Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador video. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador video. Mostrar todas as postagens

Kdenlive 19.04.01 lançado com diversas correções!

Nenhum comentário

terça-feira, 14 de maio de 2019

O Kdenlive 19.04 foi lançado no dia 18 de Abril, com essa nova versão vieram muitas novidades e mudanças no programa, entretanto um bug bem chato estava atrapalhando a edição de vídeos no software. No dia 11 de Maio, uma nova versão foi lançada, corrigindo este problema.

kdenlive-19.04.01-editor-videos-linux-kde-ubuntu-gratis-gratuito-edição

Edição de vídeo no Linux é repleto de ótimas opções, temos o Davince Resolve, Ligthtworks, ShotCut, Openshot, entre outras ferramentas. Porém um dos queridinhos sempre foi o Kdenlive. Muitos canais no Youtube sobre Linux, são editados ou foram por muitos anos com essa ferramenta, que é o caso do Diolinux. Em meu canal OSistemático, venho produzindo conteúdo desde o início (2016) com essa ferramenta, e mesmo tendo pontos fortes e fracos considero um bom editor de vídeos.

Kdenlive um editor em constante amadurecimento


Durante o início do canal OSistemático, sofria bastante com a versão do Kdenlive contida nos repositórios do Deepin. E durante um bom tempo, foram meses de situações que envolviam o travamento do programa e em alguns casos até a perda do projeto. Então um belo dia resolvi experimentar a versão que é recomendada pelo projeto, o Kdenlive em AppImage, e posso lhe garantir parecia outro programa.

A versão 19.04 veio recheada de mudanças, uma timeline refatorada (feita totalmente do zero), a possibilidade de gravar o áudio diretamente do editor, adição da renderização de vídeos com fundo transparente, melhora no render (ainda não é um ShotCut ou Davince Resolve durante a renderização, mas está bem melhor que as versões antigas). São inúmeras mudanças. E como novas mudanças podem ocasionar novos bugs, assim foi.

kdenlive-19.04.01-editor-videos-linux-kde-ubuntu-gratis-gratuito-edição-timeline

Mais de 40 bugs corrigidos no Kdenlive


  • Foram várias correções, eis alguns bugs solucionados:
  • Falha ao abrir projetos antigos;
  • Erro ao desfazer efeito de ganho/gama;
  • Correção na gravação do áudio;
  • Efeito fade-out quebrado;
  • Miniaturas em alguns clips com falhas;
  • Seleção de clipe bin mais rápido;
  • Efeito de todas as guias com falhas;
  • “Agulha” da timeline se perdia;
  • Imprecisão nos atalhos de corte na timeline;
  • Correções na compilação para Windows; 
  • E muito mais correções…

Veja a lista completa de bugs corrigidos no site oficial do Kdenlive.

Durante esse tempo que editei com a versão 19.04, notei apenas 3 bugs que eram: A agulha que sempre se perdia na timeline, acarretando na imprecisão do corte utilizando atalhos. Por algum motivo o Nvenc não foi reconhecido, impossibilitando a utilização de minha placa de vídeo para render, proxys e previews. E em alguns projetos o vídeo não era exportado com o fundo transparente.

kdenlive-19.04.01-editor-videos-linux-kde-ubuntu-gratis-gratuito-edição-osistematico-canal-youtube-diolinux

Utilizei mesmo assim na produção de meus vídeos e o único bug que atrapalhava minha produtividade era “a agulha se perdendo”. Durante nenhum momento o aplicativo fechou ou algo assim.

Kdenlive 19.04.01 em AppImage e Flatpak


Caso utilize o Kdenlive para suas produções, recomendo a dar uma chance para essa nova versão, 19.04.01. Dou preferência pelos AppImages do Kdenlive, por conta de sua estabilidade e praticidade. Entretanto outra solução que venho usando e gostando bastante é o oferecido no Flathub em Flatpak. Esse formato terá a vantagem da atualização, enquanto no AppImage você deverá baixar o editor a cada update.

Para executar o Kdenlive em AppImagem é muito simples, acesse a matéria e proceda como no passo-a-passo. No caso do Kdenlive Flatpak, será necessário configurar algumas coisas, então segue o post completo

O link para download de ambas versões encontram-se no site oficial do Kdenlive, baixe e experimente.

E você edita vídeos com o Kdenlive? Já editei alguns projetos com essa nova versão 19.04.01 e estou gostando muito, migrei totalmente para ela (😁😁😁).

Que tal continuar todo esse bate-papo sobre edição de vídeo em nosso fórum Diolinux Plus?

Até o próximo post, aqui no blog Diolinux, te espero SISTEMATICAMENTE! 😎
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Nova versão do editor de vídeo OpenShot lançada!

Nenhum comentário

sexta-feira, 22 de março de 2019

A gama de editores de vídeo no Linux é enorme, e recentemente postamos uma lista de softwares de edição do básico ao profissional, o OpenShot constava entre as opções indicadas, sendo uma ótima alternativa para novatos, e o melhor de tudo, multiplataforma.

editor-video-openshot-linux-windows-mac

Com o passar dos anos o OpenShot vem timidamente recebendo novos recursos, inclusive você pode acessar uma entrevista que o nosso parceiro Gabriel do Toca do Tux, fez ao desenvolvedor e criador do OpenShot, Jonathan Thomas, mesmo não sendo deste ano, é interessante comparar as mudanças que o software recebeu desde aquela época.

Novidades no Openshot 2.4.4


O editor recebeu algumas novidades e correções de bugs, irei destacar algumas, e caso queira ver todas as mudanças acesse o site oficial com o anúncio desta release.


Dimensionamento e sincronização entre quadros-chave


Este era um bug que vinha ocorrendo no OpenShot ao trabalhar com vídeos com frame rates diferentes, isso ocasionava em resultados catastróficos, em que seu vídeo poderia ficar acelerado ou lento demais. Nesta versão este bug foi corrigido, e esperasse um controle maior, seja trabalhando com vídeos com quadros-chave diferentes, ou com a exportação de um projeto em outro frame rate diferente dos vídeos da time line.

Aperfeiçoado o desempenho e visualização da Time Line


Algo que sempre perseguiu o OpenShot, foram seus engasgos na visualização ou na time line do projeto, não era incomum ver alguns travamentos durante a edição de um vídeo mais robusto, com o aprimoramento do cache de imagens e outras melhorias com foco nesse problema, o OpenShot tende a não passar por tais situações corriqueiramente.

editor-video-openshot-linux-windows-mac

Suporte a renderização SVG


Compatível com render neste formato para criação de seus títulos, o OpenShot conta com este novo recurso graças a biblioteca resvg. Assim os títulos criados com o software não ficarão serrilhados ou perderão a qualidade, conforme a resolução do projeto.

Suporte a presets personalizados pelo usuário


Agora é possível criar seu próprio preset de exportação do projeto, ainda não é algo tão prático, sendo necessário criar um arquivo XML. Você pode usar como base os presets padrões do editor, e adicioná-lo ao diretório correspondente a estas configurações, localizado em: “/home/seu-usuario/.openshot_qt/presets/”, assim seu preset customizado aparecerá no programa.

Novo Widget de propriedades


Um novo elemento adicionado ao editor de vídeos foi o widget de propriedades, que por padrão pode se encaixar no lado esquerdo ou direito, essa nova maneira de acessar as propriedades dos elementos vêm para evitar rolagens demasiadas do mouse e facilitar o processo de animação. Altamente customizável, essa forma de visualizar as propriedades pode ser incorporada em outros painéis de configurações no OpenShot. 

widget-propriedades-editor-video-openshot-linux-windows-mac

Portabilidade de seus projetos, com caminhos relativos


Uma funcionalidade muito útil e implementada no OpenShot 2.4.4, é a facilidade de manusear o arquivo do projeto entre os diretórios. Sendo assim, não ocorrerá o erro do programa desconfigurar o projeto ao trocá-lo de lugar. O editor consegue “magicamente” ao salvar o arquivo, transformar os caminhos dos elementos que fazem parte dele, em caminhos relativos, e ao abri-lo novamente ele identifica o novo caminho tornando-o em um caminho absoluto. Não espere milagres espalhando os arquivos em inúmeras pastas, então sempre mantenha seus arquivos num único diretório.

Novos idiomas e suporte ao Constante Rate Factor (CRF)


As línguas Hindi, Árabe e Chinês foram adicionadas ao programa. O suporte a CRF foi adicionado por default no preset do formato VP9, porém podendo ser utilizado nos demais, graças ao refatoramento da biblioteca libopenshot::FFmpegWriter, que é desenvolvida focada no comportamento do Editor de vídeos OpenShot.

Veja o registro das alterações no OpenShot


Através do menu “Ajuda >> Sobre OpenShot >> Changelog” é possível ver as modificações no programa em seu changelog, com a data de cada commit de seu Github oficial.

changelog-editor-video-openshot-linux-windows-mac

Correção do bug nas Waveforms


Ao separar clips que continham visualização das waveforms (ondas sonoras) ativas, ocorria um bug que impossibilitava visualizá-las, dificultando o manuseio destes arquivos na edição, agora no OpenShot 2.4.4, o mesmo foi corrigido.

Muitas outras correções, inclusive para versão Windows, foram disponibilizadas, caso queira maiores detalhes acesse a postagem de seu lançamento em sua página oficial.

Baixando o editor de vídeos OpenShot


Para ter o OpenShot em suas últimas versões, recomendo a versão disponibilizada oficialmente direto do site em AppImage, outra possibilidade é instalar sua versão em Flatpak, com atualizações automáticas.

Você pode efetuar o download do flatpak direto do Flathub, caso não saiba como configurar o Flatpak em sua distro, segue uma postagem de como proceder. Se estiver no Linux Mint, basta pesquisar na loja e instalar a versão flatpak.

flatpak-mint-install-editor-video-openshot-linux-windows-mac

Sendo uma ótima alternativa para quem está começando a editar, o OpenShot é voltado a edições simples e caseiras, caso queira algo mais “intermediário”, recomendo altamente o Kdenlive, tendo em vista que funcionalidades relativamente comuns em outros editores, estão começando a chegar no OpenShot. É dificultoso a edição de projetos mais elaborados neste editor, no entanto mesmo recebendo “atrasado” algumas funções o OpenShot está a cada dia se tornando maduro, quem sabe num futuro ele deixe esse “título” de editor básico para intermediário. 

Não é de hoje que o projeto recebe críticas por existir, muitos creem que a soma de esforços em outro projeto, como o já citado Kdenlive, seria de maior valor, justamente pelo OpenShot estar atrás de diversos editores de vídeo, comparando suas funcionalidades e recursos.

Porém não esqueçamos que a liberdade do software Livre/Open Source garante tais situações, talvez o desenvolvedor do OpenShot tenha uma visão diferente de editor de vídeo, e é natural que ele siga outro rumo, afinal quem desenvolve é ele. Sei que certamente existem pessoas que preferem o OpenShot ao invés do Kdenlive, e esse seria um público carente caso o programa deixasse de existir.

Entendo os dois lados e mesmo me posicionando mais de um do que do outro, sei que esse é um dos aspectos de ser livre.

E você utiliza o OpenShot? Que tal continuar essa discussão sobre o OpenShot em nosso fórum Diolinux Plus

Até a próxima postagem, e como sempre, compartilhe o blog Diolinux, SISTEMATICAMENTE! 😎

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Como fazer Dual Boot entre Ubuntu e Gentoo

Nenhum comentário

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019

O Gentoo para muitos é uma distro que instiga o aprendizado, funcionando quase como uma "meta" para se completar enquanto se usa Linux. Por diversos motivos, pode ser insteressante usar o Gentoo em Dual Boot com outra distro, como o Ubuntu, ao menos enquanto você "constrói" o seu sistema.

Ubuntu e Gentoo em Dual Boot






Para facilitar a sua vida, o nosso amigo Marcos, do canal Terminal Root, realizou um incrivelmente detalhado tutorial sobre o assunto, eliminando as suas possíveis dúvidas e problemas. Você pode conferir o vídeo completo aqui:


Caso tenha restado alguma dúvida, entre para a nossa comunidade no Diolinux Plus, lá é o lugar ideal para tirar as suas dúvidas, ensinar e aprender.

Aproveitando a deixa


O pessoal do Terminal Root produz muitos cursos e material interessante, de altíssima qualidade e orquestrado por pessoas extremamente competentes, inteligentes e de confiança. É um combo raro, nao?  

Temo um uma MEGA PROMOÇÃO rolando . Na promoção você irá adquirir e baixar todo o material para o seu computador por apenas R$ 129,90 , o que inclui todos os cursos: 
  • Vim;
  • Shell Script do Iniciante ao Avançado;
  • Sed;
  • Expressões Regulares
  • e Shell Script Extremamente Avançado.
Para adquirir tudo pelo preço diferenciado acesse o link:

Saiba mais: http://terminalroot.com.br/promo

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Recurso "Picture-in-Picture" chegará nativamente no Firefox

Nenhum comentário

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019

O recurso “Picture-in-Picture” não é uma novidade exclusiva do Firefox, navegadores como o Google Chrome e Vivaldi possuem tal recurso já há algum tempo, porém, a Mozilla vem trabalhando na implementação da funcionalidade em seu navegador.

firefox-picture-in-picture-video-pop-up

Em processo inicial de desenvolvimento, a nova funcionalidade do browser da Mozilla, a princípio está disponível apenas na versão Nightly do Firefox. Quem já utilizou tal recurso, sabe o quão prático e cômodo pode ser fazer múltiplas tarefas e ao mesmo tempo consumir algum conteúdo.

O modo picture-in-picture permite a criação de uma pequena janela pop-up com um vídeo sobrepondo as demais aplicações. O Google Chrome e Vivaldi, permitem, ao assistir algum vídeo do Youtube, ativar este recurso clicando com o botão direito duas vezes sobre o vídeo e habilitar a funcionalidade.

Ativando o recurso Picture-in-Picture no Firefox Nightly 


Para testar o recurso PiP em desenvolvimento, baixe a versão Nigtly do Mozilla Firefox, ele virá num arquivo compactado, extraia em algum diretório de sua preferência, e execute o navegador clicando duas vezes em seu binário executável, de nome “firefox”.

O recurso não vem ativado por padrão, então vamos habilitar com alguns procedimentos.

No campo de endereços digite o seguinte comando:

about:config

habilitar-picture-in-picture-firefox

Logo após, na caixa de pesquisa, digite o seguinte texto:

media.videocontrols.picture-in-picture.enabled

O sinalizador por default vem como “false” altere para “true”,conforme a imagem abaixo.

ativar-picture-in-picture-firefox

Depois de configurarmos, podemos tornar os nossos vídeos no Youtube em uma janela pop-up, para isso clique com o botão direito do mouse duas vezes no vídeo em reprodução, e no menu de contexto escolha a opção “Picture-in-Picture”.

video-picture-in-picture-firefox

Recurso incompleto


Por ser algo em desenvolvimento, espere por bugs, ao testar o recurso notei que o áudio torna-se ausente e só fechando o modo picture-in-picture, o som retornou. Outro ponto, é que não existe um botão “fechar”, sendo necessário clicar novamente com o botão direito do mouse duas vezes sobre o vídeo na aba do navegador, e selecionar a mesma opção, assim o “mini player” será fechado.

Para utilização do modo PiP no Firefox, será necessário esperar a implementação definitiva ou utilizar extensões que simulem essa funcionalidade, lembrando que alguns sites como o próprio Youtube, possuem o modo “mini player”, entretanto não possibilitando a sobreposição em outras aplicações.

Estou ansioso para utilizar este recurso em meu Firefox, e você? Deixe nos comentários sua opinião e se usaria esta opção.

Te espero no próximo post SISTEMATICAMENTE! Até mais...

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Convertendo vídeos para trabalhar no Davinci Resolve no Linux

Nenhum comentário

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019

O Davinci Resolve vem ganhando os corações dos profissionais audiovisuais, uma das melhores soluções para o tratamento de cores em vídeo, e agora vem tornando-se um concorrente de peso ao Adobe Premiere. 

conversor-codec-davinci-resolve-mp4-mov-h264

Como uma alternativa nativa no Linux, a Blackmagic vem implementando novas funcionalidades ao seu software de edição/pós produção de vídeos, um exemplo que a “senhorita” Adobe deveria seguir. Confira o post de como instalar o Davinci Resolve no Linux, e comece a editar nessa poderosa ferramenta.

Nem tudo são flores


Existe uma limitação na versão gratuita do Davinci resolve que pode irritar alguns, ele não possui suporte aos formatos de codecs MP3 e H264. Isso é um pouco estranho já que as patentes destes formatos expiraram e não seria complicada adição no programa.

Para contornar esse problema, enquanto a Blackmagic não adiciona o suporte nativo, iremos converter os arquivos de vídeo para um formato que a aplicação suporta, MPEG4 ou Apple ProRes via QuickTime.

O MPEG4 gera um arquivo de tamanho menor, ótimo para edições voltadas à internet, o ProRes é voltado para uma edição profissional, consecutivamente de maior tamanho.

Convertendo de forma prática


Você pode fazer de duas maneiras, usando o terminal ou a interface gráfica, tudo de forma prática.

Converter via interface


Efetue o download da aplicação “WinFF”, pesquise na central de software da sua distribuição como na imagem abaixo ou instale com o comando em distros como Ubuntu, Linux Mint e derivados:

sudo apt install winff

winff-conversor-video-linux

Com esta aplicação será simples converter os vídeos e economizar seu tempo ao configurar codecs e formatos, basta importar o preset que disponibilizamos para download. 

Baixe o preset do WinFF

Para adicionar o preset no WinFF, clique em “Ficheiro>>Importar pré-ajuste”, selecione o arquivo “winff_resolve_diolinux_.xml” caso apareça uma janela de diálogo informando que o pré-ajuste já existe, clique em “Yes to All” para substituir.

importar-preset-winff

Na aba “Detalhes de saída” em “Converter para:” selecione “Resolve” e em “Pré-ajuste” selecione “mpeg4”, conforme imagem a seguir. 

ajuste-codec-winff

Para converter seus vídeos, basta adicioná-los ao WinFF, clicar em “Converter” e esperar o processo. 

Após finalizar você poderá trabalhar no Davinci Resolve sem nenhum problema.

Converter via terminal


Agora se prefere utilizar o terminal, fiz um script que basicamente converte como o WinFF.

 Baixe o Script conversor de vídeos

Será necessário ter o FFmpeg instalado em seu sistema, se instalou o WinFF ele provavelmente foi “puxado” como dependência, caso não, use o comando:

sudo apt install ffmpeg

O script funciona da seguinte maneira, você deverá manter os arquivos para conversão e script no mesmo diretório, dê a permissão de execução (via terminal ou por interface gráfica) e execute. Todos vídeos em “MP4” serão convertidos para “MOV” e movidos para uma pasta chamada “convertidos”. 

sudo chmod a+x convert-lote-davince-v0.1.sh
./convert-lote-davince-v0.1.sh

script-conversor-codec-davinciresolve

Para alterar o codec do vídeo que deseja converter (se não for um .mp4), abra o script com algum editor de texto e faça a modificação. Não será uma tarefa complicada, pois comentei cada parâmetro, então fique a vontade para implementar novas funções. 

script-conversor-codecs

Para eventuais dúvidas, acesse o vídeo do Elias do canal Araras Studio, todo processo com o WinFF foi detalhado, e se pretende aprender edição de vídeo no Davinci Resolve inscreva-se no canal, ele está produzindo um conteúdo muito bom sobre o software. 

Te aguardo no próximo post, até lá compartilhe o blog Diolinux, SISTEMATICAMENTE! 😎

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Youtube proíbe pegadinhas, desafios e brincadeiras perigosas

Nenhum comentário

terça-feira, 22 de janeiro de 2019

O Youtube possui conteúdos que englobam vários públicos e suas faixa etárias, são vídeos tutoriais, musicais, informativos, para lazer, diversão e muito mais.

As pegadinhas e desafios são famosas dentro da plataforma, mas nem “tudo são mil maravilhas”.

youtube-pegadinha-brincadeira-perigo

Visando acabar com brincadeiras e pegadinhas nocivas, que possam trazer riscos aos praticantes e outras pessoas, o Youtube atualiza suas diretrizes da comunidade, aconselhando produtores de conteúdo a não produzir esse tipo de vídeo.

Brincadeiras com consequências reais 


Não é coisa da atualidade que alguns youtubers fazem conteúdo questionável, com desafios de arrancar os dentes, ou pegadinhas que causam transtornos sérios as pessoas.

Esse tipo de vídeo sempre tem alto número de acesso, e por consequência, uma maior visibilidade no “em alta” da plataforma.

Com o lançamento do filme “Bird Box”, da Netflix, um desafio se tornou popular. E youtubers como Jake e Paul, tiveram a “brilhante ideia” de conduzir um automóvel de olhos vendados. É evidente que tal tipo de ação pode ocasionar em resultados seríssimos, ferindo, ou numa hipótese mais extrema, ocasionando a morte de alguém.

filme-birdbox-netflix

Outros tipos de desafios, como beber detergente e gravar os resultados, levaram o Youtube a tomar uma decisão, alterando suas diretrizes e evitando possíveis tragédias, e claro, possíveis processos. 

Esperanças com a plataforma


Produzir conteúdo no Youtube se tornou uma árdua batalha, digo bons conteúdos, e espero que tais mudanças possam acarretar na perda de visibilidade destes vídeos perigosos, e que bons vídeos consigam ter maior destaque. Pois o público infantil e adolescente é influenciado por esses canais.

O que você acha desta situação? Foi exagero do Youtube censurar esses desafios de dirigir com os olhos fechados, beber detergente etc?

Te espero no próximo post, aqui no blog Diolinux, SISTEMATICAMENTE! 😎

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Meu fone de ouvido sem fio favorito está com um grande desconto! Confira!

Nenhum comentário

sábado, 24 de novembro de 2018

As pessoas sempre nos mandam e-mails pedindo conselhos para fazer as suas compras, são tantos produtos dentre os quais escolher afinal, porém, existem alguns que realmente valem "todas as estrelas" que nos damos para eles em nossas reviews. Hoje você vai poder aproveitar o Edifier W806T por um preço bem camarada.

Edifier






Antes de você dar uma olhada nos preços, confira o unboxing e nossa análise do Edifier, ele é o meu fone de ouvido preferido na atualidade, especialmente para viagem.



O fone está, segundo os nossos parceiros da TOMTOP, com 59% de desconto e com frete grátis para o Brasil, basta clicar aqui para conferir.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Você já experimentou o novo Deepin 15.8?

Nenhum comentário
O Deepin é, provavelmente, a distro Linux que mais chamou a atenção por conta do design da interface aprimorada no último ano. Enquanto essa interface foi remodelada há algumas versões, a versão recém lançada (15.8) do Deepin Desktop Enviroment, está ainda mais lapidada.

Deepin 15.8






Os desenvolvedores do Deepin anunciaram um bela atualização para a distro e para interface, melhorando recursos já existentes no ecossistema, confira no nosso vídeo todas as principais novidades:


O grande diferencial desta versão foi melhorar recursos já existente para que a usabilidade ficasse mais versátil e aprimorada, como a região dos indicadores do sistema e até mesmo o famoso painel lateral que o Deepin carrega.

Trazendo coisas reconhecidamente boas


É sempre bom considerar duas coisas ao se desenvolver uma interface, a familiaridade e a inovação. Muitas vezes ambas entram em conflito, a ânsia por inovação acaba gerando algumas ideias não tão usuais e pouco práticas, como aquele antigo sistema de notificações do GNOME na parte inferior da tela, que já foi abandonado (felizmente) há um bom tempo.

Antigo sistema de notificações do GNOME Shell
Antigo sistema de notificações do GNOME Shell

Considerando isso, uma das características do Deepin que eu mais admiro é a capacidade que os desenvolvedores tem de pegar vários conceitos presentes em diversas interfaces e sistemas (Android, GNOME, macOS, Windows, etc) que são familiares das pessoas e causam empatia e implementar no sistema, muitas vezes funcionando exatamente como funcionam em outros lugares e às vezes aplicando algumas melhorias para tornar a usabilidade consistente.

Para comentar alguns exemplos, temos agora o Dark Mode nas aplicações. Na prática, qualquer tema sempre conseguiu trazer essa feature para qualquer ambiente usado com distros Linux, entretanto, essa demanda se tornou mais latente com a implementação recente feita pela Apple e pela Microsoft, o que apesar de já existir no mundo Linux há tempos, fez com que muitos desejassem tal função de forma nativa.

Deepin Dark Mode

Apesar de podermos ajustar isso nas nossas interfaces (nós usuários Linux), não tínhamos uma implementação de modo escuro da mesma forma que o Deepin colocou, permitindo alterar o tom dos Apps de forma individual, sem afetar todo o sistema necessariamente.

Deepin Linux Mostrar Área de trabalho

Até mesmo a mudança do ícone para exibir a área de trabalho na versão novam, não é nada mais do que a implementação que o Windows tem desde... sempre, não tem nada de errado com isso, funciona muito bem, muito melhor do que ter um botão só para isso.

Mais novidades escondidas


Como comentado no vídeo, existem muitas coisas novas chegando e muitas coisas sendo constantemente melhoradas, porém, uma delas que não foi mencionada no vídeo inclusive, e que merece um comentário, é a criptografia de disco, que agora está presente diretamente na instalação. O código do Deepin está disponível no GitHub para consulta, assim você pode saber mais sobre o projeto.

A Deepin Store (loja de aplicativos) também recebeu melhorias, mas aparentemente parte delas está diretamente na infraestrutura da distro, antigamente as pessoas reclamavam muito de lentidão ao fazer download de softwares à partir dela, hoje esse problema parece ter sido muito minimizado, provavelmente graças as belas parcerias que a Wuhan Technology, empresa por trás do Deepin, vem conseguindo fazer com várias empresas e universidades ao redor do mundo.

Como você pode usar o novo Deepin 15.8?


A forma mais simples, sem dúvida, é baixando a versão mais recente do sistema diretamente do site oficial. Se o download for muito demorado pelo mirror oficial, veja que existem algumas alternativas logo abaixo do botão de download principal, com downloads providos pelo Google Drive, Mega, entre outros. Temos um vídeo para te ajudar com isso se você precisar:


Você já está usando o novo Deepin? Conte pra gente nos comentários, até a próxima! :)
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Como configurar a sua placa de som no Linux facilmente

Nenhum comentário

terça-feira, 27 de março de 2018

Muitos usuários novos que chegam ao Linux ficam com dúvida em como configurar o som em Notebooks e Desktops, pois quando plugam algum Headset ou fones de ouvido e mesmo assim o "bendito" do som teima em sair pelas caixas de som ou qualquer outro lugar. E hoje nesse artigo vamos mostrar como configurar a sua placa de som no Linux facilmente e alguns "pulos do gato" para não passar mais apertos. Borá lá?

Como configurar placa de som no Linux






A configuração que vamos mostrar a seguir é relativamente simples e fácil de se fazer, mas muitos usuários novos no Linux ainda se confundem ou ainda não tiveram a oportunidade de explorar o sistema à fundo. 

Estamos usando o Linux Mint como base do tutorial, mas basta que vocês localizem o caminho do som na sua distro, o resto é idêntico.

Primeiramente, clicamos no "Menu", depois em "Configuração de Sistema" e por fim em "Som".



Você também podem chegar nessa tela de configuração, através do ícone de som, clicando nele e depois clicando em configurações de som.

Nessa tela, você tem duas abas importantes, a "Saída" e a "Entrada", aonde na aba "Saída" você vai ter os dispositivos como caixas de som, fones de ouvido ou qualquer outro dispositivo que lhe forneça uma saída ( 👊agora faz todo sentido, não é?), e na aba "Entrada", você vai ter todos os dispositivos que lhe vão fornecer uma entrada, como microfones.

Alguns macetes e dicas de como ver se a placa de som está configurada


Agora os "pulos do gato" que mencionamos no começo do texto.

Muitas pessoas que estão usando alguma distro Linux pela primeira vez podem estranhar que ao conectar o seu Headset ou fone de ouvido eles não recebam o som.

Isso acontece pois no Linux ele vai "soltar" o som na saída que você escolheu e não "tentar adivinhar", como acontece no Windows por exemplo.

Isso é facilmente contornável na aba "Saída", aonde você pode configurar em qual dispositivo o som deverá sair, como a saída HDMI que você liga na TV, o seu Fone de Ouvido, Headset e por ai vai.

Vídeo do canal mostrando como fazer


No nosso canal fizemos um vídeo mostrando como fazer essas configurações e mais algumas dicas que você pode conferir logo abaixo:




Com isso você não deve ter mais dificuldades na hora de configurar o seu som nas distros Linux. Ratificando, aqui fizemos o tutorial com o Linux Mint e o Ubuntu (representados no vídeo acima), no entanto, estas mesmas técnicas são válidas para outras distribuições e outras interfaces, salvo as suas pequenas diferenças.

Você pode deixar nos comentários as suas experiências com placas de som e Linux.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Cetus Play - Um dos melhores Apps para você controlar o seu Android TV Box

Nenhum comentário

segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

Controles remotos de Android TV Box, de forma geral, não te trazem a melhor experiência possível. É claro, existem alguns modelos que vão entregar experiências muito boas, mas os de valor mais acessível costumam ter um controle "meia boca". Para isso existe o Cetus Play, vamos conhecer ele melhor?

Cetus Play






Eu sempre converso com os leitores do blog e do canal das redes sociais e muitas vezes através do comentários surgem ótimos debates, pelo menos, sempre que possível eu dou uma passada para trocar algumas ideias com vocês.

Um dos assuntos que eu estava conversando com a galera lá do grupo do Diolinux no Facebook eram formas mais práticas para operar os TV Box.

Quando se trata de experiência e usabilidade, alguns modelos como este da Xiaomi são simplesmente "perfeitos":


No entanto, existem muitos outros que te entregam um controle genérico que nem de perto te traz essas facilidades, o que é uma pena, já que muitas vezes estes TV Boxes tem hardwares excelentes e preços baixos, especialmente nessas marcas menos populares, como este aqui:


Felizmente no mundo Android existem muitos aplicativos que podem nos ajudar a melhorar isso, até o troca do Launcher pode ser uma opção, mas pesquisando um pouco eu descobri o Cetus Play, um App que transforma o seu Smartphone em um controle remoto para o seu TV Box e é bem menos drástico do que alterar o launcher, especialmente para quem é leigo no assunto.

Entrando em contato com os Devs eu pude testar o App no modo Premium, mas no fim das contas acabei percebendo que não tem diferença alguma usar o App grátis ou o Premium. Tirando os anúncios que aparecem, a funcionalidade é exatamente a mesma.

O Cetus Play


Para você entender melhor como o App funciona eu fiz um vídeo especial, confira agora e veja só que bacana e prática a usabilidade:


Você pode baixar o App gratuitamente direto da Google Play Store, basta clicar aqui.

Para usar o Cetus Play no seu Android TV Box você precisa instalar o App tanto no seu Smartphone, quanto no TV Box, assim você terá uma melhor integração. 

Deixe ambos na mesma rede Wi-Fi para que tudo funcione corretamente e siga a instruções que eu mostrei no vídeo.

Como demonstrado no vídeo, lembre de ativar o teclado Cetus Play no seu TV Box, assim você pode usar o Smartphone para digitar e pesquisar.

Cetus Play

Dentre os vários layouts de controle disponíveis, o padrão já deve te servir sem maiores problemas, para os Apps que não são otimizados para controle, você pode usar o modo "AirMouse", que transforma o seu Smartphone em uma espécie de touchpad e exibe um cursor na tela da sua TV, assim fica fácil manipular certos Apps, como a Netflix, quando este App não for otimizado para o seu TV Box, como acontece no Mi Box, claro.

E aí, curtiu a dica? Quais os seus Apps preferidos para rodar em um Android TV Box?

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Saiba mais sobre o suporte futuro da AMD no Linux

Nenhum comentário

sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

AMD e Linux são duas coisas que costumavam não se dar muito bem, pelo menos não quando o assunto era "placas de vídeo", mas com o tempo, a postura da empresa mudou de forma radical, tornando-se uma empresa que suporta vários projetos de código aberto.

Linux e AMD






Com o lançamento do Kernel Linux 4.15, nós teremos a inclusão 130 mil linhas de código provindas da AMD, essas melhorias devem melhorar a compatibilidade e performance dos produtos da empresa com o sistema do pinguim.

Para você entender um pouco melhor a relação da empresa com o mundo Linux nós entrevistamos Alfredo Heiss, representante da AMD no Brasil. Na entrevista nós conversamos sobre o suporte a driver para placas de vídeo pelo Kernel e como a empresa trabalha com projetos de código aberto.



Será que finalmente teremos um suporte equivalente ao da Nvidia no Linux? 2018 está só começando e promete muito!

Deixe a sua opinião nos comentários e até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


5 recursos interessantes do Deepin Desktop Enviroment

Nenhum comentário

quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

Em 2017 o Deepin chamou muito a nossa atenção pelo cuidado no design de sua interface. Como tudo que é open source, ela foi adaptada para outras distribuições Linux, como o Manjaro Deepin e o brasileiro, Big Linux, ratificando o seu sucesso.

Deepin Desktop Enviroment






O Deepin Desktop Enviroment é uma interface extremamente bela e produtiva, pelo menos essa é a minha sensação ao utilizá-la, certas configurações que em outras ambientes geralmente são mais complicadas, ou requerem mais cliques para serem feitas, no DDE são realmente simples, garantindo uma  ótima e intuitiva experiência para usuários leigos.

Eu separei 5 coisas que eu acho interessantes no DDE, confira e veja se você já as conhecia:



Quais os recursos do DDE que você mais gosta? Conte pra gente nos comentários.

Gosta do Deepin? Então leia mais sobre ele aqui.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


AMD deve abrir o código do seu driver Vulkan para Linux antes do Natal

Nenhum comentário

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Um belo presente de Natal para os usuários de Linux donos de hardware AMD, finalmente será lançado o driver open source da empresa com suporte ao Vulkan.

AMD Vulkan Linux





Há quase dois anos ouvidos sobre o driver Vulkan da AMD para Linux, este que inicialmente seria de código fechado, mas tornou-se código aberto. Agora ele está praticamente pronto e deverá ser publicado antes do final do ano.


Este é o resultado dos últimos dois anos de trabalho da AMD com tecnologias abertas e será o que podemos chamar de "driver oficial" para a plataforma, ele possui uma base de código compartilhada entre os sistemas operacionais Linux e Windows, respeitando as diferenças de cada plataforma.

Saiba mais sobre o assunto aqui.

Agradecemos ao leitor Vagnarok pela dica, até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Linux, Hardware e PC Gamer, vamos debater! - Canal Peperaio Hardware

Nenhum comentário

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Recentemente eu pude fazer um vídeo colaborativo em dos canais mais respeitados sobre hardware do Brasil, o Peperaio Hardware. No vídeo em questão eu comentei sobre a situação atual do cenário de hardware envolvendo o Linux, jogos e computadores gamers.

Linux e Hardware






No bate-papo, eu conversei com o Lucas Peperaio, dono do canal, onde discutimos vários assuntos relacionados a hardware e Linux. Existem muitos mitos ainda no entorno destes assuntos, como a possibilidade de usar Linux para jogar na Steam, suporte por parte de fabricantes a hardware de ponta, entre outra coisas, é um vídeo muito interessante.

Como é uma conversa, caso você prefira, você pode também apenas "dar um play" e ficar ouvindo. O conteúdo pode ser absorvido desta forma também sem maiores problemas, aproveite o vídeo e conheça também o canal Peperario Hardware, vale muito a pena.


Como é sempre bom debater, aproveite e comente a sua experiência com Linux neste aspecto logo abaixo e lá no canal do Lucas também, até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Conheça, instale e personalize o FreeBSD

Nenhum comentário

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Algumas pessoas pediram pra gente comentasse um pouco sobre BSD aqui no Diolinux, então para atender a este pedido, em parceria com o Marcos Oliveira, do canal Terminal Root, nós vamos fazer uma matéria completa para você que quer conhecer um pouco mais este sistema.

FreeBSD





A ideia deste artigo é dar a você o primeiro contato com o mundo BSD.  O FreeBSD é um sistema operacional livre, assim como o Linux, do tipo Unix-like que provém do Research Unix via Berkeley Software Distribution (BSD). Aplicativos podem ser instalados usando o sistema de gerenciamente de pacotes: Ports, ou compilando o código-fonte. Devido aos seus termos de licenciamento permissivos, grande parte do código do FreeBSD tornou-se parte integral de outros sistemas operacionais tal como o OS X da Apple. A licença BSD pode ser considerada até mais permissiva do a GPL que licencia o Linux e diversos outros Softwares Livres, pois ela permite até mesmo que o código de uma aplicação derivada seja fechado. Garantindo maior liberdade de escolha aos desenvolvedores.



Depois dessa breve introdução, aprenda a instalar ao FreeBSD:


Para fazer o download basta acessar este endereço.

Depois de instalar o FreeBSD, você provavelmente vai querer também instalar uma interface, que tal uma simples e direta como o MATE?

No vídeo abaixo você vai aprender a instalar o Xorg, MATE Desktop, SLiM e configurar o rc.conf utilizando o Easy Editor.



Se você for testar o FreeBSD em dual boot com Linux, talvez você tenha problemas iniciais com o reconhecimento do sistema no GRUB, então confira este material para contornar a situação:


Chegando a parte final do nosso tutorial, agora você aprenderá a configurar e personalizar o FreeBSD com aplicações e customizações visuais.


O FreeBSD é um sistema muito interessante e é utilizado em várias grandes empresas, como a Netflix. Particularmente não o vejo ele com grande apelo para uso no desktop diário, mas profissionalmente falando, é um sistema que você deveria se importar em conhecer um pouco mais a fundo. No entanto, para para as pessoas que gostariam de experienciar um desktop BSD, talvez o TrueOS seja uma escolha mais interessante.

Se você vai instalar ou não no seu computador para fazer um test drive eu não sei, mas se tiver curiosidade de ao menos conhecer, considere então uma máquina virtual, assim você faz as suas experiências sem comprometer o seu sistema operacional atual.

Quero agradecer ao Marcos pela contribuição com o conteúdo, vocês podem conhecer o canal dele aqui.

Até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo