Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador versão. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador versão. Mostrar todas as postagens

Firefox 22 lançado com suporte a WebRTC nativo

Nenhum comentário

terça-feira, 25 de junho de 2013

Nova versão do navegador da raposinha acaba de sair do forno!

O Popular navegador Firefox acaba de ganhar uma nova versão, segundo o lançamento da Mozilla o novo navegador, na versão 22, agora tem suporte a nova tecnologia WebRTC e uma melhora considerável em games online que façam uso de gráficos 3D para games.

Mozilla-Firefox-logo-png

Mas o que é WebRTC?

O projeto conhecido como WebRTC, baseado na comunicação em tempo real, era de código aberto pelo Google. 
Basicamente, para os mortais, é uma maneira de fazer chamadas de áudio e vídeo através do navegador sem fazer uso de plugins, já existem alguns sites onde é possível fazer isso como o codassium.com e o apprtc.appspot.com que permitem que o usuário faça video chamadas sem gastar nenhum sentando, serviços como este prometem aposentar o Skype não acham?

BananaBread um game parecido com Quake que roda direto do navegador sem plugin nenhum


Além do WebRTC o novo Firefox trabalha melhor com a Unreal Engine 3 para um melhor suporte a gemes 3D baseados em Web como o BananaBread.

Download do Firefox 22

O novo Mozilla Firefox está disponível diretamente do site da Mozilla, basta você acessar este link. Se você usa o Ubuntu ou outra distro baseada em poucas horas ele já deve estar disponível nas suas atualizações do sistema, não se preocupe. =)
Uma outra novidade muito esperada é a nova interface Australis, mas essa a Mozilla já anunciou que sairá somente na versão 25 do navegador.

Até a próxima pessoal!

Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

Ainda vale a pena usar o Ubuntu 12.04 LTS?

2 comentários

sexta-feira, 21 de junho de 2013

Com tantas novidades surgindo nas novas versões do Ubuntu ainda vale a pensa usar a versão LTS?

Ubuntu 12.04.2 LTS


É uma questão que realmente vale a pena ressaltar, tenho algumas considerações a fazer, pois reinstalei a versão LTS do Ubuntu e agora voltei á 13.04, mas você entenderá todos os motivos.
Para quem não sabe LTS quer dizer Long Term Support, essas versões do Ubuntu tem um suporte a atualizações por um tempo maior do que as outras versões, a versão 12.04 LTS do Ubuntu por exemplo, foi lançada em Abril de 2012 e terá suporte de atualizações até 2017.

Tempo de suporte de atualizações do Ubuntu


A versões LTS do Ubuntu com o passar do tempo, quando recebem muitas atualizações surgem as versões intermediárias com atualizações, nomeadamente Ubuntu 12.04.1, 12.04.2 e assim por diante. 
O Ubuntu 12.04 original foi lançado com Kernel 3.2 por exemplo, porém se você for baixar hoje o Ubuntu 12.04.2 LTS ele estará com o Kernel 3.5 com algumas modificações e atualizações nos programas que acompanham a distro.

Depois de algumas explicações voltamos ao tópico...

Ainda vale a pena usar o Ubuntu LTS?

Claro que definir isso é pessoal, o que vamos apresentar aqui é uma série de vantagens e desvantagens que eu percebi usando as duas versões.
Eu usei o Ubuntu 12.04 por muito tempo, quando foi lançado o Ubuntu 12.10 eu simplesmente não o usei, pulei essa versão e só fui trocar de Ubuntu quando foi lançado o Ubuntu 13.04 e nossa, quanta diferença!

O Precise Pangolin é o mascote da versão 12.04 do Ubuntu


Obviamente, até pela questão de suporte estendido, a versão LTS é mais indicada para empresas e para usuários que buscam estabilidade. As versões LTS do Ubuntu costumam não arriscar com pacotes que ainda são duvidosos, e isso exclui boa parte das novidades tecnológicas implementadas no Unity em versões posteriores, o Ubuntu 12.04 LTS ainda usa o Unity 5, que apesar de ser estável é um pouco mais pesado se comparado com o Unity em versões mais novas como a do Ubuntu 13.04, que é a versão atual.
As versões mais novas do Ubuntu, leia-se 13.04, possui um Unity mais polido e integrado, com aplicativos mais novos e novas maneiras de configurar algumas coisas.

Desde março de 2013 estive usando as versões betas do Ubuntu, e não fiz uma nova instalação quando a nova versão foi lançada, apenas fui atualizando e o sistema sempre se mostrou muito bonito e produtivo, mas depois de um certo tempo o Ubuntu ficou mais lento, coisa que me fez tentar melhorar o desempenho gráfico do sistema usando o repositório Xorg Edgers, e para o meu azar, tive problemas seríssimos e resolvi então formatar o computador e instalar a versão LTS do Ubuntu com todas as suas atualizações.

O sistema é muito estável e aquelas mensagem de error apport do Ubuntu muito raramente aparecem, coisa que é um pouco mais frequente no Ubuntu 13.04, pontos positivos do Ubuntu 12.04 LTS:

  • Ainda é mais estável que versões mais novas
  • Não ocorrem travamentos
  • Programas são mantidos em versões seguramente estáveis 

Pontos negativos:


  • É necessário instalar alguns PPAs para instalar a ultima versão de alguns programas como o GIMP
  • Ubuntu One ainda não tem a mesma integração que existe em versões mais novas
  • Unity mais pesado que versões mais novas


Mas então, vale a pena ou não?

Mascote do Ubuntu 13.04 Raring Ringtail


Se para você ter as últimas novidades e implementações no Ubuntu é importante, com toda a certeza o Ubuntu 12.04.2 LTS não é recomendado para você, se você gosta de ter essas mesmas novidades e uma certa melhora de desempenho em relação a novos drivers, pelo "polimento" do Unity e novas versões do Kernel, use versões mais novas do Ubuntu.
Como você deve saber, é possível instalar versões mais novas do Kernel e mesmo dos programas, existem muitos tutoriais pela internet por ai, inclusive aqui no Diolinux, mas isso deixará o seu Ubuntu LTS mais instável e se for para usar coisas "instáveis" instale uma versão mais nova do Ubuntu que ele estará mais bem integrado com as novidades.
Se for para usar o Ubuntu LTS, mantenha-o estável e ele será um parceiro fiel durante muito tempo ainda.

E você o que pensa a respeito, vale a pena usar o Ubuntu LTS ou você prefere usar as versões mais novas?


Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

Lançado KDE 4.9.4

Nenhum comentário

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Desenvolvedores lançam última atualização da série 4.9.x

A equipe do KDE lançou a atualização do ambiente gráfico KDE para Linux, trazendo à vida a versão 4.9.4 que deve ser a última atualização antes do tão esperado KDE 4.10 que deverá sair no dia 23 de Janeiro.


KDE 4.9.4

Essa nova versão do KDE não traz nenhum recurso novo, ela apenas corrige os bugs da versão passada para manter o sistema leve e estável.
Você pode receber essa atualização ou não, mas eu explico, a versão da atualização não depende das versão que o Kde.org lançam e sim da distro, distribuições como o Chakra Linux que são praticamente baseadas em versões do KDE devem receber a atualização antes, Kubuntu e OpenSuse por exemplo devem ter que esperar um pouco mais, mas elas virão naturalmente.

Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 


Como saber qual versão do KDE estou usando

Nenhum comentário

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Graficamente e pelo terminal

Ola, estou usando o Linux Mint 13 KDE a alguns dias, estou gostando, mas ainda estou me adaptando ao novo ambiente, sempre usei Gnome e Unity recentemente. Foi então que me surgiu uma dúvida, como faço para saber qual a versão do KDE estou usando?
Existem duas manerias de que encontrei de fazer isso:

Graficamente

Abra o Dolphin, gerenciador de arquivos do KDE, clique no menu ajuda depois clique em Sobre o KDE. O resultado será a imagem abaixo:

como saber qual versão do KDE estou usando
Clique na imagem para ampliar
Neste janela aparecerá a versão do KDE instalada, no meu caso é a 4.8.5, bem como um texto, que vale a pena ler sobre o projeto KDE.

Método 2, via terminal

Abra o Konsole  e digite o seguinte comando:

kde4-config --version
Descobrindo a versão do KDE pelo terminal

Repare que isso se aplica a versões mais recentes do KDE, versão 4.x. em diante, o comando kde-config --version não funcionou como mostra a imagem acima. 
O resultado é mostrado na linha, Plataforma de desenvolvimento KDE: 4.8.5

É isso aí, agora você já sabe qual versão esta usando. Até a próxima.

Fique por dentro de tudo o que acontece no Diolinux...

              Twitter Diolinux@blogdiolinux   Facebook  blogdiolinux  Twitter Diolinux@dionatanvs   Google Plus Circule do Google +

Cinnamon 1.6 será lançado em breve

Nenhum comentário

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Para os fãs do Linux Mint ou simplesmente usuários do Cinnamon podem comemorar pois em breve será lançada uma nova versão do ambiente gráfico fork do Gnome-Shell; pelo menos foi o que publicou o fundador e líder do Linux Mint, Clement Lefebvre. O cinamon se encontra na versão estável 1.4, porém a versão 1.5.3 pode ser encontrada no GitHub para quem quiser baixar os arquivos e compilar.

Linux-Mint-cinnamon

Dentre as mudanças esperadas para a futura versão estão em principal destaque a redução do código fonte do projeto, segundo Clement, foram incluídas muitas novas linhas de código mas foram tiradas quase o dobro tornando o código mais limpo e com menos bugs, outro fator interessante e que vale a pena ressaltar é que o Cinnamon agora será 2D e rodará em computadores que não possuem aceleração gráfica.
Boas notícias =)

Fique por dentro de tudo o que acontece no Diolinux...


Firefox e Thunderbird 15 para download

Nenhum comentário

quarta-feira, 29 de agosto de 2012


Já está disponível para download a versão 15 do Firefox e Thunderbird , onde as melhorias mais significativas só aparecem no navegador.
No cliente de e-mail a principal novidade é a nova interface com o tema Australis , e como sabemos, agora inclui um cliente de mensagens instantâneas integrado, de modo que podemos nos conectar com nossas contas de Facebook ,Gmail e Twitter .
Enquanto isso, o navegador da Web, além das muitas opções para os desenvolvedores, agora você pode contar com suporte nativo para o formato PDF , graças aos projetos PDF.js , para que possamos ver esses documentos diretamente no navegador.
Outro detalhe que podemos ver são as preferências escondidas dentro do próprio navegador, ou por um guia, e não em uma janela separada. Para ativar esta opção abra uma aba e digite about: config , busque a chave browser.preferences.inContent e coloque na true . Agora, quando abrir as preferências você verá:
Você pode baixar o Firefox e Thunderbird a partir dos seguintes links:

Fique por dentro de tudo o que acontece no Diolinux...

              Twitter Diolinux@blogdiolinux   Facebook  blogdiolinux  Twitter Diolinux@dionatanvs   Google Plus Circule do Google +

Kernel Linux 3.0, o que mudou afinal?

Um comentário

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Quais foram as mudanças mais radicais  no Kernel 3?

Além de um novo esquema de numeração de versão, o Linux 3.0 também tem vários recursos novos: Btrfs esfregando dados e desfragmentação automática, XEN suporte Dom0, ICMP_ECHO sem privilégios, wake on WLAN, Berkeley Packet Filter JIT filtragem, um sistema memcached-like para o cache da página , um sendmmsg () syscall que os lotes sendmsg () chama e setns (), uma syscall que permite melhor manuseio de sistemas de virtualização de luz, como contêineres. Suporte a hardware novo foi adicionado: por exemplo, Microsoft Kinect, AMD Llano Fusão APUs, Intel iwlwifi 105 e 135, Intel C600 Serial-Attached SCSI controlador, Ralink RT5370 USB, vários dispositivos Realtek RTL81xx ou o Apple da webcam iSight. Muitos outros motoristas e pequenas melhorias foram adicionadas.Características proeminentesBtrfs: desfragmentação automática, esfregando, melhorias de desempenhosendmmsg (): lotes de sendmsg () chamaXEN suporte dom0CleanCacheBerkeley Packet Filtro just-in-time de filtragemWake on suporte WLANSem privilégios mensagens ICMP_ECHOsetns () syscall: melhor tratamento de namespaceAlarme-timersMudanças motorista e uma arquitetura específicaVFSProcesso schedulerGerenciamento de memóriaNetworkingSistemas de arquivosCryptoVirtualizaçãoSegurançaRastreamento / profilingVárias mudanças fundamentais
1. Características proeminentes1.1. Btrfs: desfragmentação automática, esfregando, melhorias de desempenhoDesfragmentação automática
COW (copy-on-write) filesystems têm muitas vantagens, mas também têm algumas desvantagens, por exemplo fragmentação. Btrfs expõe os dados em seqüência quando os arquivos são gravados no disco pela primeira vez, mas um projeto COW implica que qualquer alteração posterior ao processo não deve ser escrito em cima dos dados antigos, mas ser colocado em um bloco livre, que irá causar fragmentação (bases de dados RPM são um caso comum deste problema). Adicionalmente, ele sofre os problemas de fragmentação comum a todos os sistemas de arquivos.
Btrfs já oferece alternativas para combater esse problema: Primeiro, ele suporta a desfragmentação online usando o comando "btrfs desfragmentar sistema de arquivos". Segundo, ele tem uma opção de montagem,-o nodatacow, que desativa COW para dados. Agora btrfs acrescenta uma terceira opção, o-o autodefrag opção de montagem. Este mecanismo aleatório detecta pequenas escreve em arquivos e filas-los para um processo de desfragmentação automática, de modo que o sistema de arquivos irá desfragmentar em si, enquanto ele é usado. Não é adequado para cargas de trabalho de virtualização ou banco de dados grande ainda, mas funciona bem para arquivos menores, como rpm, ou bancos de dados SQLite bdb. Código: (commit)
Esfrega
"Scrubbing" é o processo de verificação da integridade dos dados no sistema de arquivos. Esta implementação inicial de esfregar irá verificar as checksums de todos as extensões no sistema de arquivos. Se ocorrer um erro (checksum ou erro de IO), uma boa cópia é procurado. Se for encontrada, a cópia ruim vai ser reescrita. Código: (commit 1, 2)
Outras melhorias
-File speedup criação / exclusão: O desempenho da criação de arquivos e exclusão no btrfs era muito pobre. A razão é que para cada criação ou exclusão, btrfs deve fazer um monte de b + inserções da árvore, como item de inode, item nome do diretório, o índice nome do diretório e assim por diante.Agora btrfs pode fazer algumas inserções + b atrasada árvore ou supressões, que permite a lote essas modificações. Microbenchmarks de criação do arquivo ter sido acelerar by ~ 15% de eliminação, e arquivo de ~ 20%. Código: (commit)
-Não lave itens csum de dados do arquivo inalterado: acelera fsync. A carga de trabalho sysbench fazendo "gravação aleatória + fsync" passou de 112,75 solicitações / s para 1.216 pedidos / sec. Código: (commit)
-Quasi-round-robin para alocação de espaço em configurações multidispositivo: o alocador pedaço atualmente sempre aloca espaço nos dispositivos na mesma ordem. Isto leva a uma distribuição muito desigual, especialmente com RAID1 ou RAID10 e um número ímpar de dispositivos.Agora Btrfs sempre classifica os dispositivos antes de alocar e aloca as listras nos dispositivos com mais espaço disponível. Código: (commit)
1.2. sendmmsg (): lotes de sendmsg () chamaRecvmsg () e sendmsg () são os syscalls usado para receber / enviar dados para a rede. Em 2.6.33, o Linux adicionou recvmmsg (), uma syscall que permite receber em uma chamada de dados único que precisaria recvmsg múltiplas () chama, melhorando a throughput e latência para um número de cenários. Agora, uma sendmmsg equivalente () syscall foi adicionado. A microbenchmark viu uma melhoria de 20% na taxa de transferência em UDP enviar e 30% no socket raw enviar
Código: (commit)
1.3. XEN suporte dom0Finalmente, o Linux tem suporte Xen dom0
1.4. CleanCacheRecomenda LWN artigo: CleanCache e Frontswap
CleanCache é um recurso opcional que pode, potencialmente, aumenta o desempenho do cache de página. Poderia ser descrito como um sistema memcached-like, mas para páginas de memória cache. Oferece armazenamento de memória não directamente acessíveis ou endereçável pelo kernel, e ele não garante que os dados não vão desaparecer. Ele pode ser usado por software de virtualização para melhorar a manipulação de memória para os clientes, mas também pode ser útil para implementar coisas como um cache comprimido.
Código: (commit), (commit)
1.5. Berkeley Packet Filtro just-in-time de filtragemRecomenda artigo LWN: A JIT para filtros de pacotes
O Packet Berkeley Filtro capacidades de filtragem, usado por ferramentas como libpcap / tcpdump, normalmente são tratados por um intérprete. Esta versão adiciona um JIT simples que gera código nativo quando o filtro é carregado na memória (algo já feito por outros sistemas operacionais, como FreeBSD). Administrador precisa habilitar este recurso escrita "1" para / proc / sys / net / core / bpf_jit_enable
Código: (commit)
1.6. Wake on suporte WLANWake on Wireless é uma funcionalidade para permitir que o sistema entrar em um estado de baixa energia (por exemplo, ACPI S3 suspender), enquanto o NIC wireless permanece ativo e faz coisas diferentes para o hospedeiro, por exemplo, ficar conectado a um AP ou à procura de redes. A pilha de 802,11 adicionou suporte para ele.
Código: (commit 1, 2)
1.7. Sem privilégios mensagens ICMP_ECHORecomenda LWN artigo: sockets ICMP
Este lançamento torna possível enviar mensagens ICMP_ECHO (ping) e receber as mensagens correspondentes ICMP_ECHOREPLY sem nenhum privilégio especial, semelhante ao que é implementado no Mac OS X. Em outras palavras, o patch faz com que seja possível implementar setuid-less e CAP_NET_RAW- menos / bin / ping. Inicialmente, esta funcionalidade foi escrito para Linux 2.4.32, mas infelizmente nunca foi tornada pública. A nova funcionalidade é desabilitada por padrão, e é habilitado na inicialização pelo suporte a distribuições Linux, opcionalmente, com restrição a um grupo ou um intervalo de grupo.
Código: (commit)
1.8. setns () syscall: melhor tratamento de namespaceRecomenda artigo LWN: descritores de arquivos Namespace
Linux suporta namespaces diferente para muitos dos seus recursos de trata, por exemplo, mostram formas leves de virtualização tais como recipientes ou systemd-nspaw aos processos virtualizados um PID virtuais diferente do PID real. A mesma coisa pode ser feita com a estrutura de diretórios do sistema de arquivos, recursos de rede, IPC, etc A única maneira de definir configurações diferentes namespace estava usando bandeiras diferentes no clone () syscall, mas que o sistema não fazer coisas como permitir a um processos de acesso ao namespace outro processo ". O setns () syscall resolve esse problema-
Código: (commit 1, 2, 3, 4, 5, 6)
1.9. Alarme-timersRecomenda artigo LWN: Waking sistemas de suspensão
Alarme de temporizadores são um temporizador estilo híbrido, semelhante ao de alta resolução timers, mas quando o sistema for suspenso, o dispositivo RTC é definido ao fogo e ativar o sistema mais rápido para quando o alarme do temporizador expirar. O conceito de Alarme-timers foi inspirado pelo motorista Alarme Android, e uma interface para userland usa o relógio e interface POSIX timers, usando dois novos clockids: CLOCK_REALTIME_ALARM e CLOCK_BOOTTIME_ALARM.
Código: (commit 1, 2)
2. Mudanças motorista e uma arquitetura específicaTudo que o motorista e uma arquitetura específica mudanças podem ser encontrados na página Linux_3.0_DriverArch
3. VFSCache queda de segurança xattr verificar a escrever: benchmarking na btrfs mostrou que um gargalo grande escala em grandes sistemas de btrfs é atualmente a pesquisa xattr a cada gravação, o que provoca uma caminhada árvore adicionais, acertando alguns bloqueios por arquivo do sistema e escalabilidade muito ruim. Este é também um problema em ext4, onde ela atinge o bloqueio mbcache global. Cache esta verificação resolve o problema (commit)
4. Processo schedulerAumentar a resolução SCHED_LOAD_SCALE: Com esta resolução extra, o programador pode lidar com hiearchies cgroup mais profundo e fazer uma melhor distribuição ações e balanceamento de carga em sistemas maiores (especialmente para grupos de tarefas de baixo peso) (commit), (commit)
Mova o segundo semestre de ttwu () para o CPU remoto: evita ter que tomar rq-> lock e fazer o enqueue tarefa remotamente, poupando muito em transferências cacheline. A referência semáforo vai de 647.278 queimaduras trabalhador por segundo para 816.715 (commit)
Dica de amigos próximos sobre o sono e antecipar caminho: um marco do pior caso que consiste em dois processos do cliente tbench com 2 threads cada um rodando em uma única CPU passou de 105,84 MB / s para 112,42 MB / seg (commit)
5. Gerenciamento de memóriaFaça mmu_gather preempemtible (commit)
Lote activate_page () chama para reduzir zona de> contenção lru_lock (commit)
tmpfs: implementar o suporte xattr genérico (commit)
Memória cgroup controlador:
Adicionar memory.numastat API para as estatísticas NUMA (commit)
Adicionar a contagem pagefault em memcg stats (commit)
Recuperar a memória de nós em round-robin ordem (commit)
Remova o parâmetro de kernel obsoleto noswapaccount (commit)
6. NetworkingPermitir configurar a rede pelo namespace fd (commit)
Sem fio
Adicionar a capacidade para fazer propaganda de combinações possíveis de interface (commit)
Adicionar suporte para verificações agendadas (commit)
Adicionar o sinalizador de autenticação userspace a malha de configuração (commit)
Nova notificação para descobrir candidatos pares de malha. (Commit)
Permitir ethtool para definir interface em modo de loopback. (Commit)
Não permitir o cache-cópia de usuário em transmitir (commit)
ipset: SCTP, suporte UDPLite adicionado (commit)
sctp: implementar SCTP_GET_ASSOC_ID_LIST tomada de opção (confirmação), implementar evento de notificação SCTP_SENDER_DRY_EVENT (commit)
bridge: permitir a criação de dispositivos de ponte com netlink (commit), permitem criar / excluir entradas fdb via netlink (commit)
batman-adv: apoio de multi vlan para a ponte de detecção de loop (commit)
pkt_sched: QFQ - quick justo fila scheduler (commit)
RDMA: Adicionar netlink infra-estrutura que permite o registo de clientes RDMA (commit)
7. Sistemas de arquivosCAMADA DE BLOCO
Enviar descartar bio em lotes em blkdev_issue_discard () - faz descarte de dados mais rápida (commit)
EXT4
Enable "furos" funcionalidade (recomendado LWN artigo) (commit), (commit)
Adicionar suporte para múltiplos mount proteção (commit)
CIFS
Adicionar suporte para a montagem de compartilhamentos DFS Windows 2008 (commit)
Converter cifs_writepages usar async escreve (commit), (commit)
Adicionar opção de montagem rwpidforward que permite que um modo quando CIFS frente pid de um processo que abriu um arquivo para qualquer operação de leitura e escrita (commit)
OCFS2
SSD apoio corte (commit), (commit)
Suporte para extensões em movimento (commit), (commit)
NILFS2
Implementar redimensionar ioctl (commit)
XFS
Adicionar suporte descartar online (commit)
8. CryptoCAAM - Adicionar suporte para o SEC4/CAAM Freescale (commit)
cadeado - Adicionar SHA-1/256 módulo para VIA Nano (commit)
s390: adicionar suporte a hardware do sistema z de modo CTR (commit), adicione Sistema de suporte de hardware para z ghâsh (commit), adicionar suporte a hardware do sistema z de modo XTS (commit)
s5p-sss - S5PV210 adicionar suporte avançado motor de criptografia (commit)
9. VirtualizaçãoModo de usuário Linux: apoio earlyprintk add (commit), adicione ucast de transporte Ethernet (commit)
xen: apoio blkback add (commit)
10. SegurançaPermitir a aplicação de limites capacidade de ajudantes usermode (commit)
SELinux
adicionar / sys / fs / selinux ponto de montagem para colocar selinuxfs (commit)
Fazer cache do SELinux VFS RCU anda seguro (melhora o desempenho VFS) (commit)
11. Rastreamento / profilingperf stat: Add-d-d e-d-d-d opções para mostrar os eventos mais CPU (commit), (commit)
perf stat: Adicionar opção --sync/-S (commit)
12. Várias mudanças fundamentaisrcu: prioridade para impulsionar TREE_PREEMPT_RCU (commit)
ulimit: ulimit raise padrão rígido sobre o número de arquivos para 4096 (commit)
cgroups
remover o subsistema cgroup Namespace. Foi substituído por «clone_children" um sinalizador de compatibilidade, onde um cgroup recém-criado irá copiar os valores cgroup pai. O userspace tem que criar manualmente um cgroup e adicionar uma tarefa para o arquivo 'tarefas' (commit)
Faça arquivo 'procs "gravável (commit)
kbuild: implementar vários níveis de W = (commit)
PM / Hibernate: Adicionar botão sysfs para controlar o tamanho da memória para os motoristas (commit)
posix-timers: RCU conversão (commit)
coredump: adicionar suporte para exe_file em nome de núcleo (commit)


Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo