Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador raspberry-pi. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador raspberry-pi. Mostrar todas as postagens

Raspberry Pi 4 recebe suporte do Arch Linux através do RaspArch

Nenhum comentário

segunda-feira, 19 de agosto de 2019


O Arch Linux agora pode ser rodado no novo Raspberry Pi 4, a versão renovada do projeto, que contéḿ um processador Quad-Core 1.5GHz 64-bit ARM Cortex-A72 CPU, com até 4GB RAM, e placas on-board dual-band 802.11 b/g/n/ac Wi-Fi e Bluetooth 5.0 (BLE), através do projeto RaspArch, além da versão tradicional para processadores ARM.


Arch Linux no Raspberry Pi






A distro RaspArch, com a Build 190809, está pronta para download com suporte para a nova versão do Raspberry Pi. A indústria aponta que uma das "feature killers" da nova versão da placa é o suporte para 4K, com duas portas HDMI, tornando ele ainda mais interessante para projetos que envolvam gráficos.

O RaspArch é, na verdade, uma remasterização do "Arch Linux ARM", o arquivo original tem cerca de 250 MB de tamanho, mas o RaspArc traz ferramentas por padrão, como o ambiente gráfico LXDE, Pulse Audio, Firefox, GIMP, etc; o que faz a instalação em si crescer um pouco mais. O Kernel Linux está na versão 4.19.

Apesar de se tratar um Arch Linux, o projeto foca em trazer experiência out-of-the-box, com várias coisas disponíveis na própria ISO e facilitar a instalação. A ISO de instalação é completamente grátis e open source.

Você gosta do Raspberry? Converse com outros apaixonados por tecnologia no nosso fórum.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Linux 5.2 chega com quase 600 mil novas linhas de código

Nenhum comentário

terça-feira, 9 de julho de 2019

No Domingo (7), Linus Torvalds lançou mais uma versão do Kernel Linux, contando com cerca de 596.000 novas linhas de códigos submetidas, ou seja, temos muitas coisas nova nessa nova versão do Kernel Linux.

Kernel 5.2 é oficialmente lançado






A primeira grande novidade é referente a Logitech, que ajudou a melhorar os drivers dos seus receptores wireless, como o Logitech Bluetooth “dongle” usado no teclado MX5500 e no receptor Logitech Unifying. Outro ponto, é que agora qualquer periférico da marca que trabalhe na frequência de 2,4 GHz (mouse, teclado, etc), vão poder retransmitir o status da bateria (quando disponível) para as GUIs dos desktops.

Uma adição que vai beneficiar muitos usuários, é o novo driver Wi-Fi da Realtek (mac80211) que tem suporte para os chips de rede wifi Realtek 802.11ac. O rtw88 agora suporta os firmwares RTL8822BE e RTL8822CE, contando com suporte também para modelos USB e SDIO futuramente.

Houve também um acréscimo no suporte para os computadores single-board da  linha Orange, com versões baseadas no  Allwiner (Orange Pi 3), Rockchip (Orange Pi RK3399) e também a  Nvidia Jetson Nano.

Também estão introduzindo a primeira “feature” do Sound Open Firmware (SOF), projeto encabeçado por Intel e Google, criando uma plataforma de código aberto para a criação de firmwares para processadores de áudio.

Outras melhorias e adições no Kernel 5.2 foram:

⏺ GeForce GTX 1650 recebeu suporte para o Nouveau;

⏺ Várias melhorias em laptops com  AMD Ryzen;

⏺ Otimização em dispositivos ARM;

⏺ Suporte para Intel Comet Lake;

⏺ Preparação para as novas AMD EPYC CPUs;

⏺ Suporte para hibernação sendo reativado no Intel Baytrail & Cherrytrail

Para mais detalhes técnicos, você pode consultar aqui e aqui.

Se você quiser experimentar essa versão do Kernel, pode utilizar a ferramenta UKTools, caso use Ubuntu ou algum derivado, ou baixar os pacotes manualmente, tais procedimentos são recomendados apenas para usuários avançados. Se você usa outras distros, como Fedora e Manjaro, provavelmente as atualizações estarão disponíveis em breve.

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum.

Espero você até a próxima, um forte abraço.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Crie sua própria central multimídia com LibreELEC

Nenhum comentário

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2019

Na atualidade as smart TVs estão presentes em diversos lares brasileiros, porém, nem todos possuem um aparelho com tal funcionalidade, nestes casos o LibreELEC pode ser uma alternativa.

libreelec-jeos-media-center-cinema-casa

O LibreELEC é um fork do projeto OpenELEC, com foco em desenvolvimento e estabilidade do sistema, essa distribuição Linux tem o intuito de facilitar o uso em computadores voltados a sistemas media center. 

Usando como interface o famoso Kodi (software media center), o LibreELEC também fornece opções para PLex Embedded, Lakka e vários projetos IoT. Conhecido por ser uma distribuição Linux “Just enough OS” para o Kodi (Apenas o suficiente OS), o JeOS pode ser executado em arquiteturas x86, dispositivos Raspberry Pi, computadores ODroid e WeTek, sendo uma ótima escolha na criação de uma central de mídia completíssima, substituindo a função de uma smart tv.

libreelec-jeos-media-center

Nova versão com novidades


Lançado no dia 2 de Fevereiro, o LibreELEC 9 integra o Kodi 18.0 e acompanha melhorias provindas da versão 18.0 do Kodi e as próprias do JeOS. Alguns recursos presentes no LibreELEC 9 são:

  • Suporte a DRM, permitindo a transmissão de conteúdo não oficial de serviços como Amazon e Netflix;
  • Retroplayer, função que possibilita executar games retrôs via emulação;
  • Senhas de SSH mutáveis;
  • Firewall iptables como padrão;
  • Atualizações de Add-on (complementos do Kodi) no menu próprio do sistema;
  • Inicialização em modo segurança, caso hajam erros ao iniciar o Kodi;
  • Maior suporte a Drivers DVB (é um conjunto de padrões abertos para TV digital);
  • Suporte alpha para Rockchip (algumas TVs, tablets e dispositivos media center utilizam esses semicondutores);
  • E novos dispositivos suportados.

libreelec-jeos--media-center-module-driver

Alguns destes novos aparelhos suportados:


  • Amlogic
  • Khadas VIM (1) - é necessário instalação limpa caso utilize imagens da comunidade atual.
  • Libre Computer LePotato.
  • Rockchip
  • 96 cadeados ROCK960;
  • Placa Tinker da ASUS;
  • Vaga-lume ROC-RK3328-CC;
  • Khadas Edge;
  • PINE64 ROCK64;
  • PINE64 RockPro64;
  • Pipoca Hour RockBox;
  • Transformador de pipoca;
  • Radxa ROCK Pi 4;
  • Rockchip Sapphire Board;
  • Mqmaker MiQi.

libreelec-jeos-media-center-raspberrypi-rockchip

E muito mais aparelhos…

RetroPlayer, jogue seus games retrôs direto no Kodi


Agora com a possibilidade de executar games via “cores” de emulação, semelhante ao “agregador de emuladores” RetroArch, o Kodi 18 traz suporte inicial a vários jogos de consoles nostálgicos como: Super Nintendo, Mega Drive, Game Boy e muito mais. 

libreelec-jeos-kodi-retroplayer-emulador-games

Você pode efetuar o download do LibreELEC gratuitamente em seu site oficial, e quem sabe ressuscitar aquele PC empoeirado e criar seu próprio “Cinema em Casa”. 

Até o próximo post, te aguardo aqui no blog Diolinux, SISTEMATICAMENTE!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Raspberry Pi lança o novo Compute Module 3+ (CM3+)com 32gb de armazenamento e 10x mais rápido

Nenhum comentário

quarta-feira, 30 de janeiro de 2019

A Raspberry Pi Foundation anunciou nesta terça-feira (29) a mais nova versão do Compute Module 3+ (CM3+), que está trazendo melhorias e atualizações para esse módulo voltado para aplicações do setor industrial e comercial, com quatro versões e  preços que variam entre US$ 25 a US$ 40.

 Raspberry Pi lança o novo Compute Module 3+ (CM3+)com 32gb de armazenamento e 10x mais rápido






Esse novo módulo é baseado na plataforma Compute Module 3 (CM3) que foi lançada em 2016. Dentre as novidades duas se destacam, a mudança de processador e o tamanho de armazenamento.



Esse novo módulo é baseado na plataforma Compute Module 3 (CM3) que foi lançada em 2016. Dentre as novidades duas se destacam, a mudança de processador e o tamanho de armazenamento.

Na primeira versão lançada em 2016, o CM3 vinha com o processador da Broadcomm, o BCM2837 de 1,2 GHz (podendo chegar até 1,4GHz) e com armazenamento de 4GB.
Já na nova versão o processador foi trocado pelo modelo BCM2837B0, chip esse de 64 bits com quatro núcleos Cortex-A53, tendo uma melhor dissipação de calor em relação ao outro modelo. O clock do processador foi mantido devido a limitação da fonte de alimentação. Esse mesmo processador equipa os Raspberry Pi 3 Model B+ mas sem restrição de alimentação.

As versões do CM3+ terão 4 opções para os compradores e os preços variam conforme o tamanho do armazenamento. Os modelos são:

⏺ CM3+ Lite (sem armazenamento): US$ 25;
⏺ CM3+ de 8 GB: US$ 30;
⏺ CM3+ de 16 GB: US$ 35;
⏺ CM3+ de 32 GB: US$ 40.

Todas tem 1GB de memória RAM (LPDDR2), suporte ao armazenamento eMMC (exceto o modelo Lite), com isso trazendo uma confiabilidade maior para cartões SD por exemplo.

Segundo a Raspberry Pi Foundation, o CM3+ vem para ocupar o espaço entre as placas dos modelos A e B do Raspberry Pi que podem não atender as necessidades de quem busca criar um PCB simples e low-tech.



Para maiores informações e mais detalhes sobre o CM3+, veja o post no blog do Raspberry Pi Foundation.

Espero você no próximo post, forte abraço.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Tracktion 7 Digital Áudio Workstation pode ser baixado de graça

Nenhum comentário

quarta-feira, 5 de setembro de 2018

A empresa Tracktion Software está disponibilizando para baixar a sua poderosa ferramenta de produção de áudio digital multiplataforma ou em inglês “Digital Audio Workstation” (DAW) de forma gratuita.

Tracktion 7 Digital Áudio Workstation pode ser baixado de graça







Se você está procurando um software para produção de áudio em DAW o Tracktion 7 é uma boa ferramenta para isso. Uma boa alternativa aos programas Audacity e o Ardour.

T7 DAW (ou Tracktion 7) teve a sua primeira versão lançada em 2016 custando US$59 e tendo uma recepção muito boa da mídia especializada e recebendo vários prêmios pela qualidade do produto oferecido.

O T7 DAW é um Freeware ( e não open source) e que se você precisar de plugins complementares e o suporte dado diretamente pela empresa, você terá que pagar por isso, mas se precisar eles disponibilizam um fórum para ajuda, além de um FAQ para Linux.


               


Ele é multiplataforma, podendo ser usado em Linux (Ubuntu, Mint e derivados), RaspBerry PI, macOS e Windows

A interface dele sendo single-panel (painel único) foi pensada em deixar mais dinâmica e rápida para mixar e fazer gravações, como aplicar correções, efeitos entre outros em ilimitadas trilhas apenas usando o arrastar e soltar.

Outra coisa boa que foi confirmado por eles, é que a versão Free não terá nenhuma limitação em relação às versões pagas.

Para rodar ele na versão para Linux (Ubuntu, Mint e derivados) você vai precisar de um processador Intel Core i5 2 GHz e no minimo 4 GB de memória RAM, mas se recomenda  8 GB de memória RAM.

Para baixar ele você vai precisar entrar no site da Tracktion Software e fazer um rápido cadastro, para que eles possam mandar um link onde você poderá baixar o programa, que está no formato .deb, e também ativar o seu programa, após estes passos, para “desbloquear” o seu programa você vai usar o seu login e senha criados no site anteriormente. Um “preço justo a se pagar” para ter um software profissional em mãos. 

Acho muito legal ter mais alternativas para esse segmento do mercado de produção de áudio profissional, e assim mostrando que a plataforma Linux é um meio viável para isso.

Mas digam aí nos comentários se você já usou a ferramenta ou se vai testar o “poderio” dela. =)

Forte abraço e ate a próxima.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Vem aí, as versões personalizadas do Raspberry Pi

Nenhum comentário

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

O Raspberry Pi é popular até no mundo inteiro. A gama de aplicações que o computador do tamanho de um cartão de crédito proporciona acabou por popularizá-lo no mundo e por dar origem a seus descendentes.  Acompanhe aqui no Diolinux essa novidade.

Versões-personalizadas-do-Raspberry-Pi-em-breve

Versão personalizada do Raspberry Pi

O Raspberry Pi no permite ter tantas ideias de onde podemos aplicá-lo que chegam a nascer empresas criando novas funcionalidades. Publiquei em julho deste ano o artigo sobre o drone que utiliza Raspberry Pi e Linux.

Foi publicada no site LinuxGizmo a noticia de versões personalizadas do Raspberry Pi, devido um acordo feito entre a Raspberry Pi Trading e a Element14.
De acordo com o anuncio das empresas, a Element14 fornecerá serviços de design e fabricação aos clientes para que possam criar 'bespoke designs' baseado na plataforma da tecnologia Raspberry Pi.

 Esses Raspberry Pi terão Layouts de suas placas revisadas, funções alternativas ou adicionais, interfaces, conectores, configurações de memória e dentre outros recursos. Apesar de ser muito interessante, parece que a ideia é um pouco estranho (para não dizer exagerada), pois esperam obter demanda de pedidos de três a cinco mil unidades de Raspberry Pi personalizados, dependendo da natureza da customização.

 Outras versões do Raspberry Pi já apareceram nos últimos anos, incluindo vários sabores de Orange Pi e de Banana Pi. As informações sobre Raspberry Pi personalizado já está disponível no site da Element14.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Orange Match Box da Canonical: Raspberry Pi 2 com Snappy Ubuntu Core

Nenhum comentário

segunda-feira, 1 de junho de 2015

A Canonical mostrou no IOTWorld2015 uma nova "caixinha mágica" que carrega um Raspberry Pi 2 com Ubuntu.

Ubuntu Snappy Raspberry Pi 2
Imagem: Reprodução

Um caixa com Raspberry Pi 2 e o Ubuntu Snappy pré-instalado


Como uma brincadeira para fazer um contraponto com o poderoso "Orange Box" da Canonical, um cluster movido à Ubuntu, foi anunciado o Match Box, um caixa contendo o Raspberry Pi 2 com a nova tecnologia Snappy que vem sendo desenvolvida pela Canonical.

O Snappy tem gerado muita especulação e expectativa, então se você quiser saber mais sobre ele recomendo que leia este post onde abordamos o Snappy através de exemplos e um vídeo.

Não foi comentado nada sobre locais de venda do dispositivo mas na demonstração, podemos ver um dos engenheiros carregando o Raspberry com Ubuntu Snappy como se fosse um pingente.

Se você curtiu o Match Box talvez se interesse também pelo MintBox Mini, confira aqui.

Curtiu? Compartilhe! :)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Robô que joga Flappy Bird é movido a Ubuntu

Nenhum comentário

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

O Ubuntu é o jogador perfeito de Flappy Bird

Você já deve ter jogado ou pelo menos ouvido falar do tal Flappy Bird também conhecido como o jogo de satanás , e você deve ter percebido o quanto é difícil jogar o tal joguinho.

Flappy Bird jogado por Robo

Poucas pessoas conseguiram a façanha de fazer uma pontuação alta no game, alta que eu digo é acima de 100 pontos.
Pensando nisso dois Chineses criaram um robô jogador de Flappy Bird com uma câmera, um braço de HD, O que parece ser um Raspberry Pi e o Ubuntu como sistema operacional e claro, muita criatividade, para entender melhor veja o vídeo:


Robot jugando al Flappy Bird por yonkis

No mínimo criativo não?

Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

Linux Internacional quer produzir computadores de baixo custo no Brasil

Nenhum comentário

segunda-feira, 8 de julho de 2013

Raspberry PI poderá ser produzido no Brasil para baratear custo

Este foi discurso de Jon “Maddog” Hall, diretor da Linux Internacional, revelando no Fórum Internacional do Software Livre (Fisl 14) em Porto Alegre, no RS, que está trabalhando com a Fundação Raspberry Pi para fabricar o minicomputador no Brasil.

Raspberry Pi pode ser produzido no Brasil


Ele está em busca de instituições que aceitem fabricar o produto, e se tudo der certo poderemos pedir Raspberry PIs no Natal ainda este ano.


O principal objetivo de fabricar o mini PC no país é diminuir o preço por conta do imposto da importação, fora do Brasil o Raspberry PI é vendido por cerca de 35 dólares, uns 80 reais na moeda atual, mas com a importação o preço para o brasileiro sobe para 170 reais aproximadamente.


“É um valor muito alto para alguém pagar por algo que vai ser usado para experiências que podem dar errado”, disse Maddog. “Se conseguir fabricá-lo aqui, esperamos vender o Raspberry Pi pelo preço que ele é comercializado no exterior hoje, de US$ 35 (cerca de R$80).”

Este ano o cofundador do Raspberry PI, Pete Lomas, veio até o Brasil  e havia declarado seu interesse pelo mercado brasileiro. 

Quem sabe assim o brasileiro pode dar asas a imaginação sem ter que vender a mãe pra comprar as coisas.

Iniciativas como essa podem trazer boas ideias e novas tecnologias ao mercado, agora você já sabe o que pedir pra mamãe de Natal! =D


Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo