Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador google chrome. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador google chrome. Mostrar todas as postagens

O que fazer depois de instalar o Ubuntu 19.10

Nenhum comentário

segunda-feira, 21 de outubro de 2019

O Ubuntu 19.10 está sendo elogiado pela maioria dos usuários, com uma versão atualizada do GNOME o sistema vem demonstrando maior performance ao realizar as tarefas. Aprenda quais passos tomar após instalar o Ubuntu 19.10.

pós-install-instalação-ubuntu-19.10-linux-canonical-gnome-instalar-atualizar-guia

Aguardado por muitos, essa é a última versão até o próximo lançamento de longo suporte, o Ubuntu 20.04 LTS. Caso tenha alguma dúvida com seu pós-instalação, iremos demonstrar quais ações devem ser tomadas com o novo Ubuntu.

Atualizando do Ubuntu 19.04 para o 19.10, sem reinstalar o sistema


Está usando o Ubuntu 19.04 e quer migrar para o 19.10? Talvez uma boa alternativa é atualizar o sistema, sem precisar baixar uma ISO, e fazer todo o trabalho de criar um pendrive bootável ou “queimar” um dvd. 

Antes de tudo, backup é a “nova lei” (😁️😁️😁️). Brincadeiras à parte, faça o backup de seus arquivos, para evitar problemas. Então, abra o programa “Softwares e Atualizações” e execute uma verificação por atualização, caso exista a ferramenta lhe informará.

Outra maneira é via terminal:

sudo do-release-upgrade -c

Configurações iniciais


Ao iniciar o sistema pela primeira vez, aparecerá a tela de “Bem-vindo”, basta ir completando os passos desejados e ignorando outros. Cada escolha é bem particular, como: Conectar ou não às suas contas on-line, ceder dados a equipe do Ubuntu para construir um sistema melhor (apenas informações simples de seu hardware e coisas do tipo, nenhum dado pessoal), habilitar ou não o serviço de localização, e até instalar alguns Snaps antes mesmo de usar o sistema pela primeira vez.

pós-install-instalação-ubuntu-19.10-linux-canonical-gnome-instalar-atualizar-guia

Escolha o melhor servidor e habilite os parceiros da Canonical


Para tornar as atualizações e instalações mais rápidas, podemos escolher algum servidor que esteja mais próximo de nossa localização. Pesquise por: “Programas e atualizações”, selecione a aba “Aplicativos Ubuntu”, clique em “Baixar de: Outro…” e na nova janela em “Selecionar o Melhor Servidor”. Um teste será iniciado testando os espelhos mais próximos e você pode escolher o melhor clicando em “Escolher Servidor”.

pós-install-instalação-ubuntu-19.10-linux-canonical-gnome-instalar-atualizar-guia-serrver-mirror-download

Finalize clicando em “Fechar” e caso o sistema solicite para “Recarregar” proceda desta maneira.

Na segunda aba do programa, existe a opção de habilitar “Parceiros da Canonical”, este repositório é composto de alguns softwares proprietários e seus extras. Marque ela e faça como anteriormente, para finalizar a ação.

pós-install-instalação-ubuntu-19.10-linux-canonical-gnome-instalar-atualizar-guia

Atualize o sistema


Esse passo sempre é importante, antes de tudo ele deve ser o principal a ser feito. Pesquise por “Atualizador de programas” e se houverem atualizações, basta clicar em “Instalar agora”.

pós-install-instalação-ubuntu-19.10-linux-canonical-gnome-instalar-atualizar-guia

Complete a instalação dos pacotes de idioma


Mesmo instalando o sistema em “portuguê brasil”, ainda é necessário instalar completamente o suporte ao idioma. Uma tarefa bem simples, abra o app “Configurações”, vá até à sessão “Região & idioma” e clique em “Gerir Idiomas Instalados”. O Ubuntu verificará se todos os pacotes já estão instalados, caso não, ele informará.

pós-install-instalação-ubuntu-19.10-linux-canonical-gnome-instalar-atualizar-guia

Instale codecs multimídia


Abra a “Software Ubuntu”, sua loja de programas, clique na categoria “Complementos” e depois em “Codecs”. Instale quais deseja.

pós-install-instalação-ubuntu-19.10-linux-canonical-gnome-instalar-atualizar-guia-codec-multimidia-musica-som

Instale o Synaptic


A loja do Ubuntu pode ser bem interessante quando o assunto são pacotes Snaps e Flatpaks, entretanto ela tem uma deficiência que pode limitar sua experiência de uso. Mesmo sendo versátil em alguns casos em outros ela deixa a desejar, estou falando especificamente em sua limitação em não oferecer softwares sem ícones. No caso, pacotes, como libs, programas para linha de comando entre outros.

Nesse quesito um software que pode auxiliar, e muito, é o gerenciador de pacotes Synaptic. Com ele será possível fazer vários procedimentos sem a necessariamente do terminal, demonstrando que é possível sim usar Ubuntu sem obrigatoriamente fazer tudo via terminal.

Pesquise na loja do Ubuntu por: “Synaptic” e instale o software. Por exemplo, irei instalar o pacote de codecs “ubuntu-restricted-extras” via Synaptic. Não precisa nem se preocupar com quais codecs, este pacote instala os essenciais.

pós-install-instalação-ubuntu-19.10-linux-canonical-gnome-instalar-atualizar-guia-synaptic

Não sabe como usar o Synaptic, assista o vídeo abaixo e domine essa ferramenta.


Instale o OpenJDK, caso utilize aplicações em Java


Você pode instalar o OpenJDK em seu sistema, basta pesquisar pela versão desejada. Suponhamos que queira a versão 13, instale o pacote “openjdk-13-jdk”. Se preferir, instale apenas a máquina de execução “openjdk-13-jre”. Fica ao seu desejo. Outro pacote existente é a versão “padrão” do OpenJDK no Ubuntu. Essa se chama “default-jdk”.

pós-install-instalação-ubuntu-19.10-linux-canonical-gnome-instalar-atualizar-guia-synaptic-java-openjdk

Instale os drivers Intel


Para quem possui um processador Intel de 3ª à 8ª geração, pode ser interessante proceder da seguinte maneira: abra a loja do Ubuntu, vá em “Complementos” e na aba “Drivers de hardware” selecione “Beignet” e instale esse driver.

pós-install-instalação-ubuntu-19.10-linux-canonical-gnome-instalar-atualizar-guia-synaptic-driver-processador-intel

Instale o driver de vídeo para sua placa de vídeo


Caso possua uma GPU dedicada da AMD, nenhum procedimento é necessário (o driver aberto já vem no próprio Kernel). Isso no caso dos modelos mais recentes, se estiver em dúvida, acesse nossa postagem e veja como instalar o driver correto para sua placa de vídeo AMD. Inclusive até mesmo a versão do Mesa Driver contida no Ubuntu 19.10 é superior à versão estável do PPA do Padoka.

Donos de GPU’s NVIDIA podem pesquisar diretamente no sistema por: “Drivers Adicionais” e instalar o driver para sua placa de vídeo. Lembrando que a adição do PPA da NVIDIA não é mais obrigatória. Você pode acessar nossa matéria demonstrando e explicando um pouco mais sobre os Drivers proprietários NVIDIA no Ubuntu.

Habilite o suporte ao Flatpak e adicione o repositório Flathub


Infelizmente o Ubuntu não vem configurado por padrão com o suporte ao Flatpak, apenas Snap. Contudo, a tarefa é muito simples e rápida. Acesse essa postagem para configurar seu sistema, e comece a usar Flatpaks no Ubuntu. Depois pesquise na loja por apps neste formato.

Instale programas em Snap


Por default o Snap já vem configurado, então basta acessar a loja e instalar apps neste formato. O Spotify é um que sempre utilizo, ouvir músicas enquanto trabalho acaba aguçando minha criatividade (isso ao criar alguma arte ou coisa do gênero).

Baixe e instale programas em DEB


Particularmente utilizo vários programas, em diferentes formatos de empacotamento. Sendo que pacotes DEB estão presentes em meu pós-instalação. Esse ponto é bem particular e cabe a você escolher quais apps baixar. O 4K Vídeo Downloader e Google Chrome “”são de lei”. Para baixar o Navegador Google Chrome, por exemplo, acesse seu site oficial e baixe a opção em DEB.

Finalizado o download, abra com dois cliques ou com o botão direito do mouse e depois “Abrir com Instalação de programa”. Daí basta instalar como qualquer outro programa via loja do Ubuntu.

pós-install-instalação-ubuntu-19.10-linux-canonical-gnome-instalar-atualizar-guia-synaptic

Esse procedimento é semelhante com todos os demais pacotes neste formato.

Preparando o sistema para jogos


Você pode configurar seu sistema para inúmeros tipos de uso, caso queira jogar em seu Ubuntu, criamos um post demonstrando todo o preparo. Algumas partes podem estar obsoletas, como a indicação de um PPA para quem usa Mesa Driver ou PPA NVIDIA. Não aplique essas partes, dê preferencia as demonstradas nesse pós-instalação. As demais, aplique e deixe seu Ubuntu pronto para a jogatina.

Customizando o sistema


Esse passo é muito pessoal, você pode substituir wallpapers, mudar a posição da dock, retirar a função de suspensão de tela por inatividade, entre outras. Acesse o programa “Configurações” e personalize conforme seu uso. Assim como os navegadores de internet, o GNOME Shell pode ser modificado com a adição de extensões. Mas cuidado, adicionar extensões em demasia pode ocasionar instabilidades no sistema. Faça por sua conta e risco.

Temos uma matéria demonstrando algumas extensões interessantes para potencializar seu uso no GNOME Shell, porém não adicione a extensão “Pixel Saver” (a dica número 7 do link acima). Opte por outra suportada e que acaba sendo bem superior, segue a postagem da extensão Unite o “Pixel Saver compatível com o Ubuntu 19.10”

Essas são as dicas de pós-instalação do Ubuntu 19.10, caso queira dicas adicionais acesse outra matéria de pós-instalação que escrevi na época do Ubuntu 19.04. Algumas dicas ainda são válidas, mas tenha como preferência aplicar essas do Ubuntu 19.10 (se houver algum aparente conflito).

Faça parte de nosso fórum Diolinux Plus, e fique por dentro das novidades.

Até o próximo post, e bom uso do Ubuntu 19.10 Eoan Ermine, SISTEMATICAMENTE! 😎


Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Google Password Checkup, agora alerta caso houver vazamento de senha

Nenhum comentário

quinta-feira, 3 de outubro de 2019

O Google vem criando soluções que a cada dia facilita o uso da tecnologia, seja com sistemas operacionais, aplicativos, sites ou serviços. Agora seu gerenciador de senha passa a receber um novo recurso, esse antes disponível anteriormente através de uma extensão para seu navegador Google Chrome, agora nativamente no Google Password Checkup.

segurança-senha-key-gerenciador-google-password-checkup-android-chrome-chromium

Criar senhas fortes pode ser considerado uma verdadeira arte, brincadeiras à parte, evitar as famigeradas “123456” ou “senha” não é tão difícil assim (essa foi para você Happy 😆️😆️😆️).

O Google Password Checkup, aquele que sempre te pergunta se quer salvar uma senha no Chrome ou Android, recebeu ontem quarta-feira (2), a capacidade de averiguar se sua senha está comprometida por vazamentos ou não. Acesse o Gerenciador de senhas, confirme sua identidade e solicite a verificação. Assim, três resultados podem ser apresentados, indicando o estado atual de sua segurança.

segurança-senha-key-gerenciador-google-password-checkup-android-chrome-chromium

Senhas fracas


Caso exista alguma senha mal formulada, e que seja de simples alvo para um eventual ataque, o Password Checkup indicará essa falha de segurança. Então, nada de nomes de parentes, conhecidos, cônjuges ou coisas do tipo. Datas de aniversários ou comemorativas também não são uma boa ideia. Dê preferência a frases que venham de uma letra de uma música, quem sabe um livro ou algo assim. Alternância entre letras maiúsculas e minúsculas, como caracteres especiais são bem-vindos (“t3us_0lhos#sAo mev5-Livros”).

Senhas utilizadas


Esse é outro problema que o gerenciador poderá lhe alertar. Repetir a mesma senha em diferentes serviços só aumentam as chances de invasão. Se uma senha vazar, os demais serviços estarão em risco.

Senhas comprometidas


Não! Suas senhas não estão lhe traindo com outra pessoa, talvez até sim, afinal se o Google Password Checkup exibir este alerta, é plausível que você seja um alvo. Senhas comprometidas, significam que algum serviço que você utiliza sofreu um possível ataque ou vazamento de dados e por algum motivo sua senha foi descoberta. 

Segundo o site The Verge, o Google revelou uma pesquisa que aponta o uso de autenticação de duas etapas por apenas 37% dos americanos entrevistados. Outra curiosidade é que 66% utilizam suas senhas em mais de um serviço. Já uma falha gravíssima é que somente 11% efetuaram a troca de suas senhas, após casos de vazamentos de serviços de streaming

O Google consulta uma vasta lista de fontes para verificar se sua senha já vazou na internet:

  • 000webhost;
  • 17 Media;
  • Coleção 1,4 bi;
  • 7k7k;
  • Adobe;
  • Anti-public;
  • Badoo;
  • Bitly;
  • Coleção 1-5;
  • Dropbox;
  • Exploit.in;
  • iMesh;
  • Imgur;
  • Last.fm;
  • Lifeboat;
  • LinkedIn;
  • Mate1;
  • Neopets;
  • NetEase;
  • Nexus Mods;
  • Pemiblanc;
  • R2Game;
  • Rambler;
  • Tianya;
  • Tumblr;
  • VK;
  • VN;
  • Yandex;
  • Youku;
  • Zoosk.

Como diz o ditado: “segurança nunca é demais”, e sempre devemos nos atentar quanto a esses detalhes. Recentemente noticiamos o retorno do botnet Emotet, que se valia de senhas fracas para efetuar seus ataques. Então, evite ao máximo expor suas contas e possíveis problemas. Talvez a utilização de um gerador de senhas seja uma ótima dica, no entanto, esse já é assunto para outro artigo (😉️😉️😉️).

Faça parte de nosso fórum Diolinux Plus, e compartilhe nosso conteúdo, SISTEMATICAMENTE! 😎

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Chrome solicitando senha ao iniciar, como resolver?

Nenhum comentário

segunda-feira, 30 de setembro de 2019

Os gerenciadores de chaveiros do sistema, como o GNOME Keyring e o KDE Wallet. São aplicações responsáveis por gerenciar e armazenar credenciais de segurança, como nomes de usuário, senhas e chaves. Estes gerenciadores, geralmente são softwares muito bons e seguros, porém, em certas situações a forma com que funcionam pode ser um tanto irritante.

como-resolver-chrome-solicitando-senha-ao-iniciar

Em várias distribuições Linux, já presenciei um comportamento um tanto intrigante quanto ao funcionamento dos gerenciadores de chaveiros do sistema. Ao iniciarmos o sistema operacional, quando digitamos a senha na tela de login, também estamos autorizando o desbloqueio do chaveiro do sistema. Permitindo assim ao usuário acessar programas por ele protegidos, como por exemplo, o Google Chrome.

Porém, com a função “autologin” ativada, não precisamos digitar a senha para inicializar o sistema. Logo, em alguns casos, o chaveiro não é desbloqueado na inicialização. Desta forma, toda vez após o sistema ter sido inicializado, na primeira vez que formos iniciar um desses aplicativos protegidos, será necessário digitar a senha para desbloqueio do chaveiro. Que, para o chaveiro padrão, é a mesma senha de usuário que você criou durante a instalação do sistema.

Por esse motivo, em vários sistemas e interfaces gráficas diferentes, precisamos digitar a senha toda vez que iniciarmos o Google Chrome pela primeira vez, após a inicialização do sistema. Esse comportamento pode ser o mesmo para o Chromium, e outros aplicativos que estiverem sendo protegidos pelo chaveiro do sistema.

Todavia, esse não é um comportamento que ocorre em todos os casos. Algumas distribuições, como por exemplo, o OpenSUSE. Não tem esse “problema”. Nem todas as distros utilizam os mesmos gerenciadores de chaveiros, ou vem configuradas da mesma forma. Sendo assim, esse comportamento acontece apenas em alguns casos.

Após alguma pesquisa, consegui encontrar uma maneira de contornar esse funcionamento “chato”, e fazer com que, mesmo com o “autologin” ativado, o sistema não solicite mais que o usuário digite a senha ao iniciar estes aplicativos pela primeira vez após o boot.

Procedimento em distros que utilizem o GNOME Keyring


Na maioria das distros com interface GTK, como GNOME Shell, XFCE, e Cinnamon. O gerenciador de chaveiros utilizado é o GNOME Keyring. Nestas distros realizaremos o procedimento através de um utilitário chamado Seahorse.

• O Seahorse pode ser instalado via interface gráfica através da loja de aplicativos da maioria das distros.

gnome-software-fedora

Se preferir instalar via terminal, rode o comando abaixo de acordo com a sua distro:

Fedora:

sudo dnf install seahorse

Linux Mint, Ubuntu e derivados:

sudo apt install seahorse

Manjaro, Arch Linux e derivados:

sudo pacman -S seahorse

OpenSUSE:

sudo zypper install seahorse

Após a instalação, o ícone do Seahorse estará disponível no seu menu de aplicativos. Abra-o. No canto superior esquerdo, na sessão “senhas”, você verá um “chaveiro” chamado “Login”.

Clicando sobre ele, à direita você verá quais são os programas que estão sendo protegidos por este chaveiro. Clique com o botão direito do mouse sobre o chaveiro, selecione “Alterar senha”. 

senha-do-chaveiro-seahorse

• Digite a senha atual, e quando for solicitado a nova senha, apenas deixe ambos os campos em branco.

caixas-de-dialogo-alteracao-senhas-seahorse


• Pressione “Continuar”, e pronto! A senha do seu sistema continua sendo a mesma, porém a senha do chaveiro não mais existe. Desta forma, este será aberto automaticamente durante a inicialização.

Realizando o procedimento no KDE Plasma


Abra o menu e pesquise por “Wallet”. Clique em “Carteira do KDE”.

busca-wallet-menu-kde-plasma

Na janela que abrir, desmarque a caixa de seleção “Habilitar o subsistema de carteiras do KDE”, e clique em “OK”.

configuracoes-carteira-kde

Se você estiver logado no sistema de sync do Chrome/Chromium com a sua conta Google, a alteração que você acabou de fazer fará com que o login fique pausado. Para resolver esse problema: abra o Chrome/Chromium. Na barra de endereços cole a linha abaixo e pressione “Enter”.

chrome://flags/

No campo de busca, dentro da página que você acabou de abrir, cole a linha abaixo e pressione “Enter”.

Identity consistency between browser and cookie jar

configuracoes-recursos-experimentais-chrome-chromium

Conforme indicado na imagem acima, selecione “Disabled”, depois clique em “Relaunch Now”.

Pronto! A sua senha de usuário continua sendo a mesma, e ela jamais será solicitada ao iniciar o navegador novamente.

Você já teve esse problema e conseguiu solucionar com este método? Ou talvez você conheça uma solução melhor? Dê o seu feedback nos comentários.

Você gosta de Linux e tecnologia? Tem alguma dúvida ou problema que não consegue resolver? Venha fazer parte da nossa comunidade no Diolinux Plus

Por hoje é tudo pessoal! 😉

_____________________________________________________________________________

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Pixelbook Go será o sucessor do Pixelbook e com tela em 4k

Nenhum comentário

quinta-feira, 26 de setembro de 2019

O Google é conhecido mundialmente pelos seus produtos que ajudam as pessoas no dia a dia, como o GDrive, Google Chrome, Gmail, GDocs. Nos últimos tempos, vem também investindo no Google ChromeOS, o seu sistema operacional para “suportar” todos esses serviços, da forma que a empresa achar melhor.

Pixelbook Go será o sucessor do Pixelbook e com tela em 4k





O Google também vem investindo em hardware, mais precisamente nos laptops Pixelbooks. Esses já vem com o Google ChromeOS instalado “de fábrica” vamos assim dizer e são feitos diretamente pelo Google.

Diferente da sua primeira versão, o Pixelbook Go vem para dar mais enfoque as tarefas do dia a dia, como criar planilhas, documentos, ver vídeos, navegar na internet e por aí vai. Isso tudo dentro do ChromeOS e com integração dos serviços com os apps, mais ou menos parecido com o que a Apple faz no seu ecossistema, com o iOS e macOS.


Segundo informações levantada pela pessoal do site 9to5Google, o Pixelbook Go vai ser voltado para portabilidade e mobilidade, sendo assim extremamente leve. A construção dele seria em uma “liga de magnésio” para que isso fosse possível. Também foram reveladas algumas especificações técnicas do laptop, como:

● Tela de 13,3” com proporção de 16:9 e podendo ser em FullHD ou em 4K;
● Processadores podendo ser Intel Core i3, i5 e i7;
● Memória RAM podendo ser de 8GB ou 16GB;
● Armazenamento podendo variar de 128GB ou 256GB;
● Dois alto-falantes potentes de primeira linha e dois microfones na frente (não especificados os modelos de fabricantes);
● Câmera frontal de 2MP que pode capturar 1080p a 60fps;
● Os componentes são muitos parecidos com o Pixel Slate, como o Chip Titan C, o WiFI e Bluetooth.
● Os conectores continuam iguais ao Pixelbook, tendo portas USB-C e conector de 3.5mm para fone de ouvidos.

Segundo a estimativa do site, o Pixelbook Go ficaria na faixa dos US$799 ou mais. 

Se eu tivesse a possibilidade de ter um desses Pixelbooks ou até mesmo um Chromebook feito pelo Google, gostaria muito de testar eles para ver “até onde o sistema aguenta” e ver quais limitações teriam. Ainda acho que o Google deveria ter uma dessas belezinhas com uma GPU dedicada e talvez ver como o sistema se sairia em jogos, edições de vídeo e afins. Quem sabe em um futuro breve.

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum.

Espero você até a próxima, um forte abraço.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Resolvendo o bug dos emojis nos navegadores no Linux

Nenhum comentário

sexta-feira, 20 de setembro de 2019

Emojis, emoticons, carinhas… Eu sinceramente nem sei qual é o nome correto, se é que existe apenas um. Mas o fato é que eles estão por todos os lados desde que a internet é internet. Nos ajudando a expressar emoções, e de vez em quando nos fazendo dar umas boas risadas.

resolvendo-bug-dos-emojis-nos-navegadores-no-linux

Eu sou uma dessas pessoas que “volta e meia” gosta de mandar um emoji ou outro para tornar as conversas pelas redes sociais mais divertidas, informais, e de vez em quando até para sinalizar que certo comentário foi apenas uma brincadeira.

Porém, há algum tempo atrás percebi que na maioria das distros que testei utilizando algum ambiente gráfico GTK existe um bug que faz com que os emojis apareçam de uma forma completamente errada. Ao invés de aparecerem as “carinhas” amarelas, como de costume, aparecem apenas os seus contornos em linhas pretas.

antes-depois-de-resolver-o-bug-dos-emojis

Assim que percebi o problema, a primeira coisa que fiz foi testar em outros navegadores, mas o problema continuou, mesmo no Google Chrome, Chromium e Firefox. Após algum tempo pesquisando consegui encontrar uma solução bastante simples, que agora irei compartilhar com vocês.

Primeiro instale um pacote de fontes da Google. Este é o pacote de fontes que contém os emojis que o seu navegador vai utilizar. Simplesmente copie e cole o comando abaixo no seu terminal, de acordo com a sua distro:

Linux Mint, Ubuntu e derivados:

sudo apt install fonts-noto-color-emoji

Manjaro, Arch Linux e derivados:

sudo pacman -S noto-fonts-emoji

Fedora:

sudo dnf install google-noto-emoji-color-fonts

Open SUSE e derivados:

sudo zypper install noto-coloremoji-fonts

Abra a sua pasta ‘Home’. Pressione a combinação de teclas “Control + H” para exibir os arquivos ocultos. Localize uma pasta chamada ‘.config’, e dentro dela crie outra pasta chamada ‘fontconfig’.

pasta-fontconfig-dentro-da-pasta-.config

Abra o terminal, copie e cole o comando abaixo, e então pressione “Enter”.

Obs.: É um comando longo, então cuidado para não esquecer de nenhum caractere na hora de copiá-lo. :)

echo -e '<?xml version="1.0" encoding="UTF-8"?>\n<!DOCTYPE fontconfig SYSTEM "fonts.dtd">\n<fontconfig>\n  <alias>\n    <family>serif</family>\n    <prefer>\n      <family>Noto Color Emoji</family>\n    </prefer>\n  </alias>\n  <alias>\n    <family>sans-serif</family>\n    <prefer>\n      <family>Noto Color Emoji</family>\n    </prefer>\n  </alias>\n  <alias>\n    <family>monospace</family>\n    <prefer>\n      <family>Noto Color Emoji</family>\n    </prefer>\n  </alias>\n</fontconfig>' > /home/"$USER"/.config/fontconfig/fonts.conf

Feito isso, falta apenas atualizar o cache das fontes com o comando abaixo:

sudo fc-cache -f

O quê fizemos até agora já é o suficiente para resolver o problema no Chromium e Google Chrome. Caso os emojis não tenham voltado ao normal no Firefox, será necessário um passo extra.

Para resolver o bug no Firefox, de acordo com a sua distro, copie e cole o seguinte comando no seu terminal:

Linux Mint, Ubuntu e derivados:

sudo rm -r /usr/share/fonts/truetype/dejavu

Manjaro, Arch Linux e derivados:

sudo rm /usr/share/fonts/TTF/Deja*.ttf

Fedora:

sudo rm -r /usr/share/fonts/dejavu

Open SUSE e derivados:

sudo rm /usr/share/fonts/truetype/Deja*.ttf

Pronto! Agora apenas reinicie o seu navegador, e aproveite para usar os seus emojis o quanto quiser!

Você gosta de Linux e tecnologia? Tem alguma dúvida ou problema que não consegue resolver? Venha fazer parte da nossa comunidade no Diolinux Plus

Por hoje é tudo pessoal! :)

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Twinux - Um Cliente de Twitter WebApp para Linux

Nenhum comentário

quinta-feira, 29 de agosto de 2019

Eu adoro o sistema de WebApps do Chrome, uso muitas aplicações dessa forma, o Trello, o Messenger do Facebook, o Google Agenda, o Google Keep, o WhatsApp, o Evernote, e entre muitos outros, o Twitter também, mas e se você quiser usar WebApps sem usar o Google Chrome diretamente, ou quiser ter mais de duas contas logadas ao mesmo tempo?

Clientes de Twitter para Linux






Ao começar a usar o Twinux (Twitter+Linux, muito provavelmente), logo percebi em que circunstância ele poderia ser útil. Caso você tenha mais de uma conta no Twitter e não gosta do visual de ferramentas como o TweetDeck, soluções assim pode ser bem úteis, sobretudo se você não tem a possibilidade de criar WebApps, seja com o Chrome, seja com o ICE.

Tão simples quanto parece


O desenvolvedor do aplicativo fez um trabalho relativamente simples, usou técnicas que já conhecemos de vários outros Apps e embutiu o WebApp do Twitter no aplicativo. Esse tipo de construção faz com que somente o básico de uma engine de navegador rode em background, permitindo que a página seja exibida.

Infelizmente o Twinux não tem maiores integrações ainda, como um ícone na Tray do sistema, por hora ele funciona como qualquer um dos muitos WebApps que eu tenho instalado, com a diferença de que ele é independente do meu navegador, e por isso, ocupa mais espaço em disco.

Twitter

Na imagem acima você pode ver o WebApp do Twitter que eu regularmente uso e o Twinux, logo ao lado, cada qual logado em uma conta diferente, o que faz com que eu não precise ficar alternando dentro da conta do Twitter e receba as notificações de cada de forma individual.

Se ao contrário de mim, você só tem uma conta no Twitter e usa o Google Chrome, recomendo que simplesmente crie o WebApp, é muito mais prático e é um App a menos para instalar.

Basta fazer o seguinte:

1 - Acesse a página no Twitter pelo seu Google Chrome/Chromium;
2 - Clique no menu do Chrome (aquele com três bolinhas);
3 - Vá até o menu "Mais ferramentas";
4 - Clique em "Criar atalho...";
5 - Na janela que se abrir, ajuste o nome do App, caso necessário e marque a opção de "abrir em uma janela".

Na prática, será o mesmo que o Twinux faz, se você usa outro navegador que não tem esse suporte, então essa ferramenta pode ser interessante.

O Twinux está disponível para Linux via Snap:



Falando em Twitter, aproveite para seguir os redadores do blog nessa rede social:

@blogdiolinux
@dionatanvs
@CanalOCaradoTI
@henriquead7

Tem alguma dica que gostaria de compartilhar? Conhece uma solução melhor para acessar o Twitter pelo Desktop Linux? Deixe o seu comentário logo abaixo, vamos adorar saber! :)

Considere também participar do nosso fórum, é completamente grátis.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Google Chrome ganhará melhor gerenciamento de energia

Nenhum comentário

terça-feira, 20 de agosto de 2019

Um projeto em pleno desenvolvimento sempre tende a obter melhores resultados, seja com refatorações de código, adições ou até mesmo mudanças. Algo “na ativa” dificilmente regride em sua performance e demais aspectos, a não ser por alguma situação muito específica ou por mudanças de liderança.

google-chromium-chrome-edge-microsoft-browser-navegador-web-app-linux-windows

Há pouco tempo abordamos a possibilidade da chegada do Microsoft Edge para Linux, o browser da Microsoft agora compartilha a mesma base de outros. O Chromium é um projeto open source e que serve de alicerce para diversos navegadores, e a Google sem dúvidas é a mais famosa de todos. Possuindo a mesma base, inevitavelmente uma hora ou outra ambas empresas, Microsoft e Google, seriam beneficiadas com código e modificações, mesmo concorrendo com seus produtos.

Recentemente a Microsoft indicou que os navegadores baseados em Chromium poderiam ser mais eficientes, e nas últimas semanas passou a pôr na prática e aperfeiçoar alguns aspectos do Edge. Obviamente, que essas mudanças são para benefício próprio, entretanto, o Google Chrome também sai ganhando com isso.

Com toda descrição sobre como obter maior economia de bateria, a MS revelou os passos necessários para esse maior gerenciamento em sua página do Github. Então, a Google passa a testar essas implementações em seu navegador na versão Canary. As modificações sugeridas pela Microsoft prometem menor consumo de energia.

"Como o consumo de mídia é um cenário de alto uso, esse uso extra de energia tem um impacto negativo na vida útil da bateria. Essa alteração impedirá o armazenamento em cache de determinado conteúdo de mídia em disco com a finalidade de melhorar a vida útil da bateria dos usuários", declarou Shawn Pickett, engenheiro sênior de software da Microsoft. 

Basicamente durante atividades, como o consumo de streaming multimídia, os dados escritos em disco serão reduzidos e alocados para memória do dispositivo. Além de ser mais eficiente, o recurso permite menor consumo energético, exigindo menos do hardware. Algo simples, mas que pode fazer toda diferença. Agora nos resta esperar a versão final do Google Chrome, com tais melhorias.

É curioso pensar que a Microsoft, depois de ser veterana na “Guerra dos Browsers” iria auxiliar uma empresa rival, mesmo que direta ou indiretamente. Isso só evidencia a mudança de postura da empresa nos últimos anos. Ponto para o CEO da empresa, Satya Nadella, que vem desempenhando um ótimo trabalho na gigante do Vale do Silício.

E você, utiliza o Google Chrome em notebooks? Economia de bateria nunca é demais (😁️😁️😁️).

Faça parte de nosso fórum Diolinux Plus, e fique por dentro das novidades.

Até o próximo post, SISTEMATICAMENTE! 😎

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Google mais rígida com as regras para extensões do Chrome

Nenhum comentário

terça-feira, 30 de julho de 2019

A poderosa Google, por meio do Projeto Strobe, vem revisando o acesso de desenvolvedores e suas extensões de terceiros a dados pessoais. No mês de Maio, medidas contra táticas de instalação fraudulentas foram anunciadas, e tais políticas entrariam em vigor em Outubro.

google-chrome-extensão-regras-segurança

Na terça, dia 23 de Julho, foram anunciadas duas novas políticas da Chrome Web Store. Os desenvolvedores que quiserem manter suas extensões na loja da Google, necessariamente terão que se enquadrar nas novas diretrizes até o final do ano. Por exemplo, no passado os desenvolvedores apenas eram incentivados a solicitar a menor quantidade de acesso de dados para suas extensões. Com a nova regra, todas as extensões de terceiros serão obrigadas a utilizar o mínimo desse acesso de dados. A medida visa combater extensões abusivas que capturam dados demasiados com outras finalidades. Outro aspecto é que extensões de terceiros ao utilizarem dados com foco em comunicações pessoais e conteúdo fornecido pelo usuário, devem publicar políticas de privacidade. Anteriormente apenas os complementos do Chrome que manipulam esses tipos de dados cumpria tal regra.

“É claro que as extensões devem continuar a ser transparentes na forma como lidam com os dados do usuário, divulgando a coleta, o uso e o compartilhamento desses dados.”, diz a postagem sobre as novas políticas. 

Informações com a data para regularização das extensões de terceiros também foram estipuladas.

“Depois de 15 de outubro de 2019, os itens que violarem essas atualizações da política de dados do usuário serão removidos ou rejeitados do Web Store e deverão se tornar compatíveis para serem restabelecidos. Continuaremos a tomar medidas sobre violações da Política de dados do usuário em sua forma atual”.

A Google também forneceu algumas diretrizes aos desenvolvedores que auditam suas extensões em seu navegador. Para mais detalhes acesse o comunicado oficial no blog do Chromium

Se você pretende desenvolver alguma extensão para o Google Chrome, talvez seja interessante a leitura de alguns requisitos exigidos pela empresa, segue o link.

Participe de nossa comunidade e fique por dentro das novidades.

Até o próximo post, SISTEMATICAMENTE! 😎

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Dash to Panel recebe update com melhorias e correções

Nenhum comentário

sexta-feira, 26 de julho de 2019

A customização no mundo Linux é uma das coisas que mais atrai a galera que prefere ter o sistema com a “sua cara”, assim dando toques que podem torná-lo único. Para quem usa o Gnome-Shell, isso não seria diferente. 


Dash to Panel recebe update com melhorias e correções







Muitos não gostam da proposta do GNOME “puro” (Vanilla) ou das distros que modificam ele, como Ubuntu, ZorinOS, Pop!_OS entre outras. Umas das extensões que é mais usada para tal modificação, é a dash to panel. Extensão essa que unifica outras duas, a GNOME Shell Dash e o GNOME Top Bar, assim entregando todos os recursos dessas extensões em uma única barra.





As melhorias apresentadas na versão 20 do dash to panel, são:

● Fornecida uma variedade de estilos para as janelas de prévisualização, como o tamanho, preenchimento, opacidade, localização de botão, visibilidade do cabeçalho e estilo da fonte;

● Possibilidade de adicionar atalhos ao menu de contexto no botão de Mostrar Aplicativos;

● O Windows Preview tem a escala e tamanha de forma dinâmica nas thumbnails em vez de ter um tamanho fixo nelas.

● Opção para ocultar as opções dos aplicativos em execução

● Melhor compatibilidade com o Gnome 3.32

Para mais detalhes, você pode consultar a release deles aqui.

Por hora, a versão 20 ainda não foi liberada no Gnome Extensions, mas quando for, e se você estiver com a extensão instalada, vai receber o aviso de update.

Mas se você quiser testar antes, basta baixar o ZIP e extrair nesse caminho:

/home/user/.local/share/gnome-shell/extensions

Onde está o user, você coloca o nome do seu usuário do sistema. Depois, para gerenciar a extensão instalada, basta utilizar o “Ajustes”, caso não o tenha instalado, basta procurar na loja (Gnome Software ou Ubuntu Software).

Se você quiser instalar a versão 19, basta acessar a page da dash to dock no Gnome Extensions, e habilitar. 

Para instalar as extensões via navegador, você vai precisar do complemento para isso, possuindo versões para o  Chrome e Firefox. Se precisar de mais formas de instalação, basta acessar esse guia deles.

Temos um tutorial bem bacana feito pelo meu amigo Henrique, do canal OSistemático, de como personalizar o dash to panel.
Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum.

Espero você até a próxima, um forte abraço.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Google lança o Chrome OS 75, com novidades para os apps Linux e na segurança do sistema

Nenhum comentário

sexta-feira, 28 de junho de 2019

O Google desenvolve o ChromeOS, o seu sistema operacional baseado em Linux, que é embarcado em chromebooks de empresas como Dell, Asus, Lenovo, Acer, HP, Samsung. E a empresa de Mountain View lançou mais uma release do seu sistema.

Google lança o Chrome OS 75, com novidades para os apps Linux e na segurança do sistema





O ChromeOS 75 chegou ao canal estável, na versão 75.0.3770.102, com algumas novidades para os aplicativos Linux, melhorias no aplicativo Arquivos. 

Nesta versão, foi apresentada uma nova funcionalidade para o “Controle de Pais”, onde vai ser possível limitar o tempo gasto das crianças no ChromeOS

Ainda que em fase Beta, o suporte de aplicativos desenvolvidos para Linux no ChromeOS vem se desenvolvendo rapidamente. Antes já se podia rodar alguns programas, como GIMP, agora os apps poderão acessar os dispositivos Android através de uma conexão USB.

Outro que recebeu melhorias, foi o aplicativo Arquivos, que agora tem suporte para aplicativos de arquivos fornecidos por terceiros. Foi utilizado APIs do Android DocumentsProvider.

Na parte de segurança, o ChromeOS 75 trouxe várias mitigações no quesito vulnerabilidades de hardware Intel MDS (Microarchitectural Data Sampling). Em seu documento de suporte, o Google explica como funciona o MDS:

O Microarchitectural Data Sampling (MDS) é um grupo de vulnerabilidades que permite que um invasor leia dados potencialmente confidenciais. Se os processos do Chrome forem atacados, esses dados confidenciais podem incluir o conteúdo do site, bem como senhas, números de cartão de crédito ou cookies. As vulnerabilidades também podem ser exploradas para ler a memória do host de dentro de uma máquina virtual ou para um aplicativo Android ler a memória de processo privilegiada (por exemplo, keymaster).”

Neste documento, eles listam os dispositivos afetados e mais detalhes técnicos. Se você quiser conferir, pode acessar ele através deste link.
Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum.

Espero você até a próxima, um forte abraço.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Google lança extensão Suspicious Site Reporter para o Google Chrome

Nenhum comentário

quinta-feira, 20 de junho de 2019

O Google lançou nesta quarta-feira (19) uma extensão para garantir que a sua navegação na internet fique mais segura. A extensão ajuda a sinalizar sites suspeitos e que não foram “pegos” nos rastreios automáticos que já são feitos no Safe Browsing.


Google lança extensão Suspicious Site Reporter para o Google Chrome






O nome da extensão é Suspicious Site Reporter e com ela você tem um ícone de uma bandeira, que fica no mesmo espaço que aparece as outras extensões instaladas. Essa bandeira muda conforme você visita os sites. A bandeira só fica verde, se o site estiver o TOP 5000 do Google. Se a bandeira ficar laranja ou “amarela”, pode ser que o site ainda não esteja nesta lista (caso do Diolinux) ou que o site tem algum aviso.




Além desta extensão, a versão 75 do Google Chrome, vai vir com um sistema que você não entre em sites enganosos, como por exemplo, digitar “go0gle.com” em vez do “google.com”. Assim que o site for carregado, o navegador emitirá um aviso de tela inteira.



Para conferir o post de lançamento da extensão, basta acessar este link. Para baixar a extensão, pode acessar este link.

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum.

Espero você até a próxima, um forte abraço.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Novo Mozilla Firefox 67 chega prometendo ser no mínimo 40% mais rápido

Nenhum comentário

quinta-feira, 23 de maio de 2019

O Mozilla Firefox se tornou uma opção muito viável na época em que o Internet Explorer “reinava” no quesito navegadores (Browser) e logo tinha se tornado líder nesse segmento. Mas com o lançamento do Google Chrome, ele perdeu espaço e caiu no ranking. Mas hoje está na segunda colocação, só atrás do navegador do Google. Mas a Mozilla quer mudar isso.

Novo Mozilla Firefox 67 chega prometendo ser no mínimo 40% mais rápido







Desde o lançamento da plataforma Quantum, o Mozilla Firefox vem recebendo várias melhorias no desempenho e performance de como carregar as páginas da internet. Além de proteger a privacidade dos seus usuários, com o lançamento de ferramentas complementares, como o Facebook Container, Firefox Monitor e o Firefox Send (esses dois últimos com cobertura aqui no blog). Sendo o foco principal da plataforma Quantum, velocidade, privacidade e segurança.

Algumas novidades da versão 67…


- Priorizar recursos essenciais : Foram priorizados recursos que realmente são necessários para carregar sites como Instagram, Google, Amazon e afins mais rapidamente. Isso graças a modificação de prioridade no setTimeout;

- Suspensão de abas ociosas: Muito comum em quem abre “zilhões” de abas, é notável a queda de performance do pc, além de “lotar” a memória ram. Agora o Firefox detectará quanto de memória RAM ainda você tem sobrando, e se ela chegar aos 400MB, o navegador vai suspender as abas que você não “dá atenção” à muito tempo;

- Navegador personalizado: Para quem personaliza o Firefox com complementos e temas, a nova versão vai melhorar a abertura deles, assim “descartando” processos desnecessários.

          

Confira todas as melhorias e novidades aqui e aqui.

A versão 67 do Mozilla Firefox está disponível para Linux, Windows, macOS e Android. Para a versão de Linux, você pode esperar a sua distro disponibilizar via update, ou baixar através dos pacotes tar.bz2 ou via snap. Se o seu sistema não tem suporte ao Snap, confira este nosso artigo  mostrando como habilitar ele.



Nos meus testes, o novo Mozilla Firefox se comportou muito bem, abrindo sites como YouTube, Facebook, Twitter e Twitch de forma muito mais rápida que a versão anterior e em alguns casos mais rápido que o Google Chrome.

Deixe aí nos comentários, se você já recebeu a nova versão do Firefox e o que está achando.

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá  no nosso fórum.

Espero você até a próxima, um forte abraço.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo