Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador google chrome. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador google chrome. Mostrar todas as postagens

Twinux - Um Cliente de Twitter WebApp para Linux

Nenhum comentário

quinta-feira, 29 de agosto de 2019

Eu adoro o sistema de WebApps do Chrome, uso muitas aplicações dessa forma, o Trello, o Messenger do Facebook, o Google Agenda, o Google Keep, o WhatsApp, o Evernote, e entre muitos outros, o Twitter também, mas e se você quiser usar WebApps sem usar o Google Chrome diretamente, ou quiser ter mais de duas contas logadas ao mesmo tempo?

Clientes de Twitter para Linux






Ao começar a usar o Twinux (Twitter+Linux, muito provavelmente), logo percebi em que circunstância ele poderia ser útil. Caso você tenha mais de uma conta no Twitter e não gosta do visual de ferramentas como o TweetDeck, soluções assim pode ser bem úteis, sobretudo se você não tem a possibilidade de criar WebApps, seja com o Chrome, seja com o ICE.

Tão simples quanto parece


O desenvolvedor do aplicativo fez um trabalho relativamente simples, usou técnicas que já conhecemos de vários outros Apps e embutiu o WebApp do Twitter no aplicativo. Esse tipo de construção faz com que somente o básico de uma engine de navegador rode em background, permitindo que a página seja exibida.

Infelizmente o Twinux não tem maiores integrações ainda, como um ícone na Tray do sistema, por hora ele funciona como qualquer um dos muitos WebApps que eu tenho instalado, com a diferença de que ele é independente do meu navegador, e por isso, ocupa mais espaço em disco.

Twitter

Na imagem acima você pode ver o WebApp do Twitter que eu regularmente uso e o Twinux, logo ao lado, cada qual logado em uma conta diferente, o que faz com que eu não precise ficar alternando dentro da conta do Twitter e receba as notificações de cada de forma individual.

Se ao contrário de mim, você só tem uma conta no Twitter e usa o Google Chrome, recomendo que simplesmente crie o WebApp, é muito mais prático e é um App a menos para instalar.

Basta fazer o seguinte:

1 - Acesse a página no Twitter pelo seu Google Chrome/Chromium;
2 - Clique no menu do Chrome (aquele com três bolinhas);
3 - Vá até o menu "Mais ferramentas";
4 - Clique em "Criar atalho...";
5 - Na janela que se abrir, ajuste o nome do App, caso necessário e marque a opção de "abrir em uma janela".

Na prática, será o mesmo que o Twinux faz, se você usa outro navegador que não tem esse suporte, então essa ferramenta pode ser interessante.

O Twinux está disponível para Linux via Snap:



Falando em Twitter, aproveite para seguir os redadores do blog nessa rede social:

@blogdiolinux
@dionatanvs
@CanalOCaradoTI
@henriquead7

Tem alguma dica que gostaria de compartilhar? Conhece uma solução melhor para acessar o Twitter pelo Desktop Linux? Deixe o seu comentário logo abaixo, vamos adorar saber! :)

Considere também participar do nosso fórum, é completamente grátis.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Google Chrome ganhará melhor gerenciamento de energia

Nenhum comentário

terça-feira, 20 de agosto de 2019

Um projeto em pleno desenvolvimento sempre tende a obter melhores resultados, seja com refatorações de código, adições ou até mesmo mudanças. Algo “na ativa” dificilmente regride em sua performance e demais aspectos, a não ser por alguma situação muito específica ou por mudanças de liderança.

google-chromium-chrome-edge-microsoft-browser-navegador-web-app-linux-windows

Há pouco tempo abordamos a possibilidade da chegada do Microsoft Edge para Linux, o browser da Microsoft agora compartilha a mesma base de outros. O Chromium é um projeto open source e que serve de alicerce para diversos navegadores, e a Google sem dúvidas é a mais famosa de todos. Possuindo a mesma base, inevitavelmente uma hora ou outra ambas empresas, Microsoft e Google, seriam beneficiadas com código e modificações, mesmo concorrendo com seus produtos.

Recentemente a Microsoft indicou que os navegadores baseados em Chromium poderiam ser mais eficientes, e nas últimas semanas passou a pôr na prática e aperfeiçoar alguns aspectos do Edge. Obviamente, que essas mudanças são para benefício próprio, entretanto, o Google Chrome também sai ganhando com isso.

Com toda descrição sobre como obter maior economia de bateria, a MS revelou os passos necessários para esse maior gerenciamento em sua página do Github. Então, a Google passa a testar essas implementações em seu navegador na versão Canary. As modificações sugeridas pela Microsoft prometem menor consumo de energia.

"Como o consumo de mídia é um cenário de alto uso, esse uso extra de energia tem um impacto negativo na vida útil da bateria. Essa alteração impedirá o armazenamento em cache de determinado conteúdo de mídia em disco com a finalidade de melhorar a vida útil da bateria dos usuários", declarou Shawn Pickett, engenheiro sênior de software da Microsoft. 

Basicamente durante atividades, como o consumo de streaming multimídia, os dados escritos em disco serão reduzidos e alocados para memória do dispositivo. Além de ser mais eficiente, o recurso permite menor consumo energético, exigindo menos do hardware. Algo simples, mas que pode fazer toda diferença. Agora nos resta esperar a versão final do Google Chrome, com tais melhorias.

É curioso pensar que a Microsoft, depois de ser veterana na “Guerra dos Browsers” iria auxiliar uma empresa rival, mesmo que direta ou indiretamente. Isso só evidencia a mudança de postura da empresa nos últimos anos. Ponto para o CEO da empresa, Satya Nadella, que vem desempenhando um ótimo trabalho na gigante do Vale do Silício.

E você, utiliza o Google Chrome em notebooks? Economia de bateria nunca é demais (😁️😁️😁️).

Faça parte de nosso fórum Diolinux Plus, e fique por dentro das novidades.

Até o próximo post, SISTEMATICAMENTE! 😎

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Google mais rígida com as regras para extensões do Chrome

Nenhum comentário

terça-feira, 30 de julho de 2019

A poderosa Google, por meio do Projeto Strobe, vem revisando o acesso de desenvolvedores e suas extensões de terceiros a dados pessoais. No mês de Maio, medidas contra táticas de instalação fraudulentas foram anunciadas, e tais políticas entrariam em vigor em Outubro.

google-chrome-extensão-regras-segurança

Na terça, dia 23 de Julho, foram anunciadas duas novas políticas da Chrome Web Store. Os desenvolvedores que quiserem manter suas extensões na loja da Google, necessariamente terão que se enquadrar nas novas diretrizes até o final do ano. Por exemplo, no passado os desenvolvedores apenas eram incentivados a solicitar a menor quantidade de acesso de dados para suas extensões. Com a nova regra, todas as extensões de terceiros serão obrigadas a utilizar o mínimo desse acesso de dados. A medida visa combater extensões abusivas que capturam dados demasiados com outras finalidades. Outro aspecto é que extensões de terceiros ao utilizarem dados com foco em comunicações pessoais e conteúdo fornecido pelo usuário, devem publicar políticas de privacidade. Anteriormente apenas os complementos do Chrome que manipulam esses tipos de dados cumpria tal regra.

“É claro que as extensões devem continuar a ser transparentes na forma como lidam com os dados do usuário, divulgando a coleta, o uso e o compartilhamento desses dados.”, diz a postagem sobre as novas políticas. 

Informações com a data para regularização das extensões de terceiros também foram estipuladas.

“Depois de 15 de outubro de 2019, os itens que violarem essas atualizações da política de dados do usuário serão removidos ou rejeitados do Web Store e deverão se tornar compatíveis para serem restabelecidos. Continuaremos a tomar medidas sobre violações da Política de dados do usuário em sua forma atual”.

A Google também forneceu algumas diretrizes aos desenvolvedores que auditam suas extensões em seu navegador. Para mais detalhes acesse o comunicado oficial no blog do Chromium

Se você pretende desenvolver alguma extensão para o Google Chrome, talvez seja interessante a leitura de alguns requisitos exigidos pela empresa, segue o link.

Participe de nossa comunidade e fique por dentro das novidades.

Até o próximo post, SISTEMATICAMENTE! 😎

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Dash to Panel recebe update com melhorias e correções

Nenhum comentário

sexta-feira, 26 de julho de 2019

A customização no mundo Linux é uma das coisas que mais atrai a galera que prefere ter o sistema com a “sua cara”, assim dando toques que podem torná-lo único. Para quem usa o Gnome-Shell, isso não seria diferente. 


Dash to Panel recebe update com melhorias e correções







Muitos não gostam da proposta do GNOME “puro” (Vanilla) ou das distros que modificam ele, como Ubuntu, ZorinOS, Pop!_OS entre outras. Umas das extensões que é mais usada para tal modificação, é a dash to panel. Extensão essa que unifica outras duas, a GNOME Shell Dash e o GNOME Top Bar, assim entregando todos os recursos dessas extensões em uma única barra.





As melhorias apresentadas na versão 20 do dash to panel, são:

● Fornecida uma variedade de estilos para as janelas de prévisualização, como o tamanho, preenchimento, opacidade, localização de botão, visibilidade do cabeçalho e estilo da fonte;

● Possibilidade de adicionar atalhos ao menu de contexto no botão de Mostrar Aplicativos;

● O Windows Preview tem a escala e tamanha de forma dinâmica nas thumbnails em vez de ter um tamanho fixo nelas.

● Opção para ocultar as opções dos aplicativos em execução

● Melhor compatibilidade com o Gnome 3.32

Para mais detalhes, você pode consultar a release deles aqui.

Por hora, a versão 20 ainda não foi liberada no Gnome Extensions, mas quando for, e se você estiver com a extensão instalada, vai receber o aviso de update.

Mas se você quiser testar antes, basta baixar o ZIP e extrair nesse caminho:

/home/user/.local/share/gnome-shell/extensions

Onde está o user, você coloca o nome do seu usuário do sistema. Depois, para gerenciar a extensão instalada, basta utilizar o “Ajustes”, caso não o tenha instalado, basta procurar na loja (Gnome Software ou Ubuntu Software).

Se você quiser instalar a versão 19, basta acessar a page da dash to dock no Gnome Extensions, e habilitar. 

Para instalar as extensões via navegador, você vai precisar do complemento para isso, possuindo versões para o  Chrome e Firefox. Se precisar de mais formas de instalação, basta acessar esse guia deles.

Temos um tutorial bem bacana feito pelo meu amigo Henrique, do canal OSistemático, de como personalizar o dash to panel.
Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum.

Espero você até a próxima, um forte abraço.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Google lança o Chrome OS 75, com novidades para os apps Linux e na segurança do sistema

Nenhum comentário

sexta-feira, 28 de junho de 2019

O Google desenvolve o ChromeOS, o seu sistema operacional baseado em Linux, que é embarcado em chromebooks de empresas como Dell, Asus, Lenovo, Acer, HP, Samsung. E a empresa de Mountain View lançou mais uma release do seu sistema.

Google lança o Chrome OS 75, com novidades para os apps Linux e na segurança do sistema





O ChromeOS 75 chegou ao canal estável, na versão 75.0.3770.102, com algumas novidades para os aplicativos Linux, melhorias no aplicativo Arquivos. 

Nesta versão, foi apresentada uma nova funcionalidade para o “Controle de Pais”, onde vai ser possível limitar o tempo gasto das crianças no ChromeOS

Ainda que em fase Beta, o suporte de aplicativos desenvolvidos para Linux no ChromeOS vem se desenvolvendo rapidamente. Antes já se podia rodar alguns programas, como GIMP, agora os apps poderão acessar os dispositivos Android através de uma conexão USB.

Outro que recebeu melhorias, foi o aplicativo Arquivos, que agora tem suporte para aplicativos de arquivos fornecidos por terceiros. Foi utilizado APIs do Android DocumentsProvider.

Na parte de segurança, o ChromeOS 75 trouxe várias mitigações no quesito vulnerabilidades de hardware Intel MDS (Microarchitectural Data Sampling). Em seu documento de suporte, o Google explica como funciona o MDS:

O Microarchitectural Data Sampling (MDS) é um grupo de vulnerabilidades que permite que um invasor leia dados potencialmente confidenciais. Se os processos do Chrome forem atacados, esses dados confidenciais podem incluir o conteúdo do site, bem como senhas, números de cartão de crédito ou cookies. As vulnerabilidades também podem ser exploradas para ler a memória do host de dentro de uma máquina virtual ou para um aplicativo Android ler a memória de processo privilegiada (por exemplo, keymaster).”

Neste documento, eles listam os dispositivos afetados e mais detalhes técnicos. Se você quiser conferir, pode acessar ele através deste link.
Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum.

Espero você até a próxima, um forte abraço.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Google lança extensão Suspicious Site Reporter para o Google Chrome

Nenhum comentário

quinta-feira, 20 de junho de 2019

O Google lançou nesta quarta-feira (19) uma extensão para garantir que a sua navegação na internet fique mais segura. A extensão ajuda a sinalizar sites suspeitos e que não foram “pegos” nos rastreios automáticos que já são feitos no Safe Browsing.


Google lança extensão Suspicious Site Reporter para o Google Chrome






O nome da extensão é Suspicious Site Reporter e com ela você tem um ícone de uma bandeira, que fica no mesmo espaço que aparece as outras extensões instaladas. Essa bandeira muda conforme você visita os sites. A bandeira só fica verde, se o site estiver o TOP 5000 do Google. Se a bandeira ficar laranja ou “amarela”, pode ser que o site ainda não esteja nesta lista (caso do Diolinux) ou que o site tem algum aviso.




Além desta extensão, a versão 75 do Google Chrome, vai vir com um sistema que você não entre em sites enganosos, como por exemplo, digitar “go0gle.com” em vez do “google.com”. Assim que o site for carregado, o navegador emitirá um aviso de tela inteira.



Para conferir o post de lançamento da extensão, basta acessar este link. Para baixar a extensão, pode acessar este link.

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum.

Espero você até a próxima, um forte abraço.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Novo Mozilla Firefox 67 chega prometendo ser no mínimo 40% mais rápido

Nenhum comentário

quinta-feira, 23 de maio de 2019

O Mozilla Firefox se tornou uma opção muito viável na época em que o Internet Explorer “reinava” no quesito navegadores (Browser) e logo tinha se tornado líder nesse segmento. Mas com o lançamento do Google Chrome, ele perdeu espaço e caiu no ranking. Mas hoje está na segunda colocação, só atrás do navegador do Google. Mas a Mozilla quer mudar isso.

Novo Mozilla Firefox 67 chega prometendo ser no mínimo 40% mais rápido







Desde o lançamento da plataforma Quantum, o Mozilla Firefox vem recebendo várias melhorias no desempenho e performance de como carregar as páginas da internet. Além de proteger a privacidade dos seus usuários, com o lançamento de ferramentas complementares, como o Facebook Container, Firefox Monitor e o Firefox Send (esses dois últimos com cobertura aqui no blog). Sendo o foco principal da plataforma Quantum, velocidade, privacidade e segurança.

Algumas novidades da versão 67…


- Priorizar recursos essenciais : Foram priorizados recursos que realmente são necessários para carregar sites como Instagram, Google, Amazon e afins mais rapidamente. Isso graças a modificação de prioridade no setTimeout;

- Suspensão de abas ociosas: Muito comum em quem abre “zilhões” de abas, é notável a queda de performance do pc, além de “lotar” a memória ram. Agora o Firefox detectará quanto de memória RAM ainda você tem sobrando, e se ela chegar aos 400MB, o navegador vai suspender as abas que você não “dá atenção” à muito tempo;

- Navegador personalizado: Para quem personaliza o Firefox com complementos e temas, a nova versão vai melhorar a abertura deles, assim “descartando” processos desnecessários.

          

Confira todas as melhorias e novidades aqui e aqui.

A versão 67 do Mozilla Firefox está disponível para Linux, Windows, macOS e Android. Para a versão de Linux, você pode esperar a sua distro disponibilizar via update, ou baixar através dos pacotes tar.bz2 ou via snap. Se o seu sistema não tem suporte ao Snap, confira este nosso artigo  mostrando como habilitar ele.



Nos meus testes, o novo Mozilla Firefox se comportou muito bem, abrindo sites como YouTube, Facebook, Twitter e Twitch de forma muito mais rápida que a versão anterior e em alguns casos mais rápido que o Google Chrome.

Deixe aí nos comentários, se você já recebeu a nova versão do Firefox e o que está achando.

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá  no nosso fórum.

Espero você até a próxima, um forte abraço.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Extensão da Google oculta comentários tóxicos da internet

Nenhum comentário

quinta-feira, 21 de março de 2019

Na internet é comum vermos os famosos haters, que significa: “um ser mal amado, invejoso, que não tem mais nada de bom para fazer, que persegue e tece comentários tóxicos não agregando em nada” (😓😞😒), digamos que não seja esse o significado literal, mas creio que você entendeu a lógica da coisa, isso se é possível entender uma mente “tão evoluída”. Nos tempos atuais ficou cômodo apontar os defeitos, ou simplesmente distribuir ódio gratuitamente e convenhamos, atrás de uma tela todo hater é “machão”, mas Cara a Cara, é um singelo e delicado poodle. (😁😁😁)

google-chrome-tune-extensão-hater-comentário

Visando uma experiência de navegação mais saudável, a Google está desenvolvendo uma extensão para seu navegador Google Chrome, que permite ocultar certos tipos de comentários, com filtros moderados ou a invisibilidade completa deste tipo de conteúdo.

Também existe o modo oposto, que dá foco a esse tipo de mensagem, entretanto não é algo recomendável, aliás os haters são especialistas em destruir, e abster-se de tais coisas é o melhor a se fazer. 

O foco da extensão são nos 4 sites mais utilizados no mundo: Youtube, Twitter, Facebook e Reddit e o Disqus, a mesma plataforma centralizada de discussões que utilizamos nos comentários do blog Diolinux. Não ficou claro se a Google pretende estender essa funcionalidade à outros sites, ou até mesmo, possibilitar a integração de tal extensão com outros browsers (creio que seja algo exclusivo do Chrome, porém isso é apenas uma especulação).

Chamado de “Tune”, a extensão ainda é experimental e conta apenas com suporte ao idioma Inglês, ao instalar em um navegador em língua portuguesa, o mesmo identifica todos os comentários como ofensivos, ocultando-os.

google-chrome-tune-extensão-hater-ocultar-comentário-toxico-youtube-facebook-twitter-reddit-disqus

Uma iniciativa da Google Jigsaw, uma unidade da Alphabet que foca na tecnologia para um mundo melhor, o Tune é parte de uma pesquisa de inteligência artificial, que utiliza-se da API Perspective, que aprende com conversas humanas e depois de analisá-las, chega a um resultado melhor, com isso a inteligência artificial consegue criar filtros e estipular quais são os comentários impróprios, com base em seu aprendizado. 

Outro ponto interessante, é que o Tune não armazena nenhum dado do usuário. Com seus modos de “proteção”, pode acabar se tornando um ótimo aliado para o uso de tais redes sociais por crianças, ou quem não quer perder tempo com comentários tóxicos.

Particularmente vejo com bons olhos iniciativas como essas, porém uma discussão que pode entrar em tópico é referente a liberdade de expressão de quem faz tais comentários, no entanto, perceba que os comentários permanecerão, a extensão apenas possibilita a não visualização deles, e se o tópico é liberdade, convenhamos que os usuários também têm o direito (à liberdade) de abster-se dos haters ou comentários inapropriados.

A internet é algo relativamente novo, e parece que a humanidade ainda não aprendeu a lidar com o mundo virtual, ética e respeito nem sempre permeiam os mares da web. 

E você o que achou disso tudo? Usaria a extensão quando a mesma estivesse pronta?

Continue a discussão sobre essa nova extensão do Google no nosso fórum Diolinux Plus, até a próxima postagem, e compartilhe o blog Diolinux, SISTEMATICAMENTE! 😎

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Economize internet com a extensão Bandwidth Hero

Nenhum comentário

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019

Nem todas as regiões do Brasil possuem conexão de internet com alta velocidade, e às vezes é comum a adesão em alguma banda larga 4G LTE, e nestes casos economizar o limite de tráfego de banda de internet é algo super importante, pois caso o limite da franquia seja alcançada, a internet pode diminuir drasticamente sua velocidade, ou até mesmo ficar temporariamente indisponível.

extensão-bandwidth-hero-economizar-internet-firefox-google-chrome

É aí que o Bandwidth Hero (“Herói da Banda Larga”) entra em ação, com essa extensão de código aberto e disponível para Google Chrome e Firefox, o fluxo dos dados podem diminuir, economizando sua franquia de internet

Seu funcionamento é bem simples, comprimindo as imagens dos sites que são acessados pelo usuário nos formatos WebP e JPEG. Ao navegar na web o Bandwidth Hero endereça as imagens dos sites visitados para seu servidor proxy, que compacta cada uma e envia em baixa resolução diretamente para você, essa técnica visa diminuir a qualidade da imagem e evitar o máximo do uso da sua banda larga, uma maneira interessante para quem sofre com essas limitações de internet.

funcionamento-extensão-bandwidth-hero-economizar-internet-firefox-google-chrome

Comprimindo as imagens em até 50 - 70% de seus tamanhos originais, no entanto, em alguns casos sua compressão é tão agressiva que imagens podem ficar em preto e branco, entre outras coisas, mas com as diversas configurações da extensão você pode resolver tais problemas facilmente, apenas desabilitando alguns recursos.

Outro ponto a ser observado é que o proxy não garante seu anonimato, ele faz o download de imagens em nome do usuário, passando os cookies e o endereço IP para o host de origem. 

Configurando o Bandwidth Hero no seu navegador


O serviço de proxy do Bandwidth Hero faz uso do Node.js, então vamos instalá-lo em nosso sistema (Ubuntu, Linux Mint e derivados):

sudo apt install nodejs

sudo apt install build-essential

Você pode utilizar a interface gráfica, caso não queira usar o terminal, basta fazer todo procedimento via Synaptic, pesquise e instale os pacotes: “node.js” e “build-essential”, aprenda a utilizar o Gerenciador de pacotes Synaptic, com esse vídeo super especial.

instalar-node.js-ubuntu-synaptic

Por se tratar de uma aplicação em Node.js, devemos hospedá-lo para correto funcionamento do servidor proxy, no entanto acalme-se, iremos usar o serviço gratuito Heroku (mesmo possuindo planos pagos, utilizaremos o free).

Efetue seu cadastro normalmente no serviço, e na opção “Primary development language”, selecione “Node.js”. Um link de confirmação será enviado para seu email.

hospedar-node.js-heroku-app

Configure sua senha de acesso ao Heroku, e acesse o serviço.

senha-heroku-cadastro-free-app-node

Adicione a extensão, conforme seu navegador:

Google Chrome

 Baixe a extensão para Google Chrome

Mozilla Firefox

 Baixe a extensão para Mozilla Firefox

Em seu navegador na parte superior direita irá aparecer o ícone do Bandwith Hero, clique nele, um pequeno pop-up surgirá, clique na opção “Compressions settings”, logo após em “Configure data compression service”, abrindo assim a janela de configuração.

config-extensão-bandwidth-hero-economizar-internet-firefox-google-chrome

Clique na opção “Heroku”, aparecerá um botão de nome “Deploy to Heroku”, clique nele e ao ser redirecionado para página do Heroku, efetue o login.

extensão-bandwidth-hero-economizar-internet-firefox-google-chrome

Configure seu app Node.js, preenchendo todos os campos, em “App name” tente uma combinação até ter um nome disponível, em “Choose a region” escolha “United States”, logo abaixo crie um LOGIN e PASSWORD para aplicação, ao finalizar clique em “Deploy app” e aguarde a conclusão do processo (pode demorar uns minutinhos).

extensão-bandwidth-hero-economizar-internet-firefox-google-chrome

Ao finalizar a compilação do app, aparecerá dois botões no final da página, clique em “View”, um pop-up solicitando LOGIN e PASSWORD aparecerá, digite ambos que acabou de criar.

deploy-app-heroku-nodejs

Uma nova página se abrirá, copie a URL.

url-node.js-heroku-app

Cole a URL no campo “Data Compression Service” na página de configuração do Bandwidth Hero, aquela que abrimos anteriormente após instalar a extensão.

extensão-bandwidth-hero-economizar-internet-firefox-google-chrome

Por fim veja a mágica acontecer, e a quantidade de MBs que serão “salvos” na sua franquia de internet. Por exemplo, aqui no blog Diolinux passamos a utilizar o formato Webp (indicado para imagens na web), e mesmo assim o Bandwidth Hero, comprimiu e conseguiu economizar 78% no resultado final .

resultado-compressão-imagens-extensão-bandwidth-hero-economizar-internet-firefox-google-chrome

Com essa extensão muitos poderão se beneficiar e prolongar sua franquia, seja ela 4G, ou como já fiz há alguns anos atrás, uma internet 3G por meio de um adaptador USB (Época que não tinha internet cabeada, recorrendo a boa e velha gambiarra com o 3G do meu celular  😂😂😂).

Gostou da dica? Deixe nos comentários se já conhecia essa solução.

Te espero como sempre, aqui no blog Diolinux, SISTEMATICAMENTE! 😎

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Dark Mode chega no Google Chrome para Android

Nenhum comentário
Recentemente a Google disponibilizou alguns temas para seu navegador Google Chrome, a novidade foi apenas para a versão desktop, porém, rumores indicam que a “gigante de Mountain View” está trabalhando num modo noturno para o desktop, não apenas os PCs convencionais ganharão o recurso, também contemplando sua versão mobile.

dark-mode-google-chrome-android-app

O modo escuro do Google Chrome Android ainda não foi lançado, mas através da sua versão canary, podemos ter uma breve noção de como está ficando, e para conferir o resultado desta opção é bem simples.

Conferindo o modo escuro do Google Chrome Android


A última versão do browser Google Chrome Canary para Android implementou timidamente o modo escuro, porém, para ativá-lo será necessário habilitar algumas flags, por se tratar de um recurso experimental, a Google não o usa ativo por padrão, entretanto, é apenas uma questão de tempo para que o recurso amadureça e chegue à versão estável do navegador. 

Pesquise na Google Play por google chrome canary e instale o App, tenha em mente que é uma versão instável do navegador, e eventuais erros podem acontecer com o app.

dark-mode-google-chrome-android-app-canary-instalar

Após baixar e instalar o app, abra-o e na barra de buscas e digite a seguinte flag:

chrome://flags

dark-mode-google-chrome-android-app-flags

Isso possibilitará o acesso às funções “escondidas” do aplicativo, agora no campo de buscas digite:

#enable-android-web-contents-dark-mode

dark-mode-google-chrome-android-app

Clique em cima da opção, mude o sinalizador que por padrão vem como “Default”, que atualmente desativa a função, para “Enabled”, clique em “Relaunch Now” e espere o aplicativo reiniciar.
dark-mode-google-chrome-android-app

Com o modo dark ativo, as páginas mudam sua coloração de branco para preto, particularmente senti que a cor era muito forte, talvez uma tonalidade escura sem necessariamente ser o “preto massivo” fique mais atraente, todavia, perceba que é algo experimental e quando ele for implementado na versão para o usuário final a equipe de design e desenvolvimento da Google lapidará esse recurso, juntamente com seu visual.

resultado-dark-mode-google-chrome-android-app

E você o que acha de modos escuros em aplicações? Em meu cotidiano sempre utilizo essa funcionalidade.

Você gostaria de um modo dark no Chrome? Ou quem sabe outro navegador como Firefox?

Nos vemos no próximo post, aqui no blog Diolinux, te aguardo, SISTEMATICAMENTE! 😎

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Adicione temas oficiais ao seu Google Chrome

Nenhum comentário

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019

Se tem uma coisa que a maioria dos usuários Linux gostam, é de customizar o sistema, talvez esse seja o primeiro encanto ao instalar uma distro, sair trocando os temas e personalizando com cores prediletas, pois bem, basicamente essa é a novidade para usuários de Google Chrome.

temas-google-chrome-personalizar

A possibilidade de trocar o tema do browser da Google não é nada novo, porém, nesta semana a gigante das buscas lançou um plugin com diversas opções de cores para o Chrome. A coleção de temas visa agradar a todos os públicos, seja quem curte uma interface mais clara e colorida, ou pessoas como eu, que dão preferência a interfaces mais escuras. Inclusive um dos temas, o “Just Black”, simula um visual mais noturno, ideal para quem passa as noites e madrugadas utilizando o computador.

tema-preto-escuro-google-chrome-

Num total são 14 temas compatíveis com todas as versões do navegador, para aplicar ao seu navegador basta ir até a Chrome Web Store, selecionar o tema favorito e clicar no botão “Usar no Chrome”, Simples e prático.

temas-google-chrome-oficial

Até o momento o tema agraciado por quem sabe da novidade é o “Classic Blue” com 75 usuários.

tema-azul-oficial-classico-google-chrome

Você utiliza o Google Chrome? Curtiu a novidade? Com os temas oficiais da Google a segurança de algo padronizado é maior. Deixe nos comentários o que achou da novidade.

Aguardo você no próximo post, aqui no blog Diolinux, SISTEMATICAMENTE! 😎

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Nova extensão do Google Chrome visa proteger suas contas

Nenhum comentário

terça-feira, 12 de fevereiro de 2019

O Google anunciou em seu blog de segurança, no dia 5 deste mês e que foi comemorado do “Dia Internacional da Internet Segura”, o lançamento  da extensão Google Password Checkup, que visa lhe ajudar para saber se alguma senha sua foi exposta na internet.

Nova extensão do Google Chrome visa proteger suas contas






Segundo o Google, o Password Checkup utiliza tecnologias que se baseiam na privacidade, isso quer dizer que a empresa não terá acesso às informações pessoais sensíveis dos usuários. As credenciais de login vão ser tratadas de forma criptografadas,tanto no site, quanto no navegador.

Esse novo serviço fará uma consulta a um banco de dados com mais de 4 bilhões de logins se senhas vazados, então, se o ícone do mesmo ficar vermelho, é melhor trocar a senha. A checagem do Google Password Checkup vai ser utilizada em uma gama bem grande de sites, não somente nos sites com vinculação com a conta Google.

O Google diz ainda que o serviço foi desenvolvido para não revelar usuários e senhas com pouca seguranças para os invasores e que também não gera alertas de senhas inseguras ou fracas, como “123456”. O alerta da extensão vai acontecer quando ela for consultar o banco de dados,  assim retornando se o login foi comprometido ou não.






A gigante de Moutain View ainda disse que o Password Checkup fará medições para fins estatísticos, mas com os dados sendo tratados de forma anônima. Isso indica que o Google vai ter acesso de quantas checagens foram feitas em logins vazados e qual proporção de usuários que logo após ver o alerta, mudaram a senha.



Para baixar o Google Password Check para o Google Chrome, basta acessar esse link.

A postagem completa e com maiores detalhes, você pode conferir no blog oficial de segurança do Google.

Espero você no próximo post, forte abraço.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Google Chrome vai avisar usuários sobre URLs suspeitas

Nenhum comentário

domingo, 3 de fevereiro de 2019

Em um mundo mais conectado e cada vez mais fazendo coisas do dia a dia via internet, como ouvir música, pedir comida, fazer pagamentos e ver filmes, sempre vai ter algum “engraçadinho” querendo roubar os nossos dados ou aplicar golpes. Pensando nisso,  a Google vem pensando em formas de evitar esse tipo de situação..

 Google Chrome vai avisar usuários sobre URLs suspeitas







Há um bom tempo a Google vem trabalhando em uma tecnologia muito parecida com “Você quis dizer?” nas pesquisas feitas no buscador da empresa.

Muitos vigaristas usam grafias muito parecidas com as usadas nos sites originais, como por exemplo paypall.com (falso) que se assemelha em muito ao original paypal.com ou usam sites com caracteres em Unicode para fazer hospedagem das páginas falsas e assim praticar o delito.

O recurso já existe há um certo tempo e vem sendo testado desde a versão 70 do Google Chrome Canary (versão Beta de testes do Google Chrome). O recurso pode ser ativado tanto pela versão normal do Chrome, quanto pela versão Canary, com a seguinte URL:

chrome://flags/#enable-lookalike-url-navigation-suggestions


Segundo os nossos testes, tanto na versão Beta, quanto na versão Stable, o recurso “pegou” a URL suspeita e nos deu a URL correta, que no caso do teste era a do PayPal.

No Google Chrome Beta
No Google Chrome Stable

Como ainda é um recurso relativamente novo, os engenheiros ainda devem estar implementando algumas funcionalidades, melhorando outras e corrigindo mais algumas antes de fazer o lançamento oficial, ainda sem data. 

Medidas como estas são muito importantes, especialmente para proteger os mais leigos e suscetíveis a esse tipo de assédio, com o recurso sendo implementado no navegador mais popular, provavelmente outros possam acabar seguindo o exemplo, o que beneficia a todos. 

Espero você no próximo post, forte abraço.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


“Ad block” nativo do Google Chrome tem data confirmada

Nenhum comentário

terça-feira, 22 de janeiro de 2019

Os bloqueadores de anúncio são utilizados em diversos navegadores, inclusive no Google Chrome, mas em sua maioria não são nativos e acabam prejudicando os produtores de conteúdo. Visando o benefício mútuo, a Google decidiu implementar uma maneira diferente ao bloquear propagandas da internet.

google-chrome-bloqueador-anúncios-propagandas

O bloqueador de propagandas do Google Chrome, não afetará os produtores de conteúdo, ao menos os que estiverem em normalidade com suas regras.

E quais tipos de propagandas serão bloqueados?


Formada pelas principais empresas de mídia online, a Coalition for Better Ads, depois de uma extensa pesquisa com mais de 66 mil consumidores, em países que representam 70% dos gastos com publicidade online. Elaborou um conjunto de regras com tipos de propagandas, que ao critério dos usuários são abusivas.

Essas regras têm como objetivo o aumento da comodidade ao navegar pela internet por parte dos usuários e ao mesmo tempo manter o sustento de sites que utilizam tais recursos.

Algo que os atuais bloqueadores não fazem, pois impedem qualquer tipo de propaganda, tanto as abusivas, quanto as aceitáveis.

Anúncios intrusivos como: Pop-ups, que contém reprodução automática de vídeo ou áudio, com contagem regressiva etc, serão bloqueados pelo “Ad block” nativo do Chrome. No total são 12 tipos de anúncios com experiência intrusiva.

exemplo-anúncio-desktop

O conjunto de regras também é válido para sites em dispositivos móveis, que além dos exemplos acima, costumam ter outros tipos adicionais de propagandas em sua experiência ao consumir conteúdo online. Então grandes propagandas fixas ou anúncios que cobrem toda tela, serão igualmente bloqueados.

exemplo-anúncio-mobile

Com essa medida a Google deseja aumentar a facilidade e conforto da experiência dos internautas, sem propagandas e anúncios abusivos que estragam toda navegação.

O interessante dessa história, é que ao contrário de bloqueadores atuais, apenas as propagandas chatas serão impedidas de serem mostradas, não afetando os produtores de conteúdo e nem obrigando o usuário a ativar ou desativar o recurso em determinados sites. 

Gostou da novidade? Ela está prevista para o dia 9 de Julho.

Deixe nos comentários se usa algum bloqueador de anúncios, e se acha justa essa medida de bloquear apenas conteúdos abusivos. E se outros bloqueadores também passassem a aderir este comportamento.

Até o próximo post, te espero, SISTEMATICAMENTE, aqui no blog Diolinux. 😎

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Microsoft vai usar o projeto do Chromium como base para fazer o Edge

Nenhum comentário

quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

Em 2015 a Microsoft lançava o seu mais novo navegador para a internet, o Edge, que viria substituir ou aposentar o já “velho de guerra e combalido” Internet Explorer. Mas desde a sua estreia o novo navegador da Microsoft não vingou e nem agradou a todos. O lançamento dele foi junto com o Windows 10.

Microsoft vai usar o projeto do Chromium como base para fazer o Edge





O novo navegador da MS veio com uma nova tecnologia como engine, o EdgeHTML, que prometia renderizar as páginas da internet de forma mais rápida, além de tornar o navegador mais seguro, rápido e leve. Mas não foi isso que aconteceu, em um curto espaço de tempo ele se mostrou com muitos bugs, falhas e problemas que fizeram os usuários largarem o Edge de lado. Hoje somente 4% das pessoas usam o Edge para acessar a internet, mesmo com todo o esforço de marketing da Microsoft.




No comunicado postado nesta quarta-feira (6), em seu blog a Microsoft comenta o seu aumento na participação na comunidade de software livre (OSS) e assim se tornando um dos maiores apoiadores de projetos (OSS). E teve algumas partes que são interessantes em destacar:

“Os desenvolvedores da Web terão uma plataforma web menos fragmentada para testar seus sites, garantindo que haja menos problemas e maior satisfação para os usuários de seus sites; e como continuaremos a oferecer o entendimento orientado a serviços do Microsoft Edge de sites herdados somente do IE, Corporate IT terão compatibilidade aprimorada para aplicativos da Web antigos e novos no navegador que acompanha o Windows.”

Outro ponto interessante foi:

“Vamos passar para uma plataforma Web compativel com o Chromium para o Microsoft Edge no desktop. Nossa intenção é alinhar o Microsoft Edge com outros navegadores baseados no Chromium e tecnologias suportadas por eles. Isso fornecerá compatibilidade aprimorada para todos e criará uma forma mais simples dos desenvolvedores testarem suas aplicações para a maior parte dos browsers.  O Microsoft Edge agora será entregue e atualizado para todas as versões suportadas do Windows e com maior frequência. Também esperamos que esse trabalho nos permita levar o Microsoft Edge para outras plataformas, como o macOS.”

Para ver o comunicado completo veja o blog oficial deles.

Com isso a Microsoft dá mais um passo em adotar o open source em seu portfólio de produtos, contando com o WLinux, GitHub, Azure, abertura das 60 mil licenças entre outros. 

E com isso podemos pensar quem sabe em um dia poder usar um navegador oficial da Microsoft de forma nativa nas distros Linux, por que não né?? (lol). Visto que eles querem levar o Edge para outras plataformas.

Curioso é o fato de que praticamente todos os navegadores atualmente dividem uma base semelhante, uns mais outros menos, Chrome, Chromium, Vivaldi e Opera, Yandex e muitos outros, incluindo agora o novo projeto da Microsoft, todos tem uma base semelhante em comum, deixando o Safari e o Firefox como os “diferentões” do mercado.

O que você achou da novidade da Microsoft?

Até uma próxima e um forte abraço.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo