Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens classificadas por relevância para a consulta DXVK. Classificar por data Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens classificadas por relevância para a consulta DXVK. Classificar por data Mostrar todas as postagens

DXVK 1.0.3 é lançado enquanto o DXVK 1.1 recebe correções

Nenhum comentário

terça-feira, 16 de abril de 2019

DXVK é uma ferramenta fantástica que chegou ao mundo Linux, mais precisamente para o mundo dos games, onde possibilitou a “jogatina”  de alguns “milhares” de jogos que antes não poderiam ser executados, somente com o WINE. Agora conta com mais melhorias implementadas nesta versão.


 DXVK 1.0.3 é lançado enquanto o DXVK 1.1 recebe correções





Com o crescimento da compatibilidade de mais e mais jogos, a evolução do DXVK também vem crescendo e surpreendendo. Quem poderia imaginar que até o ano passado (2018), o projeto era somente um “hobby” e que poderia ajudar na “migração” de jogos para Linux em um “piscar de olhos”, realmente incrível.

Para essa versão, a 1.0.3, foram acrescentadas as seguintes melhorias e correções:

- DLLs do DXVK agora incluem informações sobre a versão, que alguns jogos podem usar;

- Corrigido o problema em que os shaders de geometria de hashing com metadados de saída de fluxo retornavam resultados indefinidos. Isso pode levar a que os arquivos de cache de estado cresçam indefinidamente;

- Corrigido o problema em que dados indefinidos seriam passados ​​para o driver para constantes de especialização não utilizadas durante a compilação de pipelines. Isso pode ter causado falhas inesperadas no cache do shader;

- Surface loss agora tem uma manipulação bem mais harmoniosa;
- Game Anno 1800 : Corrigido grave problema de desempenho, habilitado com a opção d3d11.allowMapFlagNoWait;

- Games como Dark Souls Remastered e Grim Dawn : Adicionado uma solução alternativa para corrigir problemas de renderização em GPUs da Nvidia;

- Star Citizen : Corregido o shader de geometría inválida, causando o travamento da GPU e falhas no driver;

Mas, e o DXVK 1.1…?


Então, ele foi até lançado mas depois foram relatados vários bugs e travamentos, que o desenvolvedor principal, Philip Rebohle, resolveu tirar ele do ar para arrumar essas pendências e soltar a seguinte nota junto com a versão 1.0.3:

“O lançamento foi levado de volta porque estava causando crashes nos jogos e a GPU travando para alguns usuários. Se você tiver um ambiente de compilação configurado, teste a última ramificação master com o maior número de jogos possível para ajudar a encontrar e solucionar problemas encontrados.”

Se você quiser baixar diretamente o DXVK e implementar manualmente ele ou conferir mais a fundo o código fonte dele, basta acessar seu GitHub oficial.

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá  no nosso fórum.

Espero você até a próxima, um forte abraço.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Evoluções dos projetos DXVK, PROTON e WINE depois do apoio da Valve

Nenhum comentário

terça-feira, 16 de outubro de 2018

Desde o anúncio da Valve com a implementação do Proton, uma parceria feita com a CodeWeavers, várias melhorias vem acontecendo em outros projetos como o DXVK, WINE e o próprio VULKAN.

Evoluções dos projetos DXVK, PROTON e WINE depois do apoio da Valve






No começo do ano de 2018 fomos apresentados ao projeto DXVK, que a princípio faria uma camada de conversão entre a API DirectX 11 para o VULKAN, assim possibilitando que alguns jogos pudessem rodar no Linux, como por exemplo o  GTA V. E até meados de Julho o seu progresso era muito bom e vinha trazendo várias melhorias e correções de bugs que essa implementação acarreta.

Na mesma linha víamos o projeto VULKAN, API gráfica que concorre com a API da Microsoft, ganhando mais linhas de código, melhorias e correções de bugs que vinham melhorando a performance dos jogos que utilizam a API de forma nativa ou através do DXVK.

A outra ferramenta que veio ganhando melhorias aceleradas foi o projeto WINE (Wine is not an emulator), que até 2018, tinha implementações sendo “soltas” de forma pragmática e conservadora, sempre apostando no “jogo seguro” para não cometer erros.

Mas tudo isso mudou de forma rápida e positiva em meados de Julho, quando a Valve fez o anúncio bombástico do projeto Proton, que resumidamente, faria com que jogos feitos somente para Windows rodarem no Linux.

Com o anúncio do projeto Proton todos estes projetos cresceram de forma acelerada surpreendendo a cada lançamento. 

Primeiro foi o projeto VULKAN, que dá uma base sólida para todo o projeto Proton, que vem ganhando a cada lançamento mais e mais melhorias e implementações em seu código, chegando na versão 1.1 e marcando presença nas principais Engines do mercado como a CryEngine, idTech, Unity, Source e Unreal Engine. Com isso, as desenvolvedoras de jogos que optarem por usar VULKAN vão poder portar os seus jogos de forma “suave” para Linux e sem maiores transtornos, mesmo usando o projeto Proton.

Já o segundo que veio ganhando um aprimoramento acelerado foi o DXVK. Se no começo do ano ele dependia de uma equipe reduzida, hoje eles contam com o apoio da gigante da indústria dos Games,  Valve. Quando a Valve anunciou a sua ferramenta de compatibilidade, comentou que já vinha dando apoio para o pessoal do DXVK. Por isso que muitos da comunidade Linux viram o rápido crescimento do projeto. A última versão dele já tem suporte para DX10 e DX11, além de terem iniciado os testes para poder incorporar o DX9 ao projeto DXVK.

Por último e não menos importante, temos o WINE, o nosso “velho guerreiro” que sempre nos ajudou a rodar vários jogos e programas no passado e hoje tem um papel fundamental nessa nova era dos games no Linux. Ele tem papel fundamental pois a CodeWeavers (empresa por trás da versão comercial do Wine, o CrossOver) fechou parceria com a Valve e acelerou a versão do WINE para a Steam , e o projeto original que podemos usar gratuitamente vem se beneficiando diretamente por isso, visto que ultimamente tem saído várias versões do WINE e com um monte de melhorias vindo dos reports da Steam, fora os que a comunidade já reporta no site e fóruns do próprio WINE.

Para usar o VULKAN você vai precisar dos drivers mais recentes para a sua GPU, sendo Intel, AMD e NVIDIA.

Para AMD e Intel você precisa usar o Mesa Driver 18.1 ou posterior. Já para NVIDIA você vai precisar usar o Driver Proprietário nas versões mais recentes, as versões Beta. Até o momento está na versão 396.54.09 ou o 410.57.

Para saber mais sobre o projeto VULKAN, basta acessar o site deles. Para acompanhar o projeto DXVK, é só acompanhar eles no GitHub.

É muito legal ver essa evolução das ferramentas que venham a possibilitar os jogos para Linux e trazendo mais opções para os consumidores. Como falei em um Diolinux Friday Show, creio que a próxima a aderir ao projeto Proton é a Battlenet, dona do Overwatch, World of Warcraft e Diablo pois o catálogo dela é pequeno e mais fácil de administrar.

Mas agora conte aí nos comentários, o que você espera dessa evolução do projeto Proton e tudo aquilo que ele “Puxa” junto.

Um forte abraço e até a próxima.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Lançada versão 1.0 do DxVK

Nenhum comentário

terça-feira, 26 de fevereiro de 2019

É pessoal, nem parece que foi no dia 13 de Janeiro de 2018 que o dev alemão, Philip Rebohle, mais conhecido por “doitsujin” na internet, começou um projeto que está transformando a indústria de games para o Linux. Hoje temos o Proton da Valve que se beneficia dele, além do pessoal do Lutris.


 DxVK chega 1.0 é lançado!






No começo do ano passado, começou a “pipocar” no YouTube vídeos mostrando alguns gamers conseguindo rodar jogos, que a princípio só rodavam no Windows, mostrando os mesmo rodando no Linux com algum desempenho satisfatório, como GTA V e The Witcher 3.

Depois que esses vídeos se popularizaram, começou uma verdadeira “corrida pelo ouro” para saber quais jogos estavam rodando com essa nova implementação via DLLs. E o resultado foi surpreendente, até os jogos que tem os “famosos” anticheats, que já fizemos uma matéria muito completa e legal sobre, rodaram por um tempo até serem “pegos”.

A evolução do projeto nos meses seguintes foi muito grande e rápida, pois a cada versão lançada, mais e mais recursos implementados, bugs corrigidos e melhorias no código eram feitas. Até que a Valve anunciou que estava financiando e dando suporte ao projeto, e como falei em um vídeo, isso foi o “Dia D” dos jogos no Linux. Aqui mesmo no blog nós produzimos um artigo super especial e um vídeo super completinho falando sobre. Vale a pena conferir.

Mas, agora depois de 1 ano de projeto “no ar”, ele chega na tão aguardada versão 1.0, com muito amadurecimento do código e várias implementações do Vulkan para ajudar na renderização dos jogos, algumas novidades da versão 1.0 são:

Melhorias


● Adicionado a opção DXVK_HUD=api para mostrar o nível de recurso do D3D usado pelo aplicativo. Ainda não funciona corretamente para o D3D10 no momento.

●  Pequenas melhorias de desempenho no RADV, gerando melhoria no shader code.

● Se disponível, as extensões VK_EXT_memory_priority e VK_EXT_memory_budget agoraserão usadas para melhorar o comportamento de compressão da memória e reportar a VRAM disponível para aplicativos com mais precisão, respectivamente.

Correções de Bugs


● Corrigidos vários pequenos problemas em que certos recursos eram exigidos dos dispositivos onde o Vulkan não estava atuando.
● Corrigido problemas com shaders inválidos do SPIR-V, que faziam os jogos feitos na Unreal Engine 4 ficassem amarelos com drivers proprietário da AMD.

●  Corrigido problemas de renderização do Fay Cry Primal, que ocorreria em alguns sistemas.

Para visualizar todos as implementações  com mais detalhes técnicos, você pode acessar o GitHub do DXVK.

Podemos deixar uma menção aqui, do trabalho do dev da CodeWeavers, Ethan Lee,  com o FAudio que tem relação com os áudios dos jogos e agora faz com que vários games que tinha “flicks” de áudio rodem sem esses problemas.

Espero você no próximo post, forte abraço.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Valve negocia com empresas de anticheat e pode abrir mais portas para os jogos no Linux

Nenhum comentário

quarta-feira, 15 de maio de 2019

Uma das coisas que impedem uma certa migração em “massa” para o Linux, é a questão dos jogos. Jogos populares como Fortnite, PUGB, Raibow Six entre outros ainda não funcionam por causa dos anti-cheats, como o EAC (Easy Anti Cheat) e o BattlEye.



Valve negocia com empresas de anticheat e pode abrir mais portas para os jogos no Linux





O assunto “Jogos + Linux” sempre rendeu intermináveis debates, mas depois do surgimento do projeto PROTON da Valve, onde abriu a possibilidade de jogar games desenvolvidos só para Windows no Linux, por exemplo alguns games como o OverWatch (que fazemos lives lá na Twitch), League of Legends (LOL), World of Warcraf (WoW), Warframe, The Witcher 3, GTA V, Sekiro: Shadows Die Twice e entre outros. 

Isso só foi possível graças ao pessoal do  DXVK, do Wine, da CodeWeaver, do Vulkan (Khronos) e da Valve também, que viu a possibilidade de uma nova tecnologia para os jogos da sua vasta biblioteca ( mais ou menos 30 mil títulos).

Mesmo com todos esses esforços, ainda tinha algumas coisas a serem resolvidas, como os jogos onlines e os seus anticheats.

Os mais populares jogos online, usam os anticheats EAC (Easy Anti Cheat) e o BattlEye, o que barra alguns jogos não-nativos, como os já mencionados Fortnite, PUGB, Raibow Six (R6), que “olham” o Wine/Proton como um meio de trapaça. Tanto que no começo do DXVK, Proton e afins, alguns jogos até chegaram a funcionar, mas depois de alguns updates, estão até hoje bloqueados.

Mas isso pode mudar..


No começo do ano, mais precisamente em Fevereiro, o pessoal do GaminOnLinux tentou contato com o pessoal do EAC, sobre a possível parceria com a Valve para trazer o anticheat para o SteamPlay. Eles não tiveram sucesso na resposta, como podem ver no artigo deles, mas um usuário do Reddit fez uma pergunta muito parecida e obteve a seguinte resposta:


“Agradecemos o seu contato!

Enquanto ao Easy Anti-Cheat, ele já suporta jos ogos nativos do Linux, infelizmente ainda não é compatível com o Steam Play. Estamos atualmente trabalhando com a Valve para trazer o suporte para o Steam Play também. No entanto, neste momento não podemos prometer uma data de lançamento.

Nossas desculpas pelo inconveniente. Apesar dos problemas, espero que você tenha um ótimo dia!”

Só isso já seria uma notícia muito boa, tendo em vista que um dos anticheats mais usado no mercado, já se “move” para a compatibilização com o SteamPlay/Wine/Proton.

Ainda teve meio que uma “confirmação” disso, quando no meio da polêmica se o EAC ia parar de funcionar ou não no Linux, um usuário do Twitter perguntou para a conta da Epic Games pq não tinha uma compatibilidade do EAC para o Wine. Então eis que a conta da própria EAC (que foi comprada pela Epic Games) respondeu.

“WINE/EAC a compatibilidade atualmente está em um estado beta, com vários jogos cuja a ajuda apreciamos, mas é necessário um trabalho significativamente maior para chegar a um nível adequadamente estável para todos.” 

Então podem esperar muito em breve, jogos como Fortnite rodando no Linux através do Wine por exemplo.

Outra empresa que trabalha com sistemas anticheats, a BattlEye, deu uma boa notícia também. O pessoal do GamingOnLinux  novamente entrou em contato com a BattlEye, perguntando se ainda mantinham o posicionamento de darem suporte somente a jogos nativos de Linux. E para a surpresa de todos, eles estão mudando de “pensamento”, e a resposta ao GamingOnLinux foi a seguinte:




“Atualmente nós não temos oficialmente suporte ao Wine, mas estamos trabalhando com a Valve para adicionar suporte ao Proton (SteamPlay) na Steam."

Se isso realmente acontecer galera, veremos novos tempos acontecendo para os “lados do Pinguim”. Pois jogos do momento e que são “febre” poderão rodar no Linux e assim atrair mais usuários para a plataforma e consequentemente aumentando a relevância dela frente às empresas.

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá  no nosso fórum.

Espero você até a próxima, um forte abraço.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


[RUMOR] Valve estaria desenvolvendo ferramenta para compatibilizar jogos do Windows no Linux

Nenhum comentário

sexta-feira, 17 de agosto de 2018

Um grande rumor tomou conta da comunidade Linux nas últimas horas. Segundo o pessoal do site “Gaming on Linux”, a Valve estaria desenvolvendo uma ferramenta para compatibilizar os jogos de Windows disponibilizados em sua biblioteca para Linux, algo parecido com o que é hoje utilizado, com o Wine e com o DxVk.


[RUMOR] Valve estaria desenvolvendo ferramenta para compatibilizar jogos do Windows no Linux




Segundo a apuração do site, temos no Reddit informações sobre os novos dados no Steam DB com novos códigos que foram postados lá. Um desses código chamou a a atenção, pois ele possuia o seguinte nome e descrição: "Steam_Settings_Compat_Info",  que possui a descrição  "Steam Play will automatically install compatibility tools that allow you to play games from your library that were built for other operating systems." que na tradução livre ficaria assim “ Steam Play vai instalar automaticamente as ferramentas de compatibilidade que vão lhe permitir jogar os games da sua biblioteca que foram feitos para outros sistemas operacionais.”.

Muito provavelmente a Valve tem visto o crescente movimento que o Wine tomou nesses últimos meses, ainda mais com a entrada do pessoal do DxVk e assim dando um “boom” na compatibilidade de grandes jogos com o pinguim, como GTA V, DarkSouls, FarCry5, PES 2018, Doom entre outros.

Fora que já estão saindo jogos desenvolvidos com o VULKAN, concorrente do DirectX da Microsoft, e tendo um desempenho extremamente satisfatório. E também as principais engines como Unreal Engine 4, CryEngine e Unity estão dando suporte para Linux.


Por hora, não passa de rumor, mas pode “ganhar a luz do dia”, visto que a Valve ainda está empenhada no Steam OS e isso traria mais produtoras para o seu sistema, e consequentemente para o Linux, visto que o Steam OS é baseado no Debian e a Valve incentiva o uso do Ubuntu também.

Uma camada de compatibilidade do tipo poderia permitir que as desenvolvedoras não precisassem mais fazer portes de seus jogos completamente para Linux, a própria Steam promoveria essa compatibilidade.

Outro ponto também, é que isso pode trazer novos usuários para o Linux nos Desktop e mostrar para eles que o sistema é amigável e que eles podem se divertir também.

Na minha humilde opinião, isso seria sensacional se realmente acontecer de fato, pois traria concorrência no setor de jogos e isso traria benefício para os gamers, pois as empresas sempre vão buscar melhorar o seu produto, independente do sistema que você utilize, concorrência é bom para todos.

Conte-nos nos comentários o que você espera dessa “nova” ferramenta da Steam.

Até uma próxima e um forte abraço.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Beta do SteamOS é lançado pela Valve com melhorias

Nenhum comentário

sexta-feira, 17 de maio de 2019

Quando a Valve resolveu dar mais um passo na “briga” pelo mercado de jogos, ela resolveu não depender tanto do Windows da Microsoft, assim dando mais ênfase no desenvolvimento do seu próprio sistema operacional para rodar os jogos publicados na sua Loja, através do app Steam Client.

 Beta do SteamOS é lançado pela Valve com melhorias






Com isso, a Valve fez seu próprio Linux, o SteamOS, baseado no Debian 8 Jessie com algumas modificações feita por ela. O sistema veio a princípio para equipar as antigas Steam Machines e que agora pode ser instalado em qualquer computador.

Muitos que viram o “nascimento” do SteamOS, de uns tempos para cá, estavam achando que o projeto encontrava-se parado ou até mesmo abandonado. Ainda bem que estavam enganados 😂.

Depois do lançamento do projeto Proton, onde se fez a compatibilidade dos jogos feitos para Windows no Linux, o SteamOS veio recebendo pequenas correções e melhorias. 

A versão atual do Beta do SteamOS, é a 2.190, que além de trazer as correções de segurança e de firmware, em um total de 346 erros reportados e desses 321 foram corrigidos, como pode ser conferido aqui. Veio também os updates dos drivers de vídeo da NVIDIA, Intel e AMD. 

Na parte para NVIDIA, o driver entregue é o 415.27. Já para Intel/AMD está sendo entregue o MESA Driver 18.3.4.

Na outra parte referente à updates, foi em relação ao SteamPlay com o Proton. Nesse Beta virá com o Proton da série 4.2, com a versão 4.2-4, que conta os seguintes updates:

- Corrigir falha no lançamento do game RAGE 2. (requer Mesa dev baseado em AMD);
- Atualização do DXVK para a versão 1.1.1;
- Melhora o suporte do Vulkan para a nova construção do No Man's Sky;
- Melhora ícones em alguns gerenciadores de janelas.
- Corrige ocasional processo do Wine preso ao atualizar a versão Proton.
- Corrige a detecção do controle para os jogos Yakuza Kiwami e Telltale;
- Corrige a geração de terreno em Space Engineers;
- Correção para a não inicialização do game Flower.

Também houve update no FAudio 19.05, que agora estão usando as bibliotecas X3DAudio/XAPOFX para os games de 64 bits. Informações vindas direto do Twitter do Ethan Lee, dev do projeto Proton.

Para ver todas novidades no SteamOS e do Proton, você pode acessar os respectivos links, aqui e aqui.

Se você quiser experimentar o SteamOS, basta acessar este link.

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá  no nosso fórum.

Espero você até a próxima, um forte abraço.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


19 coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 19.04 Disco Dingo

Nenhum comentário

quinta-feira, 18 de abril de 2019

O Ubuntu 19.04 “acabou de sair do forno” e muitas novidades acompanham essa novíssima versão, caso ainda não tenha visto, acesse nosso post detalhado sobre as novidades do Ubuntu 19.04. Acesse essa outra postagem sobre os “sabores do Ubuntu”, nesta versão 19.04 (Aguarde um “cadiquin” que já já lançamos o post 😁😁😁).

canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

O Ubuntu 19.04 é uma versão muito aguardada pela comunidade, mesmo não sendo uma LTS (Versão de longo suporte) e possuindo apenas 9 meses de “vida”, recomendo muito seu teste, seja para ver como as coisas estão ficando até a próxima LTS, Ubuntu 20.04, ou para uso pessoal.

E como proceder com o pós-instalação? Pois bem, esse é o lugar ideal para lhe orientar com todo passo-a-passo.

Atualizando do Ubuntu 18.10 sem reinstalar o sistema por uma iso


Caso esteja utilizando o Ubuntu 18.10, atualizar dele para o 19.04 é uma tarefa simples. Porém antes de tudo, efetue o backup de seus dados, afinal “o seguro morreu de velho” (😁😂😅).

Para efetuar o upgrade do 18.10, basta abrir o programa “Software e Atualizações” e executar uma verificação por atualização, a ferramenta irá informar que existe uma nova versão do Ubuntu para download.

Outra forma é via terminal, com o comando:

sudo do-release-upgrade -c

Aguarde todo o procedimento até a nova versão.

Pós-instalação Ubuntu 19.04


Se você acabou de instalar o Ubuntu 19.04, os passos a seguir podem ser efetuados, para melhor experiência de uso e comodidade.

1 - Configuração inicial do Ubuntu


Ao iniciar o sistema pela primeira vez, uma tela de “Bem-vindo ao Ubuntu” aparecerá, nela você poderá fazer algumas configurações iniciais como:

Conectar suas contas on-line, Google, Microsoft etc.

contas-online-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

Criar ou logar em sua conta Ubuntu, para utilização de serviços como a possibilidade de comentar na loja do Ubuntu e utilizar o “livepatch”, (entretanto o mesmo parece não estar disponível na versão 19.04), caso não saiba o que é livepatch, temos uma postagem bem detalhada sobre esse poderoso recurso.

conta-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

Você também poderá ajudar a melhorar o Ubuntu, permitindo que alguns dados sejam coletados. Fizemos um artigo dedicado a este recurso, explicando quais os tipos de dados serão coletados. No entanto, a opção pode ser desabilitada a qualquer momento, basta acessar o painel de controle do sistema, ir na sessão “Privacidade” e efetuar a alteração.

coleta-dados-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

A opção de manter ou não os “Serviços de localização” será apresentada. Com a opção habilitada, aplicativos poderão fazer uso de sua localização geográfica, uma identificação é mostrada quando o recurso está em uso. Algumas aplicações como o Gnome Maps fazem uso deste serviço. Assim como o envio de dados para coleta, na sessão “Privacidade” do painel de controle, este recurso pode ser ativado ou desativado.

serviço-localização-privacidade-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

Para finalizar a tela de “Bem-vindo”, o Ubuntu oferece alguns apps em Snap para instalação. Mais adiante tocamos no assunto Snap.

apps-snap-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

2 - Atualize o sistema


Mesmo que tenha instalado o sistema logo após seu lançamento, é interessante verificar se existem novas atualizações disponíveis.

Para isso no menu do Ubuntu pesquise por “Atualizador”, é um ícone com um “A” e duas setas circulantes. Se houverem atualizações, basta clicar em “Instalar agora”, confirmar sua senha e aguardar o procedimento.

atualizar-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

Após o término da atualização, o sistema irá lhe sugerir para reiniciar o sistema e caso durante a atualização um kernel novo tenha sido atualizado, recomendo que reinicie de imediato.

reboot-update-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

3 - Complete a instalação dos pacotes do sistema


Se você instalou o Ubuntu conectado a internet, provavelmente a instalação dos pacotes de idioma do sistema estará completa. Todavia não custa averiguar e caso tenha instalado sem acesso a internet, também deverá proceder da mesma maneira.

Vá até o painel de controle, localize a sessão “Região & idioma” e clique em “Gerir Idiomas Instalados”.

idiomas-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

O Ubuntu verificará se todos os pacotes referentes ao seu idioma estão instalados, e caso não esteja, ele lhe informará. Basta clicar em “instalar”, confirmar sua senha e aguardar a conclusão do procedimento.

idioma-pt-brasil-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

4 - Instale Codecs multimídia


Nas últimas versões, uma nova categoria passou a fazer parte da Gnome Software (loja do Ubuntu), possibilitando a instalação de Codecs sem a necessidade de outro programa ou terminal. Mesmo existindo o pacote “ubuntu-restricted-extras”, na qual diversos codecs são adicionados ao instalá-los via terminal ou Synaptic (que falaremos logo a frente), a loja do Ubuntu possibilita a instalação de Codecs nativamente.

Com a loja aberta, clique na categoria “Complementos”, e na aba “codecs”, existirão diversas opções. Fica ao seu critério instalá-los, conforme a necessidade, na dúvida é melhor ter vários do que faltar… (😋😋😋).

codec-multimidia-loja-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

5 - Instale ferramentas para o gerenciamento de pacotes


Embora a loja do Ubuntu esteja repleta de aplicações, existe um “leve incômodo”, a sua incapacidade de encontrar alguns pacotes sem ícones, por exemplo aplicações para o terminal e pacotes complementares. Então programas como o Synaptic, entram em cena, sendo uma ótima escolha para lidar com pacotes (caso não queira utilizar o terminal).

Não sabe utilizar o Synaptic? Veja o guia em vídeo que preparamos para você.

No menu do Ubuntu pesquise por “Software Ubuntu”, ou até mesmo “Loja”, o programa tem um ícone de uma sacola laranja (bem sugestivo).

Na loja, pesquise por “Synaptic” (no ícone de lupa na barra superior). Será o primeiro programa, efetue sua instalação.

gerenciar-pacotes-synaptic-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

Como mencionado anteriormente, o Synaptic poder ser muito útil no gerenciamento de pacotes. Por exemplo, ao invés de instalar os Codecs “um a um” via Software Ubuntu, você pode pesquisar no Synaptic por “ubuntu-restricted-extras”, e Instalar os principais codecs de uma só vez.

codecs-ubuntu-restricted-extras-synaptic-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

OBS.: Outra opção para instalar pacotes DEB, a própria loja do Ubuntu executa essa função, são: o “Instalador de pacotes GDebi” e o “Deepin Package Manager”, você pode instalar algumas dessas alternativas, apenas pesquisando na loja. 

6 - Instale o OpenJDK para aplicações Java


Caso faça uso de algum aplicativo em Java, será necessário instalar o OpenJDK para seu funcionamento no Ubuntu.

Abra o Synaptic, e pesquise por “default-jdk”, a versão padrão do Ubuntu 19.04 é o OpenJDK 11, porém você pode instalar outras versões como o 12 e 13… Se assim desejar pesquise por “openjdk-12-jdk” (substitua o 12 pela versão desejada).

Marque para instalação e instale o pacote.

java-openjdk-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

7 - Instalando Drivers Intel


Caso possua um processador Intel, você poderá Instalar seu driver de forma simples. Abra a loja, vá até a categoria “Complementos” e na aba “Drivers de hardware”, selecione a opção “Beignet” e instale o driver.

driver-intel-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema


driver-intel-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema


8 - Instale o Mesa Driver mais atual para Intel e AMD


O Mesa Driver é uma implementação do OpenGL que atua entre o driver de vídeo e o hardware, e suas versões mais atuais trazem uma sobrevida nos jogos, ainda mais quando falamos de Vulkan, DXVK, Proton etc.

Então não confunda, o Mesa Driver não é um driver de vídeo, e quem quer uma performance a mais em games, tem “quase como obrigação” mantê-lo em suas versões mais atuais no sistema (vamos ser “modestos” e instalar a versão estável. (😏)

OBS.: No presente momento (18/04/2019) a versão do Mesa no Ubuntu 19.04, está na 19.0.2, enquanto a do PPA do Padoka, está na 19.0.1. Esse procedimento pode ser feito no futuro, quando a versão do Padoka for atualizada.

Para isso vamos adicionar o PPA do Padoka, e sempre quando houver Atualizações, o Ubuntu sempre estará com as últimas versões estáveis no sistema.

Pesquise no menu do Ubuntu por “Programas e atualizações”, Vá na segunda aba “Outros programas” e clique no botão, logo abaixo, “adicionar

E adicione o seguinte conteúdo na caixa de texto de nome “Linha do APT”:

ppa:paulo-miguel-dias/pkppa

ppa-interface-grafica-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

Clique no botão “Adicionar Fonte”, digite sua senha, após adicionado, clique no botão “Fechar”. Uma janela aparecerá, indicando que a “informação sobre os aplicativos estão desatualizados”, clique em “Recarregar” e espere todo o processo.

ppa-mesa-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

Caso prefira via terminal, adicione o PPA:


sudo add-apt-repository ppa:paulo-miguel-dias/pkppa

Depois atualize o sistema:

sudo apt update && sudo apt dist-upgrade

E pronto! O Mesa Driver está atualizado!

9 - Instale o Driver estável NVidia mais recente 


Para instalar a última versão estável do driver NVidia, preparamos uma postagem bem detalhada e completa, com todo passo-a-passo, seja ele via interface gráfica ou via terminal. Acesse o link do post completo.

10 - Escolhendo o melhor mirror e habilitando os parceiros da Canonical


No menu do Ubuntu pesquise por “Programas e atualizações”, ao abrir o programa você notará que ele é composto por diversas abas.

Na aba “Aplicativos Ubuntu” clique em “Baixar de: Outro…”, uma janela aparecerá. O Ubuntu possui essa ferramenta que escolhe o melhor mirror, servidor para os downloads do sistema. Isso torna as atualizações e instalações de apps dos repositórios oficiais, bem mais rápidos conforme a sua região.

Clique em “Selecionar Melhor Servidor”, aguarde o teste, escolha o que melhor clicando em “Escolher Servidor”.

servidor-mirror-update-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

É importante clicar em “Fechar” e caso o sistema solicitar para “Recarregar” proceda desta maneira.

Na segunda aba do programa, existe a opção de habilitar “Parceiros da Canonical”, este repositório é composto de alguns softwares proprietários e seus extras.

Marque a opção “Parceiros da Canonical”, e logo após clique em “Fechar”. Caso o programa solicite para recarregar as informações dos repositórios, assim o faça.

parceiros-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

11 - Configurando o Flatpak


Por padrão o Ubuntu não vem com o Flatpak habilitado, muito menos o repositório Flathub adicionado, como no Linux Mint, porém o procedimento é muito simples.

Veja como proceder e comece a instalar aplicativos neste formato.

A loja do Ubuntu se integra com os Flatpaks, assim você pode instalá-los via interface gráfica, o vídeo abaixo demonstra todo processo.


12 - Instale aplicações em Snap


A Canonical, empresa responsável pelo Ubuntu, cada vez mais encabeça o formato Snap, e existem diversas aplicações neste formato que é interessante experimentar.

Por exemplo utilizo bastante o Discord e Spotify em Snap, para instalar o Spotify e ouvir suas músicas, pesquise pela aplicação na loja e efetue normalmente a instalação.

spotify-snap-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

13 - Baixe o Google Chrome em DEB


A Google disponibiliza uma versão nativa de seu navegador para Linux. Então efetue o download diretamente do site oficial do Google Chrome. Baixe a versão em DEB.

google-chrome-deb-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

Ao finalizar o download, vá aonde o arquivo foi salvo, clique com o botão direito do mouse e escolha a opção “Abrir com Instalação de programa”. (Como anteriormente citado, você pode utilizar uma alternativa como o GDebi ou Deepin Package)

deb-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

A loja do Ubuntu abrirá, instale normalmente a aplicação.

chrome-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

14 - Configurando as opções de Backup


Por se tratar de uma versão sem foco em plena estabilidade, como um LTS, é esperado eventuais bugs, e como é melhor precaver do que remediar (😄😁😎) um gerenciador de backup é bem vindo. E é aí que entra o Déjà Dup. Basta pesquisar por “Backup” no menu do sistema, e utilizar o software, seu uso é bem intuitivo.

backup-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

15 - Customizações nativas do sistema


Por padrão o Ubuntu traz em sua interface gráfica, o Gnome-Shell, algumas opções, “não chega a ser nenhum KDE Plasma da vida”, mas dá para fazer algumas customizações.

Abra o aplicativo “Configurações” é nele que vamos adaptar algumas opções do Ubuntu a nossa necessidade. Ele conta com uma interface simplista e amigável, com um painel na esquerda com diversas categorias.

Apenas irei demonstrar algumas opções, caso contrário esse post teria um tamanho gigantesco (😵😵😵).

Em “Plano de fundo”, você poderá escolher a imagem para wallpaper e tela de bloqueio.

imagens-wallpaper-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

Em “Doca”, existem algumas configurações na dock do Ubuntu, podendo alterar o tamanho dos ícones, posição e até mesmo ocultar automaticamente a dock, conforme uma janela sobrepõe ela.

dock-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

Em “Aplicativos” você pode customizar quais apps terão notificações no sistema, e dependendo do software (como exemplo selecionei o reprodutor de músicas), escolher os tipos de arquivos que ele manipula (Ou executa) por padrão. Isso permite um controle maior sobre os formatos e seus programas padrões 

aplicativos-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

Uma coisa que não gosto, é quando a tela do PC apaga sozinha, sei que no caso de notebooks pode economizar bateria, no entanto sempre desativo essa função. Para tal basta acessar a categoria “Energia” e configurar segundo sua vontade.

tela--canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

Para não forçar seus olhos, na categoria “Dispositivos” e depois “Monitores”, você pode ativar o modo Luz Noturno, que ajusta os tons do monitor conforme o tempo.

modo-noturno-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

16 - Customizações via Gnome Tweaks


No tópico acima, mostrei algumas das configurações oferecidas nativamente pelo Ubuntu, mas existe uma ferramenta indispensável para quem utiliza Ubuntu ou qualquer outro sistema com a interface Gnome Shell, seu nome é Gnome Tweaks, e para instalá-lo basta pesquisar na loja pelo seu nome ou “Ajustes do Gnome”, uma ferramenta que deveria vir nativamente.

Com ela você poderá habilitar e desabilitar animações do sistema, configurar extensões, temas e ícones e muito mais … Por exemplo o tema dark do Ubuntu acompanha o sistema, porém por não ter uma opção nativa para troca de temas, apenas utilizando essa ferramenta o usuário comum poderá habilitar essa opção.

gnome-ajustes-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

17 - Adição de extensões ao Gnome-Shell


Se existe algo que pode tornar mais prático a utilização do Gnome Shell, são suas extensões. Todavia cuidado é preciso, pois tais modificações podem acarretar em algum erro na interface. Por exemplo a última versão da extensão do CPU-Freq está dando erro no Ubuntu 18.04, então todo cuidado é pouco, e backup também… 

Para efetuar o backup de suas extensões, vá até “home/.local/share/gnome-shell/” e salve a pasta “extensions”, assim poderá voltar para versões anteriores, caso alguma extensão bug com alguma atualização.

Você poderá Instalar as extensões tanto pelo site Gnome Extensions como pela loja do Ubuntu. Basta acessar a categoria “Complementos” e ir até a aba “Extensões de Shell”. Logo de cara o Ubuntu informa que a utilização de extensões é por conta e risco do usuário. 

extensoes-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

Algumas que posso recomendar são:

Hide Top Bar” para economizar espaço em tela, “Gsconnect” caso utilize o app do KdeConnect, não sendo necessário a instalação do programa no Ubuntu e “User themes” para tornar possível a aplicação de temas de terceiros no Ubuntu via Gnome Tweaks.

18 - Customizando a dock do Ubuntu


A dock do Ubuntu “de fábrica” é bastante limitada, no entanto por ser baseada na famosa extensão Dash To Dock, ela esconde funcionalidades que podemos “desvendar com a ajuda de um programa”.

Então precisamos instalar esse app via loja do Ubuntu, abra ela, e pesquise por “Dconf Editor”, e instale normalmente.

editor-dconf-dock-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

Tenha muito cuidado com o Dconf, ele é uma aplicação que pode fazer mudanças sensíveis no sistema, e qualquer erro pode ocasionar em uma “bagunça na interface”.

Ao abrir o Dconf, clique na lupa e pesquise por “Dash-to-Dock”, então selecione a opção.

A dock do Ubuntu tem diversas funcionalidades escondidas, porém irei citar apenas duas, que julgo ser as mais úteis.

Uma opção que sempre utilizo é a de minimizar a aplicação, ao clicar em seu ícone na dock, por default o Ubuntu não vem com essa opção.

Procure por “click-action”, desmarque a chave seletora “Usar valor padrão”, em “Valor personalizado” mude para “minimize-or-overview”. Não se esqueça de clicar em “Aplicar”, caso contrário, nada ocorrerá.

minimizar-click-dock-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

Volte clicando na barra superior em “dash-to-dock”.

A segunda opção é para quem curte o menu na parte superior da dock. Procure por “show-apps-at-top” e mude a chave seletora.

Uma mensagem pedindo para “Recarregar” aparecerá, clique no botão “recarregar”, e assim a mudança estará concluída.

menu-superior-dock-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

19 - Visualize informações de seus arquivos no Nautilus


O gerenciador de arquivos do Ubuntu, o Nautilus, é uma ótima aplicação. No entanto um recurso simples, ver informações detalhadas nos arquivos de áudio, vídeo e imagens, não estão presentes. Para contornar isso, iremos adicionar um plugin no Nautilus, que nos possibilitará ver tais informações.

Procure pelo Synaptic no menu do Ubuntu, e ao executar a aplicação, pesquise por “gnome-sushi”, marque e instale o complemento.

nautilus-plugin-sushi-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

Logo após, iremos reiniciar a interface do Ubuntu. Pressione simultaneamente as teclas, “Alt” + ”F2”, uma pequena caixa de diálogo aparecerá, digite a letra “r” e pressione “ENTER”. Aguarde o Gnome-Shell reiniciar.

Para ver as informações em seus arquivos de áudio, imagem e vídeo, pressione o botão direito do mouse, vá até “propriedades” e na última aba, depois de “Abrir com” aparecerão os detalhes, conforme o tipo de arquivo.

info-nautilus-plugin-gnomesushi-sushi-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

Gostou das dicas de pós-instalação? Tentei ser o mais abrangente possível, mas seria impossível criar um pós-instalação para todo tipo de usuário. Digamos que este foi uma base.

E aí, vamos aos testes com o Ubuntu 19.04? Acesse nosso fórum Diolinux Plus e deixe sua experiência com essa versão do Ubuntu.

Até o próximo post, te espero aqui no blog Diolinux, SISTEMATICAMENTE! 😎
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Proton 4.2 chega ao Steam Play Linux com mais de 2400 problemas corrigidos

Nenhum comentário

sexta-feira, 29 de março de 2019

A Valve anunciou nesta semana o lançamento da versão 4.2 do Proton (saindo da versão 3.16), a ferramenta que é capaz de rodar os games de Windows no Linux como se fossem nativos através da Steam.

Proton 4.2 chega ao Linux






Segundo as informações do GitHub da Valve, foram mais de 2400 modificações e problemas corrigidos na versão 4.2, se comparada com a versão 3.16, que era a que estava sendo usada até então, incluindo correções para jogos como Resident Evil 2 e Devil May Cry 5.

Devil May Cry

Foram 166 patches aplicados ao Proton 3.16 que não são mais necessários no na versão mais nova. Entre as novidades temos:

- Atualização do DXVK para versão 1.0.1;
- Atualização do FAudio para a versão 19.03-13-gd07f69f;
- Correções para o comportamento do mouse em Resident Evil 2 e Devil May Cry 5;
- Correções para os games NBA 2K19 e 2k18 e muito mais!

Entre outras coisas, temos também melhorias para Vulkan para games que usam realidade virtual, games que são baseados em GDI e uma série de melhorias de usabilidade, que vai desde fontes, até problemas com alt+tab em jogos.

Com o recente lançamento da versão mais recente do Wine, tivemos uma bela atualização também no CrossOver, que vale a pena conferir.

Está cada vez mais fácil jogar os grandes games no Linux e é bom ver que existe um desenvolvimento constante neste sentido.

Acompanhe-nos em nosso canal de games para conferir as novidades.

Até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo