Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo.

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador tecnologia. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador tecnologia. Mostrar todas as postagens

Os BSD estão morrendo?

Nenhum comentário

sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

As versões Open Source da Berkeley Software Distribution (BSD) do UNIX sofrem com a falta de monitoria em seu código, e isso prejudica sua segurança, disse Ilja Van Sprundel, diretor de testes de invasão no IOActive no final de dezembro.

Os BSD estão morrendo?






O artigo à seguir foi enviado por Marcos Oliveira, do site e canal "Terminal Root" e foi traduzido da fonte: CSO. Ele não reflete a opinião do blog ou do Marcos necessariamente em todos os pontos.

Admirado pelo pequeno número de vulnerabilidades do kernel BSD em comparação com o Linux, Van Sprundel analisou o código fonte do BSD em seu tempo livre. "Por que há pouquíssimos avisos de segurança de kernel de segurança BSD publicados todos os anos ?" Ele queria saber. É porque os BSDs são muito mais seguros ? Ou é porque ninguém está olhando?

Van Sprundel diz que ele encontrou facilmente cerca de 115 erros no kernel dos três BSDs, incluindo 30 para o FreeBSD, 25 para o OpenBSD e 60 para o NetBSD. Muitos dessas falhas ele chamou de "fruta quase madura". Ele informou prontamente todos as falhas de segurança, mas seis meses depois, no momento de sua palestra, muitos permaneceram sem correção. "De um modo geral, a maioria das falhas de segurança no kernel do Linux não tem uma vida longa. Eles são encontrados muito rápido", diz Van Sprundel. "Já no BSD, isso nem sempre é verdade. Achei diversos erros que
ainda não foram corrigidos".

OpenBSD, o mais seguro!


"O OpenBSD, de longe, tem os desenvolvedores mais conhecedores quando se trata de segurança", disse van Sprundel ao público. Por um lado, o OpenBSD tem um código muito menor, cerca de 2,9 milhões de linhas de código, em comparação com os 7 milhões do FreeBSD e os 7,3 milhões do NetBSD. "Obviamente, isso faz parte", diz van Sprundel. "Você não pode ter um erro no código que você não possui".

Em termos de qualidade do código, Van Sprundel também elogiou o código OpenBSD, no entanto, disse que "A qualidade é proporcional aos problemas". No entanto, a relativa falta de popularidade do OpenBSD prejudica a segurança do sistema operacional, ele sugeriu. "Os erros ainda são fáceis de encontrar. Se houvesse mais pessoas olhando para o OpenBSD, haveriam mais erros".

Theo De Raadt, fundador da OpenBSD, concordou com a van Sprundel que mais analistas no OpenBSD tornariam o sistema operacional mais seguro. "Eu lembro de ler seus primeiros slides, que foram principalmente sobre o impacto de pequenos abusos da API", disse De Raadt por e-mail. "Infelizmente, este é um problema do volume de código relativo à mão de obra. Garantir que todo o código seja 100% livre de erros é muito difícil". Van Sprundel também elogiou a resposta do OpenBSD às descobertas dos erros, dizendo que De Raadt respondeu dentro de uma semana, e o OpenBSD corrigiu as falhas dentro de alguns dias.

"Comuniquei-me com Ilja desde o início e consegui que toda nossa equipe trabalhasse em suas descobertas", escreveu De Raadt. "Nós resolvemos todos os bugs dentro de uma semana ou mais e disponibilizamos patches para aqueles que eram importantes. Na minha experiência, a única maneira de ser proativo e responsivo em um projeto de software dirigido por voluntários é nunca permitir aferição de um problema para mais tarde. Os problemas devem ser tratados o mais rápido possível para manter o interesse neles ".

NetBSD, o mais estável!


O foco do NetBSD por muitos anos foi suportar a mais ampla gama de hardware possível. Com este objetivo, no entanto, vem a necessidade de incluir uma grande quantidade de código de compatibilidade binária, e destacou-se que o NetBSD parece ser menos estável em relação a segurança.

A resposta do NetBSD aos relatórios de bugs de van Sprundel foi surpreendentemente boa e ruim. 

Por um lado, disseram que: "Eles corrigiram praticamente todos os erros submetidos, e praticamente durante a mesma noite!". Por outro lado, esses remendos ainda não foram enviados aos usuários seis meses depois. "Se você não instalar por conta própria as novas versões, seu NetBSD ainda estará vulnerável".

"Muitas das descobertas foram nas camadas de compatibilidade binária, e essas não são coisas que vão causar uma vulnerabilidade remota de qualquer maneira", diz Taylor R Campbell, membro do conselho de administração da NetBSD Foundation. "Alguém precisaria de acesso ao sistema de qualquer maneira para executar esse código".

Embora o NetBSD seja um projeto de código aberto voluntário sem desenvolvedores em tempo integral, Campbell e David Maxwell, um ex-membro do conselho de fundação do NetBSD, são ambos confiantes, o pessimismo de Agryroudis é infundado. "Nosso principal objetivo é ter um sistema central com uma arquitetura limpa, então torna-se muito fácil acessar novas plataformas", diz Maxwell. "Nós provavelmente continuaremos a ser fortes no lugar que temos sido historicamente". "Também somos notoriamente ruins no marketing", acrescenta Campbell.

FreeBSD, o mais avançado!


O FreeBSD é o mais popular dos três grandes BSDs e é usado pela Netflix, WhatsApp, entre outros . "Atualmente, o FreeBSD está a par com Linux ou superando um pouco", diz van Sprundel. "Em qualquer lugar onde você possa implantar o Linux, pode-se dizer que você provavelmente consegue também implantar o FreeBSD. Eles são implantados massivamente em muitos lugares".

O FreeBSD respondeu aos 30 erros do kernel em cerca de uma semana e corrigiu alguns no seu repositório de código-fonte. No entanto, o projeto de software lançou apenas alguns avisos, e "não se sabe dos demais", de acordo com Van Sprundel.

Ed Maste, diretor de desenvolvimento de projetos da Fundação FreeBSD e membro do time eleito do FreeBSD , diz:

"Começamos a tratar alguns destes como apenas erros e não como problemas de segurança".

A falta de desenvolvedores prejudica a segurança da FreeBSD, não só na capacidade de responder aos relatórios de erros, mas também para implementar novos recursos de segurança padrão do setor, o Argyroudis sugere. "O BSD mais popular, o mais tecnicamente avançado, é o FreeBSD, mas eles não têm tantos desenvolvedores,como Linux, e isso basicamente significa que estão um pouco atrasados em termos de recursos de segurança". "Somos capazes de fazer uma enorme quantidade de trabalho com uma base de desenvolvedores muito menor, fenomenal em termos de quantidade e qualidade de trabalho em comparação com o Linux", diz Maste. 

"A sugestão de que nosso futuro é de alguma forma prejudicado pela falta de desenvolvedores é absolutamente falso".

As vulnerabilidades do kernel do FreeBSD afetam o macOS ?


Há muito código FreeBSD no Mac e a equipe de segurança do FreeBSD coordena a divulgação com a Apple, diz van Sprundel. Ainda não está claro se essas vulnerabilidades relatadas afetam os laptops da Apple. O kernel Darwin divergiu fortemente do FreeBSD há 15 anos, e o macOS recebeu muito mais dedicação dos pesquisadores de segurança ao longo dos anos.

"Quando eu enviei os erros que eu tinha para 'Os Caras' do FreeBSD, eles perguntaram:" Você se importa se enviarmos isso para os caras da Apple? ", Disse van Sprundel. "Então, a equipe de segurança da Apple tem essa lista de erros. Não tenho ideia do quanto isso se aplica a eles. Provavelmente há alguns erros que se aplicam lá". A Apple não respondeu ao nosso pedido de comentário, e Maste recusou-se a especular, apontando que apenas a Apple saberia a resposta dessa pergunta. Maxwell da NetBSD é rápido em apontar que o macOS inclui código de não apenas o FreeBSD, mas também o NetBSD e o OpenBSD.

Os BSD estão morrendo ?


Os BSDs perderam a batalha para o Linux, e isso pode muito bem deixar de suportar a futura sustentabilidade dos BSDs como sistemas operacionais viáveis e seguros. "Fale o que quiser do kernel Linux, mas a verdade é que ele possui mais magnitude.", conclui Van Sprundel. "Com base no meu resultado, a qualidade do código por si só não pode explicar a discrepância entre os números de erro (BSD versus Linux)".

O OpenBSD pode ser o mais provável de sobreviver, apesar de ser muito menos popular que o FreeBSD no momento, sugere Argyroudis. "Vejo uma maior chance de o OpenBSD sobreviver porque tem um caso de uso mais focado e segmenta coisas específicas. FreeBSD, acho muito mais difícil para ele sobreviver do que o OpenBSD".

Medir a popularidade dos BSDs é difícil, argumenta Maste. "Um dos desafios com a tentativa de medir ou quantificar a popularidade do FreeBSD ou dos outros BSDs é que, em muitos casos, é usado em aplicativos ou implementações que não são particularmente visíveis", diz ele, como aparelhos ou produtos que se desenvolvem derivados do FreeBSD.

A licença BSD permissiva torna ainda mais difícil quantificar a popularidade dos BSDs. "Para os usuários finais, coisas como a licença no código podem não importar muito", diz Maxwell da NetBSD, "mas para as pessoas que compõem sistemas incorporados, para as pessoas que estão construindo produtos, o licenciamento do código é muito importante".

Argyroudis continua a ser pessimista sobre o futuro dos BSDs. "Eu adoro a base do código BSD", diz ele, "e eu adoraria poder contar-lhe coisas diferentes, principalmente sobre o FreeBSD, o maior rival do Linux. Infelizmente, eu não acho que esse é o caso, eu acho que isso se resume a uma falta de desenvolvedores".

Você pode apoiar a BSD Foundation através de doações no site oficial e reportando bugs.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Idosos, exclusão digital e o "Linux com isso"

Nenhum comentário

sábado, 16 de dezembro de 2017

Nós costumamos falar aqui no blog de muita tecnologia de ponta, são reviews, dicas, tutoriais e muito mais para aqueles que querem uma vida mais fácil em frente ao computador, agilizando assim as suas tarefas diárias; mas acontece que existe uma parcela da população que as vezes passa despercebida.


Inclusão digital para idosos





Engraçado usar este termo, "exclusão digital", quando se fala normalmente no oposto. Esse tema acabou surgindo por acaso em uma conversa com um amigo meu. Ambos somos (ou já fomos) professores de informática básica para pessoas com mais idade e isso acabou dos permitindo ter um percepção muito diferente sobre o mundo da tecnologia.

O idoso sempre teve problemas para se encaixar na "sociedade jovem", mas conforme o tempo passou e a tecnologia se tornou parte intrínseca da nossa vida, as pessoas que nasceram muito tempo antes de computadores serem comuns nos lares acabaram tendo dificuldade para lidar com esse tipo de coisa. Sendo essa uma parcela da sociedade cada vez mais crescente, será que não devemos olhar com mais carinho para ela?

Talvez você já tenha flagrado alguém com "uns carnavais" a mais com dificuldades para utilizar um Smartphone, ou simplesmente não entendendo "o que é o Google", "o Facebook" e ainda achando "mágico" como você pode fazer vídeo chamadas e falar com os entes queridos que moram muito longe. Aos olhos de algumas pessoas que não cresceram com esse mundo, todo esse aparato tecnológico que é comum para maior parte do público deste blog, parece magia, literalmente.

Abaixo você tem um vídeo do canal "Linus TechTips", onde Linus apresenta "o mundo Google" para o seu avô de 91 anos e o resultado é muito tocante, eu realmente fiquei sensibilizado e emocionado com o vídeo, confira:


Como podemos ajudar a incluir essas pessoas em um mundo que muda tão rapidamente? Linux pode ajudar.


A grande questão aqui é a independência. Exato, independência. Essas pessoas muitas vezes acabaram se afastando um pouco da tecnologia, por mais que a achem fascinante, porque tinham dificuldade de entender certos termos e interfaces para se usar alguma coisa, como um e-mail por exemplo.

Isso é algo que eu aprendi tendo contato direto com pessoas dessa idade que buscaram aprender em uma escola de treinamentos (imagina como são as que não tiveram esse ímpeto). Essas pessoas não querem ter "o neto" ao lado o tempo todo para poder realizar tarefas simples, como enviar uma mensagem para alguém, elas querem ser independentes e fazer o que precisam fazer sem precisar do "suporte", ao contrário do que muita gente acha.

Pensar sobre segurança de seus dados, atualizações do sistema e aplicativos, instalar aplicativos, tudo isso não deve ser preocupação de quem é leigo e só quer usar a tecnologia, alguém que só quer se sentir mais integrado com a sociedade. O lado técnico de se usar um computador por exemplo, precisa ser completamente abstraído, ou o máximo possível ao menos.

Neste aspecto, acredite você se quiser, existe uma distro Linux capaz de realizar esse tipo de trabalho (tirando o Android em Smartphones) em computadores, que é o Endless OS.

Endless OS

Ele possui uma interface semelhante a um Smartphone Android, que é algo que provavelmente a maior parte das pessoas está minimamente habituada, baseando-se em Linux o nível de segurança para leigos tende a ser um pouco maior, ele é gratuito e possui muito conteúdo offline, ideal para as pessoas que não tem um acesso pleno à internet, além de possuir os aplicativos tradicionais para comunicação e navegação.

Paciência e inovação


Ao contrário das pessoas que nasceram nas últimas duas décadas, geralmente pessoas com mais idade costumam aprender e apreciar as coisas com mais calma, por conta disso, paciência é um ponto chave.

Várias vezes eu já vi pessoas dizerem que só assistem vídeos no YouTube com a velocidade alterada, 1,5, as vezes 2x a velocidade, nessa horas eu confesso que sinto-me mais velho, ainda sou do tipo que gosta de consumir as coisas como elas foram produzidas, que não tem pressa para aprender, sou aquele tipo que gosta de ouvir álbuns inteiros e não singles. Talvez a gente precise desacelerar um pouco. Se você quiser saber se você tem esse "problema" de mente acelerada, use um método nada científico que eu criei, tente assistir o clássico "2001, uma odisseia no espaço", se você ficar entediado muito rápido, talvez seja o seu caso.

Desacelerar é, inclusive, a principal ferramenta que você tem na hora de tentar ajudar alguém que viveu muito mais do que você a se inteirar nesse mundo "high tech", eu sei que não é pra todo mundo, mas você precisa entender que o simples fato de conseguir enviar uma mensagem a um filho querido pelo WhatsApp pode ser uma grande vitória para que cresceu de forma analógica.

A tecnologia tem a função de facilitar a nossa vida, é natural que ela vá procurar atender quem está no ápice dessa inovação, mas é importante que não esqueçamos de quem nos deu base para tudo o que temos hoje, tornando-a mais simples e acessível em todos os níveis possíveis.

A sensação que se tem é que vivemos num momento de "quebra" da sociedade, que já ocorreu em outros momentos na história, onde podemos separar os que realmente entendem a tecnologia, sabem usar e sabem como funciona, dos que apenas usam e os que ainda estão tentando entender como utilizar em 3 grupos facilmente distintos, quem sabe com paciência, trabalho e inovação, possamos tornar a sociedade mais hegemônica neste sentido.

Esse tipo de uma coisa vai acontecer invariavelmente (algum dia, quem sabe...), afinal, crianças que nasceram depois de 2010 já estão crescendo na era do Streaming e dos Smartphones, logo, os idosos de um futuro próximo serão possivelmente um pouco mais integrados a tecnologia do que os de outrora, no entanto, esse ciclo deve se repetir ainda, mesmo que com um "fade" maior.

E aí, você anda fazendo a sua parte para melhorar esse cenário? Já dizia o Chaves:


Reflita.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Novo Galaxy X da Samsung será dobrável ao meio!

Nenhum comentário

domingo, 3 de dezembro de 2017

Coincidência ou não, depois da Apple ter lançado o iPhone X, vem aí o Galaxy X em 2018 provindo, como era de se esperar, da gigante Sul Coreana, Samsung. O grande diferencial dele será a sua tela dobrável.

Samsung Galaxy X






A volta dos celulares "Flip flop" se aproxima, mas não como estávamos acostumados (isso não seria muito impressionante para 2018, não?), o que vai dobrar ao meio são as telas do novo Galaxy X.

Galaxy Dobrável

Ainda não foi detalhada a tecnologia que será utilizada no componente que chama mais a nossa atenção, a tela, no entanto, o restante do corpo do Smartphone deverá ser construído em plástico. Informações sobre o hardware, como processador, memória e armazenamento ainda não foram mencionadas

Apesar da empresa não confirmar datas, é provável que tenhamos já no próximo ano essa tecnologia no mercado, aparentemente existe uma "corrida por trás dos panos", entre os sul coreanos e o pessoal de Cupertino (Apple) para ver quem vai lançar o primeiro Smartphone com essa tecnologia de telas maleáveis, visto que a Apple parece ter uma boa conversa com a LG e sua tecnologia de display dobrável, a Samsung parece ter uma certa "pressa" para colocar essa ideia em prática.

Você gostaria de ter um celular que dobra ao meio? Conte pra gente nos comentários e até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Conheça agora as principais novidades do Android 8 "Oreo"

Nenhum comentário

terça-feira, 22 de agosto de 2017

A Google anunciou ontem o lançamento da oitava versão do Android. O nome desta nova versão é "Oreo", seguindo os nomes de doces e guloseimas em ordem alfabética.

Lançado o Android 8







Desde o anúncio das primeiras imagens de teste em 21 de Março deste ano, o sistema recebeu vários incrementos. Vamos conhecer agora as principais novidades do novo Android.

Novidades

Existem muitas coisas novas chegando e aqui vamos dar destaque as principais e mais relevantes. É curioso apontar que muita destas funcionalidades já estavam presentes em versões customizadas por fabricantes de Smartphones e Tablets e agora incorporam o chamado “Android puro” também.

Podemos dividir as novas funções em:

1 - Interação direta com o usuário

- Função Picture in Picture nativa: Agora você pode usar Apps em janelas sobrepostas e lado a lado;

- Pontos de notificação na tela: A ideia com isso é que você possa acessar as notificações dos aplicativos apenas segurando o ícone do App sem necessariamente abri-lo, além de acessar atalhos dentro do próprio App sem abrí-lo;

- Função de auto preenchimento: Esta deve agilizar no login e acesso a senhas em vários serviços;

- Nova seleção inteligente de texto: Especialmente para quem utilizar teclados físicos para trabalhar com o Android.

2 - Atualizações de performance e segurança:

- Otimizações de performance (bateria e Runtime): Com isso nós teremos uma limitação automática maior daquilo que os aplicativos, serviços e atualizações de localização poderão acessar quando estiverem rodando em background, isso deve trazer um impacto positivo da durabilidade da bateria dos aparelhos;

- Google Play Protect: A cada dia mais transações são feitas no serviço, então é um ponto realmente importante a se melhorar sempre;

- O Play Console, que é o painel para desenvolvedores Android, também recebeu alguns upgrades.

Uma terceira divisão que podemos fazer são as:

3 - Mudanças da interoperabilidade da interface

- Mudanças visuais da interface do Android padrão;

- Novos Canais de notificação: Você terá mais liberdade em controlar notificações de Apps individualmente;

- Novo pacote de Emojis;

- Ícones Adaptativos: Novos ícones que são capazes de se adaptar melhor a telas diferentes e aplicativos diferentes;

- Suporte para Wi-Fi Aware, que permite que dois aparelhos geograficamente perto possam trocar informações mesmo sem internet;

- Mudança da API de áudio para a PRO Audio, que permite maior qualidade e menor latência. Hoje em dia muitas pessoas estão utilizando os aparelhos para trabalhar com música e isso pode ser uma mão na roda;

- Novos efeitos e transições de áudio;

- Possibilidade de ativar o Wi-Fi automaticamente com uma opção simples que pode ser ativida e desativada nas configurações

- E foi colocado em andamento o Project Treble, que vai procurar diminuir a fragmentação do Android, mais informações neste link. Ele deve ajudar os fabricantes a atualizarem para versões mais recentes do sistema.

Mais algumas considerações sobre o Android 8


A aparência em si não mudou tanto, temos alguns tons um pouco diferentes nas cores no launcher, mas nada de mais. Segundo a Google, a máquina virtual Java do Android está 2 vezes mais rápida, o que deve deixar o sistema ainda melhor, como eu ainda não vi benchmarks, não sei dizer se a informação realmente se confirma.

Até o momento somente aparelhos Pixel e Nexus devem receber a atualização, mas como sempre, as demais marcas devem trazer o sistema para seus dispositivos aos poucos, vale a pena consultar o cronograma do fabricante do seu aparelho.

Essas são as principais novidades do novo Android, o que você achou? Qual a função que mais gostou? 

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Silício nos processadores? Pesquisadores conseguem criar os primeiros cristais de Grafeno perfeitos

Nenhum comentário

terça-feira, 1 de agosto de 2017

Há muito tempo que se ouve falar do tal "limite do silício", limite este que impediria o crescimento vertical da capacidade computacional que temos hoje em dia, obrigando as empresas a buscar tecnologias auxiliares que ajudem na melhoria do desempenho nos processadores, melhorando-os geração após geração, como a adição de múltiplos núcleos, entre outras coisas.

Grafeno deve substituir o Silício no futuro




Dois cientistas da Coreia do Sul conseguiriam realizar uma façanha para o mundo tecnológico e científico nunca antes vista. Eles conseguiram sintetizar um cristal de grafeno perfeito (ou quase) com 50 cm te comprimento e 5 cm de largura.

Antes de você entender o que isso significa...

O que é o Grafeno e porque ele é importante para a tecnologia


Atualmente o Silício é um dos principais componentes para a fabricação de componentes eletrônicos, incluindo os processadores, que são o coração da nossa capacidade computacional, contudo, este material tem algumas limitações, sendo assim, existem várias iniciativas de encontrar algo que possa substitui-lo e o Grafeno é um dos principais candidatos.

O Silício suporta atualmente frequências que variam de 4 a 5 Ghz em condições "normais", enquanto o Grafeno consegue passar facilmente dos 500 Ghz, algo que nenhum overclock chegou perto, os recordes atuais mal conseguem chegar a 9 Ghz.

Mas além disso, o grafeno tem outras potencialidades que o fazem um ótimo candidato para substituir o silício. O grafeno é constituído basicamente de uma camada muito fina de grafite, o mesmo material que encontramos nos lápis escolares comuns, porém, o que torna ele realmente especial é a estrutura dos átomos individuais e como eles se distribuem de forma hexagonal, se uma folha de grafeno plana for enrolada, os átomos criam nanotubos de carbono. Como o grafeno é um material extremamente fino, ele permite que cargas elétricas fluam facilmente por ele, o que permite criar transistores mais eficientes.

A utilização deste material para a fabricação de processadores seria uma forma muito eficiente de aumentar a potência computacional e reduzir o tamanho, diminuindo também o consumo de energia e por consequência, aumentando a eficiência.

A realização dos sul coreanos


Placas de Grafeno

Os dois professores do Instituto de Ciências Básicas da Coreia do Sul, Feng Ding e Rodney Ruoff, juntamente com seus colegas de projeto, conseguiram criar cristais de grafeno de um tamanho nunca visto até então: Meio metro de comprimento e 5 cm de largura, estes são os maiores já criados na história, os cristais de grafeno criados antes disso não passavam de alguns milímetros. Além de grandes, eles são praticamente perfeitos, são 99,9% planos e alinhados, algo essencial para a utilização em processadores.

O método utilizado para a criação deles é relativamente "simples e artesanal", os estudiosos criaram uma placa de cobre extremamente alinhada e moldaram o grafeno sobre ela, desta forma, os átomos da substância simplesmente mantiveram o alinhamento da placa de cobre no qual estavam em cima, proporcionando este alinhamento quase perfeito.

Segundo os cientistas, o tamanho das placas de grafeno depende basicamente do tamanho do molde, não há um limite para isso, porém, não existem placas de cobre dessa forma na indústria atualmente, sendo assim, cada laboratório que for tentar criar placas de grafeno precisará "dar um jeito" para criar as suas próprias placas de cobre para usar de molde, pelo menos até que a indústria passe a produzi-las.

Para fabricar as placas foi necessário aquecer a substância a 1030 graus Celsius por cerca de 20 minutos. Uma fabricação relativamente rápida para os padrões atuais.

O que isso significa para futuro?


Uma das maiores dificuldades sempre foi criar estes cristais de grafeno de forma utilizável, agora com esta "receita", é questão de tempo até que automatizemos e otimizemos a produção deste tipo de material condutor que poderá revolucionar drasticamente a forma com que nos relacionamos com a tecnologia.

Não existem datas para um processador com grafeno entrar no mercado ainda, muito menos um prazo para nós termos um destes em nossas casas, mas tudo indica que em pelo menos uma década a computação poderá dar grandes saltos.

Até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Realidade ou Ficção? Unreal Engine reproduz elementos do mundo real com detalhamento incrível!

Nenhum comentário
Um dos motivos que eu ter criado o blog Diolinux foi o meu fascínio por tecnologia, talvez até o nome "Diolinux" transmita uma ideia diferente da que eu gostaria, mas isso é outro assunto. Comentei isso porque eu adoro poder chegar aqui e te mostrar o que eu vou mostrar agora, uma recriação foto realista digital feita através de computador. 

Unreal Engine Real World




Um artista gráfico chamado Rense de Boer realizou um trabalho incrível utilizando a Unreal Engine, o motor gráfico da Epic Games, para criar uma trabalho minucioso que usou de fotometria para criar rochas, sedimentos, algumas pequenas plantas em um cenário cheio de detalhes.

Antes de você assistir ao vídeo, para deixar as coisas interessantes, veja as imagens tentando ignorar o fato de você saber que se trata de uma simulação, depois conte pra gente se você perceberia ou não que se trata de um cenário gerado por computador nos comentários.

👉 Lembrando que se for possível, você pode ver em 4K para melhorar ainda mais a experiência.


Particularmente eu não seria capaz de distinguir um cenário verdadeiro de um falso, a qualidade das luzes, sombras e texturas é assombrosa!

Isso é certamente algo que nos espera no futuro dos games e ate mesmo no cinema. Claro que (sem desmerecer o trabalho do rapaz) renderizar "apenas uma rochas" é diferente de fazer esse cenário interagir com figuras humanas ou animais, ou ainda qualquer avatar móvel, mas mesmo assim, esse tipo de trabalho me faz pensar em diversas coisas que podemos esperar da indústria.

Sabe o que é interessante? Não foi preciso um "computador da NASA" para criar uma simulação dessas, claro, não foi um computador qualquer também, mas Rense de Boer utilizou "apenas" um computador com Core i7 5960X, duas GTX 1080 Ti em SLI e 64 GB de RAM DDR4 com 2400 MHz, o que está longe de ser uma máquina fraca, ou até mesmo mediana, mas só pelo fato de ser algo que hoje muitas pessoas podem ter em suas casas, nos faz pensar no potencial desse tipo de coisa em computadores realmente poderosos.

Para quem gosta dos devaneios do Stephen Hawking, será que o universo é uma simulação? Baseando-se pela qualidade gráfica, não podemos descartar.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Deepin - Distros Linux da China e como elas podem se dar bem no ocidente

Nenhum comentário

quinta-feira, 16 de março de 2017

O mercado chinês é diferente, não há contestação. Ele é diferente para os consumidores, ele é diferente para os empreendedores, para empresas que queiram disponibilizar os seus serviços por lá, é, a China é diferente! Vamos conversar um pouco sobre a "forma chinesa" para criar soluções na tecnologia, especialmente desktop, especialmente baseados em Linux.

Tecnologia Chinesa




Não há como negar que a rigidez política para produtos e empresas estrangeiras, especialmente dos Estados Unidos, acaba por gerar um mercado diferente dentro da China. Empresas como Apple, Microsoft, Google, Facebook e tantos outros gigantes da tecnologia não são impedidos de operar no país, mas uma série de leis e burocracias faz com que a sua operação seja muito mais complicada e sumariamente desestimulada e limitada.

Isso em parte vem da vontade do Governo Chinês de ser independente tecnologicamente, não posso culpa-los por isso, acho até que há um aspecto positivo no meio dos abusos cometidos para que isso ocorra, o grande problema é realmente o motivo pelo qual a China quer deter a sua tecnologia. Mas com a minha intenção não é falar de política e de como o Governo chinês age por lá, então, deixamos isso para outra oportunidade.

O engraçado é que apesar de "não ir com a cara" das empresas do ocidente, fica muito claro ao observar os produtos de fabricação chinesa o quanto eles são inspirados em soluções da Apple, da Microsoft e da Google, claro, com a sua própria pegada.

Apesar da China não ter tanto interesse em importar tecnologia, o contrário não é verdadeiro, muitas empresas gigantes de tecnologia produzem seus componentes lá, especialmente pelo baixo custo que isso gera e também por conta dos grandes centros de tecnologia, além disso, empresas Chinesas como a Xiaomi, Alibaba, Baidu, Huawai, Lenovo, Asus, Acer, etc, marcaram o seu nome do mercado ocidental (para o bem ou para mal) de forma irreversível, tornando-se multinacionais de sucesso. Influenciando também as produtoras de tecnologia do ocidente a ponto de ficar difícil de dizer "quem copia quem" hoje em dia.

Ainda assim, mesmo para as empresas chinesas, apresentar soluções para o público chinês e para o público ocidental é diferente, os produtos tem características, especialmente visuais eu diria, diferentes, e principalmente me parece valer uma regra: "Não precisa revolucionar se for bom, o objetivo não é reinventar a roda, é polir ela e dar aos consumidores o que eles querem."

Aí que entram as distros Linux da China


O próprio governo chinês possui uma distribuição oficial com leves inspirações nas versões mais antigas do macOS da Apple, isso falando visualmente, contudo, ainda que ela seja a "distro oficial do país", estatísticas mostram que tirando órgãos que são controlados diretamente pelo governo, são poucos os usuários que aderiram a ele.

Sabemos que o governo chinês tem um forma muita abrupta de dizer para as pessoas o que elas podem ou não acessar e há vários relatos de que há um monitoramento constante, por isso, sistemas de código aberto, onde é possível observar à partir do código fonte se existem backdoors deixados propositalmente fazem sucesso, especialmente do público especializado ainda que boa parte dos usuários chineses continuem utilizando Windows XP. O rastreamento pode ocorrer de diversas formas diferentes e não precisa estar atrelado ao sistema operacional, mas digamos que seja uma preocupação a menos, caso você possa ver o código.

Além do Linux ser um atrativo, outra característica que as distros chinesas tem são as suas interfaces que agregaram valores de vários sistemas diferentes, sendo eles proprietários ou não, dois ótimos exemplos que podemos comentar são o Ubuntu Kylin com a sua UKUI, lembrando a usabilidade do Windows, e o Deepin, que tem uma interface "que morfa" (igual os Power Rangers), e pode lembrar tanto o macOS, quanto o Windows.



O interessante das distribuições da China, é que você pode até dizer que falta originalidade em algumas coisas, mas se tem uma coisa que elas fazem bem é solucionar problemas. Querendo ou não, a "falta de medo" de criar ou reimaginar algo que já existe acaba lapidando os conceitos à cerca da experiência de usuário.

O Deepin é um ótimo exemplo: 

"- Será que os usuários preferem um visual Windows ou macOS, ou algo completamente diferente?" 
" - Não sei, coloca os dois!"

Você pode observar o comportamento de resolução de problemas sem medo de mudar do Deepin em vários aspectos ao longo da vida da distro, ela já teve várias interfaces diferentes até decidir criar uma própria, já foi baseada no Ubuntu, hoje é no Debian, já teve lançamentos periódicos, hoje é Rolling Release, já usou ícones extremamente coloridos (muito populares na China), hoje dá a opção de ícones flat também, seguindo um design mais "tradicional" dos dias atuais.

Os usuários querem programas de forma fácil?

Que tal pegar todos os pacotes e colocar tudo em um repositório só? Feito. O Repositório do Deepin é tão rico de aplicações úteis como o AUR do Arch e os PPAs do Ubuntu juntos e ainda é compatível com pacotes .deb, tudo isso em uma interface onde você simplesmente tem que clicar, nada mais.

Realmente, eles não tem vergonha de repetir e reimaginar o que já deu certo, o resultado disso é uma empresa crescente na China e um sistema que começa a chamar atenção fora dela.

Longe do Deepin ser perfeito ou o ideal para você, ou mesmo o Ubuntu Kylin, mas o que chama a atenção é que a produção de tecnologia chinesa já está a sua volta e talvez você ainda não tenha percebido, computadores e componentes da Asus, Acer, Lenovo? Todos chineses.

A postura das distribuições da China de atender ao público sem se preocupar com o "olha, eles estão copiando isso ou aquilo", acaba por trazer (talvez) exatamente o que o público (ou a maior parte dele) deseja, facilidade e beleza. O que dizer do WPS Office?

Acho cedo ainda pra dizer que o Deepin é A DISTRO para desktop, mas eles estão no caminho e vale a pena ficar de olho.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Qual a diferença entre os principais cursos superiores de T.I.? Veja qual é o adequado para você

Nenhum comentário

quinta-feira, 7 de julho de 2016

Todas as pessoas que estão finalizando o ensino médio e procurando um curso superior (ou não) para futuramente trabalhar na área de tecnologia costumam ficar com dúvidas sobre qual curso escolher e que tipo de formação procurar, vamos esclarecer aqui as suas dúvidas e mostrar as diferenças entre cada um dos principais cursos relacionados a T.I. que são comumente oferecidos no Brasil.

Sabendo quais os principais assuntos abordados neles, você poderá tomar uma decisão consciente sobre o assunto e definir se é "isso" mesmo que você quer fazer.

As diferenças entre os cursos de T.I.




Existem várias formas de você iniciar a sua carreira acadêmica no segmento de T.I, existem várias especialidades diferentes que você pode procurar para melhorar os seus conhecimentos. Vamos listar os principais aqui e mostrar o que cada um deles costuma estudar.

Tecnologia em Sistemas para Internet


Duração do Curso: de 2 a 3 anos. 
Tipo: Tecnólogo.

Um estudante desta área será capacitado para desenvolver e fazer manutenção em sites empresariais de todos os portes. Este curso costuma ter um tempo de duração um pouco menor que as outras opções comuns, isso pode ser bom, afinal você terá saído do curso mais cedo, podendo concorrer à vaga desejada no mercado de trabalho.

O curso de "Sistemas para a Internet" se aproxima muito do curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas, mas tem como principal diferença a atuação profissional, que focará as atividades no ambiente da Internet e não na programação de software. Entre as funções que o aluno aprenderá a desempenhar, estão o desenvolvimento de sistemas, de páginas da web, de interface de sites, o esquema de cores, tratamento de imagens, criação de banners, posicionamento de links, programação em HTML 5, marketing digital, entre outros. 

Análise e Desenvolvimento de Sistemas


Duração média do curso: de 2 a 3 anos.
Tipo: Tecnólogo.

Quem optar por "ADS", um curso muito comum nos últimos tempos e almejado por várias pessoas, encontrará um ramo onde o profissional será responsável pela análise, projeto e implementação de sistemas e softwares, normalmente voltados para serviços e produtividade.

Quem estuda "ADS" também costuma aprender algumas linguagens de programação. Muita gente procura este curso por conta dos adicionais que ele pode oferecer, como gerenciamento e administração, o que pode ser muito útil caso você deseje abrir a sua própria empresa. Muitos donos de Startups fizeram este curso.

Tecnologia em Banco de Dados


Duração média do curso: de 2 a 3 anos.
Tipo: Tecnólogo.

Este é um setor interessante para se atuar também. Hoje em dia, empresas de médio e grande (algumas pequenas também) porte costumam manter uma base de dados de clientes e outras informações, ter um profissional para manter um banco saudável e perfeitamente funcional, certamente é algo essencial.

Um profissional desta área poderá trabalhar com dados de clientes, estoques, matéria-prima, pagamentos e até mesmo relatórios de produtividade. O conhecimento adquirido neste curso pode ser aplicado também para criar um banco de dados completamente novo para uma empresa, ou dar manutenção em um existente, calculando a expansão necessária do ambiente empresarial para garantir que o volume de dados crescente seja organizado sem problemas.

Redes de computadores


Duração média do curso: de 2 a 3 anos.
Tipo: Tecnólogo.

O curso de "Redes", como é chamado por muitos, também é uma opção famosa.

Muita gente diz que este é um dos cursos mais complicados da área de T.I.; quem trabalha com "Redes de computadores" é responsável pela criação de redes de internet, dimensionamento de equipamento, manutenção, gerenciamento, segurança e infra-estrutura de redes internas, externas, locais ou de longas distâncias de uma empresa.

Este profissional costuma ser responsável por garantir a qualidade e funcionamento de uma rede de uma empresa, saber de Linux é especialmente útil neste curso.

Segurança da Informação


Duração média do curso: de 2 a 3 anos.
Tipo: Tecnólogo.

Um profissional desta área irá trabalhar diretamente com a segurança das empresas onde atuar. O curso trabalha com assuntos como: Análise de riscos, projetos e implementações de redes seguras, proteção de sistemas e redes contra ataques de crackers, objetivando questões como encontrar as vulnerabilidades que um sistema eventualmente possua, recuperação de informações perdidas e fazer a gestão das informações disponíveis em rede de acordo com a política da empresa onde estiver empregado.

Engenharia da Computação


Duração média do curso: 5 anos.
Tipo: Bacharel.

Este é um dos cursos mais tradicionais da área de T.I., e um dos mais longos também, então, se esta for a sua vocação, prepare-se, pois serão muitas horas de aula.

Todas as engenharias tendem a ter em suas grandes assuntos complexos de serem estudados, existirão várias horas de aula dedicadas à matemática, física e engenharia básica. A grade curricular é extensa e vai passar por várias áreas diferentes, incluindo desenvolvimento e manutenção de softwares, processos, automação, montagem e configuração de hardware, componentes de hardware, robótica e até a integração de todos estes elementos.

Hardware é um dos assuntos principais, mas mesmo assim haverão nuances de outras áreas como, engenharia de softwares, redes de computadores e banco de dados.

Um engenheiro pode ser responsável por desenvolvimento de novos hardwares e implementações de ferramentas envolvendo manutenção de computadores e sistemas físicos dentro de uma empresa. Ao mesmo tempo, um profissional deste calibre pode também almejar vagas em outras áreas que não vão envolver hardware diretamente, como elétrica/eletrônica e telecomunicação, entre outras, trabalhando com os componentes de forma indireta.

Sistemas de informação


Duração média do curso: 4 anos.
Tipo: Bacharel.

Este curso é conhecido por ser um apanhado de vários outros cursos, aqui um estudante de "Sistemas de informação" vai estudar informática "em geral" e aprender relacionar as várias áreas de tecnologia, de certa forma, um profissional desta área vai reunir competências de outros cursos, como "Redes de computadores", "Banco de Dados", "ADS" e "Sistemas para Internet".

Quem se graduar em "Sistemas de informação" estará apto para desenvolver, planejar e escrever novos softwares; criar, organizar, administrar e garantir a segurança em redes de computadores; desenvolver e administrar websites e ainda trabalhar na manutenção de banco de dados.

Como o conhecimento adquirido aqui é amplo, este profissional não precisa necessariamente trabalhar com hardware ou software, podendo seguir carreira como gestor de TI em empresas, gestor de projetos, trabalhar na área logística; existem muitas possibilidades.

Ciência da Computação


Duração média do curso: 4 anos.
Tipo: Bacharel.

O perfil do profissional formado é o de um cientista de computação, com base interdisciplinar e tecnologicamente generalista, mas com possibilidade de especialização em alguma área de sua escolha, o que permite grande flexibilidade de atuação em várias áreas do conhecimento que requerem o domínio de técnicas computacionais. 

Para se dar bem neste curso é interessante possuir capacidade de raciocínio lógico e abstrato, compreender e aplicar conceitos, princípios e práticas essenciais no contexto de cenários bem definidos, mostrando discernimento na seleção e aplicação de técnicas e ferramentas. Dentre outras coisas, este profissional é capaz de projetar, implementar, manter e operar ambientes computacionais para solucionar problemas nas diversas áreas de aplicação, com sólido embasamento científico-tecnológico. A continuidade da formação profissional e científica, através do ingresso em cursos de pós-graduação, é fortemente incentivada pelo embasamento teórico e pela possibilidade de participar de projetos de iniciação científica, capacitando-o para a vida acadêmica.

Áreas de atuações vastas


Informática é uma área tão imensa que é difícil até mesmo listar todas as profissões possíveis, eu por exemplo, apesar de ter me formado em hardware, acabei "enveredando" para outros lados e hoje em dia trabalho com conteúdo, como fonte de renda primária. As coisas mudam e você acaba adaptando-se.

Por isso é interessante que você saiba que existem vários ramos diferentes para se atuar, quero compartilhar algumas experiências que eu pude colher com profissionais de áreas diferentes através do DioCast, o nosso podcast no YouTube.





Espero que eu tenha conseguindo clarear algumas das dúvidas mais comuns de quem está pensando em entrar na área, e aí, qual ramo você vai seguir?

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




BlitzWolf BW-MP1 Mini - Unboxing de projetor de baixo custo

Nenhum comentário

terça-feira, 31 de maio de 2016

Recentemente eu recebi como presente da empresa BlitWolf um projetor "nanico", que é pensado no público que deseja utilizar o recurso de projeção em casa, para fins domésticos, como assistir filmes e quem sabe até jogar. Quer dar uma olhada comigo?

BlitzWolf BW-MP1 Mini




O BlitzWolf BW-MP1 Mini foi mandado para mim pela empresa de mesmo nome para que eu pudesse fazer uma análise do produto, resenhando desta forma as minhas opiniões sobre dele; bom, eu já escrevi o roteiro da análise e ela será postada em vídeo no canal do Diolinux assim que eu tiver um tempinho pra gravar, pelas mensagens que os inscritos mandaram, percebi que muitos ficaram interessados nas possibilidades do equipamento.

BlitzWolf BW-MP1 Mini

Posso dizer que estou gostando do "bichinho", tenho usado ele quase que diariamente para assistir filmes e séries ligando-o ao meu Notebook via cabo HDMI. Ele é pequeno, ocupa pouco espaço, é fácil de configurar... mas faz um pouco de barulho... disso não gostei muito, mas vocês verão maiores detalhes na review em vídeo.

BlitzWolf BW-MP1 Mini

Eu ganhei ele, mas o preço é bem acessível, seria algo que estaria dentro do meu orçamento se eu fosse comprá-lo, ele custa cerca de 90 Dólares e é vendido nesta loja. Um valor bem abaixo dos que são praticados por marcas famosas, onde os valores podem passar facilmente dos 2 mil Reais,  neste caso, o valor gira em torno de uns 350 Reais, sem custo para entrega pelo que eles me falaram.

A BlitzWolf  tem muitos produtos no site Banggood, até então eu nunca tinha recebido nenhum produto de lá. Como você pode ver no unboxing abaixo, a caixa  chegou um pouco amassada, não sei por culpa de quem... mas chegou. Ele também demorou muito para chegar até às minhas mãos, o produto chegou ao Brasil de Hong Kong em mais ou menos uma semana, mas demorou inacreditáveis 2 meses para sair da unidade de importação em Curitiba para chegar ao destino final, eu. Ele foi taxado em 45 Reais, dos quais eu mesmo tive que pagar para retirar o produto, o valor dele em si foi coberto pela BlitzWolf.

Para mim, em termos de custo/benefício, obviamente que pagar apenas 45 Reais em um projetor é vantajoso, ainda que ele não fosse muito bom, afinal, o valor gasto foi irrisório para um equipamento do tipo, porém, na análise que ainda está por vir, obviamente eu vou levar em consideração o preço da compra original que você vai pagar caso compre por lá. Posso adiantar que mesmo pagando o valor original dele me parece valer a pena, se você ficou curioso, aguarde a review em vídeo para saber mais detalhes dos recursos e funcionamento do equipamento, reitero. 

Algumas pessoas me pediram o que eu acho do site Banggood (onde a BlitzWolf vende  o projetor), porém, infelizmente eu não posso dar uma opinião consistente, pois nunca fui um cliente direto deles, a primeira vez que "compro" algo do site foi esta, e ainda foi uma compra indireta, vinda diretamente ṕor do fabricante (BlitzWolf) e não do site (Banggood), então minha resposta é um sincero "não sei". 

Pesquisando um pouco eu não encontrei indícios muito relevantes, na minha opinião, de problemas. Algumas reclamações com entregas, mas foram do tipo que toda grande rede tem, então, vou deixar nas suas mãos avaliar e pesquisar por si só.

Se você ainda não viu o vídeo do Unxboxing do BlitzWolf BW-MP1 Mini, retirando o produto da caixa, ele está logo abaixo, assim você pode ter uma ideia melhor de como é a aparência dele e quais componentes vem com ele também.


Não conhecia o nosso canal? Inscreva-se para receber mais vídeos como este:
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




ROSS: Conheça o primeiro robô advogado do mundo

Nenhum comentário

quinta-feira, 19 de maio de 2016

A inteligência artificial é uma realidade que se aproxima conforme o tempo passa, sonhamos com ela há muitos anos e a verdade é que a cada ano que passa estamos muito mais próximos de conseguir algo semelhante ao que se tem nos filmes. Claro, ainda não chegamos na Skynet mas já temos aproximações com relação a robôs que são inteligentes para realizar tarefas específicas, este é o caso do ROSS.

ROSS o robô advogado




Um escritório de advocacia dos Estados Unidos anunciou uma parceria com a empresa ROSS Intelligence para utilizar a inteligência artificial desenvolvida por eles para ajudar as pessoas a resolver dúvidas jurídicas com maior velocidade.
Leia também: Conheça o TensorFlow, a inteligência artificial da Google que você pode baixar para testar.
A inteligência artificial, também chamada de ROSS (não tem como não lembrar de Friends!), será utilizada como um produto de pesquisa, consulta e interpretação de textos jurídicos. 

O ROSS utiliza a plataforma de computação cognitiva da IBM chamada de "Watson" para interpretar as solicitações dos usuários, as pessoas poderão fazer perguntas ao ROSS usando a sua própria linguagem simples (inglês, no caso) e o robô fará uma pesquisa na legislação e jurisprudência de diversos casos já acontecidos ou baseado nas leis existentes para trazer respostas que sejam relevantes para os usuários.

O ROSS também consegue monitorar sites jurídicos e notificar as pessoas sobre novas decisões legais e modificações que eventualmente ocorram e que influenciem de alguma forma os casos em andamento, isso vai agilizar o trabalho e poupar o tempo dos clientes e dos advogados.

É o futuro chegando!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Robô humanoide "assunta" por ser real demais!

Nenhum comentário

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

A robótica é um dos horizontes da tecnologia, é nela e através dela que vemos consolidarem-se e construírem-se as mais impressionantes tecnologias. Hoje você conhecerá "Han", um robô humano ultra realista.

Robô impressiona

Estamos chegando à Era dos Exterminadores?


Talvez o Arnold Schwarzenegger ainda não esteja batendo na sua porta mas a realidade de um robô chamado "Han" impressiona. O robô humanoide foi desenvolvido pela Hanson Robotics e foi exibido em uma feira de tecnologia e eletrônica em Hong Kong.

Apesar com um Smartphone Android é possível controlar as expressões faciais dele de maneira completamente surpreendente.

De acordo com os criadores, a pele do robô, incrivelmente realista também, é feita de uma material chamado de Frubber, um polímero elástico que imita a pele humana, para que ele pudesse ter expressões faciais tão "vivas" foram instalados cerca de 40 motores em sua face para representar os músculos que ali ficariam em uma pessoa, isso ajuda o robô a criar várias expressões, além disso, "Han" consegue responder algumas perguntas simples, a empresa idealiza o uso do humanoide em áreas de atendimento ao cliente. Confira o vídeo, é realmente impressionante.




_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




194 GigaBytes: Este é tamanho da maior imagem da Via Láctea já feita

Nenhum comentário

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Se você costuma tirar fotos em alta definição no seu Smartphone deve ter percebido  que algumas dezenas delas conseguem lotar um cartão de memória sem muito esforço, porém, astrônomos alemães criaram uma imagem "um pouquinho" maior da nossa galáxia.

Via Lactea Full HD

Poucas coisas despertam-me tanto fascínio do que a Astronomia, é algo realmente incrível para mim, e como eu tenho o hábito de acompanhar as notícias do mundo científico, as vezes mais até do que do mundo Linux, tenho uma coisa interessante para compartilhar com vocês aqui.

Astrônomos alemães em uma universidade do vale do Ruhr em Bochum, mais especificamente, na Alemanha, criaram o que é atualmente a maior foto em alta definição da Via Láctea, que é a galáxia da qual o nesso pequeno e aconchegante Sistema Solar faz parte, a imagem tem nada mais, nada menos do que 46 bilhões de pixels e pesa cerca de 194 GB; muita coisa hein? Já pensou em baixar uma foto assim?

A imagem é na verdade uma junção de várias outras "menores", os cientistas juntaram todas para termos uma noção do visual completo, você pode reparar que existe uma coloração predominante, isso é porque foram usados alguns filtros, não iguais aos do Instagram, mas filtros que deixam apenas alguns tipos de ondas de luz passarem, o objetivo era deixar as estrelas, sobretudo as do centro da galáxia que são mais difíceis de ver, mais nítidas.

As imagens foram juntadas à partir do observatório chileno que fica no deserto do Atacama, o trabalho demorou cerca de 5 anos para ser feito. 

Como nem todo mundo tem um conexão boa o suficiente para baixar a imagem (ainda neste ano) ou até mesmo espaço no HD para comportar apenas uma imagem, foi criada uma página que permite que você visualize o projeto diretamente pelo seu navegador, com um certa interatividade, você pode dar zoom (muito zoom!) assim como mudar os filtros de luz, clique aqui para acessar.

E aí, já imaginou ter a Via Láctea de Wallpaper?
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




"Se as máquinas tiverem um interesse diferente do nosso, teremos um problema", Stephen Hawking

Nenhum comentário

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Stephen Hawking é uma das mentes mais brilhantes da nossa história e sempre que ele resolve dar a sua opinião sobre algum assunto as pessoas costumam prestar atenção. Hawking participou recentemente de uma discussão do Reddit onde explicou a sua preocupação com a evolução da A.I.

Stephen Hawking

O problema para a humanidade da Inteligência Artificial segundo Stephen Hawking


Quem gosta de física vê em Stephen Hawking um grande exemplos a ser seguido, ele ficou tão famoso por suas realizações e lições de superação que até mesmo que não está muito interessado em buracos negros reconhece a sua figura.

Hawking respondeu algumas perguntas feitas no Reddit onde compartilhou com as pessoas algumas de suas análises sobre o uso e evolução da inteligência artificial.

Quem acompanha o blog sabe o quanto nós falamos hoje em dia sobre "a internet das coisas", uma vez que a empresa por traz do Linux Ubuntu, a Canonical, está se saindo muito bem neste segmento, porém a inteligência artificial plena, quando for alcançada, levará sem dúvidas a humanidade a um próximo estágio.

Stephen Hawking foi questionado sobre os riscos de uma IA "do mal" existir, segundo ele a questão de maldade é má interpretada pela mídia, ou interpretada desta forma por motivos de marketing, a questão não deveria ser "maldade" e sim "competência", ele explica. 

“Uma IA superinteligente será extremamente boa em atingir suas metas, e se essas metas não estiverem alinhadas com as nossas, estamos com problemas. Você provavelmente não é um odiador de formigas que pisa nelas por maldade. No entanto, se você estiver no comando de um projeto de uma hidrelétrica e há um formigueiro na região que será inundada, azar das formigas. Não podemos deixar a humanidade ficar na posição destas formigas”, afirmou.

Outra pergunta que foi feita ao físico questiona também o desemprego que pode ser causado pelo uso das máquinas, quanto a isso ele foi enfático:

“Se as máquinas produzirem tudo de que precisamos, o resultado dependerá de como as coisas são distribuídas. Todo mundo poderá aproveitar uma vida de lazer luxuoso se a riqueza produzida pela máquina for compartilhada, ou a maior parte das pessoas pode se tornar miserável se os donos das máquinas conseguirem se posicionar contra a redistribuição da riqueza. Até agora, a tendência tem sido para a segunda opção, com a tecnologia aumentando a desigualdade”.

Ele comentou também que não espera problemas futuros pela dominação pelas máquinas mas se a inteligência artificial conseguir montar novas máquinas de uma maneira melhor que a nossa a ciência irá avançar muito rapidamente.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo