Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo.

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador linux mint. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador linux mint. Mostrar todas as postagens

INXI - Um comando simples e completo para obter informações da sua distro Linux

Nenhum comentário

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

O terminal Linux pode ser muito poderoso e útil para inúmeras coisas, uma delas é obter informações sobre o seu próprio hardware e sistema operacional, existem vários comandos que você pode utilizar para obter informações específicas, assim como existem programas gráficos, como o CPU-X, mas hoje, você vai conhecer uma excelente ferramenta para obter informações de uma forma muito organizada chamada "INXI".

Inxi - Linux Comandos






Saber informações a respeito do nosso computador e sistema operacional pode ser útil em diversas circunstâncias. Há um bom tempo, no início do canal Diolinux, eu fiz um vídeo mostrando como ver informações semelhantes através de alguns softwares gráficos, você pode conferir aqui se quiser:


Você pode usar uma lista imensa de comandos para obter informações, ou usar algum utilitário, que além de ser prático, muitas vezes traz as informações de forma mais clara. Como o Screenfatch por exemplo (comandos para Debian, Ubuntu, Mint, Deepin, elementary OS e derivados):
sudo apt install screenfetch
screenfetch
Linux Mint Screenfetch

Apesar do Screenfetch mostrar as informações de forma organizada (e até mostrar uma "imagem" com o logo da distro) você pode querer um pouco mais e é justamente aí que entra o INXI.

O primeiro passo é instalar a ferramenta, acredito que o "inxi" esteja disponível no repositório padrão de todas as distros mais comuns, então consulte a documentação e o repositório do seu sistema para instalar. Mais uma vez, distros como Debian, Ubuntu, Linux Mint, elementaryOS, Deepin e derivados podem usar este comando:
sudo apt install inxi
Uma vez instalado, você pode rodar o comando:
inxi
 Ele vai te dar uma saída básica, mas rica em informações:

Comando Inxi

Mas é claro que você pode também obter informações de forma ainda mais organizada e precisa usando alguns parâmetros. Um dos meus favoritos é:
inxi -b
Linux Command Inxi -b

Veja como essa saída consegue ser detalhada. Podemos ver o nome do computador, modelo, ID do produto, modelo da placa-mãe, modelo e data da BIOS, resolução da tela, taxa de atualização, processador, memória, drivers de rede, drivers de vídeo, chip gráfico e muitas outras coisas.

Existem muitos outros parâmetros para verificar coisas específicas, se você rodar o comando:
inxi -h
Você consegue ver todos eles:

Linux Inxi Help Command

Dentre toda as opções disponíveis, aqui vão os meus destaques (mas sinta-se à vontade para explorar):

inxi -A (para ver informações das placas de som/áudio do computador);
inxi -C (para ver informações gerais apenas do CPU);
inxi -f (para ver informações básicas do CPU e das flags que ele suporta);
inxi -D (para ver informações completas de armazenamento dos SSDs/HDDs, etc);
inxi -n (para ver informações sobre a placa de rede, incluindo o mac);
inxi -G (para ver informações sobre a placa de vídeo);
inxi -l (para ver informações sobre a tabela de partições).

E estes são apenas alguns exemplos. Preste atenção na "caixa alta" que alguns parâmetros tem, colocá-los em letras maiúsculas e minúsculas faz diferença no resultado. Reforçando, consulte o inxi -h em caso de dúvidas.

ꔷ Quer aprender a dominar o terminal Linux? Conheça o nosso cursos completo!

Uma outra documentação interessante sobre o INXI que você pode consultar está na Manpage do Ubuntu no site da Canonical, confira aqui.

Espero que a dica tenha sido útil para você, até a próxima! :)

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Mudanças para o Linux Mint 19 foram anunciadas

Nenhum comentário

segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

Os desenvolvedores do Linux Mint fizeram um ótimo post em seu blog oficial para falar sobre as futuras implementações do sistema. Muito se espera do Linux Mint, já que nos últimos anos ele virou sinônimo de equilíbrio entre estabilidade e facilidade de uso. Confira agora as novidades que nos aguardam:

Linux Mint 19






Os desenvolvedores do Linux Mint iniciaram o ano agradecendo a colaboração dos patrocinadores do projeto e dos doadores. segundo eles, o último mês teve um record de novos contribuidores e um record de arrecadação, o que é bom para todos nós, pois dá um "gás" a mais para que o time trabalhe.

Grande parte do foco do Linux Mint, inicialmente, é melhorar o processo de desenvolvimento da distro, tornando-o mais eficiente, com ferramentas que automatizam o processo da caça de bugs em implementações novas de código.

Mudanças no Linux Mint 19


Eu sei que todos estão esperando as grandes atualizações que saltam aos olhos, especialmente uma revitalizada no visual da distro, mas até o momento nada sobre isso foi comentado. Tudo bem o ciclo está apenas no início e o novo Mint, que sairá somente perto da metade de ano sob o codinome de Tara, ainda deve trazer muitas coisas interessantes.

Dentre as coisas que já sabemos que vão começar a fazer parte da nova edição do Linux Mint e estão sendo testadas em imagens alpha que apenas a equipe de desenvolvimento acessa nessa etapa do projeto estão a migração para o GTK 3.22, que é uma versão "antiga" mas muito estável.

Outras novidades impactam diretamente a interface Cinnamon, padrão da distro. 

Agora o ambiente gráfico migrará em definitivo e completamente do Python 2.x para o 3.x, migrará do mozjs38 para o mozjs52 e incluirá também a possibilidade de configurar data e hora via rede através do Systemd.

Caça a bugs no Linux Mint


Outro ponto importante comentado foi a postura de mitigação de bugs no sistema. Segundo os devs, são milhares de problemas relatados e quanto mais o sistema se populariza, mais pessoas utilizam o Mint em circunstâncias diversas e em hardwares diversos também, e maior fica a quantidade de problemas relatados.

No último ciclo, 18.x, do Linux Mint, os desenvolveres teriam coletado cerca de 7.500 bugs, a maior parte reportados pelos próprios usuários, somando GitHub e Launchpad.

Boa parte desses bugs foram considerados "simples de resolver" e a ideia é não deixar nenhum passar, observando, claro, uma hierarquia de urgência.

Para ajudar os usuários a entenderem melhor o sistema, inclusive nas formas possíveis de envolvimento com o projeto, muito esforço está sendo aplicado para melhorar a documentação do Linux Mint, atualizá-la e traduzi-la para outros idiomas, facilitando assim o acesso a uma fonte confiável e completa de informações sobre a distro.


O time do Linux Mint


Sabemos que o Linux Mint passou de um desenvolvimento puramente comunitário para o perfil de uma pequena empresa e uma das parte mais interessantes foi a cotação de quantas pessoas participam de alguns segmentos do projeto.

O time de desenvolvimento do Cinnamon possui 11 pessoas aplicadas, o time dos X-Apps, que são os aplicativos Cross-Interface do Linux Mint (Xapp, Xplayer, Pix, Xed, Xreader, Xviewer, etc) possui 4 desenvolvedores, o restante do time de desenvolvimento que lida com todo o restante tem 6 pessoas envolvidas.

Usando tecnologias quanto estiverem estáveis


Um trecho final da declaração me chamou a atenção, pois nele é revelada um pouco da filosofia de trabalho do Linux Mint, algo que é facilmente deduzível mas que eu nunca tinha visto eles comentarem abertamente, que é: Só usar tecnologias quando elas estiverem prontas.

Claro, neste caso eles estavam falando sobre tecnologias de desenvolvimento, como o Git, ReadTheDocs e outras, mas isso pode ser aplicado ao perfil da distro como resultado final também.

Por exemplo, o Linux Mint nem sequer testou o Wayland ainda como servidor gráfico por não acreditar que ele está pronto para usuários finais, a implementação de Flatpaks no Mint Install ainda é opcional, assim como o versionamento de diversos programas menos críticos e até mesmo o temas GTK.

Aliando isso a base sólida das LTS do Ubuntu com um plano de lançamento que não muda a base de software de forma drástica e a constante caça a bugs, isso garante um Linux Mint mais estável ao longo do tempo.

Dentre os planos futuros, estão também o desenvolvimento de guias e documentação de segurança para o sistema e também um para os desenvolvedores poderem criar aplicações plenamente compatíveis com o Linux Mint.

Essas são as principais novidades sobre o Linux Mint 19 "Tara" até o momento, fique ligado aqui no blog para acompanhar as novidade assim que elas forem sendo lançadas.

Até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Revelado o nome da versão 19 do Linux Mint!

Nenhum comentário

quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

Como primeira mensagem de 2018 no blog do Linux Mint, tivemos o anúncio do novo codinome da versão 19 da distro. O Linux Mint 19 vai se chamar "Tara" e já temos ideia de quando ele será lançado.

Linux Mint 19 Tara






Os desenvolvedores do Linux Mint anunciaram que estão "começando os trabalhos" para a versão 19 do sistema, essa versão receberá o nome de "Tara", segundo eles, é um nome muito popular lá na Irlanda e também é nome de "alguém" que eles gostam muito, como forma de fazer uma homenagem.

Segundo eles, ainda não existem muitas informações sobre novidades que virão com o Linux Mint 19 Tara, mas eles já tem ideia de algumas coisas:

  ꔷ O Linux Mint 19 deverá ser lançado perto do meio do ano (Maio ou Junho)
  ꔷ O sistema será baseado no Ubuntu 18.04 LTS e terá suporte até 2023
  ꔷ O Linux Mint 19 terá suporte para o GTK 3.22

A escolha do GTK 3.22 se deve pelo fato de ser um lançamento considerado estável para o GTK 3, essa também será a mesma versão do GTK para o Linux Mint Debian Edition 3, o que vai reduzir o trabalho dos desenvolvedores.

- Confira outras novidades a respeito dos novos projetos do Linux Mint aqui.

Fique ligado aqui no blog para ficar por dentro das novidades sobre o Linux Mint.

Até a próxima!


_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Equipe do Linux Mint já se prepara para trabalhar no Linux Mint 19 e no LMDE 3

Nenhum comentário

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

O líder do projeto Linux Mint, Clement Lefebvre, revelou no último boletim mensal do projeto para 2017 que a equipe de desenvolvimento em breve começará a trabalhar nas próximas versões principais do Linux Mint e LMDE.

Linux Mint 19






Com todas as edições do Linux Mint 18.3 lançadas, é hora da equipe do Linux Mint concentrar seus esforços no Linux Mint 19 e no Linux Mint Debian Edition (LMDE) 3. Enquanto o LMDE 3 terá apenas a sua imagem de instalação atualizada, trazendo todas as últimas atualizações de segurança Debian, o Linux Mint 19 será baseado no próximo  Ubuntu 18.04 LTS (Bionic Beaver).

"Feliz Natal e feliz ano novo a todos! O ano está quase acabado, o nosso último lançamento foi lançado, todo o trabalho que fizemos foi entregue e esta temporada de férias é uma oportunidade para dar uma pequena pausa para contemplar e desfrutar onde estamos e o que temos, antes de 2018 começa com um novo ciclo de desenvolvimento, novas ambições e dois alvos importantes no horizonte: Linux Mint 19 e LMDE 3 ", escreve Clement Lefebvre no boletim mensal.

O Guia oficial de instalação do Linux Mint está disponível em novos idiomas


Sendo baseado no Ubuntu 18.04 LTS (Bionic Beaver), que a Canonical suportará por cinco anos, até abril de 2023, o Linux Mint 19 também será suportado com lançamentos pontuais. Como você sabe, o suporte para a edição oficial do Linux Mint KDE foi descartado, então haverão apenas os sabores Cinnamon, MATE e XFCE lançados com Linux Mint 19 no ano que vem.

O líder do projeto agradeceu em nome do time a todos os que contribuíram com o "Guia de instalação oficial do Linux Mint", este agora possui versões em inglês, português brasileiro, búlgaro, francês, alemão, italiano e turco, no entanto, como a comunidade de tradução é muito ativa, em breve teremos também a versão completa em língua croata, holandesa, grega, coreana, lituana, espanhola e sueca.

Ainda não temos informações sobre novidades que farão parte do Linux Mint 19, mas assim que elas forem divulgadas nós informaremos aqui no blog, então fique ligado.

Obrigado ao Vagnarok pela contribuição.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Lançados: Linux Mint 18.3 com KDE Plasma e XFCE, faça o download!

Nenhum comentário

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Algum tempo depois do lançamento da versão final do Linux Mint 18.3 nas versões "principais", que são as Cinnamon e MATE, eis que chega para o público o Linux Mint 18.3 KDE e o Linux Mint 18.3 XFCE.

Linux Mint 18.3





Pouco menos de um mês após o lançamento das versões "principais" do Linux Mint, temos o lançamento das versões comunitárias/secundárias, que incluem as interfaces KDE Plasma e XFCE.

Linux Mint 18.3 KDE


A versão 18.3 com KDE pode ser a última versão produzida pelo time do Linux Mint com esta interface. É possível que no próxima lançamento a própria comunidade do Linux Mint tome parte desta versão do sistema, mas ainda não temos certeza.

O sistema chega com o KDE Plasma 5.8 LTS, Kernel Linux 4.10, baseado no Ubuntu 16.04.3 LTS, possuindo atualizações de segurança até 2021, então quem gosta do Mint com esta interface poderá aproveitá-lo por um bom tempo.

Para fazer o download e saber mais informações sobre essa versão, incluindo todas as novidades implementadas, confira este link.

Linux Mint 18.3 XFCE


Existem muitas novidades no Linux Mint 18.3 em si, mas em se tratando do XFCE, tivemos apenas atualizações de softwares. Para baixar essa versão do Linux Mint e saber mais sobre ele, basta acessar este link.

Esta versão do Linux Mint vem com XFCE 4.12, Kernel Linux 4.10, baseado no Ubuntu 16.04.3 LTS, assim como os demais. Esta versão recebeu aprimoramentos visuais para o tema Mint-Y.

As novidades da versão 18.3


O Linux Mint possui uma grande homogenia entre as suas versões, elas são muito parecidas e as principais novidades desenvolvidas pelo projeto geralmente vão para todas as versões do sistema.


Uma das características interessantes que o Linux Mint tem é a sua possibilidade de ser operado por usuários leigos sem a necessidade de utilizar o terminal. Para demonstrar esse funcionamento e dar algumas dicas de pós-instalação, confira este vídeo:


Até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Linux Mint 18.3 "Sylvia" foi lançado com novidades interessantes!

Nenhum comentário

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Para os que estavam aguardando, finalmente chegou a mais recente versão do Linux Mint. A série 18 continua sendo baseada no Ubuntu 16.04 LTS e possui uma base sólida e estável chegando agora à terceira e última release do ciclo, a 18.3. Confira as novidades e faça o download.

Essa nova versão do Linux Mint traz, o que é pra mim, a distribuição Linux mais funcional da atualidade, não mais bela, mas a mais funcional. São ferramentas e mais ferramentas interessantes disponíveis para finalidades diferentes que permitem que qualquer usuário leigo utilize a distribuição sem maiores problemas. Agradando tanto aqueles que só usam o computador para navegar na internet, quanto aqueles que esperam um pouco mais do computador.

Eu mostrei todas as principais novidades do Linux Mint em um vídeo, confira:



Hoje foram anunciadas as duas versões principais do Linux Mint 18.3, a versão com Cinnamon e a versão com a interface MATE. Ambas vem carregadas de novidades que você pode conferir nas notas de lançamento diretamente no blog oficial do Linux Mint.

Meus destaques


O Linux Mint é a primeira das distribuições Linux "populares" a trazer suporte nativo a pacotes Flatpak via Flathub em sua remodelada Central de Aplicativos. Sim, temos o Endless OS que já atende dessa forma há algum tempo, mas são sistemas de segmentos ligeiramente diferentes, temos suporte via GNOME Software também, mas não exatamente da mesma forma.

Esse novo repositório garante o acesso a vários softwares novos de forma independente, com todas as vantagens que o Flatpak pode trazer. A nova Loja de Apps trás uma categoria específica para eles, no entanto, a utilização deles, a integração com o sistema, instalação e remoção é exatamente a mesma de outros pacotes.

O único defeito que eu percebi é que algumas aplicações Flatpak não respeitam o tema GTK do Linux Mint, utilizando o padrão Adwaita do GNOME Shell.

Central de aplicativos do Linux MInt


Além da nova Central de aplicativos, outras coisas interessantes que foram adicionadas foram softwares novos. Como o TimeShift e o RedShift, o primeiro pode ser utilizado para Backup e o segundo, para deixar os seus "olhinhos de noite serena" mais confortáveis com o passar do dia.

Personalização do Cinnamon


O Cinnamon, que vem com a versão principal do Linux MInt, é uma interface muito mais personalizável do que parece. Recomendo que você confira este vídeo sobre a customização da interface:


Uma das novidades incluídas na atualização que acabou de sair é o suporte para barras de progresso no Painel inferior, algo que é extremamente comum no mundo Windows, mas não deixa de ser uma perfumaria bacana. Eu detalhei melhor essas novidades neste outro artigo, sinta-se livre para conferir.

Linux Mint 18.3 "Sylvia" Download


Você pode baixar o Linux Mint 18.3, codinome "Sylvia" em ISOs de 32 e 64 bits, sendo que as de 64 bits tem suporte para UEFI e são recomendadas para máquinas mais recentes (na verdade, de 2007 em diante geralmente).

Quem estava utilizando a versão 18.3 Beta pode simplesmente abrir o gestor de atualizações e aplicar as atualizações sugeridas, estando assim rodando a versão mais recente.

Para aqueles que desejam atualizar da versão 18.2 ou 18.1 para esta versão nós vamos postar um tutorial em breve aqui no blog, então fique ligado.

Faça o download via Torrent dos seguintes link:





Se preferir fazer downloads diretos da ISO, consulte esta página. Se precisar conferir a sua ISO para saber se ela foi baixada sem problemas e de forma íntegra, veja o nosso tutorial de como verificar a soma da ISOs (baixar por torrent praticamente anula este problema):


O próximo lançamento do Linux Mint ainda não tem nome, mas só deve acontecer em meados de Maio de 2018, sendo a primeira versão da série 19 do sistema e já baseado no Ubuntu 18.04 LTS que sairá em Abril.

E você, já testou essa nova versão do Linux Mint? Gostou das novidades? Conte pra gente as suas impressões sobre a versão 18.3 através da sessão de comentários, até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Linux Mint 18.3 vem aí com UM MONTE de novidades!

Nenhum comentário

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Com o mês de Outubro chegando ao final nós tivemos report mensal dos desenvolvedores do Linux Mint. Recentemente tivemos o lançamento do Ubuntu 17.10 e comentamos todas as novidades em um outro artigo (e olha que foram muitas), mas a nova atualização do Mint deve ser lançada em breve e estará lotada de novas ferramentas, tanto quanto o Ubuntu, tornando o sistema a cada dia mais completo.

Linux Mint 18.3 Novidades






Temos notícias boas e ruins, dependendo do seu ponto de vista. O novo Linux Mint 18.3 deverá entregar o que será a última versão com KDE Plasma como interface, ainda é possível que a comunidade mantenha uma versão, mas oficialmente falando, o Linux Mint deixará de entregar uma versão com esta interface e ecossistema de aplicações à partir do Linux Mint 19, que sai apenas no ano que vem.

O abandono do KDE Plasma


O motivo para isso, segundo o líder do Linux Mint, é perfeitamente justificável: Foco no trabalho e convergência de aplicações. Talvez a maior parte das pessoas não tenham a real noção de o quão trabalhoso é manter uma uma distribuição e gerar uma ISO. Focar em algo costuma trazer bons resultados, veja o exemplo do Deepin, que só tem uma única versão e interface para cuidar, o quando eles evoluíram nos últimos dois anos.

Agora pense assim: O Linux Mint entrega as duas versões principais, com Cinnamon e MATE, a versão com XFCE e com KDE Plasma e além disso temos a versão LMDE (baseada diretamente no Debian), todas com versões de 32 e 64 bits. É muito trabalho e recursos, inclusive de servidor, para armazenar tudo isso. São no mínimo 10 ISOs a cada lançamento.

Para reduzir custos e manter as coisas sob seu próprio controle, ao longo dos últimos anos o Linux Mint vem desenvolvendo os XApps, que nasceram como forks de aplicações populares do GNOME, como Vídeos (Totem), Evince (Leitor de PDF), etc. Esses aplicativos utilizam GTK e são "cross-interface", o que significa que os mesmo App pode ser utilizando tanto em Cinnamon, quanto em MATE, e como o XFCE usa GTK também, neste ambiente também, reduzindo assim o trabalho de empacotas softwares diferentes para cada interface. O KDE Plasma segue um caminho completamente diferente, o que justifica a decisão.

O Linux Mint Debian Edition


O LMDE (Linux Debian Edition), nas palavras dos próprios desenvolvedores do Linux Mint, é a versão de "backup" do Mint no caso do Ubuntu ter algum problema, deixar de existir ou seja lá o que for. A parcela de usuários que o utiliza não é tão grande assim se comparada ao Linux Mint tradicional e ele não é, definitivamente, o foco do projeto, portanto, a atualização para o LMDE deverá ocorrer apenas no primeiro quarto do próximo ano, baseado-se no Debian Stretch e com o codinome "Cindy".

Adoção de pacotes Flatpak


Pacotes Flatpak e Snap estão ficando a cada dia mais populares, mas curiosamente, o Linux Mint não vai dar uma grande integração ao formato criado pela Canonical, desenvolvedora do Ubuntu, o Snap. 

Apesar do Mint se basear no Ubuntu, o suporte pleno a Flatpak chegará antes e de uma forma muito interessante. Veja só:

O problema que os Snaps e os Flatpaks (e os AppImage) se propõe a resolver é basicamente o mesmo, entregar softwares em versões recentes (ou não) completamente independentes, concentrando todos os arquivos dentro de um único pacote que permite o Sandbox. Isso permite que você rode aplicações mais novas no Linux Mint sem precisar necessariamente de PPAs, pacotes .deb ou qualquer coisa do tipo (No Mint e em qualquer distro, na verdade). O mais bacana é que você poderá utilizar os Snaps também, já que eles também são cross-distro, porém, os Flatpaks receberão um tratamento especial.

Flatpaks na Mint Store

Dentre as novidades que chegarão no Linux Mint, que nós comentamos neste outro artigo, uma das mais importantes é a nova central de aplicativos. Ela receberá uma remodelagem visual, e como você pode ver na imagem acima, ela virá nativamente com os repositórios Flathub e Gnome Apps, ambos Flatpaks, prontos para você instalar os pacotes no novo formato como qualquer outra aplicação.

Aparentemente será possível também adicionar outros repositórios FlatPak se você quiser, tudo em modo gráfico! Palmas para o Linux Mint! No entanto, os pacotes Flatpak tendem a usar o tema GTK Adwaita no lugar no Mint-Y ou Mint-X, isso deverá ser corrigido no futuro, mas os desenvolvedores deixaram claro que possivelmente isso ainda não vai acontecer na versão 18.3, ao menos, não de imediato. Isso significa que a aparência de aplicativos Flatpak e os tradicionais do sistema podem ter alguma diferença.

O novo Cinnamon


Um dos grandes destaques do projeto do Linux Mint é o seu, praticamente filho, Cinnamon Desktop. Na versão 18.3 do sistema teremos o Cinnamon 3.6 como padrão, e ele vem com várias novidades interessantes também, algumas delas nós comentamos neste artigo.

O telado virtual para acessibilidade e telas sensíveis ao toque está refinado, com um design melhorado e mais opções de configuração. Agora ao utilizar uma tela sensível ao toque e selecionar uma entrada de texto o teclado deve aparecer automaticamente sem a necessidade de configurações adicionais.

Teremos integração com as contas online do GNOME. Um recurso muito interessante do GNOME Shell é que você pode logar com a sua conta Google e ter acesso a sua Google Agenda através do calendário e acesso ao seu Google Drive diretamente através do gerenciador de arquivos; o Linux Mint está trazendo exatamente os mesmos recursos para o seu ecossistema.

Gnome Online Accounts no Linux Mint

Essa ferramenta permitirá que você acesse, por exemplo, o seu Google Drive através do gerenciador de arquivos Nemo.

Redshift instalado por padrão


Caso você não conheça, eu já falei sobre esta ferramenta aqui no blog, ela permite que você corrija a cor do monitor automaticamente ao longo do dia para que você não canse os seus olhos. É um recurso semelhante ao de "luz noturna" que agora é nativo do GNOME Shell. O Redshift é muito popular, mas não é o único para essa finalidade. De qualquer forma, ele será peça integrante do novo Linux Mint, tornando o sistema ainda mais completo e out-of-the-box.

Mais melhorias


O próprio Clement Lefebvre, líder do Linux Mint, comenta que são tantos ajustes que é mais fácil olhar a lista no GitHub, alguns são bem técnicos, então, tudo indica que o Linux Mint 18.3 será ainda mais estável que o 18.2 sem deixar de trazer inovações, o que é uma combinação que costuma agradar a maioria.

Linux Mint XApps

Temos melhorias nos XApps também, por exemplo, na imagem acima você vê o editor de texto Xed, que agora tem a função de rolagem na direita, lembrando muito Sublime Text. Temos melhorias também na detecção de touchpads para Notebooks com a Libinput como padrão, no entanto, os desenvolvedores esclarecem que o Mint é capaz de detectar o modelo de Touchpad e utilizar o Synaptics ou a Libinput como driver, dependendo do modelo, suportando ambos.

Linux Mint Report


Teremos também uma bela ferramente para ajudar os desenvolvedores a corrigirem bugs no sistema, o Mint Report, que permite que usuários leigos interessados possam ajudar reportando problemas do sistema para quem o desenvolve, permitindo assim uma melhora mais rápida no sistema.

Teremos também a presença do PIA Manager, uma ferramenta que permite que você configure facilmente VPNs para utilizar no seu computador. Um dos serviços relacionados a esta ferramenta é de um dos patrocinadores do projeto do Linux Mint pelo que me consta.

Com isso resumimos o mês de Outubro do Linux Mint, eu ainda não sei a data exata do lançamento do novo Mint, mas geralmente sai em meados de Dezembro, então aguardemos.

Fique ligado aqui no blog e no canal também para não perder nenhum conteúdo.

Até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Como instalar o KDE Connect Indicator no Ubuntu e no Linux Mint

Nenhum comentário

terça-feira, 24 de outubro de 2017

O KDE Connect é uma ferramenta desenvolvida pelo projeto KDE que permite a integração entre o seu computador e o seu Smartphone Android. Distribuições Linux que utilizam o ambiente gráfico KDE Plasma costumam trazer a integração nativa a este recursos, no entanto, outras distros que usam outras interfaces, como GNOME e Cinnamon, não possuem essa mesma facilidade.

KDE Connect Indicator Ubuntu e Linux Mint





Para utilizar o KDE Connect de forma integrada ao nosso sistema operacional que não usa KDE Plasma vamos utilizar uma ferramenta chamada KDE Connect Indicator, essa ferramenta vai trazer as opções de configurações que você precisa para utilizar o KDE Connect e ainda vai colocar um ícone indicador (geralmente na barra de tarefas) no seu sistema, facilitando a sua vida.

Você encontra a aplicação KDE Connect no repositório oficial do Linux Mint e do Ubuntu, entretanto, o que falta nestes casos é justamente a integração que o KDE Connect Indicator permite. Com ele você consegue enviar arquivos do celular para o computador, do computador para o celular, receber as suas notificações no seu desktop e uma série de outras funcionalidades que você pode encontrar descritas na documentação do software.

Download  instalação


Via de regra, existem duas formas para você instalar o KDE Connect Indicator no Ubuntu e no Linux Mint. Uma das opções é você adicionar o seguinte repositório PPA: ppa:webupd8team/indicator-kdeconnect


A outra forma (talvez mais simples) é instalar um pacote .deb dando dois cliques, você consegue baixar os pacotes .deb diretamente do Launchpad que armazena os PPAs.

Repare que existem versões de 32 e 64 bits, então escolha a adequada para o seu sistema, outra coisa que você pode observar é a versão do Ubuntu/Mint para a qual você vai baixar o aplicativo


Depois de baixar o pacote é só instalar dando dois cliques:

KDE Connect Indicator

Depois de instalado, você encontra as aplicações no menu do sistema:

KDE Connect Indicator Ubuntu

Para poder sincronizar o seu Smartphone com o computador através do KDE Connect você também vai precisar do aplicativo, este pode ser obtido gratuitamente através da Google Play Store.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Desenvolvedores informam mais duas novidades que virão no Linux Mint 18.3

Nenhum comentário

domingo, 10 de setembro de 2017

Com previsão de lançamento para o final do ano, em meados de Dezembro, o projeto Linux Mint continua lapidando seus recursos e especialmente a interface Cinnamon. Os desenvolvedores comentaram sobre mais dois detalhes que deverão mudar para a versão 18.3, que deve ser a última antes da versão 19.

Linux Mint 18.3






Os desenvolvedores do Linux Mint fizeram o seu report do mês de Agosto informando as novidades trabalhadas no sistema para a próxima atualização, o Linux Mint 18.3.

Nova ferramenta de Backup


O Linux Mint já traz consigo uma ferramenta de Backup há muitos anos, no entanto, a mesma deve receber uma repaginada. Abaixo você vê um print da versão que temos atualmente no Linux Mint 18.2:

Ferramenta de BackUp do Linux MInt

A versão nova deve ficar mais ou menos assim:

Nova ferramenta de Backup do Linux Mint

O funcionamento deve se manter o mesmo, apenas o design e a tecnologia utilizada será atualizada, como a versão do GTK utilizada por exemplo. 

Eu acho "backup" algo extremamente importante! Dificilmente eu vá encontrar alguém que discorde mim sobre isso, mas particularmente desconheço alguém que realmente utilize ferramentas deste tipo para fazer as suas cópias de segurança, se houvesse algum tipo de sincronia com a nuvem ou algo do tipo, faria mais sentido na minha opinião. É sempre bom ver o sistema evoluindo e se lapidando, afinal, detalhes são importantes, mas espero que o tempo dispensado em ajustar essa ferramenta não faça falta na hora de trabalhar em outras características mais cruciais e de utilidade muito mais comuns, como por exemplo, a configuração dos formatos de data e hora no Cinnamon, que ainda requer um ajuste manual quando se quer alterar o formato de uma forma específica.

Novas barras de progresso


A outra novidade vem de - nas palavras dos próprios desenvolvedores - uma inspiração no Windows 7. As tradicionais barras de progresso que a Microsoft implementou na interface do Windows 7 e que mostram a evolução de alguma atividade, como a cópia de um arquivo no Windows Explorer, servirá de modelo para este novo recurso no Linux Mint 18.3 Cinnamon.

Linux MInt Barra de progresso

Essa feature só estará disponível (de momento) para algumas aplicações, como atividades com arquivos no Nemo (copiar, colar, mover, etc.), na formatação de pen drives, no criador de discos de inicialização, na Central de Aplicativos, no Gerenciador de Drivers e na ferramenta de Backup, comentada no tópico anterior.

"Na minha opinião poderia copiar também a forma com que o Windows gerencia as janelas abertas. Só tô dizendo..."

Estas não são as únicas novidades!


É claro que isso não é tudo, muita coisa ainda deve chegar ao longo do tempo, temos alguns meses ainda até Dezembro chegar. 

Dentre as coisas que já sabemos que vão mudar, algumas foram anunciadas ainda no mês passado. Os desenvolvedores já haviam informado que haverá uma renovação no visual da Central de Aplicativos no Linux Mint, além disso, a quantidade de programas pré-instalados ficará um pouco menor, com a saída de dois aplicativos que atualmente são padrões (e o são há vários anos), o Mint Upload, uma ferramenta para conexão FTP (nunca vi ninguém utilizando) e o Mint Nanny, este um pouco mais útil sob a minha ótica, que permite o bloqueio de domínios para que eles não sejam acessados. Mesmo fora da instalação padrão, ambos poderão ser instalados pela Central de Aplicativos, pois continuarão nos repositórios da distro.

Estas são as novidades do Linux Mint 18.3 por hora, para ficar sempre por dentro das novidades fique de olho aqui no blog e também no canal, especialmente nos DROPS.

Até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Skype Preview - Nova versão remodelada do Skype está disponível para Linux

Nenhum comentário

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

A Microsoft disponibilizou a nova versão do Skype (Preview) para Linux e os interessados já estão convidados a testar a aplicação, que agora tem uma visual diferente, mais moderno e agradável.

Skype Preview Linux




Esta nova versão do Skype para Linux é exatamente a mesma que existe para macOS e Windows, pois ela é construída com Electron, não criando mais uma diferenciação técnica entre as aplicações em diferentes plataformas.

Skype Linux novas opções de configuração

Logo na tela de login podemos perceber o redesenho da interface, além disso, nos menus superiores (já em português), você pode encontrar informações de suporte e configurar o comportamento do Skype, inclusive, fazer ele iniciar junto com o sistema, sendo minimizado ou não.

Configurações do novo Skype

A tela de login permite acessar o serviço com várias contas Microsoft, depois de logado, o Skype iniciará 4 estágios simples de configuração, onde você escolherá os temas para a aplicação, foto para perfil (caso já tenha uma atrelada à sua conta, ela será puxada, mas é possível alterá-la também) e ainda você fará a configuração de microfone e câmera para utilização.

Sim, é possível fazer chamadas de áudio e vídeo sem maiores problemas pelo que testei. Mas em alguns casos, a chamada de vídeo acabou caindo, no entanto isso pode ocorrer por esta ainda ser uma versão preview do programa.

Nova interface do Skype

A nova interface está mais clean e organizada, particularmente gostei da mudança. Abaixo você vê um exemplo de tela de chamada de áudio. Temos animações novas também nas transições de uma tela para outra e enquanto uma conexão é feita.

testando o novo Skype

Temos uma barra lateral nos chats agora que é chamada de "Galeria", esta região deve agrupar todo o conteúdo enviado através do chat, sejam links, áudios, vídeos ou documentos, tudo isso para facilitar o acesso posterior.

Galeria do Skype

Compartilhar os arquivos é simples também, basta arrastá-los para o chat e automaticamente eles aparecem na conversa, ficando armazenados na galeria.

Galeria do Skype

Eu não sou um usuário assíduo do Skype, então talvez essa seja uma novidade para mim e não seja para você, mas reparei que esta versão nova tem suporte para bots também, além dos grupos que já existiam, fazendo com que ele fique mais parecido com o WhatsApp ou o Telegram (mais com o Telegram, até).

Skype Telegram

Me lembra tanto o Telegram que até uma função parecida dos Stickes ou do Gifs do Facebook agora ele possui, além dos tradicionais emojis.

Skype Telegram

A nova interface pode ser colapsada para a esquerda também para aumentar o espaço, deixando apenas os ícones arredondados dos contatos em uma coluna.

Baixando essa nova versão do Skype


A versão Preview do Skype deve mudar até que a release final saia, de modo que novas funções podem ser adicionadas, algumas podem ser retiradas e eventuais bugs devem ser corrigidos, no entanto, você já pode usar o Skype Preview para fazer os seus testes, e quem sabe até usar no dia a dia (não vi grandes problemas nele até o momento). A versão para Linux está disponível em um pacote .deb de 64 bits compatível com Ubuntu, Linux Mint e seus derivados, basta clicar aqui para baixar o instalador, e dar dois cliques para instalar.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Como instalar o tema de ícones do Zorin OS no Ubuntu e no Linux Mint

Nenhum comentário

domingo, 13 de agosto de 2017

Recentemente eu fiz uma review do canal Diolinux no YouTube sobre o Zorin OS 12.1, uma distribuição da Irlanda, a mesma terra do popular Linux Mint. Um sistema que tem a proposta de ser uma distribuição Linux fácil e intuitiva para quem vem do Windows e que até mesmo possui uma versão paga.

Zorins OS icon theme download






Recentemente eu visitei novamente o Zorin OS em uma review no canal, e como comentei, a distro tem a proposta de ser amigável para usuários iniciantes, especialmente os vindos do Windows. Parte do ambiente que compõe essa experiência a qual o Zorin se propõem é o tema do sistema, ícones e tema GTK.

Os ícones do Zorin OS especialmente me chamaram a atenção pelo simples fato de derivarem do tema Paper, que é outro que eu gosto muito, mas com uma coloração azulada, que encaixa muito bom, não só com o tema do Zorin, mas com outros também, como o popular Arc.


Como instalar o tema do Zorin OS no Ubuntu ou Linux Mint


A instalação é muito simples, basta baixar os pacotes .deb e instalar dando dois cliques.


Depois de instalado, basta usar um ferramenta como o GNOME Tweak Tool, Unity Tweak ou mesmo as configurações de tema do Cinnamon, no caso do Linux Mint.

Para o caso do tema GTK do Zorin, também é possível instalar via pacotes .deb, porém, o tema tem uma série de dependências que precisam ser instaladas em uma certa ordem. Baixe os pacotes abaixo e instale na ordem em que são apresentados:






Depois de instalado o tema, você pode ativá-lo da mesma forma que faz com os ícones, a diferença que este tema GTK do Zorin possui várias cores diferentes, o que pode torná-lo interessante para utilizar com outros temas de ícone, não somente com o do Zorin.

Exemplos de temas com ícones Zorin OS

Vale a pena testar algumas combinações diferentes até encontrar alguma que você goste mais.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo