Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador player. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador player. Mostrar todas as postagens

Novo GNOME MPV é lançado e tem seu nome alterado para Celluloid. Aprenda como instalar o player

Nenhum comentário

sexta-feira, 16 de agosto de 2019

O player GNOME MPV é famoso entre os usuários do GNOME, sendo um frontend do GTK para o mpv, o programa recebeu uma nova versão. Em seguida irei destacar as principais mudanças desta nova versão e demonstrar como obter as últimas versões de lançamento do software.

gnome-mpv-celluloid-player-video-musica-linux-ubuntu-mint-gtk-ppa-flathub-flatpak

Player de música e vídeo, são coisas muito pessoais. Mas estar aberto a novas experiências, e quem sabe substituir uma atual solução por uma nova, pode lhe proporcionar bons resultados.

Outrora chamado de GNOME MPV, o player de vídeos, agora foi renomeado para Celluloid (em sua versão 0.17).

O por quê dessa mudança? Segundo um dos membros do GNOME, Tobias Bernard, o nome era “não-descritivo”:

“O nome atual é um pouco deselegante e não se encaixa realmente com outros aplicativos na plataforma GNOME. Bons nomes de aplicativos geralmente são um único substantivo relacionado ao domínio do aplicativo (por exemplo, "Fragments" para um aplicativo de torrent ou "Peek" para um gravador de tela).”

gnome-mpv-celluloid-player-video-musica-linux-ubuntu-mint-gtk-ppa-flathub-flatpak

Há pouco tempo Tobias escreveu no blog oficial do GNOME, uma postagem com dicas e demonstrando um passo a passo para dar bons nomes aos seus projetos. Você pode acessar uma postagem que escrevi, aqui no blog Diolinux, complementando com minhas experiências as dicas do Tobias. Recomendo para quem deseja iniciar um novo projeto (seja software, canal no Youtube, site, nome de marca, etc) ou possui um atualmente e gostaria de um nome mais condizente. Você pode acessar essa postagem, por este link (falo um pouco do OSistemático, e algumas curiosidades, aposto que gostará 😉️😉️😉️).

Celluloid, esse nome tem haver com vídeos?


Alguns podem estar se perguntando: Mas porque Celluloid? Celluloid (em português celulóide) é o nome de um plástico transparente feito em folhas de cânfora e nitrocelulose, antigamente utilizado para filme cinematográfico (por ser altamente inflamável, era comum ocorrer acidentes durante a exibição dos filmes). O nome segue algumas das regrinhas descritas na postagem que disponibilizei no link acima. Obviamente que existiria uma mudança em seu ícone, isso ocorreu na versão anterior do app (0.16). Este novo ícone representa muito bem o nome Celluloid, pois sua figura é de um quadro de filme de celulóide, somado a um símbolo de player e uma pequena barra indicando ser um reprodutor.

gnome-mpv-celluloid-player-video-musica-linux-ubuntu-mint-gtk-ppa-flathub-flatpak

Principais alterações na versão 0.17 do Celluloid:

  • Nome renomeado de GNOME MPV para Celluloid;
  • Tradução Turca adiciona por @TeknoMobil;
  • Tradução em Esperanto adicionada por @ F3nd0;
  • Migração do opengl-cb para a nova API de renderização;
  • Melhor compatibilidade com atalhos de teclado numpad;
  • Melhor compatibilidade com atalhos de teclado unicode;
  • Encaminhamento dos eventos do “media-keys” para o mpv;
  • Adicionado a chave dconf para controlar o limite de velocidade do cursor para mostrar os controladores;
  • Adicionado a opção para suprimir erros de reprodução;
  • E muito mais.

Como instalar o Celluloid


Por conta dessa transição do nome GNOME MPV para Celluloid, não será raro encontrar ambas as formas de se adquirir o programa. Alguns pacotes e repositórios o denominam pelo antigo nome e outros pelo novo. Por exemplo, no Ubuntu você encontrará a versão antiga pesquisando em sua loja por “GNOME MPV”, entretanto, para instalar os últimos lançamentos deverá recorrer ao PPA ou o pacote em Flatpak.

Celluloid (GNOME MPV) via PPA


A opção via PPA em meu ponto de vista não é a melhor opção. Justamente por conta da migração, o repositório continua com o pacote da versão .016, a anterior a 0.17 com o novo nome (na data deste post 16/08/2019). No momento não existem informações se o PPA será trocado ou apenas o pacote. Inclusive no próprio site oficial do Celluloid essa opção é disponibilizada. No entanto, recomendo a segunda forma que irei demonstrar adiante. Agora se mesmo assim deseja instalar por essa maneira, eis os comandos.

Adicionando o PPA via terminal:

sudo add-apt-repository ppa:xuzhen666/gnome-mpv

Atualizando a lista de pacotes:

sudo apt update

Instalando o Celluloid (GNOME MPV) do PPA via terminal:

sudo apt install gnome-mpv

Removendo o Celluloid (GNOME MPV) via terminal:

sudo apt remove gnome-mpv

Removendo o PPA via terminal:

sudo add-apt-repository -r ppa:xuzhen666/gnome-mpv 

Celluloid Flatpak via Flathub


O Celluloid está disponível do repositório Flathub, facilitando a instalação para maioria das distribuições Linux. Caso esteja utilizando Linux Mint, não será necessário nenhuma configuração. Pesquise na loja por: “Celluloid” e instale a aplicação. Usuários do Ubuntu podem adicionar o suporte ao Flatpak e também instalar pela loja. Configure conforme este tutorial.

gnome-mpv-celluloid-player-video-musica-linux-ubuntu-mint-gtk-flathub-flatpak

Para usuários de outras distribuições, veja neste link a forma de habilitar o suporte a Flatpak. Lembrando que o repositório do Flathub deverá ser adicionado. Já se prefere instalar via terminal ou a loja de sua distro Linux não possui integração com o Flatpak, use os comandos logo abaixo para instalar o Celluloid. Obviamente, que você o Flatpak já deve estar configurado em seu sistema, conforme o procedimento que informei anteriormente.

Adicionando o repositório Flathub via terminal:

flatpak remote-add --if-not-exists flathub https://flathub.org/repo/flathub.flatpakrepo

Instalando o Celluloid Flatpak via terminal:

flatpak install flathub io.github.celluloid_player.Celluloid

Removendo o Celluloid Flatpak via terminal:

flatpak remove io.github.celluloid_player.Celluloid

Se preferir pode compilar o Celluloid, em seu repositório do Github existe todo procedimento. 

E você, costumava usar o GNOME MPV ou utiliza outro player? Gosto muito do VLC. O visual dele não é um dos melhores, mas ele “roda até tampa de garrafa” (😁️😁️😁️). No entanto, o Celluloid se comportou bem e não tive maiores problemas (nem com legendas).

Faça parte de nosso fórum Diolinux Plus, e fique por dentro das novidades.

Até o próximo post, que agora irei ver alguns vídeos no Celluloid, SISTEMATICAMENTE! 😎

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Lollypop um player de música completo

Nenhum comentário

quarta-feira, 14 de agosto de 2019

Lollypop é um poderoso player de música desenvolvido em GTK, software livre e muito famoso no meio GNOME. No entanto, sua usabilidade não se limita ao ecossistema GNOME, podendo ser utilizado em diversos ambientes e até outros sistemas. Afinal, o player também está disponível para FreeBSD.

player-música-gnome-gtk-lollypop-ppa-flatpak-ubuntu-mint

Durante este ano de 2019 venho mais do que nunca utilizando diversos players de música. Há muito tempo substitui meus “momentos sonoros” pelo streaming via Spotify, e quando offline utilizava o VLC player. Infelizmente meu player favorito foi “abandonado pela Canonical”, era o Music, uma das aplicações do Unity 8 com convergência conforme o redimensionamento da janela. Obviamente que sou movido tanto pela praticidade, funcionalidades, como visual. Veja o visual logo abaixo do Music.

music-ubuntu-unity8-canonical

Contudo, se existe algo em que o Lollypop não peca (e não estou falando do Android 😁😁😁), é em seu visual e quantidade de recursos. O player chama a atenção com seu visual minimalista e elegante. Além, de também possuir uma certa convergência ao se adaptar conforme redimensione sua janela.

player-música-gnome-gtk-lollypop-ppa-flatpak-ubuntu-mint

Uma curiosidade é que o Lollypop é o player de música padrão do smartphone com Linux da Purism, o Librem 5. Algumas características deste belo player, que posso destacar são:

  • Tema dark;
  • Reprodução dos principais formatos de áudio, por exemplo: MP3, MP4, OGG, FLAC, entre outros (até hoje não tive problema com formatos);
  • Navegação de suas músicas por: gênero, artista, capa;
  • Pesquisa rápida e eficiente;
  • Integração com atalhos de teclado;
  • Suporte a lista de reprodução (podendo importar playlists);
  • Visualização em modo tela cheia;
  • Sincronização MTP;
  • Suporte a telas de alta intensidade (HiDPI);
  • Suporte a TuneIn;
  • Integração com a web, podendo buscar informações de canções diretamente em serviços, como o Last.fm;
  • Download das capas dos albúns e dos artistas (o legal que o player não te força esse recurso, sendo totalmente opcional);
  • Suporte a rádio;
  • Visualização do artista por contexto;
  • Equalizador de áudio;
  • Sistema de favoritos, você pode dar notas as suas músicas com estrelas (podendo ouvir as prediletas ou pesquisar e montar suas playlists “mais acaloradas”);
  • Adição de vários diretórios em locais diferentes com suas músicas;
  • Possibilidade de ouvir música via streaming (por incompatibilidades com algumas APIs proprietárias, esse recurso pode nem sempre funcionar perfeitamente);
  • Opções como: transição suave entre as músicas, repetição, separação por categorias, redimensionamento das miniaturas de seus álbuns, e muito mais. 

player-música-gnome-gtk-lollypop-ppa-flatpak-ubuntu-mint

Existem várias formas de se obter o Lollypop nas distribuições, como Arch Linux, Fedora e OpenSUSE. Basta pesquisar normalmente no repositório, seja via terminal ou pela loja. No Ubuntu e derivados existe a possibilidade da adição de um PPA ou via Flatpak (forma que também pode ser utilizada em outras distros).

Lollypop via PPA


A instalação via PPA é um meio de se obter o Lollypop, entretanto, caso seja iniciante recomendo a segunda opção. Particularmente não creio que atualmente o uso de PPAs seja a melhor forma de se obter softwares no Ubuntu, salvo poucas exceções.

Adicionando o PPA via terminal:

sudo add-apt-repository ppa:gnumdk/lollypop

Atualizando a lista de pacotes:

sudo apt update

Instalando o Lollypop do PPA via terminal:

sudo apt install lollypop

Removendo o PPA:

sudo apt-get install ppa-purge && sudo ppa-purge ppa:gnumdk/lollypop

Lollypop via Flatpak


O Lollypop encontra-se no repositório Flathub, antes de tudo, para instalar o Lollypop desta maneira será necessário ter o Flatpak configurado em seu sistema. Para usuários de outras distros que não sejam o Ubuntu ou Mint, acesse essa postagem (o repositório do Flathub deve ser adicionado, conforme irei abordar ao demonstrar o processo via terminal). No Ubuntu, você pode acompanhar todo passo a passo deste post, e além de configurar o Flatpak, configurar a GNOME Software (loja do Ubuntu) para efetuar suas instalações via interface gráfica. Após ter tudo pronto, pesquise por: “Lollypop” e instale a aplicação (no Linux Mint, basta pesquisar, não sendo preciso nenhuma configuração prévia).

player-música-gnome-gtk-lollypop-flathub-flatpak-ubuntu-mint

O processo pode ser igualmente feito via terminal, caso tenha preferência ou sua distribuição não possua uma loja que suporte este tipo de pacote.

Adicionando o repositório Flathub via terminal:

flatpak remote-add --if-not-exists flathub https://flathub.org/repo/flathub.flatpakrepo

Instalando o Lollypop Flatpak via terminal:

flatpak install flathub org.gnome.Lollypop

Removendo o Lollypop Flatpak via terminal:

flatpak remove org.gnome.Lollypop

Conclusão


O Lollypop é uma alternativa muito interessante, funcional e bonita. Ao que parece o mesmo permanecerá em meu sistema por muito tempo. O player passou a ser um de meus favoritos, seja por sua beleza ou eficiência. No entanto, existem muitas soluções atuais em que eu e meu colega de trabalho, Ricardo (O Cara do TI), abordamos durante este ano de 2019. Recomendo que experimente e descubra qual o melhor player de música para você. Segue a lista: Olivia Player, Elisa Player, Museeks, Tauon Music Box e o Strawberry para os mais saudosistas. 

Faça parte de nosso fórum Diolinux Plus, existem muitos audiófilos por lá também (😁😁😁).

Agora vou ouvir algumas músicas no Lollypop, enquanto vou criando a capa deste post, SISTEMATICAMENTE! 😎


Fonte: GNOME.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Curte o player de música Clementine? Então conheça o Strawberry

Nenhum comentário

quarta-feira, 31 de julho de 2019

Os usuários Linux da “velha guarda”, irão se alegrar com a postagem de hoje. No entanto, se você está “chegando agora”, não se preocupe a dica também pode ser de seu agrado. 

player-musica-song-clementine-strawberry-ubuntu-linux-fedora-appimage-snap-open-source-windows-openbsd-macos

O Clementine é uma player de música relativamente conhecido entre os usuários Linux, ainda mais se você for usuário de longa data. Player preferido de muitos, o Clementine fazia sucesso com seu jeitão despojado e que remetia outro player clássico, o Amarok, especificamente inspirado em sua versão 1.4 (bons tempos).

Infelizmente o projeto anda meio parado, sem receber atualizações ou novos recursos desde 2016, na qual foi lançada sua atual versão 1.3.1. Quem acompanha as minhas postagens aqui no blog Diolinux sabe que venho “em busca do player perfeito” (ao menos para minha utilização). Alguns que testei e recomendo são: Olivia, Elisa, e estou utilizando outros (aguardem novas postagens). Além destes, outras postagens foram feitas no blog com algumas opções, o Museeks e Tauon Music Box (postadas por meu colega de trabalho Ricardo, O Cara do TI). 

“De um pedaço pequeno de laranja à um morango”


O Clementine é famoso por possuir um pedaço de laranja como logo, já o player de música Strawberry possui um morango. Isso não é coincidência, o Strawberry é um fork (baseado) no Clementine. Veja algumas de suas características:

  • Player de música e biblioteca (organize suas músicas);
  • Ampla gama de formatos suportados, como: WAV, FLAC, WavPack, DSF, DSDIFF, Ogg Vorbis, Speex, MPC, TrueAudio, AIFF, MP4, MP3, ASF e Monkey’s Audio;
  • Reproduz de CD’s;
  • Notificações na área de trabalho nativamente;
  • Playlists em múltiplos formatos;
  • Saída de áudio avançada, e configurações de dispositivo com reprodução perfeita para usuários mais exigentes;
  • Edite as tags de suas músicas;
  • Busque tags diretamente do MusicBrainz;
  • Arte da capa do álbum em serviços, como: Last.fm, Musicbrainz, Discogs, Deezer e Tidal;
  • Letras de músicas de AudD e ChartLyrics;
  • Suporte para vários back-ends;
  • Analisador de áudio;
  • Equalizador de áudio;
  • Transfira músicas para o player USB do iPod, iPhone, MTP ou armazenamento em massa;
  • Suporte à streaming de músicas (Tidal, Qobuz e Subsonic);
  • Scrobbler com suporte ao Last.fm, Libre.fm e ListenBrainz;
  • Desenvolvido em C++ e Qt 5, além de ser Open Source;
  • Versões para Linux, OpenBSD, Windows e macOS.

O programa está disponível em diversos formatos e para vários sistemas operacionais, você pode acessar a página do Github do projeto e obter mais informações.

player-musica-song-clementine-strawberry-ubuntu-linux-fedora-appimage-snap-open-source-windows-openbsd-macos

Como instalar o player Strawberry


O Strawberry pode ser obtido de diversas maneiras, em seu site oficial é descrito os procedimentos para cada sistema, no Windows existem dois instaladores executáveis (32bits e 64bits) para macOS a opção de compillar ou instalar via DMG. No Linux você poderá compilar ou instalar diretamente do repositório, caso sua distribuição esteja na lista abaixo:

player-musica-song-clementine-strawberry-ubuntu-linux-fedora-appimage-snap-open-source-windows-openbsd-macos

Nessas distribuições pesquise pelo pacote “strawberry” e instale como costuma fazer.

Existem maneiras bem práticas para instalar o player em seu sistema, uma delas é via AppImage e outra Snap (o player está na Snapcraft). Testei ambas, e a integração com o Gnome-Shell (Ubuntu) foi muito boa. Com um indicador na barra superior (um pequeno morango) e botões com opções de pausar, avançar ou voltar as músicas, diretamente na área de notificações do Gnome-Shell.

Baixe a versão em AppImage por este link, observe a data do lançamento e priorize o último disponibilizado. Se não sabe como executar um arquivo AppImage, essa postagem demonstra todo passo a passo.

O Snap do Strawberry pode ser instalado tanto via terminal, como pela Loja (no caso do Ubuntu). Pesquise por: “strawberry” e instale o aplicativo. 

player-musica-song-clementine-strawberry-ubuntu-linux-fedora-appimage-snap-open-source-windows-openbsd-macos-loja

Para as outras distribuições que não possuem o Snap configurado, essa postagem ensina o processo.

Obviamente que a instalação do player pode ser via terminal, se assim desejar, utilize estes comandos.

Instalação do Strawberry Snap via terminal:

sudo snap install strawberry

Remoção do Strawberry Snap via terminal:

sudo snap remove strawberry

Foi bem nostálgico utilizar o Strawberry, para os fãs do Clementine que prezam por um software em pleno desenvolvimento e com atualizações (sejam elas de segurança ou melhorias), com certeza o player é uma ótima pedida.

Você conhecia o Strawberry? Usava o Clementine ou ainda usa? Participe de nosso fórum Diolinux Plus e fique por dentro das novidades, vai que você acaba descobrindo algo novo.

Até o próximo post, que vou ouvir umas músicas, SISTEMATICAMENTE! 😎
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Tauon Music Box é o player para quem gosta de minimalismo

Nenhum comentário

domingo, 30 de junho de 2019

Ouvir música nos dias atuais é quase um sinônimo de streaming, como os serviços Spotify, Deezer, YouTube Music, iTunes, SoundCloud entre outros, a maior parte de nós não mais ouve música usando aqueles Apps clássicos, como o Winamp. Mas e quando o acesso a internet fica indisponível? Aí que entra os players de música “off-line”. Hoje apresentamos o Tauon Music Box.


Tauon Music Box é o player para quem gosta de minimalismo





Para quem gosta de uma pegada mais minimalista e objetiva, o Tauon vem para se encaixar nesse conceito. Construído em Python, ele tem uma interface bem responsiva, além de ser leve e ter um design suavizado, podendo ser personalizado em sua forma de exibição com opções variadas.



Ele usa o codec proprietário  BASS Audio Library (as outras versões usavam o FFMPeg), fazendo com que o player consiga reproduzir praticamente qualquer tipo de mídia, como por exemplo arquivos FLAC, o que é bom para quem se importa com alta qualidade de som.


Características do Tauon:

 - Capacidade de importar faixas e criar playlists arrastando e soltando com facilidade; 

- Galeria de arte dos álbuns são mostrados em tamanho grande;

- Suporte para reprodução sem intervalos;

- Interface de usuário rápida e responsiva;

- Função de download da arte de capa.

- Letras das músicas com suporte para exibição junto com acordes de guitarra e sincronia com os arquivos .lrs 

- Acompanhe a contagens de reprodução de arquivos e visualize isso para que você saiba sempre quais faixas são as suas favoritas.

- Extraia arquivos e importe seus downloads de música com um clique. 

Os formatos suportados são: FLAC, APE, TTA, WV, MP3, M4A(aac, alac), OGG, OPUS. XSPF, CUE (com detecção automática).

Você vai encontrar o player no Flathub. Se a sua distro ainda não tem suporte a ele, basta seguir esse tutorial. Se a sua distro já tem ele habilitado por padrão, basta procurar por Tauon na sua loja de aplicativos.

Depois de ter feito a instalação do suporte ao flatpak (se a sua distro não vinha com ele), agora você pode procurar na loja de aplicativos dela ou digitar o seguinte comando no terminal:

flatpak install flathub com.github.taiko2k.tauonmb

Espere o procedimento acabar e procure pelo programa no menu da sua distro.

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum.

Espero você até a próxima, um forte abraço.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Player de música Elisa, minimalista, bonito e eficiente

Nenhum comentário

quarta-feira, 26 de junho de 2019

A música sem sombras de dúvidas é uma parte essencial do meu ser, seja cantando ou apenas curtindo um bom som, ouvir música é algo que não posso ficar um dia sequer. Entre tantas alternativas de players, sempre testo diversos programas a “procura de um favorito”. Há pouco tempo abordei o Olivia, um player desenvolvido em Qt e hoje apresento-lhes: “Elisa”.

music-player-elisa-kde-música-linux-kubuntu-ubuntu-flatpak

Olivia, agora Elisa, quem será depois? Ofélia? Brincadeiras à parte é curiosa essa predileção por nomes femininos. Talvez sejam homenagens, sinceramente não sei.

Elisa


Elisa é um player de música desenvolvido pela Comunidade KDE, com perfeita integração com seu ecossistema, no entanto, podendo ser utilizado perfeitamente em outros ambientes. Em constante desenvolvimento o “tocador” recebe novas implementações corriqueiramente. Open Source o Elisa segue as diretrizes de design do KDE, e como o Olivia, também é feito em Qt. Seu foco pode ser resumido em alguns tópicos:

  • Ser fácil de configuração (idealmente não sendo necessário prévias configurações para utilizar o player);
  • Ser totalmente utilizável, mesmo offline (ou no modo privado);
  • Foco em satisfazer os objetivos dos seus usuários;
  • Foco em ser um player de música (o gerenciamento da biblioteca não é uma prioridade do desenvolvimento);
  • Ser livre o máximo possível de bugs (a estabilidade tem mais prioridade do que novos recursos);
  • Tem como alvos o ambiente KDE Plasma, outros ambientes Linux, Android e Windows.
  • Alavancar o UPnP e DLNA (padrões que visam normalizar a interoperabilidade de mídia, etc.).

Com um visual intuitivo o Elisa cumpre muito bem o seu objetivo, ser um player de música. Não me entenda mal, no entanto, alguns players incorporam tantas funcionalidades ou poluem sua interface que fica difícil a sua utilização. No Elisa tudo será simples e funcional. 

music-player-elisa-kde-música-linux-kubuntu-ubuntu-flatpak-interface-qtt

Você poderá ver suas músicas categorizadas em Álbuns, Artistas, Faixas, Gêneros ou navegar até os arquivos. Uma característica que prezo num player de música é que o mesmo não fique trocando as artes das capas dos álbuns (algo chato que ocorre no Deepin Music). Infelizmente a versão que estou utilizando, e testando em meu Ubuntu, não apresenta as capas dos artistas, apenas dos álbuns. Entretanto, o visual da aplicação me agrada e muito. Outra característica que me agradou foi a possibilidade de adição de múltiplos diretórios, e como estou organizando minhas faixas, tenho vários arquivos em locais distintos.

music-player-elisa-kde-música-linux-kubuntu-ubuntu-flatpak-reprodução

Instalando o Player de música Elisa


A Wiki da Comunidade do KDE demonstra como compilar o Elisa, no passado até procedia assim, mas você pode fazer de uma forma bem mais cômoda. Para isso será necessário possuir o Flatpak configurado em seu sistema. No Linux Mint o mesmo já vem por padrão, mas se utiliza Ubuntu ou outra distro (que o Flatpak não venha por default) você poderá utilizar esse simples passo-a-passo. Algo bem legal é a integração com a loja do Ubuntu com o Flatpak, isso você poderá configurar aqui. Agora você pode instalar pacotes Flatpaks, como no Linux Mint, via a loja. Pesquise por “Elisa” e instale o player. Para efetuar a instalação via terminal, utilize os comandos a seguir:

Este comando é para quem já tem o Flatpak configurado, porém, não adicionou o Flathub. O Elisa encontra-se neste repositório:

flatpak remote-add --if-not-exists flathub https://flathub.org/repo/flathub.flatpakrepo

Agora iremos instalar o Elisa:

flatpak install flathub org.kde.elisa

Para executar via terminal (não é obrigatório, pois, o app aparecerá no menu de aplicações de seu sistema).

flatpak run org.kde.elisa

A remoção é através deste comando:

flatpak uninstall org.kde.elisa/x86_64/stable 

Conhecia o player de música Elisa? Depois de muitos meses voltei a experimentá-lo, recomendo essa aplicação. Também estou utilizando outro player, e quem sabe em breve apareça mais um post desta “série” (😁😁😁).

Participe de nosso fórum Diolinux Plus e fique por dentro das novidades.

Até o próximo post, SISTEMATICAMENTE! 😎
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Olivia, um elegante player para streaming de áudio

Nenhum comentário

terça-feira, 4 de junho de 2019

Dizem as más línguas que “Linux não tem programas”. Ao contrário desta “afirmação”, a cada dia conheço um app novo para Linux. Particularmente, amo isso. Hoje irei apresentar um player de música voltado a streaming, que conheci recentemente, ao “procurar por programas novos”.

olivia-snap-player-cloud-music-musica-streaming-youtube-rádio-app-linux

Player de música é um assunto muito pessoal, e no Linux existem inúmeras alternativas. Caso tenha um player favorito, não é crime algum ter predileções, permita-se experimentar coisas novas. Sem mais delongas, conheça o software Olivia, um player de música escrito em Qt5, open source e que pode lhe chamar a atenção. 

Olivia um player focado em streaming


Ao contrário da maioria dos tocadores de som (essa é para “os das antigas”), Olivia tem foco no streaming de áudio. Seja procurando por músicas no Youtube ou em rádios online. O app está em constante desenvolvimento e conforme o tempo passa, novas features são esperadas. Com mais de 25.000 estações de rádio da internet, o programa poderá muito bem agradar aos ouvintes de rádio (confesso que este não é o meu caso).

olivia-snap-player-cloud-music-musica-streaming-youtube-rádio-app-linux

O reprodutor de música está em alfa, e por ser relativamente novo, problemas em sua interface podem ocorrer. Caso isso acontece, os próprios desenvolvedores pedem para executar o app via terminal, com um comando que aparentemente resolve o problema (quando executado via linha de comando). No entanto, ao menos em minha instalação no Ubuntu 18.04, não obtive problema algum. Veja o comando abaixo:

QT_STYLE_OVERRIDE='gtk' olivia-test.olivia

Caso o Olivia tenha erros como: fontes grandes demais, e aparência fora de resolução, o comando acima deve contornar.

Alguns recursos e características do Olivia


Com funcionalidades interessantes, creio que vale o teste do Olivia, irei citar alguns que me chamaram a atenção.

  • Pesquisa e reprodução de artistas, álbuns e músicas online;
  • Reprodução de música do Youtube (apenas áudio, economizando a banda de sua internet);
  • Rádio online, com mais de 25.000 estações do mundo inteiro;
  • Interface personalizável, com cores, transparência, tema conforme a música e muito mais;
  • Mini-player, player convencional e modo tela cheia;
  • Recomendação de músicas, conforme músicas relacionadas;
  • Opção de ouvir as músicas offline;
  • Entre outras funcionalidades (não quero “estragar” sua descoberta 😁😁😁).

olivia-snap-player-cloud-music-musica-streaming-youtube-rádio-app-linux-mini-player

No momento que escrevo este post o Olivia não possui a função para apagar o cache local, das músicas que você vá salvando para reprodução offline. Caso queira excluí-los, navegue com seu gerenciador de arquivos (no meu caso estou utilizando o Nautilus) e apague os arquivos.

~/snap/olivia-test/current/.local/share/org.keshavnrj.ubuntu/Olivia/downloadedTracks

olivia-snap-player-cloud-music-musica-streaming-youtube-rádio-app-linuxolivia-snap-player-cloud-music-musica-streaming-youtube-rádio-app-linux-offline

Instalando o “cloud player music” Olivia


Por estar em desenvolvimento e considerado como “software alfa”, o player poderia trazer um certo risco ao seu sistema. Isso se o mesmo não estivesse em Snap. Neste formato o Olivia estará à parte de seu sistema, garantindo segurança e caso não goste do player, desinstale ele sem comprometer sua máquina. Para instalar o programa em seu sistema será necessário ter o Snap configurado, no caso do Ubuntu ele é padrão. Está utilizando outro sistema? Não tem problema, acesse este artigo e configure facilmente o Snap.

No caso do Ubuntu você pode simplesmente pesquisar por “Olivia” em sua loja e efetuar a instalação.

olivia-snap-player-cloud-music-musica-streaming-youtube-rádio-app-linux-loja-ubuntu

Ou se possui o Snap configurado em seu sistema, e prefere o terminal. Instale com o comando abaixo:

sudo snap install olivia-test

Para remover o programa, utilize o comando:

sudo snap remove olivia-test

Já conhecia o player Olivia? Depois do Spotify passei a não utilizar mais players, porém, fiquei curioso em testar esse. Acesse nosso fórum Diolinux Plus, quem sabe a galera tem indicações de players de música interessante.

Até o próximo post, SISTEMATICAMENTE! 😎
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Harmony - Um novo player para Linux e Windows inspirado do iTunes da Apple

Nenhum comentário

sábado, 17 de setembro de 2016

Existem vários players de música bacanas para Linux, mas você pode estar procurando um simplista e novo para reproduzir as suas músicas favoritas e o Harmony certamente é uma opção interessante.

Harmony Player




Falando de recursos, o Harmony também é simples, mas tem funções básicas e importantes, além de integração com os mais populares serviços de streaming de música da atualidade, além de conseguir ler as músicas que você tem no seu disco.

Harmony

Além destas funções, o Harmony ainda tem um visual muito limpo, inspirado no iTunes, até mesmo o próprio ícone do programa é semelhante. Ele possui listas, configuração de volume, CoverArt (ainda em beta), ou seja, tudo o que você ter para simplesmente ouvir música sem complicação. Outro detalhe legal é que ele se integra com o menu de som do sistema operacional.

Download do Harmony


Existem pacotes para Windows e Linux (Deb e RPM) no site oficial, basta baixar e instalar dando dois cliques.
Até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Museeks - Um novo player multiplataforma com visual inspirado no iTunes

Nenhum comentário

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Existem vários players de música no mercado, você talvez até já tenha visto a nossa lista com "os 7 melhores players de música para Linux", mas na época o Museeks não estava disponível e ele é realmente interessante, talvez eu faça uma nova lista no futuro, confira com a gente:

Museeks player de música




O Museeks é um player de música muito interessante, conheci essa semana, testei por pouco mais de um dia e agora vou apresentá-lo para vocês. O visual parece ser feito para se encaixar no Gnome Shell, mas especialmente no elementary OS, entretanto, ele roda em qualquer sistema operacional, com qualquer interface, incluindo Windows e Mac, além de Linux, é claro.

Tema Dark no Museeks

O Museeks tem suporte a um tema escuro, que combina muito bem com diversas interfaces. Dentre os recursos principais estão: a possibilidade de criar listas de reprodução, favoritar músicas, controle de volume, impedir o descanso de tela, escanear pastas em busca de arquivos, além dos controles padrões de qualquer player.

Os formatos suportados são:

- mp3
- mp4
- m4a/aac
- wav
- ogg
- 3gpp

O aplicativo usa o Chromium como motor para o player, confira abaixo o consumo de memória do aplicativo no Ubuntu 16.04 LTS.

Museeks

Baixe o Museeks para o seu sistema


Para baixar o Museeks Player para o seu sistema basta acessar o site do programa e baixar a versão adequada para o seu sistema operacional.  No caso do Linux, basta baixar, descompactar o arquivo e dar dois cliques no arquivo "museeks".

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Bomi - Um player de vídeo com a interface semelhante a do YouTube

Nenhum comentário

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Se você está procurando um novo player para o seu sistema? Conheça o Bomi, uma alternativa muito interessante com um visual baseado nas novas tendências de design mobile.

Bomi Player

Um player semelhante ao do YouTube


Conheci hoje um novo player muito interessante, ele é multi plataforma e roda em qualquer distro Linux e também no Windows. Bomi é um player com design muito interessante, especialmente se você gosta do novo player do YouTube, com as cores escuras em contraste com o vermelho.
Leia também: Como ativar o novo player do YouTube
Além disso, o player tem suporte a legendas, reproduzis áudios também, tem modo tela cheia, regulagem de volume, de listas e ainda há um ícone indicador que fica na parte superior do sistema.

Bon Jovi Bomi

Como instalar o Bomi no seu sistema


Você pode encontrar as informações sobre a instalação do Bomi neste endereço para todos os sistemas operacionais, incluindo as versões para Windows, Arch, Chakra, Fedora,  openSUSE e KaOS. Para o Ubuntu e derivados podemos usar este PPA, basta copiar todo este código abaixo e colocar no seu terminal, depois de colar pressione a tecla "enter", digite a sua senha e pressione "enter" novamente, aguarde a instalação, ele estará disponível no menu do sistema depois que ela terminar.
sudo apt-add-repository ppa:darklin20/bomi -y && sudo apt-get update && sudo apt-get install bomi -y
Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Os 7 melhores players de música para Linux

Nenhum comentário

quinta-feira, 2 de abril de 2015

Que tal curtir um sonzinho? Nada melhor nestas horas do que um player que atenda todas as suas necessidades não é verdade? E como nem todos tem as mesmas necessidades resolvemos elaborar uma breve "parada de sucessos" com os 7 melhores players de música para Linux.

Os melhores players para Linux

Arraste o sofá e prepare-se para sacudir os ossos!


OK. Exagerei no título, por um segundo esqueci que eu sou um sedentário (o que não seria um grande problema por alguns minutos), mais importante que isso, não sou o que se pode chamar de "pé de valsa", isso é fato, mas sabe no que eu sou bom? Eu sou um ótimo "analizador de software", se é que essa expressão existe.

Baseado nos meus testes elaborei uma lista com 7 softwares ótimos que atendem necessidades variadas de todas as pessoas que gostam de ouvir um bom som no pinguim.

Lembrando que esta lista não está em uma ordem de melhor para pior, ou vice-e-versa, mas nada impede que ao final você deixe a sua opinião nos comentários, combinado? 

Vamos lá?

1. Rhythmbox - O tradicional player


Rhythmbox Player Ubuntu

Começando a nossa super lista com um dos mais tradicionais players do mundo Linux, o Rhythmbox, apesar de ter um nome complicado de escrever é muito versátil e organizado.

Ele é o Player padrão do Ubuntu e da maioria dos sistemas com a interface Gnome, agora o Gnome está desenvolvendo um novo player, mas isso não invalida as grandes qualidades do Rhythmbox.

Nele também é possível instalar plugins para complementar o seu uso, veja alguns deles aqui.

O programa está disponível nos repositórios de todas as distros.

2. Audacious - Um player simples e leve


Audacious player leve para Linux

Muitas pessoas tem essa preocupação, leveza.

A verdade é que nos computadores atuais a quantidade de memória usada pelos programas não faz mais tanta diferença quanto antigamente, mesmo assim, quanto menos melhor, certo?

Se você concorda com a afirmação acima e ainda não testou o Audacious está perdendo uma chance de ouro!

O Audacious ocupa menos de 50 MB de memória RAM, ele é um player simples, mas permite que você gerencie listas de reprodução de uma maneira facilitada, é um player que acompanha algumas distros que tem  foco em máquinas mais modestas.

Tudo isso sem deixar de ter um visual impressionantemente belo, nele também há a opção de usar uma interface chamada de "clássica" que lembra muito o popular Winamp.

O Audacious também está no repositório de todas as distros, no Ubuntu basta procurá-lo na Central de Programas.

3. Banshee - O irmão bastardo do Rhythmbox


Banshee Player


Assim como o Rhtymbox é o player padrão do Ubuntu, o Banshee, já há alguns anos, é o player padrão do Linux Mint, outra excelente distro.

Particularmente encaro o Banshee como "um Rhythmbox com os plugins já instalados", como a opção de CoverArt por exemplo, que deixa a navegação pelos álbuns e bandas muito mais divertida.

Ele também já possui plugins originalmente para que possamos nos conectar com serviços online como o Last.fm.

Leveza não é exatamente o forte dele, mas está longe de ser um player pesado, a organização das faixas que ele proporciona é bem parecida com o Player padrão do Ubuntu.

O Banshee também é uma ótima opção para você testar, ele está, igualmente, em todos os repositórios das principais distribuições Linux, no Ubuntu você encontra ele pela conhecida Central de Programas do Ubuntu.

4. Tomahawk - Um player para quem gosta de música


Tomahawk player


Para muitas pessoas ouvir música é muito mais do que uma atividade complementar, se você for um usuário que gosta de acompanhar o seu artista predileto de uma chance ao Tomahawk.

Além de todas as boas características de um bom player, como listas de reprodução e diversas opções de controle musical ele oferece alguns diferenciais.

A coisa que eu acho mais interessante é que ele consegue te dar praticamente toda a "ficha" do artista que você está escutando, como a história do álbum, da banda, a letra das músicas, entre outras coisas, vale a pena experimentar.

Ele também está presente nos repositórios de todas as distros, Ubuntu inclusive, mas para ele preparamos um tutorial mais detalhado, então se você quiser ver mais algumas Screenshots dele e também ver como instalar no Ubuntu e derivados é só clicar aqui. E vamos para o próximo. =)

5. XNoise - Simples elegante


XNoise para Ubuntu

Este aqui foi um verdadeiro acho, lembro que vi ele pela primeira vez em algum sistema com XFCE que testei, não lembro qual era o sistema, mas nunca mais esqueci o nome do Player.

Acho o XNoise um dos mais simples e elegantes players que já testei, a sua maneira de trabalhar com listas e a interface me parece uma mescla. Seria como se o Audacious e o Rhythmbox tivessem tido um filho.

Ele fica no meio termo entre leveza e recursos, e sendo sincero, puxando mais para o lado da leveza do que dos recursos.

Este excelente software não está disponível no repositório de todas as distros, você pode verificar no da sua, porém, se você usa o Ubuntu ou algum derivado como o Linux Mint, fique tranquilo, temos um tutorial muito simples de seguir para instalá-lo no seu sistema, basta clicar aqui para acessar.

6. QMMP - O Winamp reinventado



Sinceramente, aprendi a usar o computador de verdade com o Windows XP, e adorava o Winamp, nunca cheguei a usar as opções avançadas que ele disponibilizava mas o que eu mais curtia era de longe a interface com o usuário.

Para os nostálgicos o QMMP vai cair como uma luva, se você, assim como eu, é daquela época onde refrigerante custava 2 reais e Kinder Ovo era cinquenta centavos, aí está uma boa chance de reviver os bons momentos.

O QMMP se mostra uma boa opção no quesito leveza também, se o seu desejo é economizar recursos ele é um prato cheio e tem todas as funcionalidades principais de qualquer outro bom player.

Este player, assim como a maioria da nossa lista, está nos repositórios de todos os sistemas, incluindo o Ubuntu no qual você o encontra facilmente pela Central de Programas.


7. Clementine - O melhor player multiplataforma do mundo


Melhor player do mundo

E chegamos finalmente à cereja do bolo.

O Clemente é, na minha opinião, o melhor e mais completo player de música no estilo Jukebox (estes organizadores de biblioteca musical) que existe, inclusive ele está disponível em outras plataformas como Windows e Mac OSX também.

Se você busca integração online com diversos serviços ele é uma excelente opção, mais do que isso, ele consegue transferir músicas para os seus smartphones ou tablets, consegue trazer informações sobre as músicas, como a letra por exemplo.

Existem outros recursos que valem a pena um comentário, como a incrível facilidade em você organizar a sua biblioteca musical, além da ordem alfabética, os artistas e álbuns podem ser organizados facilmente e com um campo de busca muito preciso é fácil encontrar qualquer faixa que se deseje.

O Clementine está no repositório de todas as principais distros Linux, no Ubuntu como de costuma você o encontra na Central de Programas.

Se preferir, confira o nosso tutorial sobre ele onde contamos mais algumas coisas interessantes sobre o software.


O importante é te atender e isto não é tudo


O Linux é muito bem servido no quesito player, dentre os players de áudio para mim, estes apresentados são os melhores, mas isso não quer dizer que para você eles sejam também.

Existem vários que ficaram de fora então sinta-se à vontade em acrescentar as suas opções nos comentários assim deixamos o post ainda mais rico de informação.

Até a próxima!

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Nuvola Player: Ouça o Spotify e o Google Play Music no Ubuntu

Nenhum comentário

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Conheça um excelente player destinado a agrupar todos os principais serviços de streaming de música em um aplicativo apenas, este é o Nuvola.

Nuvola 2.5 no Ubuntu

Como instalar o Nuvola Player 2.5 no Ubuntu


Caso você esteja por fora, o Nuvola é um player "muito do bacanudo" que permite que você integre vários serviços de streaming de música online como o Google Play Music, Grooveshark, Amazon Cloud Player, Deezer e mais alguns e agora ele tem suporte ao Spotify também.


Para instsalar o Nuvola no Ubuntu nós vamos usar um simpático comando, sim apenas um, abra um terminal, copie todo o conteúdo logo abaixo, cole no terminal, pressione a tecla "enter", digite a sua senha e apenas aguarde, quando o processo terminar abra o Nuvola pelo menu do sistema:

sudo add-apt-repository ppa:nuvola-player-builders/stable -y && sudo apt-get update && sudo apt-get upgrade -y && sudo apt-get install nuvolaplayer -y
That's it!

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Looo.co uma boa alternativa ao Spotify

Nenhum comentário

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Se você gosta de ouvir músicas online vai ficar muito satisfeito em conhecer este serviço, o Looo.co é uma boa alternativa ao popular Spotify e é acessível em todas as plataformas.

Locoo.co Ouça músicas online

Deixe a música rolar por horas e horas com o Looo.co


Com a melhora da conexão de internet (no Brasil isso é relativo) as pessoas passaram a baixar menos conteúdo para poder apreciá-los online, isso vale tanto para filmes com o Netflix - que agora tem suporte oficial para o Linux - e o PopCorn Time, que é digamos assim, a sua versão grátis.

Indo mais para o lado das músicas, tem gente que gosta de deixar rolando playlists no YouTube ou qualquer outro site mas nos últimos meses o serviço que tem despontado é sem dúvidas o Spotify - aprenda a instalar o Spotify no Ubuntu aqui - sem nenhum grande concorrente à altura, mas como alternativas são sempre bem-vindas hoje vamos lhe apresentar o Looo.

O Looo.co (sim, tem 3 "ós") é um serviço online de Streaming de música, ele ainda está em fase Beta mas se mostra bem funcional, nele você pode ouvir as músicas mais ouvidas no mundo pelo serviço ou pode navegar por artista/banda ou mesmo por gênero musical, o serviço é m português e não há necessidade de baixar nada, você acessa pelo navegador e pronto.


Pelos testes que fiz e percebi que ele tem ainda alguns problemas para encontrar algum artista ou música pelo campo de busca, as demais opções funcionaram sem problemas, criação de playlists, controle de som, aliás, é possível exportar e importar playlists dele que é uma função bem interessante, teste e deixe as suas impressões nos comentários, até logo!

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.
Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo