Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador nvidia. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador nvidia. Mostrar todas as postagens

Intel declara que vai dar suporte ao Linux nas suas GPUs dedicadas

Nenhum comentário

terça-feira, 19 de fevereiro de 2019

A Intel vem se mostrando uma grande parceira ao Linux e do mundo open source, visto que a mesma, ao longo dos últimos anos, vem implementando suporte a novas tecnologias, como o Vulkan, aos seus processadores e GPUs integradas neles, e essa mesma dedicação pode ser esperada da nova empreitada da empresa, as GPUs dedicadas.


 Intel declara que vai dar suporte ao Linux nas suas GPUs dedicadas






Em uma publicação no Twitter, com uma das contas oficiais, a @IntelGraphics, a companhia declarou que tem o compromisso com a comunidade Open Source, e trará um suporte robusto para o Linux com às novas GPUs dedicadas que a empresa promete trazer para o mercado.


No mesmo tweet, a Intel disponibiliza um link com as implementações feitas para a tecnologia de “different memory regions” (regiões de memória diferentes, em tradução livre). Para saber mais sobre essa tecnologia, basta acessar o link acima citado.

Esse movimento da Intel em ter soluções em GPUs dedicadas, ainda que não saibamos qual será o público alvo, (arrisco a dizer que provavelmente será o público gamer e dos designers) vai trazer uma concorrência muito boa para o setor que durante muitos anos só teve duas opções de qualidade, AMD e Nvidia, e agora terá a chegada de mais um “player de peso” para concorrer e “disputar a tapas” às moedinhas dos consumidores a partir de 2020.

Agora saber onde essas GPUs entraram, para concorrer com quais setores e linhas de suas concorrentes.

E você, teria uma solução completa da Intel, CPU e GPU? Diga aí nos comentários.

Espero você no próximo post, forte abraço.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


GreenWithEnvy, uma nova forma de você gerenciar a sua GPU Nvidia

Nenhum comentário

terça-feira, 5 de fevereiro de 2019

Quem tem uma GPU da Nvidia, certamente usa o driver proprietário dela e assim usa o aplicativo de gerenciamento “Nvidia Settings, onde você vê temperatura, modelo, versão do driver e afins. Mas que ainda falta algumas coisas para que você tenha um maior controle sobre ela realmente, como controle de fans e até overclock, algo que o GreenWithEnvy (GWE) lhe entrega.

 GreenWithEnvy, uma nova forma de você gerenciar a sua GPU Nvidia






A ideia do GWE é lhe dar mais possibilidades de controle na sua GPU, como por exemplo fazer overclock, já adianto que nas GPUs híbridas mais novas, pelo menos, algumas funcionalidades são travadas, como o overclock, como podemos observar na imagem abaixo.

GWE em GPUs hibridas, com funções bloqueadas

Ele é um aplicativo bem simples e distribuído via Flatpak, desta forma qualquer distro Linux que suporte esse tipo de pacote tem acesso ao mesmo, podendo rodar sem maiores problemas. Se a sua distro não tem o suporte ao Flatpak, confira esse artigo que fizemos, mostrando o passo a passo de como habilitar.

Instalação do GWE


Depois de habilitado o Flatpak no seu Linux, a instalação do GWE é bem simples e pode ser feita de duas formas. Uma via terminal e outra via loja de aplicativos.

Para instalar via terminal, que é a primeira forma que demonstraremos, você precisa seguir estes passos:

1º - Abra o terminal com a combinação de teclas Ctrl+Alt+ T ou procurando por “terminal” no Menu do sistema:

2º - Digite ou COLE esse comando no terminal: 

flatpak install flathub com.leinardi.gwe

3º - Para rodar é simples também, você rode ele via terminal com esse comando: 

flatpak run com.leinardi.gwe 


Ou então procurar no  seu menu por “GWE”. Com isso ele abrirá.

Já para instalar via Loja de aplicativos é uma tarefa ainda mais simples. Se você já estiver com o Flatpak e o Flathub habilitados, ele vai aparecerá nela, ou com o nome GreenWithEnvy ou com a abreviação “GWE”, se você usa o Linux Mint, o repositório Flatpak já está ativo, então basta procurar e instalar, no Ubuntu, o GWE só será encontrado depois da ativação do suporte.
GWE na loja do Mint

Se não aparecer, sem problemas, pois você pode baixar o arquivo lá do Flathub e instalá-lo via Loja.  Para baixar o arquivo  e instalá-lo, você deve fazer o seguinte procedimento:

1 - Acessar a página do GWE no flathub e clicar em “Install”;

2 - Salvar o arquivo do GWE na pasta Downloads ou aonde você achar melhor para encontrar o mesmo com maior agilidade posteriormente,

3 - Dar dois cliques no arquivo que acabou de baixar, assim abrindo via loja de aplicativos. Agora é só clicar em “instalar”.

Imagem original do Projeto
Algumas funcionalidades do GWE:

- Mostrar informações gerais da GPU;

- Mostrar informações de energia;

 -Mostrar informações dos clocks;

 -Mostrar a temperatura da GPU no indicador do aplicativo;

 -Mostrar informações das fans da GPU;

 - Ocultar a janela do aplicativo;

- Ter histórico dos dados coletados da GPU, como o clock da GPU, clock da VRAM, temperatura da GPU e etc.



O aplicativo se mostrou bastante interessante, mas ainda tem alguns recursos que o desenvolvedor pretende implementar, como o suporte para multi-GPU por exemplo. Se você quiser ver todas as implementações que ainda serão adicionadas, veja no GitLab do projeto.

Espero você no próximo post, forte abraço.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Aprenda a deixar o Ubuntu e o Linux Mint prontos para jogar!

Nenhum comentário

domingo, 3 de fevereiro de 2019

Muitos que chegam ao blog, no canal Diolinux e no grupo do Facebook, perguntam como preparar o seu computador para que se possa jogar tanto na Steam via Steamplay ou até mesmo em outras lojas, como Uplay, Origin, Battlenet e Epic Store. No post de hoje vamos mostrar o que você precisa instalar para rodar esses games.


 Aprenda a deixar o Ubuntu e o Linux Mint prontos para jogar!






Vamos começar com o básico, que é a verificação se a sua GPU tem suporte ao Vulkan, o que permitirá usar o DXVK para rodar os games, tanto pela Steam quanto nas outras lojas.

Logo abaixo você pode  consultar se a sua placa é compatível com Vulkan. É de suma importância que a sua GPU tenha suporte completo para o Vulkan, pois se não tiver, pode ser que o jogo não rode de forma satisfatória.




Depois disso vamos instalar o último driver para Nvidia e AMD/Intel. No primeiro caso precisamos usar o driver 415.27 e no segundo caso precisamos usar o Mesa Driver 18.3 para ter as últimas atualizações e implementações para Vulkan. Para instalar as últimas versões dos drivers, vamos deixar 2 links logo abaixo com o procedimento completinho de como fazer. Para o pessoal que usa AMD/Intel é recomendado o PPA do Padoka.




OBS: Estas são as versões dos drivers no momento da criação deste artigo, dependendo do momento da sua leitura, podem haver versões mais recentes, atente-se para esse detalhe.

Passos opcionais que podem melhorar a compatibilidade


Se você pretende usar o Steamplay, só a instalação dos drivers adequado já deve ser o suficiente, porém, se deseja utilizar uma ferramenta como o Lutris para rodar games de outras lojas, ainda que o Lutris se encarregue de fazer todos os ajustes geralmente, para aumentar o nível de compatibilidade é possível instalar alguns complementos ao Wine nativo do seu sistema.

Primeiro precisamos habilitar o suporte para arquitetura de 32 bits, isso é fácil de fazer vamos abrir o terminal e digitar (ou colar) o seguinte comando:

sudo dpkg --add-architecture i386

Agora vamos instalar o Wine-Stable pelo Synaptic e procurar por esses pacotes lá:

wine-stable (3.0-1ubuntu1) ; libwine (3.0-1ubuntu1) ; libewine-development (3.6-1) ; wine64 (3.0-1ubuntu1) ; wine64-development (3.6-1) ; wineprefix e fonts-wine

No caso do Linux Mint, você também pode procurar diretamente na loja de aplicativos, não precisando do Synaptic necessariamente, no Ubuntu, obrigatoriamente será necessário usar o Synpatic, ou então usar o terminal para instalar cada um dos pacotes usando o “apt”.

Agora vamos conferir se os pacotes do Vulkan estão instalados, se você estiver usando Nvidia, ao instalar o driver, o suporte à Vulkan é ativado, não sendo necessário outras medidas. Se você usa AMD ou Intel confira se o Mesa Driver instalou o pacote mesa-vulkan-drivers. Agora os pacotes:

libvulkan1 ; libvulkan1:i386 e vulkan-tools

Por via das dúvidas, caso você use Nvidia e queira conferir, procure por esses: libnvidia-gl-415 ; libnvidia-gl-415:i386

Depois de fazer esses procedimentos, foi possível rodar o jogo Mass Affect 2 via Origin no Lutris, confira o desempenho no vídeo abaixo, além do tutorial de instalação dos drivers passo a passo:

             

Para instalar o Lutris, depois de seguir esse tutorial, basta seguir o passo a passo deles. Outra alternativa é baixá-lo diretamente da loja de aplicativos na sua distro. 

Com esses pacotes instalados, você vai poder jogar os games que não estão na Steam, como os jogos da Uplay, Origin, Battlenet e Epic Store (tirando o Fortnite,  atualmente).

Feito isso é só acessar o site do pessoal do Lutris e procurar pelo seu jogo e rodar 🙂

             

Espero você no próximo post, forte abraço.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Driver Open Source da Nvidia - Vale a pena usar?

Nenhum comentário

segunda-feira, 17 de dezembro de 2018


Quem é recém chegado ao mundo Linux e utiliza NVIDIA pode ficar em dúvida sobre qual driver usar no seu equipamento, se o proprietário ou o de código aberto (chamado de Nouveau), e muitos provavelmente em um primeiro contato utilizam o nouveau, por ser o que vem por padrão no Kernel, tendo assim uma experiência nada agradável


Driver Open Source da Nvidia - Vale a pena usar?







Até descobrirem como instalar o driver proprietário de forma correta (que é mamão com açúcar) podem ficar chateados e até “com raiva” do sistema, assim não voltando mais a utilizar ele por causa de pequenos detalhes.


  • Falando em instalar drivers da NVIDIA de forma fácil, recentemente fizemos um post explicando melhor como fazer isso, vale a pena conferir. =)

De uns tempos para cá a solução open source para NVIDIA não vinha trazendo resultados satisfatórios, com perda de rendimento em games, renderização de vídeos e em alguns casos nem subindo o sistema operacional, como acontece nos notebooks com placas híbridas.

Também fizemos duas matérias falando sobre o sistema híbrido, uma comentando as novidades que virão à partir do Xorg 1.20 e o outra sobre como instalar o driver Linux (Ubuntu e Mint).


AMD e Intel


Quem utiliza AMD e Intel geralmente não se aborrece com esses “perrengues”, visto que os drivers de vídeo dessas empresas vêm embutidos diretamente no kernel e se precisar de uma versão mais nova, basta instalar o MESA Driver mais recente e receber os últimos updates. Também fizemos um artigo de como receber as versões do MESA.

Dito isso, sempre se especulou o quanto o driver open source “perdia” em relação ao proprietário, visto que a NVIDIA não facilita a vida dos desenvolvedores do Nouveau, liberando por exemplo o firmware com suporte ao PMU (Power Management Unit ou Unidade de Gerenciamento de Energia) entre outras features.

Testando o driver Open Source da Nvidia

Para tirar essa dúvida a limpo, o pessoal do site Phoronix, resolveu testar algumas placas de vídeo, primeiro com o driver proprietário da NVIDIA na versão 415 e depois com o Nouveau utilizando o Kernel Linux 4.19 e com o MESA 19.0-devel.

No caso do nouveau, eles precisaram fazer um re-clocked 0f em algumas placas para que o teste pudesse ser feito. As placas utilizadas foram: NVIDIA GeForce GTX 680 2GB (1066/3004MHz), NVIDIA GTX 750 Ti 2GB (1019/2700MHz), NVIDIA GTX 780 Ti 3GB (875/3500MHz), NVIDIA GTX 980 4GB (1126/3505MHz) e a NVIDIA GTX 1080 8GB (1607/5005MHz). O teste foi feito no Ubuntu 18.04.

No driver proprietário da NVIDIA, tinha o VULKAN 1.1 + OpenGL 4.6, enquanto que no nouveau só tinha o OpenGL 4.3.


Os jogos utilizados no teste foi limitado para aqueles que tinham suporte  para o OpenGL, visto que o nouveau ainda não tem suporte para VULKAN.

O primeiro jogo a ser testado foi o BioShock Infinite, que quando utilizado as GPUs GTX 680, GTX 780Ti e GTX 750 Ti (tecnologias Kepler e Maxwell1 respectivamente) a média de fps ficava na casa dos 60 fps utilizando o nouveau, mas quando ia para às GTX 980 e GTX 1080 não passavam dos 20 fps (tecnologias Maxwell e Pascal respectivamente).
Já quando foi utilizado o driver proprietário nas GPUs, o mínimo registrado foi de 100 fps com a GTX 750 Ti.



Outro jogo que foi utilizado, foi o popular moba Dota 2. Quando utilizado nouveau nas GPUs mais “antigas” se conseguiu uma média de 30 fps, já nas GPUs mais novas não passou dos 12 fps de média, utilizando o driver proprietário, foi mais que o dobro de ganho de FPS nas GPUs. A diferença fica visível nas GPUs mais novas.



Já nos jogos de código aberto, a situação é um pouco mais confortável para o nouveau, os jogos que ele se saiu bem foram: ET:Legacy v2.75; Xonotic v0.8.2 e The Tesseract v2014-05-12. Nesses games o driver open source ficou “colado”com o driver proprietário, conforme você pode ver nas imagens abaixo, mas ainda assim perdendo.








Para ver os testes completos, veja neste link do Phoronix.

Vai jogar no Linux com Nvidia? Instale o Driver proprietário

Com esses testes, podemos tirar algumas ideias sobre o driver open source, o nouveau. Caso você tenha uma GPU um pouco mais antiga, como as das séries 600 e 700, o desempenho em jogos fica no razoável, ainda que você não tenha suporte ao Vulkan, o que é uma grande perda para jogos mais recentes e para os que rodam via Proton e DXVK. Caso você tenha GPUs mais recentes, das séries 900 e 1000, o desempenho fica perto do injogável. 

Enquanto a NVIDIA não trabalhar junto com o pessoal do Nouveau, infelizmente ele ficará preso a GPUs antigas e tecnologias básicas, uma triste realidade. Ao menos a empresa oferece um driver proprietário que funciona corretamente e entrega um bom desempenho.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


NVIDIA PhysX torna-se Open Source e isso pode ser bom para os jogos em Linux

Nenhum comentário

sexta-feira, 7 de dezembro de 2018

Nesta Segunda-feira (3) a NVIDIA anunciou através do seu blog a disponibilidade do código fonte do NVIDIA PhysX para que todos possam usar a sua Engine para simulação física de alta realidade e qualidade.

 NVIDIA PhysX torna-se Open Source e isso pode ser bom para os jogos em Linux






O anúncio foi feito pelo Diretor Sênior de Engenharia em Conteúdos e Tecnologia, Rev Lebaredian, que é também é responsável pelas tecnologias do GameWorks da Nvidia. No post ele fala o seguinte:

“Estamos fazendo isso porque a simulação física acabou sendo mais importante do que imaginávamos. A simulação física se encaixa com inteligência artificial, robótica e visão computacional, veículos autônomos e computação de alto desempenho. É fundamental para tantas coisas diferentes que decidimos disponibilizá-la ao mundo de forma em open source.”

Você pode ver uma demonstração do funcionamento do PhysX no vídeo logo abaixo.

           

O código do PhysX está sob a licença BSD-3, além da aceleração por GPU também estar sob essa licença. Para saber mais sobre ela, acesse este link. O código fonte também foi disponibilizado no GitHub.


O PhysX também tem integração com às Engines Unreal 3 e 4 e com a Unity3D. O anúncio completo e com mais detalhes você pode conferir diretamente no blog da NVIDIA.

Isso é uma notícia muito boa para os devs que queiram portar os seus games para Linux, pois agora vão ter a sua disposição mais uma ferramenta poderosa e assim podendo entregar cada vez mais produtos de altíssima qualidade no Linux e acabando aos poucos às diferenças que ainda existe em alguns títulos em relação ao Windows. Além é claro de abrir a possibilidade mencionadas pelo Rev, onde se poderá usar o PhysX em carros autônomos, IA e computação de alto desempenho.

O que você achou dessa liberação da NVIDIA? Você acha que isso pode trazer algum benefício a curto e a longo prazo para quem utiliza Linux?

Conto com vocês, até uma próxima! Um forte abraço.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Veja como instalar o Ubuntu e o Mint em um notebook com GPUs hibridas (Intel + NVIDIA)

Nenhum comentário

terça-feira, 20 de novembro de 2018

Muitos que chegam ao Linux através do Ubuntu ou do Mint usam notebooks com o sistema híbrido de GPUs, em que o notebook tem duas placas de vídeo, uma sendo a integrada da Intel e a outra da NVIDIA na maioria das vezes.


Veja como instalar o Ubuntu e o Mint em um notebook com GPUs hibridas (Intel + NVIDIA)






Muitos notebooks não lidam bem com o driver open source nouveau, driver este mantido pela comunidade e com engenharia reversa em relação ao driver proprietário da NVIDIA. Por causa dessa barreira, muitos desistem em utilizar o Linux (mais específico deste tutorial, o Ubuntu e o Mint) e voltam a utilizar o Windows por causa disso, porém, esse problema é contornável, basta fazer um ajuste na tela de boot, esse ajuste é um parâmetro que faz com que o driver nouveau não seja carregado junto com o kernel e assim podendo subir o sistema e instalando o mesmo.

A tela que devemos fazer esse ajuste, é a tela logo após o boot, como se mostra na imagem abaixo.



Como podem ver, para editar as opções basta pressionar a tecla TAB  e assim ir para a tela seguinte onde vamos por o comando nouveau.modeset=0 splash quiet acpi=off


Depois disso o seu sistema é para subir sem muitos problemas e assim continuar a instalação. Lembrando que logo após a primeira reiniciada do sistema, é recomendado a instalação do driver proprietário da NVIDIA e assim desfrutar de melhor performance e estabilidade, principalmente para jogos e tarefas que exijam mais da sua GPU NVIDIA.

O Canal parceiro, O Cara do TI, fez um vídeo muito bacana mostrando como fazer isso no Mint, mas se aplicando ao Ubuntu também.

            

E se você quiser saber como ter a última versão do driver da NVIDIA, temos um vídeo no canal mostrando como fazer isso, vale muito a pena conferir.

            

Um agradecimento especial ao Cristiano, um dos principais nomes da comunidade Fedora no Brasil e que ajuda a difundir o Linux no Brasil. Foi ele que me ajudou a encontrar essa solução, muito obrigado Cris =) .

Um forte abraço e até uma próxima.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


GTX 1050Ti iGame com desconto de 50%, ótima opção para jogar no Linux!

Nenhum comentário

domingo, 28 de outubro de 2018

Os nossos parceiros da Tomtop nos comunicaram sobre uma promoção de Halloween que eles estão fazendo com placas de vídeo. Como muitos nos acompanham por conta da acensão de jogos no Linux e sempre nos pedem recomendações deles modelos que podem rodar os jogos, esta pode ser a oportunidade de comprar uma boa placa por um preço, bem abaixo do normal.

GTX 1050 Ti






Quem estava em busca de uma boa promoção para comprar uma nova placa de vídeo compatível com jogos no Linux, podendo usar tecnologias como o Vulkan e o Steam Play sem precisar pagar muito, pode encontrar aqui uma boa oportunidade.

A Tomtop, patrocinadora do Diolinux, está vendendo a GTX 1050 Ti iColor por apenas R$ 697.16, 50% OFF. Clique aqui para saber mais.

Cupom: BRAZILONLYGTX



A promoção deve durar pelo menos mais 4 dias apenas, então fique ligado para não perder o prazo.

Esse modelo da GTX 1050 Ti tem uma saída Display Port, uma saída HDMI e uma DVI, além de um botão de "Boost", que permite que você aumente o clock da placa facilmente em 200 Mhz aproximadamente. Com 4GB de memória de vídeo, ela deve ser o suficiente para rodar a maior parte dos games do mercado, ainda que não sejam em sua qualidade máxima.

Atualmente eu uso uma 1060 de 3GB e ela consegue dar conta de todos os games que rodamos nas nossas lives na Twitch, como Warframe, GTA V, Rocket League, PES2019, todos rodando no Linux. São duas placas muito próximas.

Os únicos contras de comprar uma placa de fora do Brasil como esta é uma possível taxação no produto e a garantia, não porque não tenha garantia ou algo do tipo, porque ela tem, o problema é provavelmente a logística. Você teria que enviar a placa de volta em caso defeito e aguardar ela voltar ou receber uma nova, e isso naturalmente pode demorar mais do que você gostaria.

Eu diria que é uma balança que só você pode desempatar, o valor realmente é muito abaixo do praticado aqui no Brasil, dificilmente você encontra alguma GTX 1050 Ti nova por menos de mil Reais. Pese o que é mais importante para você e boas compras!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Pop!_OS lança nova versão do sistema se baseando no Ubuntu 18.10 com suporte a TensorFlow da Google

Nenhum comentário

quarta-feira, 24 de outubro de 2018

No último dia 19 de Outubro, o pessoal da System76 lançou uma nova versão do seu sistema, Pop!_OS ,baseando-se no novo Ubuntu 18.10,com algumas melhorias e novas ferramentas.

 Pop!_OS lança nova versão do sistema se baseando no Ubuntu 18.10 com suporte a TensorFlow da Google






O novo Pop!_OS virá com o novo kernel, novo pacote de drivers gráficos, GNOME 3.30, incluindo a esperada correção para o problema de uso excessivo de RAM, além disso, temos . Os updates de temas e ajustes visuais nos widgets do Pop!_OS.

A primeira coisa que foi melhorada foi a Pop!_Shop com dois pontos principais:

● As visualizações dos aplicativos está carregando de forma mais rápida;

● Melhorias na interface do usuário para evitar congelamentos;

Uma grande e importante novidade é a integração com o software de de inteligência artificial da Google, o TensorFlow, que você pode acessar o GitHub deles. Segundo os desenvolvedores, foi feita a manutenção do CUDA e o TensorFlow no repositório da distro, tornando muito mais simples de instalar a ferramenta através de um simples comando, a instalação que antes poderia levar, segundo eles, mais de 100 linhas de comando, agora foi reduzida a uma só:

sudo apt install tensorflow-cuda-latest
 Esse pacote faz a instalação do CUDA + cuDNN + TensorFlow no Pop!_OS, reforçando a ideia do sistema ser para “Creators, Makers, Builders’.


Um nova melhoria está na ferramenta Distinst e ao Instalador do sistema, com várias correções de  bugs e melhorias que foram aplicados a ambas. O Distinst também será dividido em várias caixas de ferramentas. Se quiser saber mais sobre a ferramenta, basta acessar o GitHub dele.

Outra melhoria anunciada pela equipe do Pop!_OS é o aperfeiçoamento do “System76 Power” com novos subcomandos e argumentos. Além de incluir um novo sinalizador o “-experimental”, fazendo com que novos recursos para o gerenciamento de energia sejam adicionados.

O System76 Power é um utilitário de linha de comando que permite que sejam ajustados manualmente configurações do uso da energia pelo computador.



Para comportar todas essas melhorias, a equipe também anuncia que agora eles vão hospedar os seus próprios repositórios, ficando mais independentes do Ubuntu e da Canonical, o processo será feito utilizando uma ferramenta própria deles e de código aberto. Os repositórios serão feitos a partir do APT e a configuração via TOML e a ferramenta também será dividida em várias caixas de ferramentas.

Atualização para a nova versão

* Lembre-se sempre de fazer backup.

Para os interessados em atualizar, a System76 anuncia que é possível fazer o upgrade do Pop!_OS 18.04 para a versão 18.10- via comandos no terminal, basta rodar cada um deles nessa ordem:
sudo apt update
sudo apt full-upgrade
sudo sed -i s/Prompt=lts/Prompt=normal/ /etc/update-manager/release-upgrades
do-release-upgrade
Para baixar o Pop!_OS para a plataforma AMD/INTEL, use esse link, se o seu equipamento tiver GPUs da NVIDIA use esse link.

Se você quiser ver como o Pop!_OS 18.04 se comporta, temos dois vídeos lá no canal mostrando ele e vamos deixar eles logo abaixo.

 Pop!_OS - Review (System76)

        

Instalando LINUX num AVELL TITANIUM B155 (Pop!_OS)

         

Pop!_OS e System76 - Diolinux Entrevista Carl Richell e Cassidy Bleade

          

Muito legal ver iniciativas como essas como o Pop!_OS que  estão “antenadas” as mudanças das principais distros “mães” e aplicando o mais breve possível nos seus projetos e não ficando para trás.

Muito legal ver que o sistema está antenado com as mudanças incluídas upstream (Ubuntu), acrescentando as correções da distro na qual se baseia, mas sem deixar de empregar a sua própria personalidade.

Agora nós diga aí nos comentários se você usa o Pop!_OS e se está gostando ou se você ainda pensa em utilizar.

Espero você até uma próxima, forte abraço.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Drivers Nvidia Ubuntu - Como instalar a última versão passo a passo!

Nenhum comentário

quarta-feira, 17 de outubro de 2018

Você acabou de instalar o Ubuntu no seu computador e está procurando uma forma simples de instalar os drivers de vídeo no seu sistema para aproveitar os milhares de jogos disponíveis para Linux na Steam ou simplesmente quer mais desempenho para realizar as suas tarefas? Esse artigo é tudo o que você precisava.

Como instalar os drivers Nvidia no Ubuntu






Para fins de esclarecimento, já existe uma versão muito completa deste mesmo tutorial aqui no blog, feito ainda na época do Ubuntu 16.04 LTS, quando o Unity era a interface padrão, as coisas não mudaram tanto desde então, mas é bom rever o material para deixá-lo atualizado, sendo assim, este tutorial passa a ser a sua referência para instalação de drivers Nvidia no Ubuntu.

Instalar drivers de vídeo no Ubuntu não requer, obrigatoriamente, nenhum comando no terminal, mas claro, é possível fazer dessa forma também. Esse tutorial se dividirá em 2 partes. A primeira (A), onde você aprenderá a fazer a instalação via terminal; a segunda (B), onde você aprenderá a fazer a instalação em modo gráfico.

Um pequeno glossário de drivers Nvidia no Ubuntu


Antes de te ensinar a fazer a instalação, a nossa preocupação é que você entenda o que está fazendo, e não que você apenas copie e cole todos os passos sem absorver conhecimento, por isso vamos esclarecer alguns termos que talvez você encontre pelo caminho ao tentar instalar um driver de vídeo Nvidia no Ubuntu:

Binary Driver: Refere-se ao tipo do driver (binário);

Proprietário: Refere-se ao tipo de código do driver, neste caso ele é fechado;

Open Source: Mesmo que o de cima, porém, neste caso o driver tem código aberto;

Legacy Binary Driver: São drivers que tecnicamente não são mais suportados pelos lançamentos oficiais da Nvidia, são utilizados em placas mais antigas, normalmente não recebem atualizações para desempenho, apenas bugfixes;

Nouveau (Xorg/Wayland): Este é o driver open source feito pelo projeto Nouveau, é um driver de vídeo básico que atualmente consegue apenas fazer com que a sua placa de vídeo funcione até que você possa instalar um driver mais adequado, possuindo um desempenho moderado. Ele vem normalmente junto com o Kernel do sistema, versões mais recentes do Kernel podem trazer versões mais recentes do driver Nouveau, ele vem melhorando bastante nas última versões com a ajuda da Nvidia e o árduo trabalho da comunidade, porém, ainda não é a melhor opção para quem quiser jogar;

Testado:
Alguns drivers do Ubuntu possuem o atributo "testado", isso significa que este driver foi analisado pela Canonical, empresa que desenvolve o Ubuntu, e é o driver recomendado para a maioria dos dispositivos se a sua intenção for estabilidade do sistema e não necessariamente recursos e desempenho, ele lhe entregará um driver que não irá desestabilizar o Ubuntu, entretanto, provavelmente também não entregará todo o desempenho possível da placa. O Interessante deste driver é que ele pode, em tese, ser usado com qualquer placa da Nvidia que o sistema funcionará sem maiores problemas. Caso a sua intenção não seja jogar, o driver "testado" se mostra uma boa opção.

Updates: Alguns drivers tem ao final de sua nomenclatura a palavra "updates", isso significa que este driver poderá receber atualizações dentro de sua linha de lançamento, por exemplo, o driver 340.93 poderá atualizar para o 340.94 se atualizações saírem para ele, porém, ele nunca mudará sua série, por exemplo, de 340.93 para 341. Alguns drivers não possuem o atributo "updates", desta forma, este driver não receberá atualizações.

A) Instalando drivers da Nvidia no Ubuntu via terminal


Muita gente gosta de usar o terminal no Linux para fazer as coisas; tudo bem, eu entendo o seu sentimento "hacker", ainda que você esteja apenas instalando um programa ou atualizando um repositório, é divertido sempre. 😊

Existem duas formas para você instalar os drivers pelo terminal, envolvendo passos diferentes. É possível fazer utilizando um utilitário via linha de comando chamado "ubuntu-drivers" ou então instalar manualmente via "apt", indicando o pacote que você deseja.

Caso você queira usar o driver "testado" abra o terminal e digite:
sudo ubuntu-drivers autoinstall

No entanto, se você está buscando pelas versões mais recentes dos drivers, antes deste procedimento é necessário adicionar o PPA: ppa:graphics-drivers/ppa 

* Questão: O que é um PPA?
Para adicionar este PPA, vamos precisar rodar os seguintes comandos:
sudo apt-add-repository ppa:graphics-drivers/ppa && sudo apt update
Depois disso o comando...
 sudo ubuntu-drivers autoinstall
... instalará a versão mais recente dos drivers Nvidia, mas também é possível dizer exatamente qual pacote você quer instalar, por exemplo:
sudo apt install nvidia-390
ou
sudo apt install nvidia-410 
Cada comando instalará uma versão diferente do driver. Para ter certeza de quais versões estão disponíveis no repositório, use o comando:
apt search nvidia-* 
O comando acima vai te mostrar todas as possibilidades.

Uma vez que você tenha adicionado o PPA, os novos drivers também aparecem na interface gráfica.

Lembre-se que depois do driver ser instalado é necessário reiniciar o computador, isso também pode ser feito com um comando no terminal:

sudo reboot
Depois da reinicialização, já que estamos falando de terminal, use o comando...
nvidia-smi
...para ver as informações sobre a sua placa.

B) Instalando os drivers Nvidia no Ubuntu como uma pessoal normal pela interface


O Ubuntu possui um software chamado "Programas e atualizações", nele você encontra várias opções para configurar o sistema de updates do sistema, seus repositórios e seus drivers.

Programas e atualizações

Você encontra este software procurando no menu do Ubuntu de forma muita simples, porém, outra forma de você acessar ele rapidamente é abrindo a sua loja de aplicativos (Software Ubuntu/GNOME Software), clicando em seu menu e então em "Software e Updates".

Programas e atualizações no Ubuntu

De toda forma, você chegará ao mesmo painel de configurações. Neste painel, encontre a aba "Outros Programas", nesta sessão você pode adicionar novos repositórios de softwares (PPA), exatamente como o de drivers Nvidia.

Adicione o PPA clicando no botão "Adicionar" na parte inferior, assim como é mostrado na imagem abaixo:

ppa:graphics-drivers/ppa

Adicionando PPA no Ubuntu

Depois de colocar o ppa:graphics-drivers/ppa na caixa, clique em "Adicionar Fonte", depois de adicionado, clique no botão "Fechar", então será sugerida a atualização do cache do repositório de softwares do Ubuntu, confirme para que o PPA seja lido, assim como os drivers.


Atualizando repositório de Software

Depois que o procedimento acabar, a janela do "Programas e atualizações" vai se fechar, abra-o novamente, mas desta vez navegue até a aba "Drivers adicionais", agora você encontrará as versões mais recentes dos drivers Nvidia disponíveis para o Ubuntu, basta escolher a que você quiser e clicar em "Aplicar alterações".

Instalando Drivers Nvidia no Ubuntu

Depois que a instalação terminar, reinicie o computador e tudo estará pronto!

Vale a pena fazer duas observações:

1 - Caso você não vá usar o Ubuntu para games e queira usar o Driver "testado", como explicado no início do artigo, você pode pular a etapa de adição do PPA, indo direto para a aba de "Drivers adicionais" e instalando da mesma forma. Isso torna o processo extremamente simples.

2 - Independente do modo que você escolheu instalar, terminal ou interface, ao final do processo você terá um novo aplicativo adicionado ao seu sistema, abra o menu e procure por "Nvidia X Server Settings", através dele você poderá fazer ajustes no comportamento da sua placa de vídeo e monitorar a temperatura, frequência, entre outras coisas.

É mais fácil do que parece!


Um tutorial como este é ligeiramente técnico, mas ele não é nada difícil. Ele parece "longo" ou "complicado" por conta do passo a passo detalhado, mas de verdade, é um procedimento que você não leva (literalmente) nem um minuto para fazer, é realmente simples e funcional.

Para os gamers de Linux especialmente, versões mais recentes de drivers de vídeo representam melhor desempenho com Vulkan e com o DXVK para jogar os games através do Proton/Steam Play. 

Adicionado o PPA, você receberá também atualizações dos drivers e sempre que houver um novo lançamento, basta ir até o mesmo painel e fazer a alteração.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Evoluções dos projetos DXVK, PROTON e WINE depois do apoio da Valve

Nenhum comentário

terça-feira, 16 de outubro de 2018

Desde o anúncio da Valve com a implementação do Proton, uma parceria feita com a CodeWeavers, várias melhorias vem acontecendo em outros projetos como o DXVK, WINE e o próprio VULKAN.

Evoluções dos projetos DXVK, PROTON e WINE depois do apoio da Valve






No começo do ano de 2018 fomos apresentados ao projeto DXVK, que a princípio faria uma camada de conversão entre a API DirectX 11 para o VULKAN, assim possibilitando que alguns jogos pudessem rodar no Linux, como por exemplo o  GTA V. E até meados de Julho o seu progresso era muito bom e vinha trazendo várias melhorias e correções de bugs que essa implementação acarreta.

Na mesma linha víamos o projeto VULKAN, API gráfica que concorre com a API da Microsoft, ganhando mais linhas de código, melhorias e correções de bugs que vinham melhorando a performance dos jogos que utilizam a API de forma nativa ou através do DXVK.

A outra ferramenta que veio ganhando melhorias aceleradas foi o projeto WINE (Wine is not an emulator), que até 2018, tinha implementações sendo “soltas” de forma pragmática e conservadora, sempre apostando no “jogo seguro” para não cometer erros.

Mas tudo isso mudou de forma rápida e positiva em meados de Julho, quando a Valve fez o anúncio bombástico do projeto Proton, que resumidamente, faria com que jogos feitos somente para Windows rodarem no Linux.

Com o anúncio do projeto Proton todos estes projetos cresceram de forma acelerada surpreendendo a cada lançamento. 

Primeiro foi o projeto VULKAN, que dá uma base sólida para todo o projeto Proton, que vem ganhando a cada lançamento mais e mais melhorias e implementações em seu código, chegando na versão 1.1 e marcando presença nas principais Engines do mercado como a CryEngine, idTech, Unity, Source e Unreal Engine. Com isso, as desenvolvedoras de jogos que optarem por usar VULKAN vão poder portar os seus jogos de forma “suave” para Linux e sem maiores transtornos, mesmo usando o projeto Proton.

Já o segundo que veio ganhando um aprimoramento acelerado foi o DXVK. Se no começo do ano ele dependia de uma equipe reduzida, hoje eles contam com o apoio da gigante da indústria dos Games,  Valve. Quando a Valve anunciou a sua ferramenta de compatibilidade, comentou que já vinha dando apoio para o pessoal do DXVK. Por isso que muitos da comunidade Linux viram o rápido crescimento do projeto. A última versão dele já tem suporte para DX10 e DX11, além de terem iniciado os testes para poder incorporar o DX9 ao projeto DXVK.

Por último e não menos importante, temos o WINE, o nosso “velho guerreiro” que sempre nos ajudou a rodar vários jogos e programas no passado e hoje tem um papel fundamental nessa nova era dos games no Linux. Ele tem papel fundamental pois a CodeWeavers (empresa por trás da versão comercial do Wine, o CrossOver) fechou parceria com a Valve e acelerou a versão do WINE para a Steam , e o projeto original que podemos usar gratuitamente vem se beneficiando diretamente por isso, visto que ultimamente tem saído várias versões do WINE e com um monte de melhorias vindo dos reports da Steam, fora os que a comunidade já reporta no site e fóruns do próprio WINE.

Para usar o VULKAN você vai precisar dos drivers mais recentes para a sua GPU, sendo Intel, AMD e NVIDIA.

Para AMD e Intel você precisa usar o Mesa Driver 18.1 ou posterior. Já para NVIDIA você vai precisar usar o Driver Proprietário nas versões mais recentes, as versões Beta. Até o momento está na versão 396.54.09 ou o 410.57.

Para saber mais sobre o projeto VULKAN, basta acessar o site deles. Para acompanhar o projeto DXVK, é só acompanhar eles no GitHub.

É muito legal ver essa evolução das ferramentas que venham a possibilitar os jogos para Linux e trazendo mais opções para os consumidores. Como falei em um Diolinux Friday Show, creio que a próxima a aderir ao projeto Proton é a Battlenet, dona do Overwatch, World of Warcraft e Diablo pois o catálogo dela é pequeno e mais fácil de administrar.

Mas agora conte aí nos comentários, o que você espera dessa evolução do projeto Proton e tudo aquilo que ele “Puxa” junto.

Um forte abraço e até a próxima.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Canonical chama usuários do Ubuntu para testar Nvidia PRIME

Nenhum comentário

quarta-feira, 3 de outubro de 2018

O Nvidia PRIME é uma tecnologia que permite que os usuários de Linux utilizem de forma estável e funcional os computadores que possuem hardwares comutáveis, ou seja, que possuem dois chips gráficos, ou ainda, que possuem placas gráficas híbridas, como também é como de ser designado. Para melhorar a experiência de quem possui estar hardware no Ubuntu a Canonical precisa da sua ajuda.


Nvidia Prime no Ubuntu






Através do Community Hub do Ubuntu a Canonical anunciou uma chamada de voluntários para testar o Nvidia Prime remodelado para o Ubuntu 18.04 LTS e o Ubuntu 18.10.

Segundo os desenvolvedores, o Ubuntu 18.04 LTS, lançado no início deste ano, marcou a transição do Ubuntu para uma nova forma de trabalhar com os drivers Nvidia, o que, infelizmente, somado a mudança de gestor de login (LightDM do Unity, para GDM do GNOME) fez com que laptops com placas híbridas (Intel+Nvidia) parassem da funcionar da forma com que eles funcionavam no Ubuntu 16.04 LTS e anteriores. 

Os problemas que os usuários enfrentaram neste sentido eram randômicos, mas alguns deles acabavam gerando uma maior consumo de energia, mesmo quando a GPU com maior performance estava desativada e também a incapacidade de mudar o perfil de desempenho sem precisar reiniciar o computador.

A Canonical afirma que está trabalhando no porte dos recursos existentes no Ubuntu 16.04 com Unity para o GNOME (ou o GDM), assim trazendo esta funcionalidade de volta com maior eficiência. Ambos os problemas mencionados devem ser corrigidos para o Ubuntu 18.10, que deverá ser disponibilizado em alguns dias (você pode baixar o Beta aqui no momento) e depois será entregue ao Ubuntu 18.04 LTS, assim que os resultados dos testes forem positivos.

A empresa pede a comunidade de usuários Ubuntu que usam a versão 18.04 LTS e possui placas híbridas que reportem os erros e problemas eventuais encontrados nesta configuração através do Launchpad.

Will Cooke também comenta que quem deseja testar o recurso experimental pode seguir um certo procedimento, entretanto, esses testes não são indicados para leigos ou pessoas que usam a máquina para produtividade, é ideia é instalar os recursos e reportar os bugs, porque, provavelmente eles vão aparecer.

Como ativar esse recurso experimental?


Segundo o material divulgado pela Canonical, são apenas alguns passos:

1 - Habilite o repositório "bionic-proposed", você pode fazer isso através do aplicativo "Programas e atualizações".

2 - Crie um arquivo neste diretório:
/etc/apt/preferences.d/proposed-updates
No arquivo você deve colocar este conteúdo:

Package: *
Pin: release a=bionic-proposed
Pin-Priority: 400

3 - Atualize os repositórios:
sudo apt-get update
4 - Por último, instale os novos pacotes vindos deste novo repositório para testar:
sudo apt install nvidia-driver-390/bionic-proposed gdm3/bionic-proposed ubuntu-drivers-common/bionic-proposed nvidia-prime/bionic-proposed nvidia-settings/bionic-proposed libnvidia-gl-390/bionic-proposed libnvidia-compute-390/bionic-proposed libnvidia-decode-390/bionic-proposed libnvidia-encode-390/bionic-proposed libnvidia-ifr1-390/bionic-proposed libnvidia-fbc1-390/bionic-proposed

Reinicie o computador para começar a testar e lembre-se de reportar os problemas para ajudar no desenvolvimento do sistema.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Canonical quer a sua ajuda para melhorar o driver NVIDIA no Ubuntu

Nenhum comentário

terça-feira, 11 de setembro de 2018

Nos últimos dias, o diretor da divisão de desktops da Canonical, Will Cooke, vem recrutando usuários que tenham GPUs da NVIDIA e que queiram ajudar na melhoria do suporte para os drivers no Ubuntu.

Canonical que a sua ajuda para melhorar o driver NVIDIA no Ubuntu 18.04 e 18.10






Cooke quer trazer a melhor experiência possível para o Ubuntu, o que deve se refletir diretamente no desktop do usuário final.

A “convocação” foi feita através do site discurse.ubuntu.com, onde ele detalhe melhor o procedimento, mas dentre as suas declarações, há algo que vale a pena destacar:

“Estamos procurando voluntários comprometidos para testar a GPUs da  NVIDIA com drivers open source e de código proprietário. O objetivo desse teste é detectar as regressões no início do ciclo e corrigir os erros antes que eles alcancem um grande público”

Para entrar no programa de testes, você deve ter uma conta no Launchpad (se não tiver uma, basta fazer o cadastro) e depois acessar o link do xorg.qa com a conta criada e seguir as instruções que estão no comunicado.
Isso é muito legal por parte da Canonical, pois esta é uma forma de mostrar que ela está ciente de que melhorias são necessárias e está atenta e disposta a melhorar o sistema, de modo que toda ajuda seja bem-vinda, participe você também!

Diga-nos  nos comentários o que você achou da ideia e se vai ajudar.

Até a próxima e um forte abraço.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo