Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador nvidia prime. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador nvidia prime. Mostrar todas as postagens

Nova versão do plugin Mate Optimus ganha suporte ao driver 435

Nenhum comentário

terça-feira, 10 de setembro de 2019

Muitos dos leitores do blog Diolinux, vem acompanhando a “saga” do Linux em notebooks híbridos (Intel+NVIDIA), onde já produzimos artigos de como instalar o Ubuntu/Mint até a notícia mais esperada, a compatibilização completa no Linux, que finalmente saiu e você pode conferir aqui.

Nova versão do plugin Mate Optimus ganha suporte ao driver 435






Dentro desses artigos, teve também artigos falando que a NVIDIA estava disposta a trabalhar o Optimus no Linux, como também os anúncios da Canonical, através do Ubuntu, incluindo os drivers da NVIDIA já na ISO.

Por incrível que pareça, a primeira flavour do Ubuntu a se movimentar e começar o processo de suporte, foi o Ubuntu MATE, através do desenvolvedor principal, Martin Wimpress. Tanto que tem um artigo falando sobre o Ubuntu MATE 19.04 e as suas facilidades com as híbridas.

E como não seria surpresa para ninguém, eis que o Ubuntu MATE surge novamente como “pioneiro”  no mundo das híbridas, vamos assim dizer 😁.

Em seu Twitter, Martin fez um anúncio muito positivo e gerou uma expectativa muito boa na comunidade. Ele anunciou uma nova versão do plugin mate-optimus para a versão 19.10 (a mesma do Ubuntu 19.10) e assim compatibilizando-o com as novidades trazidas pela NVIDIA no driver 435, em especial para as híbridas (Nvidia Optimus).



Como demonstra a imagem, agora podemos escolher qual modo utilizar (Power Saving, Performance Mode ou On-Demand).

É ali na opção On-Demand, que “reside a mágica” da Nvidia para as híbridas. No primeiro anúncio, Martin tinha informado que ainda seria necessário fazer o logoff para a troca. Aí perguntei a ele se pretendia compatibilizar a "não necessidade" dessa etapa, e ele disse que ia arrumar. E assim fez.

Também perguntei se essa ferramenta poderia ser usada em outras interfaces ou se ele teria alguma informação sobre. Ele confirmou que sim, e que as interfaces suportadas serão: MATE, XFCE, Budgie, Cinnamon, GNOME, KDE e LXQt. Para conferir a thread completa, acesse o link.

Ele também me falou, que se a pessoa quiser testar fora do Ubuntu 19.10, bastasse clonar o repositório do GitHub e rodar os binários em usr/bin. Se você quiser testar, o GitHub dele é esse aqui.

Isso era questão de tempo, das distros e interfaces gráficas a compatibilizar a solução da NVIDIA e assim ir “quebrando” esse tabu no Linux, que na minha visão, será totalmente derrubado no Ubuntu 20.04 LTS, assim fazendo com que as outras distros e flavours também irão seguir.

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum.

Espero você até a próxima, um forte abraço.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Nvidia traz melhorias no PRIME, será o fim dos problemas com placas híbridas no Linux?

Nenhum comentário

quarta-feira, 14 de agosto de 2019

Parece que a NVIDIA tirou um tempinho para “brincar” com as emoções do usuários Linux nos últimos dias 😁. Primeiro foi o lançamento de três (3) drivers ao mesmo tempo e depois lançando a documentação das suas GPUs, assim ajudando o driver open source Nouveau. Agora chegou a vez do pessoal das híbridas (eu incluso 😄), e finalmente o nosso “calvário” está chegando ao fim.


Nvidia traz melhorias no PRIME, será o fim dos problemas com placas híbridas no Linux?





Nesta Terça (13), a Nvidia veio com uma notícia “bombástica” para quem usa GPUs híbridas (Intel+Nvidia), com o seu novo driver Beta, o 435.17, onde ela traz ao Prime, finalmente, o Optimus, funcionalidade que permite a “switch” (troca) rápido entre as GPUs (entre a Intel e Nvidia). Em um exemplo prático, você usa a GPU integrada ao processador para as tarefas triviais do dia a dia, como navegar na internet, ouvir música, ver vídeos, editar documentos e etc. Mas se você quiser jogar, renderizar algum vídeo ou qualquer outra tarefa que precise de mais poder de processamento, aí você escolheria a GPU da Nvidia para isso. Com isso, você consegue uma eficiência maior da bateria.

O primeiro indício que essa função estaria chegando, foi percebida pelo pessoal do Phoronix em Abril deste ano (2019), na qual foi relatado que a Nvidia estaria trabalhando em uma nova extensão GLX, a GLX_EXT_server_vendor_select, que permitiria essa troca. Kyle Brenneman, dev da Nvidia para Linux, explicou melhor neste link.
Agora parece que isso está mudando, graças a outro dev da Nvidia para Linux,  Aaron Plattner, estamos chegando perto da solução. 

Em um anúncio no blog oficial de desenvolvedores da Nvidia, ele lista as melhorias do driver beta 435.17, constando as implementações iniciais do GLX. Para poder usar essa novidade é preciso ter uma versão bem atualizada do Xorg com algumas implementações feitas pela Nvidia, a empresa disponibilizou as novidades via PPA, que por hora só está disponível para a Base Ubuntu (nas versões 19.04 e 18.04). Com esse Xorg ”novo” e com o driver Beta, será possível fazer o “switch” das GPUs.

Também foi adicionado o suporte para Vulkan e OpenGL+GLX no PRIME. Está sendo incluído também o runtime de gerenciamento de energia D3 (RTD3), que vai ajudar e muito na economia de energia nos notebooks. O comunicado por completo você confere aqui. As novidades foram:

● Adicionado suporte experimental para a runtime D3 (RTD3) para o gerenciamento de energia em notebook com GPUs Turing;
● nvidia-bug-report.sh aprimorado para coletar informações do runtime D3 (RTD3);
● nvidia-bug-report.sh aprimorado para coletar tabelas ACPI quando a ferramenta acpidump estiver disponível;
● Adicionado suporte do Vulkan e OpenGL+GLX ao PRIME. 

Mais detalhes aqui.

Se você quiser baixar o driver e experimentar, basta acessar aqui e seguir as instruções de instalação. Se não, espere chegar no PPA.

Agora é só “sentar e aguardar” a chegada do driver nas distros e também observar o movimento da DEs, no sentido da criação de soluções como “abra a Steam com a sua placa de vídeo NVIDIA”. Quem disse que esse dia não chegaria, não é meus amigos? Depois que o suporte oficial chegar, faremos um artigo contando as primeiras impressões.

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum.

Espero você até a próxima, um forte abraço.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Ubuntu 19.10 vai trazer driver da Nvidia embutidos na ISO

Nenhum comentário

quarta-feira, 29 de maio de 2019

Houve um tempo em que instalar drivers de vídeo no Linux era uma verdadeira batalha “homérica”, digna dos “12 trabalhos de Hércules”. Hoje em dia essa tarefa é bem mais simples, visto que a AMD e Intel já disponibilizam os seus drivers no próprio Kernel, só ficando de fora a NVIDIA. Mas isso tende a mudar.

 Ubuntu 19.10 vai trazer driver da Nvidia embutidos na ISO






Em uma thread do Ubuntu no Launchpad, foi reportado um "relatório de erro" com a seguinte descrição:

"No desktop do Ubuntu, sem uma conexão de rede, o usuário pode optar por instalar os drivers de terceiros (que afirma que ele instalará o driver gráfico), mas mesmo que ele selecione essa opção, os drivers proprietários da NVIDIA não serão instalados porque não estão no pool da ISO."

Com isso, a equipe da Canonical (Ubuntu) resolveu acrescentar os drivers 390 e 418 na ISO do Ubuntu, um acréscimo de 114 MB. Deixando a ISO com 2,1 GB. Tal mudança teve o aval da Nvidia.

Tal facilidade em instalar o driver da NVIDIA no Ubuntu tende a melhorar "da água para o vinho" e potencialmente podendo trazer mais usuários novos para o Linux, através do Ubuntu. Isso também inclui o pessoal que gosta de jogar.


O driver proprietário da NVIDIA, por padrão vem desabilitado, mas com essa mudança, eles poderão ser ativados sem a necessidade de conexão com a internet, como ocorre na versão 19.04. O driver de código aberto "nouveau" ainda vai ser o padrão para novas instalações ou no modo "live".


Essa mudança de mentalidade da Canonical, em colocar essa facilidade para quem usa NVIDIA e precisa dos recursos que o driver open source não disponibiliza é muito bem-vinda pois, isso trás o usuário "comum" para perto do Linux e também de "quebra" começa a "consertar", em parte, o problema com as GPUs híbridas, dando o primeiro passo no Ubuntu 19.04. Até a versão 18.04.2 LTS e 18.10, você precisava editar o grub no boot para possibilitar a instalação em notebooks híbridos com placas mais recentes, mas com o Ubuntu 19.04 isso mudou, bastando marcar a opção de instalação dos drivers proprietários, assim começando o download e instalação do driver 418 da NVIDIA.

Com a possibilidade de não precisar de uma conexão com a internet, é mais um passo da Canonical, com o Ubuntu, para se tornar de novo a referência no mercado de desktops domésticos e assim angariar novos usuários.

Falando nas GPUs Híbridas…


A NVIDIA vem trabalhando para aperfeiçoar o PRIME, através do dev Kyle Brenneman, para melhorar o suporte aos múltiplos drivers de GPU, nesse caso Intel+NVIDIA. Isso seria através de uma extensão GLX que controlaria o GLXVND. De uma forma "beeemmm" resumida, seria a possibilidade de usar a GPU integrada ao processador da Intel para as funções mais corriqueiras, e quando precisasse de "mais potência" acionaria a GPU da NVIDIA, sem precisar fazendo logoff ou reiniciar o computador ao invés de escolher entre uma ou outra GPU, como é hoje em dia. Essa implementação está sendo planejada para o Server Xorg 1.21, mas ele não tem data de lançamento, uma pena. Mas já é um grande progresso. Para ver as listas de discussões sobre essa funcionalidade, você pode ver aqui e aqui.

Arrisco a dizer que a versão 20.04 LTS do Ubuntu, teremos tais melhorias, sobretudo, mais na parte de notebooks, e talvez vejamos enfim o fim “do calvário” de usuários, que como eu, poderão usar o seu equipamento em plenas capacidades com menos dor de cabeça para configurações extras.

Deixe a sua opinião aí nos comentários, para sabermos o que você achou da novidade.

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá  no nosso fórum.

Espero você até a próxima, um forte abraço.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Ubuntu MATE 19.04, o Ubuntu para notebooks híbridos (Intel+NVIDIA)?

Nenhum comentário

quarta-feira, 24 de abril de 2019

Como não poderia deixar de faltar, uma das flavours do Ubuntu e que se tornou “queridinha” da comunidade por sua leveza e personalização, o Ubuntu MATE chega também na versão 19.04 com uma grande novidade, suporte facilitado a notebooks híbridos com GPUs Intel+NVIDIA, além de outros updates no projeto. Vamos conferir.


 Ubuntu MATE 19.04, o Ubuntu para notebooks híbridos (Intel+NVIDIA)?






Começaremos com o projeto MATE e as ferramentas ligadas a ele, como o MATE Desktop, Applet MATE Dock, Caja e afins.


O Ubuntu MATE 19.04 vai vir ainda com o MATE Desktop 1.20.4 com as últimas correções fornecidas pela equipe. Eles mencionaram que não estão enviando com a versão 1.22 por causa de estabilidade em novas funcionalidades que ainda precisam de “lapidação”.

Nesta versão do MATE, agora tem suporte a telas com HiDPI, com detecção automática e com escalonamento. Suporte ao Menu Global (presente por muito tempo no Unity7). O gerenciador de arquivos Caja, que encontra-se na versão 1.20 com melhorias no seu código e correções de bugs pontuais. O MATE 1.22 entrará no próximo ciclo de desenvolvimento, que será do Ubuntu MATE 19.10. Para maiores detalhes do MATE 1.20, você pode conferir aqui.

Outro aplicativo do projeto MATE que recebeu um update, foi o Applet MATE Dock, aplicativo esse que “simula” outras interface gráficas, como a do Windows, macOS e do ”finado” Unity 7. Agora ele está na versão 0.88.

Drivers da NVIDIA e notebooks híbridos


Essa novidade do Ubuntu MATE 19.04 me pegou de surpresa. Depois da entrevista do Alexandre Ziebert da NVIDIA, dizendo que a Microsoft tinha “tomado” para si a responsabilidade de fazer a comutação e tudo mais no “mundo das híbridas”, pensei seriamente que algo parecido não chegaria ao Linux, ou que demoraria muito tempo. Ainda bem que eu estava enganado. (emoji de sorriso)

Na entrevista do Will Cooke aqui para o blog, ele disse que a Canonical está de olho neste nicho e que ele carecia de ferramentas melhores na hora da instalação. E não é que veio mesmo…

Ainda que no Ubuntu “normal” você precise ativar depois da instalação (e isso não é um bicho de 8000 milhões de cabeças), o Ubuntu MATE preferiu “cortar caminhos” e assim já ativar na instalação. Quando você estiver instalando o sistema, basta habilitar a seguinte opção “Instalar software de terceiros para gráficos e hardware Wi-Fi”, e o sistema fará o restante.



Logo depois da instalação, se você quiser confirmar se o Driver da NVIDIA está instalado corretamente, basta abrir o terminal e digitar “nvidia-smi”. Além disso, o Ubuntu MATE vai adicionar um applet gráfico, onde você poderá escolher a GPU que quer usar. O nome do applet é MATE Optimus




Sinceramente, isso é muito bom e animador para quem tem notebooks híbridos (Intel+Nvidia) como eu,  que até o momento passava alguns apuros para utilizar o Pinguim, apuros esses que são contornáveis mas que hoje exigem certos ajustes manuais. Sei que muitos vão falar do Bumblebee, primus, bbswitch, optirun e primusrun, mas como podemos ver na imagem abaixo, somente o Bumblebee teve uma “movimentação” recente enquanto os outros projetos (tirando o optirun e primusrun) ainda estão parados, e usá-los em GPUs mais novas é bem problemático. Espero que a Canonical dê este “ponta pé inicial” no Linux, juntando forças com a NVIDIA também, assim trazendo a tecnologia por completo.




Para baixar o Ubuntu 19.04 basta clicar neste link, e o post deles fazendo o anúncio pode ser conferido aqui.

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá  no nosso  fórum

Espero você até a próxima, um forte abraço.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Canonical chama usuários do Ubuntu para testar Nvidia PRIME

Nenhum comentário

quarta-feira, 3 de outubro de 2018

O Nvidia PRIME é uma tecnologia que permite que os usuários de Linux utilizem de forma estável e funcional os computadores que possuem hardwares comutáveis, ou seja, que possuem dois chips gráficos, ou ainda, que possuem placas gráficas híbridas, como também é como de ser designado. Para melhorar a experiência de quem possui estar hardware no Ubuntu a Canonical precisa da sua ajuda.


Nvidia Prime no Ubuntu






Através do Community Hub do Ubuntu a Canonical anunciou uma chamada de voluntários para testar o Nvidia Prime remodelado para o Ubuntu 18.04 LTS e o Ubuntu 18.10.

Segundo os desenvolvedores, o Ubuntu 18.04 LTS, lançado no início deste ano, marcou a transição do Ubuntu para uma nova forma de trabalhar com os drivers Nvidia, o que, infelizmente, somado a mudança de gestor de login (LightDM do Unity, para GDM do GNOME) fez com que laptops com placas híbridas (Intel+Nvidia) parassem da funcionar da forma com que eles funcionavam no Ubuntu 16.04 LTS e anteriores. 

Os problemas que os usuários enfrentaram neste sentido eram randômicos, mas alguns deles acabavam gerando uma maior consumo de energia, mesmo quando a GPU com maior performance estava desativada e também a incapacidade de mudar o perfil de desempenho sem precisar reiniciar o computador.

A Canonical afirma que está trabalhando no porte dos recursos existentes no Ubuntu 16.04 com Unity para o GNOME (ou o GDM), assim trazendo esta funcionalidade de volta com maior eficiência. Ambos os problemas mencionados devem ser corrigidos para o Ubuntu 18.10, que deverá ser disponibilizado em alguns dias (você pode baixar o Beta aqui no momento) e depois será entregue ao Ubuntu 18.04 LTS, assim que os resultados dos testes forem positivos.

A empresa pede a comunidade de usuários Ubuntu que usam a versão 18.04 LTS e possui placas híbridas que reportem os erros e problemas eventuais encontrados nesta configuração através do Launchpad.

Will Cooke também comenta que quem deseja testar o recurso experimental pode seguir um certo procedimento, entretanto, esses testes não são indicados para leigos ou pessoas que usam a máquina para produtividade, é ideia é instalar os recursos e reportar os bugs, porque, provavelmente eles vão aparecer.

Como ativar esse recurso experimental?


Segundo o material divulgado pela Canonical, são apenas alguns passos:

1 - Habilite o repositório "bionic-proposed", você pode fazer isso através do aplicativo "Programas e atualizações".

2 - Crie um arquivo neste diretório:
/etc/apt/preferences.d/proposed-updates
No arquivo você deve colocar este conteúdo:

Package: *
Pin: release a=bionic-proposed
Pin-Priority: 400

3 - Atualize os repositórios:
sudo apt-get update
4 - Por último, instale os novos pacotes vindos deste novo repositório para testar:
sudo apt install nvidia-driver-390/bionic-proposed gdm3/bionic-proposed ubuntu-drivers-common/bionic-proposed nvidia-prime/bionic-proposed nvidia-settings/bionic-proposed libnvidia-gl-390/bionic-proposed libnvidia-compute-390/bionic-proposed libnvidia-decode-390/bionic-proposed libnvidia-encode-390/bionic-proposed libnvidia-ifr1-390/bionic-proposed libnvidia-fbc1-390/bionic-proposed

Reinicie o computador para começar a testar e lembre-se de reportar os problemas para ajudar no desenvolvimento do sistema.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo