Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador google. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador google. Mostrar todas as postagens

Chrome OS 78 chega com novidades e aprimoramento com apps Linux

Nenhum comentário

quinta-feira, 7 de novembro de 2019

Confira as novidades da versão 78 do sistema do Google, e o aprimoramento de aplicações Linux no Chrome OS.

google-chrome-sistema-operacional-chromebook-laptop-apps-linux-web-browser-desktop-virtual-overview

Donos de Chromebooks devem estar alegres com as mais recentes mudanças no Chrome OS 78. O sistema do Google é muito famoso no meio estudantil, chegando a bater de frente com o Microsoft Surface nos EUA. Com as mudanças que estão sendo implementadas, mais usuários poderão ser atraídos. 

Temos uma review do Chrome OS demonstrando o sistema em funcionamento e avaliando se vale ou não apena comprar um Chromebook:


O suporte para as aplicações Linux no Chrome OS não é de hoje. O recurso vem sendo compatibilizado desde 2018, com a possibilidade dos pacotes DEB poderem ser instalados, unindo as facilidades da web, com apps comuns no mundo Linux sendo acessados offline. 

Veja no início desta implementação, aplicativos de Linux rodando no Chrome OS:


Fica bem interessante pensar aonde as coisas chegarão, caso todo esse trabalho continue adiante. No ano de 2019, por exemplo, parece que o foco principal, além das soluções de bugs, é essa compatibilidade com softwares Linux. Cada atualização vêm sendo minuciosamente ajustada para rodar programas do Linux. Inclusive vários modelos de 2019 passaram a vir com o suporte para aplicativos Linux. Muitos poderão se perguntar, mas qual a dificuldade se o Chrome OS também é baseado em Linux? Pois bem! Ser baseado em Linux, não quer dizer necessariamente que as tecnologias serão compatíveis entre si. Além disso, o Chrome OS não compartilha dos mesmos elementos, comumente semelhantes em outras distribuições. Um que posso citar, é o seu servidor de janelas. Nas distros é comum você utilizar ou o Xorg, ou Wayland.

Apps Linux no Chrome OS 78 e muito mais


Agora é possível salvar e restaurar backups dos arquivos e aplicativos Linux localmente, em armazenamento externo ou na nuvem via Google Drive. O suporte a GPU passa a vir ativado por padrão, oferecendo uma experiência decente e tornando tudo mais fluido ao utilizar esses apps.

As configurações foram divididas, tornando tudo ainda mais organizado, como aprimorado o suporte à impressão. A exibição das impressoras, suportadas, é automaticamente reconhecida sem prévia configuração por parte do usuário. Recursos novos no Chrome OS 78, não faltam e features, como Picture in Picture (PiP) no Youtube compõe algumas das novidades. Outras alterações que são interessantes citar são: melhorias visuais no aplicativo Arquivos tornando mais intuitivo as informações de todo o progresso, a capacidade do Chromebook “acordar” ao utilizar a conexão USB para determinados casos de uso, adição do Click-to-Call, facilitando chamadas telefônicas de usuários Android, novos atalhos de teclado e uma das principais mudanças em sua interface gráfica, sendo a criação de desktops virtuais e interações com o Overview.

Com aspectos que lembram ambientes conhecidos no Linux, GNOME Shell, DDE e Pantheon Shell. 

Desktops virtuais no Chrome OS 78:

google-chrome-sistema-operacional-chromebook-laptop-apps-linux-web-browser-desktop-virtual-overview

Overview no Chrome OS 78, e adição de desktops virtuais:

google-chrome-sistema-operacional-chromebook-laptop-apps-linux-web-browser-desktop-virtual-overview

Detalhes mais simples e pontuais foram adicionados, mas creio que sejam mais relevantes aos usuários do sistema e ficaria maçante mencionar um a um.

“Agora você pode criar até 4 desktops virtuais distintos. Os desktops virtuais são para se concentrar em um único projeto ou para alternar rapidamente entre várias janelas”, diz o Google nas notas de versão.

Se você, assim como eu, não tem um Chromebook. Não fique triste, talvez uma solução paliativa seja “fazer seu próprio Chromebook”. Uma forma interessante é através do CloudReady, conforme o vídeo logo abaixo.


Ainda não tive o prazer de pegar um equipamento desses em minhas mãos, sempre estou pesquisando sobre o sistema e confesso que sua interface é uma de minhas favoritas (em quesito beleza). Gostaria de brincar um pouco com um Chromebook, de preferência um que suporte a instalação de apps Linux.

Você possui um Chromebook? Qual sua opinião sobre o sistema do Google? Particularmente penso bem semelhante ao Linus Torvalds, quando o assunto é Chrome OS.

Quer saber a opinião do criador do Linux, sobre o sistema do Google e mais assuntos? Acesse essa postagem e saiba mais.

Faça parte de nosso fórum Diolinux Plus e não perca nenhuma novidade.

Até o próximo post, te espero aqui no blog Diolinux, SISTEMATICAMENTE! 😎

Fonte: Softpedia.


Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Google lança projeto de design de chip, OpenTitan, de código aberto

Nenhum comentário

quarta-feira, 6 de novembro de 2019

O Google está desenvolvendo um projeto para design de chips em código aberto, que poderá ser implementado por qualquer hardware ou software, seu objetivo é assegurar a integridade com maior transparência e todas as vantagens que o Open Source pode oferecer.

opentitan-titan-google-chave-criptografia-segurança-chip-hardware-server-pc-laptop-software-open-source-código-aberto

Recentemente abordamos em uma postagem que a System76 começou a distribuir seus laptops com a alternativa livre ao UEFI e BIOS. Curiosamente os Chromebooks também fazem uso do Coreboot, e agora o Google está adotando um novo projeto Open Source. Não é surpresa para ninguém que gigantes da tecnologia passaram a incorporar projetos de código aberto em suas empreitadas. O modelo aberto não é mais um sonho, passou a ser o padrão em muitos mercados, mesmo que utilizado em conjunto à modelo proprietários. Enfim, a liberdade do Open Source permite isso, então não é um crime, como muitos pintam.

O Google vem utilizando tais soluções em determinados aspectos de seus vários nichos de mercado, inteligência artificial, servidores, mobile, laptops, entre outros. Falando em laptops, você já viu nosso review sobre o Chrome OS?

Confira o vídeo e saiba se vale a pena ou não, utilizar o sistema baseado em Linux do Google:


Maior segurança com OpenTitan


Não é de agora que empresas vêm investindo em soluções mais seguras para seus equipamentos. A Apple, por exemplo, desenvolveu o chip T2 presente nos mais recentes MacBooks visando a segurança dos seus dispositivos. Através dos vários meios que dificultam a vida dos invasores, podendo ser palavras-passe, chaves de encriptação, entre outros. Tais alternativas tentam evitar ataques de hackers mal-intencionados, pondo em risco os dados contidos em tais equipamentos.

No ano passado o Google apresentou ao mundo sua chave de segurança, Titan, contendo um chip customizado pela própria empresa. O gadget da empresa era, literalmente, uma chave na qual o usuário utilizava via USB e também tinha uma variante para uso em smartphones que poderia ser conectado sem fio.

opentitan-titan-google-chave-criptografia-segurança-chip-hardware-server-pc-laptop-software-open-source-código-aberto

Em conjunto com diversas universidades e outras entidades, o Google passa a desenvolver um chip focado em segurança e totalmente Open Source. Valendo-se de sua experiência com o Titan, o design do chip denominado de OpenTitan tem agora toda uma comunidade para contribuir com o projeto. Algumas que o Google destaca, são: LowRisc, ETH Zurich, G+D Mobile Security, Nuvoton Technology e a Western Digital.

Vale ressaltar que o OpenTitan poderá ser utilizado para os mais variados fins, e por ser de código aberto, curar todo projeto acabará se tornando bem mais transparente. Em um mundo envolto por escândalos de espionagem entre nações, backdoors sendo implementado por pessoas mal intencionada e tudo mais. Um projeto deste calibre vem para somar e amenizar os estragos envoltos destes ataques contra a segurança.

O projeto será independente de plataforma, garantindo através de criptografia que o chip não seja violado. Toda a base desta tecnologia fornece uma sólida estrutura para o sistema operacional e aplicações em execução sobre o OpenTitan.

opentitan-titan-google-chave-criptografia-segurança-chip-hardware-server-pc-laptop-software-open-source-código-aberto

Atualmente o Google faz uso do Titan na infra-estrutura do seus servidores, e sem dúvidas que com a implementação do OpenTitan nos mais diversos equipamentos e com adoção das grandes fabricantes de hardwares, podemos contar com um elemento a mais em nossa segurança. 

Contudo, este não é o primeiro projeto dedicado à criação de designs de chips focados em segurança. O Open Compute Project, fundado pelo Facebook e outras empresas, foi desenvolvido para assegurar servidores e toda a infraestrutura de diversas empresas.

O projeto OpenTitan pode ser conferido em seu repositório no Github. E quem sabe no futuro, computadores possam vir com o chip e até mais componentes de código aberto. 

O que você acha sobre projetos que visam aumentar a segurança? Acredita, assim como eu, que além do software o próximo passo são hardwares Open Source? 

Deixe nos comentários a sua opinião, participe de nossa comunidade no Diolinux Plus e não perca nenhuma novidade.

Até o próximo post, que o futuro seja mais Open Source, SISTEMATICAMENTE! 😎



Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Novo recurso deixam as pesquisas no Google mais inteligentes

Nenhum comentário

sexta-feira, 25 de outubro de 2019

Mudanças na maneira em que os resultados de pesquisa são vinculados no Google estão a caminho, e isso pode tornar nossos resultados de pesquisa mais exatos.

google-pesquisa-buscador-resultado-bert-mecanismo-busca-perguntas-respostas

O Google é um dos mecanismos de busca mais famosos na internet, se não o maior, obviamente que existem soluções interessantíssimas, como o DuckDuckGo, por exemplo. Aliás, temos uma postagem super detalhada sobre essa alternativa ao Google. Confira, junto a essa matéria, existem vídeos demonstrando vários recursos e características do buscador.

“Googlando no Google”


Fazer pesquisas no Google tornou-se parte de nosso cotidiano, não obstante, o verbo “googlar” passou a compor como parte de nossa língua. Mesmo com milhões de pessoas utilizando o buscador, a grande maioria não sabe seu funcionamento. Obviamente, que não estou falando de termos técnicos ou da programação utilizada em seu algoritmo. Todavia, saber como pesquisar (o mínimo possível) pode agilizar e até mesmo potencializar seus resultados na internet.

Um vídeo super interessante, e que indico, é do canal Bóson Treinamentos. Para não ficar massante ao demonstrar os diversos comandos que sei sobre o Google, lembrei de seu vídeo sobre o assunto. Caso queira melhores resultados, considere ver o vídeo e aprender 15 comandos para usar a busca do Google de forma mais eficiente.


Atualmente o mecanismo de pesquisa do Google usa processamento de linguagem natural para analisar as consultas. Isso significa que, se alguém pesquisar por: “obter remédio na farmácia”, o Google exibirá resultados referentes às palavras “remédio” e “farmácia”. Todas as páginas na web indexadas com essas palavras-chave serão exibidas, e isso nem sempre é o mais preciso. Afinal, o contexto em si não é considerado, apenas palavras “soltas”. Outro ponto, são palavras que remetam a outras ou possuem outro significado. Por exemplo, no caso do “remédio” o Google também poderia sugerir resultados de páginas na web com a palavra “medicamento”.

A partir de hoje o Google se torna mais inteligente, utilizando um novo método de processamento de idiomas. Por meio do aprendizado de máquina, o novo recurso promete tornar os resultados mais próximos do esperado. Chamado de BERT (Bidirectional Encoder Representations From Transformers, em tradução livre algo, como Representações de Codificadores Bidirecionais dos Transformadores), é a solução capaz de analisar as sequências de palavras e não apenas cada palavra isoladamente.

Para ter uma noção dos resultados do BERT, ao pesquisar por “posso comprar remédio para alguém na farmácia” o resultado considerou o contexto e indicou um artigo do Departamento de Saúde e Serviços Humanos demonstrando como solicitar medicamentos para um amigo ou membros da família. Já da forma tradicional o resultado não foi tão assertivo e levou o usuário a assuntos relacionados a como obter uma prescrição médica preenchida e acabou perdendo o ponto da pesquisa.

google-pesquisa-buscador-resultado-bert-mecanismo-busca-perguntas-respostas

Em um evento de imprensa realizado ontem, Pandu Nayak, o vice-presidente de pesquisa do Google deu outro exemplo, com a seguinte pesquisa: “Quantos anos Taylor Swift tinha quando Kanye subiu ao palco?”. Antes do BERT, o Google ofereceu diversos resultados, sendo vídeos do evento de 2009, discurso de aceitação da estrela do pop na MTV Video Music Adwards. Depois do Bert, o resultado foi direto ao ponto inicial da pergunta, o Google apresentou em primeiro lugar no ranking um trecho de um artigo da BBC, destacando a idade da cantora considerando o contexto da questão.

“Na frente do ranking, essa é a maior mudança que tivemos nos últimos cinco anos — e uma das maiores desde o início”, disse Nayak.

Ao ser questionado quanto a eficácia em números de tais melhorias, Nayak afirma que o BERT teria real valor em perguntas mais exóticas e afetaria apenas uma em cada dez pesquisas nos Estados Unidos. Ainda assim, com um tráfico monstruoso de pesquisas diariamente de seus mais de 90,8% no mercado de buscas em todos seus produtos, centenas de milhões de resultados mudariam da noite para o dia.

“À medida que respondemos à perguntas mais exóticas, espero que isso leve as pessoas a fazerem mais e mais perguntas exóticas”, disse ele.

google-pesquisa-buscador-resultado-bert-mecanismo-busca-perguntas-respostas

Todavia o BERT não é perfeito, e existem áreas que não lida bem. Ao pesquisar por “Tartã” (do inglês tartan), um padrão quadriculado de estampas, o resultado não foi tão agradável e imagens foram ignoradas. Já sem o uso da tecnologia, tais figuras representando o tecido foram destacadas para o resultado final.

google-pesquisa-buscador-resultado-bert-mecanismo-busca-perguntas-respostas

Outro caso foi na busca “Qual estado fica ao sul de Nebraska?”, o BERT apresentou a página da Wikipedia para South Nebraska (um bairro da Flórida), em contrapartida, o resultado ideal seria a página da Wikipedia do Kansas.

Inicialmente apenas disponível para pesquisas em inglês e nos EUA, o BERT será gradualmente incorporado em todas as pesquisas do país e no futuro existem planos para outros países e idiomas, Nayak está confiante com essa tecnologia.

“Estamos jogando um jogo estatístico aqui. Em conjunto, sabemos que qualquer alteração terá alguns ganhos e algumas perdas. … Eu julgo que a recompensa [do BERT] será muito boa”.

A mudança pode atrair mais tráfego dentro do buscador e impactar serviços da empresa. Google Maps, Youtube, entre outros poderão realçar pesquisas de nicho e por consequência os criadores de conteúdo possam ser beneficiados, porém, tudo é incerto e apenas nos próximos meses poderemos ver o impacto causado pelo BERT, em primeiro lugar nos EUA e depois, quem sabe, nos demais países.

Qual sua opinião quanto ao buscador do Google e essa nova investida?

Faça parte de nosso fórum Diolinux Plus e não perca nenhuma novidade.

Até o próximo post, te espero aqui no blog Diolinux, SISTEMATICAMENTE! 😎



Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Google contrata ex-chefe do Microsoft Office para sua suite de escritório

Nenhum comentário

terça-feira, 22 de outubro de 2019

Google contrata ex-executivo da Microsoft para liderar o G Suite, e demonstra que não está de brincadeira e faz frente ao Microsoft Office, fomentando a concorrência. 


g-suite-office-ms-microsoft-google-documentos-apresentação-slides-planilhas-estudantes-corporativo-comercial-mobile-android-ios-email

Quando o assunto é office, comumente a primeira alternativa a ser mencionada é o famoso Microsoft Office. Não é atoa que termos, como: “tenho que criar uma apresentação de slides” é substituído por: “tenho que criar um PowerPoint”. Trabalhei durante um tempo fazendo manutenção de computadores em uma Rádio e algumas escolas, e sempre ouvia algo assim.

Confira logo abaixo 6 alternativas ao MS Office.


Sem dúvidas a Microsoft é muito forte no setor corporativo e no meio estudantil, contudo, os Chromebooks do Google vem ganhando esse mercado. Atualmente o G Suite, alternativa da empresa ao Microsoft Office/Office 365, já supre uma grande parcela dos usuários. Talvez em países como o Brasil, que não possui uma internet de altíssima qualidade, sua adoção não seja tão massiva quanto a outros países.

Reforçando o time do G Suite


Para diminuir essa distância entre o G Suite e o Microsoft Office, o ex-chefe para estratégia de software e produtividade do Office, Javier Soltero foi contratado. Mas, “vale isso Arnaldo?”. Claro, que vale! Considerando o currículo e todo o envolvimento em projetos que Javier teve na MS, podemos dizer que a escolha foi mais que acertada.

g-suite-office-ms-microsoft-google-documentos-apresentação-slides-planilhas-estudantes-corporativo-comercial-mobile-android-ios-email
Javier Soltero quando era executivo da Microsoft - Wikimedia Commons

O ex-executivo da MS passou a fazer parte da companhia em 2014, assim que a Gigante de Redmond adquiriu a startup de e-mail móvel Acompli. Neste período Javier era o CEO da startup, que co-fundou. Graças a essa compra, o app da Acompli tornou-se a versão do Outlook para iOS e Android. Então, ele passa a ser o líder do Outlook em todas as plataformas e, em março do ano passado ajudou a implementar os recursos da Cortana (assistente digital da Microsoft) no Office 365. No entanto, após reorganizar sua divisão do Microsoft Office, Javier Soltero foi dispensado.

g-suite-office-ms-microsoft-google-documentos-apresentação-slides-planilhas-estudantes-corporativo-comercial-mobile-android-ios-email

Com ampla experiência e familiaridade em projetos, como o MS Office e a Cortana, o Google contrata o veterano em tecnologia para atuar em áreas de seu domínio. Sendo agora responsável por supervisionar o G Suite, gerenciando a produtividade e ferramentas de colaboração do Google para o meio corporativo. Lembrando que os aplicativos do G Suite que possuem versões gratuitas, são oferecidos para clientes corporativos através de mensalidades (recentemente passou a receber pagamento em Real). Obviamente que recursos extras são oferecidos, como um melhor e-mail comercial, espaço em armazenamento ilimitado, melhor infraestrutura para trabalhos e colaborações em equipe e muito mais. Aliás, caso não saiba o G Suite suporta arquivos do Microsoft Office

Veja neste vídeo, porque utilizamos o Google Docs no Diolinux.



Um ponto que podemos destacar, é que Javier pode contribuir de alguma forma para uma integração semelhante entre a assistente pessoal do Google e seus apps de escritório, como já fez no passado ao trabalhar para Microsoft. Outro detalhe é o aperfeiçoamento das aplicações mobiles, diariamente trabalho com algumas e sei de várias deficiências e dificuldades que algumas impõe em sua usabilidade. Espero que com essa adição importante, as ferramentas da empresa possam evoluir ainda mais e beneficiar seus usuários. Tanto os corporativos, como os comuns.

Faça parte de nosso fórum Diolinux Plus, e fique por dentro das novidades.

Até o próximo post, compartilhe nossas postagens e divulgue bom conteúdo, SISTEMATICAMENTE! 😎



Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Google anuncia seu novo app de gravação, com IA e muito mais

Nenhum comentário

sexta-feira, 18 de outubro de 2019

O evento Made by Google, foi recheado de novos recursos, aparelhos, apps Android, notebooks e muito mais. Curioso com tudo o que foi abordado este ano no evento do Google? Acesse a postagem que detalhamos os pormenores e demais novidades.

google-recorder-android-app-gravador-ai-transcrever-áudio-som,song

Entre todas as novidades que surgiram no Made by Google de 2019, uma me chamou bastante atenção. Pode parecer até algo simples, porém gravar anotações e depois transcrevê-las não é uma tarefa tão agradável e rápida de se fazer.

No mês de março deste ano, anunciamos um recurso novo que estava chegando ao Android. Naquele período, o Google estava implementando a transcrição de voz em tempo real no robozinho verde.

Parece que o projeto evoluiu de tal forma, que recebeu funcionalidades interessantíssimas. Junto aos seus novos aparelhos da linha Pixel (Google Pixel 4 e Pixel 4XL), o Google acaba de lançar um novo gravador. Não pense que o Google Recorder é apenas mais do mesmo, o app consegue transcrever em tempo real o que é gravado, e através de uma inteligência artificial (IA) torna o processo bem eficaz.


Além de gravar e transcrever o áudio, com o auxílio de um novo modelo de processamento de linguagem, o Recorder não necessita de conexão com a internet para cumprir tais tarefas. Limitar-se ao uso da internet para acessar esses recursos, não seria o único incômodo, pois se o processamento não fosse offline, os dados teriam que trafegar por algum servidor da empresa. Para muitos, essa característica é super importante.

Contudo, o que me surpreendeu, foi sua capacidade de localizar frases específicas dentro dessa transcrição, e seu grau altíssimo de assertividade. Com sua pesquisa avançada, sons, palavras ou frases podem ser pesquisados em uma gravação. Durante a apresentação, Sabrina Ellis, vice-presidente de gerenciamento de produtos, fez uma demonstração ao vivo da aplicação. Não sabemos se em um cenário real, com ruído de fundo, o aplicativo será tão feliz em sua abordagem e irá identificar corretamente cada palavra, pausas e acentuações. 

google-recorder-android-app-gravador-ai-transcrever-áudio-som,song

O Google Recorder atualmente suporta apenas o inglês, mas existem planos para outros idiomas. No entanto, o mesmo é exclusivo para os novos aparelhos da empresa e nada foi revelado se no futuro estaria na Play Store. Sendo assim, nos resta esperar e ver se a novidade será disponibilizada para download aos demais usuários da plataforma Android.

Gostou do Google Recorder? Confesso que seria uma “mão na roda” e utilizaria frequentemente o software. Atualmente todas as soluções que tentei não me entregaram um resultado realmente satisfatório.

Faça parte de nosso fórum Diolinux Plus, e fique por dentro das novidades, SISTEMATICAMENTE! 😎

Fonte: TuttoAndroid.


Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Made by Google, evento do Google com as novidades da empresa para o consumidor

Nenhum comentário
No evento feito nesta terça-feira (15) em Nova York,  foram apresentadas novas versões do celular Pixel, dos fones de ouvido inteligentes, o sucessor do Google Home, o anúncio oficial do Pixelbook Go, e muito mais, confira!

Made by Google, evento do Google com as novidades da empresa para o consumidor





Primeiro vamos falar do novo Pixel, celular do Google que agora chega na versão 4, com várias melhorias de hardware e software. Nesta versão, estão disponíveis o Pixel 4 (US$799) e o Pixel XL (US$899), onde no primeiro terá a tela de 5.7” e na segunda opção, serão incríveis 6.3”. Os dois terão Corning® Gorilla® Glass 5, Processador Qualcomm® Snapdragon 855™ 2.84 GHz + 1.78 GHz 64-bit Octa-core, Chip Gráfico Adreno 640, armazenamento de 64 ou 128 GB, Câmera frontal de 8 MP e traseira de 16 MP, USB Type-C™ 3.1 Gen 1, Single Nano SIM eSIM⁷. Para maiores detalhes, você pode acessar aqui e aqui. Sem previsão de chegada no Brasil.

A gif showing someone skipping songs using Motion Sense


A segunda grande novidade, são os fones de ouvido inteligentes do Google, chamados de Google Pixel Buds, que segundo a empresa, terão uma autonomia de 5 horas e integração com a assistência digital do Google. De forma que que você poderá usar o “OK Google” para dar o comandos para o fone, funcionalidade esta que pode ser usada para ouvir músicas, podcasts e até fazer a tradução para uma outra língua. Os fones terão uma cobertura de aproximadamente 100 metros em campo aberto. Custará US$179 e com lançamento previsto para o segundo trimestre de 2020. Sem previsão de chegada no Brasil.

Pixel Buds - Product GIF (1).gif


Agora uma novidade que nós brasileiros vamos poder aproveitar. O ex-Google Home Mini, agora rebatizado com o nome de Nest Mini, é a caixinha inteligente do Google. Com ela você pode dar comandos de voz e assim automatizar algumas tarefas, como poder ouvir as suas músicas e podcasts. Além de poder usar o Google Assistente, visto que ela tem microfones em 360º. Na Google Store, ainda não tem preço divulgado, mas você pode entrar para uma lista de espera. A previsão é que chegue no Brasil até o final do ano e o preço também ainda não foi revelado. Nós USA o preço são de US$50.



Por último, temos a data revelada do lançamento do Google Stadia de fato. Será no dia 19 de novembro de 2019. O Google Stadia, inicialmente, estará disponível em 14 países - Bélgica, Canadá, Dinamarca, Finlândia, França, Alemanha, Itália, Irlanda, Holanda, Noruega, Espanha, Suécia, Reino Unido e EUA. Por hora, o Brasil não entra nessa “leva” inicial.

Jogos confirmados até o momento:

● Bandai Namco – Dragon Ball Xenoverse 2
● Bethesda – DOOM Eternal, DOOM 2016, Rage 2, The Elder Scrolls Online, Wolfenstein: Youngblood
● Bungie – Destiny 2, Destiny 2: Shadowkeep Expansion
● CD PROJEKT RED – Cyberpunk 2077
● Chump Squad – KINE
● Coatsink – Get Packed
● Codemasters – GRID
● Dotemu – Windjammers 2
● Deep Silver – Metro Exodus
● Drool – Thumper
● Giants Software – Farming Simulator 19
● Larian Studios – Baldur’s Gate 3
● nWay Games – Power Rangers: Battle for the Grid
● Omega Force – Attack on Titan 2: Final Battle
● Pandemic Studios – Destroy All Humans!
● Robot Entertainment – Orcs Must Die 3
● Sega – Football Manager
● SNK – Samurai Shodown
● Square Enix – Final Fantasy XV – Tomb Raider Definitive Edition, Rise of the Tomb Raider, Shadow of the Tomb Raider, Marvel’s Avengers
● SUPERHOT – SUPERHOT
● 2K – NBA 2K, Borderlands 3
● Tequila Works – Gylt
● Warner Bros – Mortal Kombat 11
● THQ – Darksiders Genesis
● Ubisoft – Assassin’s Creed Odyssey, Just Dance , Tom Clancy’s Ghost Recon Breakpoint, Tom Clancy’s The Division 2 , Trials Rising, The Crew 2, Watch Dogs: Legion

Você pode conferir esses dois vídeos do canal, falando sobre o Stadia.




Para ver o post completo com todas as novidades, basta acessar o blog do Google aqui.

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum.

Espero você até a próxima, um forte abraço.



Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Google Password Checkup, agora alerta caso houver vazamento de senha

Nenhum comentário

quinta-feira, 3 de outubro de 2019

O Google vem criando soluções que a cada dia facilita o uso da tecnologia, seja com sistemas operacionais, aplicativos, sites ou serviços. Agora seu gerenciador de senha passa a receber um novo recurso, esse antes disponível anteriormente através de uma extensão para seu navegador Google Chrome, agora nativamente no Google Password Checkup.

segurança-senha-key-gerenciador-google-password-checkup-android-chrome-chromium

Criar senhas fortes pode ser considerado uma verdadeira arte, brincadeiras à parte, evitar as famigeradas “123456” ou “senha” não é tão difícil assim (essa foi para você Happy 😆️😆️😆️).

O Google Password Checkup, aquele que sempre te pergunta se quer salvar uma senha no Chrome ou Android, recebeu ontem quarta-feira (2), a capacidade de averiguar se sua senha está comprometida por vazamentos ou não. Acesse o Gerenciador de senhas, confirme sua identidade e solicite a verificação. Assim, três resultados podem ser apresentados, indicando o estado atual de sua segurança.

segurança-senha-key-gerenciador-google-password-checkup-android-chrome-chromium

Senhas fracas


Caso exista alguma senha mal formulada, e que seja de simples alvo para um eventual ataque, o Password Checkup indicará essa falha de segurança. Então, nada de nomes de parentes, conhecidos, cônjuges ou coisas do tipo. Datas de aniversários ou comemorativas também não são uma boa ideia. Dê preferência a frases que venham de uma letra de uma música, quem sabe um livro ou algo assim. Alternância entre letras maiúsculas e minúsculas, como caracteres especiais são bem-vindos (“t3us_0lhos#sAo mev5-Livros”).

Senhas utilizadas


Esse é outro problema que o gerenciador poderá lhe alertar. Repetir a mesma senha em diferentes serviços só aumentam as chances de invasão. Se uma senha vazar, os demais serviços estarão em risco.

Senhas comprometidas


Não! Suas senhas não estão lhe traindo com outra pessoa, talvez até sim, afinal se o Google Password Checkup exibir este alerta, é plausível que você seja um alvo. Senhas comprometidas, significam que algum serviço que você utiliza sofreu um possível ataque ou vazamento de dados e por algum motivo sua senha foi descoberta. 

Segundo o site The Verge, o Google revelou uma pesquisa que aponta o uso de autenticação de duas etapas por apenas 37% dos americanos entrevistados. Outra curiosidade é que 66% utilizam suas senhas em mais de um serviço. Já uma falha gravíssima é que somente 11% efetuaram a troca de suas senhas, após casos de vazamentos de serviços de streaming

O Google consulta uma vasta lista de fontes para verificar se sua senha já vazou na internet:

  • 000webhost;
  • 17 Media;
  • Coleção 1,4 bi;
  • 7k7k;
  • Adobe;
  • Anti-public;
  • Badoo;
  • Bitly;
  • Coleção 1-5;
  • Dropbox;
  • Exploit.in;
  • iMesh;
  • Imgur;
  • Last.fm;
  • Lifeboat;
  • LinkedIn;
  • Mate1;
  • Neopets;
  • NetEase;
  • Nexus Mods;
  • Pemiblanc;
  • R2Game;
  • Rambler;
  • Tianya;
  • Tumblr;
  • VK;
  • VN;
  • Yandex;
  • Youku;
  • Zoosk.

Como diz o ditado: “segurança nunca é demais”, e sempre devemos nos atentar quanto a esses detalhes. Recentemente noticiamos o retorno do botnet Emotet, que se valia de senhas fracas para efetuar seus ataques. Então, evite ao máximo expor suas contas e possíveis problemas. Talvez a utilização de um gerador de senhas seja uma ótima dica, no entanto, esse já é assunto para outro artigo (😉️😉️😉️).

Faça parte de nosso fórum Diolinux Plus, e compartilhe nosso conteúdo, SISTEMATICAMENTE! 😎

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Conheça o Google Play Pass, o "Netflix dos apps Android”

Nenhum comentário

sábado, 28 de setembro de 2019

Não faz muito tempo que falamos sobre o Google Play Pass, o novo serviço do Google com uma proposta semelhante ao Netflix. No entanto, não se trata de uma assinatura para consumir séries ou filmes e sim utilizar diversos apps e jogos sem comprá-los.

app-game-jogos-android-google-play-pass

Ao assinar o Google Play Pass o usuário passa a ter acesso a um catálogo de apps e jogos pagos, contudo sem anúncios ou micro transações. Claramente a investida do Google é um duelo contra o Apple Arcade, serviço concorrente da Apple. Segundo o site The Verge, em uma demonstração, o Google mostrou um jogo que normalmente possuiria um pacote de expansão pago — mas, como parte do Play Pass, nenhum valor adicional foi cobrado.

A Grande maioria dos títulos do Play Pass são jogos famosos, cerca de dois terços, como Monument Valley 2 (R$15,99), Limbo (R$19,15), Terraria (R$19,99), entre outros. Perceba que apenas o valor dos 3 jogos, anteriormente mencionados, somam mais de R$50,00. Aplicativos pagos, como o Tunable para músicos e o Gravador de Voz HI-Q Pro, ambos custam atualmente R$12,99 e também estão disponíveis no serviço. Existe uma mescla entre desenvolvedores independentes e grandes produtoras no Play Pass. Obviamente, que outros aplicativos serão adicionados.

Iniciando com mais de 350 jogos e aplicativos em seu catálogo, o Google oferece 10 dias gratuitos e o primeiro ano pela bagatela de US $ 1,99 ao mês (em conversão direta para o Real, aproximadamente R$8,20). Depois do prazo o valor sobe para US $4,99 por mês (aproximadamente R$20,70).

app-game-jogos-android-google-play-pass

No lado dos desenvolvedores, um algoritmo será o responsável por rastrear o tempo de uso ou o número de vezes em que os apps foram abertos por semana, assim repassar uma quantia aos desenvolvedores que oferecem seus softwares por meio da novidade. Todavia, mais detalhes não foram revelados, nem como e qual métrica ao certo indicaria a porcentagem a ser recebida.

O Google Play Pass está disponível nos Estados Unidos e infelizmente não tem previsão de lançamento no Brasil. Sem datas ou preços definidos, nos resta esperar. Neste quesito a Apple saiu na frente, pois o Apple Arcade foi lançado simultaneamente em diversos países (inclusive o Brasil).


Vale ressaltar que todos os apps e jogos oferecidos no Play Pass, continuarão disponíveis como compras independentes ou possuindo anúncios. 

A onda de serviços parece ter chegado e muitas empresas começam a criar alternativas ao clássico modelo: compre o produto ou pague por microtransações. O Google Play Pass não veio substituir a possibilidade de comprar as aplicações, mas será que num futuro a venda deixará de existir e os principais players do mercado passarão a oferecer apenas serviços?

A ideia de “full serviços” não me agrada muito, talvez porque em alguns casos, ainda prefiro comprar ao invés de assinar algo.

Agora me diga nos comentários, assinaria o Play Pass? Acredita que num futuro as empresas passem apenas a adotar o modelo serviço e abandonem em sua maioria o tradicional “pague e leve o produto”?

Faça parte de nosso fórum Diolinux Plus e fique por dentro das novidades.

Até o próximo post, compartilhe nosso conteúdo, SISTEMATICAMENTE! 😎

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Pixelbook Go será o sucessor do Pixelbook e com tela em 4k

Nenhum comentário

quinta-feira, 26 de setembro de 2019

O Google é conhecido mundialmente pelos seus produtos que ajudam as pessoas no dia a dia, como o GDrive, Google Chrome, Gmail, GDocs. Nos últimos tempos, vem também investindo no Google ChromeOS, o seu sistema operacional para “suportar” todos esses serviços, da forma que a empresa achar melhor.

Pixelbook Go será o sucessor do Pixelbook e com tela em 4k





O Google também vem investindo em hardware, mais precisamente nos laptops Pixelbooks. Esses já vem com o Google ChromeOS instalado “de fábrica” vamos assim dizer e são feitos diretamente pelo Google.

Diferente da sua primeira versão, o Pixelbook Go vem para dar mais enfoque as tarefas do dia a dia, como criar planilhas, documentos, ver vídeos, navegar na internet e por aí vai. Isso tudo dentro do ChromeOS e com integração dos serviços com os apps, mais ou menos parecido com o que a Apple faz no seu ecossistema, com o iOS e macOS.


Segundo informações levantada pela pessoal do site 9to5Google, o Pixelbook Go vai ser voltado para portabilidade e mobilidade, sendo assim extremamente leve. A construção dele seria em uma “liga de magnésio” para que isso fosse possível. Também foram reveladas algumas especificações técnicas do laptop, como:

● Tela de 13,3” com proporção de 16:9 e podendo ser em FullHD ou em 4K;
● Processadores podendo ser Intel Core i3, i5 e i7;
● Memória RAM podendo ser de 8GB ou 16GB;
● Armazenamento podendo variar de 128GB ou 256GB;
● Dois alto-falantes potentes de primeira linha e dois microfones na frente (não especificados os modelos de fabricantes);
● Câmera frontal de 2MP que pode capturar 1080p a 60fps;
● Os componentes são muitos parecidos com o Pixel Slate, como o Chip Titan C, o WiFI e Bluetooth.
● Os conectores continuam iguais ao Pixelbook, tendo portas USB-C e conector de 3.5mm para fone de ouvidos.

Segundo a estimativa do site, o Pixelbook Go ficaria na faixa dos US$799 ou mais. 

Se eu tivesse a possibilidade de ter um desses Pixelbooks ou até mesmo um Chromebook feito pelo Google, gostaria muito de testar eles para ver “até onde o sistema aguenta” e ver quais limitações teriam. Ainda acho que o Google deveria ter uma dessas belezinhas com uma GPU dedicada e talvez ver como o sistema se sairia em jogos, edições de vídeo e afins. Quem sabe em um futuro breve.

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum.

Espero você até a próxima, um forte abraço.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Modo Dark, enfim no app do Gmail

Nenhum comentário

quarta-feira, 25 de setembro de 2019

No início deste ano comentei sobre a mudança de visual no app do Gmail, de Material Design para Material Theme. Algo singelo, mas que repaginou e manteve a aplicação condizente com as últimas diretrizes de design do Android.

gmail-android-ios-email-modo-dark-securo-noturno-app

Se tem uma feature que prezo em uma aplicação é o modo dark, também chamado de modo escuro/noite, sem ele minha usabilidade é tremendamente afetada. Talvez por ter problemas oftalmológicos ou por utilizar muitas vezes de noite, ou em ambientes escuros. Muito usuários também gostam deste modo, mas infelizmente o visual no app do Gmail passou a ser branco demais. Outro ponto importante é a economia de energia, pois uma interface escura tende a estender a vida útil de seu aparelho no cotidiano.

gmail-android-ios-email-modo-dark-securo-noturno-app

Parece que a espera findou, ao menos para vários felizardos, contudo a feature pode demorar até 15 dias para chegar em toda a base de usuários. Caso tenha atualizado seu aparelho e o modo dark ainda não esteja presente, não fique desanimado, espere um pouco mais que em breve poderá desfrutar do recurso.

Para mudar o visual da aplicação do Gmail no Android, acesse o “Menu hambúrguer” >> “Configurações”. Existirá uma seção chamada “Temas” em Configurações gerais, então basta mudar para o visual de sua escolha.

gmail-android-ios-email-modo-dark-securo-noturno-app

A versão 2019.08.18.267044774 do Gmail já está disponível na Play Store, entretanto a opção de temas está sendo implementada gradualmente por meio de uma atualização separada do servidor. Como mencionado anteriormente, essa primeira leva pode demorar um pouco até abarcar todos os usuários. O Google oferece esse recurso tanto para Android, como o iOS. Aos usuários da Apple, verifique se já está disponível em seu aparelho.

Agora só nos resta esperar, obviamente se você não recebeu o “modo dark”, todavia fiquei feliz em poder ter essa opção.

Você usa o app do Gmail em seu Android ou iOS? Gostou do recurso e também esperava ele, assim como eu? Deixe nos comentários a sua opinião sobre o assunto. 

Os demais apps da empresa também podem ser agraciados com o modo escuro no futuro, como é o caso da Play Store que vem recebendo a opção para alguns donos de Android.

Faça parte de nosso fórum Diolinux Plus, até o próximo post, SISTEMATICAMENTE! 😎

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Google embarca na onda de assinatura de apps no Android

Nenhum comentário

quarta-feira, 11 de setembro de 2019

A plataforma Android está prestes a receber uma enorme mudança de paradigmas, um comportamento semelhante a serviços, como: Spotify, Netflix e o “aluguel” de livros da Amazon. Já pensou em utilizar os apps do Android sem propagandas, sem a necessidade de comprá-los, sem microtransações dentro do app e tudo isso de forma legal?

google-play-pass-android-app-netflix-spotify-assinatura-apple-arcade

“Está quase na hora ⏲️ Google Play Pass em breve”, é o que diz o anúncio oficial do Google em seu Twitter:


Nenhum detalhe a respeito do serviço foi informado, mas desde Julho o Google vem desenvolvendo o serviço. Graças a comunidade de desenvolvedores de software mobile XDA e prints de participantes dos testes, sabemos do que se trata o Play Pass. Essa nova investida da empresa pode ser uma enorme mudança no mercado Android.

O Play Pass permitirá que usuários paguem uma mensalidade e tenha um vasto catálogo de apps Android. Nada de compras, propagandas ou microtransações (obviamente, que os usuários poderão comprar apps, mas os apps pagos inclusos no serviço, poderão ser utilizados sem essa obrigatoriedade). Em algumas prints, obtidas com exclusividade pelo site Android Police, podemos observar mais detalhes.

google-play-pass-android-app-netflix-spotify-assinatura-apple-arcade

Ao menos nos testes iniciais o valor proposto na mensalidade era de US$ 4.99 (aproximadamente R$ 20,55 em uma conversão direta). Claro que esses preços podem mudar em seu lançamento oficial e não sabemos se haverá disponibilidade no Brasil, em um primeiro momento. Após obter as capturas de tela, o pessoal do Android Police entrou em contato com um porta-voz do Google que confirmou na época que estavam testando o Play Pass.

Claramente o serviço é inspirado no Apple Arcade, sistema de assinatura da sua concorrente direta, a Apple. No entanto, o Apple Arcade planeja ter jogos exclusivos dos principais desenvolvedores, enquanto no caso do Play Pass não temos nenhuma informação. Apenas que apps e jogos serão incluídos (exclusivos? Talvez). 

Será que a assinatura de aplicativos, nos moldes de um Spotify e Netflix da vida se tornará o padrão de mercado? Não se esqueça que o Google Stadia pretende fazer algo semelhante com os games. Agora resta saber se o valor será em conta para nós brasileiros, quando o serviço for lançado e disponibilizado para outros países.

Você pagaria uma mensalidade para utilizar apps sem precisar comprá-los ou ver propagandas? Se o Play Pass possuir jogos, no meu ponto de vista, pode ser muito interessante. Afinal, microtransações é algo que não curto ( você acaba gastando horrores… “de grão em grão a galinha enche o papo” e esvazia minha carteira 😁️😁️😁️).

Faça parte de nosso fórum Diolinux Plus e fique por dentro das novidades.

Até o próximo post, compartilhe nosso conteúdo, SISTEMATICAMENTE! 😎

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Cansado do Google? Conheça o buscador DuckDuckGo

Nenhum comentário

segunda-feira, 9 de setembro de 2019

A gigante das buscas domina em diversos setores da tecnologia, seja com o Android, Youtube, seu browser ou até mesmo o que lhe fez ser tão bem sucedida, seu buscador Google.

android-app-buscador-yahoo-yandex-bing-duckduckgo-privacidade-segurança-google-play-internet-Linux-mac-navegador-windows

Na era digital parece que privacidade é um termo inexistente, nem sempre a comodidade e a privacidade andam lado a lado. Alguns podem estar pensando, mas existe o modo anônimo, sinto muito em lhe informar que isso não impede a coleta de dados. Você já fez uma simples busca de um produto em seu smartphone, e do nada produtos equivalentes passaram a brotar em outros lugares? Minha esposa brincou esses dias comentando que estava sendo perseguida, pois, ao pesquisar um produto em específico, as propagandas começaram a pular em redes sociais, aplicativos ou qualquer outro site (no PC e no smartphone).

Cerca de 75% dos sites contém algum rastreador do Google, acompanhando tudo o que você procura e o Google analisa quais sites você acessa, para depois segmentar publicidade conforme seu perfil, navegação e utilização. Outro detalhe é que seus dados permanecem no Google indefinidamente, talvez nem sempre isso seja interessante (já parou para avaliar? 🤔️🤔️🤔️).


DuckDuckGo o buscador que não registra seus dados


Lançado em 25 de Setembro de 2008, pelo jovem empreendedor americano Gabriel Weinberg, o DuckDuckGo almeja ser uma alternativa segura e com o mais alto nível de privacidade possível para um buscador. Como os demais buscadores, o DuckDuckGo mostra resultados de notícias, imagens, vídeos e tem “caixas” exclusivas para informações da Wikipedia e outros recursos.


Para fazer suas pesquisas, sem a coleta de dados, acesse o site “DuckDuckGo.com” e tenha mais privacidade. 

android-app-buscador-yahoo-yandex-bing-duckduckgo-privacidade-segurança-google-play-internet-Linux-mac-navegador-windows

DuckDuckGo no Android


Você poderá utilizar normalmente o site do DuckDuckGo em todos seus dispositivos, entretanto, no Android utilizo o “DuckDuckGo Privacy Browser” e faço minhas pesquisas normalmente.

android-app-buscador-yahoo-yandex-bing-duckduckgo-privacidade-segurança-google-play-internet-Linux-mac-navegador-windows

Ter privacidade ao navegar na internet não é algo comum, e no mundo atual às vezes ceder informações é sinônimo de comodidade. Sei bem que privacidade total é quase uma utopia em pleno século XXI, esse artigo não tem por intuito induzir os leitores a acreditarem que apenas usando o DuckDuckGO sua privacidade será total. Lembre-se, não adianta querer total privacidade e acessar redes sociais, comprar online, consumir conteúdo por streaming entre outras práticas. Conforme disse anteriormente, reveja quais dados são mais importantes e se realmente tudo deve ser oferecido a empresas ou plataformas. Todavia, situações desagradáveis de “perseguição por publicidade” podem ser evitadas ao utilizar o DuckDuckGo.

Equilíbrio é a chave do sucesso.

Faça parte de nosso fórum Diolinux Plus e não perca nenhuma novidade.

Até o próximo post, te espero aqui no blog Diolinux, SISTEMATICAMENTE! 😎
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo