Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo.

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens classificadas por relevância para a consulta Debian. Classificar por data Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens classificadas por relevância para a consulta Debian. Classificar por data Mostrar todas as postagens

Entrevistamos Chris Lamb, atual líder do projeto Debian

Nenhum comentário

sábado, 8 de julho de 2017

Atendendo aos pedidos de vocês na entrevista com Hualet Wang, líder do Deepin, vamos continuar falando com os líderes dos projetos e distribuições Linux mundo à fora. Hoje temos nada mais, nada menos, do que líder do projeto Debian, uma das maiores e mais importantes distribuições Linux da história, Chris Lamb, que aceitou o meu pedido e falou sobre coisas muito interessantes à respeito da distro lendária.

Chris Lamb




Temos o prazer de apresentar uma entrevista exclusiva do atual líder do Debian ao blog Diolinux, muitas perguntas foram inspiradas em questões levantadas pelos próprios usuários do Debian no Brasil, vamos ao bate-papo.

Diolinux: Qual o seu nome e qual a sua função dentro do projeto Debian?

Chris: Meu nome é Chris Lamb e eu sou o atual líder do projeto Debian (DPL) e também o atual representante oficial do Debian. Sou conhecido por "lamby" no IRC e @lolamby no Twitter.

O DPL (Debian Project Leader) tem duas funções principais, uma interna e outra externa.  A função externa é relativamente simples de entender, eu represento o Debian pelos outros integrantes, como nesta entrevista onde falo em nome do projeto. Isso também envolve dar palestras e fazer apresentações sobre o Debian em conferências, bem como criar relacionamentos com outras organizações e empresas.

Internamente o líder gerencia o projeto em si e define a sua visão sobre todas as questões em algum grau. O líder deve conversar com os outros desenvolvedores do Debian para ver como eles pode colaborar entre si, removendo qualquer bloqueio potencial para que isso aconteça, para que assim o Debian seja produzido. Umas das tarefas principais do líder do Debian envolve, portanto, a coordenação e comunicação. "Herding cats", como dizem.

Diolinux: Desde quando você atua nesta função?

Chris: Após um período de campanha e de votação de 6 semanas, fui eleito no dia 17 de abril deste ano.

Diolinux: O que fez você querer fazer parte da comunidade Debian?

Chris: Minha primeira experiência com o Debian foi um "acidente feliz". Eu tinha recebido um conjunto de CDs da Red Hat de um serviço chamado "The Linux Emporium", uma empresa do Reino Unido que enviava CDs de distribuições GNU/Linux como um serviço prestado antes de termos a internet mais rápida para fazer downloads. No entanto eu acabei descobrindo que eu não tinha os 12 MB de RAM necessários para executar o instalador do Red Hat. Irritado eu peguei um CD do Debian "Potato" que estava incluído no kit que eu havia recebido (livre de encargos) no meu pedido, uma versão que já está muito desatualizada atualmente, e assim eu conheci o Debian, que funcionou no meu computador.

Avançando alguns anos, minha primeira contribuição para a comunidade foi trivial (um patch para o software de edição musical chamado Lilypond). Eu era um colaborador entusiasmado do Debian e fui infectado pelo vírus da colaboratividade, o que me levou a contribuir mais e mais com outros pacotes, fazendo com que eu passasse de um simples estudante do Google Summer Code para um desenvolvedor oficial do Debian em 2008. Participei da minha primeira DebConf (conferência anual do Debian) em Edimburgo, na Escócia.

Diolinux: Como você definiria o projeto Debian para as pessoas que já usam Linux, mas não o Debian?

Chris: No momento em que escrevo este texto mais de 10% da internet é alimentada pelo Debian. Quantos sites você poderia hoje sem o Debian? Debian é o sistema operacional de escolha de vários projetos, é o prjeto de escolha da estação espacial internacional (ISS), de inúmeras universidades ao redor do mundo, empresas, órgãos governamentais, todos eles confiam no Debian para prestar seus serviços à milhões de usuários em todo o mundo e além dele (literalmente). O Debian é um grande sucesso.

Penso que seria adequado dizer que o Debian tem a reputação de ser uma distro Linux para especialistas, no entanto, isso é um pouco enganador e injusto também, enquanto existem muitas distribuições que estendem o Debian para melhorar a sua interface e interação com os usuários em várias direções (como Ubuntu, Mint, etc), o núcleo subjacente do Debian não deve ser temido.

Nossos esforços são geralmente focados em liberar uma versão estável do Debian a cada 18 meses (ou mais), entretanto, o Debian também mantém uma distribuição para testes (Debian Testing), que talvez possa ser melhor entendido como a "área de testes" para a próxima versão. Há também a versão "instável", que (apesar do nome enganador!) é completamente utilizável como um sistema do dia a dia. É semelhante as distros Rolling Release.

Diolinux: Todos sabemos que os principais objetivos do Debian são dois: Ter um sistema tão estável quanto possível e ser multiplataforma, incluindo o suporte a diferentes tipos de Kernel que não o Linux. Existe alguma outra meta ou objetivo do Debian que foge desta dualidade amplamente difundida? Existe alguma outra meta que você estão trabalhando para cumprir?

Chris: Você tem razão ao salientar que o Debian suporta também outros Kernels não-Linux, especificamente o kernel kfreebsd e você pode estar ciente também de que é possível ter também o (ainda muito experimental) kernel Hurd do projeto GNU.

A diversidade técnica do Debian se estende para além dos kernels, essa variedade significa que nós podemos disponibilizar o sistema para todo o tipo de equipamento, de pequenos dispositivos a grandes, notavelmente temos o Debian como base do Raspian, um dos principais sistemas operacionais para o Raspberry Pi, além de suportar sistemas gigantescos também, com mais de 100 GB de RAM, versatilidade realmente é um ponto forte do Debian.

Outro objetivo além da escalabilidade é oferecer uma múltipla gama de opções de desktop enviroments que você pode optar na hora da instalação, isso não requer que você baixe um sistema para cada uma delas, ou tenha que fazer uma mudança manual posterior (a menos que você queira, claro), tudo isso o Debian já te oferece.

Para todos que se importam com coisas como esta... é perfeitamente possível usar o Debian sem o systemd...  *g* 

Diolinux: Recentemente nós tivemos a informação de que houveram vários problemas e bugs nas ISOs live do Debian, o que é algo realmente incomum, aos poucos os problemas estão sendo solucionados, entretanto, observando as listas de e-mail do Debian nós podemos observar que a problema destas falhas estava muito relacionado a falta de testadores para estas ISOs. Eu gostaria de saber, como o público pode ajudar a debugar o Debian e fazê-lo melhor?

Chris: Claramente o problema com as ISOs live mostra que existem algumas lacunas no nosso processo de desenvolvimento, no entanto, a equipe está introduzindo novas métricas de desenvolvimento, tanto técnicas, quanto não-técnicas, para que isso não aconteça novamente.

Em termos de como a comunidade pode ajudar; testar novas versões betas das ISOS, dos instaladores, é algo que nós sempre apreciamos. Enquanto a atenção para o funcionamento do ambiente de usuário do Debian acaba recebendo muita atenção, eventualmente o instalador tem menos "globos oculares" sobre ele.

Diolinux: Você utiliza apenas Debian ou utiliza outras distribuições e sistemas operacionais? Qual o seu ponto de vista sobre sistemas proprietários?

Chris: Atualmente não uso apenas sistemas operacionais de software livre, mas todos rodam Debian!

Diolinux: Ouvindo os nossos leitores, alguns comentaram que não existe um forma de "fácil acesso" ao desenvolvedores do Debian, não existe um canal claro entre o Debian e o dito "usuário final", isso pode se dever ao fato de realmente isso não existir ou a pura falta de divulgação e informação destes meios. Qual é a melhor forma de se envolver com o projeto? Que tipo de profissionais e entusiastas podem fazer parte da comunidade de desenvolvedores do Debian?

Chris: Existem várias formas para o público começar a participar. Para usuários comuns, existe a página de "Welcome" da Wiki: https://wiki.debian.org/Welcome/Users

Para pessoas interessadas em contribuir a nível de código, basta dar uma olhada aqui: https://www.debian.org/devel/

Mas também é possível observar a nova página de "Guia para mantenedores": https://www.debian.org/doc/manuals/maint-guide/

Diolinux: Como você imagina que o Debian será daqui a 10 anos?

Chris: Primeiramente eu gostaria de me imaginar ainda como um contribuidor ativo do projeto Debian, não necessariamente líder, claro, acredito também que muitos dos desenvolvedores atuais do projeto continuarão nele neste período.

Em termos da "distribuição Debian", acredito que o projeto sempre teve uma tradição bem moldada pela demanda dos usuários e desenvolvedores, bem como pelos esforços gerais e padronização na comunidade de software livre.  Nunca há uma imposição "vinda de cima" em um projeto como o Debian, acredito inclusive que esta é uma das principais razões para as pessoas escolherem o Debian para começar.

Não há razão para pensar que seria algo muito diferente disso em uma década, porém, mudanças sempre podem acontecer e é muito difícil de prever.

Diolinux: Deixe uma mensagem final para os nossos leitores e fãs do Debian no Brasil.

Chris: Eu apenas gostaria de agradecer a todos pela leitura da entrevista.

Finalizando


Eu gostaria de aproveitar a oportunidade para agradecer ao Chris pelo tempo dispensado na entrevista, ela foi toda feita por e-mail em inglês, então eu tive que fazer a tradução e adaptar alguns sentenças, contudo, gostaria de deixar claro que uma das respostas do senhor Lamb acabou ficando um pouco ambígua para mim, pois apensar de entender o que ele disse, não consegui interpretar ela completamente, por isso vou colocar aqui a resposta em inglês da pergunta "Você utiliza apenas Debian ou utiliza outras distribuições e sistemas operacionais? Qual o seu ponto de vista sobre sistemas proprietários?":


"Currently, I not only exclusively use free software operating systems, they are all running Debian!"

Acho que poderia ser interpretado de diversas formas, você pode colocar como você entendeu a questão. No meu entendimento, a resposta pode dizer que ele não usa apenas Linux, mas Windows ou macOS também, mas que quando usa software livre é sempre Debian, ou que ele usa sempre Debian mas não apenas software livre. Se você tiver uma interpretação diferente, compartilhe nos comentários.

Edit: Troquei mais alguns e-mails com o Chris para entender melhor o que ele quis dizer. Ele me falou que quis dizer que "todos os seus computadores e servidores rodam Debian, ainda que não sejam 100% software livre", devido a drivers e programas proprietários que ele usa, ou seja, fica mais pela minha segunda interpretação.

Gostaria de informar que já entrei em contato com Daniel Foré, desenvolvedor do elementary OS, estou aguardando a resposta dele também, pois até o momento ele não respondeu meu e-mail, se vocês puderem importuná-lo no Twitter para que ele responda eu agradeço. 😅

Deixem também sugestões para entrevistas, prometo sempre fazer o possível para conseguir o contato com as pessoas indicadas.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.






Deixando o Debian redondo para usar no Desktop

3 comentários

terça-feira, 3 de julho de 2012



E ai galera, depois de muito tempo de estabilidade ( isto mesmo! ESTABILIDADE) no Ubuntu, estava até meio entediado ( nunca tem nada pra concertar por aqui!!!) tomei a decisão de instalar novamente o Debian no meu PC só por aventura mesmo, minha última experiência com o Debian ( papai do Ubuntu) tinha sido, como diria...  estranha talvez, sem maiores problemas com a instalação, tive problemas depois para instalar as coisas que queria, um usuário como eu acostumado com as mordomias do Ubuntu e sua trupe de derivados. Não que fosse complicado apenas era diferente. Então antes de mais anda resolvi procurar tutoriais sobre " o que fazer depois de instalar o Debian", eis que me deparo com um artigo muito bem escrito publicado no Blog Seja Livre do meu amigo Vinícius Vieira, do qual eu mesmo sou contribuinte, escrito por um outro colega chamado  George Gomes @dicasdebian.  Achei o artigo realmente bom, e por isso resolvi duplicá-lo aqui no Diolinux, se você pretende instalar o Debian esta é uma leitura recomentada, Segue:
Debian




"Artigo enviado por George Gomes @dicasdebian 
Olá a todos!
É um grande prazer estar criando este artigo e poder compartilhar minha experiência no mundo linux, em especial com o Debian.
Há muitos vídeos ou tutoriais ensinando como instalar o Debian, tanto em desktops quanto servidores, mas muito pouco dizendo o que fazer após a instalação. A seguir vou lhes mostrar tudoquase tudo o que você precisa para deixar o Debian versão 6.0.4 “Squeeze” i386 perfeito para seu desktop. Ao final do artigo colocarei alguns links adicionais.
Antes de qualquer nova instalação lembre sempre de realizar o backup dos seus arquivos.
1° Baixe o Debian 6.0.4 “Squeeze” http://www.debian.org/CD/http-ftp/#stable. Recomendo a ISO DVD de 4,4GB, que você pode deixar baixando da noite para o dia, se você tem uma boa conexão. Assim, após a instalação você se preocupará menos em instalar alguns programas básicos.
2º Depois de ter o Debian instalado e iniciado vamos adicionar os repositórios. Abra o sources.listcomo root utilizando o gedit: execute no terminal o superusuário (su) e digite a senha. Ainda com o terminal aberto digite gedit /etc/apt/sources.list .Copie e cole no arquivo aberto os repositórios abaixo:
#############################################################
################### OFFICIAL DEBIAN REPOS ###################
#############################################################
 ###### Debian Main Repos
deb http://ftp.br.debian.org/debian/ squeeze main contrib non-free
deb-src http://ftp.br.debian.org/debian/ squeeze main contrib non-free
###### Debian Update Repos
deb http://security.debian.org/ squeeze/updates main contrib non-free
deb http://ftp.br.debian.org/debian/ squeeze-proposed-updates main contrib non-free
deb-src http://security.debian.org/ squeeze/updates main contrib non-free
deb-src http://ftp.br.debian.org/debian/ squeeze-proposed-updates main contrib non-free
 ##############################################################
##################### UNOFFICIAL REPOS ######################
##############################################################
 ###### 3rd Party Binary Repos
 #### Debian Multimedia – http://www.debian-multimedia.org/
## Run this command: apt-get update && apt-get install debian-multimedia-keyring && apt-get update
deb http://www.debian-multimedia.org stable main non-free
 #### Wine – http://www.winehq.org/
## Run this command: wget -O – http://www.lamaresh.net/apt/key.gpg | apt-key add -
deb http://www.lamaresh.net/apt sid main
3° Salve e feche o sources.list
4º Com o terminal aberto digite os comandos como root para baixar as chaves públicas:
wget -O – http://www.lamaresh.net/apt/key.gpg | apt-key add – ouwget -O – http://www.lamaresh.net/apt/key.gpg && sudo apt-key add key.gpg aguarde o final do processoe em seguida digite apt-get update && apt-get install debian-multimedia-keyring && apt-get update
5º Atualize o sistema através do Gerenciador de Atualizações update-manager ou com o comandoapt-get dist-upgrade -y
6º Opcional: Reduza o tempo do GRUB executando no terminal, como root, o comando gedit /etc/default/grub e altere o valor/tempo relacionado em GRUB_TIMEOUT. Após alterado, salve e feche o arquivo e execute o comando para atualizar o GRUB gksu update-grub
7º Opcional: Desative o bloqueio de tela em Sistema – Preferências – Proteção de tela.
8º Instale os compactadores que não vêm por padrão no sistema: apt-get install rar unrar-free zip unzip
8º Habilite ou instale o sudo: Na versão CD o sudo não vem instalado, então rode o comandoaptitude install sudo ou se já estiver instalado habilite como root o comando echo ‘seuusuário ALL= NOPASSWD ALL’ >> /etc/sudoers
9º Opcional: Com o sudo ativado, vamos agora instalar o Wine: sudo apt-get update && sudo apt-get install wine. 
A versão utilizada no repositório é a 1.1.42, mas é suficiente para instalar um MS Office 2007, pra quem sente a necessidade. Agora instale o Winetricks como root
wget http://winetricks.org/winetricks
Agora, crie dois lançadores na área de trabalho ou edite os menus e adicione-os: um com nome “Winetricks” e comando sh winetricks e outro com o nome “Configurações do Wine” e comandowinecfg
10° Opcional: Remova o OpenOffice que vem por padrão com o comando sudo apt-get –purge remove openoffice* e instale a versão mais recente do LibreOffice.
11º Opcional: Instale o Chromium na Central de Programas ou via Synaptic.
12º Personalização: Hora de deixar o Debian bonito: quando você termina a instalação você se depara com um visual meio “Windows 95″ (que comparação né?!), mas isso não é problema. O Debian é personalizável.
    1. Primeiro, para suavizar as fontes digite o comando como usuário dpkg-reconfigure fontconfig-config e responda as perguntas com “Autohinder”, “Sempre” e “Não”. Aguarde e você notará uma leve diferença nas fontes na área de trabalho. Se o comando não for aplicado de imediato, então, reinicie o computador.
    2. Instale o pacote libgtk2.0-dev para que alguns temas adicionais sejam instalados com êxito e o pacote gtk2-engines-murrine.
    3. Visite o gnome-look.org e baixe os temas GTK2.x. Recomendo o tema Equinox e ícones Faenza ou Faience. Siga as instruções no site.
    4. Instale o cairo-dock na Central de Programas ou via Synaptic
    5. Baixe e instale a Ubuntu Font em font.ubuntu.com
Essa são pequenas ideias de como você pode personalizar seu sistema, mas você tem a liberdade de fazê-lo como quiser.
 Links adicionais:
Debian Sources List Generator:
 Configurando o sudo:
 Driver da Nvidia no Debian:
 Driver da ATI no Debian:
 Download do LibreOffice
 PDF – Como instalar e configurar o Debian:
 Gnome-look
Espero ter ajudado e contribuído compartilhando algumas experiências com meu primeiro artigo. Fique à vontade e opine!
 George Gomes, profissional de TI desde 2006. Atualmente como Administrador de Redes. Nas horas vagas pai dedicado, programador free pascal utilizando Lazarus, e instrutor."
Realmente muito bom o post, para ter mais dicas fiquei Ligado no Diolinux e no Seja Livre.
Fui!!

Instalação e configuração básica de um Debian 6 Squeeze para Desktops

Nenhum comentário

segunda-feira, 18 de junho de 2012


Início

Considerações iniciais: Cada parte da instalação necessita de configurações e ajustes diferentes. Bem como a escolha da iso correta.

Antes de baixar a iso, escolha o ambiente gráfico de sua preferência (Gnome, Kde ou Xfce), o seu modo de instalação (Cd / DVD ou netinst) e também a arquitetura do seu processador.

Sem mais delongas... Vamos começar!

Obtendo o Debian

Via imagem iso.

Para baixar a imagem iso do Debian, entre nesta página:

Existem basicamente dois tipos de imagens, as de CD ou DVD.

CD

Possuem formato mais enxuto, ideal para quem tem internet lenta. Porém, possuem menos pacotes disponíveis. E, portanto, na sua instalação faltará alguns pacotes importantes, como o Synaptic.

Para instalação com Gnome, baixe o cd debian-6.0.2.1-i386-CD-1.iso.

Faça o download do CD 2 também: debian-6.0.2.1-i386-CD-2.iso”

Para instalação com KDE, baixe o cd debian-6.0.2.1-i386-kde-CD -1.

Para instalação com Xfce ou Lxde, baixe o cd debian-6.0.2.1-i386-xfce+lxde-CD-1.iso.

NOTA: neste artigo optei por instalar a versão de arquitetura i386, se a sua for diferente, apenas escolha a correta. As instalações com Kde e Xfce só possuem 1 CD. Já na instalação do Gnome, o CD 1 é muito espartano.

Os pacotes do Cd 2 contém: Gconf, gimp, gksu, gnome-bluetooth, gnome-keyring, gnome-nettool, gst-plugins, gtk+2.0, dentre outros. Ou seja, é recomendável a sua utilização.

DVD

Um sistema praticamente completo. O único porém é o tamanho maior (4.4GB). Mas compensa pela simplicidade e praticidade, por conter praticamente todos os pacotes necessários à configuração básica.

NOTA: o Gnome será a interface gráfica padrão. Para instalar outras, deve-se fazer a escolha na tela de boot. Mais informações na próxima página do artigo.

Obs.: Se prefere baixar via torrent, o link é este:

Netinst

Como o próprio nome diz, é uma instalação via internet.

Você baixa um arquivo iso, contendo apenas os pacotes básicos para a instalação.

Os ambientes gráficos, seus programas e suas dependências, são baixados e instalados depois.

Esta é uma opção recomendável apenas para quem tem internet banda larga. E mesmo naqueles que possuem, a instalação é muito demorada (aqui com um plano de internet 1MB, demorou cerca de 2horas para baixar todos os pacotes).

Para baixar a iso do netinst, segue o link:

NOTA: Usando este método, no modo padrão; o ambiente instalado é o Gnome com a mesma configuração da versão com DVD. 

Início da instalação

Com a iso em mãos. Insira o CD / DVD no leitor e dê boot por ele.

Selecionando a interface gráfica

Se você está instalando via DVD ou Netinst, logo na tela de boot pode-se escolher qual interface gráfica se deseja instalar. Para isso, escolha "Advanced options":
Depois "Alternative desktop environments":
E por último, escolha qual interface gráfica se deseja instalar:

Começo da instalação

[1] Após a escolha de qual interface gráfica instalar, a primeira tela será:
Escolha a opção "Graphical Install".

NOTA: Em uma instalação Xfce/Lxde, na tela inicial escolha qual ambiente você deseja instalar: Xfce ou Lxde. Depois, selecione "Graphical install".

[2] Depois escolha o idioma da instalação:
[3] E a localidade:
[4] O teclado:
[5] Se você não possui acesso a internet, aparecerá a tela:
Apenas deixe em branco e continue.

[6] Defina o Hostname, ou o nome da sua máquina:
[7] Nesta opção deixe em branco:
NOTA: é o mesmo passo de número [5]. Só que aparece agora para quem tem acesso à internet.

[8] Defina a senha do root:
[9] Digite um nome para o seu usuário padrão:
[10] Escolha o login do usuário padrão do sistema (o administrador será chamado "root"):
[11] Digite uma senha para o usuário padrão:
[12] Escolha a sua localidade para o ajuste do relógio:

Particionamento

[13] Selecione Manual nesta tela:
[14] Nesta tela você pode visualizar as partições do disco rígido.

NOTA: Eu irei diminuir a partição /dev/sda3 e criar mais uma onde instalarei o Debian.
Para alterar uma partição, basta selecionar ela e clicar em "Continuar".

[15] Abrirá o configurador da partição. Como eu irei redimensionar ela, clique duas vezes em "Redimensionar a partição (atualmente 50.0 GB)".
[16] Defina o novo tamanho da partição. Como eu usarei 20 Gb para instalar o Debian, a partição deverá ser redimensionada de 50GB para 30GB:
[17] Agora vamos criar a partição onde o Debian vai ser instalado. Selecione a partição livre e clique em continuar:
[18] Crie uma nova partição;
[19] Especifique o tamanho dela. No meu caso usarei o padrão (todo o espaço):
[20] Escolha o tipo de partição. No meu caso usarei primária. Lembre-se de que só podem existir 4 partições primárias. Ou 3 primárias e uma estendida (com várias lógicas dentro):
[21] Esta tela serve para definir os parâmetros básicos da partição. Clique duas vezes em "Usar Como":
[22] Defina o sistema de arquivos utilizado. Eu costumo utilizar Ext4 com "Journaling":
[23] Certifique-se de que em "Ponto de montagem" esteja selecionada "/". Se não estiver, dê dois cliques e selecione "/ - o sistema de arquivos raiz". Dê também dois cliques em "Flag inicializável", para que fique "ligado":
ATENÇÃO: Marcar a partição como inicializável é de extrema importância. Do contrário, o seu Debian não irá dar boot! Por fim, selecione "finalizar a configuração da partição" e clique em continuar.

[24] Neste artigo usaremos também a partição /dev/sda2 como swap. Para isso, selecione-a e clique em continuar:
[25] Clique duas vezes em "Usar como:" e selecione "Área de troca (swap)". Por fim, selecione "Finalizar a configuração da partição":
[26] Com as configurações feitas, vamos aplicar as mudanças. Selecione "Finalizar o particionamento e escrever as mudanças no disco":
[27] Confirme marcando sim:

Instalando os pacotes

Espere até a instalação completa do sistema base...

[28] A próxima tela pergunta se você deseja ler outro Cd/DVD. Se você baixou mais de um CD/DVD, selecione sim.

Se não, selecione não e pule para o passo [32]:

NOTA: para quem está a instalar o sistema via netinst, este passo não aparece. Pule também para o passo [32].
[29] Se você selecionou sim na etapa anterior, insira o novo Cd/DVD, selecione "sim" e tecle continuar:
[30] Após a leitura, volta a tela novamente:
Se não houver mais Cds/DVDs selecione não. Se sim, repita o processo.

[31] Se você inseriu mais de um CD/DVD, agora ele pedirá para voltar para o primeiro CD/DVD. Insira e confirme:
[32] A próxima tela perguntará se você deseja utilizar um espelho de rede. Se você tem acesso à internet (de preferência banda larga) durante a instalação, é recomendável você escolher sim; já que ele irá baixar e instalar todos os pacotes importantes que faltam. Mas, lembre-se: selecionando esta opção fará com que a instalação demore muito mais, dependendo da velocidade da sua internet.

O que eu recomendo:

Utilize apenas se você baixou a versão com Kde e quer o mesmo completo, sem ter que ficar instalando programas após a instalação. Na versão com Xfce/Lxde, apenas se quiser o BrOffice completo, o Gimp... ou seja, programas úteis, mas que podem ser instalados mais tarde.

NOTA: quem está instalando o sistema via netinst, este passo (seleção do espelho) é obrigatório.

Se você baixou os dois primeiros Cds com Gnome ou o DVD, ou simplesmente quer uma instalação mais rápida, recomendo que você selecione não e pule para o passo [36]:
[33] Se você selecionou sim na etapa anterior, escolha a sua localidade:
[34] Selecione ainda, o espelho mais próximo:
[35] Preencha se você utiliza proxy HTTP. Se não utiliza, ou não sabe nem do que se trata, deixe em branco:
[36] A próxima tela pergunta se você quer enviar estatísticas / relatórios sobre os pacotes mais utilizados no seu sistema para os desenvolvedores. Selecione se quiser ajudar:
[37] A próxima tela pergunta quais gêneros de pacotes se deseja instalar. Como este é um artigo voltado à Desktops, mantenha selecionados apenas "Ambiente de trabalho gráfico", "Utilitários standard de sistema". Se estiver instalando em um notebook, marque também "Laptop":
[38] Se você selecionou mais de um CD/DVD, no meio da instalação ele pedirá para adicionar a segunda mídia. Insira no drive e confirme:
[39] Depois de um longo tempo (bota longo nisso! rsrs)... Se der uma mensagem de erro:
[40] Basta dar ok, e selecionar a etapa novamente:
Todos os pacotes que já foram baixados, serão reaproveitados... Dessa vez será mais rápido, rsrs.

Se der erro novamente, volte uma etapa antes: "Configurar o gerenciador de pacotes" e refaça os passos desde o [28]. Lembre-se de que os pacotes já baixados serão reaproveitados.

Durante um dos testes para a elaboração deste artigo, em uma instalação tive que refazer estes passos duas vezes, devido a um erro ao baixar os pacotes do espelho.

[41] Se você selecionou mais de uma mídia CD / DVD, vai aparecer a tela:
Insira novamente o CD/DVD número 1 e confirme para finalizar a instalação.

[42] Se tudo der certo, aparecerá a tela:
Marque sim e tecle enter para instalar o Grub 2 na Mbr.

Mesmo se você tiver outro sistema instalado, é recomendável utilizar o Grub do Debian como gerenciador padrão; ou seja, instalá-lo na MBR, para que gerencie o boot de ambos os sistemas.

[43] O relógio será configurado para UTC? Responda Não:
[44] FIM !!!
Nota inútil: Disquetes?!? O que que é isso? Rsrs 

Configurando os repositórios

Para ter uma ampla gama de pacotes disponíveis para instalação, é recomendável adicionar novos repositórios.

Para isso temos que editar o arquivo /etc/apt/sources.list, que é a lista dos repositórios utilizados por nosso sistema.

$ su
# nano /etc/apt/sources.list


NOTA: Apenas troque o nano pelo editor de sua preferência.

Segue o meu sources.list. Se quiserem utilizá-lo, substitua todo o conteúdo do seu por este:
# Sources .list Debian 6 Squeeze

## deb cdrom:[Debian GNU/Linux 6.0.1a _Squeeze_ - Official i386 DVD Binary-1 20110322-15:11]/ squeeze contrib main 

## deb cdrom:[Debian GNU/Linux 6.0.1a _Squeeze_ - Official i386 DVD Binary-1 20110322-15:11]/ squeeze contrib main 

## Debian 6.0 Squeeze/Stable. Contrib / contrib non-free
# repositório principal. Este é o mirror de SP.
# Se quiser outros,acesse: http://ftp.br.debian.org/debian/README.mirrors.html
deb http://download.unesp.br/linux/debian/ squeeze main contrib non-free

## Debian 6.0 Squeeze/Stable 'Updates'.
# atualizações de segurança
deb http://security.debian.org/ squeeze/updates main contrib non-free

## Debian 6.0 Squeeze/Stable 'Proposed Updates'. 
# atualizações são fornecidas aqui, antes do repositório de atualizações de segurança,
# uma espécie de repositório de atualizações em fase Beta. 
# deb http://download.unesp.br/linux/debian/ squeeze-proposed-updates main contrib non-free 

## Debian 6.0 Squeeze/Stable 'Backports'. 
# Fornece alguns pacotes mais recentes do que os encontrados no principal.
deb http://backports.debian.org/debian-backports squeeze-backports main contrib non-free

## Debian 6.0 Squeeze/Stable 'Multimedia'. 
# repositório multimídia
deb http://www.debian-multimedia.org squeeze main non-free

# Outros Repositórios e PPA's ####################

## Debian Wheezy/Testing 7.0. 
## Contém pacotes instáveis e de testes.
# deb http://mirrors.geeks.org/debian/ wheezy main contrib non-free 
# deb http://security.debian.org/ wheezy/updates main contrib non-free 
# deb http://www.debian-multimedia.org wheezy main non-free 

## Wine. 
deb http://www.lamaresh.net/apt squeeze main

## Firefox ppa 
deb http://ppa.launchpad.net/mozillateam/firefox-stable/ubuntu lucid main

## Opera. 
deb http://deb.opera.com/opera/ squeeze non-free

## Oracle VM VirtualBox. 
deb http://download.virtualbox.org/virtualbox/debian squeeze contrib

## Gstyle GTK Themes. 
deb http://ppa.launchpad.net/s-lagui/ppa/ubuntu lucid main

## Crebs ppa 
deb http://ppa.launchpad.net/crebs/ppa/ubuntu lucid main

## JDownloader ppa 
deb http://ppa.launchpad.net/jd-team/jdownloader/ubuntu natty main

## Skype 
deb http://download.skype.com/linux/repos/debian/ stable non-free

## Clamav ppa 
deb http://ppa.launchpad.net/ubuntu-clamav/ppa/ubuntu lucid main

## Conky ppa 
deb http://ppa.launchpad.net/conky-companions/ppa/ubuntu lucid main

## Google Chrome
deb http://dl.google.com/linux/chrome/deb/ stable main

Depois de editado o seu sources.list, rode o update:

# apt-get update

NOTA: Aparecerão vários erros. São as chaves dos repositórios que não foram importadas. Adicione as chaves para a autenticação de cada um dos seguintes repositórios:

Debian stable (provavelmente ele já estará instalado. Mas por via das dúvidas):

# apt-get install debian-archive-keyring debian-keyring 

Debian Backports:

# gpg --keyserver hkp://subkeys.pgp.net --recv-keys 16BA136C && gpg --export 16BA136C | apt-key add - 

Debian Multimedia:

# gpg --keyserver hkp://subkeys.pgp.net --recv-keys 1F41B907 && gpg --export 1F41B907 | apt-key add - 

Wine:

# wget http://www.lamaresh.net/apt/key.gpg && apt-key add key.gpg

Firefox:

# apt-key adv --recv-keys --keyserver keyserver.ubuntu.com --recv-keys CE49EC21 

Opera:

# wget -O - http://deb.opera.com/archive.key | apt-key add - 

VirtualBox:

# gpg --keyserver hkp://subkeys.pgp.net --recv-keys 98AB5139 && gpg --export 98AB5139 | apt-key add -

Gstyle:

# apt-key adv --recv-keys --keyserver keyserver.ubuntu.com --recv-keys C3BB95BB 

Crebs:

# apt-key adv --recv-keys --keyserver keyserver.ubuntu.com --recv-keys EF0A4C44

Jdownloader:

# apt-key adv --recv-keys --keyserver keyserver.ubuntu.com --recv-keys 6A68F637

Skype:

# apt-key adv --keyserver pgp.mit.edu --recv-keys 0xd66b746E

Clamav:

# apt-key adv --recv-keys --keyserver keyserver.ubuntu.com --recv-keys 5ADC2037

Conky:

# apt-key adv --recv-keys --keyserver keyserver.ubuntu.com --recv-keys 9BF2D8AB

Google Chrome:

# apt-key adv --recv-keys --keyserver keyserver.ubuntu.com --recv-keys 7FAC5991

Depois de baixadas as chaves, rode o update novamente para atualizar os repositórios (agora não aparecerão mais erros):

# apt-get update 

Dicas e configurações

Programas básicos faltantes:

Synaptic:

# apt-get install synaptic

O Synaptic só vem instalado por padrão na instalação via DVD ou Netinst... em outras formas (CDs), instale manualmente.

Se você instalou a versão com Kde ou o Gnome (através dos Cds), sem utilizar os espelhos durante a instalação; falta o gerenciador de redes.

Para habilitar a rede manualmente, via terminal, com DHCP:

# dhclient eth0

Sendo eth0 a sua interface de rede.

Depois de ativada a internet, basta instalar o gerenciador de redes:

Network manager Kde:

# apt-get install network-manager-kde

Network manager Gnome:

# apt-get install network-manager 

NOTA:
  • Se você instalou o DVD com Gnome, ou pelo Netinst, todos os programas básicos já estão disponíveis.
  • Eu optei apenas por listar os programas mais necessários. Pois em uma instalação com CD, sem o uso de espelhos, falta muitos outros programas (principalmente na versão com Kde).

Adicionando PPA's no Debian:

O Debian não possui o comando "apt-add-repository ppa: nome_do_ppa" como o Ubuntu. Para ativar esse comando , tornando prático a adição de repositórios; siga esta dica: Como adicionar PPA's no Debian

Habilitando suporte a ReiserFS:

Por padrão, o Debian não reconhece partições com sistemas de arquivos ReiserFS. Se você tiver alguma outra distro que utiliza este sistema, o Grub não vai reconhecer as entradas. Para corrigir isso, instale o seguinte pacote e suas dependências:

# apt-get install reiserfsprogs

Deixando o Kde em português:

Se você instalou o Kde sem usar os espelhos durante a instalação, o Kde virá em inglês. Para deixar ele em português, siga esta dica do arthasKDE de inglês para português no Debian

Instalando Firefox:

Se você utilizou o sources.list deste artigo, basta rodar:

# apt-get purge iceweasel

Para remover o fork do Firefox do Debian:

# apt-get install firefox

Para instalar o Firefox (durante a criação deste artigo, ele está na versão 6.0.2).

Instalando Google-Chrome:

Com o repositório do mesmo já incluso no Sources.list deste artigo, basta rodar.

Para a versão instável:

# apt-get install google-chrome-unstable 

Para a versão beta:

# apt-get install google-chrome-beta

Para a versão estável (recomendável):

# apt-get install google-chrome-stable 

Instalando plugin flash da Adobe:

# apt-get install flashplugin-nonfree

Instalando codecs multimídia:

Siga esta dica do Eliab Venancio: Instalando codecs e players não-livres no Debian GNU/Linux

NOTA: O repositório multimidia já está incluso no sources.list deste artigo.

Instalando Java:

Siga a dica do guto76Instalando Sun-Java no Debian Squeeze

O repositório "non-free" já está incluso no sources.list deste artigo.

Instalando compactadores:

Para descompactar arquivos mais comuns (rar e zip), instale os pacotes:

# apt-get install unrar zip 

E uma interface gráfica para descompactar:

Gnome:

# apt-get install file-roller

Kde:

# apt-get install ark

Xfce/Lxde:

# apt-get install xarchive

Adicionar a opção "Abrir terminal aqui" no menu de contexto do Nautilus:

# apt-get install nautilus-open-terminal

Editar Grub:

Para gerenciar o boot do Grub, editando entradas etc, siga esta minha dica: Como editar, renomear entradas e inserir uma imagem de fundo no Grub 2 com o Grub Customizer

O repositório do mesmo já está listado no sources.list deste artigo. Então, para instalar, basta rodar:

# apt-get install grub-customizer

Temas e ícones:

Se você gosta de personalizar o visual do Gnome, utilize o gerenciador de temas Gstyle. Para instalar, siga esta dica do edpsGstyle, gerenciador de temas para Ubuntu, Debian e derivados 

O repositório do Gstyle já está incluído no sources.list deste artigo.

Criar wallpapers com sequência de imagens no Gnome.

Dê uma olhada no artigo do M¢Nd²: Deixando a Área de Trabalho animada com slides no GNOME

E na dica do guigomendonca: Slideshow de wallpapers em sua desktop com Crebs

Eu utilizo o Crebs. Sendo assim, o repositório do mesmo já está incluso no sources.list deste artigo.

Criando arquivo xorg.conf:

O Debian não vem com um arquivo /etc/X11/xorg.conf. Este arquivo é responsável por alguns parâmetros do ambiente gráfico X, tais como resolução, teclado, driver de vídeo etc. E é recomendável a sua utilização.

Para criar um arquivo xorg.conf, digite no terminal:

$ su
# init 1


Este comando vai encerrar o X, retornando uma tela preta. Nesta tela, digite a senha do root para entrar em um terminal, e rode o comando:

# Xorg -configure
# mv xorg.conf.new /etc/X11/xorg.conf


O primeiro cria um arquivo "xorg.conf.new", já o segundo move este arquivo para /etc/X11, renomeando-o para "xorg.conf".

# reboot 

Para reiniciar.

Desativar o recurso que desliga o monitor depois de 10min ocioso no Gnome:

Este é um probleminha chato. Sempre quando se está com o computador ocioso, ou assistindo um filme, depois de 10 min o Gnome automaticamente desliga o monitor.

Para resolver isso, desabilite o screensaver e edite também o xorg.conf gerado na dica anterior, digitando:

# nano /etc/X11/xorg.conf

Insira as seguintes linhas abaixo da sessão "ServerLayout":
Section "ServerFlags"
   Option "BlankTime" "0"
   Option "StandbyTime" "0"
   Option "SuspendTime" "0"
   Option "OffTime" "0"
EndSection

O arquivo xorg.conf, vai começar mais ou menos assim:
Section "ServerLayout"
        Identifier     "X.org Configured"
        Screen      0  "Screen0" 0 0
        InputDevice    "Mouse0" "CorePointer"
        InputDevice    "Keyboard0" "CoreKeyboard"
EndSection

Section "ServerFlags"
   Option "BlankTime" "0"
   Option "StandbyTime" "0"
   Option "SuspendTime" "0"
   Option "OffTime" "0"
EndSection

Section "Files"
(...)

Mais dicas poderão ser encontradas no artigo do wagneremmanoel: Utilizando o Debian Squeeze em Desktop 

Notas finais

Sobre o Gnome:
Para quem gosta do Gnome, tem três opções de instalação:
  • CD 1 e CD 2: Fazendo uso de ambos durante a instalação, você tem um ambiente praticamente completo.
  • DVD: A melhor opção para iniciantes. Mesmo para aqueles que preferem o Kde, é possível escolher qual interface gráfica instalar durante o boot do DVD.
  • Netinst: A mais demorada. Pois baixa e instala todos os pacotes durante a instalação. Contém praticamente os mesmos pacotes da versão DVD.

Kde:
Para quem gosta do Kde, utilize o Cd com o uso dos espelhos durante a instalação. Pois como este é um Desktop grande demais para caber em um só CD, ficam faltando vários pacotes padrão do Kde, como o Amarok, K3b etc. Para quem não quer dor de cabeça, recomendo que utilize o DVD selecionando o Kde como interface gráfica.

Xfce:
Já para quem prefere o Xfce. Este é um dos mais versáteis e enxutos ambientes gráficos. Em um único CD (dividido com os pacotes do Lxde), já possui boa parte dos programas mais comuns instalados. Desde gravadores de Cds até reprodutores multimídia (vem com o VLC já instalado por padrão).

Lxde:
Para os mais minimalistas, há o Lxde. Este vem junto com o Cd do Xfce, sendo que na primeira tela da instalação, é possível optar por instalar este ambiente gráfico ou o Xfce. A instalação básica já contém os pacotes principais para a configuração do sistema.

Bom, vou ficando por aqui...

Espero que este artigo tenha sido útil, principalmente para quem está iniciando em GNU/Linux e quer testar esta incrível distro que é o Debian.

Obrigado a todos que tiveram a paciência de ler este artigo até aqui.  Fui-me.

Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo