Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

LibreOffice 6.3 lançado com melhorias de performance

Nenhum comentário

sexta-feira, 9 de agosto de 2019

O LibreOffice é uma das suítes offices mais famosas no meu Linux e em outros sistemas. A cada lançamento sua interface vem sendo refinada e a compatibilidade com os formatos de arquivos fechados da Microsoft sendo refinados.

suite-office-libreoffiice-linux-windows-mac-documento-trabalho-slide-planilha-apresentação

O LibreOffice 6.3 traz melhorias na exportação e abertura de documentos, além de continuar o refinamento em seu visual, algo iniciado há algum tempo e que passou a estar disponível na versão anterior 6.2.

Outra importante mudança, que anteriormente tinha sido anunciada, é o fim de suas versões binárias de 32 bits para sistemas baseados em Debian ou Red Hat oferecidas pela The Document Foundation. No entanto, o suporte para sistemas desta arquitetura será mantido por mais alguns meses na versão atual 6.2, entretanto, a nova versão só está disponível para arquiteturas 64 bits. Inclusive é aconselhável que usuários em sistemas de produção, mantenham-se na versão 6.2, caso desejem maior estabilidade.

Comparado a versão 6.2, o LibreOffice 6.3 consegue exportar quase duas vezes mais rápido, enquanto ao abrir arquivos ODT no Writer, sua performance pode chegar a mais de 90% mais veloz. Melhorias na exportação de PDFe adicionado suporte para importar gráficos do DOCX (drawingML). Novidades, como uma janela de “dica do dia” ao iniciar o programa (uma vez por dia), um novo infobar (informando as notas de lançamento a cada nova versão), uma versão compacta da interface NotebookBar chamada de “Tabbed Compact” (auxiliando donos de laptops com pouco espaço), outra interface denominada “Contextual Single” (para Writer e Draw), e muito mais. 

Veja algumas novidades no vídeo demonstrativo:


A versão 6.3 receberá suporte por dez meses, com periódicas atualizações até 29 de maio de 2020. Você pode acessar seu site oficial para efetuar o download do LibreOffice.

Participe de nosso fórum Diolinux Plus e fique por dentro das novidades, até o próximo post, SISTEMATICAMENTE! 😎

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Anunciado o HarmonyOS, o novo sistema operacional da Huawei

Nenhum comentário
Ao longo de todo esse impasse, entre EUA e Huawei, noticiamos o desenrolar dessa história. Caso não tenha conhecimento, leia a primeira postagem aqui do Diolinux sobre o relacionamento complicado entre os Estados Unidos e a Huawei.

huawie-hongmengos-harmonyos-smartphone-android-unix-linux-tv-laptops

Alguns cogitaram a possibilidade da Huawei criar parcerias com outras empresas e embarcar Linux em seus laptops, escrevi um artigo acerca do tema, enquanto outros apostaram em um sistema que funcionasse em ambas plataformas. Informações de usuários que testaram o então denominado HongMeng OS foram detalhadas nesta postagem.

Fim do mistério?


Afinal, é HongMeng OS ou HarmonyOS? Acontece que ambos estão corretos, entretanto, HarmonyOS é o nome em inglês. A Huawei fez diversos registros de nomes e antes de seu pronunciamento oficial, ainda existia muita especulação quanto ao nome correto. HarmonyOS será adotado globalmente.

Em sua conferência para desenvolvedores deste ano, a Huawei anunciou seu novíssimo sistema operacional e revelou mais detalhes e possíveis planos para o mesmo.

O HarmonyOS é um sistema baseado em microkernel, que pode executar diversas operações de Linux, Unix e Android, tudo na mesma plataforma. Seu foco é suportar um vasto portfólio de dispositivos e cenários. Tablets, TVs, dispositivos IoT, Wearables, PCs e muito mais opções. Além das fabricantes poderem embarcar o HarmonyOS. O lançamento da solução chinesa foi acelerado, devido a toda situação desconfortável com os EUA. Segundo Yu Chengdong, CEO da Huawei Consumer BG, que o sistema da empresa foi projetado para funcionar em várias plataformas e que uma possível migração de Android para HarmonyOS seria algo relativamente simples. Isso, se por algum motivo a Google deixasse de ser parceira da empresa.

Yu revelou que inicialmente o sistema tinha data prevista de lançamento para meados de 2020, mas devido aos problemas com os EUA, a empresa empenhou-se no desenvolvimento de sua solução, investindo em 4000-5000 pessoas para tornarem o projeto viável antes da data.

O HarmonyOS é software open source, segundo a Huawei não é baseado em Linux (mas pode trabalhar com o mesmo) e tem previsão de lançamento junto a TV Honor Smart Screen, amanhã dia 10 de Agosto. Assim maiores detalhes serão revelados, lembrando que essa conferência (HDC 2019) tem como foco os desenvolvedores. Sendo de código aberto a empresa visa acelerar sua adoção e desenvolvimento.

Participe de nosso fórum Diolinux Plus e fique por dentro das novidades, até o próximo post, SISTEMATICAMENTE! 😎

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

FreeOffice vai permitir salvar em formatos fechados e abertos

Nenhum comentário
Depois da polêmica em volta das suítes Offices no Manjaro, a empresa alemã SoftMaker, dona do FreeOffice, vai trazer novidades para quem precisar salvar em outros formatos.


FreeOffice vai permitir salvar em formatos fechados e abertos






A suíte office grátis da SoftMaker, o FreeOffice, vem ganhando notoriedade no mundo Linux, pois vem se tornando uma alternativa muito boa para quem precise abrir formatos proprietários do MS Office, que em muitos casos o LibreOffice não consegue lidar muito bem.

Na versão atual do FreeOffice, você tem algumas limitações em relação a versão paga, como poder ou não salvar em alguns formatos, como doc, xls, ppt e odt por exemplo. Como podemos ver nos prints abaixo, tirados daqui.






Mas isto está para mudar em breve. Depois da polêmica das suítes no Manjaro, em uma tread no Twitter, um usuário questionou o porquê da escolha do FreeOffice, visto que ele não salva em alguns formatos. Eis que a SoftMaker responde dizendo:



“ Nós concordamos em adicionar esses recursos ao FreeOffice (salvar em DOC, XLS, PPT, ODT).”

Para confirmar, o jornalista da Forbes, Jason Evangelho, perguntou se isso seria uma característica da versão do FreeOffice, e a SoftMaker confirmou:



Eu aproveitei e perguntei se eles iriam “expandir” a forma de salvar, para os formatos abertos, mais precisamente nos formatos ODS (spreadsheets/planilhas) and ODP (presentations/apresentação). A resposta deles informada a nós, é que no momento não será possível, pois não há mão de obra disponível para fazer a implementação. 



Quem precisar abrir arquivos no formato ODS, poderá fazê-lo tanto na versão gratuita, quanto na paga.

Recentemente fizemos um post abordando em detalhes essa suíte office, basta clicar aqui.

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum.

Espero você até a próxima, um forte abraço.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Slax - Um Linux para carregar no bolso com menos de 300MB!

Nenhum comentário
Os sistemas baseados em Linux podem ser bem versáteis e podem ser utilizados de diversas formas diferentes. Possivelmente você já ouviu falar que um sistema Linux pode operar "milagres" em uma máquina com mais do que alguns anos, e de fato, dada a maleabilidade das interfaces, é exatamente isso que pode ocorrer. Hoje você vai conhecer uma distro focada em ser tão portátil e leve quanto possível, sem renunciar a um visual agradável, o Slax.

Slax - Uma distro de bolso





O Slax é uma distribuição Linux peculiar por vários motivos. Ela é super compacta, sua ISO tem cerca de 280MB, ela não é projetada para ser instalada em um computador, apesar de isso ser possível e traz uma quantidade mínima de aplicações, que beira o ridículo, mas que é o suficiente para atender necessidades básicas de quem utiliza o computador para navegar na internet e faz outras atividades comuns, como gerenciar seus arquivos.

A ideia é que você use o Slax diretamente de um pen drive, onde as suas modificações deverão ficar salvas, assim como a adição de novos programas. Nesse caso, a quantidade de dados que você pode armazenar está diretamente ligada ao tamanho do seu pen drive.

Aposta na simplicidade


Consumo de RAM do Slax

Apesar de simples, o ambiente Fluxbox que a distro traz é bem customizado e agradável aos olhos, lembrando qualquer edição do Windows vagamente, com uma metáfora de desktop tradicional, consumindo apenas 127MB de RAM uma máquina virtual, de forma que é justo supor que em uma máquina real o Slax consiga ser ainda mais econômico.

Geralmente em reviews de distribuições Linux, comentar quais são os softwares que acompanham a distro é uma tarefa complicada, afinal, um sistema operacional é composto de inúmeras aplicações para todas as finalidades, mas até nisso o Slax se sobressai, estes são todos os programas que acompanham a distro por padrão:

Aplicativos do Slax

Um terminal simples (Xterm), um gestor de arquivos (PCManFM), uma aplicação de calculadora (Qalculate), um editor de textos simples/bloco de notas (Leadpad), um gestor de rede (Wicd), o VLC Media Player, o XArchiver para lidar com arquivos compactados e o gestor de tarefas (LXTask).

Não podemos esquecer, é claro, do navegador Web Chromium, que fecha o set de aplicativos, garantindo que você tenha todo o básico para atividades comuns do dia a dia, especialmente com atividades focadas na internet. A distro possui um painel da parte inferior e desenha as janelas na sua tela com compositor "Compton".

O Slax era baseado no Slackware, mas desde a versão 9 a distro é baseada no Debian, para ser mais específico, baseia-se no Debian Stretch, como podemos ver pela lista de repositórios, ao menos no momento em que este artigo é escrito.

Slack Debian Repos

Como o Slax usa base Debian, naturalmente você pode usar o "apt" via linha de comando para instalar novos aplicativos no sistema e gerenciar as atualizações, dessa forma, não possuindo um gestor gráfico para tal, como uma loja de aplicativos ou algo parecido.

No entanto, nas mãos de quem conhece um pouquinho da base Debian ou Ubuntu, fica fácil fazer a instalação das aplicações mais comuns, inclusive o Google Chrome mesmo, usando ferramentas como o "dpkg". Nada te impede de instalar um software como o Synaptic por exemplo, e assim gerenciar tanto os pacotes, quanto as atualizações através de uma interface.

Gerenciador de arquivos do Slax

Como você pode ver, até mesmo as pastas do gerenciador de arquivos lembram as do Windows, toda a interface Fluxbox também responde a cliques  com o botão direito do mouse na área de trabalho, abrindo um menu de aplicações e configurações, semelhante as configurações nativas que o XFCE possui, mas sendo ainda mais leve do que ele.

Configuração do teclado do Slax

Para poder usar o teclado em Português, caso você queira, basta clicar com o botão direito do mouse, ir até "Keyboard layout... >> Other >> Brasil", ou então selecionar "Portuguese" diretamente, caso você queira usar o Português de Portugal.

Ainda que seja simples, há configurações avançadas para o painel, como a opção de "auto-hide", a função "print screen" tem um software embutido na interface que consegue gerenciar as capturas de tela, você pode ajustar a resolução da tela diretamente pelo menu de contexto na área de trabalho, é possível também usar múltiplos desktops virtuais.

Considerações sobre o Slax


Acho que definitivamente o Slax é um Debian com Fluxbox, não muito mais do que isso, mas não se engane, o arranjo do desktop do Slax para com o Fluxbox é feito de forma primorosa e vai te poupar um grande tempo ajustando as coisas. Você pode instalar o Fluxbox no Debian ou no Ubuntu facilmente com:
sudo apt install fluxbox
Mas o resultado vai ser mais ou menos assim:

Fluxbox no Ubuntu

E olha que eu dei uma customizada para ficar "menos pior". Dessa eu forma, eu aplaudo a equipe do Slax que criou uma variação do Fluxbox que torna amigável a migração para quem vem do Windows e tem um computador extremamente fraco, desde o cuidado com o visual, até as aplicações pré-instaladas, que apesar de poucas, são certeiras.

Coisas para prestar atenção ao usar o Slax e que podem não ser tão boas


Tudo tem prós e contras e naturalmente com o Slax não seria diferente.

Minha sugestão é que você considere o Slax apenas para computadores super fracos, a distro ainda entrega ISOs de 32 bits, então pode ser o caso de usar em máquinas realmente antigas e com baixo desempenho.

Não sei se você percebeu pelas imagens, mas o Slax opera diretamente no modo Root, o que é um risco de segurança desnecessário para se correr, isso faz com que você esteja suscetível as ameaças que não afetariam usuários que utilizam um usuário Linux padrão. Não me entenda mal, você ainda estará com um nível de segurança acima usando Linux, entretanto, nada impede que você crie um novo usuário e utilize o sistema dessa forma, talvez seja até mais seguro.

Como o Slax mira o público que quer uma distro para carregar no bolso, com um pen drive ou algo do tipo, o modo Root pode não ser um grande problema, de fato, mas além disso, esse apelo específico significa que não existe um instalador gráfico, e a tentativa ingênua de instalar o Slax usando um Debian Installer, simplesmente não funciona, entretanto, no site oficial, os desenvolvedores informam uma forma de fazer a instalação, no entanto, provavelmente o particionamento do disco deverá ser feito manualmente, usando um utilitário como o "fdisk", "cfdisk" ou então instalando o GPARTED e fazendo o particionamento por ele.

Com um ambiente super simplificado como o Fluxbox você ganha em algumas coisas, especialmente em responsividade, porém, você também perde coisas que talvez goste em ambientes mais robustos, como indicadores, ferramentas de controle de cor, um painel de controle mais vasto, as coisas passam a ser muito mais manuais do que em outros ambientes, e "menos bonitas", deste o ajuste de volume que é feito diretamente pelo alsamixer no terminal quando você clica no ícone do painel.

 O Fluxbox me parece quase beirar um "tilling window manager", como o i3, com a diferenaça de que ele de fato desenha as janelas de forma flutuante, como outra interface qualquer.

Você pode baixar o Slax pelo site oficial, e se quiser bater um papo sobre distros minimalistas, entre no nosso fórum e engaje-se com a comunidade.

Até a proxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Ubuntu 18.04.3 LTS lançado com Kernel 5.0 e várias melhorias

Nenhum comentário

quinta-feira, 8 de agosto de 2019

A Canonical lançou um Point Release da versão LTS do Ubuntu 18.04, agora chegando na versão 18.04.3 LTS e contando com algumas novidades bem interessantes.

Ubuntu 18.04.3 LTS lançado com Kernel 5.0 e várias melhorias





Essas Point Releases do Ubuntu, são imagens ISO novas, contendo as correções de bugs, patches de segurança, além de updates dos principais aplicativos ali presentes. Com essa nova ISO, é esperado uma economia de tempo em relação aos updates, pois os mesmos não precisam ser baixados e instalados posteriormente.

Algumas correções importantes foram feitas no Gnome-Shell, na Gnome Software, no Mutter, o MESA Driver foi atualizado, entre outras correções que você pode conferir aqui.

Essas melhorias só foram possíveis, pois essa nova versão do Ubuntu “puxa” algumas coisas do HWE (hardware enablement stack ou conjunto de ativação de hardware) do Ubuntu 19.04. Isso quer dizer que as melhorias e novidades contidas no 19.04 estão agora presentes no 18.04 LTS, permitindo que o usuário se mantenha em uma versão de longo tempo de suporte,  mesclando com as novidades lançadas em versões mais recentes do Ubuntu

Dentro destas novidades, estão as novas versões do Kernel, Mesa Driver e o Driver da NVIDIA.

● Kernel passou da versão 4.18.0-25.26 para a versão 5.0.0-23.24; 

● Mesa Driver 18.2.x series para a série 19.0.2 (com suporte para Vulkan)


●Drivers da Nvidia inclusos : versões 390, 418 e uma versão mais recente da série 430 (mais precisamente há 430.26).



Sobre os drivers da Nvidia, é interessante eles já disponibilizarem as últimas versões pelo repositório. Isto mostra que eles estão dispostos a facilitar a vida de quem tem GPUs do “lado verde da força”, como mostramos em reportagens recentes, que você pode conferir aqui e aqui.

Atualizando


Se você instalou a versão 18.04 LTS (Abril de 2018), e fez todos os updates desde então, teoricamente já está com boa parte dessas melhorias, só não tendo o novo Kernel e os drivers de vídeo. Vai ser preciso habilitar o HWE para isso. O procedimento é bem simples e é feito pelo terminal. Depois de aberta a aplicação, basta digitar ou copiar/colar o seguinte comando:

sudo apt-get install --install-recommends linux-generic-hwe-18.04 xserver-xorg-hwe-18.04

Se você instalou o Ubuntu 18.04.2 LTS e fez os updates, você deverá receber essas atualizações normalmente através do gerenciador de atualizações em modo gráfico.

Se você preferir fazer uma instalação limpa, sem problemas, basta baixar a ISO novamente através deste link.

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum.

Espero você até a próxima, um forte abraço.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Ao - Microsoft To-Do App para Ubuntu

Nenhum comentário
A Microsoft tem muitos produtos interessantes focados em produtividade para empresas, um deles é o aplicativos de tasks, Microsoft To-Do, que não tem versão nativa de Linux, mas que pode ser acessado de forma primorosa pelo Ao.

Microsoft To-Do App Linux





O "Ao" é um aplicativo não oficial que te dá acesso ao Microsoft To-Do, uma solução para criação de listas de tarefas e afazeres diários atrelado a sua conta Microsoft, sincronizado em nuvem. Atualmente é distribuído via Snap para Ubuntu, e em outras distros que tenham suporte para o formato.

Microsoft To-Do

O App tem várias opções e configurações de temas, incluindo o Dark, Black e Sépia, com função de redução de luz azul ao anoitecer.

App de planejamento

A aplicação também tem um ícone indicador que te dá um acesso rápido a configurações à partir da tray. É possível separar as suas tarefas por categorias também, colocar datas e vefiricar quais são as atividades do dia.

Para baixar o App, basta procurar por ele na loja de aplicativos, ou então clicar no botão abaixo:




Quer bater um papo sobre aplicativos de produtividade? Participe dos debates no nosso fórum!

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Pixar, LucasFilm e Netflix liberam OpenTimelineIO de forma Open Source

Nenhum comentário
Grandes empresas do setor de produção cinematrográfica e de mídia se unem para disponibilizar uma ferramenta Open Source voltada para o gerenciamento de grandes projetos do cinema.

OpenTimeline IO





Há praticamente um ano, noticiávamos aqui no blog a entrada de Hollywood em uma parceria com a Linux Foundation, com a intenção de tornar o ambiente de desenvolvimento de filmes mais sustentável, economicamente viável e estabelecer padrões abertos que todos os estúdios interessados pudessem tirar proveito.

Passado este tempo, tivemos a disponibilização de várias ferramentas usadas por estes estúdios de forma aberta através do GitHub e sites semelhantes, entre essas ferramentas estão: OpenColorIO, OpenCue, OpenEXR e OpenVDB.

A aplicação da vez é o OpenTimelineIO, anunciada pela ASWF (Academy Sofware Foundation). Criado originalmente pela Pixar Animation Studios e depois finalizado com ajuda da Netflix e da Lucasfilm, o OpenTimelineIO (OTIO) é uma API de código aberto e um formato de intercâmbio de dados que facilita a colaboração e a comunicação de dados editoriais e informações de cronograma entre os departamentos de estudos, editorial e produção, durante todo o processo de produção.

TimelineIO

Além do novo projeto, a Linux Foundation também anunciou a adesão de novos membros à ASWF, que incluem a própria Netflix, Rodeo FX e MovieLabs. Empresas anteriormente adicionadas incluem a Animal Logic, Autodesk, DreamWorks, Epic Games, Google Gloud, Walt Disney Studios, Weta Digital, DNEG, Cisco, Blu Sky Studio, entre outras.

O movimento Open Source, mais uma vez mostrando a sua força em um mercado onde os "bilhões" rolam, quer conversar mais sobre isso? Vem para o nosso fórum!

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo