clicando AQUI.

O último aplicativo dessa minha lista, e que não poderia faltar, é o poderosíssimo editor de áudio Audacity. Muitos produtores de conteúdo, tanto na internet quanto na industria "convencional", utilizam ele por causa da sua simplicidade e fácil manuseio, mas não deixando a desejar para soluções pagas.

TOP 10 - Aplicativos que todo mundo deveria ter no seu Linux

Para baixar o Audacity, você pode utilizar a Central de Programas da sua distro ou acessar o site do software e baixar clicando AQUI

E esse foi o meu TOP 10 de aplicativos que todo mundo deveria ter na sua distro Linux, mas me conte você quais aplicativos não podem faltar na sua pós-instalação do Linux, os comentários estão abertos para você! :)

Até a proxima e um forte abraço.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo