Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens classificadas por relevância para a consulta VLC. Classificar por data Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens classificadas por relevância para a consulta VLC. Classificar por data Mostrar todas as postagens

Como transformar o seu celular em um controle remoto do VLC Player!!

Nenhum comentário

sexta-feira, 4 de maio de 2018

Muitas vezes nos pegamos vendo um filme ou série através do notebook ou PC bem confortável e relaxado, e ai precisamos aumentar o volume, parar o filme ou qualquer coisa do tipo mas o bendito do notebook ou PC está longe e assim tirando a gente do conforto das almofadas, travesseiros e cobertas depois de uma "batalha homérica" para chegar naquele conforto que queríamos. Bom, nesse artigo vamos mostrar como transformar o seu celular, através do navegador, em um controle remoto do VLC Player.







O procedimento para transformar o celular em um controle do VLC é bem simples de fazer. Primeiramente precisamos descobrir qual o IP da nossa maquina, que podemos obter de duas formas.

A primeira forma de obter é através da ferramenta gráfica aonde se configura as conexões do sistema, geralmente chamada de Redes e na aba detalhes ali está o seu IP, que pode ser por exemplo 192.168.1.50.

Já o segundo método é através do terminal, e vamos usar dois comandos bem simples, o primeiro é net-tools, que com ele você vai poder usar o ifconfig.  E para instalar é usado o seguinte comando:
sudo apt install net-tools -y
E depois vamos rodar o comando ifconfig no terminal, e assim obtermos o IP.

Agora vamos configurar o VLC Player, o processo é bastante simples também.

Abrindo o VLC vamos em "Ferramentas/Tools" e depois clicamos em "Preferencias/Preference" para acessar o menu de configurações. 

Feito isso, vamos até o rodapé do programa e colocamos a seguinte opção "Mostrar Configurações/Show Settings" e logo embaixo também marcamos a opção "Todas/All".



Depois de ativar e ver todas as opções, agora vamos entrar na "aba" Interface" e procurar por "Main Interfaces/Interface Principal" e ativar a opção "Web".

E logo abaixo vamos na opção "Lua", e ali no campo password/senha, vamos colocar uma senha simples de se decorar, pode ser 1234 por exemplo.


Depois de termos feito isso, agora vamos para o nosso navegador no celular, e no caso pode ser tanto o Google Chrome como o Mozilla Firefox, e no campo aonde digitamos o endereço de algum site, vamos digitar o IP que "pegamos" nas etapas anteriores seguido da porta 8080, então ficaria assim: http://192.168.1.240:8080 . E assim que aparecer a tela de login, podemos pular a parte do usuário e só colocar a senha que colocamos lá no VLC.


Existem sim outras formas de transformar o celular em controle do VLC, mas ai ia precisar apps de terceiros, mas nesse post gostaria de mostrar como fazer esse processo sem precisar de nenhum app extra.

Conte para nós se deu certo ai para você essa dica e se tem alguma alternativa bem bacana.

Deixe a sua opinião nos comentários pra gente. =)
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Como instalar a última versão do VLC no Ubuntu e no Linux Mint

Nenhum comentário

quarta-feira, 10 de maio de 2017

O VLC Media Player é pra mim o melhor programa da categoria do mercado, sendo uma aplicação que possui versões para todas as plataformas que você puder imaginar (talvez até as que você não consiga) e tem se mantido em meu computador como uma das ferramentas mais úteis ao longo dos últimos anos.

VLC Media Player




O VLC disponibiliza uma versão Nightly para os usuários, essa é a última versão do player e normalmente traz recursos interessantes, ainda que experimentais, como a compatibilidade com o Google Chromecast. 

Usuários do Ubuntu e do Linux Mint podem utilizar um PPA para ter a última versão disponível do VLC Media Player:
sudo add-apt-repository ppa:videolan/master-daily
sudo apt update 
sudo apt install vlc
Se você preferir instalar sem utilizar o terminal, confira este artigo que te mostra como usar PPA em modo gráfico. 
VLC em sua última versão

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Como alterar Metadados de arquivos de áudio e vídeo no Linux usando o VLC

Nenhum comentário

terça-feira, 11 de outubro de 2016

Nesta semana um amigo me pediu uma forma simples de alterar metadados de um vídeo que ele tinha no Ubuntu, uma vez que ele conseguia mexer nas informações do arquivo utilizando o próprio Windows Explorer. Pois é, o Nautilus não tem essa função nativamente, mas acho que a maneira mais simples de todas é utilizar o VLC, até porque serve para qualquer plataforma, não somente Linux, independente de distribuição.

VLC Metadata




O VLC é um programa incrível e cheio de funções, algumas delas estão tão rebuscadas que as pessoas nem imaginam, uma delas é justamente alterar as funções de metadados dos arquivos em execução, incluindo uma função de identificar o "Audio Fingerprinting", que também muito interessante.

O VLC está disponível para todos os sistemas operacionais e certamente você vai encontrá-lo na Central de Programas do Ubuntu, ou de qualquer outra distro. Instale ele da forma que achar mais conveniente.

Uma vez estando com o VLC instalado, basta abrir o arquivo que você desejar através dele, uma vez que o arquivo estiver sendo reproduzido, você pode acessar o menu Ferramentas>> Informação sobra a Mídia, uma janela vai se abrir onde você pode fazer todas as edições que desejar:

VLC

Depois de alterar os dados como desejar, basta clicar em "Salvar Metadados" e pronto! Muito simples e multiplataforma, lembra que funciona tanto para vídeos, quanto para músicas.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Como executar blu-rays encriptados no VLC

Nenhum comentário

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Blu-ray no Ubuntu

Se você foi assistir um Blu-Ray no seu VLC e não conseguiu porque o disco estava encriptado, isto deve te ajudar, para isso precisamos instalar alguns pacotes:


sudo add-apt-repository ppa:n-muench/vlc
sudo apt-get update
sudo apt-get install vlc libaacs0 libbluray-bdj libbluray1a

Mas não acaba por ai temos mais uma configuração a fazer:


Agora você deve criar um "AACS" na pasta oculta ". Config" pasta do seu diretório home e baixar as chaves AACS lá. Para fazer isso, execute os seguintes comandos em um terminal:


mkdir -p ~/.config/aacs/
cd ~/.config/aacs/ && wget http://vlc-bluray.whoknowsmy.name/files/KEYDB.cfg


Agora para executar Blu-rays usando o VLC, selecione o disco no menu Mídia>Open Disc


As instruções acima devem funcionar para outras distribuições Linux também, não apenas o Ubuntu, desde que você tem 2.0.x VLC instalado junto com libaacs0 e libbluray1.




Fique por dentro de tudo o que acontece no Diolinux...

              Twitter Diolinux@blogdiolinux   Facebook  blogdiolinux  Twitter Diolinux@dionatanvs   Google Plus Circule do Google +

Atualização do VLC corrige falha grave de segurança

Nenhum comentário

domingo, 30 de junho de 2019

O VLC Player, é uns dos mais famosos players de música e vídeo entre as plataformas. Tanto que existem versões dele para Linux, Android, macOS, iOS,  Windows e até além disso, como mostra o site oficial. Reproduzindo quase todos os formatos do mercado, só ficando de fora alguns muitos específicos.

Atualização do VLC corrige falha grave de segurança





Por ser bem popular, ele acaba recebendo ataques corriqueiramente, das mais diversas formas. Com esses ataques, foram descobertas duas vulnerabilidades no aplicativo, que poderiam dar alguma dor de cabeça aos usuários, sendo assim, a atualização é recomendada.

A primeira foi a CVE-2019-5439, que segundo o relatório do NIST ( National Institute of Standards and Technology) informa, existia uma vulnerabilidade que pode “estourar” o buffer no VLC Media Player <3.0.7, causando uma falha que pode se acarretar em uma execução remota de código.

Já a segunda, é a CVE-2019-12874, que segundo o NIST, é “Um problema que foi descoberto em zlib_decompress_extra in modules/demux/mkv/util.cpp no ​​ VLC media player 3.x até 3.0.7. O demuxer Matroska, enquanto analisa um tipo de arquivo MKV mal formado, tem um double free.

Isso rendeu um posto do Jean-Baptiste Kempf, presidente da VideoLAN, em seu blog, falando sobre essas e as outras 31 vulnerabilidades.

Então se possível, atualize o seu VLC o mais breve possível.

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum.

Espero você até a próxima, um forte abraço.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Por que os programas de Linux são mais leves e estáveis que os do Windows

Nenhum comentário

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Vamos mostrar porque o gerenciamento de pacotes de software do Linux Ubuntu é mais inteligente que o do Windows

Novos programas oba!


Estava falando a poucos dias com um amigo sobre o gerenciamento de pacotes do Ubuntu ( APT-GET ) e comparando um pouco com o Windows, falando sobre a instalação de programas, ele me indagou porque a maioria dos softwares do Ubuntu eram muito menores em tamanho do que a maioria dos softwares para Windows, um exemplo disso:

VLC Media Player para Windows - 23 MB

VLC Media Player para Ubuntu - 3,6 MB

Ambos exatamente com as mesmas funcionalidades, então resolvi escrever este artigo para explicar um pouco como funciona o gerenciamento de pacotes do Ubuntu ( e de praticamente qualquer distro ) e compará-lo ao que sabemos do Windows.

Windows e o inferno das DLLs

Dynamic-link library (biblioteca de vínculo dinâmico) ou simplesmente DLL é um sistema desenvolvido pela Microsoft para o compartilhamento de Bibliotecas entre Softwares no Windows, um exemplo disso as as DLLs do DirectX que são acessadas por qualquer programa que as exija, sem que, teoricamente seja necessário instalar o DirectX a cada programa.

Eu digo teoricamente porque se você já tentou instalar algum game ou software que exija desempenho gráfico do Windows deve ter instalado junto o DirectX pois ele mesmo trazia o software, e isso não se limita ao DX não, praticamente qualquer software precisa de DLL específicas para rodar e como o desenvolvedor do software não sabe em qual Windows o software irá rodar é mais seguro incluir as DLLs que o programa precisa diretamente na instalação do programa, aumentando assim o seu tamanho, afinal não tem explicação o Photoshop pesar mais de 1 GB quando instalado completo e o GIMP pesar 76 MB com praticamente as mesmas funcionalidades.

Os problemas começam a ocorrer quando você começa a instalar muitos programas, muitas vezes eles precisam de uma versão muito específica de uma DLL e pode ter o mesmo nome de outra que já está instalada ( mas que não é igual!)  e então essa DLL antiga será substituída pela nova, fazendo um programa funcionar e prejudicando o desempenho de outro, quando você desinstala o programa as DLL do mesmo ficam normalmente dentro da pasta System32 mesmo que o programa não esteja mais no computador, acumulando lixo no sistema e por sua vez deixando-o mais lento, o estranho disso é que as DLL são arquivos teoricamente "inabríveis" ou seja, não dá para saber o que há dentro delas.

S.O. ( Shared Objects)


Um sistema Linux como o Ubuntu usa um sistema de gerenciamento de software mais inteligente, no caso o APT, e não existem DLLs no sistema, existem Libs, que seria algo equivalente, e os SO ( System Objects) ou ainda o KO ( Kernel Objects), o próprio sistema traz uma coleção ampla de bibliotecas e tem um compartilhamento de bibliotecas entre software mais aprimorado.

Quando você for instalar um programa como o VLC, independentemente se você for instalar via terminal ou Central de Programas, o apt-get verifica uma lista de dependências para o pacote do VLC, ele observa quais são as Libs que e VLC precisa para rodar, então ele verifica se essas lib.so em questão já está instalada, se está ele simplesmente não será baixado novamente, caso não esteja o apt-get se encarregará de baixá-la, e assim sucessivamente até suprir todas as dependências do programa e por final instale o programa em si, como resultado temos uma instalação mais rápida, ocupando menos espaço no HD e sem gastar muita memória RAM, você que entende de informática também deve ter percevido o absurdo que é o Windows pedir 20 GB de HD para instalar o sistema e vir sem a maioria dos programas necessários e o Ubuntu com tudo instalado e pronto pra funcionar mal ocupar 10 GB, isso já incluindo uma Suíte Office, navegador, codecs para vídeos, etc, isso mostra claramente um melhor aproveitamento de bibliotecas compartilhadas, ou seja, vários programas usam os mesmos arquivos para funcionar.

O sistema apt-get também mantém o controle de quantas aplicações precisam de uma lib.so  de modo que se você remover VLC ( seguindo o nosso exemplo), ele não removerá a tal lib a não ser que nenhum programa esteja usando ela, caso ela seja dispensada ela vai embora com o programa e não fica entulhando o sistema, dando a você como único trabalho de limpeza remover o cache de aplicativos e um log aqui e outro acolá.


Gostou da informação? Compartilhe =)


Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

VLC Player 2.1 será portado para QT5

Nenhum comentário

quinta-feira, 18 de julho de 2013

Mais uma aplicativo investindo na biblioteca QT

O próprio Ubuntu já anunciou que está portanto todo o Unity para as bibliotecas QT e o VLC Media player vai ir na onda também, quer dizer, já foi, a interface do VLC, que é um dos player de maior sucesso do mundo, tanto em plataformas Linux como em sistema proprietários, já usa o QT para desejar o seu laytout.

VLC Media Player Diolinux

A notícia veio via Twitter com a afirmação de que a próxima versão do VLC será mais rápida e com novos recurso de personalização, muito em parte disso o QT5 será usado. Segundo Ludovic Fauvet, desenvolvedor, o novo VLC trará recursos como o suporte a resoluções ainda mais alta como a 4K.

E aí QT Rules?

Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

Nova versão do VLC Media Player é lançada

Nenhum comentário

segunda-feira, 8 de abril de 2013

Novo VLC disponível para Ubuntu e Linux Mint via PPA

O VLC é um dos melhores players multimídia para Linux ( Windows e Mac ), recentemente a equipe que desenvolve o software liberou uma nova versão disponível via PPA -  entenda o que é PPA - para Ubuntu e Linux Mint.
VLC 2.0.6

A nova versão se concentra em corrigir bugs e deixar o software ainda mais estável para conferir o Changelog da nova versão 2.0.6 no VLC acesse este link.

Instalação no Ubuntu

Abra o terminal e cole os seguintes comandos:

sudo add-apt-repository ppa:videolan/stable-daily 
sudo apt-get update 
sudo apt-get install vlc
Em breve ele estará disponível nos repositórios do Arch Linux.

Até a próxima dica pessoal! =)

Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Junior Formagini 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

Agora você pode instalar duas versões diferentes do mesmo App no Ubuntu via Snap

Nenhum comentário

quarta-feira, 26 de junho de 2019

Os pacotes Snap que são desenvolvidos pela Canonical ganharam uma nova funcionalidade para quem é dev e precisa testar várias versões do mesmo snap, ou para quem simplesmente gostaria de ter duas versões do mesmo aplicativo, um recurso relativamente comum dentro do Android.

Agora você pode instalar duas versões diferentes do mesmo App no Ubuntu via Snap





O anúncio desta funcionalidade experimental foi feito no blog oficial do Ubuntu. Nele nos é informado que a partir da versão 2.36 do snapd foi adicionado o suporte a instalação paralela dos snaps, sendo que cada snap é isolada do outras, tendo assim as suas próprias configurações, interfaces, serviços, etc.


Se você ainda não tem o Snap habilitado no seu sistema, temos esse tutorial de como fazer isso, no Ubuntu ele já está habilitado por padrão, mas este novo recurso pode ser virtualmente usado em qualquer distro com o suporte ao empacotamento criado pela Canonical. Feita a instalação, vamos habilitar essa nova função experimental com o seguinte comando:

snap set system experimental.parallel-instances=true

Com isso você vai poder instalar versões diferentes do aplicativo, não é necessário passos adicionais. 

Como instalar duas versões do mesmo aplicativo via Snap?


Para isto, você precisa atribuir um identificador para ele, para que você possa distingui-lo dos outros. Essa identificação é uma sequência alfanumérica de até 10 caracteres. Vamos tomar como o exemplo o VLC Player.
Podemos identificar ele como “vlc_1”, que teoricamente não existe, mas que o snapd agora pode “entender”. Para instalar esse VLC, basta digitar o seguinte comando: 

snap install vlc_1

Como você pode perceber, como o recurso é experimental, ainda é feito via linha de comando, mas quem sabe no futuro não mude, né? 😁

Você pode escolher instalar usando vlc_1 ; vlc_2 ; vlc_3 e assim por diante, tendo a liberdade para escolher como melhor entender e respeitando os 10 caracteres totais.

Quando você escolhe ter instalações paralelas, o snapd baixará o pacote snap uma única vez e depois configura as versões separadamente. Por exemplo, você pode instalar em sequência essas versões diferentes, como, por exemplo:

snap install vlc_1 vlc_2

Para remover, basta digitar qual versão você quer:

snap remove vlc_2

Você também pode “transformar” esses snaps, usando os canais Candidate, Beta e Edge. 

Vamos supor o seguinte cenário: Você instala o VLC via snap normalmente (sudo snap install vlc) para o uso do dia a dia, mas você quer testar as versões Candidate dele, dessa forma, o terminal você deve digitar o seguinte comando: 

snap install --candidate vlc_2

Assim você terá duas versões do VLC Player no sistema






Isso pode ser feito com qualquer snap disponível, basta seguir a seguinte “regrinha” : sudo snap install [nome do snap] _ [identificador para ele], como nos exemplos acima citados, ou nomedosnap_identificadorparaele.

Um alerta para quem se aventurar a duplicar os Snaps

No comunicado da Canonical, existe uma espécie de “disclaimer” sobre esse recurso novo:

“Para todos os efeitos práticos, estes serão aplicativos individuais com seus próprios diretórios e dados. De certa forma, isso é bastante conveniente, mas pode ser problemático se seus snaps exigirem acesso exclusivo aos recursos do sistema, como sockets ou portas. Se você tiver um snap que execute um serviço, apenas uma instância poderá se vincular a uma porta pré-definida, enquanto as outras vão falhar. Por outro lado, isso é bastante útil para testar o modelo servidor-cliente ou como os diferentes aplicativos dentro do snap funcionam uns com os outros. As colisões de ‘namespace’ e os métodos para compartilhar dados usando diretórios comuns são descritos detalhadamente na documentação. As instalações paralelas oferecem uma grande flexibilidade, mas é importante lembrar que a maioria dos aplicativos é projetada para ser executada individualmente em um sistema.”

Se você gosta de testar novas versões, essa novidade vai lhe ajudar, pois, só vai precisar baixar uma única vez o snap do aplicativo e depois criar as instâncias para teste.

Nós conte aí nos comentários o que achou da novidade.

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum.

Espero você até a próxima, um forte abraço.


_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Como transferir músicas e vídeos para o iPhone usando Linux

Nenhum comentário

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

No tutorial de hoje vamos lhe mostrar uma maneira de adicionar mídias do seu computador com Linux para o seu iPhone ou iPad sem maiores problemas, vamos lá?

Como transferir arquivos do Linux para iOS

Como transferir arquivos do Linux para iOS


Este tutorial foi escrito em parceria com o nosso leitor Frater Alpha para auxiliar usuários de dispositivos da Apple e que preferem no Linux em seus computadores. 

Infelizmente a "empresa da maça" não criou uma versão do iTunes para Linux e apesar dos players Banshee, Clementine e Rhythmbox conseguirem ler os dados dos iDevices eles não conseguem sincronizar as bibliotecas. No meio tempo em que eu tentava encontrar uma solução eficaz para transferir os dados do Linux para o iPhone eu recebi várias mensagens e e-mails de pessoas que tinha aparelhos da Apple comentando que o meu tutorial de instalação do iTunes pelo Wine não estava mais funcionando, parece que a Apple mudou bastante o iTunes e agora ele ficou incompatível.

Então graças a um pouco de pesquisa e principalmente da ajuda do nosso leitor encontramos uma maneira de pelo menos contornar o problema, segue o texto.

Usando o VLC para transferir áudio e vídeos para seu iPhone e iPad sem precisar usar iTunes ou Cabos

Que a Apple têm excelentes equipamentos todos sabemos, mas infelizmente sabemos que mais que todas as outras empresas nos força a usar só seus gadget e softwares e no nosso caso que usamos Linux vinhamos tendo muita dificuldade em transferir áudios e vídeos do no pc para nosso iPhone ou iPad, pois já faz um tempo que o iTunes parou de sincronizar via PlayonLinux ou Wine e nem instalando o Windows numa máquina virtual e rodando o iTunes não esta funcionando mais, até o player Banshee que estava conseguindo transferir alguns áudios deixou de funcionar com o novo IOS 9, e ai o que fazer instalar o Windows só para sincronizar?, depois de muito “quebrar a cabeça” consegui transferir áudios e vídeos do meu pc com Linux Ubuntu para meu iPhone de forma muito simples mas deixa de enrolação e vamos ao que interessa.

OBS.: É necessario ter uma rede wifi e seu pc e Iphone ou iPad estarem conectados na mesma rede.

1 -  Entre na App Store usando seu iPhone ou iPad e baixe o Player VLC for iOS; É além de tudo um excelente player pois abre praticamente todos os formatos de áudio, vídeos e vai nos ajudar na transferência dos nossos arquivos.

2 - Depois de baixar e instalar VLC em seu aparelho, abra ele, e de um toque no ícone que se encontra no canto superior esquerdo, em seguida ative a opção Sharing via wifi; note que irá aparecer um número ip e em baixo um nome no caso que foi dado ao seu aparelho.

VLC para iOS

3Abra seu navegador no seu PC e digite na barra de endereços o número ip que apareceu em seu aparelho e pressione a tecla "enter".

4 - Em seu PC irá aparecer uma tela parecida com essa abaixo:

Como passar músicas do Linux para o iOS

Em alguns casos pode aparecer no lugar do botão Upload files simplesmente um botão com o simbolo de mais + ; Agora é só clicar nesse botão Upload file ou no sinal de + se for seu caso que irá abril a opção para selecionar os arquivos que irão ser carregados ou simplesmente arraste e solte os arquivos para essa área e pronto como vemos abaixo:

Como passar músicas do Linux para o iOS

- Aguarde até que tudo seja copiado para o aplicativo no iOS. Dependendo do tamanho dos arquivos, esse passo pode demorar vários minutos. Não desconecte o computador ou o gadget da rede até que tudo seja concluído.

Como passar músicas do Linux para o iOS

Quando a transferência terminar, o vídeo ou áudio deve estar disponível na biblioteca do VLC em seu gadget. 

Pronto agora é só curtir seus vídeos ou áudio em seu aparelho, bom divertimento.

Acessando arquivos do iOS pelo Linux


Se você desejar passar arquivos do iPhone para o Linux o caminho é mais simples, do Ubuntu 14.04 em diante há suporte nativo para os aparelhos da Apple, porém, como a mesma costuma modificar com uma certa frequência pequenos parâmetros de comunicação dos aparelhos com hardwares não Apple poder ser necessário instalar dois pacotes, ambos você encontrar na Central de Programas do Ubuntu ou no repositório de qualquer distribuição Linux, são eles:

- ifuse

sudo apt-get install ifuse
- libimobiledevice4

sudo apt-get install libimobiledevice4
Desta forma você conseguira passar as fotos que você tirar no seu iPhone ou iPad, ou até mesmo os vídeos para o seu computador, basta conectá-los via cabo USB e ele vai aparecer no seu gerenciador de arquivos como qualquer aparelho Android.

Pense bem antes de adquirir um aparelho da Apple, pelo menos por enquanto 

 
Tudo bem, os aparelhos da Apple são ótimos, mas eles também são muito fechados e "individualistas", se é que posso usar este adjetivo, se você comprou o seu iDevice antes de começar usar Linux o negócio é usar o nosso tutorial, por enquanto não tem muito o que fazer, quem sabe no futuro a Apple faça o iTunes para Linux mas é melhor não ficar esperando por isso, afinal você pode cansar...


Se por outro lado, você já usa Linux e pretende continuar utilizando, tenha em mente que o iDevice que você almeja não tem uma compatibilidade perfeita com o sistema e você não vai poder usar ele da mesma forma que os outros usuários de Mac OSX e o Windows, então esteja ciente disto antes de comprar.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Como tocar todos os formatos de mídia no Ubuntu e derivados

Nenhum comentário

sexta-feira, 21 de outubro de 2011


Comece instalando a Public Key, digitando no terminal (Copie e cole exatamente como esta):

Código: wget -q http://packages.medibuntu.org/medibuntu-key.gpg -O- | sudo apt-key add -
Adicione o repositório: deb http://packages.medibuntu.org/ hardy free non-free
Ou se você já esta familiarizado com o Ubuntu, abra com o terminal: sudo gedit /etc/apt/sources.list
E digite no final do arquivo:
## Medibuntu – Ubuntu 8.04 “hardy heron”
## Please report any bug on https://bugs.launchpad.net/medibuntu/
deb http://packages.medibuntu.org/ hardy free non-free
# deb-src http://packages.medibuntu.org/ hardy free non-free
De um sudo apt-get update, para pegar a lista de pacotes dos 4 novos repositórios habilitados(Medibuntu,universe, restricted & Multiverse) e pronto.
Vamos lá:
Abra o terminal e digite:
sudo aptitude install -y ubuntu-restricted-extras lame lame-extras mp3gain soundconverter sox faad faac aac flac gstreamer0.10-ffmpeg gstreamer0.10-gl gstreamer0.10-pitfdll gstreamer0.10-plugins-bad gstreamer0.10-plugins-bad-multiverse gstreamer0.10-sdl gstreamer0.10-plugins-ugly gstreamer0.10-plugins-ugly-multiverse libxine-main1 libxine-extracodecs cpdvd regionset x264 gqmpeg mp3gain mjpegtools libdvdread3 mpeg2dec vorbis-tools id3v2 mpg321 mpg123 libflac++6 ffmpeg cdda2wav toolame libmp4v2-0 libmad0 libjpeg-progs libmpcdec3 libquicktime1toolame ffmpeg2theora libmpeg2-4 uudeview libmpeg3-1 mpeg3-utils mpegdemux liba52-0.7.4-dev a52dec



Com isso, já poderá escutar música e mais:
lame & lame-extras – É um pacote que serve para transformar arquivos de áudio em arquivos mp3
Mp3gain & soundconverter – analisa e ajusta arquivos mp3
Sox – utilitário para converter vários arquivos diferentes de som
Aac – formato do iPod
Flac – codec de compressão sem perda

Para ver vídeos:

Mplayer e VLC (para ver arquivos de filmes e series com legendas) digite no terminal:
sudo aptitude install vlc mplayer mplayer-fonts mplayer-skins mplayer-skin-blue mozilla-mplayer

Para assistir DVDs e rodar arquivos AVI e outros do Windows:

sudo apt-get install w32codecs libdvdcss2

Arquivos em Flash (no Firefox e no PC, caso você salve arquivos flv do Youtube e outros).

Terminal: sudo apt-get install flashplugin-nonfree

Adobe Acrobat Reader, Google Earth, Skype:

sudo aptitude install acroread acroread-plugins mozilla-acroread acroread-escript googleearth skype

Java (Para ver paginas de bancos, programas em java como o Limewire):

sudo apt-get -y install sun-java6-bin sun-java6-fonts sun-java6-jre sun-java6-plugin

Real Player (Arquivos rmvb)

Vamos instalar o Real Player 10 para Linux baixado do site da Real Player: http://www.real.com/linux/
Você vai baixar o arquivo RealPlayer10GOLD.bin. Em seguida, pelo terminal, vá até a pasta que você baixou o arquivo e realize os seguintes comandos:
Torne o arquivo executável:
chmod +x RealPlayer10GOLD.bin
Para instalar o Real Player:
sudo ./RealPlayer10GOLD.bin
Quando lhe pedir um local para instalar o Real Player inserir (se ele já não mostrar esse diretório):
/usr/bin/RealPlayer
Quando lhe pedirem para configurar um system-wide symbolic links, responda “y”. Depois disso aceite o prefixo para ligações simbólicas (Pressione “ENTER”).

Converter Vídeos

Caso voce queira converter vídeos no Ubuntu, os melhores programas sao: winFF e converIT
Busque no Google e instale no seu Ubuntu. Sem erros.

Escolha do backend que será usado ao tocar formatos multimídia via browser (Firefox):

Primeiro remova o backend que você está usando, por padrão, fica o do totem, mas como não sei qual você estará usando, desinstale todos (não estraga seu Ubuntu, relaxe).
sudo apt-get -y remove totem-mozilla mozilla-mplayer xine-plugin gxineplugin mozilla-plugin-vlc
Após isso, instalo uma das opções :
Totem (padrão, falha muitas vezes, globo.com nem pensar) :
sudo apt-get -y install totem-mozilla
MPlayer (meu preferido, toca audio/video sob streamming como o globo.com) :
sudo apt-get -y install mozilla-mplayer
Xine : sudo apt-get -y install xine-plugin gxineplugin
VLC : sudo apt-get -y install mozilla-plugin-vlc
Alerta: Não tente instalar todos acima, pois não funcionará.

Usando um vídeo de Wallpaper com ajuda do VLC

Nenhum comentário

segunda-feira, 27 de março de 2017

Sabe aqueles truques muito loucos que você aprende sem querer? Hoje você vai aprender exatamente um destes. Não consigo lembrar nem o que eu estava pesquisando quando descobri isso, mas o VLC Media Player me surpreende a cada dia.





Pra que exatamente você vai utilizar isso eu não faço a sincera ideia, mas mesmo assim acredito que pode ser bacana, então eu vou compartilhar o conhecimento aqui e quem vai dar utilidade para ele ou não vai ser você, combinado? 😆

Como diz o ditado, "o VLC toca até tampa de Danone" e tem tantos recursos que fica até complicado listar, um deles é este de conseguir reproduzir um vídeo como se fosse um papel de parede.

Do que você precisa para usar o recurso?


O primeiro passo é ter o VLC Media Player instalado, você encontra ele na Central de Apps ou gerenciador de pacotes de qualquer distribuição, ou até mesmo no site oficial do programa.

Para usar o recurso é simples, basta rodar o seguinte comando no terminal:
cvlc --video-wallpaper --no-audio /caminho/do/vídeo.mp4
Por exemplo:
cvlc --video-wallpaper --no-audio /home/dio/Videos/background.mp4
O resultado será mais ou menos assim:


O resultado até que é bem bacana né? O contra é que você perde o desktop, mas se você for o tipo de pessoa que já não usa o Desktop, nada impede que você brinque um pouco.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




10 aplicativos open source que você pode utilizar no Windows e no Linux

Nenhum comentário

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Eu acho muito interessante o fato de que programas de código aberto que começaram apenas no mundo Linux ganharam versões para outras plataformas, como Windows e Mac, isso aproxima muito as coisas e faz com que as pessoas possam transitar livremente entre as plataforma, o que é algo muito positivo.

10 open source apps




Listei aqui 10 aplicativos de código aberto que eu utilizo praticamente todos os dias e que poderiam ser usados no Windows também. Acho importante ressaltar a importância disso, quando bons aplicativos existem em várias plataformas, alguém usa Windows pode passar a usar Linux sem sentir falta de muitos programas e o contrário também é verdadeiro.

Conheça agora a minha lista de 10 aplicativos de código aberto que podem ser usados em ambas as plataformas.

1 - Firefox

Firefox Linux e Windows

Um dos navegadores mais populares do mundo e utilizado por milhões de pessoas está presente em ambas as plataformas, a experiência de usar o Mozilla Firefox no Windows e no Linux é basicamente a mesma, então em uma possível migração isso não fará muita diferença. Claro que o Firefox não é o único browser multiplataforma, temos outras opções que convergem, como o Chrome, Vivaldi, Opera entre outros.

2 - GIMP

GIMP para Linux e WIndows

Eu uso o GIMP todos os dias, na verdade, todas as imagens que você está vendo neste artigo foram feitos nele. O GIMP também pode ser utilizado no Windows sem maiores problemas, inclusive, a nossa modificação, o PhotoGIMP, pode ser usado no sistema da Microsoft também. Ele é um ótimo programa para manipulação de imagens.


Inkscape para Windows e Linux

Outro programa que eu costumo usar com frequência, não tanto quanto o GIMP, mas ainda assim, com frequência, é o Inkscape. Um programa para imagens vetoriais. Você pode ver alguns trabalhos feitos com ele no próprio logo do blog e do canal, na DioStore também e em alguns outros projetos aqui do site. O Inkscape está disponível para usar no Windows também sem maiores problemas.


Kdenlive Windows e Linux

Este é um dos meus softwares favoritos de todos, recentemente o Kdenlive ganhou um porte para Windows, que na verdade ainda está em progressão, você pode ver ele rodando no Windows neste vídeo do nosso canal. Para quem não conhece, o Kdenlive é um editor de vídeos não linear que está muito próximo de ser o melhor aplicativo para edição de vídeo completamente grátis, sem versões pagas com mais recursos. Vale muito a pena conhecer.


VirtualBox para Windows e Linux

Máquinas virtuais são extremamente úteis, ao menos para mim, com elas eu consigo experienciar praticamente qualquer sistema operacional, que é algo que eu faço muito, basta olhar a playlist de reviews de sistemas operacionais que temos no canal. O VirtualBox pode ser utilizado em qualquer sistema também, sem distinção.


LibreOffice para Windows e Linux

O LibreOffice é uma ótima suíte office que deve atender a maior parte dos usuários de computador. O maior problema que usuários do Libre tem é abrir documentos do Microsoft Office sem desconfigurar o documento, isso acontece não por culpa do Libre, mas pelo próprio formato proprietário do Office que tem essa intenção mesmo, funcionar somente nele. 

Deixando isto de lado, as funções do LibreOffice atendem diversos governos ao redor do mundo e diversas empresas e é um dos softwares de código aberto que tem mais relevância do mercado. O mesmo LibreOffice que você pode usar no Linux você pode usar no Windows.


OBS Studio

Este é um programa que ficou muito popular entre os YouTubers, o OBS Studio tem versão para Linux e Windows e permite que você faça captura de tela no seu computador ou faça live streams para o YouTube, entre muitas outras funções.

Hoje ele é um programa muito importante para a produção do canal Diolinux.

8 - VLC

VLC Windows e Linux

O VLC é um dos melhores players multimídia que existem, reza a lenda que ele "toca até tampa de Danone". Isso acontece porque o VLC tem vários codecs inclusos no próprio programa, o que dispensa a instalação de pacotes adicionais para reproduzir praticamente qualquer tipo mídia.


Audacity Windows e Linux

Outro programa muito importante para quem produz conteúdo, especialmente em áudio. O Audacity é um editor de áudio grátis e aberto muito útil, especialmente para fazer redução de ruído em arquivos gravados em ambientes externos.


Thunderbird Windows e Linux

Outro programa que eu uso com frequência é o Thunderbird, um programa para fazer gerenciamento de contas de e-mail. Ele é simples e funcional, também tem versão para todas as plataformas. Já atendi algumas empresas fazendo implantação do Thunderbird no lugar no Microsoft Outlook.

Existem muitos outros


Existem outros programas que podem ser usados em ambas as plataformas, inclusive, a maioria desta lista também pode ser utilizada no macOS da Apple, não somente no Windows e no Linux. Fique à vontade para colocar nos comentários mais programas que você gosta e que possuem versões para todas as plataformas.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Temas GTK em aplicações Qt

Nenhum comentário

terça-feira, 5 de fevereiro de 2019

O nome do meu canal não se chama “OSistemático” à toa, quando o assunto é visual/design de uma aplicação ou sistema, sou bem criterioso, e aplicações em Qt costumam ter uma aparência diferenciada ao tema GTK do Ubuntu. Isso ocorre pois um utilitário não vem por padrão (em outras distros ele pode estar presente), seu nome é “QT5 Confguration Utility”, um software bem simples, mas que irá ajudar com seu ”toque”. 😂😂😂

tema-qt-gtk

Antes de tudo, isso não significa que todas as aplicações em Qt terão o tema padronizado com o seu em GTK, devemos instalar o programa e depois configurá-lo no sistema, como sempre você pode optar pelo modo terminal ou interface gráfica, fica ao seu gosto.

Na central de aplicativos da sua distro, procure por “qt5ct”, outro pacote importante e necessário é o “qt5-style-plugins”, caso não encontre o mesmo na loja, você pode utilizar o gerenciador de pacotes Synaptic e efetuar a instalação de ambos.

gerenciador-synaptic

Caso opte efetuar a instalação via terminal, utilize os seguintes comandos:

sudo apt install qt5ct qt5-style-plugins

Configurações necessárias 


Após instalar o programa devemos adicionar variáveis de ambiente no arquivo “/etc/environment”. Num terminal, abra com seu editor de notas favorito o documento, substituindo o nome do aplicativo pelo seu.

No Ubuntu utilizei o Gedit.

sudo gedit /etc/environment

No final do arquivo adicione os seguintes parâmetros:

export QT_QPA_PLATFORMTHEME=qt5ct
export QT_AUTO_SCREEN_SCALE_FACTOR=0

variavel-sistema-qt-temas

Salve o arquivo e reinicie o sistema.

“Mãos na massa”


Agora sim, iremos pôr as mãos na massa e deixar os apps em Qt, parecidos com nosso tema em GTK. Abra o programa QT Settings, que apareceu em seu menu de aplicativos ou no terminal digite o comando:

qt5ct

Na aba “Appearance”, opção “Style”, selecione no combobox “gtk2”, e logo abaixo na opção “Palette” deixe marcado o checkbox “Default”.

qt5-configuration-appearance

Siga para segunda aba, “Fonts”, você poderá deixar na mesma fonte do seu sistema ou uma personalizada. Como referência as fontes padrões no Mint são: “Noto Sans Regular 9” e “Monospace Regular 10”, já no Ubuntu são: “Ubuntu Regular 11” e “Ubuntu Mono Regular 13”.

qt5-configuration-fonts

Outra opção na terceira aba “Icon Theme”, são os ícones listados em seu sistema, as demais abas não recomendo mexer. Clique em “Apply” (Aplicar) e veja os resultados.

qt5-configuration-icon-theme

Para exemplificar a mudança veja as duas aplicações em Qt, VLC Player e VirtualBox, num antes e depois.

VLC Player antes


vlcplayer-qt

VLC Player depois


vlcplayer-qt5-gtk

VirtualBox antes


virtualbox-qt5

VirtualBox depois


virtualbox-qt5-gtk

Espero que com tais mudanças a harmonia visual de sua distro fique ainda melhor. Vale testar com seus temas e aplicações em QT, para ver o resultado final.

Espero vocês no próximo post, SISTEMATICAMENTE! 😎

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo