Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens classificadas por relevância para a consulta gentoo. Classificar por data Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens classificadas por relevância para a consulta gentoo. Classificar por data Mostrar todas as postagens

Aprenda a INSTALAR e CONFIGURAR o GENTOO Linux

Nenhum comentário

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Se você estava procurando por um material completo à respeito do Gentoo, uma das distribuições Linux com maiores místicas em seu entorno, agora você terá algo para colocar nos seus favoritos com detalhes importantes da instalação do Gentoo, compilação do Kernel no Gentoo e um guia de pós-instalação, para deixar o sistema funcionamento de forma perfeita para você.

Instalação e configuração do Gentoo Linux




O Gentoo é o que podemos chamar de distribuição Linux "Source Based", isto é, a ideia é que você baixe o código fonte das aplicações e compile elas no próprio sistema para utilizar. Não somente as aplicações, mas o sistema como um todo pode trabalhar desta forma.

Distribuições como o Gentoo são tidas como "difíceis" e destinadas a usuários avançados. O "difíceis" está entre aspas porque "fácil e difícil" são conceitos altamente relativos ao seu conhecimento e interesse em "desvendar os segredos" de uma distro como o Gentoo.

Quem sou eu para dizer o que você vai fazer com o Gentoo, mas em geral essas distros tem um público, falei sobre isso neste vídeo:


Agora que você já conhece um pouco mais sobre o objetivo de distros com estas características, chegou a hora de conhecer mais a fundo o Gentoo; o primeiro passo é conhecer a sua história, recomendo que você veja este outro artigo aqui no blog, leia depois volte para este:


Depois destas informações, você já realmente sabe onde está se metendo. Vou te dizer, na minha opinião o Gentoo não chega a ser difícil (conceito relativo, como falei), mas requer paciência para fazer todas as coisas e deixar o sistema funcionando corretamente.

Para facilitar o seu entendimento nós vamos contar com a ajuda do Marcos, do canal Terminal Root, e vamos aprender a instalar e configurar o Gentoo em 3 vídeos diferentes, são vídeos longos mas que abrangem detalhadamente tudo o que você precisa saber sobre o sistema.

Nas palavras do Marcos:

O Gentoo é uma distribuição veloz e moderna com um projeto limpo e flexível. O Gentoo é construído em torno de um ecossistema de software livre e não esconde de seus usuários o que está “sob o capô do motor”. O Portage, o sistema de gerenciamento de pacotes utilizado pelo Gentoo, é escrito em Python, o que significa que o usuário pode facilmente ver e modificar o código fonte. O sistema de pacotes do Gentoo usa código fonte (mas o suporte para pacotes pré-compilados também é incluído) e a configuração do Gentoo é feita através de arquivos texto comuns. Em outras palavras, tudo acontece de forma muito clara e aberta.

Como instalar o Gentoo


O primeiro passo é a instalação, então preste atenção nas explicações para você estar pronto para os próximos passos:


O segundo passo (que na verdade é um extra do primeiro), é um episódio inteiro sobre a compilação do Kernel no Gentoo. O processo não chega a ser muito diferente do que eu ensinei neste artigo, utilizando o Linux Mint, mas como é algo importante, vamos para essa aula também:



O terceiro e último vídeo é o que você vai utilizar para aprender a deixar o Gentoo pronto para o seu uso diário:



Edit: Recentemente o Marcos acrescentou mais uma vídeo para a série onde ele mostra os retoques finais na distribuição.


Com estas informações você certamente tem um caminho muito mais simples para utilizar o Gentoo, não é? Não esqueça de passar no canal do Marcos e se inscrever para acompanhar vídeos futuros dele.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Conta do Gentoo no Github é hackeada

Nenhum comentário

sábado, 30 de junho de 2018

O Gentoo Linux é conhecido por ser considerado o Linux "faça você mesmo", onde você coloca a mão na massa e vai montando o seu sistema operacional do seu jeito e do zero. Sendo considerado por muitos umas das distros mais rápidas do mercado.


Conta do Gentoo no Github é hackeada





A Organização Linux Gentoo lançou uma nota oficial em seu site nessa sexta-feira (29), comentando a invasão da sua conta no Github, que teria ocorrido na quinta-feira (28) as 20:20 (horário local), a mesma teria comprometido os códigos-fontes ali hospedados e substituídos por malwares.

Ela informou que um grupo de hackers, ainda não identificados, invadiu a conta do Gentoo no Github e trocou os códigos originais que são arvores do portage e musl-dev por versões maliciosas do ebuilds, com o intuito de remover os arquivos.

O ebuild é um script com base bash,onde é possível fazer a instalação automatizada (e até a compilação) de softwares no Gentoo Linux.

Os desenvolvedores tranquilizaram os usuários, avisando que os códigos-fontes e ISO's do sistema hospedados no seu site (gentoo.org) não foram comprometidos, mas somente o Github foi.

O desenvolvedor Francisco Blas Izquierdo Rieda, pronunciou-se da seguinte forma:


"Ainda estamos trabalhando para determinar a extensão exata e recuperar o controle da organização e de seus repositórios. Todo o código do Gentoo hospedado no Github deve, por enquanto, ser considerado comprometido."

E complementou:

" Além disso, os repositórios do gentoo-mirror, incluindo metadados, são hospedados em uma organização separada do Github e provavelmente não estão afetados também. Todos os commits do Gentoo são assinados, e você deve verificar a integridade das assinaturas ao usar o git."  disse o desenvolvedor.

A Organização Gentoo Linux informou através do seu site, que já retomou o controle sobre a sua conta do Github com a ajuda do suporte da empresa, mas que não aconselha a utilização da mesma até que se apure todo o ocorrido.

O canal parceiro nosso, O Cara do TI, fez um vídeo sobre o tema, confiram:

       

Agora é esperar pra ver os próximos "capítulos".

Espero que tenha gostado, aguardo você até uma próxima oportunidade, forte abraço.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Lista de Distribuições Linux para Download

5 comentários

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Baixe as melhores distros Linux

tux

Bom, antes que venham com críticas, sim este é uma artigo replicado! Talvez até você já o tenha visto por aí. Este excelente conteúdo pode ser acessado de forma original através deste link do maior fórum da América Latina sobre Linux, chamado Viva o Linux. Infelizmente este rico conteúdo estava largado e desatualizado, portanto resolvi dar nova vida a ele, dando o que chamaríamos de Upgrade nele.
Com ele você irá conhecer inúmeras distribuições e como o artigo é longo sinta-se a vontade para usar o CTRL+F .
Gostaria que você leitor nós ajudasse a manter este artigo atualizado e correto, enviando correções, sugestões e indicações, afinal são mais de 300 distros Linux que mudam de interfaces e conceitos ou deixam de existir todos os dias.
Para colaborar com o artigo você pode usar os comentários do mesmo ou se preferir entrar em contato conosco através deste link. Assim poderemos corrigir e incluir mais distribuições, ajude divulgando também nas suas redes sociais favoritas. Obrigado e boa leitura.

Se quiser conhecer a versão do Ubuntu remasterizada pela equipe do Diolinux acesse este link.

Se você está pensando em mudar par ao o Linux e não sabe qual distro escolher sugerimos que leia este artigo antes de continuar neste.

Linux para Download - Conheça algumas distros

Arch Bang


Arch Bang Linux

ArchBang é uma distribuição GNU/Linux simples que fornece a você um leve sistema Arch Linux combinado com o gerenciador de janelas Openbox. Adequado tanto para desktop e sistemas portáteis - É rápido, estável e sempre atualizado. 

Você pode personalizar a instalação para atender às suas necessidades e aproveitar os vastos recursos e conhecimentos da comunidade Arch Linux. 

A página de download tem links para ambos os 32 e 64 bits, de arranque como um live CD/USB - permitindo que você facilmente testá-lo antes de fazer uma instalação completa. 

Experimente-o agora, temos certeza que você vai se surpreender com o que ArchBang Linux tem para oferecer! 




Arch Linux

Arch Linux com Gnome 3

Arch Linux é uma distribuição Linux fundada por Judd Vinet e é otimizada para processadores i686 (Pentium Pro, II etc e AMD compatíveis). Judd inspirou-se em uma distribuição chamada CRUX. 

Arch é uma distribuição rolling release, ou seja, o sistema é atualizado continuamente. Você obterá acesso às novas versões simplesmente mantendo o sistema atualizado através do gerenciador de pacotes. Utiliza o Pacman (Package manager - gerenciador de pacotes) que torna fácil a tarefa dos usuários personalizarem o sistema. 

O número de fiéis usuários tem crescido devido as suas inúmeras qualidades e sua filosofia de desenvolvimento. 




BackBox

backbox

Backbox Linux é uma distribuição baseada no Ubuntu, desenvolvido para executar testes de penetração e realizar avaliações de segurança. Projetado para ser rápido, fácil de usar e fornecer um ambiente desktop completo graças ao seu repositório de software próprio, sempre atualizado para as últimas versões estáveis das mais conhecidas e utilizadas ferramentas de "hacking ético". 

Pode ser iniciada diretamente pelo CD. 





Backtrack

backtrack

Backtrack , distribuição com foco em testes de seguranças e testes de penetração (pen tests), muito apreciada por hackers e analistas de segurança, podendo ser iniciado diretamente pelo CD (sem necessidade de instalar em disco), mídia removível (pendrive), máquinas virtuais ou direto no disco rígido. 




Big Linux

big linux 12.04

O Big Linux é uma distribuição Linux Desenvolvida por Bruno Gonçalves e Outras baseada no Kurumin, Knoppix e Kanotix. Atualmente, o Big Linux também é capaz de utilizar os repositórios do Ubuntu. É uma distribuição estável, cujo principal enfoque são os Desktops. 

O Big Linux é uma distribuição completa, que inclui diversos programas e ferramentas enfocando o seu uso em Desktops, mesclando praticidade, segurança, estabilidade e beleza, num ambiente estável e personalizável. 




CentOS 

cent os

GNU/LinuxCentOS é uma distribuição Linux de classe Enterprise derivada de códigos fonte gratuitamente distribuídos pela Red Hat Enterprise Linux e mantida pelo CentOS Project. 

CentOS Linux proporciona um grande acesso aos softwares padrão da indústria, incluindo total compatibilidade com os pacotes de softwares preparados especificamente para os sistemas da Red Hat Enterprise Linux. Isso lhe dá o mesmo nível de segurança e suporte, através de updates, que outras soluções Linux Enterprise, porém sem custo. 



Coyote Linux

coyote Linux

Coyote Linux é uma pequena distribuição GNU/Linux desenvolvida pela Vortech Consulting contendo apenas os serviços necessários para transformar um computador em um roteador de rede ou firewall. 



Debian

debian

 GNU/LinuxDebian é uma das distribuições Linux mais antigas e populares. Ela serviu de base para a criação de diversas outras distribuições populares, tais como Ubuntu e Kurumin. Como suas características de maior destaque podemos citar:
Sistema de empacotamento .deb;
Apt-get, que é um sistema de gerenciamento de pacotes instalados mais práticos dentre os existentes (se não o mais!);
Sua versão estável é exaustivamente testada, o que o torna ideal para servidor (segurança e estabilidade);
Possui um dos maiores repositórios de pacotes dentre as distros (programas pré-compilados disponíveis para se instalar).




Fedora 

Fedora com KDE

GNU/LinuxFedora é uma das mais populares e estáveis distribuições Linux que existem atualmente. Ele era, no começo, um fork para a comunidade, liberado e mantido pela gigante Red Hat que, na época, estava fechando seu sistema e concentrando-se no mercado corporativo. Isso significa que, desde o princípio, o Fedora já contava com o que há de mais moderno em tecnologia de software, assim como também contava com uma das mais competentes e dedicadas equipes em seu desenvolvimento. Se o que você procura é uma distribuição com poderes de ser um servidor estável, mas com as facilidades das ferramentas de configuração gráficas, ou se, simplesmente, deseja um desktop mais robusto, o Fedora será a sua melhor escolha. 



FreeBSD

freebsd

O FreeBSD é um sistema operacional livre do tipo Unix descendente do BSD desenvolvido pela Universidade de Berkeley. 

Está disponível para as plataformas Intel x86, DEC Alpha, Sparc, PowerPC e PC98 assim como para as arquiteturas baseadas em processadores de 64bits IA-64 e AMD64. 

Considerado como robusto e estável, geralmente é utilizado em servidores, como de Internet ou Proxies, mas também pode ser utilizado como estação de trabalho.
Não é considerado Linux, mas optei por deixá-lo na lista.





Gentoo 

gentoo

GNU/LinuxGentoo Linux é uma metadistribuição baseada no sistema gerenciador de pacotes portage. A nomenclatura usada no desenvolvimento do sistema e seus produtos é inspirada na espécie de pinguim Gentoo. O gerenciamento de pacotes no Gentoo é desenhado para ser modular, portátil, fácil de manter, flexível e otimizado para a máquina usuária. Diferentemente da maioria das distribuições de software, normalmente os pacotes são compilados a partir do código fonte, mantendo a tradição dos ports (em inglês) nos sistemas BSD, embora por conveniência, alguns pacotes grandes são disponibilizados também como binários pré-compilados para várias arquiteturas. 

O Gentoo descreve-se como uma metadistribuição, "devido a sua adaptabilidade quase ilimitada". 





Linux Mint

linux mint com Cinnamon

Linux Mint é uma distribuição de Linux baseada no Ubuntu, com o qual é totalmente compatível e partilha os mesmos repositórios. Diferencia-se do Ubuntu por incluir drivers e codecs proprietários por padrão e por alguns recursos que permitem fazer em modo gráfico configurações que no Ubuntu são feitas de modo texto. 

Utiliza por padrão o desktop Gnome modificado e agora o Cinnamon, com um menu no painel inferior junto à barra de tarefas, similar ao menu K do KDE. O propósito da distribuição é providenciar um sistema Linux que funcione "out-of-the-box"; isto é, esteja pronto para uso assim que terminar a instalação. Dessa maneira, o único trabalho do usuário será o de personalizar a aparência, se desejar, e instalar programas extra, caso necessite. 





Lubuntu

lubuntu

Lubuntu é um projeto derivado do Ubuntu, uma distribuição do sistema operacional GNU/Linux. Seu diferencial está em seu desenvolvimento, que foca netbooks, dispositivos móveis e os micros mais antigos, com menos de 256 MB de RAM. 

A interface utilizada é o LXDE, que segue os mesmos padrões gráficos do KDE, mas apesar de ser para micros mais velhos ou com pouco poder de processamento, não significa que o ambiente seja sem efeitos visuais, pelo contrario, ele possui efeitos visuais bons. 

Mais informações (inglês): http://lubuntu.net/ | https://wiki.ubuntu.com/Lubuntu





Mandriva 

Mandriva 2011.1

GNU/LinuxMandriva Linux é uma das maiores distribuições Linux da atualidade, nasceu da fusão entre o antigo Mandrake Linux e a brasileira Conectiva. 

A Empresa Francesa Mandriva se dedica à distribuição e suporte do sistema operacional Mandriva Linux, tem sua sede administrativa em Paris e um centro de desenvolvimento em Curitiba no Brasil, o laboratório brasileiro recebe o nome de Mandriva Conectiva, a Mandriva também possui um escritório em San Diego nos Estados Unidos. O Mandriva Linux conta também com um grande número de contribuidores pelo mundo, o público-alvo do Mandriva Linux engloba usuários iniciantes no mundo Linux assim como usuários com mais experiência. 



Matriux


matriux


É uma distribuição de segurança, caracterizando-se inteiramente em ferramentas gratuitas, poderosas e open source que podem ser usadas para os mais diversos fins, como por exemplo, testes de penetração, para hackers éticos, para adminstração de sistemas e rede, para investigações forenses de crimes cybernéticos, análise de vulnerabilidades e muito mais. É uma distribuição projetada para profissionais e entusiastas em segurança, embora possa ser usado normalmente como seu sistema desktop padrão, Matriux possui essa flexibilidade. 

Com Matriux você pode transformar qualquer sistema desktop em um poderoso conjunto de ferramentas de testes de penetração sem ter que instalar nenhum software em seu HD (Hard Disk). Matriux foi projetado para funcionar em um ambiente com um LiveCD/DVD ou com pendrive, podendo também ser instalado em seu disco rígido em apenas algumas etapas. Matriux também inclui um conjunto de ferramentas para forense e recuperação de dados que podem ser usadas para investigações e análises forenses e recuperação de dados. 





openSUSE GNU/Linux

opensuse

openSUSE Linux é a versão livre do belíssimo sistema operacional Novell SuSE. Além de se comportar de forma muito estável e robusta como servidor, também é muito poderoso quando o assunto é desktop. 

Seu diferencial é o famoso YaST (Yeah Another Setup Tool), um software que centraliza todo o processo de instalação, configuração e personalização do sistema Linux. Podemos dizer que esta é uma das cartas-mestre do SuSE, pois pode se comparar ao painel de controle do Windows. 





Sabayon Linux

Sabayon 7

Sabayon Linux é um sistema baseado no Gentoo. Porém engana-se quem pensa que o Sabayon é um "Gentoo Full". Na verdade a semelhança entre o Sabayon e o Gentoo é basicamente o uso do Emerge. Fora isso, Sabayon tem uma filosofia completamente diferente do Gentoo. Seria mais como uma mistura de Gentoo, Debian e Red Hat. 

Sabayon é identificado por duas características: grande quantidade de aplicativos e beleza. É uma das distribuições mais usadas do mundo. Parte do seu sucesso se deve a sua característica de ter uma grande quantidade de aplicativos nativos, incluindo vários jogos 3D. 





Slackware GNU/Linux

slackware

Slackware Linux, junto com Debian e Red Hat, é uma das distribuições "pai" de todas as outras. Idealizada por Patrick Volkerding, Slack - apelido adotado por sua comunidade de usuários - tem como características principais leveza, simplicidade, estabilidade e segurança. 

Embora seja considerada por muitos uma distribuição difícil de se usar, voltada para usuário expert ou hacker, possui um sistema de gerenciamento de pacotes simples, assim como sua interface de instalação, que é uma das poucas que continua em modo-texto, mas nem por isso se faz complicada. 





Ubuntu 

ubuntu 12.04

Ubuntu é uma das distribuições Linux mais populares da atualidade e isso se deve ao fato dela se preocupar muito com o usuário final (desktop). Originalmente baseada no Debian, diferencia-se além do foco no desktop, em sua forma de publicação de novas versões, que são lançadas semestralmente. Trazendo agora a revolucionária interface Unity promete uma nova e excelente experiência de usuário.





Zenwalk

zenwalk

Zenwalk (antigo MiniSlack) é uma distribuição Linux para computadores antigos fundada por Jean-Philippe Guillemin. É baseada no Slackware, mas cada vez mais se vem distinguindo dele, mas mantendo a compatibilidade com o mesmo. O ZenWalk necessita de apenas 128 MB de memória RAM e de um processador Intel Pentium III. Pode também ser rodado diretamente do CD. É uma excelente opção para quem tem computadores ou notebooks antigos. 

Há quatro versões disponíveis: Standard, que é a versão "normal" para desktops e notebooks; Core, que é um ponto de partida para construir um sistema personalizado; Live, que pode ser rodada no CD e Server, que é optimizada para servidores. 




Kurumin

Kurumin Linux

O Kurumin foi uma distribuição Linux desenvolvida pela equipe do Guia do Hardware e colaboradores, com o objetivo de ser um sistema fácil de usar, voltado especialmente para iniciantes e ex-usuários do Windows. Originalmente o Kurumin foi desenvolvido com base no Knoppix, passando em seguida a utilizar também componentes do Kanotix e outros projetos, além de ser baseado nos pacotes do Debian. Todos os componentes e scripts usados são abertos, o que possibilitou também o surgimento de versões modificadas do sistema. 

Apesar de ter feito um grande sucesso e ter sido durante algum tempo uma das distribuições mais usadas no país, o projeto acabou falhando em atrair um grupo de desenvolvedores interessados em participar de forma ativa do desenvolvimento. Este e outros fatores (entre eles a justificada cobrança em torno de novos recursos e melhorias) acabaram fazendo com que o projeto fosse descontinuado em janeiro de 2008. 

O Kurumin 7.0r3, disponível em alguns dos mirrors, é uma versão com pequenas atualizações, sincronizada em relação aos repositórios do Debian Etch. Se você já está utilizando o Kurumin 7, pode atualizar o sistema via apt-get, sem necessidade de instalar a nova versão. 





Salix Linux

salix

Salix é uma distribuição baseada em Slackware que é simples, rápida e fácil de usar. Salix é compatível com Slackware, para que utilizadores de Slackware possam usufruir dos repositórios Salix. Como o bonsai, Salix é pequeno, leve e o produto de ínfimo cuidado. 





Satux Linux


Sistema operacional 100% brasileiro baseado em software livre - tem como objetivo trazer inovação, praticidade, segurança e diversão, tornando sua experiência no mundo digital inigualável. 

O Satux disponibiliza até quatro ambientes de trabalho para organizar melhor suas atividades, além de uma interface simples e intuitiva, sem perder a qualidade gráfica que conta com recursos 3D e aplicativos interativos. 

O mundo digital oferece inúmeras ferramentas que auxiliam suas tarefas diárias como consultar saldo bancário, realizar transações, compras on-line, troca de arquivos, entre outros. Para que você possa usufruir tudo isso é preciso ter segurança, e o Satux® oferece o suporte necessário para que suas tarefas sejam executadas de forma segura. 




Metamorphose Linux


O Metamorphose é um sistema operacional completo, voltado para usuários iniciantes ou avançados; Nele você encontra mais de 150 aplicativos, incluindo, jogos (emuladores, games 3D e educativos), editores (HTML, animação, vídeo e áudio) e ainda conta com uma grande gama de aplicativos voltados para areá de multimídia e escritório. 

Todos esses recursos podem ser usados rodando o sistema via LIVE-CD, sem alterar nada no seu sistema instalado no HD, ideal para iniciantes em Linux. Você também tem a opção de instala-lo no HD, com um assistente de instalação muito pratico e fácil. 





BrazilFWO 


BrazilFW Firewall and Router é uma mini distribuição Linux que destina a ser um firewall e roteador. Ele é o sucessor do Coyote Linux, iniciado originalmente por Joshua Jackson, e descontinuado na versão 2.24, em Agosto de 2005. 

Adotado por Claudio e Marcelo - Brazil, eles continuaram o desenvolvimento sobre o nome de BrazilFW. Tanto o Coyote Linux 2.x quando o BFW 2.x tem como base o Kernel Linux 2.4x. 

A versão 3.x (em fase de desenvolvimento) do BFW utiliza o Kernel Linux 2.6x. O usuário Erythros chegou a desenvolver uma versão 3.x, mas logo depois abandonou-a. 

Em Maio de 2008, o Woshman utilizando o projeto Linux From Scratch começa a escrever a versão 3.x do zero. O BFW 2.x é uma continuação do Coyote 2.x, mas já o BFW 3.x é uma mini distribuição linux totalmente nova. 

Ambas as versões do BrazilFW contam com uma gama de addons (utilitários diversos compilados e com interface projetada para rodar nesta distro) que podem ser instalados no BrazilFW para os mais variados propósitos. 

O BrazilFW conta com um portal e um fórum próprios, sendo o fórum divido em 3 línguas (Português BR, Espanhol e Inglês). 

Maiores informações em: http://www.brazilfw.com.br





Epidemic Linux


Distro brasileiríssima, baseada no Debian Squueze, excelente para novatos e "cascudos", vem sendo continuamente atualizada e já está na versão 3.2B1, lançada recentemente. 

Vocês podem observar a qualidade do Epidemic pelo primor de site, que segue anexo: http://www.epidemiclinux.org/



Puppy Linux


Puppy Linux é uma distribuição Live CD Linux iniciada por by Barry Kauler. Puppy é muito pequeno, e desenvolvido para ser seguro, fácil de usar e completamente customizável. Todo o sistema operacional e todos os outros aplicativos rodam da memória RAM. 

Há algumas aplicações inclusas tais como SeaMonkey/Mozilla, AbiWord, Sodipodi, Gnumeric, e Gxine/Xine. Há ainda a possibilidade de ser adicionar aplicações, com a ferramenta Setup, adicionar e remover. A distribuição foi desenvolvida do zero, não é baseada em nenhuma outra distribuição. 




Damn Small Linux


Sistema operacional livre, Damn Small Linux é uma mini-distribuição. Designada para executar aplicativos gráficos em computadores antigos, esta distribuição é muito pequena, possuindo apenas 50 MB de arquivos de instalação. 

Damn Small Linux foi originalmente desenvolvido como um experimento para verificação de quantos sistemas funcionais preenchiam um live CD de somente 50 MB. Porém, com o tempo esta distribuição cresceu e se tornou um projeto concreto, com centenas de horas de desenvolvimento. 

Pequeno, porém completo! 

Com uma área de trabalho completa, esta distribuição possui aplicativos escolhidos com o melhor equilíbrio entre funcionalidade, tamanho e velocidade. Entre os principais aplicativos estão o tocador de músicas XMMS, o Firefox, o Xpdf, os editores Vim e Nano, o mensageiro Naim, o processador de texto Ted, clientes FTP e DHCP, entre outros. 

Download: http://www.baixaki.com.br/linux/download/damn-small-linux.htm

Mageia Linux

Mageia Linux 2

Mageia é um fork do Mandriva Linux formado em setembro de 2010 por ex-empregados e contribuintes para a distribuição Linux popular francesa. Ao contrário do Mandriva, que é uma entidade comercial, o projeto Mageia é um projeto da comunidade e uma organização sem fins lucrativos, cujo objetivo é desenvolver um sistema operacional livre baseado em Linux. Ultimamente essa distro vem recebendo destaque por ter passado o popular Ubuntu no Distro Watch, ficando em segundo Lugar.

Kubuntu

Kubuntu

O Kubuntu é um distribuição desenvolvida pela comunidade, baseada no Ubuntu mas com ambiente gráfico KDE ao invés do Unity, por isso seus programas são baseados quase que inteiramente nas bibliotecas QT. Ele é feito para ser amigavél, personalizável e leve e sempre tráz as ultimas novidades no que se trata da interface gráfica KDE.

Parted Magic

Parted Magic

Parted Magic é um pequeno live CD / USB /  com o propósito de ser uma ferramenta completa para Particionar discos rígidos. Embora GParted e o Parted sejam os principais programas, o CD / USB também oferece outras aplicações, como Partition Image, TestDisk, fdisk, sfdisk, dd, ddrescue, etc

Download:http://partedmagic.com/doku.php?id=downloads


CrunchBang

CrunchBang Linux

O CrunchBang Linux é uma distro minimalista e leve, baseada no Debian e usa o Open Box como gerenciador de janelas. Ele tem um foco em dispositivos de baixa performance, como netbooks e pcs mais antigos, usa aplicações da biblioteca GTK e funciona no modo live CD e está disponível para plataformas 32 e 64 bits.



Fique por dentro de tudo o que acontece no Diolinux...






Compilação de código fonte torna programas realmente mais rápidos?

Nenhum comentário

sexta-feira, 4 de maio de 2018

Durante a live de comemoração dos sete anos do blog Diolinux, debatemos a questão do ganho de desempenho do Gentoo através da compilação de programas. Será que isso é real mesmo?






Gentoo Linux é conhecido pelo seu desempenho baseado na estratégia de compilação de código fonte diretamente na máquia que será utilizada. A lógica é o seguinte:
Como os programas dos repositórios das distribuições são compilados em máquinas que possuem processadores diferentes da sua (algo que é incerto de se saber), isso pode acarretar em certa perda de desempenho. Portanto compilando os programas na mesma máquina que irá utilizá-lo acaba acarretando no melhor aproveitamento do desempenho.
Mas esse conceito em certo aspecto é teórico, em outro não; as próprias ferramentas de desenvolvimento do Android são disponibilizadas em forma de código fonte para poder extrair o melhor proveito do hardware após compila-la.

Somente o fato de compilar programas diretamente na máquina não é garantia melhor aproveitamento de desempenho do hardware, especialmente se o usuário não souber como fazer isso. Pode ser, na verdade, que a situação piore ao invés de melhorar. Existem mais fatores a serem considerado antes de concluirmos e julgarmos que a compilação do código fonte é o fator chave desse conceito.

Eu já havia até mesmo feito um vídeo no meu canal debatendo o assunto quando me disseram que o FreeBSD utilizando o UFS ou ZFS possuía melhor desempenho do que do Linux e expliquei em detalhes. Confiram o vídeo:


Da mesma forma que um filesystem não é a única característica que influencia no ganho de desempenho de um sistema operacional,  compilar código fonte diretamente na máquina também não. Alguns fatores que influenciam para isso são:
  • Configuração especifica para o hardware (exemplo disso é o kernel que deve ser configurado para a família correta do seu processador e não a versão genérica. Utilizar microcódigos do processador também ajuda;
  • Makefile personalizado (as comunidades Gentoo e Funtoo fazem isso muito bem);
  • Patches de correções desenvolvidos pelas próprias comunidades Gentoo e Funtoo (esse é um ponto importantíssimo que as comunidades Gentoo/Funtoo fazem adicionando seus patches para melhorar o desempenho);
  • Fazer uso de compiladores e bibliotecas corretas;
  • Filesystem
  • init system (inclusive a comunidade Gentoo criou o Openrc exatamente com esse propósito. O systemd vem apresentando melhor desempenho até mesmo que o Openrc).
Querem prova que até mesmo pacotes binários podem proporcionar bom desempenho? A própria distribuição Clear Linux é prova de fogo disso, que vem aprimorando o desempenho do Linux mesmo tendo pacotes binários, inclusive trabalhando para tornar o Steam em um programa 64 bits nativo.

 Alguns dos seus resultados podem ser conferidos no próprio Phoronix:

Teste de Benchmark Linux

Teste de Benchmark Linux

Teste de Benchmark Linux


Outros dois grandes exemplos disso são as distribuições Alpine Linux por adotar o musl ao invés da Glibc e o LLVM no lugar do GCC.

A distribuição Debian que vem ganhando melhoria de desempenho de uma versão para a outra, um dos fatores para esse sucesso também foi por estar adotando o LLVM no lugar do GCC e há planos de migrar da Glibc para a musl.

Muitas vezes distribuições source based não serão a melhor solução para o ganho de desempenho; na verdade ela pode até mesmo se tornar uma dor de cabeça ao invés de uma solução e você se frustrar. O que deve ser analisado para adoção de uma distribuição source based é a sua necessidade (quando adotar ou não) assim como o Google fez no caso do ChromeOS e a Apple vem fazendo com o iOS.

Um debate legal. É isso aí, um abraço e falou :)
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Gentoo Linux - A distro mais rápida do mundo

Nenhum comentário

quinta-feira, 28 de maio de 2015

Conheça a história de uma das mais antigas e clássicas distribuições Linux que existem, o Gentoo Linux.

A história do Gentoo Linux


Conheça os detalhes da história do Gentoo Linux


O Gentoo é uma distros mais antigas do mundo Linux e tem muitas particularidades que o tornam interessante perante as outras distros.

Considerada uma distro difícil para usuários comum, ela é considerada por muitos a distro mais rápida do mundo, especialmente pelo seu método de instalação, tanto do sistema quanto dos programas. Conheça todos os detalhes sobre o sistema neste vídeo abaixo:



Agradecemos ao Gabriel da Costa do canal Toca Tux pela excelente explanação, você pode conhecer o canal dele clicando aqui.

Leia também:
A história do Red Hat Linux

Compartilhe o conteúdo deste artigo para espalhar o conhecimento por aí e até a próxima!

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Funtoo Linux - Instalação e Configuração

Nenhum comentário

sábado, 1 de dezembro de 2018

Funtoo é um sistema operacional livre, baseado em Linux, baseado no Gentoo e iniciado em torno de 2008 por Daniel Robbins. Hoje vamos explorar um pouco mais essa distribuição tão peculiar.

Funtoo Linux





O primeiro passo é a instalação da distro em si. No vídeo abaixo configuramos nossa tabela de partições através do Ubuntu utilizando o Gparted, criando as seguintes partições dentro de uma partição estendida. 


Após isso, montamos as partições de root e boot e baixamos o stage3 para instalação do Funtoo 64-bit para dentro do diretório montado a partição de root e logo após isso já o descompactamos. Depois montamos os dispositivos necessários para efetuarmos o chroot e o fazemos em seguida. E então sincronizamos a àrvore de diretório do Portage com a oficial do Funtoo utilizando o comando ego e logo depois alteramos a fstab (mudamos o número das partições e alteramos o boot de noauto para defaults) e em seguida atualizamos os aplicativos do Portage. Tratamos erros, adicionamos serviços para iniciar com o OpenRC e instalamos e configuramos o grub. Com tudo finalizado, saimos do chroot e desmontamos os dispositivos e reiniciamos a máquina para conferir. Assista o vídeo completo da instalação.

Configurando e instalando aplicativos


  • bspwm é um gerenciador de janelas leve, lado a lado, e minimalista escrito em C que organiza janelas em árvore binária completa. Seu tamanho instalado é menor que 600KB. O bspwm tem suporte para EWMH e múltiplos monitores. Ele responde apenas a eventos e mensagens X que recebe em um soquete dedicado de um programa incluído em seu pacote, o bspc
  • Polybar é uma ferramenta rápida e fácil de usar para criar barras de status. Ele tem o objetivo de ser facilmente personalizável, utilizando vários módulos que permitem uma ampla variedade de funcionalidades (editáveis), como a exibição de espaços de trabalho, a data ou o volume do sistema. O Polybar é especialmente útil para gerenciadores de janelas que possuem uma barra de status limitada ou inexistente, como awesome ou i3 . O Polybar também pode ser usado em ambientes de desktop completos , como o Plasma.
  • Rofi é um launcher que começou como um clone de simpleswitcher , escrito por Sean Pringle e posteriormente expandido por Dave Davenport .
Instalamos, ajustamos e configuramos esses e outros aplicativos conforme o vídeo abaixo:

Finalizando


Finalizamos a série sobre Funtoo Linux e mostramos como customizar o Polybar , Rofi e outros aplicativos e configurações. Logo no início (após logarmos com nosso usuário normal) configuramos o bspwm para iniciar setando configurações do rxvt-unicode, wallpaper e carregar o Polybar automaticamente. Elimine todas as dúvidas assistindo o vídeo abaixo que efetua todos os processos acima relatados, além de dicas adicionais.

Links Úteis


Aplicativos úteis

Saiba a origem do nome de algumas distribuições

Nenhum comentário

domingo, 13 de maio de 2012


Postagem muito interessante retirada do blog Seja Livre parceiro do Diolinux.
Muito Interessante vale a leitura.
Muita das vezes nós usamos as nossas distribuições Linux e nem sequer imaginamos o “por quê” do nome que a mesma usa. Bom, um tempo atrás eu estava procurando o que significava o nome Fedora e encontrei um artigo no Viva o Linux muito interessante que explicava o nome de algumas distribuições. Dei uma acrescentada nele e publico aqui hoje pra vocês. Vamos lá!

Gentoo

Linux: A Origem dos NomesGentoo é o nome da espécie de pinguim mais veloz que existe. Na verdade é a ave mais veloz do mundo debaixo da água. A distribuição Gentoo Linux tem esse nome pois se propõe a ser a distribuição mais rápida de todas.
Usuários de Gentoo normalmente possuem grande conhecimento em configuração do Linux e são capazes de adequar o sistema especificamente para o seu hardware em vários detalhes, resultando em um sistema realmente veloz.

Ubuntu

Linux: A Origem dos NomesEsse nome tem um significado fácil e muito divulgado. Ubuntu é uma palavra sul-africana que significa “humanidade com os outros” ou então “sou o que sou pelo que nós somos”.
A pronúncia correta é “oo-boon-too” (em inglês). Isso pode ser visto aqui.
Também é possível ouvir Nelson Mandela pronunciando “Ubuntu” neste vídeo do Youtube (após um minuto e nove segundos de vídeo):
O nome Ubuntu reflete uma filosofia de ajuda mútua e de compartilhamento. É como se essa distribuição devesse ser algo comum a todos, diferente da ideia de algo reservado e restrito.
Podemos perceber, inclusive, que o logotipo do Ubuntu passa a ideia de três pessoas de mãos dadas, ou seja, passa a ideia de união, de algo feito com colaboração para o benefício de todos.

Fedora

Linux: A Origem dos NomesComo muitos sabem, Fedora é uma distribuição criada pela RedHat (chapéu vermelho). O nome RedHat é uma referência ao boné vermelho do time de Lacrosse da Universidade Cornell.
Obs.: Essa informação foi conseguida aqui.

Linux: A Origem dos Nomes
E Fedora é o nome de um modelo de chapéu… Será que já deu para perceber? Acontece que o chapéu vermelho que vemos no logo da RedHat é do tipo Fedora. Daí a origem do nome dessa distribuição, criada pela RedHat.
Para mais informações sobre a origem do nome Fedora, consulte o seguinte artigo: A Origem do Nome Fedora

Debian GNU/Linux

Linux: A Origem dos NomesO nome da distribuição Debian (pronuncia-se “débian”) tem sua origem nos nomes dos seus criadores: Debra e Ian Murdock, que são casados. A distribuição foi lançada em 1993 e é a distribuição oficial do projeto GNU.


Mandriva

Linux: A Origem dos NomesO nome da distribuição Mandriva vem da união de duas empresas: a francesa Mandrake e a brasileira Conectiva. Antes dessa fusão, cada empresa era responsável pelo desenvolvimento de uma distribuição Linux diferente.
Hoje a empresa possui uma sede administrativa em Paris e um centro de desenvolvimento em Curitiba.

Slackware

Linux: A Origem dos NomesA distribuição Slackware tem esse nome como uma referência ao termo “slack”, usado pela Igreja de Subgenius (Church of SubGenius).
Mas o que é “slack” e o que é Igreja de Subgenius?
Igreja de Subgenius é uma pseudo-religião que satiriza outras religiões e crenças que envolvem conspirações mundiais, extra-terrestres etc.
O símbolo dessa religião é o “Bob com cachimbo”, daí a origem do símbolo “Tux com cachimbo” como mascote da distribuição Slackware!
Linux: A Origem dos Nomes   Linux: A Origem dos Nomes
“Slack” é um termo muito utilizado na Igreja de Subgenius. Na verdade “slack” é o termo que define a crença central da Igreja de Subgenius. Geralmente o termo significa sentimento de liberdade, de independência e um pensamento original que surge quando você atinge os seus objetivos pessoais.
A Igreja afirma que todos nascemos com o Slack Original, mas este nos foi roubado por uma conspiração mundial de pessoas normais, os “pinks”.
Com isso chegamos à conclusão de que o nome Slackware é uma referência ao “slack”, ou seja, ao sentimento de liberdade, originalidade e independência. Seria algo como: “não pense como os outros (pinks), seja original e independente”.

Kurumin

Linux: A Origem dos Nomes - Parte 2
Kurumin é o nome de uma das mais famosas distribuições Linux brasileiras. Seu nome vem de “curumim”, do tupi-guarani, língua indígena, que significa “criança” e começa com a letra “K” em referência à distribuição Knoppix, que serviu de base para ela.
O mascote do Kurumin é um pinguim indígena. É uma distribuição criada para usuários iniciantes, de fácil uso, por isso a referência à “criança”. A distribuição foi descontinuada em 2008.

Knoppix

Linux: A Origem dos Nomes - Parte 2
Knoppix é uma distribuição baseada na distribuição Debian e que tem seu nome tirado de uma derivação do nome do seu criador: Klaus Knopper, com a influência do nome Unix, que é o sistema do qual o Linux se originou.
O seu símbolo faz referência ao desenho do Homem Vitruviano de Leonardo da Vinci. Esse desenho é baseado nos conceitos do arquiteto Marco Vitruvio Polião que viveu no século I a.C e mostra a perfeição geométrica das medidas do homem baseadas na proporção áurea.

Arch Linux

Linux: A Origem dos Nomes - Parte 2
Arch Linux, ou apenas Arch, é uma distribuição cujo nome nada mais é que o substantivo “arch”, que significa arco em inglês. Substantivo usado como radical em palavras como “architecture” (arquitetura).
Um dos diferenciais dessa distribuição é a sua otimização para processadores de arquiteturas i686 ou superiores. Arch se pronuncia “ártch”, como na palavra “archer” (arqueiro).
Seu símbolo lembra uma pirâmide (uma maravilha arquitetônica), mas com um arco na base que acaba formando, no conjunto, algo semelhante a letra “A” (de Arch Linux). Seu lema é “Keep it simple, keep it lightweight” (mantenha-o simples, mantenha-o leve), que é um lema baseado no princípioKISS(keep it simple, stupid), seguido por distribuições como Slackware.

FreeBSD

Linux: A Origem dos Nomes - Parte 2
FreeBSD não é Linux, mas é um sistema baseado no BSD, que por sua vez é um sistema do tipo Unix. A origem do nome FreeBSD e BSD se misturam. BSD vem de Berkeley Software Distribution, algo como: programa de distribuição de Berkeley. O nome é apropriado já que esse sistema foi desenvolvido na Universidade de Berkeley.
O FreeBSD é apenas uma das diversas variações desse sistema. o “Free” significa livre em inglês, pois trata-se de um sistema operacional livre. Seu mascote é um diabinho vermelho que se chama Daemon (demônio em grego), isso devido ao fato do sistema utilizar daemons, que são programas executados na memória e que atendem requisições do processador. Seu lema é “The power to serve”, o poder para servir. Sistema muito utilizado em servidores.

Conectiva

Linux: A Origem dos Nomes - Parte 2
Conectiva é o nome de uma distribuição brasileira que não existe mais. A Conectiva se fundiu com a Mandrake e criaram a distribuição Mandriva. Conectiva é um nome que lembra conectividade.

Mandrake

Linux: A Origem dos Nomes - Parte 2
Mandrake era o nome de uma distribuição Linux, que agora é conhecida como Mandriva (fusão de Mandrake com Conectiva). Mandrake, o mágico, é o nome de um personagem de quadrinhos dos anos 30, do mesmo criador do personagem Fantasma. O símbolo dessa distribuição é um Tux com capa e cartola, as mesmas vestes do Mandrake, o mágico.



Puppy Linux

Linux: A Origem dos Nomes - Parte 2
Puppy Linux é uma distribuição leve e live-CD (não precisa instalar no HD, funciona direto no CD). “Puppy” significa filhote em inglês. Seu objetivo é ser isso mesmo, um filhote, ou seja, pequeno e atraente.
Existem algumas versões que são variações do Puppy como o Chubby Puppy (filhote gordinho) que vem com programas mais pesados como o OpenOffice; Barebones Puppy (algo como: filhote esquelético) que não tem ferramentas gráficas e Puppy Unleashed(filhote separado?) que permite ao usuário escolher os aplicativos que comporão o live-CD.

Linux Mint

Linux: A Origem dos Nomes - Parte 2
Linux Mint é uma distribuição baseada na distribuição Ubuntu. “Mint” significa hortelã em inglês, considerado um sabor refrescante e agradável. Seu objetivo é ser uma distribuição de fácil uso. Seu tema padrão é verde, cor sempre associada ao sabor hortelã (menta) nos produtos alimentícios. Seu símbolo lembra uma folha verde.

Big Linux

Linux: A Origem dos Nomes - Parte 2
Big Linux tem o objetivo de ser uma distribuição completa para desktops. Atende todas as necessidades do usuário final, diferente de algumas distribuições em que o usuário precisa montar o sistema aos poucos.
Big Linux possui uma grande quantidade de programas já instalados, daí o seu nome: Big Linux (Grande Linux).

GoblinX

Linux: A Origem dos Nomes - Parte 2
GoblinX é uma distribuição live-CD baseada na distribuição Slackware. Seu lema é “GoblinX Linux, Porque Beleza é Fundamental”. Seu objetivo é também proporcionar uma sensação agradável devido sua aparência. Algo um tanto estranho quando analisamos a origem do seu nome.
Goblin é o nome de uma criatura de fantasia (normalmente encontrada em histórias de fantasia medieval) que são feias, normalmente verdes e narigudas. o “X”, no nome, supõe-se que seja devido ao Linux/Unix. Seu símbolo tem a figura de um Goblin.

Damn Small Linux

Linux: A Origem dos Nomes - Parte 2
Damn Small Linux, também conhecida como DSL é uma distribuição live-CD que tem por objetivo ser muito pequena e leve. Daí a origem de seu nome que significa algo do tipo: “Linux danado de pequeno!”.
Sua imagem ISO tem menos de 50MB, no entanto é um sistema completo. Seu símbolo possui a imagem de um pequeno pinguim.

BackTrack

Linux: A Origem dos Nomes - Parte 2
BackTrack: distribuição apreciada por hackers e analistas de segurança. É live-CD e foi criada para testes de penetração (pen tests). “Back track” significa volta completa, ou seja, uma volta que termina no mesmo ponto em que começou.
Isso lembra a ideia de loopback, que é um laço onde qualquer mensagem enviada é recebida pelo mesmo canal de envio. Faz sentido, já que o usuário testará a penetração, simulando ataques, ele mesmo obterá o resultado dos testes.

Sabayon

Baseada no Gentoo, criada pelo programador Fabio Erculiani, desenvolvida em Riva del Garda, Trentino, Itáliae distribuída internacionalmente.
Seu nome vem de uma sobremesa: um doce italiano chamado “zabajone” ou “zabaglione” que em Inglês, se chama “zabaione” e em Francês, “sabayon”.
Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo