Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador lightroom. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador lightroom. Mostrar todas as postagens

Adobe quer saber: Você teria a Creative Suite do Linux?

Nenhum comentário

quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

Muitos que começam a sua jornada no mundo Linux perguntam se as ferramentas da Adobe (Photoshop, Lightroom, IllustratorPremiere, etc.) tem versões para o sistema, pois já estão acostumadas a usarem tais ferramentas e mudar para outra acarretaria em uma curva de aprendizado que nem todos estão dispostos a fazer


 Adobe quer saber: Você teria a Creative Suite do Linux?





A Adobe muitas vezes alegou que o Linux não teria uma base muito grande para se ter o “investimento” e portar as suas mais famosas ferramentas para o pinguim, tanto que em 2011 eles emitiram uma nota através de seu  gerente de produto, Carey Burgess, dizendo que o pacote Adobe Creative Cloud estava no radar dos engenheiros para fazer o porte, mas que estavam sem condições de fazer aquilo no momento.

Recentemente, um usuário questionou no Twitter da Adobe, o porquê deles ignorarem o porte para Linux, especificamente do Adobe Premiere, perguntando se era custoso fazer o porte e se tinha um pedido do mercado para isso. Em resposta a esse usuário, a conta da Adobe comentou que a Engenharia deles "tem recursos limitados e não há uma demanda grande o suficiente para uma versão Linux do Premiere ainda…" (será mesmo?). A conta da Adobe ainda pediu para acessar o link do fórum para o pessoal votar e deixar um comentário. Veja o tweet abaixo.


Para se ter uma ideia da força e de um possível mercado que poderia ser aberto, o jornalista da Forbes, Jason Evangelho, fez uma pesquisa no seu Twitter com uma amostragem de 1600 votos, onde ele perguntava qual fator ainda impedia para que as pessoas que usam macOS e Windows mudassem para Linux e 25% das pessoas votaram na opção de “Não ter uma versão dos aplicativos da Adobe”, seguido por 23% “ Não ter suporte a hardware” e 43% para “Games”. Você pode conferir aqui a pesquisa.

Isso mostra que o mercado de Linux pode crescer muito rápido se uma empresa como a Adobe abraçasse o sistema, observando seus benefícios.

Enquanto isso não acontece, temos aplicativos que podem ser usados plenamente e com um grau de satisfação alto. Temos o GIMP e com o nosso complemento PhotoGimp pode deixar a vinda para o Linux muito mais suave e facilitada

Tem também o Inkscape para quem precisa fazer vetorizarão de imagens que tem uma qualidade muito alta. Outro software que vem ganhando notoriedade é o Kdenlive para edição de vídeos, responsável pela produção do canal Diolinux no YouTube

Até o momento enquete conta com mais de 4266 votos e 1172 comentários pedindo o porte dos programas da Adobe para Linux. Conforme print abaixo.





Para votar e deixar o seu comentário, acessem o link.

Isso mostra que o mercado vem aos poucos voltando os seus olhos para os sistemas open sources, tendo o Ubuntu como carro chefe, assim se abrindo para essa nova parcela da população, o que pode impulsionar a adesão de mais pessoas ao Linux, seja através de distros como Ubuntu e Linux Mint, ou outras.

Até uma próxima e um forte abraço.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Programas Adobe no Linux, será que eles são tão necessários?

Nenhum comentário

segunda-feira, 23 de julho de 2018

Quando se fala em migração, muitas vezes um dos motivos citados como um empecilho, principalmente para quem trabalha na área de design é a questão das ferramentas disponibilizadas pela Adobe, esse assunto já deu muito pano pra manga aqui no blog e no canal, e hoje vamos discutir um pouco mais sobre ele.






Sem dúvida nenhuma, a história do Linux e Adobe já é algo bem antigo, apesar da Adobe ter aplicações compatíveis com Linux, ainda existem alguns programas que não estão disponíveis para o pinguim, como o Photoshop e Lightroom por exemplo.

Sem dúvida, muitas pessoas que começam a aprender sobre design gráfico, começam a aprender através do Photoshop ou aprendem a criar vídeos para a internet através do Premiere ou After effects. Então, quando migramos para algumas distros Linux, acabamos sentindo falta desses programas, ou até deixando de migrar pela ausência deles.

Como já falamos algumas vezes aqui no blog e até mesmo no canal, muitas vezes achamos atrelando o resultado final desejado com determinado programa utilizado sendo que não é exatamente o programa que te trará esse resultado, e sim as funcionalidades encontradas nele. Isso quer dizer que devemos procurar as funcionalidades quando migramos e não os nomes. Você pode utilizar programas como o GIMP no lugar do Photoshop, o Inkscape no lugar do Illustrator, o Kdenlive no lugar do Premiere, assim como o Blender no lugar do After Effects, sendo que com todos eles podem lhe trazer o mesmo resultado que os produtos da Adobe, você só precisa aprender a utilizá-los.

Muitas pessoas acabam deixando de migrar por causa das ferramentas, pois já estão acostumadas a utilizá-las e o processo acaba se tornando mais rápido. Mas será que esse tempo que você economiza vale o investimento das licenças para utilizar o serviço? Independentemente de sua resposta ter sido sim ou não, aqui não há certo ou errado para nenhuma das respostas, pois cada um escolhe qual o momento certo de aprender algo novo.

No vídeo abaixo, discutimos um pouco sobre a influência dos programas Adobe na migração de usuários para o Linux. A Adobe vem trabalhando com a Google para transformar o Photoshop em um sistema de streaming. Futuramente pode ser que o Photoshop chegue ao Linux através do cloud computing, mas provavelmente a forma de trabalho seria um pouco diferente do que conhecemos hoje.



Se você ainda está na dúvida de que isso é possível, confira também a história Designer Nangil Rodrigues que já atuou em várias grandes empresas e utiliza somente softwares que rodam em cima de Linux para desenvolver as suas atividades.



Apesar da popularidade dos programas da Adobe, de fato, em alto nível de produção, como o Cinema por exemplo, eles não são o "padrão da indústria", dando espaço para softwares como Nuke, DaVinci Resolve e Fusion, Avid MC, Maya, que são softwares, que em sua maioria rodam no Linux. 

O softwares da Adobe já foram utilizados em cenários do tipo, mas eles são realmente mais populares em filmakers mais modestos, youtubers e agências.

Neste universo onde Blender e Krita crescem cada vez mais, Kdenlive se mostra uma alternativa interessante ao lado de LightWorks e DaVinci Resolve, mesmo em suas versões grátis, aliando-se a um mercado que precisa sempre economizar o máximo possível e ao mesmo tempo manter ou aumentar o desempenho, não se pode descartar a utilização de Linux, Hollywood é um ótimo exemplo disso.

Conte pra gente se você acha que os softwares da Adobe são indispensáveis para você e o porquê. 

Espero que esse post tenha lhe ajudado e até mais! :)
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo