Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Disney+ agora funciona no Linux sem problemas

Nenhum comentário

sábado, 7 de dezembro de 2019

Para quem esteve preso em alguma realidade paralela ou “sumiu” pelo estalo do Thanos 😂, a Disney agora tem um serviço de streaming chamado Disney+ (quanta criatividade né 😂😂?), que chega para concorrer com outros serviços do setor, como Netflix, Amazon Prime Video, Hulu, entre outros. Mas esse serviço tinha um empecilho, não “rodava” no Linux 😟.


Disney+ agora funciona no Linux sem problemas






O serviço tem estreia prevista no Brasil para meados de novembro de 2020, mas sem preço definido. Nos EUA ele custa US$6,99/mês, algo em torno de R$29/mês. Além dos EUA, está disponível no Canadá e Holanda, e para outros lugares do planeta o serviço estará disponível ao longo de 2020.

Quem fez o relato que o Disney+ não estava funcionando no Linux, foi o pessoal do OMG! Ubuntu!, dizendo que em nenhuma distro funcionava e que precisava de “soluções alternativas” para acessar.

Segundo eles, essa limitação inicial era por causa do DRM usado no serviço, o Widevine, requer um nível de segurança maior do que aceito no Linux (de nível 1).  Um outro serviço que pode enfrentar limitações deste tipo, é a Netflix, que não oferece resoluções em FullHD e 4k, mas o resto do serviço funciona perfeitamente.

A notícia que o suporte estava disponível para Linux foi dada por um engenheiro do Disney+, Justin Garrison. O tweet você confere abaixo:



Isso é muito bom, pois mostra que a empresa está preocupada em não deixar nenhum cliente fora da sua plataforma e assim tendo uma cobertura bem ampla de quem pode ver o seu conteúdo. Ponto para a Disney 😀.

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum. Espero você até a próxima, um forte abraço.


Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Planos futuros para o Pop!_OS

Nenhum comentário

sexta-feira, 6 de dezembro de 2019

Em uma das minhas rotinas de distro hopping, eu estava passando pelo Pop!_OS (que inclusive me estabilizei nele, ao menos por enquanto) e pela loja ser baseada na do ElementaryOS, fiquei na dúvida se ela receberia a atualização que dá suporte para flatpaks. Ao perguntar no Twitter da System76, recebi na resposta um link do roadmap deles, que conta com diversos planos para o futuro do sistema.

planos-futuros-pop-os-roadmap

Este roadmap conta com as funcionalidades que eles planejam disponibilizar no sistema, porém sem definir datas. Para as atualizações dos projetos mantidos por eles, é seguida uma estratégia de “rolling-release”, ou seja, será liberado imediatamente como um update, sem a necessidade de esperar a próxima atualização. As ferramentas serão liberadas tanto para a versão mais atual, quanto para a última LTS.

Vamos às ferramentas planejadas pela System76:

Flatpak


  • Suporte ao Flatpak com o repositório do Flathub;
  • Suporte para repositórios Flatpak no Repoman;

Placas híbridas


  • Adicionar nas configurações do Gnome a opção de definir com qual placa de vídeo um determinado aplicativo iniciará;
  • Adicionar uma opção para configurações do aplicativo ao clicar com o botão direito no ícone;
  • Desenvolver uma documentação para ajudar a comunidade a identificar aplicativos que não suportam placas híbridas e adicionar detalhes para que os desenvolvedores possam adicionar o suporte;

Gnome Contas Online


  • Adicionar novos serviços no Definições Iniciais do Gnome;
  • Adicionar novos serviços de CalDav e CardDav;
  • Adicionar os novos serviços no Gnome Calendário e Gnome Contatos;

Geral


  • Instalação de codecs;
  • Remoção do aplicativo System76 Driver, que é utilizado nos computadores e notebooks vendidos pela System76;
  • Integrar as informações do aplicativo System76 Driver no próprio sistema;
  • Adicionar funcionalidades na aba Sobre nas configurações;
  • Suporte para NVENC no ffmpeg;

Instalador


  • Suporte para ZFS;
  • Separar o gerenciador de discos do instalador;
  • Habilitar suporte para Wayland no instalador;
  • Adicionar uma opção para instalar ao lado de outro sistema;

System76 Power


  • Adicionar configurações do System76 Power nas configurações do Gnome;
  • Adicionar a possibilidade de criação de perfis customizados;
  • Customizar comandos para a mudança de perfis;
  • Perfis para processadores AMD;
  • Perfis para placas de vídeo AMD e Nvidia;

Popsicle


  • Adicionar o suporte para criação de pendrives do Windows 10;
  • Tradução para outros idiomas;

Pop Upgrade


  • Reduzir a banda de internet necessária para realizar a atualização da partição de recuperação;
  • Melhorar a detecção de pacotes e possíveis conflitos de pacotes;
  • O roadmap também conta com informações sobre os lançamentos anteriores da empresa, e caso você queira conferir, é possível acessar todo o conteúdo na íntegra. (em inglês)

Tem alguma ferramenta que você gostaria de ver disponível no Pop!_OS? Deixa aí nos comentários!

Se você tiver alguma dúvida sobre tecnologia, ou quiser compartilhar conhecimento com a comunidade, o Diolinux Plus é o espaço ideal para isso. Vem fazer parte da nossa comunidade!

Até a próxima!


Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Rode games nativos de Linux em versões especificas dentro da Steam

Nenhum comentário
A Valve vem investindo ultimamente, um tempo e dinheiro bem considerável nas soluções de games para rodarem no Linux, um exemplo famoso é o Proton. Agora ela dá mais um passo.

Rode games nativos de Linux em versões especificas dentro da Steam





Enquanto o Proton é uma solução que junta em um mesmo “guarda-chuva” (vamos assim dizer) o Wine e o DXVK, para rodar jogos de Windows no Linux, agora a Valve “ataca” os jogos que são desenvolvidos nativamente para o sistema do pinguim.

Nos mês passado (novembro), foi lançado uma nova feature chamada Steam Linux Runtime, que está disponível no cliente beta da Steam. O anúncio foi feito no blog oficial da Steam, pelo desenvolvedor da Valve, Timothee Besset.

Essa nova funcionalidade, segundo Besset, abre a possibilidade de usar os jogos em contêineres, assim isolando do sistema, podendo com isso ajudar a Valve em dar suporte aos jogos mais antigos nas distribuições mais recentes, assim podendo colocar runtimes diferentes, libs mais recentes, ter um controle de qualidade maior sem que afete o sistema. 

Como usar o Steam Linux Runtime ?



Para utilizar essa nova ferramenta, primeiro você vai precisar ter a versão Beta da Steam no Linux, que você consegue acessar através deste caminho:  Steam > Configurações (Settings) > Conta (Account) e depois marcar a opção de participar do beta, e será preciso dar um restart na Steam.



Depois que fizer isso, na sua Biblioteca (Library) você vai procurar por “linux runtime” e instalar a ferramenta. No meu caso, eu já tenho ela instalada e por isso só precisei dar um update, mas se você não tem, vai aparecer o botão de Instalar (Install).



Agora para testar em algum jogo, você vai nas Propriedades dele e “forçar” ele a utilizar o Steam Linux Runtime. Lembrando que essa ferramenta é para jogos nativos, ou seja, que tenham versões para o Linux. O jogo que testei foi o 7 Days to Die.



Pode acontecer que alguns jogos não rodam, assim forçando você a tirar essa opção do jogo.

É muito incrível que isso esteja acontecendo, pois os devs e produtoras que tem jogos “antigos” no Linux  e querem dar um update neles, possam fazer isso sem se preocupar em quebrar o sistema ou coisa do tipo, e sim somente se concentrar no jogo. Além disso, creio que possa incentivar outras produtoras que tenham jogos “old school” e precisam de um maior controle de como são entregues, isso pode facilitar a vida deles. Mas isso é o que eu penso sobre o assunto.

Agora nos diga aí nos comentários, o que você acha dessa novidade e o que pode trazer de bom para o mundo gamer Linux.

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum. Espero você até a próxima, um forte abraço.



Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Firefox 72 será lançado com ferramenta de picture-in-picture

Nenhum comentário

quinta-feira, 5 de dezembro de 2019

A versão 71 do Mozilla Firefox liberou a funcionalidade de picture-in-picture (PiP) para o Windows, porém na versão 72 do navegador, este recurso será disponibilizado para os usuários de MacOS e Linux também.

pip-firefox-72-youtube

Se você não sabe o que é picture-in-picture, eu te explico: esta ferramenta basicamente permite que você destaque um vídeo do navegador para ficar por cima de todas as outras janelas, assim sendo possível assistir ao vídeo enquanto realiza outras tarefas.

Há muito tempo, o Firefox tinha realizado em seu já falecido projeto Test Pilot um teste para trazer o picture-in-picture para o navegador. O teste foi encerrado e finalmente agora, na versão 72, esta ferramenta será disponibilizada de forma nativa.

pip-firefox-youtube

Para utilizar o modo picture-in-picture, basta passar o mouse em cima do ícone exibido em cima do vídeo, clicar no botão e pronto, o vídeo será destacado.

video-sobreposicao-janela-pip-firefox

É possível posicionar e redimensionar o vídeo destacado livremente, e caso queira fechá-lo, basta clicar no botão X que aparece no canto superior direito.

Caso você já queira testar esta funcionalidade, ela está disponível na versão beta do navegador. A versão final está programada para ser lançada em janeiro de 2020.

Se você tiver alguma dúvida sobre tecnologia, ou quiser compartilhar conhecimento com a comunidade, o Diolinux Plus é o espaço ideal para isso. Vem fazer parte da nossa comunidade!

Até a próxima!

Fonte: OMG! Ubuntu!


Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Lutris chega na versão 0.5.4 com suporte para GPUs híbridas

Nenhum comentário
Um dos gerenciadores de jogos mais famoso para Linux chega a sua versão 0.5.4 com várias melhorias, correções e novidades, como o suporte ao NVIDIA Prime.

Lutris chega na versão 0.5.4 com suporte para GPUs híbridas





O Lutris é uma “mão na roda” para quem precisa instalar algum jogo não nativo do Linux. Ele traz alguns scripts que facilitam a vida da galera que quer ter aquela jogatina “marota” no pinguim. Temos aqui no blog, alguns posts bem bacanas para você, como instalar o WineHQ corretamente, ou de como preparar o seu Linux para jogos ou de como instalar o Lutris de forma correta.



Na versão 0.5.4 do Lutris, tivemos vários updates bem interessantes e alguns chamaram atenção, que vou listar abaixo:

● Suporte ao Python 3.8 adicionado;

● Suporte para o Nvidia PRIME off-load adicionado;

● Esync agora está funcionando com o Wine Staging 4.6 ou superior.

● O Wine do Lutris, na versão 4.20, agora tem inclusive uma correção para o Overwatch, onde a tecla CTRL esquerda não estava funcionando e o High Precision Mouse Input também foi consertado;

Sobre o Nvidia PRIME off-load, isso é muito bom, pois vai possibilitar que somente o jogo seja renderizado na GPU, assim aliviando o processador. Para saber mais a implementação da NVIDIA no Linux, você pode conferir neste artigo.



As outras melhorias e updates presentes nesta versão, você pode conferir aqui.

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum. Espero você até a próxima, um forte abraço.



Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Sistematicamente, até mais…

Nenhum comentário

quarta-feira, 4 de dezembro de 2019

Infelizmente estou me afastando da equipe de redatores do Diolinux, agradeço a todos os leitores que acompanharam e leram minhas postagens no decorrer do ano de 2019. Todo ciclo tem seu início, meio e fim, talvez para um novo processo, aquela reviravolta na história ou uma mudança temporária.

despedida-diolinux-osistematico-sistematico-henriquead-redator-linux-comunidade

É curioso pensar no Diolinux, sem todas as situações e problemas resolvidos por este blog em minha vida, além do conhecimento e amadurecimento de ideias e pontos de vista, claro. Tudo isso antes mesmo de compor a equipe de redatores e escrever sobre uma das coisas que mais amo na vida, tecnologia.

Para quem não acompanha meu trabalho no canal OSistemático, saiba que durante muito tempo venho lutando contra alguns problemas de saúde que vêm tirando minha paz e sono. Aliás, não era incomum me encontrar altas horas da madrugada estudando ou bolando algo para um próximo post, ou vídeo. Às vezes a forma que ludibriei as intensas dores, foram justamente incontáveis horas de buscas por assuntos voltados à tecnologia. Digamos que por um tempo, ocupando a mente, o corpo “dava uma folga”. Contudo, o ano de 2019 vem sendo um misto de dor e prazer. O engraçado que muitos afirmam que ambos andam lado a lado, digamos que existe um fundo de verdade nisso (😁️😉️😈️).

Retrospectiva 2019 (faz de conta)


Você recorda qual foi a minha primeira postagem aqui no blog Diolinux? Uma de minhas paixões, games! Especificamente uma matéria sobre o emulador de Nintendo 3DS, o Citra. Falando um pouco dos bastidores, a imagem da capa “fugia um pouco do padrão do site”, mas a imagem final foi se encaixando à proposta do Diolinux. Aquele tipo de ideia que só surge dentro de uma mente sistemática (😁️😁️😁️).

Abaixo você pode conferir a capa que foi reprovada, ainda bem o resultado ficou muito superior, e para ver a capa final acesse a postagem sobre o Citra.

despedida-diolinux-osistematico-sistematico-henriquead-redator-linux-comunidade-capa-citra

E não parou por aí, a capa utilizada em minha quarta postagem acabou tendo um de seus elementos utilizados em um projeto bem conhecido. Estou falando da matéria que escrevi sobre o AppImageHub, um site que concentra aplicações Linux neste formato de empacotamento. O ícone que criei, inspirado na logo do software da Snap Store, está sendo utilizado no site appimagehub.com, como bem pode ser visto na print logo abaixo (pena não terem atribuído a imagem a minha pessoa 😂️😂️😂️).

despedida-diolinux-osistematico-sistematico-henriquead-redator-linux-comunidade-icone-appimagehub.com

Também houve diversas postagens capciosas, assim digamos, que tive o prazer de escrever e a participação de vocês nos comentários foi excepcional. Abordei variados temas, obviamente a maioria com foco em tecnologias Open Source, mas o Windows e postagens relacionadas tiveram boa recepção. Matérias, como: “Microsoft revela o futuro do Windows”, “Windows 7 com data para morrer, e agora, o que fazer?” e “Você realmente precisa do Windows?”, são exemplos que posso destacar. Inclusive uma das minhas capas preferidas, estava inspirado no dia, foi sobre o Windows Phone/Mobile e seu fim oficial.

despedida-diolinux-osistematico-sistematico-henriquead-redator-linux-comunidade-windows-phone-mobile-capa

Matérias sobre jogos é o que não falta, tive a oportunidade de transmitir parte dos conhecimentos que tenho com emuladores e opinar, em temas e notícias sobre games. Lá vai uma listinha rápida de tutoriais e verdadeiros guias-rápidos de alguns emuladores disponíveis para Linux.


Games são uma paixão, e mesmo não jogando a quantidade que gostaria, me empolgo sempre que abordo o tema. Quem se recorda do “Projeto de lei que quer proibir jogos violentos no Brasil”, algo que em meu ponto de vista é uma tremenda bizarrice. Um assunto que rendeu bastante, foi “Linux e a pirataria nos jogos”. Sabemos que uma das maiores barreiras na inserção de Linux no mundo dos jogos, são os anti-cheats. Outro tema amplamente discutido ao decorrer do ano de 2019 aqui no blog Diolinux.

despedida-diolinux-osistematico-sistematico-henriquead-redator-linux-comunidade-steam-jogos

Entre notícias, tutoriais, dicas de apps (sejam eles para Android ou alguma distro Linux desktop) minha jornada no Diolinux foi repleta de opiniões, erros e muitos acertos. Sempre tive a liberdade de expor meu pensamento e escrever sobre temas que julgava ser interessantes. Falei sobre o Ubuntu Touch, se tinha morrido ou não. Testei inúmeros aplicativos e pequenas séries, além das de emuladores, se concretizaram. Posso citar a relacionada aos vários players de música que testei e passei a gostar. Se ainda vale a pena usar o Ubuntu 18.04 LTS ou até mesmo o Deepin. Falando em Deepin, apostei alto especulando uma possível parceria com a gigante chinesa Huawei. O palpite foi certeiro, pouco tempo depois a empresa começou a oferecer equipamentos com a distro Linux, e quem sabe mais o que poderá ocorrer com a nova versão do sistema.

despedida-diolinux-osistematico-sistematico-henriquead-redator-linux-comunidade-huawei-deepin

Escrever é algo que surpreende, quantas vezes fiz postagens que fizeram grande sucesso, enquanto outras que me empolgaram não tiveram a mesma quantidade de views. Uma que me lembro até hoje é esta: “Em dúvida ao escolher um nome para seu app, marca ou projeto?”. É uma de minhas favoritas, na qual mesclei a original com minha pitada pessoal. No entanto, ela não caiu no gosto das massas (😁️😁️😁️). E olha que tem até easter eggs sobre OSistemático. “10 Dicas para novos usuários de Linux/Ubuntu” é outra postagem que indico a leitura, como “O que leva um novo usuário desistir do Linux?”.

A criatividade foi uma das características que mais desenvolvi, aprender a controlar os processos criativos e burlar os bloqueios, acabou somando em minhas perícias.

Me diz se você algum dia imaginou o Dio chinês? Ou quem sabe sem sua barba e criança?

despedida-diolinux-osistematico-sistematico-henriquead-redator-linux-comunidade-avatar-criança--sem-barba-chinês-bebê

Toda equipe Diolinux sempre foi muito solicita e compreensiva em momentos de dificuldade, uma verdadeira família. E como toda família, passamos por altos e baixos. Discussões, alegrias, reuniões, treinamentos, brincadeiras, trabalho e muito mais.

Contribuir com um dos maiores sites de tecnologia, Open Source e Linux, no Brasil foi e é uma realização profissional. Ter a oportunidade de somar com projetos, como o PhotoGIMP, criando a logo é algo que sempre ficará marcado em meu coração. 

despedida-diolinux-osistematico-sistematico-henriquead-redator-linux-comunidade-logo-photogimp

OSistemático me trouxe até aqui!


Focar no trabalho e fazer o que gosta sem esperar nada das pessoas, pode lhe levar a lugares nunca imaginados. O Diolinux sempre foi o “pontapé inicial” para o surgimento do meu projeto OSistemático. Não faz muitos anos em que passei a utilizar Linux conscientemente, por ironia do destino me deparei algumas vezes com este blog durante seu nascimento. Confesso que nunca fui de acompanhar sites e blogs, apenas consumia quando necessário ou me convinha. Contudo, um canal no Youtube de mesmo nome me chamou a atenção. Não tinha muitos vídeos, uns dois ou três. Neste período nem conta no Youtube tinha, mas passei a acompanhá-lo mesmo assim. Linux e jogos, algo que gostava e já no primeiro dia me fez sentir uma vontade de criar um canal parecido.

Anos se passaram, aprendi a gostar do blog e canal Diolinux e também me inspirar, concordar e discordar de suas opiniões. O projeto OSistemático foi criado e quando menos esperava, estava participando de lives (ou conversando) no Diolinux e canais no cenário Linux que admiro muito, como: Madrugueds, Fast OS, Tuxter Games, Livre Software, Toca do Tux, Araras Studio (outrora Fosloks), entre outros. Sempre sendo verdadeiro e expondo minhas opiniões, ideias e jeito de ser. 

despedida-diolinux-osistematico-sistematico-henriquead-redator-linux-comunidade-canal-youtube

Se hoje estou me despedindo, talvez mesmo que temporariamente, do Diolinux é graças ao OSistemático que me trouxe até aqui. Como, também, as pessoas que conheci através dele e passei a mais que admirar, poder chamar de amigos.

Obrigado a todos os leitores, estou me afastando para dar foco em meu tratamento no ano de 2020, porém, continuarei a participar de lives no Diolinux e postar vídeos em meu canal (devagar, devagarinho vídeos serão produzidos, o foco é minha saúde). Então, convido a se inscreverem nos canais que mencionei anteriormente e também no OSistemático. Se não conhecia meu trabalho lá, aposto que vai gostar. 

Muito obrigado à família Diolinux, e a você Dionatan Simioni por permitir compor essa equipe incrível e por ser um líder notório, cativante, compreensivo, forte, profissional e amigo. Nunca trabalhei em um lugar que, mesmo com as diversidades e atritos, poderia chamar de família.

Participem da comunidade Diolinux Plus, e fiquem ligados no blog Diolinux.

Só ao nível de curiosidade, comecei com uma postagem sobre emulador e terminei com outra. Inconscientemente sendo sistematicamente sistemático (🤔️😉️😋️).

Até o próximo post, te espero aqui no blog Diolinux e em meu canal, SISTEMATICAMENTE! 😎️


Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


elementaryOS 5.1 Hera é lançado com várias novidades e suporte ao flatpak

Nenhum comentário

terça-feira, 3 de dezembro de 2019

O elementaryOS é lembrado na comunidade Linux por tentar trazer ao máximo a integração dos aplicativos com a interface gráfica do sistema e assim tendo uma harmonia para o mesmo. Na nova versão do sistema, não poderia faltar mais melhorias no “capô” do sistema como na “lataria”, que vamos ver a seguir.

elementaryOS 0.5.1 Hera é lançado com várias novidades e suporte ao flatpak






Podemos começar com a nomenclatura e a versão do sistema, que ainda se baseia na versão Juno 5, mantendo os mesmos repositórios e bibliotecas. Segundo o anúncio no blog do elementaryOS, a versão 5.1 é uma atualização importante, mas não uma nova versão, que ocorre a cada 2 anos, mas que esse grande update merecia um nome próprio e uma identidade.

Outro ponto abordado no post deles, foram classificar como importantes, o Greeter (saudação da tela de login) e o Onboarding, que seria o primeiro contato dos usuários com o sistema.



Como podemos ver na tela acima, a tela de login e de bloqueio (Greeter), tiveram um redesign, assim tornando-os mais nítidos e com o problema do HiDPI resolvido. Com esse novo update do Greeter, foi possível adicionar novas funcionalidades, como mostrar os nomes de um usuário para os demais, o wallpaper que o usuário escolheu agora é mostrado no “card” dele, notificação de quando o Caps Lock e o Num Lock estejam ativados e entre outras melhorias que você pode conferir aqui.

Outra melhoria anunciada pelo pessoal do elementaryOS, é o Onboarding, aplicativo que mostra as principais novidades e recursos presentes no sistema, para todo novo usuário criado. Ele seria como um “tutorial” dos primeiros passos no sistema, vamos assim dizer. Para mais detalhes técnicos sobre ele, você pode conferir aqui.



A outra novidade, é em relação aos pacotes flatpaks e como eles são manipulados dentro da distribuição. Agora, de forma oficial, os pacotes flatpaks são suportados de forma nativa pelo sistema. Assim, quando você instalar algum app no formato, poderá ser feito o gerenciamento do mesmo através da loja do elementaryOS, o AppCenter.

Também foi desenvolvida uma ferramenta que facilita a instalação dos arquivos baixados do Flathub, assim dispensando a necessidade do terminal ou PPAs para essa finalidade. A ferramenta é o Sideload, que faz todo esse trabalho de instalação para você, quando o arquivo .flatpakref é baixado. Ele te dá todas as informações referente ao app que será instalado.








Falando no AppCenter, o mesmo recebeu várias melhorias na versão Hera, e segundo o pessoal do elementaryOS, está 10x mais rápido que a versão anterior. 



Quando um app é instalado via flatpak, as atualizações também aparecerão no AppCenter. Agora você poderá escolher qual fonte quer instalar o app, seja dos repositórios do elementaryOS ou do Flathub. Também será possível navegar de forma offline, graças ao sistema de cache do sistema, assim podendo desinstalar aplicativos sem conexão também. 

Opção de mudar a fonte de instalação

Navegação offline no AppCenter


Além dessas novidades, também foi aprimorada a configuração de som, principalmente se o seu computador tiver várias saídas de áudio.

Outro ponto que recebeu um redesign e aprimoramentos, foi na parte de gerenciamento de mouse e touchpads, oferecendo agora mais possibilidades de configurações e ajustes.



Houve também melhorias e updates nos apps nativos do elementaryOS, como no Calendar (Calendário), Camera, Fotos (Photos), Música (Music) e Vídeos. Também foi aprimorado os indicadores do sistema, assim tornando mais harmonioso e de fácil entendimento para os usuários.




Essas foram só algumas das muitas novidades que a versão 5.1 Hera do elementaryOS trouxe, que para mais detalhes técnicos e mais algumas novidades, você pode conferir neste post do blog oficial do projeto.

Para baixar o elementaryOS 5.1 Hera, acesse este link, e na sessão que aparece “Pague o que quiser”, você pode pagar ou não pelo sistema. Se você optar por não pagar, basta ir no espaço “Personalizar” e por o número 0 (zero), baixando assim o sistema sem nenhum custo.


Se você já estiver usando a versão 5.0 Juno, basta verificar o AppCenter e clicar no botão “Verificar Atualizações” e assim instalar elas. Se você precisar de algum suporte mais “aprimorado” em seu hardware, basta instalar o conjunto HWE LTS, com o seguinte comando:

sudo apt install --install-recommends linux-generic-hwe-18.04 xserver-xorg-hwe-18.04


Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum. Espero você até a próxima, um forte abraço.



Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo