Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador windows. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador windows. Mostrar todas as postagens

Redream um ótimo emulador de Dreamcast para PC e Android

Nenhum comentário

quinta-feira, 23 de maio de 2019

O Dreamcast foi lançado no Brasil em 10 de Outubro de 1999. Desenvolvido em uma parceria entre a Sega e Microsoft, o console possuía aspectos interessantíssimos como: Sua arquitetura baseada nos computadores, facilitando a vida dos desenvolvedores ao portarem games de pc ao console. Um sistema inteiramente baseado no Windows CE, que pasmem rodava semelhante a uma distro linux em “live cd”. Além de poder executar funções de computadores da época, como digitar textos, navegar na internet, ver vídeos e ouvir músicas. Pena não ter “emplacado” mundo afora, no entanto sendo extremamente popular no Japão.

redream-emuldor-dreamcast-pc-desktop-mobile-linux-windows-mac-android

O Dreamcast teve um lugar importante em minha adolescência, onde passei bons momentos com seus vários títulos. Eis a oportunidade de desfrutar de seus games de Dreamcast, seja no Linux, Windows, macOS ou Android. 

Redream, bonito, simples e eficiente 


Quem é familiarizado no mundo da emulação talvez já tenha pensado no clássico emulador de Dreamcast, o Reicast, mas iremos falar de outra alternativa. O Redream é um emulador de Dreamcast que possui uma interface clean, organizada e bonita. Sua compatibilidade atual é de aproximadamente 80% dos títulos do console, então as chances de não executar aquele seu jogo favorito são pequenas. 

redream-emuldor-dreamcast-pc-desktop-mobile-linux-windows-mac-android-compatibilidade-jogos

O emulador possui duas versões, uma “Lite” e outra “Premium”, sendo a primeira opção gratuita e a segunda custando US$5 (dólares). A única diferença de uma versão para a outra é a possibilidade de, na Premium, contar com a opção de renderização em alta definição. Algo que particularmente não me fez tanta falta, entretanto fique a vontade para adquirir a alternativa paga.

redream-emuldor-dreamcast-pc-desktop-mobile-linux-windows-mac-android-premium-lite

Um emulador “direto ao ponto”


O Redream é dotado de uma interface simplista e elegante, sem distrações ou configurações complexas. Dividido em 5 categorias (“abas”), sendo elas: Games, Library, Input, Video e System. O programa é de fácil compreensão.

Em “Games”, ficam todos seus jogos adicionados anteriormente na biblioteca do emulador. Um detalhe curioso, é a atenção de seus desenvolvedores pelo design da aplicação, pois ao adicionar um game na biblioteca o emulador automaticamente efetua o download de sua capa original.

redream-emuldor-dreamcast-pc-desktop-mobile-linux-windows-mac-android

“Library” é onde você indicará o caminho de seus jogos do Dreamcast, basta clicar no botão “Add Directory” e caminhar até a localização de seus games.

redream-emuldor-dreamcast-pc-desktop-mobile-linux-windows-mac-android

Na categoria “Input”, existirá a possibilidade de configurar 4 jogadores no emulador. Para configurar as teclas ou botões (caso possua um joystick), basta clicar na opção conforme o número do jogador, depois “Customize binds” e atribuir as teclas/botões correspondentes. Como citei anteriormente, os detalhes visuais e facilidades de uso é uma vantagem gigantesca do emulador. Um simples gesto de oferecer visualmente o modelo do joystick original do console, auxilia muito no ato da configuração. Algo que não me recordo ver em outros emuladores.

redream-emuldor-dreamcast-pc-desktop-mobile-linux-windows-mac-android

Agora na opção “Video”, as configurações básicas podem ser realizadas, como alterar a resolução, execução em modo janela, aspecto da janela do emulador etc.

redream-emuldor-dreamcast-pc-desktop-mobile-linux-windows-mac-android

Por último “System”, com opções de região do console, linguagem da interface do emulador e muito mais. No presente momento que escrevo este post, não existe a opção ”Português” no emulador, entretanto não será nada que dificulte sua utilização.

redream-emuldor-dreamcast-pc-desktop-mobile-linux-windows-mac-android

Baixando a versão desktop do Redream


Efetue o download do emulador no seguinte link. Escolha entre a versão “Lite” ou “Premium”, logo após, você será encaminhado para uma nova página. Fica ao seu critério baixar a versão “Stable”, com recursos estáveis ou a versão “Developmement” que recebe novas features e é a versão “não tão estável”. Depois selecione seu sistema operacional, no meu caso irei clicar no botão com o pinguim, indicativo de Linux.

redream-emuldor-dreamcast-pc-desktop-mobile-linux-windows-mac-android

Extraia o “arquivo tar.gz” e verifique se o executável, denominado “redream”, possui a permissão para execução. No Ubuntu basta clicar com o botão direito do mouse, ir em “Propriedades” >> aba “Permissões” e averiguar se a caixa de seleção está marcada (Permitir execução do arquivo como um programa).

redream-emuldor-dreamcast-pc-desktop-mobile-linux-windows-mac-android

Execute dando 2 cliques ou clicando com o botão direito do mouse indo na opção “Executar”.

Veja logo abaixo um vídeo que fiz no OSistemático, nele demonstro o download, explicação e utilização do emulador Redream.


Versão Android do Redream


Recentemente o Redream recebeu uma versão Android, sua interface é idêntica a desktop. Assim sendo tanto no PC como no Smartphone sua utilização será semelhante (ao menos no aspecto do design do emulador). Para desfrutar dos games do Dreamcast no Android, basta possuir um smartphone com processador Snapdragon 630. Creio que a experiência será satisfatória, evidente que quanto maior a capacidade de processamento de seu gadget, melhor será a jogatina.

redream-emuldor-dreamcast-pc-desktop-mobile-linux-windows-mac-android



E você jogava muito no Dreamcast? Já gastei horas e horas jogando Marvel vs Capcom, entre outros games.

Continue esse bate-papo em nosso fórum Diolinux Plus, a galera lá também curte uma jogatina.

Até o próximo post, SISTEMATICAMENTE! 😎
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Huawei e Deepin podem impulsionar o Linux

Nenhum comentário

quarta-feira, 22 de maio de 2019

Por um breve período a Huawei foi posta em uma lista negra, e o governo Trump chegou a aconselhar que empresas americanas cortassem relações comerciais com a empresa chinesa. Google, Intel, Qualcomm, Broadcom entre outras gigantes do mundo tecnológico foram ao encontro do conselho do atual governo

huawei-ms-microsoft-windows-linux-kirinOS-Android-Deepin-mobile-desktop-laptop-notebook

Porém por decisão do Departamento de Comércio dos EUA, uma licença provisória foi concedida à empresa. Licença essa que tem validade até o dia 18 de Agosto. Não ficou claro se haverá prorrogação ou se a Huawei entrará na "lista branca". Entretanto após as declarações da Google impedindo o uso da licença do Android para a fabricante chinesa e caso no futuro a Huawei perca em definitivo esta licença, a mesma teria que bolar soluções que contornam a decisão americana. Para entender toda essa situação, fizemos uma matéria detalhando o caso.

Huawei sem Android, como seria?


A Huawei vem desenvolvendo sua própria solução móvel, chamado de HongMeng OS, não é de conhecimento geral o estado de desenvolvimento de seu sistema. Ou se o substituto do robozinho verde seria baseado no próprio Android, mas sem as tecnologias proprietárias da Google.

huawei-ms-microsoft-windows-linux-HongMeng-OS-Android-Deepin-mobile-desktop-laptop-notebook

É quase certo que a gigante da China já tinha em seus planos, possíveis situações como a atual, afinal a relação entre Estados Unidos e China nunca foram as melhores. Todavia algumas características importantes deveriam ser adotadas em seu novo sistema. Por isso creio que o mesmo seja baseada ou tenha compatibilidade total com aplicações e games do Android, claro sem a necessidade de uma Google Play Store. Essa estratégia poderia manter a empresa firme no mercado, mesmo que fora dos Estados Unidos ou países que fossem influenciados pela decisão do governo americano.

O consumidor "comum não quer saber" se o sistema é X ou Y. O que na realidade importa para as massas são os apps. E caso o HongMeng OS, sistema em desenvolvimento da Huawei, atenda esses requisitos a empresa continuará "no jogo". Caso contrário, já temos alguns exemplos como o Windows Phone e Ubuntu Phone que demonstram os possíveis destinos.

Huawei sem Windows, como seria?


Outra possibilidade é a exclusão da Huawei no hall de parceiros da Microsoft. A gigante de Redmond poderia seguir os mesmos passos da Google, e caso a licença não seja renovado após 18 de Agosto, a Huawei seria impossibilitada de embutir o Windows em seus notebooks e equipamentos (o laptop da Huawei a MS já retirou de sua store, sobre o Windows ainda continua um mistério). Obviamente que a chinesa poderia utilizar-se de outro parceiro, todavia o custo de seus equipamentos seria muito mais elevado, ocasionando consequências em sua posição no mercado. E qual outra solução? (Sei que está esperando isso, desde quando começou a ler 😁😋😇). Provavelmente o mesmo plano que a empresa planeja ao Android, uma outra alternativa (claro que a Huawei poderia embarcar seus computadores com o HongMeng OS, unificando toda plataforma, mas perceba que ficariam limitados quando o assunto é “software e games para desktop”).

Ao se falar de alternativas ao Windows, não seria cabível imaginar que a Huawei conseguiria desenvolver um sistema desktop, compatível com diversos softwares do mercado em poucos anos. Na realidade é loucura e muita ingenuidade acreditar que um sistema operacional é desenvolvido de um dia para o outro. Então, não seria de se espantar a empresa começar a investir em um sistema baseado no kernel Linux. Talvez seja até isso um dos pontapés iniciais para a popularização do Linux nos desktops. Uma realidade não tão distante e que com o marketing certo a empresa poderia contornar a situação, sem necessariamente depender do Windows. Indo além, sua autonomia poderia ser maior ao não depender de outras empresas e quem sabe desenvolver sua própria distribuição. 

Uma tarefa não tão simples e que poderia custar muito mais que pagar licenças de “redistribuidores” do Windows. No entanto existe outra maneira, uma parceria com outra empresa chinesa a Wuhan Deepin Technology.

huawei-ms-microsoft-windows-linux-kirinOS-Android-Deepin-mobile-desktop-laptop-notebook

Linux promovido através do Deepin


Aqui no Diolinux sempre "batemos na mesma tecla", falta marketing no Linux. Não falamos no aspecto de servidores e internet das coisas (IoT), e sim desktop, games e no uso do cotidiano. A Dell é uma grande empresa que oferece o Linux, através do Ubuntu como alternativa. Todavia, o seu foco continua sendo o Windows e na realidade não existe nenhuma empresa que possua um alcance mundial impulsionando massivamente o Linux nos desktops.

Talvez a Huawei poderia ser essa empresa, com seu domínio em diversas áreas e um mercado relativamente abrangente com seus notebooks, o Linux pode ser conhecido e usado por mais pessoas. Desenvolver um sistema não é algo barato e rápido, logo uma parceira chinesa poderia ser uma poderosa aliada, e a empresa por trás do Deepin pode ser a resposta. Com todo esse transtorno com o governo americano, é plausível pensar que uma das melhores escolhas seria uma empresa de seu próprio país. A Wuhan Deepin Technology, empresa responsável pela distribuição Deepin, tem alguns anos no mercado, um software atraente e funcional, podendo chamar atenção da gigante Huawei.

huawei-ms-microsoft-windows-linux-kirinOS-Android-Deepin-mobile-desktop-laptop-notebook

Com uma empresa que possua experiência no desenvolvimento de sistemas Linux, a Huawei possivelmente firmaria algum acordo e disponibilizaria o Deepin em seus equipamentos, ou quem sabe compraria a Wuhan Deepin Technology. Convenhamos que a distribuição chinesa atrai os olhos e consumidores são fisgados "pela luxúria" em primeiro momento. E quanto aos problemas existentes no Deepin? Nada que uma boa grana injetada não possa resolver (ou amenizar) e isso não é empecilho para empresa.

Será que o Deepin tornará o Linux popular nos desktops? Afinal o mercado chinês é um dos maiores e que mais cresce no mundo. Muitos esperam do Ubuntu ou ChromeOS tal façanha, talvez o “pequenino” chinês faça história, você gostando ou não. Se ele seria adotado maciçamente em outros países, aí já é outra história. Talvez ele impulsione o Linux nos desktops, retirando o preconceito da cabeça de muitos consumidores ou mostrando que existem outras alternativas. 

E você o que pensa sobre esse assunto? Que tal continuá-lo em nosso fórum Diolinux Plus, a galera por lá é bem educada. E creio que você também é (aqui nos comentários).

Até o próximo post, que o assunto hoje rendeu (😁😁😁), seja complacente com a opinião alheia e como sempre te espero aqui no blog Diolinux, SISTEMATICAMENTE! 😎
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Governo da Coreia do Sul estuda mudança para o Linux

Nenhum comentário

terça-feira, 21 de maio de 2019

O governo da Coreia do Sul vem estudando a possibilidade em migrar os seus computadores, que em grande maioria ainda rodam o Windows 7, para alguma solução Linux, visto que o suporte “gratuito” do Windows 7 termina agora no começo de 2020.


 Governo da Coreia do Sul estuda mudança para o Linux





Segundo o site The Korea Herald, o Ministério do Interior e da Segurança da Coreia do Sul,  informou que pretendem implementar de forma mais ampla o Linux nos computadores do Governo. A justificativa é que a manutenção do sistema da Microsoft ficará muito cara para os cofres públicos.

Só para você ter uma ideia, quem optar pelo suporte para o Windows Enterprise, já no primeiro ano após o “fim da vida útil” do Windows 7 custará US$ 25 por dispositivo. Este preço sobe para US$ 50 por dispositivo para o segundo ano e US$ 100 para o terceiro ano. Imagina isso em milhares de computadores, como ocorre em várias repartições do governo. Uma bela grana. Vale lembrar que o Windows 7 foi lançado em 2009 e o fim do suporte principal terminou em 2015.

Antes da implementação completa, o Governo vai testar os sites e softwares existentes em sua rede, que a princípio foram desenvolvidos e planejados para Windows. Se a transição de plataforma não for problemática, a implementação do Linux será em todos os computadores governamentais.

Para fazer essa transição, o governo sul-coreano vai investir cerca de US$655 milhões (₩780 bilhões de won) entre implementação do Linux e compra de computadores novos. Outro motivo da adoção do Linux, é a segurança que ele apresenta em relação ao Windows, sendo conhecida por ser mais robusta.

Choi Jang-hyuk, chefe do departamento de serviços digitais do ministério, disse que  esperam uma redução de custos através da introdução do sistema operacional de código aberto e também esperam evitar a dependência de um único sistema operacional.

Outros dois casos emblemáticos sobre governos adotando Linux, tomaram os noticiários.

O primeiro foi de Munique/Alemanha, depois de mais de 10 anos utilizando Linux voltou para o Windows, que segundo o prefeito, o pessoal não teria se adaptado e que a compatibilidade não estava satisfatório. Você pode ver um vídeo do canal relatando isso.

                 


O segundo caso foi a cidade de Barcelona/Espanha, que começou a utilizar o Ubuntu e vários softwares livres como padrão em toda a infraestrutura do governo. Fizemos um artigo abordando isso mais detalhadamente.

Deixe aí nos comentários, o que você achou dessa possível mudança do Governo Sul Coreano.

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá  no nosso fórum.

Espero você até a próxima, um forte abraço.

Fonte: The Korea Herald

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Huawei e seu relacionamento complicado com os EUA

Nenhum comentário

segunda-feira, 20 de maio de 2019


huawei-smartphone-android-google-intel-qualcomm-impedida-governo-donald-trump-estados-unidos-eua-china-importação-telefonia

Diversas empresas estrangeiras foram afetadas, gigantes como a Chinesa Huawei "ficaram impedidas" de atender o mercado americano. A decisão do atual governo dos Estados Unidos tem como uma das medidas evitar a espionagem de outros países, e todo mundo sabe que os americanos e chineses não têm uma relação tão "amorosa". O governo americano suspeitava que a Huawei era uma boa amiga da China e sedia informações de seus usuários para espionagem chinesa. Tais alegações foram negadas pela empresa. Em uma medida de última hora o Departamento de Comércio dos EUA, concede provisoriamente uma licença geral de comercialização de produtos e serviços que eventualmente a Huawei ofereça no país.  Tal "carta branca" tem validade até 19 de Agosto. 

A Huawei é a maior empresa de telecomunicações na China e uma das maiores do mundo. Seu comércio é (até o momento) forte em países como os Estados unidos, graças a ela tecnologias como o 5G estavam a pleno vapor. Agora parece que os EUA terão perdas significativas quando se trata desta tecnologia, podendo atrasar a implementação do 5G no país ou quem sabe inviabilizá-lo. Um dos objetivos da empresa era ultrapassar a atual líder de vendas de smartphones em 2020, Samsung, mas com essa nova barreira, parece que a meta não será tão simples. Pois mesmo com a nova licença provisória seu futuro em solo americano é incerto.

Nada de Intel, Qualcomm e Google?


Responsável por produzir chips para seus equipamentos, a Intel e Qualcomm aderiram a decisão do governo e cortou relações com a empresa chinesa. Entretanto a Huawei parecia estar esperando tal decisão governamental. Conhecida por armazenar estoques de chips sediados em parceiros nos EUA, a Huawei veio durante anos desenvolvendo tecnologias que não obrigasse sua total dependência da Qualcomm com seu Snapdragon e Intel, a exemplo dos seus chips criados com o HiSilicon Kirin. Não apenas a Qualcomm e Intel cortaram relações com a Huawei, a Google retirou seu direito de uso do Android e baniu a empresa da Google Play Store. Com a nova decisão e licença oferecida pelo Departamento de Comércio dos EUA, as empresas voltam seus negócios com a Huawei. A medida provisória visa não impactar a infraestrutura do país e ocasionar transtornos aos usuários. A questão que fica é se haverá prorrogação, ou se a empresa passará a ser "barrada" novamente com o término da licença.

Huawei sem Android, ao menos como era


Depois do dia 19 de Agosto a Huawei pode ficar impossibilitada de embarcar seus aparelhos com o Android "convencional”, por conta de não obter a "prorrogação" do licenciamento de comércio com os EUA, então a empresa poderia seguir dois possíveis caminhos: Utilizar a versão Open Source do Android, sem as tecnologias proprietárias da Google ou desenvolver seu próprio sistema.

Parece que a segunda opção será a adotada pela chinesa, com seu sistema em desenvolvimento HongMeng OS, parece ser questão de tempo para a empresa não necessitar do Android. Com loja de apps própria, o HongMeng OS virá embarcado em seus aparelhos. Não ficou claro se o mesmo é desenvolvido do zero, ou baseia-se no Android. Apenas posso julgar que caso o sistema não rode aplicações Android, o fracasso da empresa é eminente, temos o Windows Phone como exemplo. Se o HongMeng OS conseguir rodar games e apps Android, sua adoção por parte dos usuários pode não ser tão afetada. Lembrando que na China diversos apps e sites são bloqueados, e mesmo sem uma Google Play Store a Huawei conseguiria muito bem manter seus novos aparelhos. Afinal os usuários estão mais preocupados com os jogos e aplicativos (falo do público leigo, obviamente).

alternativa-android-huawei-HongMeng-OS

Vale ressaltar que a Huawei também comercializa notebooks e equipamentos que são embarcados com o Windows, e após a data da licença a MS poderia cortar relações com a empresa. Será que veremos notebooks da Huawei com Deepin? Logo que a distribuição também é chinesa, e possivelmente seus equipamentos não viriam mais com Windows, caso adefinitivamete a mesma fosse impedida de ter algum vínculo com os Estados Unidos

Para donos de aparelhos Huawei


A Google informou que donos de aparelhos Huawei, lançados antes do ocorrido, que acessam a Play Store, não serão impedidos de receberem atualizações de segurança ou melhoria de seus smartphones. A instalação de apps continuará sem problema algum. Os equipamentos também funcionarão normalmente nos Estados Unidos. Agora cabe saber se essa licença será provisória ou se o governo poderá "adicionar num futuro a Huawei na lista branca", só o desenrolar dessa história poderá dizer. Mas que fique claro que o intuito desta licença provisória  não é apaziguar a situação ou "aliviar para o lado da Huawei". Ao que parece, o governo americano percebeu que tal medida, ao menos no momento é incabível e os danos seriam extremos. Inclusive existiam rumores de falhas severas na infraestrutura da rede americana. 

O que você acha desta situação? Parece que estamos em uma "nova guerra fria", desta vez utilizando a tecnologia e economia como armas (nada de corrida espacial). Sobreviverá quem permanecer firme, mesmo em meio às mudanças do mercado (mudanças essas totalmente "artificiais").

Não curto esse controle, sei que pode haver espionagem, todavia parece que os EUA também não cometem esse tipo de crime (😏😏😏). É algo complicado, e que deixo essa "bucha" para vocês, então continuem esse papo em nosso fórum Diolinux Plus.

Até o próximo post, sem brigas nos comentários hein! Sejamos complacentes com a opinião alheia.

Te espero aqui no blog Diolinux, SISTEMATICAMENTE! 😎
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Kernel Linux dentro do Windows? Como assim?

Nenhum comentário

quinta-feira, 9 de maio de 2019

A Microsoft anunciou a segunda versão do Windows Subsystem for Linux (WSL), anúncio esse feito na Build 2019, prometendo desempenho, velocidade e o aumento da gama de aplicativos Linux a serem executados. No mesmo evento a Microsoft anunciou um novo aplicativo de Terminal para Windows, com várias funções interessantes, incluindo a funcionalidade de “conversar” com as distros Linux instaladas via WSL, além do provável lançamento do reformulado Microsoft Edge, agora baseado no Chromium, para Linux.


 Kernel Linux dentro do Windows? Como assim?





As mudanças vieram depois do feedback dado pelos usuários,  assim melhorando a primeira versão, que foi lançada em 2016 e amplamente distribuída em 2018.

Em seu blog para devs, a Microsoft fez a seguinte ponderação sobre a nova versão do WSL:

“O WSL 2 é uma nova versão da arquitetura que alimenta o Windows Subsystem for Linux para executar binários ELF64 Linux no Windows. Essa nova arquitetura altera a forma como esses binários do Linux interagem com o Windows e o hardware de seu computador, mas ainda fornece a mesma experiência do usuário que no WSL 1 (a versão atual, amplamente disponível). 
As distribuições individuais do Linux podem ser executadas como uma distro do WSL 1 ou como uma distro do WSL 2, podendo receber upgrade e downgrades a qualquer momento,  você pode executar distros do WSL 1 e do WSL 2 lado a lado. O WSL 2 utiliza uma arquitetura inteiramente nova e usa um kernel Linux real.” , segundo Craig Loewen, Program Manager, Windows Developer Platform.

O WSL 2 contará com um Kernel Linux integrado e customizado pela Microsoft para ter a compatibilidade total com as chamadas de sistema (sendo adaptado ao funcionamento do Windows), atualizações via Windows Update, utilizando  a versão 4.19 do Linux. Ele ficará disponível para testes até o final de Junho para os usuários inscritos no programa Windows Insider.

O Windows agora roda Linux?


Oficialmente o Windows passa a trazer dois Kernels para o sistema, sendo o Kernel NT tradicional ainda o principal, fazendo toda essa comunicação do Windows com o hardware do computador para a maioria das tarefas, a pergunta inevitável é: Até quando? Será que em algum momento o Kernel Linux será a base única do sistema da Microsoft?

Adivinhar o futuro é difícil, mas dada a junção entre as duas plataformas, não é tão complicado de imaginar algo assim acontecendo num futuro, certamente a Microsoft economizaria alguns milhões de dólares em desenvolvimento em seu próprio Kernel, isto é, se a mudança for tecnicamente possível. 

Vemos também a Microsoft ajudando, ainda que não muito, o projeto Wine através de Drivers do Windows e relacionados, tudo isso pode acabar gerando uma plataforma híbrida bem interessante, muito mais open source do que em qualquer momento no passado, mas ainda Windows.

Continue acompanhando o blog para ficar ligado nas notícias.

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá  no nosso fórum.

Espero você até a próxima, um forte abraço.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Rússia aprova lei que isola a internet no país

Nenhum comentário

segunda-feira, 6 de maio de 2019

O presidente da Rússia, Vladmir Putin, sancionou no dia 1º de Maio, uma lei que visa criar uma "internet russa", tal medida não está sendo vista com bons olhos pelos diversos países do mundo.

lei-internet-russia-russa-vladmir-putin-runet

Segundo o governo Russo, a lei é uma forma de garantir a soberania do país e protegê-lo contra possíveis ataques cibernéticos. Essa informação é da agência de notícias local TASS, conforme a mesma, essa rede local está sendo chamada de "Runet", e caso a Rússia fosse desconectada da infraestrutura global da World Wide Web, o país teria capacidade de operar isolado e independentemente.

Com isso o Roskomnadzor (Serviço Federal de Supervisão das Comunicações em Massa, TI e Telecomunicações) ficará responsável por criar uma rede de comunicações centralizada no país.

Como isso seria possível?


Na prática a Rússia forçaria todo tráfego de sua internet a passar por um DNS, do governo, monitorando o fluxo de sua internet local. Assim o controle de acesso a internet estará nas mãos das autoridades russas, que informa que terroristas poderiam ser identificados com maior facilidade. Todavia o que várias organizações alegam, é que isso nada mais é que uma violação da privacidade dos usuários e maior controle governamental, cerceando a liberdade de expressão dos cidadãos russos, além de dar mais poder ao estado.

Nada de Linux ou Windows!


A Rússia não está nem um pouco afim de utilizar "tecnologias de estrangeiros", não importa se é de código fechado ou aberto, nada de Linux ou Windows. O governo pretende utilizar um sistema desenvolvido pela Universidade Estadual de Tomsk, em parceria com a empresa EleSi. Inicialmente o sistema será instalado em computadores do governo.

Internet Russa, uma nova internet Chinesa?


No ano passado a Rússia tentou bloquear o Telegram no país, alegando que o mesmo deveria disponibilizar os dados dos usuários ao governo, e pela "inflexibilidade" do Telegram, acabou banindo vários IPs ao tentar impedir usuários russos na aplicação. De "brinde" vários IPs da Google e Amazon foram bloqueados, pois estavam sendo identificados como "agentes externos". Toda essa situação levou a uma crescente utilização de VPNs no país.

O aumento governamental não é de hoje, existe uma lei no país que proíbe a publicação ou compartilhamento de "fake news", com uma "pequena" multa de 1,5 milhões de Rublos (cerca de R$90 mil). Agora o que seria “fake news”? O governo Russo é quem decide. Também existe uma lei que criminaliza "falar mal de símbolos e autoridades do governo", com multa de 300 mil Rublos (por volta de R$ 18 mil), isso nos melhores casos, se o governo classificar como algo mais grave, a pena poderá chegar a 15 anos de prisão.

Podemos observar que a internet Russa, está se tornando tão fechada e controlada como a Chinesa, que bloqueia o acesso a vários sites e aplicativos ocidentais.

A nova lei entra em vigor a partir de 1º de Novembro na Rússia.

Particularmente não curto todo esse controle estatal, até o Brasil já tentou "entrar nessa onda", e há pouco tempo houve uma proposta de lei que tornava crime o "fake news" (projeto de lei 6.812/2017). Questões desta natureza são complicadas, e podem ocasionar em uma soberania do estado sobre os indivíduos, invertendo os papéis. Afinal, o estado tem que servir o cidadão e não o contrário.

E você, o que acha sobre toda essa questão? Que tal continuar esse assunto lá em nosso fórum Diolinux Plus.

Até o próximo post, te aguardo aqui no blog Diolinux SISTEMATICAMENTE! 😎

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Hackers invadem e acessam e-mails do Outlook

Nenhum comentário

terça-feira, 16 de abril de 2019

Nesta sexta-feira (12), a Microsoft enviou alguns e-mails para usuários do Outlook, informando que o serviço sofreu um ataque hacker, contendo dados como: endereços de e-mails, nomes de pastas e linhas de assuntos de mensagens foram acessadas por tais invasores (ou invasor, até o momento a MS desconhece se o ato foi obra de um grupo ou apenas um criminoso).

outlook-ms-microsoft-hacker-email-invadido

No dia 14, domingo, o site Motherboard revelou que a Microsoft enviou outra notificação para cerca de 6% das contas do Outlook.com que foram afetadas. Possivelmente o conteúdo dos e-mails também foram vistos, e a MS depois de minimizar a situação na primeira notificação, só admitiu o real problema, depois da apresentação de evidências desta violação.

Estima-se que os criminosos tiveram acesso não-autorizado a essas contas de e-mails entre 1º de Janeiro de 2018 à Março de 2019.

O porta voz da Microsoft, em um comunicado ao site The Verge, afirmou que essa “alegação de 6 meses é imprecisa”, referindo-se ao tempo dessas contas nas mãos dos cibercriminosos. A Microsoft esclareceu que a maior parte das contas afetadas foram notificadas e instruídas de como proceder.

Algumas vítimas tiveram senhas redefinidas no iCloud ligadas a iPhones roubados. Tudo indica que esse era o real motivo da invasão.

Como isso ocorreu?


Os hackers ou hacker, em primeiro caso, invadiu uma conta do suporte ao cliente da MS, como essa conta tinha altos poderes administrativos, o segundo movimento foi obter acesso a informações relacionadas às contas de e-mails dos clientes.

Minimização dos fatos e admissão do ocorrido


Inicialmente a Microsoft negou o caso, após confirmação por meio de evidências a mesma minimizou alegando que o conteúdo de seus e-mails não poderiam ser visualizados por invasores. Com novas evidências trazidas pelo site Motherboard, a MS tomou medidas cabíveis e notificou pela segunda vez os usuários que foram afetados pelo ocorrido.

Apenas contas de usuários comuns foram afetadas, as corporativas não sofreram por contar com um nível a mais de segurança.

Em um e-mail para os usuários afetados, a MS fez a seguinte observação que:

"Lamenta qualquer inconveniente causado por este problema" e deve ter "a certeza de que a Microsoft leva muito a sério a proteção de dados e envolveu suas equipes internas de segurança e privacidade na investigação e resolução do" problema ", bem como o fortalecimento adicional de sistemas e processos para prevenir tal recorrência".

A Microsoft informou que desativou imediatamente a conta de suporte afetada, ao tomar conhecimento do problema. Uma auditoria de contas de atendimento ao cliente serão realizadas, para garantir que casos como esse não se repitam.

União Europeia e as possíveis consequências


Sem informar o número de pessoas afetadas, é bem plausível que alguns destes usuários estavam na União Europeia, e que embora a violação dos dados seja um problema para a Microsoft, essa violação de dados está dentro do escopo do Regulamento Geral de Proteção de Dados da UE. É provável que uma investigação da UE contra a Microsoft esteja em andamento, averiguando se a “gigante de Redmond” fez o possível para impedir o ataque.

A Microsoft recomenda que você altere suas senhas, e mesmo que não esteja entre os afetados, essa ação é de extrema importância.

Outro ponto que quero salientar, é para além de uma senha forte, com caracteres especiais, números etc. Que ela não seja uma única senha, e um procedimento como o de ativar a verificação de 2 passos (duas etapas), deve sempre estar ativo.

Compreendo que empresas tendem a minimizar o ocorrido, seja para não causar uma “histeria coletiva” ou não “queimar sua imagem”, porém 3 meses é um tempo relativamente significativo, então averigue sua conta (caso possua Outlook/Hotmail) e troque todas suas senhas.

A era da modernidade tem dessas (😁😁😁) deixe suas opiniões em nosso fórum Diolinux Plus, e continue a discussão sobre o tema.

Te espero aqui no blog Diolinux, até o próximo post, SISTEMATICAMENTE! 😎
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Novo Ransomware RobinHood "promete respeitar sua privacidade"

Nenhum comentário

segunda-feira, 15 de abril de 2019

Os famosos ransomwares são vírus que por variados meios, como downloads de Torrents, sites com conteúdo pornográfico etc. Infectam as máquinas de suas vítimas, criptografando seus dados e pedindo uma quantia em resgate. Digamos que seja “um sequestro virtual”.

ransomware-robinhood-virus-windows-servidor-rede-onion-pagamento-bitcoin-eua

Uma nova praga virtual, chamada de “RobinHood”, está espalhando o terror no Estado da Carolina do Norte, EUA. A maioria dos computadores da cidade foram infectados, ocasionando problemas na prefeitura de Greenville, cidade na qual o vírus sequestrou computadores e servidores.

A situação afetou de modo o cotidiano da cidade, como operações de pagamentos estão sendo feitas apenas com dinheiro “vivo”, e outros afazeres voltaram a ser executados com papel (estamos a mercê da dependência das máquinas, Skynet se aproxima! 😁😜😋).

O curioso que no site dos responsáveis pelo RobinHood, na rede onion, seus desenvolvedores alegam estar preocupados com a privacidade da vítima:

" Sua privacidade é importante para nós, todos os seus registros, incluindo o endereço IP e as chaves de criptografia, serão eliminados após o pagamento " (em bitcoins), diz o comunicado.

Outra “benfeitoria” do “RobinHood” é oferecer “gratuitamente”, a opção da vítima efetuar o upload de 3 arquivos infectados e criptografados de até 10MB, para depois baixá-los livres do vírus e descriptografados.

O FBI já está em andamento nas investigações atrás dos responsáveis, e a cidade de Greenville garante que em breve voltará a normalidade. 

Uma situação um tanto quanto curiosa essa, não? Então fique alerta e tenha cuidado com os arquivos que você anda baixando ou manuseia.

Não foi informado se a praga virtual tem a capacidade de infectar máquinas com Linux, ou se é algo que aproveita de alguma vulnerabilidade ou versão específica do Windows.

Continue essa discussão lá em nosso fórum Diolinux Plus. Você já tinha visto algo parecido? Fiquei surpreso com “a bondade” do RobinHood… “Só faltou roubar dos ricos e dar aos pobres”.  😂😂😂

Até o próximo post, SISTEMATICAMENTE! 😎

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Linux e a pirataria nos jogos

Nenhum comentário
Antes de tudo, não estou aqui para afirmar se filosoficamente ou moralmente a pirataria é algo errado ou correto, apenas que conforme as leis vigentes em nosso país (Brasil), a pirataria é crime. Então seguirei essa linha de raciocínio, e deixo expressamente que esse não é o posicionamento do blog Diolinux, sendo inteiramente de minha responsabilidade.

linux-pirataria-jogos-emuladores-steam-opnião

No último Diolinux Friday Show, na qual você pode ouvir em nosso podcast (“Android Apps no Linux Desktop e Linux Gaming chamando atenção”), em determinado momento, afirmei que não é incomum vermos no Brasil os usuários praticando pirataria em jogos, e com utilizadores de Windows frequentemente os jogos são piratas. Não me entenda mal, essa afirmativa não é uma lei absoluta que taxa os usuários como piratas em potencial, apenas o que observo, seja com conhecidos ou clientes.

Linux e seu efeito “incentivar projetos”


E os usuários do Linux, não praticam pirataria em jogos? Sendo direto, sim! (Falo num geral, como anteriormente, não estou dizendo que todo usuário é pirata, interpretação de texto por favor 😁😄😅). Todavia a situação é mais profunda, e curiosa que isso.

Ao que pude perceber dos usuários gamers Linux, mais e mais jogos originais são adquiridos e evitar crackear algo se torna uma “regra”. É curioso notar que a cada promoção Steam, por exemplo, mais jogos são adquiridos de forma legal, e nem sempre o jogador da cabo de todos, algo que também ocorre no mundo Windows, no entanto a prática de crackear softwares é algo bem comum.

Então usuários Linux não "crackeiam" jogos?


Pois bem, a pirataria existe, independente do sistema operacional, e mesmo muitos usuários tendo uma consciência e evitando a pirataria, em alguns casos ela ainda é um meio necessário.

Nossa! Então você está incentivando a pirataria? Não sejamos hipócritas. Quem nos dias atuais não pratica em algum momento a pirataria? Se você é um estudante, saiba que ao tirar xerox dos livros (os professores incentivam e fazem isso, criando apostilas por exemplo), isso é pirataria… Entre outros inúmeros casos, que você sabe que em determinado momento acaba praticando. Então sejamos mais complacentes, e realistas.

Os anti-cheats são um dos principais causadores da pirataria de jogos no Linux, por identificarem o Proton/Wine como uma trapaça, esse método acaba impedindo o jogo em distros Linux. Veja essa matéria, e entenda a fundo essa questão.

Por conta disso, os usuários acabam baixando uma versão crackeada do game para o Windows (que comumente vem sem o anti-cheat), instalando a versão pirata via Wine. Porém a situação seria evitada em grande parte, se esse problema não existisse, pois vários jogadores compram o game original e impossibilitados de jogá-lo de forma legal, adotam o método descrito acima.

Outras maneiras de pirataria de jogos existem no Linux, como jogos piratas distribuídos em Flatpak. Algo extremamente perigoso a segurança do sistema, então curiosos de plantão, cuidado!

E os emuladores?


Falar sobre emulação de jogos é algo delicado e deveras complicado, existem várias nuances e em alguns casos mesmo a fabricante do console ou game, afirmando que é crime, manter uma cópia digital como backup, não é. O “problema” começa quando você não possui o game, e mesmo jogando um título antigo, isso pode ser considerado pirataria. Como citei no início, não quero discutir se pirataria é algo errado ou certo, do ponto de vista filosófico ou moral, afinal tenho minhas convicções e creio que você tenha as suas, apenas quero demonstrar que ela está em nosso cotidiano, indiferente da plataforma ou sistema operacional.

Valorize o que você gosta!


Se existe algo que tento praticar, é valorizar quem ou as coisas que gosto, apoiar projetos é uma maneira de continuá-los e melhor ainda, proporcionar novidades.

Por isso se existe um game, canal no YouTube, programa ou projeto, incentive ele! Compre os jogos que você gosta, dê valor aos responsáveis pelo projeto e caso não tenha uma "graninha" sobrando, espere promoções, a Steam sempre traz ofertas tentadoras de jogos que custam mais de R$100,00 saindo na faixa dos R$20,00.

Essa é uma das formas que mais adquiri jogos via Steam, seja comprando em sites como a Nuuvem ou em promoções Steam, além de acompanhar canais no Telegram que periodicamente compartilham links de jogos em promoção, ou até mesmo de graça.

Faça parte de nossos canais no Telegram, e receba diversos tipos de conteúdos, como eventuais promoções de jogos.


Sei que o assunto é delicado, e que muita gente também possuía essa dúvida se existia pirataria no Linux. E mesmo que você seja contra ou a favor a essa prática, aposto que incentivar os projetos e jogos que você gosta é a melhor escolha, independente de seu ponto de vista, afinal sem contribuição é bem provável que o mesmo acabe, e quem será prejudicado é você.

Acesse nosso fórum Diolinux Plus, e continue essa discussão, lembrando que uma das regras de nosso fórum, é o não compartilhamento de conteúdos ou apologia a pirataria, afinal em terras tupiniquins tal prática é crime. Seja ponderado e dê sua opinião de forma eloquente, seu ponto de vista é bem vindo. Não incentive as pessoas a praticarem pirataria, não imponha seu ponto de vista e nem queira para si essa responsabilidade, deixe que cada um tire sua própria conclusão.

Ufa! O assunto de hoje foi tenso, não? (😁😋😁) Te espero até o próximo post, aqui no blog Diolinux, SISTEMATICAMENTE! 😎

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Você realmente precisa do Windows?

Nenhum comentário

quinta-feira, 14 de março de 2019

Algo que sempre ocorre, seja em cursos, grupos ou até mesmo em alguns casos em faculdades, é o Windows como único meio de uso, porém muitos usuários estão na plataforma da Microsoft por desconhecer alternativas, não me julgue mal, de forma alguma creio que o Windows é um “lixo” ou qualquer coisa do tipo, apenas que nem todo mundo precisa dele.


Já prevejo nos comentários vários usuários que não entendem que por indicar uma outra solução, não signifique que o Windows seja ruim, caso veja esse tipo de comentário simplesmente ignore, sua vida será mais feliz (😁😁😁), ressalvas feitas, vamos ao que interessa. 

O uso de sistemas operacionais para utilizadores comuns, praticamente é resumido em navegação na web, consumo de multimídia e criação de documentos, isso quando a pessoa utiliza alguma suite office, outro aspecto interessante, é cada vez mais a não dependência de aplicações Microsoft. 

É comum ver o VLC Player instalado para reproduzir os vídeos, navegadores como Google Chrome e Firefox, para navegação web, entre outras aplicações de terceiros no cotidiano de um user Windows, e destas ferramentas boa parte são encontradas no Linux ou macOS.

Eis um ponto importante, utilizamos na maior parte do tempo aplicações e o SO em si é “subutilizado”, ao trocar uma máquina com Windows e por uma distro Linux, estilo Kubuntu ou Linux Mint, verá que para uma pessoa não familiarizada com tecnologia, o sistema será irrelevante, no final das contas o que fará a diferença é um atalho do seu browser favorito. Faça o teste, é muito engraçado ver as reações, mostre uma distro com KDE e diga ser o novo Windows, depois dos inúmeros elogios (que certamente a pessoa dirá), revele a verdade, recomendo muito essa brincadeira. 😁😋😅

Nem todo usuário usa Photoshop!


Sejamos sinceros, quantas pessoas você conhece que utilizam Photoshop, After Effects, Premiere, AutoCad, Corel Draw, Vegas, e quaisquer outras ferramentas de uso profissional específico, mas que sempre estão em comparativos dizendo que Linux não é bom porque atualmente não as possui. Chega a ser hilário afirmar que por não possuir tais aplicações o Linux não serve para o usuário comum. A única “real barreira” que vejo, é a suíte office da Microsoft, todavia alternativas de visual parecido existem, e isso pode ser um facilitador ao migrar para uma nova solução.

Se você usa algum desses softwares, e não está disposto a migrar para alternativas ou quem sabe é impossibilitado, talvez o Linux não seja a melhor solução em seu caso, e não existe nada de errado em afirmar isso, o problema é achar que para ser um designer, editor, desenhista etc; O Photoshop é obrigatório, e soluções como Krita, Gimp não são para uso profissional, tal argumento é tão infundado que profissionais utilizam ferramentas livres para seus trabalhos, e para não ficar apenas em meras palavras, veja com seus próprios olhos um baita exemplo, “O Jedi do Gimp” Elias de Carvalho Silveira.


Um “gamer de verdade” só usa Windows!


Gosta de jogos? Eu adoro! Mas espera aí, sou usuário Linux, logo não posso jogar. Geralmente brinco com meus amigos, quando eles estão jogando algum game no Linux, e sempre solto a frase: “Mas Linux não tem jogos”, e conforme o mesmo argumento de “Linux não tem Photoshop, logo não é para usuário comum”, ocorre no lado gamer.

Jogos no sistema do pinguim não faltam, só de nativos Steam, são mais de 3 mil jogos e com o advento do Steam Play, outros 4100 dos 6957 testados até o momento, acrescentam a lista e o número só não é maior, pois os anti-cheats estão dificultando o funcionamento de alguns jogos, entretanto se no passado era fácil citar vários títulos indisponíveis no Linux, a realidade se tornou a oposta, e antes que alguns pensem: “Joguinhos de navegador qualquer um roda”, me diga se Devil May Cry 5, Warframe, Dragon Ball Fighter Z, PES 2019, GTA 5 e Overwatch são “joguinhos de navegador?”. 😁😁😁

Nos comparativos apenas a Steam é listada como a única forma de jogar no Linux, porém através do Lutris vários títulos da Origin, Uplay, Battlenet e Epic Store, funcionarão, além de emuladores de vídeo games, e mais ainda, confira 7 sites/lojas (além da Steam) para encontrar games para Linux.

Você pode acompanhar nossas lives na Twitch.tv, e ver o desempenho dos games no Linux, algo interessante e que muitos não sabem, é como otimizar e potencializar sua distro Linux para jogos, obtendo o máximo de proveito da plataforma. Os jogos tem um papel tão importante que estão mudando o Linux (no bom sentido, claro 😜).


Então Linux é para todos os tipos de jogadores? Depende, pode ser que algum jogo específico não esteja disponível, seja por “birra” do anti-cheat ou alguma incompatibilidade, é sempre bom conferir no site ProtonDB e ver quais jogos funcionam, e se não funcionar, neste caso o Linux não será a melhor escolha para ti, no entanto isso não desqualifica toda uma plataforma.

Seguir canais especializados em tutoriais voltados a jogos, é uma boa sacada, alguns exemplos com diversos tutoriais para Steam Play, Proton, Wine, Lutris, PlayOnLinux são: Tuxter Games, Livre Software, MADRUGUEDS, e em nosso canal Diolinux também existe muito conteúdo voltado à games.

Pensando no futuro, não apenas no agora


Uma boa prática que pode proporcionar maior liberdade para você, é dar preferência a softwares multiplataforma, que não dependa de um único sistema, os seus programas sempre estarão disponíveis. Anteriormente mencionei que as aplicações têm maior peso em nossas experiências, pensando no futuro, não serão mais necessárias grandes adaptações e não importando o sistema, seja Windows, macOS ou Linux.

Coloque numa balança, o quanto você realmente precisa do Windows, pratique essa ideia de priorizar programas disponíveis em ambas plataformas, vá migrando de aplicativos, caso esteja em dúvida, eis uma lista para iniciar tal mudança, garanto que não ser dependente de apenas um sistema operacional é algo libertador.

“Windows é ruim e o Linux perfeito”


“O Windows é um sistema todo bugado e o Linux perfeito em todos os aspectos”, infelizmente muitos pensam assim, outros julgam o Windows como “a perfeição em forma de sistema” e o Linux “algo inútil”, ambos estão tremendamente equivocados.

Bem como já falei aqui no blog, no post sobre o Windows 7 e o fim de seu suporte, o projeto Diolinux tem um compromisso com a veracidade dos fatos, e nenhum sistema é perfeito, e algumas situações podem fazê-lo desistir de migrar para Linux, e uma delas pode ser a ideia de grande parte da comunidade, que eventualmente tecem críticas ásperas, e nem sempre são baseadas em termos técnicos, ou que respeitam a escolha e liberdade do próximo.


Resumindo, para usuários de perfil comum que acessam o Facebook ou basicamente utilizam a internet, não precisam obrigatoriamente do Windows, já em outros casos, como abordei logo acima, sua utilização não é uma regra, usamos na maioria esmagadora do tempo as aplicações, como na brincadeira do “Windows KDE”, muitos usuários nem saberiam a diferença.

Ter um sistema que proporcione segurança, robustez e horas economizadas com desfragmentação ou preocupações com pragas virtuais, pode ser uma ótima escolha, e diversas pessoas estão dando uma chance ao Linux. Tenha em mente que a maneira mais inteligente é ter a disposição suas aplicações indiferente do sistema operacional, ao seu alcance em qualquer ocasião.

Reveja se existe algo que lhe prende em algum sistema, experimente ser livre, permita-se descobrir novas coisas, e aprender com os erros, abra a sua mente e promova coisas boas sem ofender ninguém impondo seu ponto de vista.

Espero que tenha ficado claro que existem opções, e que o Windows nem sempre é necessário, apenas fomos condicionados durante nossas vidas no mundo da informática.

E você, tem alguma aplicação que lhe impede de usar outro sistema? Sempre quando vejo esses comparativos, o Photoshop é citado de boca cheia, o engraçado que em todos esses anos trabalhando com manutenção de computadores, se instalei 5 vezes esse tipo de software para algum cliente, foi muito (😁😅😂), não estou dizendo que ninguém os utilizam, apenas que não é a regra.

Te espero no próximo post, sejam educados e complacentes com a opinião alheia, e não se esqueça de compartilhar as postagens do blog Diolinux, SISTEMATICAMENTE!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Mailspring um cliente de e-mail bonito e moderno

Nenhum comentário

terça-feira, 12 de março de 2019

Seja para trabalhos acadêmicos, profissionais ou até mesmo uso pessoal, ter um e-mail faz parte da nossa rotina, e a cada novo serviço ou aplicação que vamos utilizar, nos é solicitado uma conta de e-mail, e organizar todas as nossas “cartas eletrônicas”, nem sempre é uma tarefa fácil.

mailspring-cliente-email-snap-deb-linux-ubuntu-windows-macos

Mailspring é um software multiplataforma “misto”, possuindo sua interface gráfica escrita em TypeScript com Electron e React, e seu mecanismo de sincronização em C++, atualmente apenas sua GUI é de código aberto, entretanto em seu Github é declarado que num futuro, seu mecanismo de sincronização também será open source, portanto trata-se de um software até o momento proprietário. 

Caso note a interface familiar, isso ocorre pois o app é um fork do Nylas N1, outro gerenciador de emails, mantido por um de seus antigos desenvolvedores, na qual garante que o Mailspring é mais rápido, consome metade da RAM e CPU, pois sua base é em C++, ao contrário do Nylas N1, que compunha de um mecanismo de sincronização em JavaScritpt, também dispõe de um compositor totalmente renovado e diversos novos recursos.

Formatos de distribuição do Mailspring


Acesse o site oficial do Mailspring e efetue o download da versão referente ao seu sistema, no caso do Linux existem 3 formatos de pacotes disponíveis, em DEB, RPM e Snap.

mailspring-cliente-email-snap-deb-linux-ubuntu-windows-macos

Para distros baseadas no Fedora e OpenSuse você pode utilizar a opção em RPM, se for Debian, Ubuntu e Linux Mint, em DEB, entretanto recomendo fortemente a opção em Snap, por possuir como diferencial o auto-update, nos outros casos você terá que baixar e instalar novamente a cada nova versão do programa.

Outro aspecto interessante é poder selecionar os canais de software do Snap, e testar a aplicação em diferentes estados de desenvolvimento, experimentando possíveis novas funcionalidades.

Caso não tenha configurado o Snap em seu sistema, veja como proceder como o seguinte post, lembrando que no Ubuntu o Snap já vem habilitado por padrão, porém no Mint não.

Instalando o Mailspring Snap via terminal


Para amantes do terminal, depois de ter configurado o Snap em sua distro, utilize o seguinte comando:

sudo snap install mailspring

Como informei anteriormente, com o Snap você pode testar as outras versões do Mailspring, basta adicionar uma das seguintes flags: “--candidate”, “--beta”, “--edge”, por exemplo suponhamos que você queira testar a versão beta do app, no entanto esteja ciente que versões em desenvolvimento podem conter bugs.

sudo snap install mailspring --beta 

Para desinstalar via terminal é muito fácil.

sudo snap install mailspring

Instalando o Mailspring Snap via loja no Ubuntu

Na loja do Ubuntu você pode encontrar o Mailspring pesquisando por seu nome e instalando facilmente com apenas uns cliques.

mailspring-cliente-email-loja-snap-deb-linux-ubuntu

Mailspring um belíssimo cliente de email


Logo após instalar o programa, você verá uma janela de login, para utilização do Mailspring é necessário cadastrar-se no serviço, mas calma que não será preciso pagar, ao menos que você queira os benefícios da conta “PRO”.

Crie sua conta normalmente, logue-se no cliente e uma janela solicitando a conexão de uma conta de email aparecerá.

mailspring-cliente-email-snap-deb-configuração-linux-ubuntu-windows-macos

Para contas do Gmail, o programa disponibiliza uma URL, para integração com os serviços do Google, siga todo o passo-a-passo proposto pelo app, caso tenha eventuais dúvidas, confira o vídeo demonstrando um pouco das funcionalidades do Mailspring e sua instalação em DEB.


É bem simples e fácil configurar o Mailspring, antigamente sua interface era toda em inglês, em seu estado atual além da interface inteiramente traduzida em nosso língua, conta com corretor ortográfico, assinaturas personalizadas de email, temas para sua GUI, modos de visualização, integração com a tray do sistema e muito mais.

interface-cliente-email-mailspring-tema

E você utiliza algum cliente email? Confesso que em tempos e tempos mudo de aplicação, alternando entre o Thunderbird, Mailspring e o “Gmail Web”, e já me aventurei com o Geary, Evolution entre outros.

Comente logo abaixo sua forma favorita de gerenciar seus emails, ou se atualmente utiliza via navegador. 

Te espero no próximo post, aqui no blog Diolinux, SISTEMATICAMENTE! 😎
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo