Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador linus torvalds. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador linus torvalds. Mostrar todas as postagens

Linus fala o que pensa sobre a aproximação da Microsoft ao Linux

Nenhum comentário

terça-feira, 8 de outubro de 2019

Desde quando o “mundo é mundo”, sempre houve uma “batalha” entre sistemas operacionais, Windows vs macOS vs Linux, com intermináveis horas de debate e nem sempre chegando à algum consenso, em alguns casos, partindo para o lado pessoal, infelizmente.

Linus fala o que pensa sobre a aproximação da Microsoft ao Linux






Isso deve-se muito, principalmente, as décadas de 1980, 1990 e o início dos anos 2000, quando CEOs, como Steve Ballmer, e líderes de projetos como Richard Stallman, alimentavam essa “guerra” com “trocas de farpas” públicas, de um lado chamando o Linux de câncer e do outro chamando de “o grande mal que quer controlar e bisbilhotar o seu usuário”.

Mas essa aparente “guerra”, ganhou um novo capítulo recentemente. O jornalista do site de tecnologia ZDNet,  Steven J. Vaughan-Nichols, conseguiu uma entrevista com Linus Torvalds e vários outros desenvolvedores do Linux na Linux Plumbers Conference de 2019, onde ele conseguiu uma declaração “universal” deles, concordando que a Microsoft quer controlar o Linux, mas eles não estão preocupados. Pois o tipo de licença que rege o projeto, GPL2, não permite isso. Linus comentou:

“Toda essa coisa anti-Microsoft às vezes era como uma piada engraçada, mas não real. Hoje, eles são realmente muito mais amigáveis. Converso com engenheiros da Microsoft em várias conferências e sinto que sim, eles mudaram e são felizes. Estão realmente felizes trabalhando no Linux. Então, eu exclui completamente todas as coisas anti-Microsoft". 

Steve ainda questiona se o “leopardo da Microsoft” não está só esperando o momento certo para dar o “bote” e  Torvalds complementa:

“Eu não acho que seja verdade. Quero dizer, haverá sempre uma tensão. Mas isso é verdade para qualquer empresa que entrar no Linux; elas têm seus próprios objetivos. E querem fazer as coisas do seu jeito, porque têm uma razão para isso. (Portanto, para o Linux), a Microsoft tende a se concentrar principalmente no Azure e fazer todo o possível para que o Linux funcione bem para eles".

A matéria completa do ZDNet com as outras declarações dos devs que estão envolvidos no Kernel Linux, você pode conferir aqui.

O que podemos notar nas falas deles, é que não tem preocupação na aproximação da Microsoft com o Kernel Linux, pois alguns dos principais engenheiros envolvidos no Linux dentro do Windows, vem de empresas que apoiam o sistema do pinguim, como a Novell. Além é claro da distro Linux da Microsoft, no Azure. Além da liberação das mais de 60 mil patentes recentemente. Isso mostra que a “velha Microsoft” do Ballmer está no passado (assim esperamos), e que agora a “nova Microsoft” do  Satya Nadella, seja de mais integração com o open source, tanto que estão para chegar o MS Teams e o MS Edge, quem sabe o MS Office também não aparecerá em breve 😀😁, seria muito bacana de se ver, não é mesmo? O “chefão” do Linux e a Linux Foundation não parecem ver a Microsoft como ameaça, então por que você ou eu deveríamos?

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum.

Espero você até a próxima, um forte abraço.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Linux 5.2 chega com quase 600 mil novas linhas de código

Nenhum comentário

terça-feira, 9 de julho de 2019

No Domingo (7), Linus Torvalds lançou mais uma versão do Kernel Linux, contando com cerca de 596.000 novas linhas de códigos submetidas, ou seja, temos muitas coisas nova nessa nova versão do Kernel Linux.

Kernel 5.2 é oficialmente lançado






A primeira grande novidade é referente a Logitech, que ajudou a melhorar os drivers dos seus receptores wireless, como o Logitech Bluetooth “dongle” usado no teclado MX5500 e no receptor Logitech Unifying. Outro ponto, é que agora qualquer periférico da marca que trabalhe na frequência de 2,4 GHz (mouse, teclado, etc), vão poder retransmitir o status da bateria (quando disponível) para as GUIs dos desktops.

Uma adição que vai beneficiar muitos usuários, é o novo driver Wi-Fi da Realtek (mac80211) que tem suporte para os chips de rede wifi Realtek 802.11ac. O rtw88 agora suporta os firmwares RTL8822BE e RTL8822CE, contando com suporte também para modelos USB e SDIO futuramente.

Houve também um acréscimo no suporte para os computadores single-board da  linha Orange, com versões baseadas no  Allwiner (Orange Pi 3), Rockchip (Orange Pi RK3399) e também a  Nvidia Jetson Nano.

Também estão introduzindo a primeira “feature” do Sound Open Firmware (SOF), projeto encabeçado por Intel e Google, criando uma plataforma de código aberto para a criação de firmwares para processadores de áudio.

Outras melhorias e adições no Kernel 5.2 foram:

⏺ GeForce GTX 1650 recebeu suporte para o Nouveau;

⏺ Várias melhorias em laptops com  AMD Ryzen;

⏺ Otimização em dispositivos ARM;

⏺ Suporte para Intel Comet Lake;

⏺ Preparação para as novas AMD EPYC CPUs;

⏺ Suporte para hibernação sendo reativado no Intel Baytrail & Cherrytrail

Para mais detalhes técnicos, você pode consultar aqui e aqui.

Se você quiser experimentar essa versão do Kernel, pode utilizar a ferramenta UKTools, caso use Ubuntu ou algum derivado, ou baixar os pacotes manualmente, tais procedimentos são recomendados apenas para usuários avançados. Se você usa outras distros, como Fedora e Manjaro, provavelmente as atualizações estarão disponíveis em breve.

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum.

Espero você até a próxima, um forte abraço.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Linus Torvalds está correto? O motivo da impopularidade do Linux nos Desktops

Nenhum comentário

sexta-feira, 19 de abril de 2019

Algumas pessoas me mercaram nas redes sociais para que eu comentasse sobre uma matéria publicada no Olhar Digital sobre algumas declarações de Linus Torvalds, vamos discutir sobre isso um pouco?

Linus Torvalds sobre o Linux Desktop






Antes de mais nada, é interessante que você leia o artigo original do Olhar Digital, ele basicamente é uma transliteração de um vídeo de Linus Torvalds, no mesmo bate-papo lendário onde ele manda o dedo do meio para a Nvidia.


Esse vídeo é de 2012 e o artigo do Olhar Digital mistura alguns conceitos atuais com os antigos. No mundo da tecnologia muita coisa muda em 7 anos, no mundo Open Source então, nem se fala, ainda assim, na minha opinião, Torlvads tinha e tem razão.

Desktop é o único lugar que o Linux não tomou conta, segundo Linus Torvalds


O vídeo é muito interessante de fato, quando questionado sobre o Desktop ser ainda o único lugar onde o Linux não domina, Torvalds deixa transparecer um pouco de frustração, afirmando que "O Desktop era a intenção inicial dele ao desenvolver o Linux, e atualmente é o único lugar onde o Linux não obteve maior popularidade".

O motivo disso, segundo ele, é principalmente o fato de distros Linux geralmente não virem pré-instaladas com os computadores e laptops que as pessoas compram. "Ninguém quer ter que baixar e instalar um sistema operacional para usar um computador", comenta.

Ele está certo?


Apesar de muita coisa (mesmo!) ter mudado de 2012 para cá, de fato, as pessoas, de forma geral, não formatam seus computadores e instalam sistemas. Isso geralmente é tarefa dos técnicos e dos usuários que gostam de trabalhar com informática.

Muito da impopularidade do Linux está atrelada a isso, sem sombra de dúvidas. A popularidade também acaba afetando, por tabela, outras tecnologias, softwares e serviços desse entorno.

Quer um exemplo?

Por que softwares de alta qualidade de Hollywood, como Nuke, Lightworks, Maya, Blender e DaVinci Resolve possuem versões para Linux e o Adobe Premiere, After Effects, não?

Porque na indústria de Hollywood, Open Source é um padrão e uma tendência, Linux é utilizado nas produções, nesse meio (que é um nicho), o Linux é um dos padrões, enquanto os softwares da Adobe, ainda que vislumbrem os blockbusters de vez em quando, geralmente são conhecidos por serem usados por estúdios menores e por semi-profissionais, que aprenderem a usar Windows e querem ser atendidos dessa forma, além do macOS, é claro.

Não é certo ou errado, bom ou ruim, é apenas uma constatação de como as coisas são.

O caso do Android

Linus comenta que o sucesso do Linux através do Android se deve ao fato do sistema já vir pré-instalado nos dispositivos, coisa que nunca aconteceu em larga escala no desktops, de fato.

Atualmente é possível trocar ROMs de Android, mas é uma pequena parcela da população que faz isso, sendo que grande parte nem sequer sabe que existe essa possibilidade.

O Chrome OS seria a saída?


Lá em 2012, Torlvalds já comentava sobre os Chromebooks e seu Chrome OS. Este é um projeto da Google, que assim como o Android, também usa o Kernel Linux.

Usando o Google Trends, é possível ver uma crescente de interesse por eles nos EUA, porém, essa crescente existe basicamente por lá. É o tipo de dispositivo que ainda não atingiu todo o seu potencial.

Torvalds já comentou diversas vezes que acredita que provavelmente o meio do Linux conseguir chegar aos lares das pessoas em seus laptops é através da popularização destes dispositivos, ou mesmo de um Android Desktop, e eu acredito que ele esteja correto.

E as outras distros?


Em muitos casos o mundo Linux é movido à paixão. Existem dezenas de projetos para finalidades diferentes, mas nos restringindo ao desktop, vemos os principais jogadores deste tabuleiro focarem em um tipo de usuário desktop, e não em qualquer um.

Ubuntu, Fedora, Pop!_OS, elementary OS, Linux Mint, Manjaro e Solus OS, são bons exemplos disso.

Cada qual tem um foco ligeiramente diferente e procura oferecer ferramentas para facilitar a vida de seus usuários, mas de fato, geralmente tais usuários tem um nível técnico um pouco acima. Você pode até achar que qualquer um consegui instalar um sistema Linux hoje em dia, mas somente o fato de instalar um sistema operacional, como comentou Linus Torvalds, te torna um usuário diferente da maioria.

Dos integrantes dessa a lista, vários deixaram claro que estão focando nos famosos "Creators, Makers, Builders", como em nossa entrevista com o pessoal da Sytem76, fabricante de computadores com Linux e desenvolvedora do Pop!_OS:


Eu acho perfeitamente possível grande parte (e não a maior necessariamente) da população usar Linux sem maiores problemas, provavelmente em um número que nunca passará o Windows, mas com plenas capacidades de superar o macOS.

Eis um gráfico interessante para você ver:

Interesse de pesquisa sobre Linux no mundo

Esse é um gráfico do Google Trends. O Google é local ideal para fazer medições de popularidade, é onde as pessoas, de forma geral e majoritária, vão para buscar informações.

A análise é feita com uma coleta de dados de 2004 em diante, sendo que ela se torna mais confíável, segundo a própria Google, de meados de 2006 à 2008 em diante, onde foram feitos ajustes na sensibilidade do algorítimo de busca.

A linha azul corresponde ao macOS da Apple, da vermelha ao Ubuntu da Canonical, e a amarela ao termo Linux (relacionado a Software) de uma forma geral.

Podemos ver que o interesse em software Linux é maior do que o interesse em macOS, perdendo apenas em algumas regiões do mundo que geralmente falam Inglês, como EUA, Canadá, Austrália, África do Sul, etc. Equando que o Interesse por Linux aparece em larga escala na Europa e no Brasil, assim como o Ubuntu, que não é maior do que o interesse por Linux de forma geral no Brasil, mas é a distro com maior relevância neste sentido.

O termo "Linux" é algo bem genérico para ser considerado, apesar das distros usuarem o Kernel Linux, elas não são o mesmo sistema operacional, ainda que tenham várias coisas em comum. 

Vemos o Ubuntu ser muito popular no Reino Unido por exemplo, que é a sede física da Canonical (ou uma delas), mas não tanto assim nos EUA, por exemplo. 

O Interesse pelo Ubuntu e por Linux ao redor do mundo em comparação com o macOS, mostra que existe sim um mercado disposto a explorar coisas novas, a ponto de mesmo que as pessoas não tenham tantas opções de computadores com Linux pré-instalado, ainda gere dados de interesse o suficiente para criar estes números.

O Windows neste gráfico fica muito acima dos demais sistemas operacionais:

Sistemas operacionais
Windows em Verde

Ainda que, assim como os demais, venha perdendo interesse pelo público por conta da acenção dos Smartphones, muito provavelmente. Basta comparar com o interessante pelo Android e sua acenção nos últimos anos:

Android em Roxo

Então seria um caso perdido para outras distros, que não o Chrome OS?


Bom, depende: Você está correndo para algo? Você realmente precisa que alguma distro Linux se torne o sistema mais popular de todos?

Se perguntasse a mim, eu diria que não, eu não preciso. Mas também diria que sim, seria bom se fosse um pouco mais popular para equilibrar a balança. Nenhum tipo de monopólio é interessante e muitas pessoas poderiam se beneficiar de uma popularidade  maior. Existem muitos casos que as pessoas usam Windows porque precisam, não porquê querem.

Há algum tempo eu precisava trabalhar de terno (algo que eu nunca gostei), eu precisava daquilo por conta do tipo do emprego, mas eu nunca quis aquilo para mim de fato, tanto que acabei saindo do local e esse foi um grande motivo. Eu me sentia desconfortável e ninguém gosta de se sentir obrigado a algo, especialmente quando tem considerações contrárias quanto a isso. Aposto que é o caso de muitas pessoas por aí usando Windows.

A verdade é que as distros de desktop Linux estão cada vez mais amigáveis, e sim, elas tem muito potencial de crescimento e são feitas para agradar quem se agradar por elas basicamente. 

Elas existem para te dar escolhas, para evitar que você fique preso a algo que você eventualmente não goste, por exemplo:


Neste vídeo, intitulado "Para você que está de saco cheio do Windows", eu mostrei que podem, sim, haver alternativas, ainda que não seja para todo mundo, será para muita gente.

O feedback é fantástico, você pode ver pela quantidade de visualizações e pelos comentários.

Eu continuo sendo um fã de tecnologia, gosto do Windows e do macOS e acho eles soluções incríveis para diversos problemas (porque no fim é para isso que serve a tecnologia, te ajudar a resolver problemas), eu só não acho que são irretocáveis e nem únicos e que em muitos casos, Linux pode ser mais eficiente ou uma solução mais confortável por diversos motivos.

Parte do nosso trabalho no Diolinux é ajudar outras pessoas que também gostam de usar Linux e querem ajudar uns aos outros a fazer isso.

Eu continuo usando Linux no meu Desktop para produção de vídeos, edição de imagens e músicas, textos e games (sim, games! Confira o nosso canal na Twitch) simplesmente porque me atende, porque eu gosto, porque prefiro, porque me sinto mais feliz e satisfeito com isso, se nada mudar em alguns anos e o Linux não crescer mais no Desktop, muito provavelmente eu continuarei usando Linux por um único motivo: Porque funciona e permite que eu faça tudo o que eu preciso fazer por ele.

Não tenho motivo para "alergias" a outros sistemas, usar Linux me permitiu ver um mundo mais amplo, além do que eu pensava que era um computador ou sistema operacional, abriu tanto a minha visão a ponto de eu ver que nem o Linux é perfeito, muito pelo contrário, mas que o mundo é feito de mais coisas do que "janelas" e "maçãs", ainda que eu adorece apreciar a vista de uma bela "janela", comendo uma "McIntosh" suculenta.

Até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Em entrevista, Linus Torvalds fala sobre privacidade, CoC e Linux nos Desktops

Nenhum comentário

sexta-feira, 26 de outubro de 2018

Linus Torvalds voltou para liderar o projeto Linux novamente e recentemente concedeu uma entrevista exclusiva para Swapnil Bhartiya, um ativista do mundo Open Source e redator recorrente do site da Linux Foundation, onde falou sobre a sua visão sobre algumas questões envolvendo o mundo Linux e a tecnologia Open Source, assim como a sua saída temporária do projeto e o novo código de conduta.







O vídeo de entrevista é um pouco longo, e não tem legendas em Português, mas é muito interessante. Nós selecionamos os tópicos comentados de maior relevância.



Os destaques da entrevista de Linus Torvalds


Linus comenta sobre o Linux no Dekstop ser possível através dos Chromebooks, mas enfatiza que ele ainda não usa um (Chromebook/Chrome SO) definitivamente apenas porque não consegue fazer os testes de kernel referentes ao seu trabalho com o Linux, fora isso, considera uma excelente experiência.

A conquista do Linux no Desktop

O comentário sobre os Chromebooks mostra o quanto a "conquista do desktop" ainda parece ser uma das poucas "pedras no sapato" de Torvalds. Bhartiya comenta que "apesar do Linux estar em todos os lugares", Torvalds ainda considera importante o desktop.

Quando questionado sobre o que ele acha que poderia viabilizar a acensão do Linux nos desktops também, Torvalds comenta que acha importante uma padronização de distribuição de software, como Flatpak, AppImage ou Snap por exemplo, e agora com aplicativos .deb começando a ter suporte no Chrome OS, ele espera que o segmento desktop, ainda usado por muitas pessoas, possa avançar ainda mais com o uso do Linux. 

Linus  acredita que o Chrome OS e o Android são o caminho para isso, se diz otimista, ainda que: " eu esteja otimista quanto ao desktop há mais 25 anos", brinca, mas quem sabe o que nos espera no futuro. Muita coisa mudou nesse segmento nos últimos 8 à 10 anos.

O modelo de desenvolvimento Open Source

Torvalds comenta sobre o modelo open source ter se tornado o padrão de desenvolvimento hoje em dia, dizendo que entende que existam produtos de nicho que ainda encontrem maior valor o modo antigo de software proprietário, mas que até mesmo essas empresas (que trabalham com software proprietário) usam mais ou menos open source para prover seus serviços ou criar a sua infraestrutura de trabalho.

Quando questionado se ele se importa com a filosofia envolvida no Open Source ou Free Software (Software Livre), Linus comenta que tudo o que ele realmente se preocupa é com o código dos softwares Open Source, especialmente nos quais trabalha, e não com o modelo de negócio ou a filosofia por traz disso.

As pessoas mais antigas ligadas ao "freedom thing", como descreve, se sentem muito mais ameaçadas por Facebook, Google, Apple, Microsoft, etc, por usarem softwares Open Source, mas manterem os dados dos usuários em seus serviços privados. Torvalds comenta que apesar de não preocupar-se com "esse tipo de coisa", compreende quem acredita que o grande problema é onde os dados estão colocados, fora do seu controle físico, mas que entende que isso faz parte da evolução da tecnologia e dificilmente haverá algum "ponto de retorno". 

Linus comenta também que entende que esse é o "ganha pão" de muitas empresas, e por consequência, o "ganha pão" de milhões de pessoas que trabalham com tecnologia, pessoas que usam Open Source muitas vezes em outros locais, que não em um dos produtos que trabalham.

Sobre privacidade

Linus comenta que não se preocupa muito com a sua privacidade online, mas admite que isso pode ser um problema considerável para muitas pessoas mais sensíveis a isso. Ele afirma que, como pessoa pública, não acha útil se preocupar demais com esse tipo de coisa, afinal, muita coisa dele já está na internet de forma pública.

Torvalds ainda comenta que a coleta de dados parece não ter volta também, afinal eles (os dados) são necessários para construir melhores produtos personalizados, a grande questão é você poder optar por oferecê-los ou não. Linus comenta que as pessoas dos EUA, de forma geral, ainda não "acordaram" para isso totalmente.

Sobre sua personalidade e o CoC (Código de conduta)

Linus comenta sobre seu comportamento ao responder e-mails da comunidade de desenvolvimento Linux, dizendo que prefere, hoje, evitar de responder algumas coisas e focar na resolução do problema, algo como: falar menos, fazer mais.

Quando questionado sobre sua saída do projeto por conta de desgaste ou por simplesmente ter "trabalhado demais", Torvalds comenta  sobre "não estar cansado do Linux", como muitos pensaram quando ele resolveu "tirar férias" recentemente. Complementou dizendo que foi período estressante, com vários problemas técnicos para serem resolvidos e que as vezes ele precisa de "um final de semana prolongado" apenas para pensar em algo diferente, antes de voltar para a sua paixão.

Em um determinado momento, Greg Kroah-Hartman, que havia ficado no lugar de Linus durante estas "férias" e é um dos braços direitos de Torvalds há vários anos no projeto Linux, une-se à entrevista para debater alguns tópicos.

Greg Kroah-Hartman e Linus Torvalds
Greg Kroah-Hartman (à esquerda na foto) e Linus Torvalds

Ambos comentam sobre as dificuldades dos momentos finais do lançamento de uma versão do Kernel Linux, em sua última versão (na merge window), a resolução de problemas, com mais de 70 patches importantes e coisas do tipo, acabou tornando o momento um pouco mais "tenso" do que o normal, mas comenta também que a semana de lançamento de uma nova versão é "naturalmente conturbada e sempre foi", afirmando que o Linux ainda é o projeto Open Source com maior número de pessoas trabalhando simultaneamente a cada lançamento, mencionando que tem ocorrido um crescimento de pessoas envolvidas no projeto provindas da Índia, Ásia em geral e leste Europeu. 

Não existe um modelo de gerenciamento em massa para uma comunidade Open Source tão grande quanto essa, para muitos, eles são o modelo de inspiração, e mesmo que existam diretrizes de conduta, cada comunidade é diferente, cada pessoa é diferente e isso deve ser considerado e respeitado.

Kroah-Hartman e Torvalds comentam também sobre a inclusão de mulheres no projeto e discutem sobre os motivos delas ainda serem uma minoria, apontando que "não há nenhuma inviabilidade técnica" sobre isso, ou algum tipo de preconceito: "A comunidade Linux em si não barra, em nenhuma circunstância, a inclusão de quem quer que seja, entretanto, há fatores históricos, extra-kernel, que influenciam diretamente nesse tipo de coisa", comentam.

" A questão é  que por muitos anos as mulheres foram desencorajadas a estudar ciência exatas,como matemática por exemplo, bastando olhar para os cursos de tecnologia das universidades, onde a grande maioria ainda são homens", complementam. 

Greg comenta também que parte dessa "culpa", se é que se pode dizer assim, de não haverem tantas mulheres envolvidas no projeto, são das próprias empresas que compõem o quadro de desenvolvedores do Kernel, afinal, "São elas (as empresas) que indicam os desenvolvedores e arquitetos que vão trabalhar no projeto do Linux e não 'o Linux' que aponta os desenvolvedores, se as empresas apontassem mais mulheres, haveriam mais mulheres, além, é claro, das muitas que já participam de forma voluntária, mas não fazem parte do núcleo principal de devs", finaliza.

Torvalds também comenta que o próprio acesso a computadores em determinadas comunidades e regiões do planeta, acesso ao ensino, ou seja, fatores sociais e econômicos, também afetam a adesão de pessoas ao projeto.

Linus complementa o discurso dizendo que se preocupa com o bem estar dos desenvolvedores do Kernel no sentido de qualidade de vida e relacionamento entre as pessoas, reconhecendo que algumas, incluindo o próprio Greg Kroah-Hartman, que o acompanhou na entrevista, podem estar perto daquele momento de "burnout", uma expressão comum em inglês que referencia o momento em que as pessoas ficam estressadas e sobrecarregadas com trabalho ou muitas informações.

Por fim, eles comentam brevemente sobre as polêmicas do novo CoC. Apesar de estarem sempre em busca de aprimoramento, a mudança do código foi feita para sancionar algo que eles já praticavam, ou buscavam praticar, e tinham em mente há anos. A mudança pública apenas deu a oportunidade de "barulhentos fazerem barulho", mas a verdade é que, segundo eles, o comportamento interno da comunidade Linux é diferente do que foi apresentado em alguns websites que tentaram ganhar alguns cliques.

"Somos uma comunidade muito produtiva e altamente técnica, se o relacionamento entre nós não fosse minimamente bom, o resultado final não seria bom como tem sido ao longo dos anos", finalizam.

Competitividade entre softwares Open Source

Os entrevistados comentam sobre as benesses da competitividade entre softwares de código aberto. Como o GCC e o Clang, muitas vezes inspirados uns pelos outros, os projetos melhoram juntos, como Flatpak e Snap, GNOME e KDE etc. Enfatizam que no mundo Open Source a competitividade beneficia a todos, pois as melhorias podem convergir entre os projetos, ao contrário do modelo de software proprietário.

Linus foi indagado sobre o que ele pensa do Sphere OS da Microsoft, dizendo que não é um projeto que ele tem acompanhado muito de perto, mas elogia o trabalho feito da empresa ao fazer uma versão reduzida do Linux para rodar em hardware ainda mais simples. Lamenta que algumas modificações feitas pela Microsoft (neste projeto específico, no caso, o Sphere OS) não possam ser levadas upstream para o Kernel padrão, pois eles basicamente removeram componentes importantes para outros projetos para deixar o Linux mais "enxuto" e atender a sua demanda, mas "é para isso que serve o open source", pondera.

Vale lembrar que a Microsoft é membro Platinum da Linux Foundation e ajuda o projeto de várias formas diferentes, incluindo a sua entrada para a Open Invention Network recentemente.

Hardware compatível com Linux

Quando questionados sobre a dificuldade de incluir suporte a alguns tipos de hardware, Linus comenta que não tem visto muitos drivers e hardwares complexos de trabalhar nos últimos tempos, sendo o Linux capaz de suportar "out of the box" a maior parte do hardware disponível no mundo. Tirando casos específicos, referentes a um driver proprietário que não há como trazer compatibilidade sem fazer engenharia reversa ou algo do tipo, colocando a responsabilidade nas mãos dos fabricantes.

Um exemplo que ele menciona é o de softwares que trabalham algum hardware específico envolvendo inteligência artificial, onde ainda tem sido um pouco problemático para equipe do Linux.

Torvalds ainda comenta que as equipes que desenvolvem drivers open source para placas de vídeo (especialmente Nvidia) devem ter sempre grandes problemas, que ele, particularmente, não tem envolvimento direto, mas que tem ciência, pois são lançados vários novos modelos todos os anos e é difícil acompanhar o fluxo desses produtos especificamente, sobretudo se as especificações não são completamente abertas.

O que você achou da entrevista do posicionamento de ambos? Deixe sua opinião nos comentários e nos vemos no próximo artigo!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Linus Torvalds está de volta ao comando do Linux

Nenhum comentário

terça-feira, 23 de outubro de 2018

Na Open Source Summit Europe, que aconteceu na Escócia, Linus Torvalds está se reunindo com os 40 principais desenvolvedores do Linux para finalizar os últimos detalhes da versão 4.19 do Kernel.


 Linus Torvalds está volta ao comando do Linux #EUVOLTEI






Como noticiamos no mês passado, Linus Torvalds estaria “tirando umas férias” do projeto Kernel Linux para “se olhar no espelho e ver o que estava errado”. Maiores detalhes no artigo que fizemos.

Com a saída do Torvalds, quem estava “tocando” o projeto do Linux era o Greg Kroah-Hartman, até o presente momento.

Em um post ao LKML.org, Greg coloca as melhorias, correções de bugs e novidades que virão no Kernel Linux 4.19 e também coloca a seguinte frase “Linus, I'm handing the kernel tree back to you.  You can have the joy of dealing with the merge window :)” em uma tradução ficaria como “ Linus, estou entregando o Kernel novamente para você. Você pode ter a alegria de lidar com a ‘janela’ de transição novamente :) “.

Com a volta de Linus Torvalds para o mainline do Kernel Linux, pode haver alguma demora para sair algumas melhorias, correções de bugs e novidades, pois ainda dependem da aprovação do “Chefe”.

Para conferir o post do Greg no LKML, basta acessar o site deles nesse link, lá tem todas as novidades previstas para o novo Kernel 4.19.

A volta do Linus ao projeto é muito positiva e vejo com bons olhos, pois pra mim essa parada pode trazer “novos ares” ao projeto e um futuro melhor, como comentei em um Diolinux Friday Show.

Também tem vídeo no canal falando sobre a saída do Linus, que você pode conferir abaixo.

         

Espero você até uma próxima, um forte abraço.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Linus Torvalds solta e-mail pedindo desculpas pelos anos de "destempero" e "tira férias" do Linux

Nenhum comentário

terça-feira, 18 de setembro de 2018

No último Domingo (16), o mundo do open source foi pego de surpresa com um e-mail mandando pelo “pai” do projeto Linux, Linus Torvalds. Ele mandou e-mail falando das correções e melhorias no rc4 da versão 4.19 do Kernel Linux, quando que no meio do e-mail ele solta uma notícia “bombástica” para o mundo open source. Ele vai “tirar umas férias” do projeto.


Linus Torvalds solta e-mail pedindo desculpas pelos anos de "destempero" e "tira férias" do Linux





Nas palavras de Torvalds, ele precisava “se olhar no espelho e ver o que estava errado”. Por muitos anos Linus foi famoso por não ter um temperamento nada tranquilo com outros desenvolvedores do Kernel Linux, como o famoso caso de quando mandou a NVIDIA “pra’quele lugar”, acompanhado de um gesto nada educado e que o marcou para sempre.

No longo e-mail no LKML, ele reconhece que esse comportamento não foi nada profissional e totalmente desnecessário, pedindo desculpas pelos seus atos. O trecho que ele fala sobre o assunto é esse:

“É aqui que entra o momento ‘se olhar no espelho’.
Esta semana as pessoas da nossa comunidade me confrontaram como na minha vida eu não entendia as emoções das pessoas . Meus assustadores ataques em e-mails foram
não profissionais e desnecessários. Especialmente nos momentos em que fiz os comentários de forma pessoal. Na minha busca por um melhor patch, isso fazia sentido para mim.
Eu sei agora que isso não foi “OK” e eu realmente sinto muito.
... é uma maneira dolorosamente longa de análise pessoal para poder chegar e dizer: Hey, eu preciso mudar os meus comportamentos e eu quero pedir desculpas  as pessoas que o meu comportamento pessoal machucou e que possivelmente afastei completamente do desenvolvimento do Kernel.
Vou tirar uma folga e obter alguma ajuda sobre como entender as emoções das pessoas e responder adequadamente.”

Ainda não se tem maiores informações (até o lançamento dessa publicação) o que teria motivado essas “férias” do Linus Torvalds do projeto Kernel Linux. Outro ponto importante a mencionar é troca dos “códigos” interpessoais de conduta. Antes era o “code of conflict” (código de conflito) e um resumo seria que o código do Kernel Linux seria a coisa mais importante e pede que os devs sejam “excelentes” uns com os outros. Já o novo código de conduta vem para estabelecer novos padrões de comportamentos, como a positividade entre os membros, sejam profissionais, acolhedores e inclusivos. Você pode ler o novo código de conduta aqui

Esperamos que o Linus Torvalds possa melhorar e voltar o mais rápido possível e também veremos como o “filho” se sai sem o “Pai” nessa nova fase.

Deixa aí nos comentários o que você achou dessas “férias” do Linus Torvalds.

Até a próxima e um forte abraço.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Linus Torvalds não conhece por completo o Kernel Linux atualmente

Nenhum comentário

quarta-feira, 12 de setembro de 2018


No final do mês de Agosto aconteceu o Open Source Summit em Vancouver, Canadá, no último dia do evento (31), Linus Torvalds, juntamente com o vice-presidente e diretor executivo da VMWare, Dirk Hohndel, fizeram uma sessão de bate-papo bem descontraída, onde abordaram assuntos como: hardware, computação quântica, manutenção do kernel,entre outros assuntos relacionados ao mundo open source.


Linus Torvalds não conhece por completo o Kernel Linux atualmente






Hoje o Kernel Linux conta com mais de 20 milhões de linhas de código em sua versão mais recente, que passa pelas mãos dos desenvolvedores principais, mantenedores e sub-mantenedores,  assim não “sobrecarregando” Torvalds, que quando indagado por Hohndel se conhecia por completo o Kernel Linux, respondeu que “Não”. Mas completou logo em seguida:


“A única questão que me interessa é o sistema virtual de arquivos . Essa é a única área em que ainda estou muito ativo. Também vejo todos os problemas críticos e ainda um monte de arquitetura x86. Eu costumava me preocupar com o problema, mas eu não faço mais. Eu não me preocupo com problemas técnicos no kernel. ‘Eu me preocupo com eles, mas não estou preocupado com eles.’ O fluxo de trabalho é muito mais importante do que o código. Se um bug acontece, você sabe como lidar com ele. Quando você tem esse nível de complexidade, você não pode gerenciá-la em um ambiente fechado,você precisa ter as pessoas que realmente encontram problemas e dar a elas a capacidade de se envolver e ajudar a consertar. É um mundo complicado, e a único maneira de lidar com a complexidade é a troca aberta de idéias ".


Outro ponto levantado foi como Torvalds faz o gerenciamento do projeto, visto que hoje em dia ele, trabalha mais em gestão do que desenvolvimento ativo, para responder a isso, Torvalds foi enfático:: Mudamos para o modelo de “desenvolvedor em cadeia”, onde os sub-mantenedores e mantenedores devem reportar aos desenvolvedores e assim garantir que os subsistemas desenvolvidos cheguem o mais rápido possível.

Dois outros pontos interessantes levantados por Torvalds foram sobre computação quântica e inteligência artificial (AI em inglês). 

Sobre primeiro tópico ele falou comentou: 

“ Eu sou muito incrédulo e acho que isso não vá acontecer. Mas se eu estiver errado, já vou estar morto quando me provarem que eu estava errado. E eu sou conhecido por estar errado.”

Já sobre AI ele acha que está finalmente a caminho: 

“Rede Neural parece muito interessante. Inicialmente parecia improvável, mas hoje em dia sabemos que elas realmente funciona.”

Para assistir a palestra por completo em inglês, segue abaixo o vídeo dela.

           

Espero você até uma próxima, forte abraço.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Feliz Aniversário Linux, pelos seus 27 anos de alegrias e conquistas

Nenhum comentário

domingo, 26 de agosto de 2018

Na data de 25 de Agosto,  o nosso querido e amado Linux completa 27 anos de existência com muitas batalhas, conquistas, “baixas”, mas o mais importante é ter trazido a liberdade de escolha para os seus users, e isso é muito bom.

Feliz Aniversário Linux, pelos seus 27 anos de alegrias e conquistas






Corre nas comunidades Linux que o maior projeto open source do mundo tem dois aniversários, um sendo comemorado em 5 de Outubro e o outro no dia 25 de Agosto.

A primeira data (05/10/1991) foi quando lançada a primeira versão do Kernel Linux, que foi uma adaptação do Linus Torvalds do Minix para os seus propósitos.

Já a segunda data (25/08/1991) foi quando o Linus Torvalds lançou o primeiro sistema operacional baseado no Kernel Linux, que em suas palavras era “apenas um hobby, nada grande ou profissional.”, o e-mail você pode conferir na imagem abaixo.


Algumas curiosidades sobre o Linux


Aqui vamos mostrar algumas curiosidades sobre o Kernel Linux bem bacanas, confiram:

A primeira versão acabada do Kernel Linux (0.01), tinha 10.239 linhas ;

● Linux domina em 100% no top 500 supercomputadores mais rápidos do mundo;
       
● Atualmente Linus Torvalds escreve menos de 1% do código do Kernel Linux, que agora tem o foco no gerenciamento e ajudando outros devs com os seus códigos no Kernel;

● O “hobby” de Linus Torvalds a princípio iria se chamar “FreaX” (junção das palavras “free” e “Unix”, mas ainda bem que o jovem Torvalds aceitou a indicação do dono do servidor onde ele hospedava o projeto e assim mudando para Linux (Linus e Unix) como conhecemos hoje em dia.

● O Linux é usado em programas espaciais da NASA e da ESA por exemplo, também é usado por outros órgãos do governo americano como: Unit States Post Office, os tribunais federais da justiça; Federal Aviation Administration (FAA) e a frta de submarinos da USNavy;

● Empresas grandes do setor de tecnologia usam o sistema do pinguim, como a Google, Facebook, Amazon, Space X, Panasonic, CISCO, Twitter, Dell, IBM, Microsoft (sim, ela mesma usa e tem um, o Azure) entre outras;


● 80% de Hollywood usa Linux de forma direta ou indiretamente, como mencionamos em um artigo recente do blog.

● De acordo com a Google, mais de 2 bilhões de usuários ativos usando o Android (sistema baseado no kernel linux).

● Linux domina o setor de “internet das coisas” ou IoT, com a Canonical liderando esse mercado junto com o Google.

Essas são só algumas das curiosidades que podemos listar sobre o Linux, que se fossemos por todas aqui no blog, levaríamos anos (sic). =)

Futuro do Linux


Nessa parte vai ser opinião minha, Ricardo, sobre o que eu acho que vai acontecer com o Linux em um cenário geral da coisa.

Primeiramente creio que as empresas do setor de tecnologia irão abraçar mais ainda o Linux, depois dos acontecimentos recentes, como a adoção de Hollywood e da Valve e com isso poderemos ver mais projetos incríveis, como o DxVk, Krita, Steamplay e além de alavancar projetos mais conhecidos, como o WINE, GIMP, Inkscape e Kdenlive por exemplo.

Creio eu também que alguns aplicativos como os da Adobe possam vir para o Linux, assim trazendo uma parcela boa de usuários. E também creio que em algum momento a Microsoft libere a versão nativa para Linux do Office, isso também traria outra parcela boa de usuários.

Já na parte Gamer, bom, creio eu que depois da notícia bombástica da Valve ao trazer o Proton “a luz do dia” para compatibilizar os games que ainda não tinham versões para Linux e assim facilitar para as desenvolvedoras esse “meio de campo”, isso vai trazer outra parcela “gigante” de usuários, especialmente aqueles que usam dual boot (Windows+Linux) e que estavam esperando essa oportunidade para sair do sistema operacional de Redmond. 

Mas isso é o que eu acho apenas e observo que pode acontecer muito em breve, como também posso “quebrar a cara” e nada disso acontecer rs.
Mas diga aí nos comentários como você conheceu o Linux e como o utiliza no seu dia a dia, se é no desktop, notebook ou celular.

Até uma próxima e um forte abraço.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Apple está contratando desenvolvedores de Linux? Como assim?

Nenhum comentário

segunda-feira, 2 de abril de 2018

Se você acha que até hoje que a Microsoft é uma inimiga do Linux (por incrível que pareça tem gente que até hoje acredita nisso), vocês não fazem ideia de como a Apple odeia Linux (ou ao menos odiava até semana passada). 

Apple contratando desenvolvedores Linux








A Apple é famosa por tentar contratar Linus Torvalds para trabalhar no desenvolvimento do macOS e abandonar o desenvolvimento do kernel Linux. Linus não aceitou, mesmo com a insistência de Steve Jobs. Bom, decisão feita, Linus diz que hoje fica muito feliz de ter feito a "escolha correta". 

Me lembro de já ter lido Steve Jobs falando mal do Linux depois deste caso e já li Steve Wozniak (um dos fundadores da Apple) comentando o oposto sobre Linux em seu blog:

"Associar o Macintosh ao Linux pode ser a coisa mais positiva que a Apple poderia fazer para ser mais aceita em todos os lugares."

Agora, depois de quase sete anos após a morte de Steve Jobs, a Apple está contratando desenvolvedores do Kernel Linux. O que será que a Apple está tramando? Migrar para Linux? Mais uma gigante vindo para o pinguim? Melhorar a sua infraestrutura interna de servidores e serviços? Difícil saber, mas é realmente muito curioso.
Outra coisa que me ocorreu, por conta da descrição do cargo, é que a Apple pode estar tentando explorar as possibilidade do Kernel Linux como o Android faz, para assim implementar funcionalidades no iOS. Claro que tudo isso são suposições, também pode ser apenas um ramo de estudos da empresa que não vai se converter em produto de forma imediata.
apple-contratando-desenvolvedores-do-kernel-linux
Só para registrar o momento.

A vaga pode ser conferida no Linkedin. Os candidatos devem ter "sólido conhecimento em Linux", com pelo menos cinco anos de experiencia na parte de Linux em embarcados.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Em evento na China, Linus Torvalds comenta sobre o que o motiva a continuar desenvolvendo o Linux

Nenhum comentário

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Linus Torvalds, criador do Linux e do Git, subiu ao palco nesta semana na LinuxCon + ContainerCon + CloudOpen, em Pequim na China. Ele falou sobre a sua carreira com o Kernel Linux, sobre a popularidade do Git e de como ele vê o futuro do Linux e de seus desenvolvedores.

Entrevista de Linus Torvalds


As entrevistas do Torvalds as vezes parecem se repetir ao longo dos eventos, talvez porque as pessoas costumam perguntas quase sempre as mesmas coisas para ele, mas no fim das contas, a gente sempre consegue extrair algo interessante. Particularmente, me inspiro na postura dele como criador de uma tecnologia tão importante quanto o Linux, Linus pode não ser a melhor pessoa para se conviver em um escritório, mas sabe se focar plenamente em um trabalho.

Torvalds estava na China para participar do evento organizado da Linux Foundation onde várias outras pessoas participaram, ele mesmo dividiu o palco com Dirk Hohndel, um dos líderes em tecnologia Open Source da VMWare.

Linus comentou que acha interessante algo que acontece no desenvolvimento do Linux e que provavelmente acontece no desenvolvimento de qualquer software de código aberto com vários anos de vida.

"Acho interessante quando um código que eu achava que era estável continua a ser melhorado. Há coisas que não tocamos em muitos anos, então vem alguém e faz melhorias, ou vem outra pessoa e cria relatórios de bugs de algo que eu pensei que ninguém mais utilizava. Depois de 25 anos, grande parte da nossa preocupação está em suportar os inúmeros hardwares novos que são lançados a todo momento, mas há uma coisa que apenas o desenvolvimento de código aberto permite, que é alguém se importar com algo que a maior parte de nós considera banal e básico, e à partir do momento que ela se importa com isso, essa pessoa vai nos enviar um patch para melhoria do kernel em pequenos detalhes"

Quando foi indagado sobre o que o motivava, Torvalds foi enfático:

"Eu simplesmente gosto muito do que eu faço. Gosto de acordar e ter um trabalho que é tecnicamente desafiante e interessante sem ser muito estressante para que eu possa fazê-lo por longos períodos, desenvolver o Linux me faz sentir que estou realmente fazendo alguma diferença, fazendo algo significativo não só para mim."

Linus Torvalds também comentou sobre o Git e pausas no trabalho:

"Eventualmente eu tenho dado algumas pausas no meu trabalho. As duas ou três semanas em que eu trabalhei no Git para que o projeto tivesse início são um exemplo disso, mas cada vez que eu faço uma pausa mais longa, eu acabo ficando entediado. Quando me retiro por uma semana, já estou ansioso para voltar. Eu nunca tive a sensação de que preciso de grandes férias para me sentir bem."

Especificamente sobre o Git:

"Eu estou muito surpreso sobre como o Git se espalhou. Obviamente estou satisfeito com ele e com o fato de que tantas pessoas vejam nele uma forma adequada para desenvolvimento distribuído... 

...É curioso pensar que em certos círculos o Git é mais conhecido do que o próprio Linux, talvez dê-se ao fato da própria natureza do Linux, é uma camada escondida. Muitas vezes você está ali com um Android na mão rodando Linux, mas você não reflete sobre isso, com o Git é diferente, quando você está usando o Git você sabe que está usando Git."

Você pode ver a entrevista de Linus Torvalds na íntegra em inglês logo abaixo:


Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Arquitetura ARM não é a preferida de Linus Torvalds

Nenhum comentário

terça-feira, 11 de outubro de 2016

Linus Torvalds, criador do Kernel Linux, declarou em uma entrevista a sua preferência por arquitetura de processadores, apesar dos ARM serem muito populares hoje em dia graças aos dispositivos móveis, eles não são a preferência de Torvalds.

ARM e Linus Torvalds




Recentemente Linus Torvalds respondeu algumas perguntas em uma conferência da Linaro Connect, uma delas foi questionando qual era a sua arquitetura de processadores favorita, sem balbuciar ele respondeu: x86.

Após a resposta, Linus foi indagado do por quê da escolha, ainda mais por conta da popularidade atual da arquitetura ARM, utilizada em inúmeros Smartphones que rodam Android, que por sua vez rodam o Kernel Linux.

Torvalds comentou que o a longa história de vida do x86 certamente ajuda ele a ter uma posição privilegiada em seu conceito. Segundo o criador do Linux, toda essa história faz com que haja pouca fragmentação de software e hardware e "as coisas simplesmente funcionam".

Para Linus, a infraestrutura em torno do CPU importa mais do que ele mesmo:

“O que importa é toda a infraestrutura em torno do conjunto de instruções, e a x86 possui toda essa infraestrutura...em muitos níveis diferentes. Está fez um caminho que nenhuma outra arquitetura conseguiu fazer até o momento”, afirmou Torvalds.

Isso explica um pouco da fragmentação do Android, onde cada especificação é ligeiramente diferente da outra, obrigando os desenvolvedores a criarem versões do Kernel específicas para cada dispositivo, segundo Linus, a variedade e tão grande que é este pode o principal motivo de não haver uma versão do Android que rode em todos os aparelhos sem distinção.

Fonte.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Linus revela seu laptop de programação favorito

Nenhum comentário

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

2016 Dell XPS 13
O novo laptop favorito de Linus é o Dell XPS 13 Developer Edition.
Ontem, o redator Steven Nichols do site  ZDNet publicou o artigo em que menciona que entrevistou desenvolvedores do kernel linux perguntando-lhes quais os seus melhores laptops. Steven menciona que o vencedor foi o 2016 Dell XPS 13 Developer Edition, e Linus Torvalds concorda.

Por ser pequeno e leve, Linus diz que costuma carregar seu laptop por poder acabar realizando conferências. Linus ainda diz que o critério principal do seu laptop não é uso diário, mas mais a praticidade de transporte.

Linus não descreve os recursos do seu XPS 13, mas esse laptop vem com um processador Intel Core i7-6560U Skylake de 2.2GHz da 6ª Geração  16GBs de RAM DDR3 com 500 GBs de SSD, bateria de 4 celulas que pode durar 12 horas e Linus não se importa com telas touch screen.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Chromebooks vendem mais do que Macbooks nos EUA, Torvalds está feliz!

Nenhum comentário

quinta-feira, 26 de maio de 2016

Tivemos uma estatística de mercado muito interessante em relação a utilização do Linux recentemente. Quem comentou este fato foi justamente o criador do Kernel Linux, Linus Torvalds, confira:

O ano do Linux no Desktop



Apesar da vendas de computadores virem diminuindo ao longo do tempo, nós vemos computadores portáteis com vendas em crescimento, um exemplo disso são os Macbooks, que continuando aumentando as suas vendas nos EUA, porém, surpreendentemente os Chromebooks tiveram mais vendas do que os Macbooks no país no primeiro trimestre de 2016.
Leia também: Baixe o Chromium OS para o seu computador.
Linus Torvalds comentou o assunto em sua página no Google+ dizendo que: "podemos deixar a piada de 0 ano do Linux no Desktop" de lado, segundo Linus Torvalds, o conceito de computador está mudando sempre e os Chromebooks, juntamente com o conceito que eles empregam de computação em nuvem, parecem ser a tendência futura. Para Torvalds, 2016 é o ano do Linux no Desktop, pelo menos nos Desktops da "nova geração". Não é a primeira vez que Linus comenta que quer ver o Linux dominando no Desktop também.
Veja também: Confira a entrevista de Linus Torvalds no TED Talks
Mais uma vez vemos a Google, que tornou o Linux o sistema mais utilizado em Smartphones, trazer o Linux aos holofotes novamente nos computadores portáteis, quem sabe onde chegaremos através deles?

Tenho certeza que você vai achar interessante estas matérias também:




_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo