Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador tutorial para iniciantes. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador tutorial para iniciantes. Mostrar todas as postagens

Como instalar o Lutris no Ubuntu corretamente

Nenhum comentário

sábado, 31 de agosto de 2019

Muitos que chegam no mundo Linux, perguntam como que conseguimos instalar certos games no Linux, além da Steam. Fizemos um tutorial de como preparar o seu PC Linux para jogar e nele falamos do Lutris. Hoje vamos ensinar a instalar ele no Ubuntu.

Como instalar o Lutris no Ubuntu corretamente





Além de instalar jogos, pode-se instalar também alguns launchers, como o da Uplay e Epic Games por exemplo. Que ensinamos a instalá-los aqui e aqui.

Bom, vamos a instalação. Primeiro acesse o site do Lutris e vá até a sessão download.



Agora vamos adicionar o repositório do Lutris, fazer o update e instalar o Lutris com um único comando, que é:

sudo add-apt-repository ppa:lutris-team/lutris -y && sudo apt update && sudo apt install lutris -y

Agora é só esperar a instalação acabar e desfrutar do Lutris.



Acima vemos como seria a tela dele, no caso é o meu Lutris já com o Overwatch instalado.

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum.

Espero você até a próxima, um forte abraço.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

10 Dicas para novos usuários de Linux/Ubuntu

Nenhum comentário

terça-feira, 23 de julho de 2019

Recentemente fiz um post falando dos motivos que levam novos usuários a desistirem da plataforma, agora trago 10 dicas para os novos usuários. São conselhos simples, mas que podem fazer toda diferença. Para aqueles que estão esperando uma postagem com os motivos que me fizeram utilizar Linux, calma que provavelmente ele está a caminho (😏😏😏).

new-user-usuario-linux-ubuntu-iniciante-dicas

As dicas a seguir podem soar demasiadamente simples para usuários mais experientes no Linux, entretanto, a postagem destina-se aos novatos. Compartilhe com pessoas que queiram adentrar ao mundo do Pinguim, ou com iniciantes. Lembrando que foco no Ubuntu e seus derivados, por compreender que ele é a porta de entrada para muitos. No entanto, as dicas vão além, talvez um ou outro tópico, como PPA’s são exclusivamente para Ubuntu e derivados, mas os demais aplica-se a maioria das distribuições Linux (voltadas aos iniciantes, obviamente).

01 - Permita-se descobrir o sistema


Essa dica é para os novatos de plantão, não que as demais tenham foco em outro usuário. No entanto, essa é a que mais dá prazer ao se descobrir algo. Gaste algum tempo utilizando, aprendendo, “brincando” com o sistema. Se for mais além, evite isso em um computador com dados importantes ou que utilize para produção. Como dizem: “o céu é o limite”. Quando for utilizar o sistema, evite esses testes malucos na máquina de trabalho, e considere as dicas descritas neste poste.

02 - Você não precisa do Wine para tudo


Existem muitas programas no Linux. Você necessariamente não precisa executar aplicações do Windows para tudo. O Wine é uma forma paliativa para casos que não haja outra opção. Não é incomum ver usuários executando programas que existem versões nativas no Linux com o Wine. Pesquise se existe o app que usa na plataforma, e experimente as alternativas. Na realidade indico outra coisa, antes mesmo de migrarem para Linux, entretanto, isso ficará para outra postagem (😁😁😁).

03 - Mantenha seu sistema em dia


Atualizar o sistema garante possíveis correções de bugs e falhas graves. Mantendo o sistema em dia, sua segurança é maior. Alguns usuários não gostam de atualizar por terem que baixar vários gigabytes durante o processo. No entanto, se está utilizando o Ubuntu e instalou apenas o necessário, essa situação não será presente. Alguns sistemas trazem as últimas novidades, consecutivamente mais updates são exigidos. Não existe mal algum nisso, porém, evite tardar as atualizações. Caso seja uma atualização crítica, com alguma correção de vulnerabilidade, a faça imediatamente.

04 - Instale apenas os programas que for utilizar


Essa dica é simples e tem como alvo deixar seu sistema enxuto e por tabela mais seguro. Sem softwares desnecessários ao seu uso, as atualizações serão menores e o risco de vulnerabilidades com bugs também.

05 - Evite programas abandonados


Outra dica interessante é comparar diversas alternativas a um mesmo propósito. Por exemplo, suponhamos que queira um player de música novo. Existem inúmeras opções, cada uma para um gosto diferente. Mas se existe algo a se pensar, além do visual e funcionalidades, é se o pacote ainda vem sendo mantido. Novas atualizações não são apenas uma forma de receber recursos, mas também de correções de bugs e vulnerabilidades. Evite programas abandonados e dê preferência aqueles que estão em pleno desenvolvimento. Claro que nem sempre isso será possível, porém, minimizando ao máximo seu sistema se tornará mais seguro.

06 - PPA só em casos reais de necessidade


PPA é um assunto delicado, uns amam e outros odeiam. Caso não saiba o que são esses repositórios, temos essa matéria explicando sobre. O interessante dos PPA's é a possibilidade de utilizar programas, drivers e bibliotecas que nativamente não estão no repositório do sistema ou encontram-se em versões inferiores. Por muitos anos essa feature era uma necessidade de muitos usuários no Ubuntu, utilizar o mesmo sem PPA era quase impossível. Hoje a história mudou, com o surgimento de novos pacotes, como: AppImage, Flatpak e Snap. Para usuários de Nvidia o Ubuntu passou a adicionar as últimas versões do driver proprietário nos repositórios, então, nada de PPA (😉😉😉). Evite PPA's, use outros meios, reconsidere se é tão importante assim arriscar o sistema com possíveis erros de dependências e outras coisas.

07 - Cuidado com tutoriais “vencidos”


O mundo da tecnologia evolui de forma assombrosa, com o Linux não é diferente. Pelo contrário, parece que nos últimos anos o pinguim vem evoluindo tão rápido que fica até difícil acompanhar seu progresso. Isso tudo para facilitar a utilização por usuários comuns, tornando o sistema cada dia mais simples. Antes de utilizar algum comando pesquise um pouco mais, veja a data do tutorial, se já não existem outros modos ou se a solução seja mais simples no momento. Cuidado com PPA's “sem data de validade”, eles costumam ocasionar em diversos erros de dependências e quebrar o sistema. Pacotes DEB antigos podem fazer um estrago igualmente perigoso. Os novos pacotes (AppImage, Flatpak e Snap) evitam transtornos e não danificam seu sistema.

08 - O conhecimento é uma “chama”


O conhecimento é como um fogo, conforme você o alimenta mais ele cresce e ao compartilhar ele não diminui só se multiplica. Participe de grupos e fóruns, e tenha como máxima uma coisa que sempre ouvi (e creio que você também). Absorva o que é bom e descarte o que for ruim. Aprenda e também transmita adiante o que sabe, assim sua chama só tende a crescer e multiplicar. Crie tópicos, auxilie pessoas, você aprende enquanto ensina.

09 - “Cuidado por onde andas”


Essa dica é complementar a anterior. Absorver o que é bom não significa “manter-se entre os porcos”. Infelizmente na comunidade, assim como outra qualquer, existem pessoas radicais, mesquinhas e que só destroem. Fuja destes grupos e fóruns, evite tais usuários. Obviamente, que mesmo em grupos sensatos alguns “sem noção” vão aparecer. Apenas ignore, trate os outros com gentileza e não deixe sua chama apagar. Para quem tem dúvidas de onde ingressar, recomendo o fórum Diolinux Plus. O pessoal é mente aberta, não importa se você usa, Windows, Linux ou macOS.

10 - Siga, incentive e compartilhe bons conteúdos


É comum pessoas compartilharem notícias que as deixam “#¿$?%!¡ da vida” ou que são fake news. Ao se deparar com conteúdo tóxico, seja sensato. Respire fundo, deixe a raiva ir embora e ignore, mande para o limbo. Compartilhe apenas conteúdos significantes, acompanhe produtores que façam mais pela comunidade ao invés de quem propaga mentiras. Incentive projetos que em algum momento acrescentaram em sua vida. Assim outros poderão ser beneficiados e o projeto não morrerá. Nós produtores de conteúdo precisamos de seu apoio, seja ele financeiro, com engajamento ou compartilhamento. Assim mais e mais pessoas podem descobrir nossos projetos.

Curtiu as 10 dicas? Acrescentaria algo? Considere criar um tópico em nosso fórum Diolinux Plus, lembre-se a chama do conhecimento não se apaga ao compartilhar, só tende a se multiplicar.

Até o próximo post, SISTEMATICAMENTE! 😎
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Como atualizar o Ubuntu pelo terminal - Tutorial para Iniciantes

Nenhum comentário

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Olá para você que está começando no Ubuntu ou algum sistema derivado agora, hoje você vai aprender como atualizar o seu sistema através do "temido" terminal e vai perceber que não é nada complicado, com produziu um pequeno vídeo mostrando como fazer isso foi o nosso amigo Bruno, do canal Madrugueds, confira:

Como atualizar o Ubuntu pelo Terminal




É bom deixar claro que hoje em dia você pode usar distribuições Linux sem ter muito conhecimento técnico, não é necessário usar o terminal e seus comandos para operar o sistema, mas uma coisa que eu sempre recomendo para as pessoas é encarar o terminal como um ferramenta poderosa, um aliado, uma forma extra que você para lidar com o seu sistema operacional. Uma das coisas mais básicas que você pode fazer por ele é atualizar o sistema, confira o vídeo do Bruno exemplificando esse procedimento:


Temos aqui mais algumas dicas que podem te ajudar a ficar mais confortável com o terminal:



Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Tudo o que você precisa entender sobre repositórios PPA: O que é, como instalar, dicas e recomendações

Um comentário

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

O que é um repositório PPA e como instalar um no Ubuntu e derivados


Olá meu amigo, este artigo tem por objetivo ser didático a fim de ensinar você a instalar programas no Ubuntu e no Linux Mint através de um repositório PPA que é uma maneira muito fácil e comum de se fazer as coisas nessas distribuições.

Ubuntu-PPA


Mas afinal, o que é um PPA?


PPA quer dizer Personal Package Archives, os repositórios deste tipo nada mais são do quer servidores na internet onde se encontram os programas que não estão nos repositórios oficias da sua distro.

Mas essa é uma generalização porque alguns programas que estão na Central de Programas possuem PPA, caso do WINE por exemplo, a diferença entre instalar a versão da Central de Programas e instalar via PPA é que a versão que está na Central de Programas e suas possíveis atualizações já foram testadas e apresentam um nível bom de segurança e estabilidade, porém, não trazem os mesmos recursos muitas vezes, das versões mais recentes, coisa que o PPA trás.

Instalar ou não instalar via PPA


Eis uma questão que já foi amplamente discutida por fóruns especializados, assim como outros assuntos polêmicos, não se foi chegada a nenhuma conclusão precisa, há quem defenda o uso, há quem ache que instalar programas de terceiros pode "quebrar" o sistema, mas se pensarmos friamente a realidade é uma só; instalar PPA não oferece nenhum risco eminente, porém, vale a pena ficar atento quanto à procedência do PPA, do seu desenvolvedor etc.
Se você tem dúvidas procure informações sobre o desenvolvedor do software e da procedência do mesmo.

Um dica importante é você sempre consultar a Central de Programas antes de sair procurando PPAs, muitas vezes você encontrará o mesmo software que procura por lá em pleno funcionamento e capacidade de sanar as suas necessidades.

Como instalar um PPA via terminal


Certo, esta é parte que realmente motivou este post, eu sempre sugiro o Linux para os meus conhecidos e amigos, normalmente o Ubuntu ou o Linux Mint porque acredito que sejam as mais acessíveis, instalar Programas pela Central de Programas ou através de arquivos .deb não é das tarefas mais complicadas - Se você quer saber mais sobre instalação de programas .deb clique aqui - mas quando os usuários iniciantes precisam instalar programas via PPA surgem algumas dúvidas, por isso vou dar um exemplo e explicar cada detalhe do processo de instalação de software por este método.


Mas por que só pelo terminal?


Você pode perguntar...

Primeiro porque a maioria dos sites que tratam do assunto pela internet usa esse método, segundo que ele é o mais prático e direto ao ponto, se você veio do Windows e está pensando que vai ser ruim ter que instalar programas pelo terminal, lembre-se que não é difícil, é apenas diferente, muitas vezes é mais complicado crackear um programa pirata na plataforma Microsoft.

Na maior parte das vezes basta copiar e colar, obviamente prestando atenção no que o comando faz para não ter problemas.

Exemplo prático e explicação

Certo, para o nosso exemplo vamos utilizar o PPA do CPU-G, ele é um software que mostra informações do seu Hardware com detalhes, semelhante ao Everest para Windows.

Os comandos para instalar o CPU-G são estes:
sudo add-apt-repository ppa:cpug-devs/ppa 
sudo apt-get update
sudo apt-get install cpu-g
Com estes 3 simples comandos você instalaria o software no seu Ubuntu, os comandos para instalar programas via PPA são sempre iguais, a única coisa que muda é o endereço do PPA da primeira linha, cada qual com um endereço diferente.

Analisemos a primeira linha de comando 


Antes de mais nada, esses comandos devem ser digitados em um terminal, procure no menu da sua distro por "terminal".

O que é "Terminal"?: O Terminal é uma janela onde podemos dar comandos aos sistemas Unix, o Linux inclusive.

Normalmente é dito para que você copie e cole os comandos, pois eles tem que ser certeiros, uma letra ou caractere errado pode invalidar o comando, nada impede que você digite, mas para não correr o risco de escrever errado, a melhor e mais prática maneira de fazer isso é copiando e colando.

Teclas de atalho para copiar e colar no Terminal


Se você tentou dar um bom e velho "CTRL+C/CTRL+V" deve ter percebido que isso não funciona no terminal, não exatamente assim pelo menos, a função de copiar e colar requer a adição de mais uma tecla para que funcione, sendo assim, quando quiser copiar do terminal use: SHIFT+CTRL+C e para colar use: SHIFT+CTRL+V.

Voltando a linha de comando:

sudo add-apt-repository ppa:cpug-devs/ppa
A parte em azul se refere ao comando SUDO, este comando serve para dar permissões de super usuário (ROOT) - Clique para saber o que é Root - temporariamente para que você instale o programa, apenas o usuário Root tem permissão para fazer este tipo de modificação e por isso o acesso é restrito e protegido por senha (comentaremos adiante).

A parte vermelha se refere ao comando propriamente dito, neste caso o comando simplesmente diz que estamos adicionando um repositório, a palavra APT - Saiba mais sobre o APT aqui - se refere ao gerenciador de pacotes de todas as distros baseadas no Debian, inclusive o Ubuntu e Linux Mint.

A parte escura se refere ao endereço do servidor PPA onde se encontra o programa, normalmente ele vem precedido da palavra "PPA" seguido de dois pontos e o nome do PPA.

Depois de copiar o código e colar no terminal a primeira linha, dê "Enter", digite a sua senha de usuário, dê enter novamente, neste instante ocorre a instalação do PPA, o terminal vai lhe pedir se você deseja realmente instalar o programa apenas para confirmar dê mais um "Enter", caso queira cancelar a instalação ( ou qualquer outro processo que corre pelo terminal) apertando a combinação de teclas CTRL+C.

OBS: Não se preocupe se não aparecer nada no campo da senha, é assim mesmo que funciona.

Aguarde um instante e o repositório será adicionado a sua lista de fontes de software.

Segunda linha


sudo apt-get update

A segunda linha é muito mais simples de entender, depois de instalar o repositório precisamos mostrar para o Ubuntu que temos mais uma fonte de software, o comando SUDO tem o mesmo efeito do caso anterior, o comando APT-GET diz ao APT, gerenciador de pacotes do Ubuntu, que o mesmo deve buscar programas novos em suas listas de software e a parte em negro, significa o comando usado para atualizar as listas de software instaladas.

Copie, cole e dê enter, a lista pode demorar um pouco para atualizar.

Terceira e última linha


sudo apt-get install cpu-g

A última linha serve para instalar o programa propriamente dito, o SUDO  e  o APT-GET tem as mesmas funções que foram colocadas anteriormente.

O comando "Install" serve para instalarmos determinados pacotes, o pacote que será instalado vem logo ao lado de "install", no nosso exemplo, o nome do pacote é  o cpu-g ( em verde ).

Copie e cole os comandos como vimos anteriormente, dando "enter" após a cópia, digite a sua senha novamente se for preciso, aguarde a instalação pois agora os pacotes serão baixados da internet, dependendo do tamanho do programa e da velocidade da sua internet essa operação pode demorar um pouco.



13 Passos - Resumo de instalação via PPA pelo terminal

1 - Copiar primeira linha SHIFT+CTRL+C
2 - Colar primeira linha SHIFT+CTRL+V
3 - Dar "Enter"
4 - Digitar senha
5 - Dar "Enter" novamente para confirmar ou CTRL+C para CANCELAR
6 - Esperar processo acabar...
7- Copiar segunda linha SHIFT+CTRL+C
8 - Colar segunda linha SHIFT+CTRL+V
9 - Dar "Enter"
10 - Esperar atualizar
11 - Copiar terceira linha SHIFT+CTRL+C
12 - Colar terceira linha SHIFT+CTRL+V
13 - "Dar" Enter

Neste momento será feita a leitura dos pacotes nos repositórios e será feito a pergunta se você realmente deseja instalar (S/N)

  • - Digite "s" sem aspas para prosseguir ou "n" sem aspas para Cancelar
  • - Aguarde a instalação...

Se todo o processo correu bem, você provavelmente vai conseguir abrir o programa pela Dash, no caso do Ubuntu, ou o MintMenu, no caso do Linux Mint.


Veja também: Usuários de Windows que estejam precisando converter um arquivo de vídeo podem usar este software,ele é um conversor multimídia (áudio e vídeo), muito simples de se utilizar e suporta vários formatos diferentes, alguns até meio "exóticos"


Pode parecer complicado à primeira vista, mas como tudo na vida depois que você estiver com mais prática certamente vai parecer muito simples, como o é.

Espero que todas as suas dúvidas sobre os repositórios PPA do Ubuntu tenham sido sanadas.


Até a próxima!


Como instalar Games no Linux - Tutorial definitivo

Um comentário

terça-feira, 11 de junho de 2013

Aprenda a rodar todos os games no seu Linux

Este tutorial tem tudo para ser muito comprido, mas paciência, ele se faz necessário!
Tenho algumas considerações à fazer antes de continuar qualquer explicação:

how-to-install-games-on-linux

  1. Minha ideia inicial era fazer um tutorial em vídeo, porém estou com pouco tempo para isso no momento, mas quando fizer um vídeo ele será anexado neste artigo.
  2. Fiquei um pouco chateado de algumas pessoas dizerem que não conseguiram rodar nenhum game da nossa série de Games para Linux, muitos por dizerem "não saber instalar", este é o objetivo do artigo.
  3. Pode surgir alguma outra maneira de instalar um game ou outro, mas pretendo abordar todos os tipos no artigo.

Começando no mundo dos Games 


Eu sempre gostei de Video Games, e poder jogar no Linux é um sonho realizado, por isso, à uns dois meses eu resolvi garimpar a internet atrás de novos e bons games para Linux, muitos Linux Gamers, mantíam e ainda mantém o Windows em Dual Boot para jogos, coisa que eu fazia e hoje não faço mais, jogo muito mais no Linux, com todos os novos ( e velhos ) games e os emuladores, sim, o Linux é um paraíso de emuladores, com eles consegui reviver alguns clássicos da minha infância e até mesmo jogar games mais novos como CoD Modern Warfare 3.

Os tipos de jogos

Bom no Linux existe uma certa variedade de maneiras de se rodar games, no Windows basicamente temos um arquivo executável ( exe ou bat ) que gerencia toda a história, no Linux podemos instalar/rodar games da seguinte maneira:


  • Usando arquivos Binários
  • Usando arquivos SH
  • Usando arquivos em Flash
  • Usando o Steam
  • Usando o Desura
  • Usando o DJL
  • Usando o Wine
  • Usando o PlayonLinux
  • Usando Roms e Emuladores
  • Emulando games de Android
  • Usando o Blender
  • Humble Indie Bundle
Acho que essa lista elucida a maioria das opções que temos, e vamos analisá-los um por um, então recosta aí pra fazer a leitura, se arruma de maneira confortável porque você vai jogar muito de desse tutorial!

Antes de mais nada, gostaria de lembrar que tirei essas opções baseados nos games que estamos postando na nossa já grande série de Games para Linux e que só tende a aumentar. Então seguindo esse tutorial você, acredito eu, conseguirá rodar 99% dos games que postamos aqui. ;)

Rodando games com arquivos binários


Mas o que é um binário Diolinux?
"Um arquivo binário é um arquivo de computador que pode conter qualquer tipo de dado, codificado em binário para ser estocado com o propósito de ser processado no computador; por exemplo, um arquivo de documento contendo texto formatado. Muitos arquivo em formato binário contém partes que podem ser interpretadas como texto; arquivo binário que contém somente dados em formato de texto - sem, por exemplo, qualquer formato - são chamados arquivo de somente texto. Em muitos casos, arquivo com apenas texto são considerados serem diferentes dos arquivos binários porque os arquivos binários são feitos com outros caracteres que não pertencem ao alfabeto." by Wikipédia.
Para fins de praticidade, entenda o arquivo binário como se fosse um executável comum, para rodá-lo basta dar dois cliques no mesmo, porém é bom atentar para as permissões:


Definindo permissões de execução no Ubuntu

Como mostrado na imagem acima, você deve clicar com o botão direito em cima do arquivo, ir na opção Propriedades e marcar as opções destacadas como na imagem acima, marque a caixa Executar e defina acesse de Leitura e Escrita para o seu usuário.
Depois disso para rodar o game basta você dar dois cliques com o botão esquerdo do mouse nele, e ele vai abrir normalmente sem precisar instalar nada, basta você ter o dados que o acompanham.

E quais games são assim?

Não existe um parâmetro para dizer quais games serão assim, mas em 90% dos casos são games feitos com a Unity Engine 4 que depois da sua portabilidade para Linux gerou muitos jogos bons, muitos deles já foram postados aqui. Games como Slender The Nine Pages funcionam dessa maneira.
Podem existir outros games que usam binários, mas praticamente todos funcionam assim.

Games que rodam com Scripts SH

Script SH para quem não sabe, são os populares Shell Scripts, que são comandos sequências que se dá ao Shell do Linux - comandos me linhas de texto - shell script também não deixa de ser uma linguagem de programação, um roteiro de comandos que o Linux interpreta.
Alguns desenvolvedores de games escolheram liberar os seus jogos gerenciados por um arquivo SH.

game-linux-terminal

Quando os games são nesse formato você deve atentar para duas coisas, na maioria da vezes eles vem compactados, descompacte-os para uma pasta de sua preferência, você deverá identificar o arquivo SH e dar permissões de execução como você fez com o arquivo binário, porém você deve executá-lo pelo terminal, faça o seguinte, use o comando CD para chegar até o diretório do game.


Como no exemplo acima o comando ficaria:

cd /home/dionatan/Área\ de\ Trabalho/StuntRally-1.9-linux/

e dentro deste diretório bastaria executar o comando:

./Stuntrally
Genericamente seria:

cd /home/seu_usuario/nome_pasta_do_jogo/
./nome_do_arquivo_sh 
Muitas vezes o arquivo Sh vem seguido da extensão .sh, porém, às vezes isso não acontece, quando o arquivo tiver a extensão .sh você deve adicioná-la ao comando usando o nome completo, exemplo:

./nome_do_arquivo_sh.sh
Daí para frente vai depender do que o Desenvolvedor programou, games como o Stunt Rally, usado nesse exemplo, rodam a partir deste comando, ou seja você roda o ./nome-do-arquivo e sai jogando, outros games como o Amnesia abre no mesmo sistema com um arquivo SH, mas o Amnésia abre um instalador simplificado parecido com o modelo NNF ( Next, Next, Finish ) do Windows. Quando um game possui um instalador normalmente ele cria um atalho  no menu, no caso do Ubuntu na Dash para que você possa abri-lo.

Games em Flash

Estes são os mais simples de todos e mais fáceis de jogar, normalmente são disponibilizados arquivos no formato .swf que são facilmente abertos e interpretados por qualquer navegador que tenha o Flash instalado.

Games em Flash podem ser abertos por qualquer navegador

Em games como o Zuma e o Killer Scape que postamos aqui recentemente, é este o caso, basta você baixar o arquivo em flash, clicar nele com o botão direito do mouse, vá na opção selecionar a opção Abrir com e selecionar o navegador de sua preferência. O Google Chrome já vem com o Flash embutido para os demais você deve instalar o Ubuntu restricted extras e "deu pra bola!" 



O Linux Mint, já vem com o Flash instalado por padrão.

Para jogos em flash, basicamente é isso.

Usando o Steam

O Steam chegou para deixar os LinUsers fãs de games com água nos olhos e hoje a plataforma de venda e gerenciamento de games da Valve é uma das principais ferramentas para quem quer jogar títulos consagrados no Linux como Counter Strike e Left 4 Dead 2. 
Para usar o Steam você precisa basicamente de duas coisas, uma conta no Steam e o cliente Steam instalado no seu Linux ( o Ubuntu 12.04 é o mais recomendado ).


Você pode criar uma conta através do site da Steam ou através do próprio Cliente

Em todo caso é necessário que você tenha uma conta de E-mail para efetuar o cadastro, nada a mais.

free-games-on-linux-steam

Depois de instalado no seu computador, o Steam ficará semelhante a este que você está vendo na imagem acima, a Steam normalmente VENDE games, mas isso não quer dizer que você precisar comprar games para jogar, basta procurar games Free to Play no campo de busca, como Team Fortress na imagem acima. Para encontrar todos os games para Linux da Steam basta você clicar na sessão Linux no menu superior.
Para instalar um game com o Steam, se o game for gratuito basta você clicar no game de depois em Play Game, bastando agora aguardar o Download, já se o game for pago você deverá clicar em Add to Cart  depois em Purchase for Myself, então você terá que preencher uma série de informações, podendo escolher se quer pagar o game com um boleto bancário ou usando o seu cartão de crédito, Paypal e diversos outros meios.

Usando o Desura

O Desura é uma plataforma semelhante ao Steam, porém o Desura contém muito mais games Indie que a Steam, alguns jogos ainda estão em fase de testes, assim como games finalizados também é claro.


Desura-gamer-plataform-for-linux

Já postamos alguns games do Desura, como Lure of the Temptress o esquema segue o mesmo do Steam, porém acredito que o Desura não permite gerar boletos para pagamento.


Jogando no Linux com DJL

Este foi um achado recente e uma grata surpresa, o DJL é um Software Livre francês que funciona de maneira semelhante ao Desura e à Steam, com a diferença de que ele só trás games Open Source e totalmente gratuitos.

DJL - Gerenciador de games Open Source


Aprenda a instalar o DJL

Depois de instalado, basta ir até a aba Repositório selecionar um game no menu da esquerda e clicar em Instalar logo abaixo dele. É só esperar o download terminar e jogar o game.

Usando o Wine para jogar

O Wine infelizmente ou não, ainda é um programa muito utilizado no mundo Linux, com ele é possível rodar algumas aplicações que são nativas do Windows diretamente no Linux, programas como o Office 2010 rodam muito bem obrigado, como nós já mostramos, e alguns games para Windows podem ser Emulados pelo Wine.

WINE-GTA



Algumas games de Windows necessitam de um arquivo .bat para instalar o games, especialmente os piratas ( não sejamos hipócritas né? ) e para isso nós já temos uma solução também.


O Wine é um pouco inconstante, um game pode funcionar em um computador e pode não funcionar em outro, isso é bem relativo, mas existe uma banco de dados no próprio site do WINE destinando a classificar a compatibilidade de determinados Softwares com o programa.

Visite este endereço e veja se o game ou programa que você deseja rodar tem uma boa compatibilidade.


Para instalar games pelo Wine você precisa obviamente do jogo completo e um pouco de sorte, porque não?

Mas existe uma boa gama de jogos que funcionam perfeitamente no WINE como Need For Speed Underground 2 e GTA San Andreas ( imagem acima ).

A instalação do game se dá como acontece no Windows com um instalador "Wizard" no melhor estilo NNF.

Jogando no Linux usando o PlayonLinux

O PlayonLinux é um complemento para o WINE, sabemos que para os programas funcionarem corretamente no WINE muitas vezes é preciso certos programas complementares, que são como as dependências do Linux, e é para resolver este problema que existe o PlayOnLinux, ele vai baixar todos os programas necessários para rodar o jogo baseado numa lista de programas que ele suporta.

games-play-on-linux

Com o Play on Linux você pode rodar muitos programas do Windows, incluindo o Office e o iTunes, os programas que são suportados pelo software são listados em categorias, e claro, existe a categoria de games, alguns jogos menores e grátis o próprio Play on Linux baixa para você, outros ele irá pedir o instalador. Depois a instalação se dará como qualquer outro programa do Windows.

ROMs e Emuladores, O Paraíso

Jogar, Super Nintendo, MegaDrive, Nintendo Wii, GameCube, PS1, PS2 tudo isso no seu Linux!
Sim, isso é possível graças aos lindos emuladores.

Dolphin - Emulador de nintendo WIi


Mas emular games não é crime? ( Parenteses para explicação ) 

Precisei fazer uma pesquisa internet à fora e legislação a dentro e descobri que pela constituição brasileira, basicamente emular em si não é crime, o que é crime é a procedência da ROM que vai ser emulada, se você a baixou da internet via torrent ou outra coisa é crime leve usá-la para entretenimento próprio, sendo considerado crime grave se você vendê-la ou comprá-la. 
Porém é permitido que você baixe e use uma ROM como backup, ou seja, se você tem o jogo original você pode copiar a mídia e criar uma ISO ou baixar um ROM para usar no lugar da original.


Continuando...

Apesar de não ser visto com "bons olhos" baixar roms é uma coisa tão tradicional na internet quanto baixar músicas, e se fossem prender todos os que fazem isso com certeza ia faltar cadeia. =P
Quando falamos disso sempre entram muitas questões, políticas, legislativas e financeiras mas não vamos tratar disso aqui, vamos tratar da possibilidade de emular jogos.



Emulador de Play Station 1

Emulador de Play Station 2

Emulador de Play Station 3 ( experimental )

Emulador de Nintendo Wii e Game Cube

Procurar ROMs na Internet não é difícil e existem muitos sites especializados, ainda faremos algumas postagens na série de Games para Linux que vão usar emuladores, e vamos disponibilizar o link para download da ROM também! Me prenda se quiser! xD

Jogando Games do Android no Linux

Este é mais uma dica do que um tutorial, primeiro você vai precisar rodar o Android dentro do Ubuntu.


Para instalar o Apps basta usar a Google Play com uma conta Google para baixá-los, ou instalar o programas APKs manualmente.

angry-birds-android-virtualbox-linux


Usando o Blender

Modelador 3D Blender


O Blender, mais do que um modelador 3D gratuito e de muita qualidade é uma engine para jogos, e alguns games precisam dele instalado para rodarem, mas são casos bem específicos, mas já postamos dois que precisam do Blender no background para rodar como o Dead Cyborg Ep. 1  e 2 e o YoFrankie .


Dead Cyborg - Game feito com a Engine Blender

The Humble Indie Bundle

E para finalizar, o Humble Bundle, que é um serviço/plataforma de games ( especialmente os indies ) que trás sempre um pacote de games a preços realmente acessíveis, sendo que uma parte do dinheiro das vendas vai para os desenvolvedores dos jogos, para incentivá-los a continuar e uma outra parte vai para caridade.

Humble Indie Bundle

O pessoal do Humble Indie Bundle costuma lançar packs de jogos multiplataforma com uma certa frequência, conheça o projeto acessando o site.

Encerrando

Agora com toda essa explicação, espero que você consiga jogar qualquer game que você queira sem sair do seu Linux.
Gostaria de dizer que este post deu um certo trabalho para ser feito e tentei deixá-lo o mais completo possível, passei boa parte do dia pesquisando e escrevendo. Compartilhe ele com os seus amigos e não deixe de acompanhar a nossa série. Possivelmente este artigo está ancorado nos games que postarmos de agora em diante. 
Até mais pessoal!

Games para Linux: Porque você pode fazer o que quiser, inclusive ser um gamer!


Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

Tutoriais Inkscape: Aprenda os melhores recursos para fazer arte gráfica com Software Livre

Nenhum comentário

quinta-feira, 14 de março de 2013

Aprenda a fazer qualquer coisa no Inkscape

Esta semana fiz um desenho muito simples no Inkscape com o nome do blog com um logo um pouco diferente, veja abaixo:

logo Diolinux feito no Inkscape

O Desenho é simples e de baixa dificuldade, até porque eu mesmo não sou designer profissional, apenas gosto de fazer algumas montagens.
Publiquei essa imagem na página do Facebook do blog e tive muitas curtidas e um pedido sobre mais informações sobre o Inkscape, que comparando, é um substituto a altura do CorelDraw.

Não existem cursos de Inkscape?

Sim existem, mas em sua maioria são cursos online e a distância, e é ( mesmo pesquisando no Google ) difícil de encontrar cursos presenciais do Inkscape.
O que você talvez não saiba é que a própria comunidade do Inkscape é muito ativa para tirar dúvidas e criar tutoriais para os que estão iniciando.
No Portal Inkscape Brasil existe uma sessão de tutoriais para fazer os mais diversos desenhos, desde os mais simples até os mais avançados, existem extensões para que você adicione e existe também muita documentação sobre o Software. Os tutoriais são em vídeo, fotos e simples textos, agora é só você dedicar algumas horas para "domesticar" o software.

A imagem abaixo mostra alguns dos tutoriais oferecidos pelo site:

Diversos tutorias para o Inkscape

Claro que este é só um começo, mas afirmo muito firmemente que o Corel para a criação gráfica não faz a menor falta, o único problema é quando você manda o material que você fez para a gráfica ela pede se "por favor você pode mandar a imagem em formato .cdr" ¬¬.

Espero que tenham gostado da dica, em breve trarei informações sobre o GIMP.



Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Junior Formagini 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

Tutoriais para Iniciantes #5: O que é ROOT (no Linux e no Android)?

Nenhum comentário

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

O que é usuário ROOT? 

Você que está iniciando no mundo Linux ou Android já deve ter ouvido falar em ROOT(rút).
Viemos aqui para esclarecer a você o que é ROOT e quais as vantagens e desvantagens de usá-lo.

root-linux

O que é ROOT no Linux

Como você deve saber na maioria dos sistemas operacionais você pode criar usuários, ou seja, perfis com características especiais, no Linux não é diferente. Também temos tipos de usuários, normalmente são dois, o "usuário" e o "administrador", no Linux e no Android o usuário Administrador nos chamamos de ROOT.
O ROOT é o tipo de usuário que tem todos os privilégios do sistema, este usuário pode alterar tudo que há no sistema, excluir e criar partições na raiz (/) manipular arquivos e configurações especiais do sistema, coisa que o usuário comum não pode fazer.
Nós usamos o usuário comum na maior parte do tempo, passamos apenas para super usuário ou ROOT quando digitamos a senha que foi definida durante a instalação para instalar um programa por exemplo ou fazer uma operação que exija tais privilégios.
Na questão segurança a dica é na usar sempre o usuário ROOT, isto é, ele "ligado" o tempo todo pois a você estará mais protegido contra problemas no sistema, e sendo um usuário novato você poderá acabar apagando algum arquivo que não deve e comprometer o sistema, e lembre-se, uns dos motivos do Linux ser praticamente imune a vírus é o fato de não conceder permissão de ROOT diretamente coisa que acontece no Windows por exemplo.

O que é ROOT no Android

android-root

Na teoria é a mesma coisa que no Linux, até porque o Android é baseado em Linux, porém na prática o ROOT se tornou sinônimo de um estado do aparelho e não tanto o usuário.
Se você é interessado no mundo Android já deve ter ouvido falar em algo semelhante com "fazer ROOT no aparelho".
Este tipo de prática é semelhante ao JailBreak no iPhone, dar permissão de super usuário a um smartphone com Android possibilita que você altere configurações que na maneira convencional de uso não seriam possíveis como desinstalar os programas que as operadoras e os fabricantes instalam e que não podem ser removidos de maneira convencional, porém você deve tomar mais cuidado com pragas virtuais para Android com o aparelho nesta condição, é recomendado o uso de um bom anti vírus.
Fala ressaltar que fazer ROOT no Androi não crime, mas ter o celular Rooteado pode fazer ( quase sempre faz) ele perder a garantia, então se você não souber o que está fazendo aja com cautela.

Alguma dúvida? Deixe nos comentários, estamos aqui para ajudar! =)

Fique por dentro de tudo o que acontece no Diolinux...

              Twitter Diolinux@blogdiolinux   Facebook  blogdiolinux  Twitter Diolinux@dionatanvs   Google Plus Circule do Google +

Tutoriais para iniciantes #4: Como alterar o papel de parede do Ubuntu [vídeo]

Nenhum comentário

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Aprenda as maneiras mais simples de alterar o wallpaper no Ubuntu Linux

Introdução


Mas como assim Arnaldo? Precisa de tutorial para trocar o papel de parede?
Na nossa opinião sim, lembrei de uma época na faculdade em que estávamos fazendo tutoriais de uso de sistema operacional ( na época Windows XP ) na matéria de S.O., onde meu trabalho foi elaborar um tutorial de "como trocar o wallpaper no Windows XP". Já este tipo de material em alguns fóruns especializados em Mac, em Windows etc. Então porque não fazermos para o nosso querido Ubuntu?
Uma das principais, e mais simples, opções que há na hora de personalizar um sistema operacional é alterar o plano de fundo da área de trabalho.

Mas como é que se faz?


É até engraçado como uma simples imagem enfeitando nosso desktop pode fazer a diferença na hora de modificar e deixar o sistema ao nosso gosto.
É algo singelo mas que muitos usuários novos no Ubuntu ainda encontram dificuldade em faze-lo.
Então resolvemos fazer esse mini tutorial que faz parte da série “Tutorial para Inciantes” do blog Diolinux e que de forma clara, objetiva e muito simples, te ensinara como deixar seu Ubuntu ao seu estilo.
Há várias formas de se alterar o plano de fundo do Ubuntu, mas ensinaremos o modo mais simples e por suposto, o mais usado, para você fazer as alterações, porque, entendemos que com o tempo, o usuário já terá maior experiência com o sistema e sozinho descobrirá as outras formas de se fazer isso.
Primeiramente você deve ir na sua Área de Trabalho (ou Desktop) e clicar com o botão direito do mouse.


No menu que abrir selecione a opção “Alterar plano de fundo”.


Na janela que abrir, clique no imagem que deseja definir como plano de fundo ou clique no botão “+” para adicionar novas imagens da sua pasta pessoal ou que você tenha baixado.


Após selecionar a imagem desejada, você já pode fechar a janela que seu desktop já estará com uma nova “cara”.
Para facilitar a sua vida produzimos um vídeo demonstrativo mostrando todas as possibilidades.


Se você gosta de Wallpapers saiba que mensalmente nos fazemos um pack para você baixar e deixar a sua área de trabalho com mais estilo.
Se quiser mais uma dica de site onde você encontra muitos wallpapers e com alta resolução acesse este link.

Este artigo foi escrito pelo nosso colega de blog Iuri Cavalcante, se você quiser participar do nosso blog entre em contato e nos envie o seu artigo.
E ainda damos uma dica final, em parceria com o Orgulho Geek, recomendamos que você leia o Guia do Iniciante feito pelos nossos parceiros.

Até a próxima.

Fique por dentro de tudo o que acontece no Diolinux...

              Twitter Diolinux@blogdiolinux   Facebook  blogdiolinux  Twitter Diolinux@dionatanvs   Google Plus Circule do Google +

Tutoriais para Iniciantes #3: Como acessar arquivos em rede Windows pelo Linux

Nenhum comentário

quinta-feira, 18 de outubro de 2012



Conheça o Samba

Você já tentou acessar uma rede windows pelo Linux usando "\\arquivo" por exemplo e não teve sucesso? Então este artigo é para você.
Para acessar redes Windows, o Ubuntu ( e o Linux em geral) usa uma aplicação chamada Samba, que nada tem a ver com as festas brasileiras, com ela você poderá acessar as redes Windows e compartilhar pastas em rede também.
O Samba se divide em duas aplicações, o Samba Cliente ( Samba client) e o Samba Servidor ( Samba Server). Neste artigo vamos abordar a utilização do Samba Client porque ele já vem instalado no Ubuntu e no Mint ( O Mint vem com o server também), o Server será abordado em outro post.

Como acessar as redes Windows pelo Ubuntu ou Mint

Existem duas maneiras de se fazer isso em modo gráfico, podemos usar o contexto no navegador de arquivos ( Nautilus, Nemo, Dolphin...) para acessar a rede.


Desta maneira você poderá acessar a rede Windows, dependendo da configuração da rede poderá ser pedido senhas de usuário para acessar determinadas máquinas.

Outra maneira de se fazer, é utilizando a barra de localização no navegador de arquivos da sua distribuição. O interessante é que muitas máquinas que exigiam senha entrado pelo método acima desta maneira, ainda pediram senha, mas foram invadidas pelo Linux mesmo sem a senha ser digitada, o que nos mostra que o Windows quando não devidamente configurado nos mostra falhas de segurança tolas.

Pois bem, para acessar desta segunda forma, abra o seu gerenciador de arquivos, Nautilus no Ubuntu, no exemplo usarei o Dolphin pois estou usando o KDE. e digite na barra de endereço:


Dica: Para a barra de endereços ser editável precione CTRL+L

Diferentemente do Windows, fique atento, você precisará digitar SMB://NOME_DO_COMPARTILHAMENTO-MAQUINA_QUE_VOCE-QUER_ACESSAR sempre usando minúsculas, lembrando que a palavra arquivo do exemplo é só um exemplo mesmo, poderia ser smb://secretaria etc.

Agora você já pode acessar os documentos compartilhados na sua casa ou empresa sem precisar abrir mão do seu Linux.

Até o próximo tutorial, acompanhe a nossa série de artigos para iniciantes através deste link


Fique por dentro de tudo o que acontece no Diolinux...

              Twitter Diolinux@blogdiolinux   Facebook  blogdiolinux  Twitter Diolinux@dionatanvs   Google Plus Circule do Google +

Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo