Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador internet. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador internet. Mostrar todas as postagens

“Ad block” nativo do Google Chrome tem data confirmada

Nenhum comentário

terça-feira, 22 de janeiro de 2019

Os bloqueadores de anúncio são utilizados em diversos navegadores, inclusive no Google Chrome, mas em sua maioria não são nativos e acabam prejudicando os produtores de conteúdo. Visando o benefício mútuo, a Google decidiu implementar uma maneira diferente ao bloquear propagandas da internet.

google-chrome-bloqueador-anúncios-propagandas

O bloqueador de propagandas do Google Chrome, não afetará os produtores de conteúdo, ao menos os que estiverem em normalidade com suas regras.

E quais tipos de propagandas serão bloqueados?


Formada pelas principais empresas de mídia online, a Coalition for Better Ads, depois de uma extensa pesquisa com mais de 66 mil consumidores, em países que representam 70% dos gastos com publicidade online. Elaborou um conjunto de regras com tipos de propagandas, que ao critério dos usuários são abusivas.

Essas regras têm como objetivo o aumento da comodidade ao navegar pela internet por parte dos usuários e ao mesmo tempo manter o sustento de sites que utilizam tais recursos.

Algo que os atuais bloqueadores não fazem, pois impedem qualquer tipo de propaganda, tanto as abusivas, quanto as aceitáveis.

Anúncios intrusivos como: Pop-ups, que contém reprodução automática de vídeo ou áudio, com contagem regressiva etc, serão bloqueados pelo “Ad block” nativo do Chrome. No total são 12 tipos de anúncios com experiência intrusiva.

exemplo-anúncio-desktop

O conjunto de regras também é válido para sites em dispositivos móveis, que além dos exemplos acima, costumam ter outros tipos adicionais de propagandas em sua experiência ao consumir conteúdo online. Então grandes propagandas fixas ou anúncios que cobrem toda tela, serão igualmente bloqueados.

exemplo-anúncio-mobile

Com essa medida a Google deseja aumentar a facilidade e conforto da experiência dos internautas, sem propagandas e anúncios abusivos que estragam toda navegação.

O interessante dessa história, é que ao contrário de bloqueadores atuais, apenas as propagandas chatas serão impedidas de serem mostradas, não afetando os produtores de conteúdo e nem obrigando o usuário a ativar ou desativar o recurso em determinados sites. 

Gostou da novidade? Ela está prevista para o dia 9 de Julho.

Deixe nos comentários se usa algum bloqueador de anúncios, e se acha justa essa medida de bloquear apenas conteúdos abusivos. E se outros bloqueadores também passassem a aderir este comportamento.

Até o próximo post, te espero, SISTEMATICAMENTE, aqui no blog Diolinux. 😎

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Malware minerador de criptomoedas pode afetar linux

Nenhum comentário

segunda-feira, 21 de janeiro de 2019

É comum ouvir a seguinte afirmação: “Linux não tem vírus” e isso está longe da realidade. É verdade que sistemas baseados em Linux, tem um nível de segurança altíssimo, e para simples tarefas, como instalar uma aplicação, é necessário permissão de administrador.

Mas ele não é imune a falhas, muito menos invulnerável, como o dito popular.

malware-linux-criptomoedas-cryptocoin-virus

Linux vs. Vírus


Mesmo não sendo tão simples ser infectado no Linux, tais ameaças existem, e a cada dia novos casos ocorrem. Às vezes alardes fantasiosos, outros verídicos.

Se você gostaria de entender de verdade “porque Linux não pega vírus”, temos um conteúdo detalhado sobre o assunto.

Pesquisadores de segurança da Unidade 42, alertam sobre novo malware para Linux. Líder em segurança cibernética, a “Palo Alto Networks”, descobriu recentemente um malware que consegue, por meio de vulnerabilidades no Apache Struts 2, Oracle WebLogic e Adobe ColdFusion, injetar um script malicioso chamado “a7”, esse script faz a persistência usando cronjobs, um utilitário de software, que agenda e executa tarefas no sistema operacional, de forma automatizada.

O malware minerador


Depois de infectar o servidor, o malware remove os softwares responsáveis pela segurança do sistema. Oculta seu processo malicioso, mata quaisquer outros processos que se valem de regras no iptables, e que também mineram criptomoedas.

Com todo palco pronto, ele começa a minerar a moeda “Monero”, que assemelha-se as Bitcoins.

De responsabilidade do grupo de crackers “Rocke”, o software parece procurar especificamente por 5 produtos de proteção e monitoramento de segurança na nuvem.

Curiosamente, todas as soluções de segurança vulneráveis são de empresas chinesas:

  • Alibaba Threat Detection Service agent (Mecanismo de detecção baseado em AI);
  • Alibaba CloudMonitor agent (Monitor de consumo de RAM, CPU, conectividade de rede);
  • Alibaba Cloud Assistant agent (Software que gerencia instâncias, automaticamente);
  • Tencent Host Security agent (Mecanismo de detecção baseado em AI);
  • Tencent Cloud Monitor agent (Monitor e gerenciador de conectividade de rede);

Tendência entre os malwares


A equipe de pesquisadores da Palo Alto Networks, já entrou em contato com as empresas que oferecem tais soluções. Agora fica por conta da Alibaba e Tencent, resolver tais vulnerabilidades.

Vista como possível tendência entre os cibercriminosos, os pesquisadores que descobriram tal malware acreditam que esse modelo será empregado pelos crackers cada vez mais.

Como a maioria dos casos de vírus no Linux, o problema é ocasionado por alguma vulnerabilidade em outros softwares e não sua forma de gerenciar o sistema. Com atualizações de segurança, tais possibilidades são reduzidas e com correção das vulnerabilidades tais problemas logo são sanados.

E você, sabia que Linux também pega vírus? Ou acreditava que não. Não esqueça de acessar o link do post que explicamos tudo sobre “Linux não pegar vírus”.

Te espero no próximo post, SISTEMATICAMENTE, aqui no blog Diolinux. 😎

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Software Base da Netflix é Open Source

Nenhum comentário

segunda-feira, 7 de janeiro de 2019

Cada vez mais tecnologias baseadas em contêineres estão ganhando espaço no mercado, e uma gigante como a Netflix não poderia ficar de fora.

Titus-netflix-opensource


Titus, é o nome do poderoso software da Netflix, um gerenciador de contêineres a lá Docker (Não sabe o que é Docker ou contêineres? Veja este Diocast, um especialista explica todos os detalhes desta tecnologia). Responsável por questões como: Codificação de mídia, treinamento de algoritmos, processamento de fluxo, tecnologia de estúdio, ferramentas internas de engenharia, tarefas de Big Data etc. 

Titus tem integração nativa com a nuvem da Amazon, AWS (Amazon Web Service) e EC2 (Elastic Compute Cloud), possibilitando maior escalonamento e configuração com o mínimo de esforço possível, maior velocidade ao iniciar novas instâncias no servidor e dimensionamento de recursos conforme a demanda do cenário atual.

Possui integração completa com outros serviços da Netflix, Spinnaker , Eureka , Archaius e Atlas, entre outros, além da possibilidade de execução nativa de contêineres do Docker, incorporando mais segurança, confiabilidade e estabilidade.

O Titus foi projetado tendo em mente a escalabilidade e utilização de recursos necessários, dando ênfase ao “disponível” e com a filosofia de “apenas o suficiente”, visando claro, as necessidades da Netflix e beneficiando-se da estrutura da nuvem Amazon.

A vantagem de ser Open Source


Se é um software da Netflix, qual a vantagem do Titus? Estando sob a Licença Apache, Versão 2.0 e sendo Open Source, outros projetos podem tirar proveito desta tecnologia, independente de serem pequenas ou grandes empresas, esse é justamente o desejo da Netflix. Outro intuito, seria possibilitar que seu software seja incorporado em outros projetos, e ao mesmo tempo amadurecendo e tendo um retorno à empresa (com a evolução do software, seja por implementações de novas funcionalidades ou desenvolvimento colaborativo e acelerado), tudo isso evidenciado na publicação de anúncio em meados de 2017.

Open Source é o futuro?


Cada modelo de desenvolvimento tem suas vantagens, o mercado parece estar adotando cada vez mais softwares de Código Aberto e modelos proprietários estão deixando de ser o padrão. Open Source não é o futuro apenas, já é o presente também.

Desenvolvimento colaborativo, uma comunidade forte e ativa por trás de um projeto, podem potencializar e dar sobrevida, o que uma iniciativa fechada muitas vezes não pode oferecer. Outras vantagens baseadas em sua adoção seriam: o crescimento, novas features e “partilha de gastos” entre as empresas e indivíduos interessados, não apenas a Netflix investindo, mas outras empresas contribuindo, seja com código ou capital. 

Dia após dia o Open Source está dominando o mundo. Você sabia que um software de Código Aberto era um dos pilares da infra-estrutura da Netflix? Deixe nos comentários se acredita que o “modo Open Source de ser” conquistará o posto de padrão de mercado.

E como sempre, espero você até o próximo post, SISTEMATICAMENTE! 😎

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Google revela projeto de Stream de jogos para o Chrome

Nenhum comentário

terça-feira, 2 de outubro de 2018

Cada vez mais o mundo do conteúdo na internet  muda. Hoje você já pode ouvir as suas músicas preferidas, ver seus vídeos, filmes e séries na hora que você quiser, no aparelho que você quiser, com a qualidade que você quiser e tudo isso pagando um valor geralmente acessível, então, por que seria diferente com jogos?

Novo programa de Stream de games para Chrome






Jogos via Streaming não são necessariamente uma novidade, existem (e existiram) vários serviços neste sentido e por mais que ainda vejamos, especialmente no Brasil, vários problemas por conta da qualidade da nossa internet, certamente este é um futuro possível para a indústria dos games.

Algumas empresas, como a Valve, podem estar mirando este mercado através de serviços como o Steam Link, porém, geralmente quando a Google coloca as mãos em algo, as pessoas prestam mais atenção.


Nesta semana a empresa anunciou um novo produto, ainda em fase de testes e disponível apenas nos EUA no momento, chamado "Project Stream", a ideia é levar os jogos de computador para o Google Chrome (e por consequência para o Chrome OS, por consequência para o Linux) através de Streaming.

O primeiro jogo disponível para os "Beta Testers" é nada mais, nada menos, do que o lançamento "Assassin's Creed: Odissey". A Google exibiu um gameplay oficial em um de seus canais do YouTube mostrando o jogo rodando em 1080p a 60 FPS pelo serviço de Streaming:


Os desafios para a implementação de um serviço assim envolvendo jogos são grandes e perfeitamente conhecidos. É preciso que as pessoas tenham uma boa estrutura e qualidade de internet, de fato, entretanto, a outra ponta também é importante e sabemos que se tem alguém com imenso poder computacional por aí, esse "alguém" é a Google.

Considerando que tanto os clientes, quanto os servidores, tenham uma boa conexão com a internet, o desafio é fazer com que imagens com gráficos extremamente bem elaborados funcionem bem em um ambiente de streaming com mínima latência.

Caso esse tipo de serviço se torne viável no futuro, serviços onde você paga um valor mensal para jogar os games que quiser podem se tornar realidade, assim como implementações onde será possível jogar games com grande qualidade em Smartphones por exemplo, jogando todo o trabalho da execução de um jogo para um servidor.

Essa prática permitiria, em tese, que usuários com computadores modestos em especificações, como é o caso de vários Chromebooks por exemplo, pudessem experienciar um gameplay fluído e de alta qualidade gráfica.

Há algum tempo nós testamos e mostramos para vocês um serviço chamado "Parsec", que tem uma lógica semelhante, onde você aluga computadores de alto desempenho para acessá-os remotamente e jogar todos os games que quiser em qualquer plataforma, confira:


Quem sabe um dia teremos games na Play Store que são feitos para computador, mas rodem no seu Smartphone, Chromebook ou no Google Chrome, como se fossem instalados na sua máquina. Parece ler um longo caminho até lá, mas a cada projeto novo, estamos um passo mais perto disso.

Nas palavras de AC/DC:

"Is a long to the top if you wanna rock 'n roll!"

O que você achou da ideia? Acha que streaming de jogos será uma realidade no futuro?

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Como usar o novo visual do Google Chrome (Material 2)

Nenhum comentário

domingo, 22 de julho de 2018

A Google parece estar trabalhando em uma renovação visual para o Chrome a fim de comemorar o décimo aniversário do navegador em Setembro, mas por que esperar até lá, não é verdade?

Google Chrome New Design






A ideia do projeto é renovar um pouco o visual já clássico pra não dizer velho do Google Chrome para a comemoração do décimo aniversário, o tema continua sendo o "Material", porém, nominado agora como "Material 2". 

Como usar o novo tema no seu Chrome/Chromium


O primeiro passo é ter uma versão compatível com o novo tema, a versão compatível é a 67, mas se você não estiver usando ela, é possível fazer o download a partir do site oficial ou instalar uma versão do repositório dev da sua distro.

Com o seu Google Chrome aberto com o tema normal, digite na barra de endereços:
chrome://flags/#top-chrome-md
Assim você deverá chegar  a esta página:

Configuração Material 2 no Chrome

Na opção "UI Layout the browsers' top chrome" altere a opção "Default" para "Refresh":

Configuração do Chrome

Depois de selecionar a opção basta reiniciar o browser e você terá acesso ao novo visual.

Você perceberá na própria omnibox a diferença no visual e nas abas também. Talvez com o tempo novos detalhe sejam implementados, este visual também deve refletir no visual do Chrome OS também.

E aí, gostou das mudanças?

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Extensão do Mozilla bloqueia rastreio do Facebook fora dele

Nenhum comentário

quarta-feira, 28 de março de 2018

Como muitos dos leitores do blog sabem, houve um grande escândalo envolvendo o Facebook e a empresa de processamentos de dados, a Cambridge Analytica, aonde a mesma teve acesso a dados de mais 50 milhões de contas dos usuários do Facebook. E isso vem causando até o momento um prejuízo estimado de quase US$100 Bilhões para o Facebook.

Mozilla disponibiliza extensão que bloqueia o rastreio do Facebook fora da rede social








Depois que toda essa confusão veio à tona, a Mozilla decidiu parar de exibir anúncios do Facebook aos seus usuários, como uma forma de protesto contra a falta de privacidade e segurança da rede social.

Essa medida não foi a única tomada pela empresa, aonde a mesma disponibilizou uma extensão para o seu navegador aonde o usuário do Facebook não seja rastreado através dos cookies do navegador. 

Para você ter uma ideia de como funciona o rastreio do Facebook, é muito comum que os usuários façam aquela busca na internet por algum produto, como um notebook, celular e ao voltar ao Facebook acabem encontrando uma propaganda relacionada.

É exatamente nessa circustância que atua o rastreamento através de cookies  do Facebook (mas poderia ser de qualquer outra rede social), e é aonde atua a extensão da Mozilla, dificultando esse rastreio da rede social nas suas atividades na internet, até mesmo fora da rede social.

Segundo o blog da Mozilla, o Facebook ainda pode lhe mandar anúncios mas será mais difícil o processo com a utilização da extensão.

A extensão você pode baixar AQUI e instalar no seu Mozilla Firefox.

Lembrando que para funcionar, você tem que sair da sua conta do Facebook primeiramente, depois ativar a extensão e depois entrar novamente. 

Nos conte aí nos comentários se instalou a extensão e se a quantidade de anúncios diminuiu no seu perfil do Facebook.

Aguardo você até uma próxima e um forte abraço.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Google pretende bloquear anúncios no Google Chrome nativamente

Nenhum comentário

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

A empresa dona do navegador mais popular da atualidade, o Google Chrome, anunciou que pretende bloquear anúncios nativamente pelo navegador à partir de Fevereiro de 2018.

Google Chrome bloqueará anúncios nativamente






A Google anunciou que está trabalhando em um atualização para o Chrome para o próximo ano que pode impactar a forma com que os anúncios serão exibidos.

Existe um problema sério na questão de exibição de anúncios (geralmente falando) na internet, os chamados "anúncios ruins", não somente pelo conteúdo (pois isso é debatível), mas especialmente pela forma como são exibidos, como pop-ups, e outros anúncios intrusivos são comumente utilizados em vários sites par fins de geração de receita e isso acaba atrapalhando a usabilidade de qualquer site.

O grande problema em se "bloquear anúncios deliberadamente" é que é basicamente através deles e de suas "várias variáveis" (para citar Engenheiros do Hawaii) que "a internet" se mantém. Simplesmente cortá-los é quebrar uma grande economia, inclusive para Google e seu AdSense e AdWords. Por conta disso, a empresa se reuniu com outras grandes companhias como Facebook, Twitter, Washington Post, entre outras, para discutir o chamado "Better Ads Standards", uma iniciativa de contornar esse problema.

O Chrome como agente mediador


A ideia não é acabar com os anúncios, afinal isso seria ruim em vários sentidos; melhor conteúdo com anúncio do que sem conteúdo, certo? No entanto não se pode negligenciar o fato de que existem vários anúncios que podem ser prejudiciais para a experiência dos usuários na internet.

Como o Google Chrome é atualmente o navegador mais popular de forma disparada, a Google pretende implementar nele um bloqueador de anúncios nativo que bloqueará todos os anúncios que forem considerados invasivos, obrigando os anunciantes e as empresas que criam anúncios a criar modelos mais adequados e que respeitem o consumidor.

O problema dentro do Google


Apesar de terem comentado sobre isso, o Google precisa tomar cuidado com seus próprios anúncios. Eu sou usuário do AdSense há alguns anos e procuro colocar aqui no blog apenas anúncios com tamanhos e locais que se mesclem com o conteúdo e não atrapalhem a sua experiência enquanto você está lendo, mas mesmo que eu delimite tamanho, como os blocos são dinâmicos, as vezes um anunciante tem um banner que extrapola os padrões de layout do blog e acaba zoando muito as coisas. Sinceramente espero que você nunca tenha flagrado isso aqui, mas as vezes acontece.

Será que o Chrome vai bloquear estes anúncios também? Boa pergunta.

Entrando pra Blacklist


Apesar de termos que esperar para ver o sistema funcionando na prática, algumas informações interessantes sobre o "workflow do negócio" já foram comentadas.

Ao identificar um anúncio inadequado, além de bloquear a exibição, o Chrome levará o ID desse anúncio para uma blacklist e este ficará por lá por no mínimo 30 dias, talvez com isso seja possível forçar os anunciantes a criarem anúncios menos invasivos.

Atualização na surdina


O funcionamento desse bloqueador de anúncios ainda não está bem claro, mas ele não deve ser como as extensões que bloqueiam anúncios atualmente, não sabemos se você poderá bloquear anúncios manualmente nele ou não, caso contrário ele será mais uma ferramenta de controle de qualidade da Google mesmo, visando melhorar a experiência de navegação de seus usuários, do que qualquer outra coisa.

A ferramenta deve chegar como um atualização no navegador sem maiores alardes.

Eficaz no Android?


Uma das grandes preocupações é utilizar esse mesmo recurso no Android para evitar anúncios que estraguem a navegação do usuário, no entanto, apesar de ser uma medida boa, isso deve se limitar ao Google Chrome e não parece afetar diretamente os Apps.

Na minha opinião esse tipo de medida contra propagandas invasivas ou em excesso nos Apps também deveria ocorrer, existem vários Apps que são simplesmente impossíveis de se utilizar por conta de tantos anúncios, eu entendo perfeitamente a necessidade de rentabilizar os projetos e não sou contra a existência de anúncios em Apps, mas as pessoas passaram a privilegiar aplicativos que as atendem melhorar sem as incomodarem com esse tipo de coisa, boa senso por parte de quem desenvolve é importante também.


Seria muito bom se a Google tomasse alguma atitude sobre o controle de qualidade de anúncios em aplicativos também. Não custa sonhar.

Você conhece os 3 pilares dos anúncios na internet? Confira esses dois vídeos do nosso canal:



Até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.



Vivaldi Browser chega ao Raspberry Pi

Nenhum comentário

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Agora os usuários de Raspberry Pi poderão utilizar o navegador de internet Vivaldi, hoje os desenvolvedores anunciaram o lançamento da versão ARM do navegador.


Vivaldi no Raspberry Pi






Além de suportar o Windows, macOS e Linux Desktop, agora o Vivaldi suporta também Linux em versões ARM, sendo compatível com modelos populares do Raspberry, nominadamente: Raspberry Pi Zero, Raspberry Pi 2 e Raspberry Pi 3.

Apesar do "Rasp" ser muito popular, a variedade de aplicativos ainda não é tão grande quanto outras arquiteturas tradicionais de computador, como AMD64 por exemplo, por isso o suporte de um navegador atual e inovador como o Vivaldi é algo que devemos prestigiar.

Confira abaixo a entrevista que fizemos com o criador do Vivaldi:


Se você se interessou em usar o Vivaldi no seu Raspberry, é só fazer o download por este endereço.

Até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Como evitar lag na Netflix no seu navegador (Configuração escondida)

Nenhum comentário

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

A Netflix tem uma das melhores transmissões de streaming que existem, com uma internet de qualidade razoável você dificilmente enfrenta travamentos, no entanto, existem outros fatores que podem fazer com que a sua Netflix fique "lagada" no navegador.

Lag na Netflix






Uma conexão instável pode ser um pesadelo para quem quer maratonar aquela série no final de semana, no entanto, a qualidade da sua internet não é o único fator, outra coisa que pode deixar a Netflix com lag é um hardware que não consegue entregar muito desempenho gráfico, como este computador aqui que eu ressuscitei e usei essa técnica para poder assistir a Netflix nele sem muitos problemas.

Ajustar a sua transmissão Netflix


Tela de carregamento da Netflix


Existe um menu de configuração "secreto" dentro da Netflix que permite que você ajuste a qualidade do vídeo para melhor ou para pior. As vezes mudando um pouco o bitrate ou o CDN (Content Delivery Network) a sua Netflix pode parar de travar sem que você perca muita qualidade.

Abrindo o console da Netflix


Vamos começar a brincadeira abrindo o console da Netflix, com ela aberta em qualquer filme ou série pressione as teclas: Ctrl+Alt+Shift+D

Console Netflix

Você pode observar especialmente o Bitrate e ao lado a referência da resolução utilizada. Nessa tela aparecem várias informações interessantes, como por exemplo a taxa de quadros por segundo, quadros perdidos, entre outras coisas.

A forma da Netflix trabalhar faz com que o ajuste dessas opções seja automático, mas isso não quer dizer que seja sempre o ideal para você, apesar da intenção ser essa. 

Agora você vai aprender a configurar essas opções manualmente.

Ainda no vídeo que você estava, se você pressionar novamente Ctrl+Alt+Shift+D você esconde o console, pressione agora Ctrl+Alt+Shift+S para abrir um pop-up de configuração:

Configuração de bitrate na Netflix

Na janela que se abre você pode configurar o Bitrate de áudio, vídeo e alterar o servidor principal de conteúdo, eventualmente mudar de servidor pode tornar a entrega mais rápida.

Números de Bitrate menores geralmente indicam uma transmissão em qualidade reduzida  e por isso mais leve para a sua conexão e hardware, então tente reduzir um pouco a qualidade se você estiver com muito lag e veja se você consegue ainda assistir ao filme ou série em uma qualidade que você goste ou tolere.

Depois de selecionar os valores basta clicar em "Override", caso queira voltar ao padrão é só clicar em "reset". Pressionar novamente Ctrl+Alt+Shift+S faz o menu sumir.

Aproveite a sua Netflix sem travamentos e até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Controlando a sua banda de internet com uma Válvula (de verdade)

Nenhum comentário

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Uma das coisas que eu gosto de fazer de vez em quanto é fuçar os sites de financiamento coletivo através de projetos interessantes, eventualmente você se depara com umas coisas meio "loucas" que fazem até algum sentido, é o caso da NetValve.

NetValve - Controle de banda






Um projeto como este não requer tanta explicação, acho que eu poderia simplesmente deixar o vídeo falar por mim, mas se eu pudesse resumir o caso todo, acho que seria: Você abre e fecha uma válvula comum para controlar a banda de internet.


A proposta é bem simples, tornar a regulagem de banda tão simples quanto abrir uma torneira e controlar o fluxo de água. Fiquei imaginando uma sala de servidor com um painel cheio de válvulas...

O projeto está no IndieGoGo, porém, provavelmente não será financiado, visto que faltam dois dias para a finalização da campanha e o valor arrecadado não chegou nem perto da meta. O que você achou da ferramenta? Curioso para dizer o mínimo, não?

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Lançada nova versão do Vivaldi Browser, confira a novidades

Nenhum comentário

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

O excelente navegador de internet Vivaldi recebeu uma atualização interessante que trouxe uma série de novidades, especialmente para PRO users!

Vivaldi Browser





A versão 1.12 do Vivaldi está disponível para download, com ela os desenvolvedores lançaram uma série de novas funcionalidades, dentre elas:

- Funções avançadas para detalhamento de imagens

-  Gerenciador de downloads aprimorado

- Controle de saturação para páginas

Confira o vídeo demonstrativo:


Você pode baixar o novo Vivaldi através do site oficial, se você já estiver com ele instalado, ele deverá se atualizar sozinho juntamente com o restante do sistema.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Participe do PHP Community Summit de São Paulo, um evento para reunir desenvolvedores PHP

Nenhum comentário

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Líder em desenvolvimento para web, a linguagem PHP será o tema do primeiro PHP Community Summit. Voltado para desenvolvedores de todos os níveis e tomadores de decisão de empresas que usam a tecnologia, como gerentes, arquitetos e CTOs, o evento é exclusivo para a área e visa expandir o conhecimento de todos os segmentos de softwares produzidos com, por e para o PHP, assim como debater desafios e tendências.

Evento para desenvolvedores PHP em São Paulo





Organizado pela comunidade PHPSP e pela Locaweb, o evento acontece nos dias 1 e 2 de setembro, na sede da Fecomercio SP, e a expectativa é reunir 700 participantes. As apresentações serão divididas em dois locais – Sala People e Sala Code. 

Entre os palestrantes estão Ari Stopassola Junior (da Perito.inf.br e responsável pelas principais iniciativas de certificação), Guilherme Blanco (Senior Architect na Huge Toronto e contribuidor dos principais frameworks PHP), Luis Cobucci (Engenheiro na Usabilia Amsterdã e contribuidor Opensource) e Augusto Pascutti (Gerente de Desenvolvimento na Easy e co-fundador do PHPSP). 

A comunidade PHP é bastante extensa e por muitas vezes segregada. Ao longo de 22 anos construiu basicamente os fundamentos da web e algo tão grande assim naturalmente cria vertentes em diferentes focos. O PHP Community Summit chega para unir essas comunidades no mesmo lugar, além de difundir e aprimorar os diálogos sobre o presente e futuro da linguagem”, ressalta o gerente de marketing institucional da Locaweb e um dos responsáveis pelo evento, Luis Carlos dos Anjos. 

As inscrições podem ser feitas pelo site. Existem lotes para cada tipo de ingresso, mas como o evento está próximo, alguns já foram esgotados, porém, você que acompanha o blog Diolinux vai poder ir ao evento com um grande desconto, basta inserir o seguinte cupom na hora de comprar o seu ingresso:

PRC_Diolinux

Este cupom vai te dar 30% de desconto no evento! Aproveite e depois me conte como foi, vai ser uma grande oportunidade de aprender coisas novas, trocar experiências e fazer network.

Obrigado à Locaweb pela cortesia e até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Recheado de recursos, novo Opera pode ser o seu novo navegador!

Nenhum comentário

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Eu tenho uma fidelidade incrível ao Google Chrome como navegador principal há vários anos, mas nunca deixei de utilizar outras opções, como o igualmente ótimo Mozilla Firefox, para fazer algumas atividades específicas. Recentemente tivemos o lançamento de uma nova versão do Opera e eu realmente gostei do que vi.

Opera browser




O Opera recebeu uma grande reformulação nas últimas versões e ele agora está mais completo e interessante, parece ser um browser voltado para quem fica navegando o tempo todo.

Opera Linux

Uma das coisas mais interessantes que eu encontrei nele foi a "barra social" do lado esquerdo, que tem diversas utilidades, entre elas o acesso rápido ao Messenger do Facebook e ao WhatsApp. Clicando com o botão direito na barra você também consegue adicionar outros atalhos, inclusive para o Telegram. 

Isso já é muito legal, mas não para por aí não! Se você for como eu e gosta de ouvir vídeos no YouTube (isso mesmo, ouvir) enquanto navega na internet ou faz outra atividade, bom, que tal um vídeo flutuando por cima do conteúdo?

Player YouTube Opera
Que tal ler os artigos do blog Diolinux e curtir um Arctic Monkeys ao mesmo tempo? Demais, não é? :D

E olha só, você não precisa estar com o navegador em primeiro plano pro recurso funcionar, ele fica flutuando na sua área de trabalho também. 


Para ativar a função no YouTube, Dailymotion e bom... francamente não achei algum player que não funcionasse, basta acessar o conteúdo, como no YouTube, e clicar um pequeno botãozinho verde que aparece no topo do player e boom! Player flutuante. Se você fechar a pequena janela o vídeo continua sendo reproduzido na aba normalmente, não há qualquer interrupção.

Outra coisa bem legal para quem usa Notebook, Ultrabook ou qualquer coisa do tipo, é o recurso para poupar bateria que reduz a atividade do navegador e não carrega determinados recursos dos sites para poupar a carga da bateria do seu computador.

Modo economia do Opera

Outro recurso ótimo é a presença de uma VPN nativa do navegador com diferentes localizações para o usuário escolher. O serviço de VPN te mostra inclusive a quantidade de dados trafegados por ela.

VPN no Opera

Basta ativar a função de VPN nas configurações e você consegue conectar-se a uma através da barra de endereços do próprio navegador.

A interface é customizável, ele suporta vários temas e tem um loja de extensões também que não me parece tão rica quanto a do Chrome, mas que tem muita coisa bacana, então vale a pena observar quais são os complementos que você precisa.

Loja de extensões do Opera

Como contra, ao menos no Linux, a Netflix não funciona no Opera nativamente, pelo que pesquisei nos fóruns, as versões futuras pretendem melhorar isso, então se você usa o serviço é melhor manter ao menos um outro browser instalado, como o Chrome ou o Firefox.

Você pode baixar o novo Opera e fazer um test drive diretamente do site oficial do navegador, apesar de não utilizá-lo como padrão ainda, estou gostando muito da experiência.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Pipelight é descontinuado e desenvolvedor recomenda remoção do computador

Nenhum comentário

sexta-feira, 5 de maio de 2017

O projeto Pipelight está sendo descontinuado, segundo as informações do criador, Michael Müller, por falta de tempo e necessidade, ele vai encerrar as suas atividades. 

Pipelight é descontinuado


Segundo o anúncio no site oficial, o Pipelight não vai simplesmente ficar indisponível, como todo bom software open source, ele ainda disponibiliza o seu código fonte no site Bitbucket, entretanto, não haverão mais atualizações de segurança para ele, o desenvolvedor recomenda que, se possível, os usuários removam ele do computador.

O projeto Pipelight teve início em 2013 com a ideia de trazer suporte para serviços de Streaming, como a Netflix (na época) para o Linux, já que estes serviços utilizavam os plugins NPAPI Silverlight para disponibilizar o conteúdo, com o tempo, o Pipelight além de dar suporte para o Silverlight no Linux, deu suporte também para o Adobe Flash de Windows e para o UnityWeb Player, também de Windows, todos rodando sob implementações do Wine Staging.

Em 2015, a Google encerrou o suporte para plugins NPAPI no Chrome (o navegador Chromium também, juntamente com os derivados do projeto encerram o suporte), o que acabou forçando as empresas a criarem novas formas de disponibilizar conteúdo que ficassem independentes de plugins, fazendo com que o principal uso do Pipelight fosse direcionado ao Firefox. Em alguns meses o Firefox também irá deixar de suportar este tipo de plugin, então o Pipelight ficará obsoleto e dependeria de muitas "gambiarras" para funcionar.

Diante deste cenário, onde, segundo Müller, "há mais código do que tempo para fazer", e também há menor necessidade, visto que a maior parte destes serviços já funciona no Linux diretamente do navegador, sem ser necessário adicionar funções, o Pipelight perde o seu sentido de existir, e por isso, está sendo descontinuado.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




OpenLara - O primeiro Tomb Raider agora roda através de um navegador

Nenhum comentário

quinta-feira, 27 de abril de 2017

Procurando reinventar uma engine de código aberto para rodar o clássico Tomb Raider, alguns desenvolvedores criaram o OpenLara, uma versão do game que usa WebGL e roda em qualquer navegador atual.

OpenLara - Tomb Raider WebGL




Este projeto de código aberto foi inspirado no OpenTomb, que tem uma intenção parecida. Você encontra o código do OpenLara no GitHub se você quiser dar uma olhada.

Existe também uma demonstração disponível online para você jogar um pouco o OpenLara, clique aqui para acessar.

OpenLara
A descrição das teclas de controle ficam logo abaixo da tela de jogo, porém, atente-se para o fato de que você deve ter a aceleração de hardware ativada no seu navegador para o jogo funcionar corretamente, no Google Chrome você ativa essa opção, caso não esteja ativada, pelo menu de configurações na sessão de configurações avançadas.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Nova versão do Vivaldi mostra detalhadamente os seus hábitos na internet

Nenhum comentário

quinta-feira, 30 de março de 2017

O Vivaldi é um navegador que eu admiro muito, eles vão na contramão dos demais e conseguiram seu próprio público desta forma. Enquanto browsers como Chrome, Firefox, Edge e Safari estão a cada dia apostando em um visual mais clean e com recursos diminutos que podem ser expandidos apenas na base de complementos e plugins, o Vivaldi está tentando trazer recursos avançados de forma nativa.

Vivaldi Browser




Eu acho muito interessante a forma quase que "agressiva" que o Vivaldi tem de implementar funções, o mais interessante para mim é que são coisas que dificilmente você pensaria que fariam falta, mas uma vez que você se pegue utilizando, começa a perceber o quanto a ausência delas é enfática em outros navegadores.

Confira a entrevista do blog Diolinux com o criador do Vivaldi Browser, Jon Von Tetzchner.



Para cada lado que você olhar do navegador existem opções, isso pode ser bom para quem gosta da sensação de "painel avião" enquanto navega pela internet, entretanto, os amantes de interfaces limpas poderão se desagradar à primeira vista, sim, à primeira vista, porque o Vivaldi permite que você esconda todas essas opções dando a ele uma aparência semelhante a qualquer outro navegador conhecido.

VivaldI Clean
Vivaldi Browser no modo "Clean"
Para conseguir remover as várias barras, basta ir até o ícone "V" que fica no topo esquerdo do browser por padrão, ir até o menu "Exibir" e marcar ou desmarcar tudo o que você quiser que apareça ou não.

Além de otimizações para segurança, correções de bugs em geral, a nova versão do Vivaldi trás uma nova tela para o histórico de navegação. O novo histórico consegue trazer informações detalhadas sobre a forma com que você navega na internet.

Vivaldi Browser - Novo histórico
Novo histórico do Vivaldi Browser
Navegue um pouco na internet com o Vivaldi e depois pressione as populares teclas de atalho "Ctrl+H" para abrir o histórico do navegador e se surpreenda com gráficos detalhados da forma com que você acessa os sites, links que você clicou, sites acessados, datas, horários, frequência de navegação entre outras coisas.

O mais engraçado disso é que podem haver algumas pessoas que vão pensar que o Vivaldi está obtendo dados "demais" do usuário, mas na verdade, todo navegador de internet popular tem essa capacidade, acho que a grande diferença aqui é que o Vivaldi de mostra detalhadamente toda a informação, então vejo como positivo.

Você consegue também acessar o seu histórico facilmente direto de uma nova aba qualquer, basta clicar na opção indicada.

Vivaldi Browser

Para baixar a versão nova do Vivaldi Browser basta acessar o site e baixar o instalador correspondente para o seus sistema, existem versões para Linux, Windows e macOS.

Apesar de várias coisas bacanas, não posso deixar de comentar que ele ainda não está suportando a Netflix nativamente, coisa que agora o Firefox está fazendo, além do Chrome, isso acaba tornando difícil que os usuários tenham ele como único navegador.

Vivaldi Netflix

O Vivaldi é baseado do projeto Chromium, assim como o Chrome, então, tecnicamente falando uma implementação para o funcionamento da Netflix não deve ser uma passo tão grande, posso estar falando bobagens, mas esta me parece ser uma peça importante para que o navegador fique mais popular.

Pesquisando eu acabei encontrando alguns "workarounds" que permitem que você veja Netflix por ele, mas convenhamos que uma solução mais simples seria muito bem-vinda.

E olha que ele foi bem no teste de HTML5 do site html5test.com fazendo 517 de 555 pontos possíveis.

Vivaldi HTML5 Test

Claro que um teste assim, simples e único não serve para dizer se uma navegador é melhor que outro, porque além dos detalhes técnicos, temos também o gosto do usuário e outros quesitos que não são avaliados em testes assim, mas para você ter uma noção de comparação, nos testes que eu fiz, os concorrentes principais se saíram assim.

Firefox 52: 461 pontos de 555

Google Chrome 55: 507 de 555

Opera 44: 515 de 555

Midori 0.5.11: 315 de 555

Yandex 16 Beta: 487 de 555

Maxthon 1.0.5.3: 386 de 555

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo